• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Agropecuária trabalho
 

Agropecuária trabalho

on

  • 3,420 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,420
Views on SlideShare
3,396
Embed Views
24

Actions

Likes
0
Downloads
39
Comments
0

2 Embeds 24

http://blogoitentaenove.blogspot.com 21
http://www.blogoitentaenove.blogspot.com 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Agropecuária trabalho Agropecuária trabalho Presentation Transcript

    • Agropecuária
    • No decorrer de sua expansão geográfica, a pecuária desempenhou importante papel econômico e no processo de povoamento do território brasileiro.
      A pecuária brasileira experimentou nas últimas duas décadas um grande aumento. E o melhoramento genético e dos cuidados crescentes com a saúde e higiene dos rebanhos, alavancou a balança comercial brasileira.
    • Relações trabalhistas
      Referem-se ao relacionamento entre a organização, os seus membros e os sindicatos(Associação de indivíduos da mesma classe ou profissão, para a defesa de interesses classistas, profissionais ou econômicos) que os representam, sendo influenciadas pelo estágio do sindicalismo. Uns dos meios de ação sindical legítimos e legal é a greve, tais são nomeadas de acordo com a satisfação dos trabalhadores, podendo citar a greve simbólica, a greve de advertência, a greve de zelo, a operação tartaruga, a paralisação relâmpago, entre outras.
      Uma reforma trabalhista é de fundamental importância para o aumento da produtividade e qualidade da indústria estadual, assim como para o crescimento de participação no mercado nacional e internacional, como também para o aumento do trabalho formal.
    • Existem diversas formas de trabalho no meio rural brasileiro. As principais formas de trabalho são:
      Posseiros:
      Lavradores que se instalam em terras que não lhes pertencem legalmente, ou seja, terras devolutas ou de terceiros;
      Parceiros:
      Lavradores que trabalham na terra de outra pessoa, com a qual dividem a produção obtida. Quando a divisão é de 50%, o trabalhador é chamado de meeiro;
      Pequenos proprietários:
      Trabalhadores que cultivam sua própria terra, tanto para atender às necessidades suas famílias, quanto para destinar a produção ao mercado local;
    • Arrendatários:
      Agricultores que alugam a terra de alguém e pagam seu uso em dinheiro. Em geral, dispõem de um certo capital. Em geral, dispõem de um certo capital e de equipamentos;
      Assalariados permanentes:
      Trabalhadores que moram nas propriedades em que trabalham, mantendo vínculo empregatício com registro profissional e todos os direitos legais;
      Assalariados temporários:
      Agricultores que trabalham contratados por dia, tarefa ou empreitada, sem direito a morarem na terra. Geralmente habitam a periferia das cidades e se deslocam diariamente para o trabalho no campo;
      Não-remunerados:
      Corresponde ao grupo familiar do trabalhador composto pelos seus dependentes, mulher e filhos, que ajudam no trabalho rural sem serem remunerados pela atividade.
    • Principais Sistemas Agropecuários
      Assim como a agricultura, a pecuária também é de grande importância, fornecendo alimentos (leite, carne, ovos) e matérias-primas (lã e peles) para a indústria.
      A pecuária mundial se apresenta de diferentes formas, que refletem o nível tecnológico dos países, os tipos de clima a que eles estão sujeitos, os mercados consumidores, etc. Predomina a pecuária moderna (uso de tratores, fertilizantes, presença de zootécnicos e agrônomos, gado confinado, pesquisa e manipulação genética, biotecnologia) nos países desenvolvidos — Nordeste dos Estados Unidos, Europa ocidental, Austrália, Nova Zelândia — e em algumas áreas de países subdesenvolvidos industrializados, como o Centro-Sul do Brasil. Nessas áreas, cada vez mais as transnacionais incorporam a pecuária ao espaço das chamadas empresas agrícolas. Em outras regiões do mundo, como a América Latina, a Ásia e a África, a pecuária não conta com todos esses avanços tecnológicos. O gado geralmente é criado solto no pasto, sem maiores cuidados.
    • Revolução verde
      É um programa que foi idealizado para aumentar a produção agrícola no mundo, por meio de mudanças genéticas em sementes, mecanização e redução de custos, além da fertilização do solo. As sementes, modificadas para se adaptar a certos tipos de solo e clima, eram resistentes a pragas e doenças.
      O programa passou a ser criticado depois de um tempo, pois não acabou com o problema da fome mundial, faz uso de muito fertilizantes, agrotóxicos, o que prejudica o meio ambiente, além de ter tirado os pequenos produtores de suas propriedades.
    • Primeiras Áreas de Produção Agropecuária no mundo
      A criação de animais é uma das mais velhas profissões. A pecuária é mencionada na Bíblia como a primeira tarefa dada por Deus a Adão: nomear e cuidar do Jardim do Éden e dos animais (Gênesis).
      Muito anterior à agricultura, deriva de aperfeiçoamentos da atividade dos caçadores-coletores, que já existiam há cerca de 100.000 anos e que primeiro aprenderam a aprisionar os animais vivos para posterior abate. Depois perceberam a possibilidade de administrar a sua reprodução. Nos primeiros estágios da pecuária, o homem continuava nômade, e na maioria das vezes conduzia seus rebanhos domesticados em suas perambulações, já não procurando a caça, mas sim novas pastagens para alimentar o rebanho. Há evidência da prática da agricultura somente a partir de 8000 a.C., mas seus efeitos foram drásticos sobre a pecuária, já que a agricultura fixou o homem no lugar do plantio, e portanto novas soluções para a pecuária tiveram de ser implementadas.
    • Alunos
      Júlia Alencar
      Jaqueline Louise
      Luiza Soares
      Carolina Camargos
      Gabriella Coelho
      Gabriel Cortez
      Sarah Schmorantz
      Marina Paiva
      ProfºClé
      Geografia