• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Zoologia: Platelmintos
 

Zoologia: Platelmintos

on

  • 4,365 views

http://biologiagui.com.br

http://biologiagui.com.br

Statistics

Views

Total Views
4,365
Views on SlideShare
4,365
Embed Views
0

Actions

Likes
5
Downloads
164
Comments
1

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

11 of 1 previous next

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Zoologia: Platelmintos Zoologia: Platelmintos Presentation Transcript

    • ᔥ Google Imagens
    • PlatelmintosO Filo Platyhelminthes representa oprimeiro grupo de vermes na escalazoológica: seres invertebrados, comcomprimento (dimensão antero-posterior)maior que a espessura (dorso-ventral) e que ᔥ Google Imagensse locomovem por deformações do corpo. Dugesia tigrina – a planária
    • P Estrutura corporal D A SIMETRIA BILATERAL divide o corpo do animal em quatroᔥ Amabis V regiões: anterior (A), posterior (P), dorsal (D) e ventral (V). A A& Martho partir bilateralidade é que permitiu-se a formação de uma cabeça (cefalização)- Revestimento com cutícula* e muco.- Ocelos (fotorreceptores)- Musculatura longitudinal,transversal e circular- Faringe protátil**- Sistema nervosoganglionar e eyespotscordões nervososventrais* Nos vermes parasitas;** Somente em planárias
    • ᔥ Google Imagens Classificação kestos: ‘fita’ Taenia sp. Classe Cestoda eidos: ‘semelhante’ Se caracterizam pela ausência do sistema Escólex Estróbilo digestório. Os alimentos são absorvidos pela pele. Todos os representantes desta Colo classe são parasitas internos. ♂ Schistosoma sp. Classe Trematoda trematos: dotado de buracos ventosa Têm órgãos adesivos orais e ventrais que os fixam ao hospedeiro. São endo e ectoparasitas. ♀ Possuem vida livreO corpo coberto por uma epiderme (semcutícula) composta de células ciliadas com Dugesia sp.função sensorial e de locomoção.Classe Turbellaria Se locomove por turbilhões de água.
    • FisiologiaDigestão:- Tubo digestório incompleto(céstodes não possuem TD);- Digestão intra e extracelular.Circulação: por difusão Respiração: - Difusão pela epiderme; - Tremátodos e tênias são anaeróbios facultativos (fermentadores quase sempre). Sist. nervoso: ganglionar com cordões Excreção: (Amônia) nervosos - Em planárias: Sensorial: solenócitos ou células- - Ocelos (fotorreceptores)ᔥ Amabis & Martho flama (protonefrídios) - Aurículas (quimiorreceptores)
    • Reprodução Tênias: Monoicas com AUTOFECUNDAÇÃO (interna) Desenvolvimento indireto, com larva CISTICERCO Proglótide O corpo forma “pacotes” chamados de proglótides (ou proglotes) que produzem espermatozoides e óvulos. Cada proglótide tem de 100 a 150 ovos.
    • Planárias: Sexuada: - Monoicas com REPRODUÇÃO CRUZADA - Fecundação interna - Desenvolvimento direto Assexuada: Fissura e regeneração. Esquistossomas: MachoReprodução assexuada - Dioicas - Fecundação interna - Desenvolvimento indireto, com larva MIRACÍDIO e CERCÁRIA Fêmea Canal ginecóforo Reprodução sexuada
    • Verminoses - PlatelmintosCestoda:- Teníase- Cisticercose- Equinococose /hidatidoseTrematoda:- Esquistossomose- Fasciolose
    • Teníase – “solitária”Agente etiológico: A ocorrência se deve a ingestão de carne bovina ou suína (hospedeiros intermediários) contaminada por cisticercos, as larvas da tênia. EscólexTaenia solium Taenia saginata PORCO BOVINO A “solitária”
    • Ciclo de vidaO mesmo ciclo ocorrequando o HI é o bovino.
    • CisticercoseAgente etiológico:Apenas a Taenia solium écausadora da cisitcercose.Ocorre quando o HOMEM, aoingerir os ovos da tênia,assume o papel deHOSPEDIRO INTERMEDIÁRIO.Cisticercos se instalam,normalmente, no cérebro.
    • Distribuição: teníase / cisticercose
    • FascioloseAgente etiológico:Fasciola hepaticaOcorre quando o HOMEM(HD) ingere plantas aquáticas(normalmente o agrião) comcercárias encistadas. Fasciola hepatica - adulto Lymnaea columella - caramujoOs vermes desenvolvem-se nofígado e se multiplicam noscanais biliares.Hospedeiro intermediário:caramujo Lymnaea columella
    • Ciclo de vida
    • Distribuição: Fasciola hepatica e F. gigantea
    • Esquistossomose – “barriga d’água”Agente etiológico: Contágio: penetração da larva cercária pela pele ou mucosas do homem (HD);Schistosoma mansoni Liberação de ovos na água (nas fezes); (adultos) Formação de larvas miracídio que se desenvolvem em cercárias após a passagem pelo HI, o caramujo Biomphalaria. ᔥ Science Photo Library
    • Cercária Ciclo de vidaBiomphalaria Miracídeo
    • Barriga d’água: Os sintomas da fase crônica podem ser as hepatopatias/ enteropatias com hepatomegalia, esplenomegalia, ascite (barriga d’água) e diarreia. Controle biológico: O tambaqui, peixe que tem como hábitat a bacia do rio Amazonas, é predador do caramujo Biomphalaria e tem trazido excelentes resultados no controle biológico das populações do molusco. Tambaqui - Colossoma macropomum Criança com pronunciada ascite e hepatoesplenomegalia.ᔥ Google Imagens
    • Distribuição: Schistosoma mansoni e S. haematobium
    • Hidatidose e EquinococoseAgente etiológico:O Echinococcus granulosus se apresentana forma adulta em cães (HD), causandoa equinococose, e em estágio larval nohumano ou ovinos (HIs), o que provoca ahidatidose. Cisto hidático a larva instalada no pulmão humano Echinococcus granulosus - adulto
    • Ciclo de vida
    • Distribuição: Hidatidose e equinococose