Morfol vegetal 1. agosto2012

931 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
931
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
57
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • EM
  • EM
  • EM
  • Morfol vegetal 1. agosto2012

    1. 1. Morfofisiologia vegetal Agosto 2012
    2. 2. 1.1. Problemas deProblemas de sobrevivência dossobrevivência dos vegetaisvegetais 2.2. Os Órgãos vegetativos,Os Órgãos vegetativos, suas funções ,suas funções , adaptações eadaptações e especializaçõesespecializações 1.1. RaizRaiz 2.2. CauleCaule 3.3. FolhaFolha
    3. 3. HTTP://WWW.BIOLOGY.UALBERTA.CA/FACI LITIES/MULTIMEDIA/UPLOADS/ALBERTA/S EEDSIMP.SWF Para recordar tópicos fundamentais sobre reprodução de Angiospermas
    4. 4. I- Polinização II- Dispersão III- Quebra de dormência IV- Germinação V- A Plântula
    5. 5. I- Polinização - Transporte do grão de pólen por animal, água ou vento- dependendo da estrutura da flor -Proporcionando a fecundação -II- Dispersão – Liberação dos diásporos- sementes ou frutos – para evitar a competição intra específica III- Quebra de dormência - fatores que estimulam o metabolismo na semente – Escarificação- mecânica, química, física . Ação de Enzimas : Hidrólise das macromoléculas de reserva – afetada por : temperatura, hidratação, hormônios .
    6. 6. IV- Germinação - formação da plântula a partir do embrião V- A Plântula: Crescimento ( número) Desenvolvimento ( diferenciação celular e aumento da complexidade : tecidos, órgãos e sistemas)
    7. 7. • Organismos complexos usam equipamentos anatômicos Resolver os problemas de sobrevivência: Células Tecidos Órgãos Sistemas
    8. 8. Os problemas de sobrevivência dos vegetais
    9. 9. Crescimento ( Número) e Desenvolvimento( Complexidade)
    10. 10. Meristos , do grego= dividir! 1. Isodiamétricas 2. Totipontes 3. Indiferenciadas 1. mitoses permitindo crescimento em comprimento pelas extremidades , e a ramificação de alguns caules Células meristemáticas: o começo de tudo!
    11. 11. Onde encontramos meristemas:
    12. 12. Células Tecidos Órgãos Sistemas Crescimento primário Alongamento pelas extremidades Crescimento Secundário Crescimento em espessura
    13. 13. Tecidos vegetais Crescimento primário Alongamento extremidades: caule raiz Meristemas primários ProtoDERME Meristema fundamental proCAMBIO Crescimento Secundário Crescimento em espessura FeloGENIO CAMBIO VASCULAR Originam tecidos primários Epiderme Preenchimento Condutores Meristemas secundários Súber Tecidos Condutores, de Sustentação e preenchimento Sistemas vegetais
    14. 14. MERISTEMA SUB- APICAL Meristema caulinar GEMAS LATERAIS
    15. 15. Sistemas vegetais: Revestimento e proteção Sustentação , nutrição assimilação e reserva Excreção e secreção Absorção e circulação Epiderme ( cutícula - cutina ) Periderme - súber - suberina) Parênquimas Aerênquima P. Aquífero P. Amilifero Colênquima Esclerênquima Clorênquima ou P.Clorofiliano Xilema Floema Laticíferos Tricomas Bolsas secretoras Nectários Hidatódios
    16. 16. Elementos de vaso Pontuados Elementos de vaso espiralado metaxilema Parênquima
    17. 17. MERISTEMA SUB- APICAL Meristema caulinar GEMAS LATERAIS 2 1 4 3 5
    18. 18. Órgãos vegetativos Raiz/Caule/folhas
    19. 19. Raízes Partes e funções Adaptações especiais
    20. 20. Pêlos absorventes da raiz: Zona pilífera Funções gerais da raiz: 1.Absorção de seiva bruta( água e sais minerais) 2.Fixação e sustentação 3.Armazenamento 4.Rizosfera
    21. 21. Zona de ramos Secundários:reserva Zona pilífera ou de diferenciação Zona lisa ou de distensão Região Meristemática Divisões celularesCoifa Proteção Ao meristema
    22. 22. Raiz tem Gemas laterais ?
    23. 23. Raízes estabelecem relações simbióticas com Fungos ( micorrizas e bactérias ( bactériorizas) Nódulos nitrificantes nas raízes de leguminosas
    24. 24. Caule: Tipos e Adaptações Funções Estrutura externa e interna Estrutura do caule http://www.youtube.com/watch? v=JnO4DjMNFnw
    25. 25. Caules apresentam gemas laterais e gema apical ou nós e entrenós
    26. 26. Caule Pimpinella Adaptação especial: Estômatos na epiderme do caule
    27. 27. Anel de câmbio fascicular Parênquima- medula Estrutura em corte: Súber ou epiderme Tecidos condutores Parêquimas meristemas Floema Câmbio Xilema
    28. 28. Corte de caule de milho: conjunto de vasos isolados, nào há distribuição em anel nas monocotiledôneas
    29. 29. cuticula amido amido Parênquima córtex floema Câmbio metaxilema Parênquima amilífero - medula
    30. 30. Canal secretor Colênquima – parênquima especial Feixe vascular
    31. 31. Célula especial do XILEMA
    32. 32. Caules especiais de Cucurbitáceas: ar dentro
    33. 33. FolhaFolha 1.Funções clássicas1.Funções clássicas 2.Folhas modificadas2.Folhas modificadas 3.Estrutura externa e interna3.Estrutura externa e interna
    34. 34. Lâmina ou Limbo Estrutura básica de folha padrão Nervuras Pecíolo
    35. 35. Funções gerais das folhas: Nutrição – Fotossíntese Trocas gasossas Circulação- Transpiração Defesa ( anexos epidérmicos) Adaptações especiais: Fixação ( gavinhas) Armazenamento de água Tricomas ( pelso secretores) Complemento nutricional( carnívoras
    36. 36. Cotilédones – folhas embrionárias- reserva e nutrição
    37. 37. Estrutura
    38. 38. Estrutura da folha 1 2 3 4 5 6 7 8
    39. 39. Estômatos: controle da evapotranspiração e das trocas gasosas
    40. 40. Estômatos na epiderme adaxial, com câmara sub estomática entre as células do parênquima paliçádico. Aerênquima para flutuação Hidropótios
    41. 41. http://www.anatomiavegetal.ib.ufu.br/exercicios-html/Meristema.htm Sites consultados e indicados http://www.cb.ufrn.br/atlasvirtual/Plantas/103%20-%20Catharantus %20roseos%20-%20caule%20yX.jpg http://www.anatomiavegetal.ib.ufu.br/exercicios-html/Caule.htm http://www.ebah.com.br/content/ciencias-biologicas?start=80

    ×