Your SlideShare is downloading. ×
Curso de Iniciação na Bolsa de Valores
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Curso de Iniciação na Bolsa de Valores

4,214

Published on

Curso de Iniciação a Bolsa de Valores: Bom Fundamento

Curso de Iniciação a Bolsa de Valores: Bom Fundamento

2 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Eu já invisto em ações, e tenho bons resultados, porque eu assisti algumas aulas muito boas sobre investimento, vou deixar o link pra que quiser, é preciso COPIAR E COLAR NO NAVEGADOR LINK:
    http://bit.ly/investidor1
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • nilsondemorais@hotmail.com
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
4,214
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
306
Comments
2
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Curso de Iniciação na Bolsa de Valores
  • 2. Fontes de Recursos para FinanciamentoFontes de Recursos para Financiamento EmpresarialEmpresarial Internas Lucros Retidos; Giro de Créditos e Débitos; Planejamento Tributário; Desmobilização; etc. Externas Recursos de 3ºs Recursos Próprios Debêntures; Notas Promissórias (Commercial Papers); Crédito Subsidiado; Empréstimos Bancários; Fornecedores; etc. Capital Social (Ações)
  • 3. Sistema FinanceiroSistema Financeiro Conjunto de instituições dedicadas a manter um fluxo de recursos dos poupadores para o investimento das empresas e gastos das famílias Mercado bancário: Crédito e financiamento Bancos comerciais são intermediários das operações Mercado de capitais Emissão e negociação de títulos corretoras, distribuidoras e bancos de investimento
  • 4. Estrutura do Sistema Financeiro NacionalEstrutura do Sistema Financeiro Nacional A estrutura do sistema financeiro nacional é constituída basicamente de dois grandes subsistemas: (Lei n˚4595 – 30.12.64) Subsistema Normativo: Este Subsistema atua na regulamentação, controle e fiscalização das atividades do mercado financeiro, suas instituições e operações realizadas. Subsistema de Intermediação Financeira (Operativo) O sistema operativo é constituído por instituições financeiras bancárias e não bancárias que atuam na intermediação de valores no sistema financeiro nacional.
  • 5. Subsistema NormativoSubsistema Normativo O subsistema normativo é constituído pelas seguintes instituições:  Conselho Monetário Nacional (CMN): - Órgão deliberativo do sistema financeiro. Responsável pela formulação e fixação de normas da política cambial, monetária e de crédito; Adotar medidas de prevenção ou correção de desequilíbrios econômicos;  Banco Central do Brasil (BACEN) Responsável pela execução da política monetária, na implementação do orçamento da União e no controle da liquidez e meios de pagamentos da economia. É fiscalizador, por outro lado, ao definir e promover o controle das instituições financeiras, regras, limites e condutas das instituições;  Comissão de Valores Mobiliários (CVM): Responsável pela regulamentação, controle e fiscalização do mercado de valores mobiliários emitidos por sociedades anônimas de capital aberto, como ações e debêntures.  Instituições Especiais - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); - Caixa Econômica Federal (CEF); - Banco do Brasil;
  • 6. Subsistema de Intermediação FinanceiraSubsistema de Intermediação Financeira O subsistema de Intermediação financeira é constituído pelas seguintes instituições:  Instituições Financeiras Bancárias:Instituições Financeiras Bancárias:  Bancos Comerciais;  Bancos Múltiplos;  Caixas Econômicas;  Instituições Financeiras Não Bancárias:Instituições Financeiras Não Bancárias:  Bancos de Investimentos;  Bancos de Desenvolvimento;  Sociedades de Crédito, Financiamento e Investimento (SCFI);  Sociedades de Arrendamento Mercantil;  Cooperativas de Crédito Imobiliário;  Associações de Poupança e Empréstimo (APEs) Instituições Auxiliares:  Bolsa de Valores;  Sociedades Corretoras;  Sociedades Distribuidoras;  Agentes Autônomos de Investimentos:  Instituições Não Financeiras:Instituições Não Financeiras:  Companhia de Seguros;  Companhias de fomento comercial - Factoring;
  • 7. Sistema Financeiro Nacional - Composição Órgãos Nominativos Entidades Supervisoras Operadores CMN – Conselho Monetário Nacional BACEN – Banco Central do Brasil Instituições Financeiras captadoras de depósitos à vista. (1) Demais Instituições Financeiras. (2) Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros (3) CVM – Comissão de Valores Mobiliários Bolsas de mercadorias e futuros - BMF Bolsas de Valores - Bovespa CNSP – Conselho Nacional de Seguros Privados SUSEP – Superintendência de Seguros Privados Sociedades Seguradoras Sociedades de Capitalização Entidades abertas de previdência complementar IBR – Inst. Brasil de Resseguros CGPC – Conselho de Gestão da Previdência Complementar SPC – Secretaria de Previdência Complementar. Entidades Fechadas de Previdência Complementar (fundos de pensão) (1) Bancos comerciais e múltiplos com carteira comercial, caixa econômica federal, cooperativas de crédito. (2) Bancos múltiplos sem carteira comercial, de investimento, de desenvolvimento, Sociedades de crédito financiamento e investimento, de crédito imobiliário, agências de fomento, associação de poupança e empréstimo, companhias hipotecárias, cooperativas centrais de crédito. (3) Sociedades corretoras de valores mobiliários, distribuidoras de títulos e valores mobiliários, de arrendamento mercantil, corretoras de câmbio, administradores de consórcio.
  • 8. O que se negocia no mercado de capitais?O que se negocia no mercado de capitais? São considerados valores mobiliários emitidos por companhias abertas:  Ações: Títulos nominativos, negociáveis, representativos de propriedade de uma fração do capital social de uma sociedade por ações.  Debêntures: Títulos nominativos, negociáveis, representativos de dívida de médio/longo prazos contraída pela companhia.  Notas Promissórias;
  • 9. O que são ações?O que são ações? Conceito: As ações são valores mobiliários emitidos por sociedades anônimas (S/A) e representativas de uma parcela mínima de seu capital social. O capital social de uma S/A é dividido em partes iguais, representadas por ações, e integralizadas pelos sócios (Acionistas). A responsabilidade dos acionistas com relação aos resultados alcançados pela sociedade restringe-se ao montante das ações possuídas. Ações Ordinárias Direito a voto Opinar sobre as atividades da companhia Ações Preferenciais Preferência na distribuição dos lucros (% variável de empresa para empresa) Se por três anos consecutivos não houver a distribuição dos lucros, as ações preferenciais ganham o direito a voto Depositary Receipts: Certificados representativos de ações, negociados livremente nos mercados financeiros do exterior;
  • 10. Mercado Primário X Mercado SecundárioMercado Primário X Mercado Secundário Mercado primário:Mercado primário: captação de recursos para a empresa Abertura de capital Documentação legal e contábil Registros na CVM e na bolsa Colocação dos papéis e repasse dos recursos para a companhia Mercado SecundárioMercado Secundário: troca a propriedade do título Proporciona liquidez aos títulos e incentiva o mercado primário
  • 11. Estrutura do Mercado SecundárioEstrutura do Mercado Secundário Bolsa de Valores Mercado de Balcão Mantém lugar adequado para a realização de negócios (pregão eletrônico). Divulga e registra rapidamente os negócios executados. Supervisiona a liquidação das operações. Organizado Não Organizado Sistema eletrônico de negociação. Supervisiona a liquidação das operações. (SOMA) Não tem lugar físico determinado. Qualquer título pode ser negociado. (ex. Créditos de Carbono)
  • 12. Porque as empresas abrem o capital?Porque as empresas abrem o capital?  Buscar recursos para o crescimento da empresa  Melhorar sua estrutura de capital (ou financeira)  Adequação do endividamento  Redução do custo do capital  Proporcionar liquidez patrimonial aos atuais sócios  Fortalecer sua imagem institucional
  • 13. Sistema Financeiro A BovespaA Bovespa
  • 14. Papel da bolsa de valoresPapel da bolsa de valores Sistema de negociação  Sistema eletrônico Transparência  Preços e quantidades negociadas são públicas  Equalização do nível de informação Formação de Preços  Proporciona melhor formação de preços Fiscalização  Regras para negociação  Fiscalização dos negócios realizados Liquidação  Atividade de clearing associada à negociação
  • 15.  As Empresas BrasileirasAs Empresas Brasileiras na Bolsana Bolsa O que todas estas empresas têm em comum?
  • 16. Por quê investir em Ações ?Por quê investir em Ações ?  Participar do capitalismo de forma saudável participando do crescimento econômico e das principais empresas de capital aberto;  Formar patrimônio diversificado investindo em sólidos negócios que no longo prazo crescem muito mais que a taxa básica de juros da economia;  Ter uma aposentadoria complementar formada pelo fluxo positivo de recursos em forma de dividendos;  Aproveitar com racionalidade as oportunidades de curto prazo disponíveis no mercado acionário; Fatores que influenciam nos ganhos:  Desempenho econômico da empresa;  Expectativas do comportamento futuro da empresa , da economia e da sociedade.
  • 17. Retorno, Liquidez e RiscoRetorno, Liquidez e Risco
  • 18. Investimento em Ações: Características BásicasInvestimento em Ações: Características Básicas RetornoRetorno LiquidezLiquidez RiscoRisco
  • 19. LiquidezLiquidez  A Liquidez de um ativo mobiliário é a capacidade do mesmo ser transformado em “dinheiro vivo”.  A Bolsa de Valores é um “centro de liquidez” e tem como uma de suas missões propiciar liquidez para os ativos negociados em seu pregão.  As ações são consideradas um investimento de liquidez elevada porque proporcionam aos seus detentores condições de negociação rápida no mercado bursátil; Liquidez: Indicadores de Liquidez:
  • 20. De onde vem o Retorno do investimento? - Direitos e proventos distribuídos; - Variação das cotações das ações. Eventos societários - Dividendos; - Juros sobre capital próprio; - Bonificação; - Subscrição; - Desdobramento (split); - Grupamento. RetornoRetorno
  • 21. Eventos societários  Dividendos: Pagamento em dinheiro aos titulares das ações, calculados com base nos lucros apurados pela companhia no exercício social. Mínimo de 25% do lucro líquido.  Juros sobre capital próprio: São proventos que uma empresa pode pagar aos seus acionistas, sendo descontados dos dividendos obrigatórios em caso de sua distribuição. Imposto de Renda – 15%  Bonificação: Mecanismo contábil para elevar o capital social sem o ingresso de novos recursos. É realizada de duas formas, emissão de novas ações e entrega aos atuais acionistas, ou aumento no valor nominal da ação.  Direitos de Subscrição; Direito dos atuais acionistas em adquirir novas ações emitidas de acordo com a proporção das ações possuídas.  Desdobramento (split);  Grupamento. Retorno - ProventosRetorno - Proventos
  • 22. Aposentadoria com DividendosAposentadoria com Dividendos APOSENTADORIA COM BASE EM DIVIDENDOS Ganho de capital Líquido Anual 15% Investimento/mês R$ 50,00 Dividend yield 3% Anos Complemento Patrimônio Anos Complemento Patrimônio 1 R$ 1,62 R$ 648,02 19 R$ 199,94 R$ 79.974,61 2 R$ 3,53 R$ 1.412,69 20 R$ 237,55 R$ 95.018,06 3 R$ 5,79 R$ 2.314,99 21 R$ 281,92 R$ 112.769,33 4 R$ 8,45 R$ 3.379,71 22 R$ 334,29 R$ 133.715,84 5 R$ 11,59 R$ 4.636,08 23 R$ 396,08 R$ 158.432,71 6 R$ 15,30 R$ 6.118,60 24 R$ 469,00 R$ 187.598,62 7 R$ 19,67 R$ 7.867,97 25 R$ 555,04 R$ 222.014,39 8 R$ 24,83 R$ 9.932,22 26 R$ 656,56 R$ 262.625,00 9 R$ 30,92 R$ 12.368,04 27 R$ 776,36 R$ 310.545,52 10 R$ 38,11 R$ 15.242,31 28 R$ 917,73 R$ 367.091,74 11 R$ 46,58 R$ 18.633,95 29 R$ 1.084,54 R$ 433.816,27 12 R$ 56,59 R$ 22.636,08 30 R$ 1.281,38 R$ 512.551,22 13 R$ 68,40 R$ 27.358,60 31 R$ 1.513,65 R$ 605.458,46 14 R$ 82,33 R$ 32.931,17 32 R$ 1.787,72 R$ 715.089,01 15 R$ 98,77 R$ 39.506,80 33 R$ 2.111,13 R$ 844.453,05 16 R$ 118,17 R$ 47.266,04 34 R$ 2.492,76 R$ 997.102,62 17 R$ 141,05 R$ 56.421,95 35 R$ 2.943,07 R$ 1.177.229,11 18 R$ 168,06 R$ 67.225,92
  • 23. Empresas com Elevado Dividend YieldEmpresas com Elevado Dividend Yield Atualizado – 08/09/2009 Empresa Setor Dividend Yield % TELEMAR Telecomunicações 20,24 ELETROPAULO Energia Elétrica 17,69 TRANSMISSÃO PAULISTA Energia Elétrica 12,7 TELESP Telecomunicações 11,95 CRUZEIRO DO SUL Bancos 10,79 AES Tietê Energia Elétrica 9,01 IOCHPE MAXION Indústria automobilística 8,85 INDUSVAL Bancos 8,28 CPFL ENERGIA Energia Elétrica 7,82 TEGMA Logística 7,61 CR2 Construção Civil 6,78 SOFISA Bancos 6,62 SOUZA CRUZ Fumo 6,62 CONFAB Tubos 6,36 CIA CONCESSÕES RODOVIÁRIAS Conc. Rodoviárias 6,29 ELETROBRÁS Energia Elétrica 6,2 PINE Bancos 6,2 TRACTEBEL Energia Elétrica 5,95 REDECARD Serviços Financeiros 5,9 CEMIG Energia Elétrica 5,7 Energias do Brasil Energia Elétrica 5,51 DAYCOVAL Bancos 5,4 BANCO DO BRASIL Bancos 5,37 ABC BRASIL Bancos 5,22 USIMINAS Siderurgia 5,19 CDI: 11,95% Poupança: 7,80% *Acumulado 12 meses
  • 24. RetornoRetorno  Como investidores, buscamos um bom retorno para os nossos investimentos;  Participando de empresas sólidas estaremos sempre com o investimento alinhados aos seus resultados financeiros;  Estatisticamente as cotações acompanham de perto resultados crescentes e previsíveis;  Esperamos pelo menos receber parte do lucro da empresa distribuído em forma de dividendos;  O mercado não é sempre racional.
  • 25. Resultados versus cotações Fonte: INI RetornoRetorno Itaúsa 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008* Corr Lucro (R$ mi) 263 466 670 957 882 1183 1537 1561 1962 2297 4486 3988 3469 96,50%Última Cot. Ajust. 0,32 0,33 0,33 0,97 1,02 1,23 1,17 2,32 3,35 5,54 8,27 10,24 7,97 Bradesco 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008* Corr Lucro (R$ mi) 824 831 1.012 1.105 1.740 2.170 2.023 2.307 3.060 5.514 5.054 8.010 8.206 93,80%Última Cot. Ajust. 1,43 2,35 1,58 3,76 5,21 4,29 4,42 6,9 9,44 20,3 26,71 35,89 22,59 Marcopolo 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008* Corr Lucro (R$ mi) 22,10 28,80 30,10 11,70 17,20 40,10 53,80 80,90 85,00 82,40 120,80 132,30 125,00 91,20%Última Cot. Ajust. 0,34 0,31 0,32 0,61 0,69 0,96 1,46 1,81 2,71 2,48 5,27 6,67 3,17 Vale 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008* Corr Lucro (R$ mi) 517 756 1.029 1.251 2.133 3.051 2.043 4.509 6.459 10.443 13.431 20.006 23.667 88,40%Última Cot. Ajust. 0,89 0,94 0,78 2,52 2,65 3,50 6,59 10,47 14,25 19,27 25,62 48,89 23,80 *Acumulado até o terceiro trimestre de 2008
  • 26. Compre empresas de crescimentoCompre empresas de crescimento Exemplos Reais – Empresas SEM consistência noExemplos Reais – Empresas SEM consistência no histórico de lucroshistórico de lucros Light 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Corr Lucro (R$ mi) 173 324 193 (253) (272) (951) (1.256) (488) (98) 243 (150) 1.077 Última Cot. ajust. 96,00 130,44 47,12 68,37 76,96 42,09 18,73 31,96 25,05 13,68 20,51 27,49 NET 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Corr Lucro (R$ mi) (30) (90) (232) (526) (367) (700) (1.125) (268) (45) 126 82 174 Última Cot. ajust. 131,79 70,96 31,43 358,87 224,16 85,25 4,42 9,58 6,42 16,07 24,22 21,68 Globex 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Corr Lucro (R$ mi) 112,1 49,0 32,4 43,5 60,0 39,1 35,8 3,3 52,0 55,5 79,5 89,3 Última Cot. ajust. 7,47 2,93 1,94 6,86 12,95 5,57 4,73 8,50 8,40 9,33 15,12 31,09 Bco da Amazonia 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Corr Lucro (R$ mi) 40,7 18,8 24,6 74,3 51,0 40,5 170,6 292,9 114,9 252,4 167,2 179,8 Última Cot. ajust. 0,01 0,01 0,03 0,17 0,17 0,21 0,11 0,16 0,23 0,17 0,31 1,01 -22,3% 50,3% 33,6% 20,9% Net 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008* Corr Lucro (R$ mi) -30 -90 -232 -526 -367 -700 -1.125 -268 -45 126 82 174 91 -25,70%Última Cot. Ajust. 131,79 70,96 31,43 354,66 221,01 85,25 4,42 8,31 6,42 15,92 23,56 21,68 13,83
  • 27. RetornoRetorno
  • 28. RetornoRetorno
  • 29. RetornoRetorno
  • 30. Resultados (Sem Reinvestimento) POMO4 PETR4 VALE5 GGBR4 Renda Fixa DI Qtd de Ações (dez/2008) 71.504 5.073 5.710 25.234 Cotação da Ação (dez/2008) R$ 3,17 R$ 22,84 R$ 23,89 R$ 15,06 Cotação da Ação p/ rentab. De 20% R$ 0,70 R$ 5,91 R$ 4,84 R$ 0,89 R$ 50.213 A ação teria que cair mais... 78% 74% 80% 94% 21% RetornoRetorno
  • 31. RetornoRetorno Empresas com resultados inconsistentes passam a ser um investimento comparativamente mais arriscado. “Sem a referencia do lucro (dinheiro no bolso do acionista) as cotações ficam ao sabor dos boatos e movimentos especulativos” Fonte: INI
  • 32. RetornoRetorno
  • 33. Risco Específico da Empresa; • Risco de Projeto; • Risco Competitivo; • Risco Setorial; Risco de Mercado; • Taxa de Juros; • Inflação; • Crises Financeiras; Pequeno Investidor: Clube de Investimentos RiscoRisco  RiscoRisco: É mensurado pelas variações na taxa de retorno futura da aplicação em relação ao retorno médio esperado estimado no momento da decisão inicial do investidor;
  • 34. Índice BovespaÍndice Bovespa Fonte Bovespa Representatividade do Ibovespa Em termos de liquidez: As ações integrantes da carteira teórica do Índice Bovespa respondem por mais de 80% do número de negócios e do volume financeiro verificados no mercado à vista (lote-padrão) da BOVESPA. Em termos de capitalização bursátil: As empresas emissoras das ações integrantes da carteira teórica do Índice Bovespa são responsáveis, em média, por aproximadamente 70% do somatório da capitalização bursátil de todas as empresas com ações negociáveis na BOVESPA. O Índice Bovespa (Ibovespa) é o mais importante indicador do desempenho do mercado de ações brasileiro, pois retrata o comportamento das principais ações negociadas na BOVESPA. É o valor atual, em moeda corrente, de uma carteira teórica de ações constituída em 02/01/1968 (valor-base: 100 pontos), a partir de uma aplicação hipotética. Ele é formado a partir de uma aplicação imaginária, em Reais, em uma quantidade teórica de ações (carteira). Finalidade: A finalidade básica do Ibovespa é a de servir como indicador médio do comportamento do mercado.
  • 35. RiscoRisco • O comportamento de um papel em relação ao índice é dado pelo seu “beta” (ß). Um beta igual a 1 significa que a variação da cotação da empresa será igual ao do Ibovespa, se o ß for igual a 0,5 a variação do papel será a metade o Ibovespa se for 1,5 será 50% maior e assim por diante. • Muitos utilizam o IBOVESPA como referência de retorno médio esperado para seus investimentos em Renda Variável. • Baseado nessa comparação nasceu uma importante medida de RISCO chamada “beta” (ß).
  • 36. Outros ÍndiceOutros Índice - IBrX 50 – Índice Brasil 50: Formado pelos 50 papéis de maior liquidez. - IbrX - Índice Brasil: Formado pelos 100 papéis de maior liquidez - ISE – Índice de Sustentabilidade Empresarial: Empresas socialmente responsáveis. - ITEL – Índice Setorial de Telecomunicações. - IEE – Índice Setorial de Energia Elétrica. - INDX – Índice do Setor Industrial: Mede o desempenho das ações mais representativas do setor industrial brasileiro. - IVBX-2 – Índice Valor Bovespa: 50 empresas que gozam de boa reputação entre os investidores porém não se classificam entre as 10 primeiras em volume e liquidez – (Jornal Valor) - IGC – Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada. - ITAG – Índice com Tag Along Diferenciado.
  • 37. Governança CorporativaGovernança Corporativa
  • 38. Conceito: Governança Corporativa “É a forma como as sociedades são gerenciadas, controladas, ou seja, é a preocupação pela transparência no modo que as sociedades são monitoradas, envolvendo os relacionamentos entre acionistas/cotistas, Conselho de Administração, Diretoria, Auditoria Independente e Conselho Fiscal.” Governança CorporativaGovernança Corporativa
  • 39. Novo MercadoNovo Mercado Transparência e Respeito ao acionistaTransparência e Respeito ao acionista Novo Mercado  Só ações ON;  Manutenção em circulação de uma parcela mínima de ações representando 25% do capital;  Câmara de arbitragem;  Tag Along; Nível 2  As Companhias Nível 2 se comprometem a cumprir as regras aplicáveis ao Nível 1 e, adicionalmente, um conjunto mais amplo de práticas de governança relativas aos direitos societários dos acionistas minoritários;  Divulgação de demonstrações financeiras de acordo com padrões internacionais;  Conselho de Administração – Mínimo 5 membros e mandato de até 2 anos. (20% conselheiros independentes).  Direito de voto às ações preferenciais em algumas matérias. Nível 1  As Companhias Nível 1 se comprometem, principalmente, com melhorias na prestação de informações ao mercado e com a dispersão acionária.  Reuniões públicas com investidores;  Apresentação do calendário anual de eventos;  Divulgação dos termos de contratos firmados;
  • 40. Índices Governança CorporativaÍndices Governança Corporativa IGC – Índice de Governança Corporativa Diferenciada O IGC tem por objetivo medir o desempenho de uma carteira teórica composta por ações de empresas que apresentem bons níveis de governança corporativa. Tais empresas devem ser negociadas no Novo Mercado ou estar classificadas nos Níveis 1 ou 2 da BOVESPA. ITAG – Índice de Tag Along Diferenciado O ITAG – Índice de Ações com Tag Along Diferenciado tem por objetivo medir o desempenho de uma carteira teórica composta por ações de empresas que ofereçam melhores condições aos acionistas minoritários, no caso de alienação do controle.
  • 41. O Mercado de Capitais noO Mercado de Capitais no Mundo.Mundo.
  • 42. O Mercado de CapitaisO Mercado de Capitais no Mundono Mundo Alguns Índices Internacionais: Índice Dow Jones – Índice mais antigo do mundo  Conta com atualmente 30 ações (blue chips corporations) Índice Standard & Poor´s 500 (S&P 500) – Índice do mercado mais representativo da atividade econômica Norte Americana  As 500 ações consideradas Large Caps
  • 43. DOW JONES (DJIA x IBOV) - CorrelaçãoDOW JONES (DJIA x IBOV) - Correlação
  • 44. O Mercado de CapitaisO Mercado de Capitais no Mundono Mundo Alguns Índices Internacionais: NASDAQ – National Association of Securitiies Dealers As empresas mais negociadas na NASDAQ são as dos setores de alta tecnologia de informática, eletrônica, biotecnologia e telecomunicações.  O índice mais importante é o NASDAQ Composite que mede o desempenho de todas as ações negociadas na bolsa eletrônica, atingindo atualmente mais de 5000 companhias.
  • 45. Outros Índices - Mundo - Malasia – Composite - Filipinas – PSE - Hong Kong – S&P; Hang Seng; - Coréia – Kospi - Índia – CNX500 - México – IPC - Argentina – Merval - Colômbia – IGBC - Shangai – SSE - Tokio – TOPIX - Londres – FTSE - Alemanha – DAX - França – CAC
  • 46. Sistema Financeiro Como ComprarComo Comprar AçõesAções
  • 47. Como comprar açõesComo comprar ações Procura uma corretora Bovespa Escritório Telefone Internet Faz o Cadastro Informações pessoais e documentos Depósito em conta corrente Transferências de recursos por DOC ou TED Extratos mensais enviados pela CBLC Avisos de negociação remetidos pela BOVESPA
  • 48. O que são as CorretorasO que são as Corretoras  Para comprar e vender ações, é necessário ser cliente de uma Corretora de Valores;  Corretoras de Valores são instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central e pela CVM.  Somente as Corretoras de Valores estão habilitadas, entre outras atividades, a negociar valores mobiliários com exclusividade no pregão eletrônico da BOVESPA. Agentes Autônomos de InvestimentosAgentes Autônomos de Investimentos Instrução 434 - Art. 2º O agente autônomo de investimento é a pessoa natural que obtém registro na Comissão de Valores Mobiliários – CVM, para exercer, sob a responsabilidade e como preposto de instituição integrante do sistema de distribuição de valores mobiliários, a atividade de distribuição e mediação de valores mobiliários.
  • 49.  Pela definição da Bovespa, Home Broker é “o instrumento que permite a negociação de ações via Internet. Ele permite que você envie ordens de compra e venda de ações através do site de sua corretora na internet”.  Para operar via HB a corretora terá um contrato específico ou cláusulas contratuais específicas no contrato padrão de seus clientes.  O Home Broker permite:  Rapidez na colocação de ordens;  Programação de Starts e Stops;  Acompanhamento de ordens e da carteira;  Acesso às cotações em real time;  Algumas corretoras ainda oferecem notícias e análises sobre o mercado e empresas.  Simplificando, Home Broker é o equivalente ao Internet Banking para as operações em Bolsa de Valores. Home BrokerHome Broker
  • 50. Home BrokerHome Broker
  • 51. Tipo de OrdensTipo de Ordens Compra NormalCompra Normal Stop de CompraStop de Compra Stop MóvelStop Móvel Venda NormalVenda Normal Stop VendaStop Venda (com ou sem Stop Gain)(com ou sem Stop Gain) Lançamento de OpçõesLançamento de Opções (Calls)(Calls)
  • 52. Codificação Mercado à Vista – Lote PadrãoCodificação Mercado à Vista – Lote Padrão Tipo do ativo Número Exemplo Direitos Ordinários - ON 01 FRAS1 Direitos Preferenciais - PN 02 FRAS2 Ações Ordinárias - ON 03 FRAS3 Ações Preferenciais - PN 04 FRAS4 Ações Preferenciais Classe A 05 FRAS5 Ações Preferenciais Classe B 06 FRAS6 Ações Preferenciais Classe C 07 FRAS7 Ações Preferenciais Classe D 08 FRAS8 Recibos Ordinários 09 FRAS9 Recibos Preferenciais 10 FRAS10 UNITS Cesta de papéis 11 FRAS11 Observação: Para Lote Fracionado basta acrescentar a letra F. Exemplo: Fras4F ou VALE5F
  • 53. Beneficiário Valor Incidência Corretagem Corretora Livre Tx Fixa e/ou % da operação Custódia Corretora Livre Tx Fixa Emolumentos BOVESPA 0,027% Valor da operação Tx de Liquidação CBLC 0,008% Valor da operação Custo das Operações Segurança das Operações - Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia: - É a única Depositária Central de Ativos para o mercado de ações. - É a garantidora das operações de compra e venda.
  • 54. Segurança das Operações Riscos relacionados ao ciclo de liquidação - o Processo de Recompra de Ativos No caso de uma operação de venda no mercado a vista, as ações objeto de negociação devem estar disponíveis na conta de custódia do vendedor, para entrega ao comprador, até o horário limite estabelecido pela CBLC. Caso os ativos não sejam entregues, a CBLC aciona, em D+3, o mecanismo de tratamento de falta de entrega - o Processo de Recompra de Ativos - além de cobrar nova multa sobre o valor dos ativos não regularizados. A ordem de recompra emitida em D+4. Essa ordem de recompra deve ser executada até D+6 e ter confirmada sua execução, perante a CBLC, até D+7. O vendedor em falta com a entrega dos ativos arcará com a diferença de preço da recompra, quando ela ocorrer. Caso a recompra não seja executada até o prazo estipulado por qualquer que seja o motivo, a CBLC, em D+8, reverterá a operação, retornando os valores financeiros ao comprador da operação. Fonte Bovespa
  • 55. Valor da Operação Corretagem + Fixo Até R$498,62 2,0% --------------- De R$498,62 a R$1.514,69 1,5% R$ 2,49 De R$1.514,69 a R$3.029,38 1,0% R$ 10,06 Acima de R$3.029,38 0,5% R$ 25,21 Tabela de Corretagem BovespaTabela de Corretagem Bovespa ExemploExemplo - Compra de 200 VALE5 por 56,00/cada: - Custo da Compra = 200 x 56,00 = 11.200,00 - Emolumentos = 11.200,00 x 0,027% = R$ 3,02 - Tx Liquidação = 11.200,00 x 0,008% = R$ 0,90 - Corret. Tab. Bovespa = (11.200,00 x 0,5%) + 25,21 = 81,21 - Custo Total = R$11.285,13 ou R$56,43 por ação.
  • 56. Participação dos Investidores - Volume Neg.Participação dos Investidores - Volume Neg. Fonte Bovespa Ano/Tipo Invest. Pes. Físicas Institucionais Estrangeiro Empresas Inst. Financ. Outros 2008 26,7% 27,1% 35,5% 2,8% 7,8% 0,1% 2007 23,0% 29,8% 34,5% 2,2% 10,4% 0,2% 2006 24,6% 27,2% 35,5% 2,2% 10,4% 0,1% 2005 25,4% 27,5% 32,8% 2,3% 11,7% 0,3% 2004 27,5% 28,1% 27,3% 3,0% 13,8% 0,4% 2003 26,2% 27,6% 24,1% 3,7% 18,0% 0,4% 2002 21,9% 16,5% 26,0% 3,3% 32,1% 0,2% 2001 21,7% 16,0% 25,1% 3,0% 34,0% 0,2% 2000 20,2% 15,8% 22,0% 4,2% 36,7% 1,1% 1999 15,9% 15,6% 22,3% 6,1% 39,1% 1,0% 1998 12,3% 17,6% 25,1% 7,2% 37,0% 0,7% 1997 10,4% 19,0% 25,9% 4,3% 40,1% 0,4% 1996 9,9% 13,0% 28,6% 3,2% 45,1% 0,2% 1995 11,3% 15,8% 26,4% 5,0% 41,3% 0,2% 1994 9,7% 16,4% 21,4% 6,9% 45,5% 0,2% Nota: Considerada a soma do volume de compra e venda. Obs.: A partir de janeiro de 2004, a participação dos investidores Pessoas Físicas passou a incorporar a de Clubes de Investimento, antes computada em investidor Institucional. A série histórica acima está ajustada à nova metodologia.
  • 57. Fonte: Bovespa e Bom Fundamento Entrada e Saída de Capital – Investidor EstrangeiroEntrada e Saída de Capital – Investidor Estrangeiro
  • 58. TributaçãoTributação Mercado A VISTA – Tributação a partir de Janeiro de 2005 Fato Gerador Alíquota Incidência Recolhimento Observações Venda 0,005% Valor da Venda Na Fonte Antecipação (*) Venda 15% Ganho Líquido Mensal via DARF Isento se o valor total das vendas for inferior a R$20.000,000 Day-Trade 20% Ganho Líquido Mensal via DARF Para qualquer valor de venda (*) Esse valor poderá ser: 1- Deduzido do imposto sobre ganhos líquidos apurados no mês 2- Compensado com o imposto incidente sobre ganhos líquidos apurados nos meses subseqüentes 3- Compensado na declaração de ajuste se, após as deduções acima, ainda houver saldo de imposto retido. 4- Compensado com o imposto devido sobre o ganho de capital na alienação de ações.
  • 59. MetodologiasMetodologias InvestimentoInvestimento XX EspeculaçãoEspeculação
  • 60. MetodologiasMetodologias
  • 61. MetodologiasMetodologias INVESTIDOR  Longo Prazo;  Ganha x Ganha;  Acredita na Empresa;  Aguarda os Ciclos;  Menor Risco;  Rentabilidade depende das empresas escolhidas;  Profissionais ou Poupadores;  Usa análise FUNDAMENTALISTA ou Financeira;  Provê estabilidade ao mercado. ESPECULADOR  Curto Prazo;  Ganha x Perde;  Acompanha o papel;  Antecede ciclos;  Alto risco;  Rentabilidade depende de sua velocidade e habilidade;  Profissionais;  Usa análise TÉCNICA ou Gráfica;  Provê liquidez ao mercado.
  • 62. Metodologia - FundamentalistaMetodologia - Fundamentalista  Índice Preço/Lucro (P/L);  Pay-Out;  Dividendos;  Índice Alta/Baixa;  Crescimento histórico de vendas e lucros;  Rentabilidade Líquida;  Rentabilidade do Patrimômio Líquido;  Índice Preço/Valor Patrimonial (P/VPA);  Nível de endividamento;  Participação de Mercado;  Crescimento do Mercado em que atua;  Etc. Para analisar o preço justo da ação o investidor baseia-se e compara os ‘múltiplos’ de mercado para empresas similares do setor em que a empresa atua:
  • 63. Metodologia – FundamentalistaMetodologia – Fundamentalista Método do Instituto Nacional de Investidores – INIMétodo do Instituto Nacional de Investidores – INI Princípios: 1. Investir com Regularidade 2. Reinvestir Dividendos 3. Investir em Empresas de Crescimento 4. Diversificar a Carteira 5. Escolher empresas com Boa Governança Corporativa Fonte: INI • Casos Reais utilizando somente os princípios INI; • Investimento de R$1000,00 por ano de Jan1996 a Jan2007(total = 12.000,00) Resultados (sem reinvestimento) POMO4 PETR4 VALE5 GGBR4 QTD de ações (dez/2007) 17.543 2.521 5.689 12.586 Cotação da ação (dez/2007) 7,21R$ 86,81R$ 51,12R$ 52,09R$ Patrimônio acumulado (dez/2007) 126.485R$ 218.860R$ 290.822R$ 655.605R$ Rentabilidade anual (dez/2007) 38,4% 47,3% 52,0% 65,8%
  • 64. Metodologia – Análise TécnicaMetodologia – Análise Técnica  A Análise técnica baseia-se no princípio de que os preços de ações se movem em tendências persistentes ao longo do tempo. Ou seja, os preços e volumes históricos de uma ação influenciam as flutuações futuras, de forma que uma vez determinada a tendência, é possível saber qual o melhor momento para comprar ou vender uma ação. “O Mercado é movido por uma massa de investidores, cujas decisões individuais são somadas . O resultado pode ser um consenso ou um desequilíbrio de expectativas, que vão favorecer a alta ou a baixa das ações” Eduardo Matsura
  • 65. Metodologia – Análise TécnicaMetodologia – Análise Técnica
  • 66. Metodologia – Análise TécnicaMetodologia – Análise Técnica
  • 67. Análise Técnica – Vale5 (Gráfico 60 Minutos)Análise Técnica – Vale5 (Gráfico 60 Minutos)
  • 68. Análise Técnica – Vale5 (Gráfico Diário)Análise Técnica – Vale5 (Gráfico Diário)
  • 69. Clubes deClubes de InvestimentoInvestimento
  • 70. Alternativa para o pequeno investidor;  Reunião de pessoas físicas; $ A Carteira de Ações do Clube pode ser administrada por uma Corretora de Valores, pelos Membros do Clube ou de forma compartilhada;  Clubes de InvestimentoClubes de Investimento
  • 71. Em 07/2008, 2.650 clubes formados; Patrimônio de R$ 17,6 bilhões  Clubes de InvestimentoClubes de Investimento Tipo de Investidor Julho (%) Junho (%) Estrangeiros 35,24 37,21 Institucionais 28,83 26,29 Pessoa Física 24,47 24,42 Instituições financeiras 9,10 8,83 Empresas 2,27 3,16 Outros 0,09 0,09
  • 72. O que é um Clube de InvestimentoO que é um Clube de Investimento  É uma aplicação financeira criada por um grupo de pessoas que desejam investir seu dinheiro em ações.  Eles podem ser criados por empregados ou contratados da mesma empresa ou ainda por um grupo de amigos (colegas da faculdade, vizinhos, parentes etc.).  Pessoas com objetivos semelhantes e que respeitem a decisão da maioria.
  • 73. Como criar um Clube de InvestimentoComo criar um Clube de Investimento Grupo: mínimo de 3 e máximo de 150 pessoas. Para criar um Clube de Investimento você precisa de uma Corretora de Valores Membro da BOVESPA.
  • 74. VantagensVantagens  É uma das melhores maneiras para começar a investir no mercado de ações.  Permite fazer poupança a médio e longo prazo, com um valor mensal que não comprometa, mas que seja constante.  Com um volume maior, originado pela soma dos recursos de cada integrante, é possível diversificar a aplicação.  Nos Clubes todos podem participar da gestão e as escolhas são sempre feitas em conjunto.
  • 75. Estatuto doEstatuto do Clube de InvestimentoClube de Investimento De acordo com o Regulamento do Clube de Investimento, são determinados os princípios e as regras de funcionamento aos quais todos os membros (fundadores e futuros integrantes) submetem-se. O Estatuto deverá conter no mínimo: Política de investimentos e forma de administração de carteira. Atribuições e responsabilidades: do administrador, do gestor e do representante/conselho de representantes. Regras para aquisição e resgate de cotas e prazo de carência. Taxas cobradas pelo administrador. Definições na hipótese de dissolução. Prazo de duração (indeterminado ou determinado).
  • 76. AdministradorAdministrador Forma de Aplicação  Aplica, no mínimo, 51% em ações negociadas em Bolsa e 49% em títulos de renda fixa ou cotas de outros fundos.  A Corretora administrará o Clube de acordo com o seu estatuto social, regulamento e a legislação aplicável. Constituição  Providenciará o CNPJ e o registro do Clube na BOVESPA.  Termo de Adesão: documento a ser assinado pelo cotista quando do seu ingresso no Clube de Investimento.
  • 77. Gestor da CarteiraGestor da Carteira Pode ser o administrador ou representante/conselho de representantes que, em conjunto ou isoladamente, administrarão a carteira do Clube. Representante É um membro do Clube escolhido pelos demais, cuja função é representar o Clube de Investimento e os interesses dos cotistas perante o administrador e terceiros. Conselho de representantes É um grupo formado por, no mínimo, 3 membros do Clube, escolhidos pelos demais, cuja função é representar o Clube de Investimento e os interesses dos cotistas perante o administrador e terceiros.
  • 78. Participante/Membro/CotistaParticipante/Membro/Cotista Participante/Membro/Cotista É a pessoa física que detém as cotas do Clube de Investimento. Cotas É a fração em que se divide o patrimônio do Clube. Nenhum participante poderá deter mais de 40% do patrimônio do Clube.
  • 79. www.bomfundamento.com.brwww.bomfundamento.com.br E-MAIL:E-MAIL: Thiago Fukui: tfukui@bomfundamento.com.br MSN: comercial@bfinvest.com.br Blog Bom Fundamento News Clipping: http://clipping.bomfundamento.com.br/ ContatoContato Blog Bom Fundamento Análise Gráfica: http://escola.bomfundamento.com.br/ Blog Agenda de Cursos para Investidores: http://agenda.bomfundamento.com.br/ Blog Análise Fundamentalista de Ações: http://ini.bomfundamento.com.br/ TELEFONE:TELEFONE: (47) 3026 3260 - Joinville

×