• Save
E link(web)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

E link(web)

on

  • 466 views

 

Statistics

Views

Total Views
466
Views on SlideShare
466
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

E link(web) Document Transcript

  • 1. Por ser o primeiro número, importa apresentar alguns dos pontos quea nova newsletter da ENB levaram o gabinete de comunicação da ENB a desenvolver esta nova publicação. Tal como a, já extinta, Newsletter ENB Informa, a ENB Link pretende cumprir vários objectivos de comunicação: • Informar os bombeiros sobre o que se passa numa Escola que é, essen- cialmente, feita para eles, desde a sua oferta formativa, passando pelas actividades desenvolvidas nos vários Centros de Formação. • Aproximar a ENB das pessoas menos familiarizadas com a estrutura nacional da protecção e socorro, dando a conhecer uma Escola, certi cada a nível nacional e internacional, onde se trabalha todos os dias para que os Bombeiros Portugueses tenham a formação adequada. Este objectivo pretende valorizar a ENB e a imagem dos bombeiros nacionais. Dada a dimensão e amplitude de temas abordados no novo portal da ENB e na sua página o cial no Facebook, tornou-se necessário conceber um suporte de comunicação unicamente digital que congregasse toda a informação referente às actividades da Escola. Desta premissa nasceu a ENB Link. Com este novo meio de comunicação, a ENB pretende manter a ligação/link com todos aqueles que se interessam pela formação dos bombeiros portuguesas através de um meio rápido com recurso a ligações/links ao portal da ENB e à sua página no Facebook. Além das preocupações ecológicas e económicas que a impressão de uma newsletter não contempla, este novo formato suporta outros tipos de informação que a ENB Informa não sustentava, nomeadamente vídeos. Confere, ainda, uma maior flexibilidade na informação através de ligações/ links que relacionam diversos conteúdos entre si. Por exemplo: o artigo sobre renovação da bolsa de formadores externos tem diversas ligações/links de artigos relacionados que enquadram o leitor e explicam todo o processo de recrutamento, selecção e afectação de formadores externos da ENB. Estrutura da ENB Link • Artigo Mensal; • Directório dos artigos mensalmente publicados; • Estatísticas da formação ministrada (externa e ULF); • Planeamento do mês seguinte; • Links de conteúdos externos à ENB mas que se enquadram na sua principal missão: promover o saber (para salvar).
  • 2. Todos os anos são importantes na vida de uma instituição, todavia, existem uns mais especiaispelos desa os que encerram. É o caso de 2011, ano da comemoração do 15º aniversário daconstituição formal da Escola Nacional de Bombeiros (ENB), que se iniciou de uma formaatribulada.Viveram-se momentos de grande apreensão no seio da Escola, com preocupações partilhadaspor todos aqueles que valorizam a formação dos bombeiros portugueses. A nal esta tinhasido colocada em causa pelas restrições de nanciamento proveniente do POPH (ProgramaOperacional Potencial Humano), traduzindo-se num corte de 75% das verbas essenciais àactividade formativa.A Direcção da ENB contestou esta decisão por ter sido baseada no “ histórico dos nanciamen-tos anteriores”. Ora, na vigência do actual Quadro Comunitário – 2007/2013 – a ENB apenasobteve um nanciamento em 2008, para esse ano e para 2009. Entretanto, passaram-se trêsanos plenos de mudanças veri cadas a vários níveis, incluindo na legislação reguladora daformação dos bombeiros, transformações essas que não foram tomadas em conta aquandoda análise do processo da ENB.A reclamação enviada aos responsáveis do POPH assentou em quatro pontos-chave.• O primeiro refere-se à publicação em Agosto de 2008 do Despacho 21 722 da ANPC quealargou em muito a formação dos bombeiros, já depois de a ENB ter obtido tal nanciamento.• Outro dos argumentos reporta-se a finais de 2009, altura em que deveria ter sido aceite umanova candidatura que não chegou a ser enviada pois os gestores do POPH comunicaram, àanterior Direcção, que “não pode ser considerada elegível a formação de bombeiros que nãoexerçam ou não pretendam vir a exercer essa actividade como pro ssão”. Quando a actualDirecção iniciou funções, em Abril de 2010, desenvolveu uma série de diligências que, aliás,geraram uma evidente tensão junto dos responsáveis do POPH. Em resultado, recebeu a 31 deJulho outro ofício – contraditando o primeiro – donde consta que “devem ser tidos comoelegíveis os bombeiros voluntários que participem em acções de formação apoiadas peloPOPH”. Como consequência, foi aberto um período extraordinário para apresentação dacandidatura sobre a qual recaiu a dita decisão de nanciar apenas 25% da verba necessária.• Os anunciados cortes do POPH colocavam em risco o modelo formativo da ENB, agora que aformação vai ao encontro dos bombeiros com as Unidades Locais de Formação (ULF),existindo já 22 e estando previsto que se chegue a 2 por distrito, ou seja, 36 ULF. Um projectoque segue orientações superiores de desconcentração e acessibilidade. Por último, há umfactor bem ilustrativo da não consideração das transformações ocorridas nos últimos trêsanos e que justi cam um aumento do nanciamento. Diz o regulamento do POPH que apenassão elegíveis para nanciamento as acções que integrem Referenciais de Formação,constantes do Catálogo Nacional de Quali cações. Ora em 2008, data da última candidatura,só existia o referencial da Formação Inicial de Bombeiro nessas condições. Por se tratar de umReferencial circunscrito à Formação Inicial, deixou sempre a descoberto formações a níveissuperiores. Hoje, já existem mais dois referenciais, que se traduzem na possibilidade passarema ser nanciados não 7 mas 17 módulos.Perante este quadro de mudanças, era inconcebível que o nanciamento de 2008 tivesse amesma expressão em 2011, com a agravante de, em 2010, a ENB não ter obtido nenhumaaprovação de nanciamento.Os resultados da resposta à reclamação vieram dar razão aos argumentos apresentados pelaDirecção da ENB, tendo sido revistos os montantes do nanciamento para valores maispróximos do inicialmente solicitado.
  • 3. Mas nem todos os desa os de 2011 dizem respeito ao superar dedi culdades de nanciamento. Outros há que se baseiam em projec-tos novos e fundamentais para os bombeiros, a sua Escola Nacionale, sobretudo, os Portugueses.Ao longo destes 15 anos, a ENB foi aperfeiçoando e adequando a suaoferta formativa aos desa os emergentes da sociedade actual. Esteprincípio estatutário teve uma in uência determinante no socorroem Portugal, mas a verdadeira amplitude deste conceito dinâmicofaz com que esta missão ainda esteja longe de estar concretizada.Observando os últimos acontecimentos mundiais, e re ectindo,simultaneamente, sobre a nossa realidade nacional, veri camos quese encontra a descoberto uma área formativa de relevo: a formaçãoem Busca e Salvamento Urbano, vulgarmente conhecida por USAR(Urban Search and Rescue). Face a esta lacuna, cabe à ENB, enquantoautoridade pedagógica dos bombeiros portugueses, assumir aresponsabilidade por todas as áreas de formação, consideradasessenciais à quali cação da intervenção. A ENB depara-se, assim,com um projecto aliciante que passará pela construção de umcampo de formação em resgate de pessoas em edifícios e outrasestruturas colapsadas.Entretanto, em contactos com o International Center for EmergencyTechniques (ICET), a ENB obteve alguns esclarecimentos sobre o quefazer para iniciar este processo, tendo desenvolvido esforços paragarantir a disponibilidade do ICET para, num trabalho conjunto,certi car a ENB como um CITO-USAR (Certi ed ICET Training Organi-zation), à semelhança do que já acontece na área de salvamento edesencarceramento.Para a execução deste projecto será fundamental a aprovação deuma candidatura ao Programa Operacional de Valorização doTerritório (POVT) através da ANPC, contando já com o apoio nanceiro de outros parceiros entre os quais se destaca a CâmaraMunicipal de Sintra que celebrou com a ENB um contrato-programaa o cializar uma comparticipação nanceira, para o efeito, de trezen-tos mil euros.Trata-se de um projecto exigente, sobre o qual a actual Direcçãodeposita grandes esperanças encontrando-se a desenvolver amplosesforços para a sua concretização. É grande a aposta para que a ENBcontinue a desempenhar um papel fundamental, em termos forma-tivos, no sistema nacional de protecção civil.Artigos relacionados:Assinatura do contrato-programa com a autarquia de Sintra
  • 4. enb.ptResultados das provas dos concursos para promoçãoResultados das provas de reclassi cação na carreira de O cial Bombeiro
  • 5. renovação formadoresexternosA ENB tem como um dos seus principais objectivos: a dinamizaçãoda sua actividade formativa em articulação com os Corpos deBombeiros. Esta tem sido uma das pedras basilares da sua política dedescentralização que marcou estes 15 anos e norteou as diversasDirecções.Neste sentido, a ENB vem investindo na formação técnica e naquali cação de formadores que ministram, localmente, os diversosmódulos que compõem o percurso formativo dos bombeiros e queconstam do Despacho n.º 21722/2008, de 20 de Agosto. Segundoeste, é competência da ENB, entre outras, garantir as quali cações ecerti cações dos formadores.Cruzando o número efectivo de formadores externos com asnecessidades que a descentralização formativa obriga, a ENB abriuum processo de candidatura para selecção de formadores emdiversas áreas de formação. Um sistema que obedece a normasespecí cas por via de um instrumento regulador: o RegulamentoInterno de Recrutamento, Selecção e Afectação de FormadoresExternos da ENB.Com este documento, publicado em Maio de 2010 e recentementeactualizado, a ENB pretendeu estabelecer critérios e promover aobjectividade no estabelecimento das condições de acesso paratodos os candidatos a formadores externos e nos procedimentossubsequentes para a realização da formação especí ca por elesescolhida.Artigos relacionados:Resultados das Candidaturas para Recrutamento de FormadoresExternosCalendarização das Provas de Avaliação para Formação de FormadoresDocumentação de Apoio a Candidaturas para o Recrutamento deFormadores Externos 2011
  • 6. Jornadas Técnicas
  • 7. Download Suporte Básico de Vida
  • 8. CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES SINTRA CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES LOUSÃ
  • 9. Estatísticas
  • 10. e-newsUnidade de Formação de Bombeiros inaugurada em Chaves vai servir todo o distrito de Vila RealSapadores de luto pela morte de subchefeUnidade de treino enriquece BombeirosAlcanena apoia campo de formação da Escola Nacional de Bombeiros1º Curso de Comandante Operacional Municipal1ª Turma do Curso Geral de Protecção CivilINEM lança microsite na Internet destinado às criançasNova Campanha de Sensibilização sobre os Incêndios FlorestaisVida por VidaCanal O cial da ENBFilme o cial do Ano Internacional das Florestas. Dirigido por Yann Arthus-Bertrand paraas Nações Unidas.