Your SlideShare is downloading. ×
Indicadores industriais -_nov-2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Indicadores industriais -_nov-2010

695
views

Published on

Published in: Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
695
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. ANO XVIII – Nº. 11NOVEMBRO DE 2010
  • 2. Ano XVIII * Número 11 * Novembro de 2010 * www.fiepe.org.br APRESENTAÇÃOA Pesquisa de Indicadores Industriais CNI/FIEPE tem por objetivo promover a geração de índices quepermitam acompanhar o desempenho da indústria de transformação, especialmente em curto prazo.Os índices produzidos buscam ser instrumentos para as análises de conjuntura, ao identificar asvariações na atividade industrial. Desta maneira, a preocupação básica está associada à geração de taxas de crescimento para umconjunto de variáveis, que permitirão a construção de séries de base fixa. Não é objetivo destapesquisa estimar valores absolutos para as variáveis pesquisadas.Para atender ao objetivo básico da pesquisa – fornecer elementos para avaliação da conjuntura –foram escolhidas variáveis relacionadas com a atividade produtiva e comercial das empresas, bemcomo variáveis relacionadas com a evolução do mercado de trabalho.Essa pesquisa, realizada desde 1992, passou pela sua primeira reformulação metodológica, com ainclusão de novas variáveis e reclassificação das empresas que compõem a amostra na novaclassificação de atividade econômica – CNAE, outras informações podem ser encontradas no sumáriometodológico, ao final deste relatório.Os indicadores industriais são produzidos, mensalmente, a partir de pesquisa direta conduzida pelaUnidade de Pesquisas Técnicas da FIEPE, a qual integra o sistema de Geração dos IndicadoresIndustriais (SINDI), coordenado pela CNI. Recife, 25 de Janeiro de 2011 2UNIDADE DE PESQUISAS TÉCNICAS
  • 3. Ano XVIII * Número 11 * Novembro de 2010 * www.fiepe.org.br RESULTADO GERAL PERNAMBUCO – MERCADO DE PRODUTO DESTAQUE SOBRE AS VENDAS Para o mês de novembro de 2010, o Comparativos (var %) indicador permanece positivo no Indicadores da Indústria de Igual Mês acumulado do ano. Mês Acumulado Transformação Ano Anterior no ano Anterior DESTAQUE SOBRE AS COMPRAS Vendas Reais -6,8 -8,7 13,5 Apesar do indicador que mensura Vendas e essa variável ter computado saldo -7,6 -9,9 10,4 Transferências positivo no comparativo com mês Compras 0,6 -28,8 -1,4 anterior, no acumulado do ano fechou registrando queda de 1,4%. DESTAQUE SOBRE O EMPREGO Nesse indicador, o estoque de PERNAMBUCO – MERCADO DE FATORES empregos no segmento industrial do Comparativos (var %) estado continuou positivo nas três Indicadores da Indústria de Igual Mês bases de comparação, apresentando Mês Acumulado Transformação Anterior Ano no ano variação de 0,6% com relação ao mês Anterior anterior, 3,8% no embate com Pessoal Empregado 0,6 3,8 5,0 idêntico mês do ano anterior e Horas Trabalhadas na fechando o acumulado em 5,0%. -2,7 6,7 1,2 Produção Remuneração Paga ao 6,8 2,5 5,3 DESTAQUE SOBRE AS HORAS Empregado TRABALHADAS Percentual Médio (%) Destaque para a variação registrada no comparativo com igual mês de Igual Mês Mês Mês 2009, apontando ascensão de 6,7%. Ano Nível de Utilização da Anterior Anterior Capacidade Instalada 79,7 79,8 79,6 Fonte: FIEPE 3UNIDADE DE PESQUISAS TÉCNICAS
  • 4. Ano XVIII * Número 11 * Novembro de 2010 * www.fiepe.org.br VENDAS REAIS Em novembro de 2010, as vendas da indústria de transformação do Estado recuaram 6,8% frente aomês anterior, porém, segue registrando saldo positivo de dois dígitos no acumulado do ano. No embate com idêntico mês do ano anterior, houve queda de 8,7%, sendo dos gêneros deAlimentos e Bebidas (-25,2%) e Metalurgia básica (-26,7%) as maiores variações. Na análise realizada com relação ao acumulado do ano, registrado entre Janeiro e Novembro de2010, frente igual intervalo do ano de 2009, as vendas realizadas pelo setor industrial do Estado continuaramapontando expansão consistente de 13,4%. As maiores variações foram referentes aos segmentos deMáquinas e equipamentos (176,7%) e Prep.couro/fab.art.couro e calçados (66,0%). Dentre os catorze setoresavaliados, apenas o setor de Coque/refin. comb. nuclear/álcool fechou com variação negativa de 66,6%. VENDAS REAIS – TABELA E GRÁFICO VENDAS REAIS - PERNAMBUCO Mês Igual Mês Acumulado Setores Anterior Ano Anterior no ano Alimentos e bebidas -23,51 -25,26 7,78 Produtos têxteis -12,67 -19,92 25,93 Confecções, artigos do vestuário e acessórios -3,08 0,37 22,75 Preparação de couro, fabricação de artefatos de couro e calçados -12,70 11,22 65,98 Celulose, papel e produtos de papel -0,12 2,84 11,56 Coque, Refino Comb. Nuclear, álcool 1,64 -9,42 -66,64 Produtos químicos 3,96 7,67 8,18 Artigos borracha e plástico 1,12 -12,68 8,62 Produtos de minerais não-metálicos 15,23 -3,37 35,69 Metalurgia básica -18,88 -26,67 0,35 Produtos metálicos - excl. máquinas 21,05 29,79 13,61 Máquinas e equipamentos 99,72 270,87 176,40 Máquinas, aparelhos e materiais elétricos -10,19 -20,06 13,71 Material eletrônico e equipamentos de comunicação * * * Indústrias de Transformação -6,78 -8,68 13,46 Fonte: FIEPE (*) mudança metodológica. 130 VENDAS REAIS - PERNAMBUCO 120 2007 2008 2009 2010 Base fixa: jan/06=100 110 100 90 80 jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Fonte: Fiepe 4UNIDADE DE PESQUISAS TÉCNICAS
  • 5. Ano XVIII * Número 11 * Novembro de 2010 * www.fiepe.org.br VENDAS E TRANSFERÊNCIAS No que tange à variável formada pelo somatório das vendas e transferências efetuadas pelo segmentoda indústria de transformação do Estado, alguns resultados tiveram recuos na ordem de um dígito, enquanto oacumulado do ano de 2010 frente idêntico período do ano de 2009 permaneceu positivo. O resultado apresentado na comparação entre novembro/10 frente outubro/10, os númerosrecuaram 7,6% e no embate com igual mês do ano precedente registrou variação negativa de 9,9%. Dentre oscatorze setores pesquisados, o que mais influenciou na composição do índice sobre o mês anterior foi o setorde Alimentos e bebidas, com participação de (130%). Com relação ao indicador que mensura o acumulado dos onze primeiros meses de 2010, verificou-seexpansão de 10,3%, resultado esse inferior em 3,3 pontos percentuais no comparativo aos resultados dapesquisa anterior. Dentre os gêneros que mais contribuíram com esse desempenho, destacaram-se Máquinase equipamentos (176,4%) e Prep. couro, fab. art. couro e calç. (43,7%), com as variações mais expressivas. VENDAS E TRANSFERÊNCIAS – TABELA E GRÁFICO VENDAS E TRANSFERÊNCIAS - PERNAMBUCO Mês Igual Mês Acumulado Setores Anterior Ano Anterior no ano Alimentos e bebidas -23,22 -25,92 7,38 Produtos têxteis 3,81 38,22 3,67 Confecções, artigos do vestuário e acessórios -3,08 -6,08 18,20 Preparação de couro, fabricação de artefatos de couro e calçados -12,70 -13,36 43,73 Celulose, papel e produtos de papel 1,51 5,79 12,70 Coque, Refino Comb. Nuclear, álcool 1,64 -9,42 -66,64 Produtos químicos 3,96 7,35 7,83 Artigos borracha e plástico 0,82 -13,05 8,26 Produtos de minerais não-metálicos 8,63 -15,51 29,82 Metalurgia básica -10,92 -9,44 10,41 Produtos metálicos - excl. máquinas 24,57 31,92 13,41 Máquinas e equipamentos 99,72 270,87 176,40 Máquinas, aparelhos e materiais elétricos -5,89 -11,51 14,21 Material eletrônico e equipamentos de comunicação * * * Indústrias de Transformação -7,58 -9,94 10,38 Fonte: FIEPE (*) mudança metodológica. VENDAS E TRANSFERÊNCIAS - PERNAMBUCO 140 130 2007 2008 2009 2010 Base fixa: jan/06=100 120 110 100 90 80 jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Fonte: Fiepe 5UNIDADE DE PESQUISAS TÉCNICAS
  • 6. Ano XVIII * Número 11 * Novembro de 2010 * www.fiepe.org.br COMPRAS O aporte destinado à compra de insumos e matérias- primas para a produção da indústria detransformação de Pernambuco, para o mês de Novembro de 2010 em relação ao mês anterior, se manteveestável, quase sem variação, registrando apenas 0,7%. Com relação à variação apontada para igual mês de 2009, o indicador recuou 28,8% e os segmentosque obtiveram as maiores variações foram os de Conf. art. vestuário e acessórios (94,3%) e Art. bor/plástico(-74,5%). Dentre os catorze setores consultados, apenas quatro apresentaram taxas negativas. No acumulado do ano de 2010 sobre idêntico período de 2009, o indicador apresentou queda. Nestetipo de embate, o saldo foi de 1,4 pontos percentuais negativos. COMPRAS – TABELA E GRÁFICO COMPRAS - PERNAMBUCO Mês Igual Mês Acumulado Setores Anterior Ano Anterior no ano Alimentos e bebidas 18,99 3,18 -2,85 Produtos têxteis 75,94 160,44 44,71 Confecções, artigos do vestuário e acessórios 12,72 -94,33 -60,19 Preparação de couro, fabricação de artefatos de couro e calçados 12,08 18,32 15,64 Celulose, papel e produtos de papel 1,32 -17,59 -15,18 Coque, Refino Comb. Nuclear, álcool * * * Produtos químicos -8,29 12,75 0,65 Artigos borracha e plástico -76,80 -74,49 12,69 Produtos de minerais não-metálicos -19,80 3,44 20,26 Metalurgia básica -44,89 -53,01 0,33 Produtos metálicos - excl. máquinas -19,94 19,66 1,88 Máquinas e equipamentos 18,44 79,66 -21,47 Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 18,04 4,81 18,48 Material eletrônico e equipamentos de comunicação * * * Indústrias de Transformação 0,66 -28,78 -1,39 Fonte: FIEPE (*) mudança metodológica. 170 COMPRAS - PERNAMBUCO Base fixa: jan/06=100 140 2007 2008 2009 2010 110 80 50 Fonte: Fiepe jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez 6UNIDADE DE PESQUISAS TÉCNICAS
  • 7. Ano XVIII * Número 11 * Novembro de 2010 * www.fiepe.org.br PESSOAL EMPREGADO O saldo de empregos da indústria de transformação do Estado continuou positivo. No comparativocom outubro de 2010, a expansão da variável pessoal empregado foi de apenas 0,6%, configurando cenário deestabilidade nesse tipo de indicador. No comparativo efetuado entre novembro de 2010 com igual mês de 2009, houve ascensão de 3,8%.Cabe ressaltar que com relação aos números apresentados na pesquisa anterior foi constatado recuo de 3,2%. No que tange ao acumulado realizado nos onze primeiros meses de 2010, frente ao mesmo período de2009, o indicador continuou com evolução positiva. O saldo foi de 5,0% e os setores que tiveram as maioresvariações foram os gêneros de Prep. couro, fab. art. couro e calç. (13,5%), Produtos têxteis (11,8%) e Prod.minerais não-metálicos(10,6%). PESSOAL EMPREGADO – TABELA E GRÁFICO PESSOAL EMPREGADO - PERNAMBUCO Mês Igual Mês Acumulado Setores Anterior Ano Anterior no ano Alimentos e bebidas 0,94 2,96 5,57 Produtos têxteis 1,05 19,43 11,78 Confecções, artigos do vestuário e acessórios -1,00 1,40 2,33 Preparação de couro, fabricação de artefatos de couro e calçados 0,00 22,50 13,53 Celulose, papel e produtos de papel 0,92 6,80 3,36 Coque, Refino Comb. Nuclear, álcool 0,00 8,70 -0,23 Produtos químicos -0,12 2,73 3,10 Artigos borracha e plástico -0,76 7,55 6,75 Produtos de minerais não-metálicos 0,33 6,75 10,65 Metalurgia básica -0,32 -58,28 -18,42 Produtos metálicos - excl. máquinas 0,24 6,23 -0,67 Máquinas e equipamentos 2,34 28,40 -0,27 Máquinas, aparelhos e materiais elétricos -0,80 2,12 -1,51 Material eletrônico e equipamentos de comunicação * * * Indústrias de Transformação 0,63 3,79 4,98 Fonte: FIEPE (*) mudança metodológica. PESSOAL EMPREGADO - PERNAMBUCO 2007 2008 2009 2010 160 150 Base fixa: jan/06=100 140 130 120 110 100 90 jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Fonte: Fiepe 7UNIDADE DE PESQUISAS TÉCNICAS
  • 8. Ano XVIII * Número 11 * Novembro de 2010 * www.fiepe.org.br HORAS TRABALHADAS NA PRODUÇÃO Os indicadores que mensuram às horas trabalhadas na produção da indústria de transformação doEstado apontaram saldos com pequenas variações nos três comparativos, contribuindo com o cenário deestabilidade desses indicadores no mês de Novembro de 2010. Quando comparado ao mês de Outubro de2010, o indicador recuou 2,7%. Dentre os catorze segmentos, dez permaneceram registrando variaçõesnegativas, sendo o setor de Conf.art.vest.acessórios(- 6,6%) o segmento industrial que obteve o maior recuo. Frente a idêntico mês do ano anterior, o desempenho foi positivo, situando-se em 6,7%. As variaçõesmais consistentes foram apresentadas pelos setores de Prod. têxteis (55,6%) e Máquinas/equipamentos(48,1%). No acumulado de 2010, a média dos onze primeiros meses do ano de 2010 sobre igual período de2009, seguiu registrando relativa estabilidade de 1,2%. A maior influência positiva na composição do índiceveio do ramo de Prod. têxteis. HORAS TRABALHADAS NA PRODUÇÃO – TABELA E GRÁFICO HORAS TRABALHADAS NA PRODUÇÃO - PERNAMBUCO Mês Igual Mês Acumulado Setores Anterior Ano Anterior no ano Alimentos e bebidas -3,97 2,04 -3,30 Produtos têxteis -1,73 55,63 41,90 Confecções, artigos do vestuário e acessórios -6,65 -6,20 -5,95 Preparação de couro, fabricação de artefatos de couro e calçados -3,34 30,31 45,46 Celulose, papel e produtos de papel 0,83 13,57 6,05 Coque, Refino Comb. Nuclear, álcool -0,52 1,18 -18,69 Produtos químicos -0,16 6,67 3,27 Artigos borracha e plástico 2,97 29,99 13,25 Produtos de minerais não-metálicos 0,09 -1,75 8,98 Metalurgia básica -1,87 -44,85 -10,06 Produtos metálicos - excl. máquinas -5,02 31,67 1,09 Máquinas e equipamentos 2,96 48,14 -5,26 Máquinas, aparelhos e materiais elétricos -2,87 16,10 5,29 Material eletrônico e equipamentos de comunicação * * * Indústrias de Transformação -2,70 6,68 1,18 Fonte: FIEPE (*) mudança metodológica. HORAS TRABALHADAS NA PRODUÇÃO - PERNAMBUCO 140 130 Base fixa: jan/06=100 2007 2008 2009 2010 120 110 100 90 80 70 jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Fonte: Fiepe 8UNIDADE DE PESQUISAS TÉCNICAS
  • 9. Ano XVIII * Número 11 * Novembro de 2010 * www.fiepe.org.br REMUNERAÇÃO PAGA Em novembro de 2010, a massa salarial paga aos empregados do setor industrial de Pernambucopermaneceu com trajetória positiva nos três tipos de análise, avançando 6,8% quando comparado ao mêsanterior. Em termos setoriais, a variação de maior destaque no índice agregado deveu-se ao setor de Produtostêxteis (32,8%), seguido pelos segmentos de Conf. art. vestuário e acessórios (24,3%) e Prod. metálicos – excl.máquinas (26,0%). No que tange ao embate realizado entre novembro de 2010 com idêntico mês do ano anterior, oíndice expandiu 2,5%. Os maiores incrementos apresentados na composição desse indicador deveram-seprincipalmente ao gênero de Máquinas/equipamentos (72,1%). No acumulado referente aos onze primeiros meses do ano de 2010, ante mesmo período do anoanterior, o resultado foi positivo. Neste tipo de análise, a remuneração total avançou 5,2 pontos percentuais,refletindo favoravelmente sobre todo o setor. REMUNERAÇÃO PAGA – TABELA E GRÁFICO REMUNERAÇÃO PAGA - PERNAMBUCO Mês Igual Mês Acumulado Setores Anterior Ano Anterior no ano Alimentos e bebidas 3,72 -6,87 4,47 Produtos têxteis 32,84 23,85 7,41 Confecções, artigos do vestuário e acessórios 24,37 14,00 7,45 Preparação de couro, fabricação de artefatos de couro e calçados -5,27 19,15 15,18 Celulose, papel e produtos de papel 7,62 8,64 19,17 Coque, Refino Comb. Nuclear, álcool 3,10 13,84 16,89 Produtos químicos 8,69 10,86 2,55 Artigos borracha e plástico 0,01 26,62 6,83 Produtos de minerais não-metálicos 9,92 3,35 10,30 Metalurgia básica 2,40 -38,62 -13,07 Produtos metálicos - excl. máquinas 26,00 18,95 6,68 Máquinas e equipamentos 20,39 72,14 7,77 Máquinas, aparelhos e materiais elétricos -8,96 10,04 5,28 Material eletrônico e equipamentos de comunicação * * * Indústrias de Transformação 6,85 2,50 5,27 Fonte: FIEPE (*) mudança metodológica. 150 REMUNERAÇÃO PAGA - PERNAMBUCO 140 2007 2008 2009 2010 Base fixa: jan/06=100 130 120 110 100 90 80 Fonte: Fiepe jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez 9UNIDADE DE PESQUISAS TÉCNICAS
  • 10. Ano XVIII * Número 11 * Novembro de 2010 * www.fiepe.org.br UTILIZAÇÃO DA CAPACIDADE INSTALADA O nível de utilização da capacidade instalada na indústria de transformação de Pernambuco foi de79,7% em Novembro de 2010, avançando em 0,2 p.p. no comparativo ao mês de novembro de 2009, ou seja, ograu de ociosidade recuou mais uma vez fechando em 20,3%, levando a crer que apesar da indústria detransformação do Estado ter aumentado sua produção, ainda há fôlego para maiores incrementos. Dentre oscatorze setores pesquisados, todos apresentaram resultados positivos, sendo o maior impacto computado pelosegmento de coque/ refino comb. nuclear/ álcool, que operou em 100,0% de sua capacidade de produção. UTILIZAÇÃO DA CAPACIDADE INSTALADA – TABELA E GRÁFICO UTILIZAÇÃO DA CAPACIDADE INSTALADA - PERNAMBUCO Mês Igual mês Setores Mês Anterior Ano anterior Alimentos e bebidas 77,41 75,19 73,57 Produtos têxteis 99,51 90,89 94,86 Confecções, artigos do vestuário e acessórios 77,51 95,49 94,36 Preparação de couro, fabricação de artefatos de couro e calçados 80,00 79,25 76,65 Celulose, papel e produtos de papel 83,52 85,93 85,95 Coque, Refino Comb. Nuclear, álcool 100,00 100,00 100,00 Produtos químicos 80,74 80,68 80,60 Artigos borracha e plástico 72,73 86,29 86,25 Produtos de minerais não-metálicos 77,93 81,69 85,29 Metalurgia básica 93,71 50,17 93,29 Produtos metálicos - excl. máquinas 78,09 88,39 87,59 Máquinas e equipamentos 80,00 80,00 60,21 Máquinas, aparelhos e materiais elétricos 90,48 85,10 85,16 Material eletrônico e equipamentos de comunicação * * * Indústrias de Transformação 79,75 79,83 79,59 Fonte: FIEPE (*) mudança metodológica. Nota: Os setores que influenciaram em cada comparativo estão sinalizados em fonte azul. 100 UCI - PERNAMBUCO Base fixa: jan/06=100 80 2008 2009 2010 60 40 Fonte: Fiepe jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez 10UNIDADE DE PESQUISAS TÉCNICAS
  • 11. Ano XVIII * Número 11 * Novembro de 2010 * www.fiepe.org.br SUMÁRIO METODOLÓGICO As informações apresentadas resultam do levantamento direto realizado nas empresas, selecionadasintencionalmente, mais expressivas do Estado. A metodologia adotada prevê a definição de um painel de informantescomposto por empresas que sejam responsáveis, no mínimo, por 50% do número de empregados da indústria local,utilizando-se como referência cadastral inicial a RAIS-2004. Os índices agregados da indústria de transformação correspondem à média ponderada das variações dosgêneros pesquisados. Os pesos utilizados para a ponderação representam a participação de cada um dos gêneros nasvariáveis escolhidas, segundo a Pesquisa Industrial Anual do IBGE de 2005. São divulgadas as seguintes taxas de variação: mês de referência/mês anterior, mês de referência/mesmo mêsdo ano anterior, e acumulado anual ou acumulado dos últimos doze meses, para as seguintes variáveis: Valor Total das Vendas - Valor Total das Vendas da empresa, isto é, o valor do faturamento líquido da empresa exclusive IPI, nas condições FOB - Fábrica - referente a produtos industrializados nos estabelecimentos da empresa, e vendidos nas condições usuais aos clientes. Transferência - Valor total das transferências dos produtos fabricados pela unidade local, efetuadas para outras localidades da mesma empresa, mesmo que estas não sejam classificadas como indústria. Compras - Corresponde a compra de matérias-primas, materiais auxiliares e componentes (inclui material de embalagem, combustíveis usados como matéria-prima e lubrificantes), adquiridos para processamento na produção, ou seja, a totalidade das compras efetuadas no mês de referência, ao valor do custo de aquisição, incluindo armazenagem, fretes, seguros e outras despesas inerentes, mesmo que tenham sido cobradas à parte do valor das mercadorias, deduzidas de ICMS e IPI quando recuperados. Pessoal Empregado Total - Corresponde ao número total de pessoas empregadas em atividade na unidade local no último dia de transferência da pesquisa, remuneradas diretamente pela empresa, com ou sem vínculo empregatício, com contrato de trabalho por tempo indeterminado ou temporário, ligadas ou não ao processo produtivo. Horas Trabalhadas na Produção - Número de horas trabalhadas pelo pessoal empregado na produção. Remuneração Líquida Total - Valor da remuneração líquida total referente à remuneração do trabalho desenvolvido pelo pessoal empregado total da unidade local no mês de referência da pesquisa. Utilização da Capacidade Instalada - Parcela da capacidade de produção operacional em condições normais de funcionamento utilizado no mês. Deve ser expressa em %. O valor informado não deverá ultrapassar os 100%, que corresponde à utilização máxima da capacidade instalada.PRESIDENTE DA FIEPE: Jorge W. Côrte RealSUPERINTENDENTE OPERACIONAL : Marcos EstevesCOORDENADOR DA UNIDADE DE PESQUISAS TÉCNICAS: José André de Lima Freitas da SilvaECONOMISTAS: Osangela Oliveira Silva de Sena Natacha de Lima VasconcelosASSESSORA TÉCNICA (ECONOMISTA): Danyelle Monteiro AUXILIARES ADMINISTRATIVOS: Adail de Melo Mendonça / Leonardo Luiz de Lima / Flávia Andrade / João Maria Lima da Rocha/ Josivan Furtado Leite / Maria da Conceição Nascimento Caldas / Ramon Fragoso ESTAGIÁRIOS: Ana Irys de Menezes Silva / Déborah Lanine D`emery de Pádua / Felipe André Rocha Silva / Marina Rogério de Melo Barbosa / Salomão Ritilhos Braga de Barros Neto / Sylvia Karla Gomes Barbosa / Élida Lourenço 11UNIDADE DE PESQUISAS TÉCNICAS