1S_proteínas_ maio_2014_Ionara

725 views
633 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
725
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
25
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

1S_proteínas_ maio_2014_Ionara

  1. 1. Maio 2011 Professora Ionara 1. Proteínas e aminoácidos 2. Aminoácidos e ligações peptídicas 3. Estrutura das proteínas 4. Forma e função das proteínas 1S Proteínas e Metabolismo de Construção- I
  2. 2. Exemplos importantes Estrutural Ex: Actina , miosina, queratina Enzimática Ex: Catalase, Amilase, celulase ( não temos esta!!) Lactase. Hormonal Ex: Insulina, glucagon Defesa (vertebrados) Ex:Imunoglobulinas anticorpos Professora Ionara 2
  3. 3. Proteínas são macromoléculas Professora Ionara 3
  4. 4. Macromoléculas são formadas por unidades mais simples, ligadas quimicamente Professora Ionara 4 Polipeptídio dipeptídio Amino ácido
  5. 5. Naturais Nosso corpo produz Essenciais Precisamos ingerir aminoácidos Tirosina, arginina. acido aspártico, ácido glutâmico Fenilalanina, lisina, triptofano Teronina..
  6. 6. As proteínas são formadas por cadeias de aminoácidos ligados entre si CN C H H H H Todos os aminoácidos têm Esta região Idêntica! O radical é o Que difere
  7. 7. N C H H H H H C H Todos os aminoácidos têm um grupo amina e um grupo carboxil . Diferem apenas quanto ao RADICAL ®
  8. 8. Todos os aminoácidos têm um grupo amina e um grupo carboxil . Diferem apenas quanto ao RADICAL ® Professora Ionara 8 Utilizamos 20 aminoácidos diferentes, para compor nossas 200mil proteínas (estes dados têm divergências)
  9. 9. As ligações PEPTÍDICAS não envolvem o radical Radical da Alanina N C H H H H H C H Grupo CarboxilGrupo Amina
  10. 10. Professora Ionara 10 Ligações Peptídicas: Carboxil + amina - água C H N H H C H C H C H
  11. 11. Hidrólise enzimática: Com a entrada de água as ligações peptídicas se desfazem Professora Ionara 11 A digestão das proteínas libera peptídios Peptídios hidolisados geram dipeptídios Dipeptídios hidrolisados geram amino-acidos
  12. 12. LIGAÇÃO PEPTÍDICA = SÍNTESE POR DESIDRATAÇÃO Professora Ionara 12
  13. 13. Professora Ionara 13
  14. 14. Hidrólise é o processo inverso da síntese por desidratação A entrada de H-OH Desfaz a ligação peptídica Professora Ionara 14
  15. 15. Cada uma das nossas células Recebe aminoácidos para construir suas próprias proteínas, de acordo com a sua receita gênica. Ex: Professora Ionara 15 Hemácias: Células Beta do Pâncreas Células Musculares Actina e miosina Hemoglobina Insulina
  16. 16. Professora Ionara 16 Células Musculares : Actina e miosina Hemácias : Hemoglobina Células Beta do Pâncreas: Insulina
  17. 17. Estrutura primária: A ordem dos aminoácidos é determinada geneticamente  Aminoácidos fazem ligação peptídica nos ribossomos sob o comando do RNA, que é transcrito do DNA ( genes)  Ligação peptídica= síntese por desidratação . O Grupo Carboxil de um aminoácido liga-se ao grupo Amina do outro. O radical não participa da ligação peptídica ...lembrou? Professora Ionara 17
  18. 18. Estrutura primária: a seqüência em que os aminoácidos são ligados, isso ocorre nos ribossomos com orientação do RNA. O RNA é feito de acordo com a instrução contida nos genes . Professora Ionara 18
  19. 19. A estrutura espacial tridimensional das proteínas determina a função de cada proteína Professora Ionara 19
  20. 20. A insulina é uma proteína formada por duas cadeias polipeptídicas, unidas por pontes de sulfeto ( S – S ). Essa proteína é um hormônio produzido no pâncreas e controla o teor da glicose no sangue, permitindo seu ingresso nas células.
  21. 21. Professora Ionara 21
  22. 22. Professora Ionara 22  Estrutura Primária = sequência dos aminoácidos  Estrutura Secundária = cadeia de aminoácidos enrolada sobre si mesma, formando uma espiral  Estrutura Terciária = espiral enrolada sobre si mesma, nó  Estrutura Quaternária= nó se acopla a uma substância não proteica .
  23. 23.  1 B Estrutura Primária  2 D Estrutura Secundária  3 C Estrutura Terciária  4 A Estrutura Quaternária Professora Ionara 23 1 Estrutura Primária 2. Estrutura Secundária  3. Estrutura Terciária  4. Estrutura quaternária C D A B Resposta
  24. 24. Professora Ionara 24 Estrutura primária Estrutura terciária=nó Devido ás interações entre os radicais Estrutura Secundária = espiral Estrutura Quaternária Estrutura protéica ligada a um grupo não protéico é a seqüência dos aminoácidos
  25. 25. Professora Ionara 25
  26. 26. Professora Ionara 26 A que se comparam as Formas A,B,C deste mesmo material? nó
  27. 27. A forma de uma proteína determina sua função  A forma é definida: 1 Pela sequencia dos aminoácidos 2 Pela interação entre os radicais dos aminoácidos 3. Sítio ativo : área da proteína que forma um encaixe químico Professora Ionara 27
  28. 28. A forma de uma proteína pode ser alterada:  Pelo pH : cargas livres positivas (H+ ) ou negativas (OH⁻), afetam a atração ou repulsão aos radicais dos aminoácidos , provocando a deformação da proteína e do sítio ativo) Professora Ionara 28 Desnaturação= deformação da proteína  Pelo calor ou outras formas de energia ( vibração da molécula e deformação da proteína e do sítio ativo)
  29. 29. Professora Ionara As proteínas e suas funções 4.Hormonal Controlam Metabolismo
  30. 30. Professora Ionara 30 Proteínas e suas funções :
  31. 31. Actina e Miosina As proteínas da contração muscular Função Estrutural Professora Ionara 31
  32. 32. A contração do músculo é provocada pela contração de suas miofibrilas, que acontece quando os filamentos da actina deslizam um em direção ao outro, puxados pela miosina. miosina. Filamentos de actina Professora Ionara 32
  33. 33. Você já sabe que : 1.A estrutura das proteínas deve-se á ordem dos aminoácidos , como as letras formando uma apvalra 2.Todas as proteínas tem estrutura definida... Primária e secundária, podendo ou não formar a terciária e quaternária. 3 .A função das proteínas é determinada pela á sua forma Professora Ionara 33
  34. 34. Professora Ionara As proteínas e suas funções 4.Hormonal Controlam Metabolismo
  35. 35. Professora Ionara 35 Entendendo a ação enzimática : Catalizador= substância que fornece a energia de ativação para uma reação química ocorrer. Substrato= substância que sofre a ação da enzima
  36. 36. CADA ENZIMA TEM AÇÃO ESPECÍFICA SOBRE UM SUBSTRATO Professora Ionara 36
  37. 37. Função enzimática: Encaixe: Chave / fechadura O sítio ativo é a região da proteína que permitte seu encaixe químico com o substrato Professora Ionara 37
  38. 38. Cada enzima tem um formato químico . Sítio ativo é o local de encaixe , responsável pela sua atividade. Professora Ionara 38 Por que cada enzima tem um substrato específico??.
  39. 39. Professora Ionara 39
  40. 40. Digestão Professora Ionara 40
  41. 41. Professora Ionara 41 alimento enzima produto destino Órgão Ph ótimo Amido maltose Sacarose Lactose Proteína da carne Lipídio Àcidos Nucléicos
  42. 42. Causas da desnaturação: O Calor provoca agitação de moléculas O Ph atua sobre as cargas dos radicais dos aminoácidos, repelindo ou atraindo Professora Ionara 42
  43. 43. Professora Ionara 43
  44. 44. Aspectos importantes sobre a Atividade enzimática  Especificidade de substrato  Ex: ocorre em enzimas e em anticorpos  Ação 1:1 e velocidade da reação  Deformação do sítio ativo pode aumentar ou diminuir a atividade enzimática  Ex:  pH e enzimas da digestão,  Febre e ativação de anticorpos  Coagulação do sangue ativada co-fatores Professora Ionara 44
  45. 45. Professora Ionara 45
  46. 46. Professora Ionara 46
  47. 47. Professora Ionara 47
  48. 48. Professora Ionara As proteínas e suas funções 4.Hormonal Controlam Metabolismo
  49. 49. Professora Ionara 49  Imunidade= gerar defesas contra antígenos .  Os antígenos são invasores (organismos, células, moléculas)  A imunidade pode ser adquirida após o primeiro contato com o agente invasor  As células que fabricam os anticorpos são os Leucócitos  Os anticorpos são MOLÉCULAS de proteína com formato especial.  Para cada antígeno , um anticorpo Imunidade
  50. 50. Professora Ionara 50
  51. 51. Imunização Proteção contra antígenos Professora Ionara 51
  52. 52. Imunização Ativa Passiva Proteção contra antígenos Antígenos = invasores!! Professora Ionara 52
  53. 53. Imunização O organismo trabalha na Fabricação de anticorpos após ser sensibilizado pelo contato com um antígeno ( proteína ou corpo estranho) Ativa Passiva Proteção contra antígenos Professora Ionara 53
  54. 54. Imunização O organismo trabalha na Fabricação de anticorpos após ser sensibilizado pelo contato com um antígeno ( proteína ou corpo estranho) Quando o organismo não tem condições ou tempo para produzir anticorpos precisa receber anticorpos prontos Ativa Passiva Proteção contra antígenos Professora Ionara 54
  55. 55. Imunização O organismo trabalha na Fabricação de anticorpos após ser sensibilizado pelo contato com um antígeno ( proteína ou corpo estranho) Quando o organismo não tem condições ou tempo para produzir anticorpos precisa receber anticorpos prontos Ativa Passiva Proteção contra antígenos Artificial: Vacina= antígenos atenuados Artificial: Soro = Anticorpos prontos Professora Ionara 55
  56. 56. Imunização O organismo trabalha na Fabricação de anticorpos após ser sensibilizado pelo contato com um antígeno ( proteína ou corpo estranho) Quando o organismo não tem condições ou tempo para produzir anticorpos precisa receber anticorpos prontos Ativa Passiva Proteção contra antígenos Artificial: Vacina Natural: Doença Artificial: soro Natural: amamentaçãoProfessora Ionara 56
  57. 57. Imunização Ativa Vacina Ou doença Passiva Soro ou amamentação + Professora Ionara 57
  58. 58. Imunização Ativa Vacina Ou doença Passiva Soro ou amamentação Inocula-se um antígeno atenuado morto ou atenuado O corpo aprende a se defender criando memória imunológica Efeito duradouro + Professora Ionara 58
  59. 59. Imunização Ativa Vacina Ou doença Passiva Soro ou amamentação Inocula-se um antígeno atenuado morto ou atenuado O corpo aprende a se defender criando memória imunológica Efeito duradouro Inocula-se o anti-corpo pronto, feito por outro organismo que teve contato com o antígeno. A cura é imediata + + Professora Ionara 59
  60. 60. Imunização Ativa Vacina Ou doença Passiva Soro ou amamentação Inocula-se um antígeno atenuado morto ou atenuado O corpo aprende a se defender criando memória imunológica Efeito duradouro O processo é lento Só serve para um antígeno específico- não mutável Depende da capacidade do indivíduo de produzir anticorpos Inocula-se o anti-corpo pronto, feito por outro organismo que teve contato com o antígeno. + - + Professora Ionara 60
  61. 61. Imunização Ativa Vacina Ou doença Passiva Soro ou amamentação Inocula-se um antígeno atenuado morto ou atenuado O corpo aprende a se defender criando memória imunológica Efeito duradouro O processo é lento Só serve para um antígeno específico- não mutável Depende da capacidade do indivíduo de produzir anticorpos Inocula-se o anti-corpo pronto, feito por outro organismo que teve contato com o antígeno. O efeito protetor é imediato mas não gera memória imunológica, pois o Organismo não aprende a fabricar os anticorpos + - + - Professora Ionara 61
  62. 62. Imunização Ativa Vacina Ou doença Passiva Soro ou amamentação Inocula-se um antígeno atenuado morto ou atenuado O corpo aprende a se defender criando memória imunológica Efeito duradouro O processo é lento Só serve para um antígeno específico- não mutável Depende da capacidade do indivíduo de produzir anticorpos Inocula-se o anti-corpo pronto, feito por outro organismo que teve contato com o antígeno. O efeito protetor é imediato mas não gera memória imunológica, pois o Organismo não aprende a fabricar os anticorpos + - + - Professora Ionara 62
  63. 63. Professora Ionara 63
  64. 64. Professora Ionara 64
  65. 65. Professora Ionara 65
  66. 66. Professora Ionara As proteínas e suas funções
  67. 67. Professora Ionara As proteínas e suas funções 4.Hormonal Controlam Metabolismo
  68. 68. A insulina é uma proteína formada por duas cadeias polipeptídicas, unidas por pontes de enxofre ( S - S). Essa proteína é um hormônio produzido no pâncreas e controla o teor de açúcar no sangue, regulando sua entrada nas células. Professora Ionara 68

×