Compostagem
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Compostagem

on

  • 2,874 views

7ºD, 10/11, AP

7ºD, 10/11, AP

Statistics

Views

Total Views
2,874
Views on SlideShare
2,580
Embed Views
294

Actions

Likes
1
Downloads
87
Comments
0

4 Embeds 294

http://ecomarinhas.blogspot.com 166
http://ecomarinhas.blogspot.pt 78
http://ecomarinhas.blogspot.com.br 49
http://ecomarinhas.blogspot.de 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Compostagem Compostagem Presentation Transcript

  • Realizado por: Ana Patrícia…………..Nº2 Bernardo Gomes…….Nº6 Diana Tavares…….….Nº8 Maria Simões……….Nº18
  •  A compostagem é um processo de valorização da matéria orgânica. Matéria orgânica: restos de seres vivos, como seja de plantas, animais (cascas, ossos, cadáveres, espinhas) Valorização de resíduos:- Processo em que a partir de um material de baixo valor económico (lixo) se obtém outros materiais com maior valor económico.
  • - Exemplo: Restos de comida Composto (1 cêntimo 10 Kg) (0,5 € / Kg)
  •  Consiste na decomposição dos resíduos domésticos por acção de microrganismos que na presença de oxigénio originam uma mistura designada composto. O composto que se obtém no fim do processo poderá ser utilizado como adubo, uma vez que melhora substancialmente a estrutura do solo. O composto possui fungicidas naturais e organismos benéficos que ajudam a eliminar os organismos patogénicos que perturbam o solo e as plantas.
  • Húmus ou humo é a matéria orgânica depositada no solo, resultante da decomposição de animais e plantas mortas, ou de seus subprodutos.O humus melhora a fertilidade dos solos, porque fornece nutrientes as plantas.
  • Aumenta a quantidade de ar no solo, permitindo uma melhor respiração das raízes.Ajuda a reter a humidade evitando que as plantas sofram com sede.
  •  Resíduos orgânicos; Água; Compostor (ter em conta a escolha do compostor); Tesoura de podar (para diminuir a dimensão dos resíduos a compostar); Forqueta de arejamento ou ancinho (para remexer o material de compostagem); Termómetro; Regador; Terra ou composto acelerador (terra para plantas).
  •  Verdes, Ricos em azoto, geralmente húmido: Folhas verdes; Ervas daninha sem semente; Restos de vegetais e fruta; Borras de café, incluindo os filtros; Cascas de ovos (esmagadas) Flores; Folhas e saquetas de chá; Aparas de relva fresca.
  •  Castanhos, ricos em carbono, geralmente secos: Folhas secas; Restos de relva cortada seca; Palha ou feno; Resíduos de cortes e podas; Aparas de madeira e serradura; Agulhas de pinheiros; Cascas de batata.
  •  Existem alguns resíduos a evitar, pois podem dar origem a maus odores, atrair animais (ratos, moscas, etc.) ou atrasar o processo. Restos de carne, peixe e marisco; Produtos lácteos; Cinzas; Beatas de cigarros; Medicamentos; Plantas tratadas com produtos químicos; Excrementos de animais domésticos; Resíduos não biodegradáveis (plástico, vidro, metal, pilhas, tintas, têxteis, etc.)
  •  Restos de pão; Restos de comida sem gordura (tapar com terra).
  •  1. Corte os resíduos castanhos e verdes em pequenos pedaços. 2. No fundo do compostor coloque aleatoriamente ramos grossos (promovendo o arejamento e impedindo a compactação); 3. Adicione uma camada de 5 a 10 cm de resíduos castanhos;
  •  4. Adicione no máximo uma mão cheia de terra ou composto acelerador; esta quantidade conterá microrganismos suficientes para iniciar o processo de compostagem (os próprios resíduos que adicionar também contêm microrganismos); note- se que grandes quantidades de terra adicionadas diminuem o volume útil do compostor e compactam os materiais, o que é indesejável; 5. Adicione uma camada de resíduos verdes; 6. Cubra com outra camada de resíduos castanhos;
  •  7. Regue cada camada de forma a manter um teor de humidade adequado. Este teor pode ser medido através do "teste da esponja", ou seja, se ao espremer uma pequena quantidade de material da pilha, ficar com a mão húmida mas não a pingar, a humidade é a adequada. 8. Repita este processo até obter cerca de 1 m de altura. As camadas podem ser adicionadas todas de uma vez ou à medida que os materiais vão ficando disponíveis.
  •  9. A última camada a adicionar deve ser sempre de resíduos castanhos, para diminuir os problemas de odores e a proliferação de insectos e outros animais indesejáveis. As folhas e resíduos de corte de relva acumulam- se num espaço de tempo muito reduzido e em grandes quantidades. Caso tenha folhas em quantidades que não caibam no compostor: Enterre algumas no solo; Utilize-as como cobertura (mulch) em volta do pé de plantas e árvores;
  •  Faça uma pilha num canto do jardim; as folhas degradar-se-ão rapidamente; Guarde-as em sacos de plástico, armazene em local seco e acessível e adicione ao compostor à medida das suas necessidades. Para os resíduos do corte de relva: Coloque no compostor pequenas quantidades de cada vez e adicione resíduos castanhos (os resíduos do corte de relva têm tendência para adquirir uma estrutura pastosa e criar cheiros);
  •  Deixe estes resíduos expostos ao sol a secar; tornar-se-ão materiais ricos em carbono (resíduos castanhos), que poderão ser misturados aos mesmos resíduos ainda verdes.