3 s sucessão ecológica__21_11_2012

845 views
741 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
845
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
40
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

3 s sucessão ecológica__21_11_2012

  1. 1. Sucessão ecológica Conceito Tipos Características
  2. 2. SUCESSÃO ECOLÓGICAAlterações graduais, ordenadas e progressivas noecossistema resultante da ação contínua dos fatoresambientais sobre os organismos e da reação destesúltimos sobre o ambiente.
  3. 3. Comunidade Pioneira : Biota que primeiro ocupao ambiente, cuja capacidade de dispersão éacentuada, com autonomia e poucas exigênciasem relação á comunidade.Estágios serais ou seres-:Comunidades que sesucedem , provocando alterações quedeterminarão ao final a estabilidade dacomunidade clímaxComunidade Clímax : A comunidade maisestável que se instala no biotopo.
  4. 4. Comunidade Pioneira É a primeira comunidade a instalar-se Geralmente de pequeno tamanho Crescimento rápido São espécies pouco exigentes Não permanecem durante muito tempo Ex: musgos e líquenes
  5. 5. Comunidade ClímaxÉ a última comunidade a instalar-seCaracterísitcas das espécies:Geralmente de grande tamanhoCrescimento lentoSão espécies mais exigentesPermanecem durante muito tempoEx: Árvores como o jequitibá , nogueira
  6. 6. PIONEIRA : comunidade INICIAL, QUE COLONIZA O AMBIENTE. Seres com necessidades simples, autonomia extrema e máxima capacidade de reprodução . SERES: comunidades instáveis que se seguem , alterando as condições ambientais e preparando a implantação de outros seresClímax: comunidade que expressao máximo de desenvolvimentopossível do ecossistema sob ascondições do local em que asucessão ocorreu.
  7. 7. Classificação dos processos sucessionais: I- Quanto às forças que direcionam o processo:•Sucessão autogênica: mudanças ocasionadas porprocessos biológicos internos ao sistema•Sucessão alogênica: direcionamento das mudançaspor forças externas ao sistema (incêndios, tempestades,processos geológicos)" Quanto à natureza do substrato na origem doprocesso:
  8. 8. II- Quanto à natureza do substrato na origem do processo:•Sucessão primária: em substratos nãopreviamente ocupados por organismos. Ex.:afloramentos rochosos, exposição de camadasprofundas de solo, depósitos de areia, lava vulcânicarecém solidificada)
  9. 9. II- Quanto à natureza do substrato na origem do processo:•Sucessão secundária: em substratos que já foramanteriormente ocupados por uma comunidade e,consequentemente, contêm matéria orgânica viva ou morta(detritos, propágulos). Ex: clareiras, áreas desmatadas, fundosexpostos de corpos de água.
  10. 10. II- Quanto à natureza do substrato na origem do processo:•Sucessão degradativa o substrato é –degradado em um período de tempo relativamente curto
  11. 11. Disclímax = ("disturbance climax" ou clímax dedistúrbio): comunidade mantida em uma etapaanterior ao clímax, devido à ação de distúrbiosrepetidos (incêndios, sobrepastejo), muitasvezes decorrentes de atividades antrópicas.
  12. 12. II- Quanto à natureza do substrato na origem do processo:•Sucessão primária: em substratos não previamente ocupados por organismos.Ex.: afloramentos rochosos, exposição de camadas profundas de solo, depósitosde areia, lava vulcânica recém solidificada)•Sucessão secundária: em substratos que já foram anteriormente ocupados poruma comunidade e, consequentemente, contêm matéria orgânica viva ou morta(detritos, propágulos). Ex: clareiras, áreas desmatadas, fundos expostos decorpos de água.•Sucessão degradativa – o substrato é degradado em um período de temporelativamente curto•Disclímax = "disturbance climax" ou clímax de distúrbio): comunidade mantidaem uma etapa anterior ao clímax, devido à ação de distúrbios repetidos(incêndios, sobrepastejo), muitas vezes decorrentes de atividades antrópicas
  13. 13. Regulação de cima para baixo ("top-down") e de baixo para cima ("bottom-up") (Carpenter et al., 1985)Efeito cascata (predação
  14. 14. SUCESSÃO ECOLÓGICAAlterações graduais, ordenadas e progressivas noecossistema resultante da ação contínua dos fatoresambientais sobre os organismos e da reação destesúltimos sobre o ambiente.
  15. 15. Pioneiras Oportunistas Clímax SementesProdução continua de sementes ou chuva Produção continua de sementes ou chuva Apresenta anos de baixa ou de nenhumade sementes. de sementes produção, é a comum “mast-years”.Apresenta dormência Não apresenta dormência Dormência curta ou ausenteLongevidade média e longa Curta longevidade Longevidade curta, muitas são recalcitrantes.Reserva nutricional pequena Reserva nutricional pequena Reserva nutricional grandeProduzidas em grandes quantidades Produzidas em grandes quantidades Produzidas em menor quantidade Dispersão.Anemocórica ou Zoocórica Anemocórica para a maioria das espécies, Barocórica ou zoocórica e algumas zoocóricas Germinação.Algumas espécies são termoblásticas Poucos fatores como luz e temperatura Requer alto conteúdo de umidades para o inicio afetam a germinação da germinaçãoRequer um balanço entre tipos de luz Sementes germinam em condição de luz ou Capaz de germinar sobre o dossel emvermelho/vermelho longo, e/ou choque de sombra condições de baixa relação vermelho/vermelhotérmico para germinar longoGerminação rápida após o processo Rápida germina;cão a indução do processo Imediata após dispersão ou após a induçãoterminativo ou quebra de dormência. germinativo PlântulasRequer luz direta para o seu crescimento Crescem em condições de baixa Crescimento lento em condições de sombra iluminação ou sombra podendo ser interrompidoMais independentes das reservas das Rápido crescimento, independente das Crescimento lento depende em brande partesementes reservas das reservas das sementes Plantas jovensRápido crescimento Crescimento lento em condições de sombra Crescimento em condições de sombra, podendo ser interrompidoCompetição intraespecifica por luz e Planta jovem umbrófila( ciófita) e planta adultaespaço heliófitaO tamanho das clareiras pode ser limitante Capaz de se manter a sombra ou empara o seu estabelecimento condições de pequenas ou grandes clareiras , que não são limitantes ao seu estabelecimento Regeneração naturalRegeneram-se a partir de bancos de Algumas espécies formam bancos de Regeneração a partir de bancos de plântulas ousementes persistentes ou não ou a partir de plântulas da queda de sementes em locais com condiçãobanco de plântulas efêmeras propicia ao estabelecimento PolinizaçãoAnimais não especialistas. Animais mais ou menos especialistas Animais especialistas Banco de sementesPresente Ausente Ausente
  16. 16. Características Grupo ecológico Pioneira (P) Secundaria inicial Secundaria tardia Clímax (C) (I) (T)Crescimento Muito rápido Rápido Médio Lento ou muito lentoMadeira Muito leve Leve medianamente Dura e muito dura resistenteTolerância à sombra Muito intolerante Intolerante Tolerante no estagio Tolerante juvenilRegeneração Banco de sementes Banco de plântulas Banco de plântulas Banco de plântulasDispersão das sementes Ampla (zoocória com Restrita (barocoria); Principalmente o Ampla (zoocória com alta diversidade de Ampla (zoocoria com vento grandes animais); dispersores); poucas espécies); restrita (barocoria) anemocoria; a anemocoria; a grandes distancias. grandes distancias.Tamanho das sementes e Pequeno Médio Pequeno médio, mas Grande e pesadofrutos dispersados sempre leve.Dormência das sementes Induzida (foto ou Sem Sem Inata (imaturidade termoregulada). do embrião)Tamanho das sementes e Pequeno Médio Pequeno médio, mas Grande e pesadofruto sempre leve Grupo ecológicoCaracterísticas Pioneira (P) Secundaria inicial Secundaria tardia Clímax (C) (I) (T)Idade da primeira Prematura (1 -5 anos). Intermediaria (5-10 Relativamente tardia Tardia (mais de 20reprodução anos) (10-20 anos) anos)Dependência de Baixa Alta Alta AltapolinizadoresespecíficosTempo de vida Muito curto (até 10 Curto ( 25 anos) Longo ( 100 anos) Muito longo (> de anos) 100 anos)

×