2 s aula 3_monera _março_2013

903
-1

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
903
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
38
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

2 s aula 3_monera _março_2013

  1. 1. Reino Monera03/04/13 Professora Ionara 1
  2. 2. Reino Monera1. Divisão do Grupo2. Caracterização Indivíduos e colônias Estrutura da célula bacteriana3. Ciclo vital: Reprodução e resistência Diversidade Metabólica4. Importância Biotecnológica e ecológica03/04/13 Professora Ionara 2
  3. 3. DomíniosBactéria ( Eubactéria) Eucaria Archaea Cianobactérias Seres com células Espiroquetas Halófilas nucleadas ,mais Filamentosas Metanogênicas complexas , uni ou Rycketsias Termófilas pluricelulares, com ou Mycoplasmas sem diferenciação Ambientes extremos tecidual. e outras bactérias Reinos: Protista Reino Monera Fungi, Metaphyta Metazoa03/04/13 Professora Ionara 3
  4. 4. Reino Monera Caracterização Indivíduos e colônias Estrutura da célula bacteriana03/04/13 Professora Ionara 4
  5. 5. 03/04/13 Professora Ionara 5
  6. 6. 2. Diversidade : Formas / Hábito- Individuais ou coloniais 6 1 4 7 2 5 8 3 903/04/13 Professora Ionara 6
  7. 7. Caracterização : Formas / Hábito- Individuais ou coloniais 1 6 4 5 7 2 8 9 303/04/13 Professora Ionara 7
  8. 8. Bactérias03/04/13 Professora Ionara 8
  9. 9. Cianobactérias (ou algas azuis ) Sempre Fotossintetizantes03/04/13 Professora Ionara 9
  10. 10. Cianobatérias03/04/13 Professora Ionara 10
  11. 11. Eutrofização:Excesso de sais minerais eleva as populações de algas e de cianobactérias .A biodegradação destes seres, reduz o oxigênio disponível na água, principalmentedurante a noite .Os seres que resistem s estas condições , são , geralmente , apenas os anaeróbios 03/04/13 Professora Ionara 11
  12. 12. Estrutura da Célula bacteriana03/04/13 Professora Ionara 12
  13. 13. Estrutura da Célula bacteriana Membrana plasmática Citoplasma Parede celular Mesossomos Cápsula Ribossomos FímbriasEnzimas relacionadascom a respiração,ligadas à faceinterna da membranaplasmática Plasmídeos Nucleóide Flagelo DNA associado ao mesossomo 03/04/13 Professora Ionara 13
  14. 14. • Bem definidas chamamos cápsulas, mais amorfas são Cápsulas e chamadas de camadas limosas ou glicocálix.camadas limosas • Constituídas por polissacarídeos ou polipeptídio: o ácido poliglutâmico. • Não são essenciais à viabilidade celular • Algumas linhagens dentro de uma espécie produzem cápsulas outras não. • Podem conter enzimas / toxinas • Protegem as bactérias ,Inibem a sua ingestão e destruição pelos fagócitos do hospedeiro, • protegem contra bacteriofagos, contra desidratação e facilitam a adesão. 03/04/13 14 Professora Ionara
  15. 15. Flagelos e pilus• Flagelos: para locomoção - (quimiotaxia positiva e negativa),"ancorados" na membrana celular e estendem-se através do envelope celular -Movimento rotatório (de hélice).• Pili (plural de pilus ) Relacionados á adesão, e não ao movimento .• Os pili sexuais são usados na troca de plasmídios, para reprodução sexuada. 03/04/13 Professora Ionara 15
  16. 16. 1 2 3 4 5 6 7 803/04/13 Professora Ionara 16
  17. 17. Técnicas para estudo de bactérias 1. Inoculação . 2. Meios de cultura – gerais e específicos. 3. Antibiogramas. 4. Coloração de gram03/04/13 Professora Ionara 17
  18. 18. 1. Semeadura ou inoculaçãoContaminação do meio de cultura com bactériasVídeo inoculação : http://www.e-escola.pt/topico.asp?id=312&ordem=2Professora Ionara 03/04/13 18
  19. 19. 2. Incubação03/04/13Professora Ionara 19
  20. 20. Antibiograma03/04/13 Professora Ionara 20
  21. 21. Identificação de Bactérias pelo Método de Gram03/04/13 Professora Ionara 21
  22. 22. Parede celular: método de Gram Bactéria gram-negativa Esquema de bactéria com parte da célula removida. Lipopolissacarídeo Fosfolipídios Proteína Camada de peptidoglicano r a u ec e der a P Lipoproteínas Membrana plasmáticaEsquema de parte da parede celular e da membrana plasmática de bactéria gram-negativa. l l 03/04/13 Professora Ionara 22
  23. 23. Parede celular: método de GramBactéria gram-positivaEsquema de bactéria com parte da célula removida. Parede celular formada por camada espessa de peptidoglicano Membrana plasmáticaEsquema de parte da parede celular e da membrana plasmática de bactéria gram-positiva. 03/04/13 Professora Ionara 23
  24. 24. Alça de platina para transferir as bactérias03/04/13Professora Ionara 24
  25. 25. Fixação do esfregaço 03/04/13Professora Ionara 25
  26. 26. 1-Cobrir o esfregaço com gotas de cristal violeta (ou violeta genciana-roxo), esperar 1 minuto. 03/04/13Professora Ionara 26
  27. 27. Bactéria gram-positiva Esquema de bactéria com parte da célula removida. Parede celular formada Peptidoglicano reage com o azul de metileno, assumindo cor azul Esquema de parte da parede celular e da membrana plasmática de bactéria gram-positiva. 03/04/13 Professora Ionara 27
  28. 28. Bactéria gram-negativaema de parte da parede celular e da membrana plasmática de bactéria 03/04/13 gram-negativa. Professora Ionara 28
  29. 29. 2-Lavar a lâmina rapidamente em água corrente ,desprezar excesso de corante no ralo ,e, sem lavar...Professora Ionara 29 03/04/13
  30. 30. 3- ...colocar gotas de lugol, deixar durante 1 minuto. 03/04/13Professora Ionara 30
  31. 31. • Descorar a lâmina com álcool etílico.Professora Ionara 31 03/04/13
  32. 32. Bactéria gram-negativa parede celular e da membrana plasmática de bactéria gram-negativa. 03/04/13 Professora Ionara 32
  33. 33. • Lavar com água corrente.Professora Ionara 33 03/04/13
  34. 34. • Cobrir a lâmina com gotas de safranina, deixar durante 30segundos.Professora Ionara 03/04/13 34
  35. 35. Bactéria gram-negativa parede celular e da membrana plasmática de bactéria gram-negativa. 03/04/13 Professora Ionara 35
  36. 36. • Lavar em água corrente.03/04/13Professora Ionara 36
  37. 37. Observaçã o com aumento de 1000 x Streptococcus gramEm microscópio óptico negativo Streptococcus gram - positivos 03/04/13 Professora Ionara 37
  38. 38. Contagem de Coliformes fecais em água Colônias típicas: azuis 03/04/13 Colônias típicas: brilho metálico Professora Ionara 38
  39. 39. Reino Monera3. Ciclo vital: Reprodução Resistência Diversidade Metabólica03/04/13 Professora Ionara 39
  40. 40. Reprodução das Bactérias Evolução e, resistência e adaptação pela seleção natural ou artificial SEXUADA ASSEXUADA TRANSFORMAÇÃO AMITOSE: DIVISÃO BINÁRIA CONJUGAÇÃO TRANSDUÇÃOVARIABILIDADE Um VARIABILIDADEAPENAS indivíduo GARANTIDA Requer a materialPOR MUTAÇÕES apenas PELA no meio, um vírusCASUAIS ou outra bactéria TROCA OU GANHO DE DNA 03/04/13 Professora Ionara 40
  41. 41. Reprodução assexuada das bactérias:amitose = aumento numérico Parede celular Duplicação do DNAMembranaplasmáticaMolécula de DNA Separação das células ( ou não : colôniais) 03/04/13 Professora Ionara 41
  42. 42. Transformação : bactéria + “dna do ambiente”Molécula de DNA circular Fragmentos de Célula bacteriana DNA doador Lise celular QuebraCélula bacteriana do DNA Fragmentos de DNA ligam-se à superfície da célula receptora. O fragmento de DNA é incorporado à célula O fragmento de DNA é integrado ao cromossomo da O fragmento de DNA é integrado ao cromossomo da célula receptora. célula receptora. 03/04/13 transformada Célula Professora Ionara 42
  43. 43. Transdução :bactéria + vírus Fago O DNA do fago Quando o profago inicia o ciclo integra-se ao DNA lítico, o DNA da bactéria é da bactéria como degradado e novos fagos podem O DNA de um profago. conter algum trecho do DNAum fago penetra da bactéria. na célula de uma bactéria. DNA do fago com genes da bactéria Genes de outra bactéria A célula são introduzidos e O fago infecta bacteriana se integrados ao DNA nova bactéria. rompe e libera da bactéria hospedeira. muitos fagos, que podem infectar 03/04/13 Professora Ionara 43 outras células.
  44. 44. Conjugação: Troca entre duas bactérias Plasmídeo DNA bacterianoCélula “macho” PontecitoplasmáticaCélula “fêmea” Célula “macho” Separação das células 03/04/13 Professora Ionara Célula “macho” 44
  45. 45. 03/04/13 Professora Ionara 45
  46. 46. Esporulação e resistência a adversidades ambientais 03/04/13 Professora Ionara 46
  47. 47. 4. Diversidade metabólica das Bactérias Respiração usam O2Heterótrofas Fermentação Não usam O2 FotoautotróficasAutótrofas Quimioautotróficas 03/04/13 Professora Ionara 47
  48. 48. 4. Diversidade metabólica das Bactérias Respiração Parasitas: instalam –se em seres ainda vivos usam O2 Mutualistas- colaboramHeterótrofas com o hospedeiro Fermentação Decompositoras: usam matéria de seres mortos Não usam O2 03/04/13 Professora Ionara 48
  49. 49. 4. Diversidade metabólica das Bactérias Respiração Parasitas: alimentam-se de seres ainda vivos usam O2 Mutualistas- trocam favoresHeterótrofas com o hospedeiro Fermentação Decompositoras: usam matéria de seres mortos Não usam O2 Fotossíntese Fotoautotróficas Usam energia da Luz CO2 e H2O (ou H2S)Autótrofas Quimiossíntese Quimioautotróficas Usam a energia química de reações que provocam 03/04/13 Professora Ionara 49
  50. 50. Diversidade Nutricional F o n Fonte de energia t e Luz Elétrons Liberados de Reações Químicas d e inorgânicas orgânicas c Quimio- Quimio- Compostos a AUTOTRóFICAS heteroTRóFICAS orgânicos r b oFotoAUTOTRÓFICAS CO2 n 03/04/13 Professora Ionara 50 o
  51. 51. Reino Monera1. Divisão do Grupo2. Caracterização Indivíduos e colônias Estrutura da célula bacteriana3. Ciclo vital: Reprodução e resistência Diversidade Metabólica4. Importância Biotecnológica e ecológica03/04/13 Professora Ionara 51
  52. 52. 5. Importância ecológica das bactériasHETERÓTROFAS AUTÓTROFASParasitismo QuímiossínteseSaprofitismo FotossínteseMutualismo03/04/13 Professora Ionara 52
  53. 53. Importância ecológica das bactérias HETERÓTROFASParasitismo Doenças (*)Saprofitismo Produção de alimentos e medicamentos Decomposição de resíduosMutualismo Produção de vitamina K (probióticos) Digestão e absorção de alimentos Digestão de celulose nos ruminantes Controle de bactérias patogênicas na flora intestinal (coliformes fecais ) 03/04/13 53 Professora Ionara
  54. 54. Importância ecológica das bactérias AUTÓTROFASQuímiossíntese Produção de alimento onde não há luz Ciclo do Nitrogênio, do ferro e do enxôfre Produção de matéria orgânica (ondeFotossíntese há luz) Ciclo do oxigênio e do carbono 03/04/13 54 Professora Ionara
  55. 55. Doenças causadas por bactérias Sistema vascularTifo epidêmico (transmitido por piolhos)Rycketsia provazekiiTifo (transmitido por pulgas de rato)Rycketsia typhiiGangrena ( morte dos tecidos)Clostridium perfringensSepticemia ( infecção genertalizada)Febre maculosa ( carrapato) Ricketsia ricketsii
  56. 56. Doenças causadas por bactérias Sistema nervosoTétano – Clostridium tetaniMeningite –Neisseria meningitidesBotulismo- Clostridium botulinunHanseníase Mycobacterium leprae
  57. 57. Doenças causadas por bactérias Sistema tegumentarAcne ( Propionebaterium acnes)Erisipela Staphylococcus pyogenesImpetigo Staphylococcus aureus
  58. 58. Doenças causadas por bactérias Aparelho respiratórioPneumonia – Pneumococos e outrasAntraz- Bacillus antracisTuberculose – Mycobacterium tuberculosisCoqueluche- Bordetella pertussisDifteria- Corynebacterium diphteriae
  59. 59. Doenças causadas por bactérias Sistema digestório Disenteria bacilar- Shigella ( várias sp) Doença péptica - Helicobacter pilorii Cárie – Streptococcus mutans Cólera – Vibrio cholerae Febre tifóide - Salmonella tifii Salmonelose – Salmonella ( várias sp)Aparelho genitalSífilis- Treponema pallidum Gonorréia - Neisseria gonorroheaeCistite Escherichia coli Cancro mole - Haemophillus ducrey
  60. 60. Doenças causadas por bactérias Aparelho genitalSífilis- Treponema pallidumGonorréia - Neisseria gonorroheaeCistite - Escherichia coliCancro mole - Haemophillus ducrey
  61. 61. Bactérias e ciclo do nitrogênio Captação de Composição de Nitrogênio FIXAR aminoácidosatmosférico N2 Usando o nitrogênio DECOMPOSIÇÃO Formação de Destruição (ou Amônia ( NH3)De compostos Liberada no solo Amonização) orgânicos Nitrosação Transformação deTransformação Amônia( NH3) em Nitrito(NO2) e Nitratação e de amônia = do Nitrito( NO2) em Nitrato(NO3) NITRIFICAÇÃO Transformação Utilização de De Nitrato ( NO3) DESNITRIFICAÇÃO Nitrato ( NO3) Como fonte de em Nitrogênio ( N2) Oxigênio 61
  62. 62. 1- Plantas FIXAR Passam compostos nitrogenados para a cadeia alimentarDECOMPOSIÇÃO Ou 2- Decomposição Amonização de cadáveres e excretas liberando compostos no solo Nitrosação 3 . Nitrito e o nitrato servem e geram energia NitrataÇÃO = para a quimiossíntese NITRIFICAÇÃO As plantas usam o NitratoDESNITRIFICAÇÃO 4. Devolução do Nitrogênio gasoso 03/04/13 Professora Ionara Para o ar 62
  63. 63. 1 Cianobactérias 1 Plantase Bactérias fixadoras dos Passam compostos FIXAR nitrogenados nódulos de raízes de plantas para a cadeia alimentar Rhizobium DECOMPOSIÇÃO 2 Decomposição 2 Bactérias Ou de cadáveres e excretas decompositoras Amonização liberando compostos no solo3 Bactérias Nitirificantes NitrosaçãoGêneros Nitrosomoonas 3 Nitrito e o nitrato servem e Energia para gerar e NitrosococusUsam compostos do solo NitrataÇÃO = para a quimiossíntese Na quimiossíntese NITRIFICAÇÃO As plantas podem usar Nitrato Transformação 4 Bactérias De Amônia em Nitrito Denitrificantes E do Nitrito em Nitrato gênero Pseudomonas 4 Devolução DESNITRIFICAR Usam o Nitrato De Como fonte de O2 Professora Ionara Nitrogênio gasoso 63 03/04/13 Para o ar
  64. 64. Etapas do Ciclo do nitrogênio 1 =? 2=? 3=? 4 =?03/04/13 Professora Ionara 64
  65. 65. Etapas do Ciclo do nitrogênio FIXAÇÃO 1 DECOMPOSIÇÃO 2 Ou Amonização Nitrosação 3 e NitrataÇÃO = NITRIFICAÇÃO 4 DESNITRIFICAÇÃO03/04/13 Professora Ionara 65
  66. 66. Alguns usos das bactérias em Biotecnologia• Fabricação de alimentos:laticínios,ácido acético,• Produção de medicamentos: transgênicas (ou não)• Produção de vitamina K• Reciclagem de elementos no solo.(ciclo do Nitrogênio)• Controle biológico.03/04/13 Professora Ionara 66
  67. 67. Cianobactérias (ou algas azuis ) Sempre Fotossintetizantes03/04/13 Professora Ionara 67
  68. 68. 03/04/13 Professora Ionara 68
  69. 69. Importância de Cianobactérias• Produtoras de alimento e Oxigênio, base das cadeias alimentares• São Fixadoras de Nitrogênio atmosférico Colonizadoras de ambientes.• Podem produzir toxinas (maré vermelha)03/04/13 Professora Ionara 69
  70. 70. Sites utilizados • http://www.cientic.com/tema_procariota.htmlBacteriofagohttp://www.youtube.com/watch?v=F5WEDcNcJjY&feature=related Bactérias nos alimentos http://www.youtube.com/watch?v=I-skEkaF4C4 Bactérias -Fapesp http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&v=AarQXZfo0no&NR=1 03/04/13 Professora Ionara 70
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×