“FILHOS DO AURÁ”: PROJETO ARQUITETÔNICO DE UMA  ESCOLA COMUNITÁRIA
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

“FILHOS DO AURÁ”: PROJETO ARQUITETÔNICO DE UMA ESCOLA COMUNITÁRIA

on

  • 1,983 views

O artigo é constituído de um projeto de reestruturação em uma creche localizada em bairro periférico de Belém, onde este é tido como um local de destino dos resíduos ...

O artigo é constituído de um projeto de reestruturação em uma creche localizada em bairro periférico de Belém, onde este é tido como um local de destino dos resíduos sólidos da área metropolitana, o Aurá.

Statistics

Views

Total Views
1,983
Views on SlideShare
1,983
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
11
Comments
1

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

“FILHOS DO AURÁ”: PROJETO ARQUITETÔNICO DE UMA  ESCOLA COMUNITÁRIA “FILHOS DO AURÁ”: PROJETO ARQUITETÔNICO DE UMA ESCOLA COMUNITÁRIA Document Transcript

  • “FILHOS DO AURÁ”: PROJETO ARQUITETÔNICO DE UMA ESCOLA COMUNITÁRIAÁrea temática: tecnologia e ProduçãoResponsável pelo trabalho: Mônica Regina Soares FerreiraUniversidade Federal do Pará (UFPA)Autores: Mônica Regina Soares Ferreira (1); Ronaldo Nonato Ferreira Marques deCarvalho (2); Cybelle Salvador Miranda (3);Fernando Edmundo Chermont Vidal (4).O artigo é constituído de um projeto de reestruturação em uma creche localizada embairro periférico de Belém, onde este é tido como um local de destino dos resíduossólidos da área metropolitana, o Aurá. A grande questão é dotar de salubridade a crecheque é sustentada por doações e está inserida nesta localidade, e é um local onde os filhosde parte dos catadores de lixo ficam quando seus pais vão ao “lixão”; procurou- setrabalhos enfocados neste tipo de programa. A parceria entre comunidade euniversidade resultou no projeto, no entanto este por ser tratar de ação comunitária nãotendo vínculos com grandes incorporadoras não tem data precisa para se concretizar, noentanto, parte desse grande problema já foi sanado, com a finalização do projetoarquitetônico, hidráulico e elétrico.Palavras chave: reestruturação, creche, Aurá. Introdução O projeto arquitetônico da creche “Filhos do Aurá” foi elaborado através deProjeto de extensão desenvolvido no Laboratório de Memória e Patrimônio Cultural-LAMEMO, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Paráe tem como objetivo a reestruturação desta edificação situada na Ocupação CarlosMariguella, bairro de Águas Lindas. O projeto contou com o apoio do Programa“Atitude”, veiculado pelas TVs RBA e Marajoara, coordenado pela jornalista MegBarros, o qual busca parceiros para ações sociais por meio da colaboração de pessoasfísicas e jurídicas. Verificamos por meio do projeto o envolvimento de vários atores se unindopara determinado fim; o projeto de reestruturação, que só foi alcançado graças àsdiretrizes de extensão da UFPA, que almeja a relação entre a Universidade e asociedade voltada para os interesses da própria comunidade (diretriz de impacto etransformação) e ainda, desenvolver o diálogo com essa comunidade e seus principaispersonagens, minimizando as distâncias entre ambos (dialógica), para garantir ainterdisciplinaridade, a fim de se chegar a uma multiplicidade de habilidades edesenvolver as atividades de extensão, pesquisa e ensino, que são consideradasindissociáveis. Outro ator muito importante foi a mídia, que através do programa “atitude”,idealizado pela jornalista Margarida Barros e que possui um caráter filantrópico,divulgou matéria sobre a creche “filhos do Aurá” que acabou resultando no projeto deextensão em questão. O Presidente do Centro Comunitário do Aurá, Célio Cecin “O senhorRomário” tem tido uma participação atuante para a melhoria das condições de vida da
  • população do local não atingido pelas políticas públicas, por meio de seu trabalho, douso de recursos próprios e doações. Iniciativa exemplar, face ao contexto em que ecreche está inserida, o Aurá, espaço onde são destinados os resíduos sólidos da áreametropolitana de Belém, e ao mesmo tempo residência de uma população considerável,que trabalha no “lixão” e coleta de resíduos para venda, sendo esta, em muitos casos, aúnica atividade rentável das famílias. O projeto teve seu objetivo concluído quandodotou o espaço de um projeto arquitetônico eficiente e mais humano para as crianças dacomunidade. Material e Metodologia A primeira visita feita à creche foi realizada em outubro de 2009 e contou coma participação os professores Ronaldo Marques de Carvalho, pela Faculdade deArquitetura e Urbanismo da UFPA e Fernando Chermont Vidal pela UNB, além daestagiária Mônica Soares. Esta visita teve o intuito de verificar o terreno e as condiçõesfísicas da atual creche, assim como fazer o levantamento de algumas informaçõestécnicas a respeito desta. Observamos as condições das edificações existentes e constamos que aestrutura da creche é insuficiente, contando com uma sala de atividades para as crianças,um banheiro de uso adulto e infantil, um refeitório e um albergue que abriga pessoasque ajudam na creche. Estas edificações são inapropriadas para as funções exercidas,pois não respeitam as fases do desenvolvimento infantil, pois há somente uma sala deatividades para todas as idades, assim como o banheiro é utilizado para adultos ecrianças. Quanto ao albergue, não há estrutura própria de uma casa, contento somenteum compartimento que abriga trabalhadores da creche e/ou pessoas que precisam de umlocal provisório para morar. No geral, verificamos a estrutura deficiente da creche (ver figura 02), espaçosmal distribuídos, construções inacabadas, espaço impróprio para o lazer das crianças,com área de chão batido e obstáculos físicos que dificultam a livre circulação. Tudo oque verificamos na visita com o levantamento do espaço afirma-se pertinente no sentidoda reestruturação daquele espaço. Não podemos deixar de ressaltar a ausência do Estado com relação às políticasde educação, onde, a comunidade, por carecer da necessidade de um espaço para abrigarcrianças, Nota-se pela imagem (Figura 1) que o projeto de reestruturação é necessário,pois além de sanar as necessidades primárias de um projeto, precisa enquadrar a crechepara o espaço ao qual ela se destina. Portanto um dos primeiros passos foram oembasamento teórico e a legislação vigente para espaços destinados a creches. Oembasamento foi orientado pela professora doutora Cybelle Miranda, através dapesquisa em Trabalhos de Conclusão de Curso que abordam o tema. Para se ter asprimeiras noções sobre creches, a leitura deste trabalho foi muito útil, pois meconfrontei com projetos de reestruturação, tomei analogias de creches da cidade.. Após esse estudo, foi proposto pelo coordenador do Projeto, Prof. RonaldoMarques de Carvalho, construir um pré-programa de necessidades para dar início aosprimeiros traçados do projeto. O estudo do trabalho de conclusão foi utilizado pararelacionar o programa de necessidades do projeto E assim, surgiu o pré-programa,
  • baseado na primeira visita e nos estudos teóricos, onde desenhava para o novo espaçoduas salas de atividades, dormitório, cozinha, refeitório e banheiros infantis. A segunda visita feita ao local no ano seguinte (2010) consistiu na medição destapara enquadrá-la no pré- projeto, feito a partir do pré- programa de necessidades. Estasegunda visita, contou com a análise do responsável pela creche senhor Célio Cecin,que concedeu- nos uma entrevista para verificar se o pré- projeto atendia asnecessidades da comunidade. O processo da entrevista com o responsável foi muito importante visto que, esteconhece muito mais a fundo as reais necessidades da creche. Assim, o projeto foiampliado, pois deveria atender a creche com uma biblioteca, assim como projetar doisdormitórios para os ajudantes da creche, onde houve a necessidade de projetar cozinha ebanheiro constituindo assim para esse espaço um projeto independente (imagem doprojeto em resultado e discussões). Assim, a cada passo do projeto ponderava-se nas melhorias que este iria trazer acomunidade, e projetar juntamente com esta, dar-nos a satisfação real de estaratendendo suas principais necessidades. Este é o pensamento que se formou após asegunda visita, a sensação real de um projeto extensionista, não constituído de ficção. Resultado e discussõesFigura 1: Fotografia retratando a visão geral da creche e a apresentadora Meg barros com uma criança atendida pela creche Fonte: CARVALHO, Ronaldo. 2009
  • Figura 2 : Desenho retratando a atual planta da creche, desenho feito em laboratório com os dados coletados na primeira visita, desenho em AUTO- CAD Fonte: SOARES, Mônica. 2009 A planta abaixo constitui outra necessidade de mostrar com clareza o projetopara a comunidade, para isso, foi desenhada a planta falada; uma planta de projeto maisclara e mais precisa no que diz respeito a leitura dos elementos existentes. Figura 3: Planta geral do projeto de reestruturação Fonte: SOARES, Mônica/ desenho em AUTO- CAD (2010) O projeto acima consiste no atual projeto final, e em sua totalidade, foidesenvolvido a partir da segunda visita, onde a entrevista com o responsável teve papeldefinidor da proposta.
  • Conclusão O projeto de extensão “Filhos do Aurá: projeto arquitetônico de uma escolacomunitária” concilia o exercício entre a teoria apreendida em sala de aula e nas basesteóricas, e a prática de projeto arquitetônico, quando nos deparamos com necessidadesreais, e com uma edificação pré-existente, a qual necessita reestruturação. O projeto desenvolvido envolve o contexto sócio-econômico da populaçãobeneficiária, a situação urbana, as diretrizes educacionais de uma creche, bem como arelação entre ensino e prática projetual. Com respeito a área de entorno da creche, que élocalizada no município de Belém, porém o acesso é feito pelo município deAnanindeua, torna mais aguda a ausência do poder público, pela indefinição de limitesentre as prefeituras. No Aurá situa-se o “aterro sanitário” onde são despejados osresíduos de Belém, sendo por esse motivo atrativo a população de desempregados quebusca sustento na atividade desumana da catação. A creche serve para manter as crianças, enquanto seus pais trabalham no“lixão”; ela é a única saída para quem não tem opção de instituições públicas paracuidar dos menores. Tal iniciativa mostra como a parceria entre sociedade civil e Universidade é umcaminho promissor para a garantia da qualidade de vida aos menos favorecidos, efunciona como via de mão dupla, uma vez que oferece aos cursos universitários apossibilidade de interação com a sociedade que hoje é uma exigência do Ministério daEducação para a formação de profissionais. Assim, o Laboratório de Memória ePatrimônio Cultural da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo abre caminho para avisibilidade profissional do Arquiteto, ainda hoje marcado pelo estigma de profissão deelite, portanto, inacessível aos grupos sociais com poucos recursos. Assim, por se tratar de projeto para uma comunidade que não conta com receitaprópria, propôs-se soluções projetuais e especificações técnicas duradouras, porém comcusto compatível. ReferênciasGRAEF, Edgar A. Edifício. São Paulo: Projeto Editora, 1978.MONTENEGRO, Gildo. A invenção do Projeto. São Paulo: Edgar Blucher, 1987.MONTENEGRO, Gildo. Ventilação e Cobertas: Estudo Teórico, Histórico eDescontraído. São Paulo: Edgard Blüecher, 1984.NEUFERT, Ernest. Arte de Projetar em Arquitetura. São Paulo: GG, 1998.SILVA, Kelly Rosy Figueiredo da. Reestruturação Física da Unidade de EducaçãoInfantil Catalina I - Val de Cans - Belém - PA. 2005. 103 f. Trabalho de Conclusão deCurso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal do Pará.SOUZA, Keila Cristine Lameira de. Construindo um sonho de infância: reestruturaçãoda creche Santo Antônio Maria Zacaria - Fátima - Belém - PA. 2003. 89 f. Trabalho deConclusão de Curso. (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federaldo Pará.