Fisiologia Humana
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Fisiologia Humana

on

  • 74,093 views

Módulo de Fisiologia Humana

Módulo de Fisiologia Humana

Statistics

Views

Total Views
74,093
Views on SlideShare
74,092
Embed Views
1

Actions

Likes
15
Downloads
828
Comments
1

1 Embed 1

http://www.slashdocs.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Fisiologia Humana Fisiologia Humana Document Transcript

  • CAPÍTULO 1 ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL INTRODUÇÃO As estruturas dos seres vivos e suas respectivas funções estão intimamente integradas de formaa manter o meio interno constante, dentro de certos limites. Essa tendência à estabilidade do meiointerno dos organismos é o que se denomina homeostase (do grego: hómoios = de mesma natureza;stásis = estabilidade). Vamos, a partir deste módulo, explorar um pouco mais a anatomia e a fisiologia animalconsiderando as seguintes funções e interações entre elas:  digestão: dessa função participam as estruturas envolvidas com a ingestão do alimento, a transformação dele e a eliminação dos resíduos da digestão;  circulação: dessa função participam estruturas envolvidas com o transporte de substâncias dentro do corpo;  respiração: dessa função participam as estruturas relacionadas com as trocas gasosas com o meio externo;  excreção: dessa função participam estruturas relacionadas com a eliminação de resíduos nitrogenados do metabolismo e do excesso de sais e de água.  regulação: dessa função participam as estruturas relacionadas com o controle dos processos internos do corpo envolvendo os sistemas nervoso e endócrino. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  ALIMENTOS E NUTRIENTES Nutrição pode ser definida como o conjunto de processos que vão desde a ingestão do alimentoaté a sua assimilação pelas células. A nutrição envolve, portanto, a digestão das moléculas orgânicasque compõem os alimentos e a absorção, pelas células corporais, dos produtos resultantes. A espéciehumana tem nutrição heterotrófica, pois ela se alimenta à custa de outros organismos, e é onívora (dolatim omnis, tudo, e voros, comer), pois sua alimentação é variada, constituindo-se tanto de produtos deorigem animal como de origem vegetal. Os tipos e as quantidades de alimento que ingerimos compõem a dieta, que precisa contercarboidratos, lipídios, proteínas, sais minerais, vitaminas e água. Essas substâncias, chamadasgenericamente de nutrientes, constituem as fontes de energia e de matéria-prima para ofuncionamento de nossas células. TIPOS DE NUTRIENTES• Nutrientes energéticos e nutrientes plásticos As proteínas que ingerimos fornecem grande parte dos aminoácidos que nossas células utilizampara a fabricação de suas próprias proteínas. Uma vez que essas substâncias são os principaisconstituintes estruturais de nosso corpo, costuma-se dizer que proteínas são nutrientes plásticos.Carnes, ovos, soja e feijão, entre outros, são alimentos ricos em proteínas. Glicídios (carboidratos) e lipídios são nutrientes orgânicos cuja principal função é fornecerenergia às células; por isso, eles são chamados de nutrientes energéticos. Alimentos ricos emglicídios são o mel (contém glicose), o açúcar de cana (contém amido). Alimentos ricos em lipídios sãoa manteiga, o toucinho e as carnes gordas, que contêm glicerídios sólidos (gorduras), além dassementes de plantas como o amendoim e a soja, ricos em glicerídios líquidos (óleos). Certos alimentos têm predominância de nutrientes energéticos, enquanto em outros hápredominância de nutrientes plásticos. Outros, ainda, reúnem ambos os tipos de nutrientes emproporções mais ou menos equilibradas. Conhecer os tipos e as quantidades aproximadas de nutrientesdos alimentos é importante para compor uma dieta saudável e equilibrada.• Vitaminas, sais minerais e água Vitaminas são substâncias orgânicas necessárias em quantidades relativamente pequenas, masque exercem grandes efeitos em nosso organismo. Como não conseguimos fabricar essas substânciasem nossas células, temos de obtê-las por meio da dieta alimentar. A maioria das vitaminas atua comofatores auxiliares em reações químicas catalisadas por enzimas. Em outras palavras, se ocorrer a faltade uma vitamina, determinadas enzimas não funcionarão, com prejuízo para as células. Sais minerais são nutrientes inorgânicos que fornecem elementos químicos importantes comocálcio, fósforo, ferro e enxofre, entre outros. Exemplo de sais minerais são os cloretos (de sódio, decálcio, de magnésio, férrico etc.) e os fosfatos (de cálcio, de magnésio etc). O cálcio é um elementoquímico de fundamental importância, por participar da estrutura dos ossos e de reações químicasessenciais ao funcionamento das células. O ferro, presente na hemoglobina do sangue, é responsávelpelo transporte de gás oxigênio para as células. O fósforo faz parte das moléculas de ATP,responsáveis pelo fornecimento de energia a todas as reações químicas fundamentais à vida. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • A água, embora não seja propriamente um nutriente, é fundamental à vida: todas as reaçõesquímicas vitais ocorrem no meio aquoso do interior das células. Além de ser ingerida na forma líquida, aágua também é ingerida quando nos alimentamos, pois faz parte da composição da maioria dosalimentos.• Nutrientes essenciais O organismo humano é capaz de sintetizar grande parte das substâncias de que necessita, pelatransformação química dos nutrientes ingeridos como alimento. Determinadas substâncias nutritivas,porém, não são produzidas pelo nosso corpo, que as obtém prontas no alimento. É o caso dasvitaminas, como já mencionamos. Substâncias desse tipo são genericamente denominadas nutrientesessenciais. Além das vitaminas, outros exemplos de nutrientes essenciais são certos aminoácidos quenossas células não conseguem produzir, sendo por isso, denominados, aminoácidos essenciais. As células humanas são incapazes de fabricar oito dos vinte tipos de aminoácidos que compõemas proteínas (isoleucina, leucina, valina, fenilalanina, metionina, treonina, triptofano e lisina); recém-nascidos, além desses oito, também não conseguem sintetizar histidina. Os aminoácidos essenciais aosseres humanos devem ser obtidos a partir da ingestão de alimentos ricos em proteína. As principaisfontes alimentares de aminoácidos essenciais são a carne, o leite, os queijos e outros alimentos deorigem animal. Alimentos de origem vegetal geralmente são deficientes em um ou alguns aminoácidosessenciais. Pessoas vegetarianas, entretanto, poderão obter todos os aminoácidos essenciais sefizerem a combinação correta dos vegetais utilizados na alimentação. NUTRIÇÃO E NECESSIDADES ENERGÉTICAS O organismo humano precisa receber um fornecimento constante de energia para manter suasatividades vitais. A energia que supre nossas necessidades metabólicas é obtida por meio darespiração celular, processo em que moléculas orgânicas são oxidadas, liberando grande parte daenergia que contêm. A energia contida nos alimentos é geralmente medida em quilocalorias (kcal). Um grama de gordura,por exemplo, é capaz de liberar, durante a respiração celular, uma quantidade de energia equivalente a 9,5kcal. Um grama de glicídio ou de proteína, por sua vez, liberam em torno de 5 kcal. A quantidade de energia que uma pessoa em repouso gasta para manter suas atividades vitaisconstitui sua taxa metabólica basal. A quantidade de energia necessária à realização de todas asatividades do organismo constitui a taxa metabólica total. Essas taxas são expressas em caloriasconsumidas por unidade de tempo. A taxa metabólica basal é semelhante em indivíduos de mesma faixa etária. A taxa metabólicatotal, entretanto, varia de acordo com as características e o grau de atividade de cada um. A taxametabólica basal de uma pessoa jovem é cerca de 1.600 kcal por dia. A taxa metabólica total pode estarem torno de 2.000 kcal por dia, se a pessoa levar uma vida sedentária, ou em mais de 6.000 kcal pordia, se ela for um atleta.• Reservas energéticas Parte das moléculas orgânicas que ingerimos é convertida inicialmente em glicose e, em seguida,em glicogênio. Este é um polissacarídio formado por centenas de moléculas de glicose unidas emsequência. O glicogênio é armazenado no interior das células dos músculos e do fígado. Uma pessoa lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • bem alimentada geralmente armazena glicogênio até suprir as necessidades energéticas de um dia. Osexcessos são transformados em gordura e armazenados no tecido adiposo. Uma dieta pobre leva o organismo a utilizar suas substâncias de reserva. Em primeiro lugar, éutilizado o glicogênio; quando este se esgota, o organismo passa a utilizar a gordura armazenada nascélulas adiposas. Uma pessoa bem alimentada tem estoque de gorduras suficiente para algumassemanas. Nosso peso corporal se manterá estável se a quantidade de calorias ingeridas foraproximadamente igual à quantidade de calorias despendida no mesmo período. Se a ingestão decalorias for em quantidade superior às necessidades energéticas, engordaremos. Se ingerirmos menoscalorias de que necessitamos, emagreceremos. Um excesso de 10 kcal (cerca de 2g de açúcar) por diaacima da necessidade energética causa um aumento de peso corporal da ordem de 1 quilograma aofinal de um ano.• Dieta protetora e dieta balanceada A quantidade mínima de alimentos que uma pessoa adulta necessita ingerir deve ser suficientepara fornecer, em média, cerca de 1.300 kcal/dia. Essa dieta calórica mínima é denominada dietaprotetora; se a pessoa ingerir menos do que essa quantidade, passará a apresentar sintomas desubnutrição. Além do conteúdo energético, a dieta deverá fornecer também os diferentes tipos denutrientes essenciais ao bom funcionamento do organismo. Chama-se dieta balanceada aquela quefornece a uma pessoa adulta a quantidade de energia de que ela necessita (aproximadamente 3.000kcal/dia), distribuída entre 50% e 60% de glicídios (carboidratos), 25% e 35% de gorduras e 15% e 25%de proteínas. A dieta balanceada varia em composição e valor calórico de acordo com a idade e o grau deatividade da pessoa. A boa nutrição consiste em combinar variedade e quantidade adequadas dealimentos à idade e ao grau de atividade física de cada um. Embora os conhecimentos básicos e o bomsenso sejam suficientes para que uma pessoa saiba alimentar-se bem, nutricionistas e médicos são osprofissionais mais capacitados para orientar a dieta de pessoas muito gordas ou muito magras, sinaisde que a alimentação pode não estar adequada às suas necessidades. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • CAPÍTULO 2 SISTEMA DIGESTÓRIO ANATOMIA Formado pelos seguintes órgãos: A) Boca B) Faringe Duodeno C) Esôfago Delgado Jejuno D) Estômago Íleo E) Intestinos Ceco Ascendente Grosso Cólons Transverso Reto Descendente Ânus Sigmóide lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  FISIOLOGIA DA DIGESTÃO A digestão é a transformação de alimentos em moléculas simples que podem ser absorvidas pelacélula. Isso é realizado por processos mecânicos e químicos.1. Fenômenos Mecânicos da Digestão: a) Mastigação. b) Deglutição. c) Movimentos peristálticos (peristaltismo).2. Fenômenos Químicos da Digestão: a) Insalivação (boca). b) Quimificação (estômago). c) Quilificação (intestino). DIGESTÃO BUCAL Na boca, os dentes cortam e trituram osalimentos, aumentando a superfície de contato efacilitando a atuação das enzimas digestivas. A língua move o alimento de um lado aoutro, auxiliando a mistura e a mastigação. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • A saliva, secretada por três pares de glândulas salivares (parótidas, submandibulares esublinguais), contém água, íons e a enzima amilase salivar ou ptialina. A água umedece o alimento. Aptialina transforma amido em maltose. A língua direciona o bolo alimentar para a faringe e o esôfago. A faringe é um conduto pequenoque abre-se a traqueia, por onde o ar da respiração entra. Quando o alimento se dirige ao esôfago, aepiglote fecha a entrada da traqueia, e, quando o ar entra ou sai pela traqueia, a epiglote fecha aentrada do esôfago. O esôfago é um tubo muscular que liga a faringe ao estômago. Nele, não há digestão, apenassecreção de muco. O bolo alimentar progride por contrações chamadas movimentos peristálticos,sucessivas ondas de contração do tubo digestório que empurram o bolo alimentar além do esôfago atéo intestino grosso. DIGESTÃO ESTOMACAL (GÁSTRICA) Musculatura lisa do esôfago contrai-se lenta eritmicamente, empurrando o bolo alimentar em direçãoao estômago. Essa contração (peristaltismo), chega àjunção do esôfago com o estômago e favorece orelaxamento de um esfíncter, a cárdia, permitindo apassagem do bolo alimentar. O estômago é uma região dilatada e musculosado canal alimentar. Ali, o alimento armazenado sofre aação do suco gástrico, que contém ácido clorídrico(HCl), responsável pela extrema acidez na cavidadedesse órgão (pH em torno de 2). O ácido clorídrico facilita a ação das enzimas dosuco gástrico, corrói o cimento intercelular dos alimentosingeridos e destrói várias bactérias. Além disso, favorecea absorção de cálcio e ferro pelo organismo e desnaturaproteínas, facilitando sua digestão. Para evitar que suaprópria parede seja destruída, o estômago fabrica ummuco protetor. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • A principal enzima do suco gástrico é a pepsina, uma protease (enzima que digere proteínas)produzida na forma inativa de pepsinogênio. Pela ação do ácido clorídrico, o pepsinogênio transforma-se em pepsina e começa a quebrar as ligações químicas entre certos aminoácidos das proteínas(principalmente tirosina e fenilalanina). A proteína é então fragmentada em moléculas menores, ospeptídios. Observe que se a pepsina fosse produzida em sua forma ativa ela promoveria a digestãodas proteínas do interior das células responsáveis por sua própria produção. Além da pepsina, há no suco gástrico uma pequena quantidade da enzima lipase, com poucaatuação sobre os lipídios — o grau de digestão dessas moléculas no estômago é praticamente nulo.Existe também uma enzima — a renina — encontrada em mamíferos de pouca idade, quedetermina a coagulação do leite, facilitando a ação da pepsina. A digestão dura de duas a quatro horas, formando-se uma massa ácida branca epastosa: o quimo. Ao processo de formação do quimo denominamos quimificação. A simples visão do alimento ou a percepção de seu odor ou até mesmo a imagem queformamos dele pode estimular a secreção gástrica. Além de um estímulo nervoso, há umcontrole hormonal da secreção: o contato do alimento com a parte final do estômago ativa suascélulas a produzirem um hormônio, a gastrina. Este, lançado no sangue, passa a estimular todo oestômago na fabricação do suco gástrico.Parte da água e dos sais (e também o álcool e alguns medicamentos, como a aspirina) sãoabsorvidos no estômago. O restante do bolo alimentar (quimo)passa para o intestino delgado, ondeocorre a maior parte da absorção. DIGESTÃO INTESTINAL O intestino delgado tem um papel importante na digestão e também na absorção das partículasdigeridas. A passagem do quimo para o duodeno é regulada por um esfíncter, o piloro, que separa oestômago do intestino delgado. Relaxamentos desse esfíncter permitem a passagem de pequenasporções de quimo ácido para o duodeno. Três sucos digestivos atuarão conjuntamente no intestino delgado para finalizar a digestão dosalimentos: suco pancreático, suco entérico e bile (veja a Figura). lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • A digestão dos alimentos no intestino delgado corre com a participação de enzimas produzidas pelo pâncreas e pela parede intestinal. A bile, produzida no fígado, é fundamental para a digestão de lipídios.• Ação da Bile A bile é um líquido esverdeado produzido no fígado. Não contêm enzimas digestivas. É ricaem água e sais de natureza alcalina. E armazenada na vesícula biliar, onde é concentrada paraposterior liberação no intestino delgado. A ação da bile no processo digestivo é física. Agindocomo um detergente, ela atua na emulsificação das gorduras, por meio da redução da tensãosuperficial existente entre as moléculas lipídicas. Isso promove a formação de pequenas partículas. A superfície de exposição das partículasàs lipases aumenta consideravelmente, favorecendo, assim, a ação dessas enzimas e agilizandoa digestão dos lipídios. Outra função atribuída à bile é auxiliar na alcalinização do quimo ácido proveniente doestômago, favorecendo a ação das enzimas pancreáticas e enterícas.• O suco pancreático O pâncreas é uma glândula de função dupla. Possui uma porção endócrina (seusprodutos são encaminhados diretamente para o sangue), produtora de hormônios, e outra porçãoexócrina (os produtos são encaminhados por um ducto ao tubo digestório), produtora deimportantes enzimas digestivas. O pâncreas secreta o suco pancreático, uma solução alcalina formada por sais (dentre eles obicarbonato de sódio), água e diversas enzimas, cujas principais são: tripsina e quimotripsina, duas proteases que desdobram as proteínas em peptídios. Essas enzimas são liberadas pelo pâncreas na forma inativa de tripsinogênio e quimotripsinogênio, respectivamente; lipase pancreática, que atua na digestão de lipídios (triglicerídios); lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  amilase pancreática, que atua sobre o amido, transformando-o em maltose;  diversas peptidases, que rompem ligações peptídicas existentes nos peptídios da digestão proteica, levando à liberação de aminoácidos;  desoxirribunuclease e ribonuclease, que atuam respectivamente no DNA e no RNA contido no alimento, liberando os nucleotídeos componentes desses ácidos. ATENÇÃO O tripsinogênio liberado pelo pâncreas é ativado transformando-se em tripsina pela ação de uma enzima produzida pelas células da parede do intestino delgado, a enteroquinase. Essa enzima atua separando uma pequena porção do tripsinogênio, liberando a tripsina e um pequeno fragmento peptídico. Uma vez formada, a própria tripsina ativa mais moléculas de tripsinogênio. O quimotripsinogênio é ativado pela tripsina, liberando-se a quimotripsina, que também atuará na digestão de proteínas. O suco entérico O suco entérico é produzido pelas células da parede do intestino delgado. Em sua composição existem muco e enzimas que deverão completar a digestão dos alimentos. As principais enzimas presentes são:  sacarase, que atua na digestão da sacarose, liberando glicose e frutose;  lactase, que atua na lactose, desdobrando-a em galactose e glicose;  maltase, que atua nas moléculas de maltose formadas na digestão do amido, liberando moléculas de glicose;  nucleotidases, que atuam nos nucleotídeos formados na digestão dos ácidos nucléicos, liberando pentoses, fosfatos e bases nitrogenadas;  peptidases, que atuam nos peptídios, levando à liberação de aminoácidos.NÃO ESQUEÇA As enzimas do suco pancreático, bem como as do suco entérico, atuam em meio alcalino (pH ao redor de 8,0). Essa condição é favorecida pela secreção de bicarbonato de sódio por parte do pâncreas e pela existência de sais contidos na bile produzida pelo fígado. No intestino delgado, a mistura de alimento, enzimas pancreáticas, entéricas e o muco forma uma pasta líquida conhecida pelo nome de quilo. Ao processo de formação do quilo denominamos quilificação.  ABSORÇÃO DOS NUTRIENTES Após o término da digestão química, os produtos resultantes atravessam a mucosa que forra o intestino delgado e passam para os vasos sanguíneos e linfáticos, processo esse que constitui a absorção. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • A superfície do intestino delgado é muito aumentada em função da presença das vilosidades(dobras da mucosa) e das microvilosidades (dobras da membrana plasmática das células da mucosa). Aminoácidos e monossacarídeos são absorvidos e recolhidos pela corrente sanguínea. Já osácidos graxos são absorvidos pela circulação linfática. O intestino grosso é um tubo sem microvilosidades, com regiões denominadas ceco, colosascendente, transverso, descendente e sigmóide, reto e ânus. O colo ascendente e o colo transverso absorvem água, transformando o quilo em massa fecal oufezes. As fezes são armazenadas no colo descendente, no sigmóide e no reto. Nelas estão pigmentosbiliares (como a bilirrubina e biliverdina). A bilirrubina e a biliverdina são produtos da hemoglobina,degradada no fígado, que dão a cor característica das fezes. Algumas das bactérias nela presentes produzem vitamina K e vitaminas do complexo B, que sãoabsorvidas. As fezes deixarão o intestino grosso pelo ânus, por meio da egestão, finalizando o processode nutrição. REGULAÇÃO DA DIGESTÃO Sabemos que a secreção de alguns sucos digestivos pode ser iniciada por diferentesestímulos, por exemplo, visuais e olfativos, de tal maneira que podemos salivar ou produzir sucogástrico apenas vendo um alimento ou sentindo seu cheiro. Mas, associada ao controle nervoso,há também uma ação hormonal de regulação, que tanto estimula quanto inibe a secreção dossucos digestivos. A chegada de alimento ao estômago fazcom que células da sua mucosa produzam umhormônio, a gastrina, a qual, por via sanguínea, élevada às glândulas gástricas, estimulando-as aproduzir suco gástrico. Saindo do estômago, o quimo acidificadoestimula a parede do duodeno a produzir umhormônio, a secretina. Ela é levada pelo sangueao pâncreas e o estimula a liberar o sucopancreático no duodeno. O mesmo quimo, rico emgorduras, também estimula a parede do duodenoa liberar outro hormônio, a colecistocinina, que vaiprovocar fortes contrações na musculatura lisa davesícula biliar, permitindo a liberação da bile. A enterogastrona é outro hormônio damucosa duodenal que, levada pelo sangue aoestômago inibe sua motilidade e secreção. Essa inibição ocorre com a passagem de uma porçãodo quimo pelo piloro. Quando esse alimento deixa o duodeno, esvaziando-o parcialmente, cessa aprodução de enterogastrona, e o estômago, agora não mais inibido, reinicia a motilidade,deixando passar nova porção de quimo para o duodeno e reiniciando o ciclo. LEITURA FUNÇÕES DO FÍGADO O fígado não atua apenas na digestão. Ele é um dos órgãos mais importantes e versáteis donosso corpo. Funciona como um complexo laboratório químico e realiza diversas funções vitais aoorganismo, tais como: lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  retira o excesso de glicose do sangue, armazenando-a na forma de glicogênio e devolvendo-a depois ao sangue, de acordo com as necessidades do organismo; armazena diversas vitaminas (vitaminas A, D e B12); pode transformar o excesso de glicídios e proteínas em lipídios, que serão depois armazenados no tecido adiposo do organismo; fabrica várias proteínas do sangue (albumina, fibrinogênio, etc); faz a desaminação (retirada de nitrogênio) dos aminoácidos para que possam ser queimados ou transformados em glicídios ou lipídios; a desaminação produz amônia, um composto muito tóxico, que se transforma prontamente em ureia (substância menos tóxica); a ureia é lançada no sangue e eliminada pelos rins; fabrica os demais aminoácidos do corpo, a partir dos aminoácidos essenciais; tem ação desintoxicante, inativando substâncias prejudiciais ao organismo; destrói glóbulos vermelhos ―velhos‖, removendo-os da circulação; a hemoglobina desses glóbulos é transformada em pigmentos de cor parda, que são eliminados pela bile e determinam a cor parda das fezes. QUADRO SINÓPTICO SOBRE AS PRINCIPAIS – SECREÇÕES DIGESTIVAS ENZIMAS E LOCAL DE LOCAL DE ALIMENTO PRODUTO DA OUTROS SECREÇÃO AÇÃO DIGERIDO DIGESTÃO PRODUTOS 1. Glândulas Amilase Boca Amido ou Amilo Maltose Salivares Salivar ou Ptialina Proteoses e Pepsina Estômago Proteínas, 2. Glândulas Peptonas, Caseína do Gástricas Renina Estômago Coagulação do Leite leite Intestino Delgado Emulsão dos 3. Fígado Bílis Lipídios (Duodeno) Lipídios Amilase Intestino Delgado Amido Maltose Pancreática Monoglicerídeos, Lípase Pancreática Intestino Delgado Lipídios Ácidos Graxos, Colesterol 4. Pâncreas Proteoses e Tripsina Intestino Delgado Polipeptídeos Peptonas Proteoses e Quimotripsina Intestino Delgado Polipeptídeos Peptonas Peptidases Intestino Delgado Peptídios Aminoácidos Maltase Intestino Delgado Maltose Glicose 5. Intestino Delgado Glicose + Lactase Intestino Delgado Lactose Galactose lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • Sacarose Intestino Delgado Sacarose Glicose + Frutos Aminopeptidase Intestino Delgado Oligopeptídeos Aminoácidos Erepsina Intestino Delgado Oligopeptídeos Aminoácidos Monoglicerídeos Lipase Entérica Intestino Delgado Lipídios Ácidos Graxos e Glicerol Exercícios QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA01. (Unirio–RJ) O alimento é movido ao longo do trato gastrointestinal por um processo proveniente da contração da camada muscular circular; a onda progride e espreme o alimento para baixo e/ou para a frente de maneira semelhante à saída de creme dental de um tubo. Tal processo de motilidade denomina-se: a) peristalse. b) digestão. c) absorção. d) homeostase. e) secreção.02. (Vunesp–SP) No processo digestivo, as moléculas orgânicas devem ser quebradas em moléculas mais simples para que possam ser absorvidas. Dentre elas, o amido é um carboidrato: a) cuja digestão inicia na boca por ação da ptialina. b) digerido pela lipase no duodeno. c) que forma um complexo vitamínico que é absorvido, sem digestão, na região do intestino delgado. d) extremamente simples e, por isso, absorvido, sem alterações, na região do intestino delgado. e) digerido no estômago por ação do ácido clorídrico. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 03. (PUCC–SP) Se uma pessoa apresentar distúrbios na secreção gástrica, ela terá dificuldades, principalmente, na digestão de: a) amido. b) sacarose. c) lactose. d) proteínas. e) gorduras.04. (UFRO) Os itens abaixo, que relacionam diferentes estruturas do sistema digestório com suas respectivas funções, estão corretos, exceto: a) dentes – mastigação e trituração. b) estômago – produção de bile. c) língua – deglutição e paladar. d) intestino – digestão e absorção. e) esôfago – condução do alimento da faringe ao estômago.05. (UNIP–SP) Se houver paralisação da produção de bile no fígado, haverá distúrbio na digestão de: a) proteínas. b) açúcares. c) aminoácidos. d) gorduras. e) polipeptídios.06. (Cesgranrio–RJ) O esquema abaixo apresenta partes do sistema digestório humano com órgãos numerados de I a V. Em relação à bile, podemos afirmar corretamente que é produzida no órgão: lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • a) I e armazenada no órgão II. b) I e secretada para o órgão IV. c) I e contém enzimas que digerem as gorduras. d) II e armazenada no órgão I. e) II e secretada para o órgão IV.07. (UNEB–BA) Sobre o sistema digestório humano, a) glândulas salivares – digestão mecânica. b) intestino delgado – produção de suco gástrico. c) esôfago – absorção de água. d) estômago – digestão de peptídeos. e) pâncreas – absorção de glicose.08. (UFSE) Tripsna, pepsina e ptialina são enzimas digestivas produzidas, respectivamente, no: a) fígado, pâncreas e estômago. b) pâncreas, estômago e glândulas salivares. c) pâncreas, glândulas salivares e estômago. d) estômago, glândulas salivares e fígado. e) fígado, estômago e pâncreas.09. (Vunesp–SP) O processo final e o mais importante da digestão dos mamíferos ocorre no duodeno, em pH básico. Esse processo é denominado de quilificação e depende da ação conjunta: a) dos sucos pancreático e intestinal. b) do suco pancreático e da bile. c) da ptialina e do ácido clorídrico. d) dos sucos pancreático e intestinal e da bile. e) do ácido clorídrico e do suco pancreático.10. (PUC–SP) A enzima I, produzida no II, atua sobre III, exibindo maior atividade em pH IV. As lacunas I, II, III e IV ficariam preenchidas de maneira correta, respectivamente, por: a) tripsina, pâncreas, proteína, alcalino. b) pepsina, estômago, proteína, neutro. c) ptialina, duodeno, amido, ácido. d) lipase, fígado, gordura, alcalino. e) amilase, pâncreas, amido, ácido.11. (FCC–SP) Se, por uma razão qualquer, não mais ocorresse síntese de gastrina numa pessoa, qual das substâncias abaixo não continuaria a ser digerida normalmente? a) sacarose b) lactose c) gordura d) amido e) proteína lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 12. Nessa figura estão representadas glândulas do sistema digestório cuja enzima típica atua sobre um substrato que resulta num produto. A alternativa que mostra a relação correta entre o substrato e seu respectivo produto é:a) amido e maltose.b) gorduras e ácidos graxos.c) lactose e galactose.d) peptídeos e aminoácidos.e) sacarose e glicose.13. (PUC–RS) Muitas aves utilizam-se de alimentos duros, como grãos. Para esse tipo de alimento, os mamíferos necessitam desenvolver um aparelho mastigador formado por dentes fortes. Nas aves esse aparelho mastigador foi substituído por uma zona do tubo digestório denominada: a) intestino. b) cloaca. c) moela. d) esôfago. e) bico.14. (UFMG) Um indivíduo fez, uma refeição da qual constavam, basicamente, três substâncias: A, B e C. Durante a digestão ocorreram os seguintes a) lípide, proteína, carboidrato. b) proteína, carboidrato, lípide. c) lípide, carboidrato, proteína. d) carboidrato, lípide, proteína. e) proteína, lípide, carboidrato.15. (Cesgranrio–RJ) A digestão proteica se processa, no homem, em várias etapas representadas no esquema abaixo (Biologia Hoje – S. Linhares e Fernando Gewandsznajder): lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • As enzimas que atuam, respectivamente, nas etapas 1, 2 e 3 são: a) tripsina – pepsina – peptidases. b) tripsina – erepsina – pepsina. c) pepsina – peptidases – tripsina. d) pepsina – erepsina – tripsina. e) pepsina – tripsina – peptidases.16. (PUCC–SP) Uma determinada enzima, retirada de um órgão do sistema digestório de um mamífero, foi distribuída igualmente em 8 tubos de ensaio. O tipo de alimento e o pH de cada tubo estão informados na tabela abaixo. Alimentos Tubos de ensaio adicionados pH I Pão 12,0 II Pão 7,0 III Carne 3,0 IV Carne 7,0 V Arroz 12,0 VI Arroz 3,0 VII Ovo 12,0 VIII Ovo 7,0 Os tubos de ensaio mantidos a 37oC e após 10 horas observou-se digestão do alimento apenas no tubo III. Com base nesses dados, é possível concluir que a enzima utilizada e o órgão de onde foi retirada são, respectivamente: lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • a) amilase pancreática e intestino. b) maltase e estômago. c) tripsina e intestino. d) ptialina e boca. e) pepsina e estômago.17. (PUC–RJ) Analise a experiência esquematizada abaixo. Como resultado dessa experiência, espera-se que a proteína presente na clara de ovo seja digerida apenas no(s) tubo(s): a) I. b) II. c) I e II. d) I e III. e) III e IV.QUESTÕES DE PROPOSIÇÕES MÚLTIPLASQUESTÕES 18 E 1918. (UFBA) lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • A figura anterior ilustra aspectos da função digestiva do homem. Em relação ao controle da função digestiva, pode-se concluir: (01) Substâncias reguladoras do processo digestivo atingem órgãos-alvo via circulação sanguínea. (02) A ação do HCl se restringe ao controle da produção de hormônios. (04) A produção de HCl é controlada pela sua própria concentração. (08) A ação dos hormônios produzidos pelas células glandulares do intestino delgado é simultânea à formação do suco gástrico. (16) A colecistoquinina regula a produção do suco entérico. (32) A enterogastrona é produzida na mucosa duodenal que, levada pelo sangue inibe a motilidade e secreção do estômago.19. Quanto às funções dos órgãos esquematizados na figura, pode-se afirmar: (01) As atividades do estômago e do pâncreas incluem a manutenção de um mesmo pH ao longo do tubo digestório. (02) A vesícula biliar participa do processo digestivo liberando substâncias que favorecem a digestão de gorduras. (04) A digestão total das proteínas ocorre pela ação de substâncias produzidas no estômago. (08) Os produtos da digestão se tornam disponíveis para a distribuição no organismo a nível do intestino delgado. (16) O peristaltismo é uma particularidade do Intestino delgado. (32) A absorção de água ocorre com maior intensidade no estômago.20. (UFBA) A variação na atividade catalítica de duas enzimas, em função do pH, está registrada no gráfico abaixo. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • Com base no gráfico e em características e propriedades das biomoléculas envolvidas, pode-sedizer: (01) Pepsina e tripsina são enzimas que atuam no processo digestivo. (02) In vivo essas duas enzimas devem atuar em um mesmo ambiente. (04) A pepsina e a tripsina, bem como os substratos sobre os quais atuam, pertencem à mesma classe de macromoléculas. (08) Essas enzimas mantêm uma atividade ótima numa larga escala de pH. (16) O efeito do pH sobre a atividade dessas enzimas revela que a pepsina atua no meio citossólico. (32) A reação catalisada pela pepsina é reversível em função do pH. (64) A atividade enzimática é uma expressão funcional da informação genética.GABARITO01. A; 05. D; 09. D; 13. C; 17. A;02. A; 06. A; 10. A; 14. C; 18. 01, 04 e 32;03. D; 07. D; 11. E; 15. E; 19. 02 e 08;04. B; 08. B; 12. A; 16. E; 20. 01, 04 e 64. CAPÍTULO SISTEMA RESPIRATÓRIO 3 ANATOMIA O sistema respiratório humano é constituído de:: a) Vias aéreas Fossas nasais; Faringe; Laringe; Traqueia; Brônquios. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • b) Pulmões – Bronquíolos; dentro destes estão: Alvéolos Pulmonares.• Fossas Nasais As fossas nasais possuem dois orifícios anteriores chamados de narinas e dois orifíciosposteriores às coanas; as coanas comunicam as fossas nasais com a boca e, consequentemente, coma faringe. No interior das narinas encontramos, além da mucosa nasal ou pituitária, pelos e vasossanguíneos. Essas estruturas têm por finalidade:a) aquecer o ar;b) umidecer ou umidificar o ar;c) purificar ou depurar o ar. Sendo assim, o ar tem que chegar até os pulmões totalmente purificado, umidificado e aquecido.• Faringe A faringe é um órgão comum aos sistemas digestório e respiratório.• Laringe O limite da faringe com a laringe é determinado pela glote, orifício de passagem do ar inspirado eexpirado. A glote se fecha durante a deglutição por meio de uma cartilagem, que é a epiglote, que funcionacomo uma válvula. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • • Traqueia Trata-se de um canal de mais ou menos 12cm de comprimento, situado em continuação com alaringe, e colocado na frente do esôfago. A traqueia apresenta suas paredes reforçadas por anéiscartilaginosos.• Brônquios A traqueia divide-se, na sua porção inferior, em dois ramos, que são os brônquios. Estespenetram nos pulmões por uma abertura chamada de hilo pulmonar e se ramificam inúmeras vezes,formando ramos cada vez mais finos chamados de bronquíolos, por sua vez, terminam em pequenascavidades na forma de bolsas ou de sacos, que são os alvéolos pulmonares, já dentro dos pulmões.• Pulmões São dois órgãos situados na caixa toráxica e separados um do outro por um espaço chamado demediastino. É neste espaço que se encontram vários órgãos, como o coração, a traquéia, o esôfago,vasos sanguíneos etc. Os pulmões têm a forma de uma pirâmide, cuja base côncava, está apoiada sobre o músculodiafragma, e cujo vértice está em relação com a primeira costela. O pulmão direito é maior que o pulmão esquerdo e está dividido por um sulco, que se bifurca emtrês lobos (ou compartimentos); a bifurcação do sulco é observada na face externa. O pulmão esquerdo está dividido por um sulco, em dois lobos. Os lobos pulmonares sãoformados pela reunião de partes menores chamadas de lóbulos. Nestes lóbulos é que penetram asúltimas ramificações dos bronquíolos, cada pulmão é envolvido por uma dupla membrana chamadapleura. FISIOLOGIA DA RESPIRAÇÃO1. Movimentos Respiratórios– INSPIRAÇÃO– EXPIRAÇÃO Os movimentos de inspiração e expiração dependem da ação dos músculos intercostais e dodiafragma. A contração dos músculos intercostais, situados entre as costelas, provoca uma elevação delas eum aumento da caixa torácica no plano horizontal. Simultaneamente o diafragma se contrai e abaixa,determinando a expansão da caixa no plano vertical. Com isso, aumenta o volume interno do tórax ediminui a pressão sobre os pulmões, que se dilatam, recebendo ar do exterior. É a inspiração. Naexpiração, os músculos relaxam, o volume interno da caixa torácica diminui, aumenta a pressão sobreas paredes pulmonares e há expulsão do ar. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 2. Trocas gasosas O ar que penetra nos pulmões contém Nitrogênio, Oxigênio e Gás Carbônico em percentuaisque diferem daqueles percentuais desses mesmos gases do ar que sai dos pulmões. Pela tabela apresentada, nota-se que não há absorção do N2 ao nível dos alvéolos pulmonares:todo o nitrogênio que entra, sai. Porém a quantidade de O2 que entra é maior do que a que sai; logo, o O2 é absorvido. Já aquantidade de CO2 que sai é maior do que a que entra; de onde se conclui que o organismo elimina noar expirado o CO2 formado ao nível dos tecidos. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • A difusão do O2 num sentido e a difusão do CO2 no outro sentido se faz em função das PressõesParciais dos mesmos nos dois meios, que são: o Sangue e o Interior dos Alvéolos. Hematose – é a transformação do sangue venoso (rico em CO2) em sangue arterial (rico emO2), ao nível dos alvéolos pulmonares. O sangue que chaga aos alvéolos, vem do coração e é rico em CO2; já o sangue que sai dosalvéolos, volta ao coração, rico em O2. Esta troca de gases ocorre porque o O2 é muito concentrado nos alvéolos, e isto força a suadifusão para dentro dos capilares sanguíneos. Ao nível dos alvéolos pulmonares, a pressão de O2 é de100 a 120mm/Hg. Quando o O2 atinge o sangue, ele penetra na hemácia e se combina com ahemoglobina, formando um composto instável chamado de oxihemoglobina. Cada molécula de hemoglobina (Hb) combina-se, por uma ligação fraca, com 4 moléculas de O2. Hb + 4 O2 Hb (O2)43. Respiração dos tecidos As células dos tecidos retiram o O2 que lhes chega sob a forma de oxihemoglobina. Este O2 éutilizado no metabolismo das células, formando-se CO2, que é lançado no sangue. Lembremos que a hemoglobina não é apenas um pigmento que dá cor vermelha àshemácias, mas é, sobretudo, uma cromoproteína globular, que tem no centro de sua molécula oelemento ferro. Após a hematose 97% do O2 é transportado pelo sangue arterial, na forma de oxihemoglobina esomente 3% é transportado diluído no plasma. Ao chegar aos tecidos, a pressão de O2 é maior no sangue do que nos tecidos. Então ocorre adifusão do O2 do sangue para os tecidos. Como a pressão parcial de CO2 nos tecidos é maior do que no sangue arterial, o CO2 se difundepara dentro do sangue que circula pelos capilares. O sangue aumenta, então, o seu teor de CO2, e se caracteriza como sangue venoso. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • O sangue venoso vai transportar o CO2 para os alvéolos pulmonares onde vai encontrar umamaior pressão desse gás e em função disso, ocorrerá a eliminação do CO2 para o exterior.• Transporte do CO2 O CO2 é transportado de vários modos:a) 7% dissolvido no plasma.b) 23% sob a forma de Carbohemoglobina nas hemácias.c) 70% sob a forma de íons Bicarbonato, no plasma. A maior parte do CO2 (70%) reage com o H2O, sob a ação catalisadora de uma enzima que éAnidrase Carbônica, dando H2CO3 (ácido carbônico) que, por ser um ácido fraco, dissocia-se em íons H+e HC 3 (bicarbonato).  Os íons bicarbonatos passam para o plasma e são transportados por ele.NOTAMonóxido de Carbono (CO) é um gás bastante tóxico; quando ele polui o ar atmosférico e nós oinspiramos, ele se combina também com a hemoglobina e forma um composto bastante estável, lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • chamado de Carboxihemoglobina; com isso, a hemoglobina deixa de conduzir o oxigênio às células eo indivíduo se intoxica, podendo até morrer por falta total de O2 (Anóxia). O CONTROLE DA RESPIRAÇÃO Na base do cérebro, no bulbocerebral, está o centro respiratório.Independentemente da nossa vontade, elecomanda a respiração. Ao receberinformações sobre a concentração de gáscarbônico no sangue, o centro respiratóriotransmite sinais à medula espinal, quecontrola os movimentos da respiração. Se a concentração de CO2 aumenta,a respiração torna-se mais profunda erápida, permitindo que mais CO2 sejaeliminado. Em condições normais, um adultosaudável possui frequência respiratória emtorno de dezesseis movimentos por minuto. ACIDOSE E ALCALOSE RESPIRATÓRIAS Quando há dificuldade para serespirar, acumula-se gás carbônico no organismo, o que provoca a acidez do sangue. Esse processo éconhecido como acidose respiratória. O centro respiratório, alertado pela alta concentração de CO2 sanguíneo, aumenta a freqüênciarespiratória tentando eliminar CO2, fenômeno denominado hiperventilação. Quando há hiperventilação, o gás carbônico é eliminado rapidamente. Com isso, diminui-se aformação do ácido carbônico, e o pH do sangue torna-se menos ácido e tende a corrigir a acidose. Noentanto, se essa eliminação for muito grande, pode ocorrer aumento em demasia do pH do sangue,fenômeno denominado alcalose respiratória. A CAPACIDADE PULMONAR O volume total de ar que cabe no sistema respiratório é a capacidade pulmonar total ecorresponde, num adulto, a mais ou menos 6 litros. Apesar desse volume, a cada movimentorespiratório normal de uma pessoa em repouso, os pulmões trocam com o meio exterior apenas 0,5 litrode ar, que é o chamado volume ou ar corrente. Na realidade, só cerca de 70% desse volume chega aos alvéolos, ficando o restante nas viasaéreas (traqueia, brônquios), o chamado espaço morto, pois aí não há trocas gasosas. Ao realizar uma inspiração forçada e em seguida uma expiração também forçada, o volume de arque expelimos pode chegar a cerca de 4,5 ou 5 litros. Esse volume é a capacidade vital, que pode sermedida num aparelho especial, o espirômetro. No entanto, mesmo uma expiração forçada, por mais lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • intensa que seja, não permite um esvaziamento completo dos pulmões, sobrando sempre neles umcerto volume de ar residual, cerca de 1,2 a 1,5 litro. CURVA DE DISSOCIAÇÃO DO OXIGÊNIO DA HEMOGLOBINA A hemoglobina tem afinidade diferenciada com o oxigênio de acordo com a concentração dessegás. Quando a concentração de O2 é alta, a hemoglobina tende a se unir fortemente a esse gás, masquando a concentração de O2 diminui, a afinidade da hemoglobina ao oxigênio também diminui e essegás é liberado (dissociado) com mais facilidade da molécula de hemoglobina. Essa relação entre a afinidade da hemoglobina e a concentração de oxigênio é mostrada em umacurva que se chama curva de dissociação do oxigênio da hemoglobina. Nos pulmões, onde o teor de oxigênio é elevado, a hemoglobina fica 98% saturada com oxigênio.Nos tecidos a hemoglobina fica apenas 70% saturada, significando que liberou 28% do oxigênio queestava ligado a ela. A hemoglobina pode liberar sua reserva de O2 para tecidos que estão metabolicamente muitoativos, como a musculatura no exercício. Nesses casos, a taxa de respiração celular aumenta, o queprovoca maior liberação de gás carbônico. Este reage com a água formando ácido carbônico, que sedifunde e causa redução do pH no meio. Essa redução do pH induz a hemoglobina do sangue a liberaro oxigênio, que pode ser usado na respiração celular propiciando a manutenção da alta atividademuscular durante o exercício. A redução do pH, portanto, provoca diminuição da afinidade dahemoglobina pelo oxigênio, deslocando a curva de dissociação da hemoglobina mais para a direita,como mostra o gráfico a seguir: lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  POLIGLOBULIA COMPENSADORA Em grandes altitudes, o ar é rarefeito e aoferta de oxigênio é menor que ao nível do mar. Asaturação da hemoglobina permanece inferior aonormal, determinando diminuição de oferta deoxigênio aos tecidos. Se passarmos de duas a três semanas nolocal, a baixa saturação de oxigênio no sanguedeterminará a secreção de eritropoetina pelosrins, estimulando a medula óssea a produzir maishemoglobina e mais glóbulos vermelhos. Oaumento na quantidade dessas células eleva acapacidade de captação do oxigênio do ar. ExercíciosQUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 01. (Cesgranrio–RJ) Nos esquemas a seguir, o sistema respiratório humano está sendo representado e neles são localizadas suas principais estruturas, tais como: vias aéreas superiores, traqueia, brônquios, bronquíolos, bronquíolos terminais e sacos alveolares, que se encontram numeradas. Sobre este desenho são feitas três afirmativas: I. Em 4, o ar passa em direção aos pulmões, após ter sido aquecido em 1. II. Em 6, o oxigênio do ar penetra nos vasos sanguíneos, sendo o fenômeno conhecido como hematose. III. Em 8, o gás carbônico proveniente do sangue passa para o ar. Indique: a) se somente I for correta. b) se somente II for correta. c) se somente I e II forem corretas. d) se somente I e III forem corretas. e) se I, II e III forem corretas.02. (UnB) Assinale a alternativa que apresenta uma estrutura comum ao sistema respiratório e digestivo: a) brônquios b) faringe c) pulmão d) esôfago e) laringe03. (PUC–RJ) Para permitir a correta compreensão do mecanismo respiratório do homem, o professor construiu o aparelho ilustrado na figura 1. Em seguida, demonstrou o seu funcionamento (figura 2), possibilitando o entendimento da entrada e saída do ar, bem como as partes do modelo, relacionando-as com o sistema respiratório. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • Nas opções, indique a quais estruturas do sistema respiratório correspondem respectivamente: a extremidade livre do tubinho, o balão de borracha, a membrana de borracha da base e o frasco sem fundo (figura 1): a) Nariz, brônquio, peritônio e abdome. b) Narina, bronquíolo, diafragma e alvéolo. c) Nariz, alvéolo, peritônio e caixa torácica. d) Narina, pulmão, diafragma e caixa torácia. e) Narina, brônquio, diafragma e abdome.04. (PUC–RJ) Na figura 2 do exercício 3 encontramos situações (I), (II) e (III) representando o mecanismo respiratório. Escolha a alternativa que explique o que está ocorrendo: a) (II) Expiração, porque (P1) está maior que (P2). b) (II) Inspiração, porque (P1) está menor que (P2). c) (III) Inspiração, porque (P1) está menor que (P2). d) (III) Expiração, porque (P1) está maior que (P2). e) (II) Inspiração, porque (P) está menor que (P2).05. (UFRN) Durante a respiração, quando o diafragma se contrai e desce, o volume da caixa torácica aumenta, por conseguinte a pressão intrapulmonar: a) diminui e facilita a entrada de ar. b) aumenta e facilita a entrada de ar. c) diminui e dificulta a entrada de ar. d) aumenta e dificulta a entrada de ar. e) aumenta e expulsa ar dos pulmões.06. (PUC–PR) A maior parte do gás carbônico eliminado pelas células no seu metabolismo é transportado no sangue: a) combinado com a hemoglobina. b) pelas hemácias. c) na forma de íon bicarbonato dissolvido no plasma. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • d) combinado com íons hidrogênio. e) pelos leucócitos.07. (UFRS) A velocidade dos movimentos respiratórios aumenta quando, no sangue, a concentração: a) da ureia aumenta. b) da carboemoglobina diminui. c) de CO2 é alta. d) da oxiemoglobina é elevada. e) da carboemoglobina permanece constante.08. (UFES) Na expiração não ocorre: a) relaxamento do diafragma. b) diminuição do volume pulmonar. c) contração da musculatura intercostal. d) aumento da pressão intrapulmonar em relação à pressão atmosférica. e) eliminação de dióxido de carbono.09. (PUC–SP) Considere as seguintes etapas do processo respiratório no homem: I. Produção de ATP nas mitocôndrias. II. Ocorrência de hematose no nível dos alvéolos. III. Transporte de oxigênio aos tecidos pelas hemácias. A ordem em que essas etapas se realizam, a partir do momento em que um indivíduo inspira ar do ambiente, é: a) I  II  II. b) II  I  III. c) II  III  I. d) III  I  II. e) III  II  I.QUESTÕES DE PROPOSIÇÕES MÚLTIPLAS10. (UFBA) O gráfico a seguir expressa o efeito do aumento da concentração de CO2 no ar inspirado sobre a fisiologia respiratória de diversos animais, em condições experimentais. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • As informações do gráfico e o conhecimento de processo, relacionados à respiração, permitem dizer: (01) A respiração é controlada pelo sistema nervoso, de modo involuntário, em diversos níveis da escala evolutiva. (02) Animais terrestres são mais sensíveis ao acúmulo de CO2 no ar inspirado do que animais aquáticos. (04) Alterações no sangue, provocadas pelo nível crescente de CO2 inspirado, desencadeiam um aumento do volume respiratório. (08) As peculiaridades das respostas dos diversos animais são mais evidentes em baixas concentrações de CO2. (16) As concentrações de CO2 no ar inspirado correspondem à totalidade desse gás no sangue circulante. (32) A reação dos organismos ao aumento do CO2 no ar inspirado integra os sistemas respiratório, circulatório, nervoso e muscular. GABARITO 01. E 02. B 03. D 04. C 05. A 06. C 07. C 08. C 09. C 10. 01, 04 e 32CAPÍTULO 4 lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • SISTEMA CIRCULATÓRIO O Sistema Circulatório Humano é do tipo fechado, em que o coração impulsiona o sangue quecircula através de vasos, voltando novamente ao coração, que novamente o impulsiona. Com a finalidade de circular o sangue, levando-a à intimidade dos tecidos, o SistemaCirculatório consta de:a) Sangue. Artérias e arteríolasb) Vasos sanguíneos Veias e vênulas Capilaresc) Coração – órgão propulsor do sangue – uma bomba premente. VASOS SANGUÍNEOS Os vasos sanguíneos são tubos de calibre variável. Podem ser divididos em artérias, arteríolas,capilares, vênulas e veias. Artérias - são vasos que saem do coração (Eferente). Conduzem sangue arterial, exceto artériapulmonar, do coração para os tecidos do corpo. Envolvidas por tecido muscular e elástico, suportam apressão do sangue em seu interior. Capazes de contrair e distender, pulsam no ritmo e na intensidadedo coração. Conforme se distanciam do coração, as artérias ramificam-se em arteríolas. As arteríolassão artérias bastante finas que se ramificam em capilares. Os capilares são tão finos que permitem atroca de gases e nutrientes entre célula e corrente sanguínea. Por apresentarem pequeníssimodiâmetro, obrigam o sangue a fluir mais lentamente, o que facilita as trocas entre eles e as células. As Veias são vasos que conduzem o sangue venoso do corpo ao coração (aferentes), comexceção das veias pulmonares. São envoltas por músculos mais finos que os das artérias e recebem osangue das vênulas sob baixa pressão. Como o fluxo em seu interior é sempre contínuo, as veias nãopulsam. É a movimentação do tecido muscular ao seu redor que faz o sangue retornar ao coração. Asveias apresentam válvulas que se fecham após a passagem do sangue impedindo que haja refluxo. RETORNO DO SANGUE VENOSO lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • A ascensão do sangue deve-se ao trabalho dos músculos do esqueleto. Quando esses músculosse contraem, as veias que estão próximas se comprimem, impulsionando o sangue. Como as veiaspossuem válvulas que só se abrem no sentido da volta ao coração, fica garantido o fluxo neste sentido.Na porção arterial do capilar, a pressão do sangue é maior que a pressão osmótica do plasma. Essa diferençade pressões determina a saída de água contendo substâncias dissolvidas. Na porção venosa do capilar, apressão do sangue é reduzida, tornando-se menor que a pressão osmótica do plasma.Há, então, retorno de fluido para o interior do capilar. CORAÇÃO O coração é um órgão musculoso que se encontra no tórax entre os dois pulmões e sobre odiafragma. O espaço entre pulmões onde está localizado o coração denomina-se mediastino. O coração humano possui três camadas.• Pericardio - membrana serosa que reveste externamente o coração.• Miocárdio - camada média é o músculo cardíaco responsável pelos batimentos cardíacos. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • • Endocárdio - camada mais interna, contínua com a dos vasos sanguíneos. O músculo cardíaco, o miocárdio, é irrigado por vasos sanguíneos, os vasos coronarianos oucoronárias.O ataque do coração é tecnicamente denominado infarto do miocárdio e é a consequência mais grave daarteriosclerose nas coronárias. Ele ocorre quando uma parte da musculatura cardíaca pára de funcionar porficar sem irrigação. A falta de oxigenação por alguns minutos já é suficiente para desencadear o infarto. A fibrilação ventricular é outra doença cardíaca decorrente de isquemia no coração. Neste caso,diferentes partes do ventrículo passam a contrair sem ritmo, perdendo a capacidade de bombear osangue adequadamente. A isquemia decorrente da arteriosclerose da artéria cerebral provoca o acidente vascularcerebral isquêmico. Dependendo da região do encéfalo que for afetada pela falta de irrigaçãosanguínea, podem ocorrer manifestações clínicas, como paralisia de um dos lados do rosto e/ou docorpo, perda da fala, dentre outras, até mesmo a morte. Não há uma causa única para as doenças cardiovasculares, mas sabe-se que existem fatoresque aumentam a probabilidade de sua ocorrência. São os chamados fatores de risco cardiovascular,cujos principais são: hipertensão arterial, colesterol alto, tabagismo, diabetes melito, sedentarismo,obesidade, hereditariedade e stress. ANATOMIA DO CORAÇÃO lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • O coração possui quatro cavidades (duas Aurículas ou Átrios e dois Ventrículos), separadaspor válvulas. A Válvula Tricúspide separa o Átrio Direito do Ventrículo Direito. Esta localização impede que osangue reflua do Ventrículo Direito para a Aurícula Direita. A Válvula Mitral ou Bicúspide separa o Átrio Esquerdo do Ventrículo Esquerdo, impedindo orefluxo do Ventrículo Esquerdo para a Aurícula Esquerda. As válvulas existentes no orifício da saída das Artérias Pulmonares e Aorta são chamadas deSigmoides ou Semilunares. Na figura localize as válvulas e cavidades do coração. Observe a seguir que o sangue chega ao coração no Átrio Direito, trazido pelas veias Cavas(Superior e Inferior). Daí, vai para o Ventrículo Direito, passando pela Válvula Tricúspide. No átrioesquerdo o sangue chega pelas veias pulmonares e passa pela válvula mitral para o ventrículoesquerdo. MOVIMENTOS DO CORAÇÃO A contração do miocárdio é denominada Sístole. A dilatação do miocárdio é denominada Diástole. Estes movimentos, o coração os realiza, em média, 60 a 90 vezes por minuto, que é a frequênciacardíaca normal. Abaixo de 60, ocorre uma bradicardia e acima de 90, uma taquicardia. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • Quando os Atrios estão em Sístole, os Ventrículos estão em Diástole, pois, neste momento, osangue está fluindo das Aurículas para os Ventrículos. Quando os Ventrículos estão em Sístole, as Aurículas estão em Diástole, pois neste momento,as válvulas Tricúspide e Mitral estarão fechadas impedindo o refluxo sanguíneo e o sangue é lançadonas Artérias pulmonar e Aorta. CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA Na pequena circulação (circulação pulmonar), o sangue carbonado ou venoso parte doventrículo direito pela artéria pulmonar, que se ramifica logo em seguida em dois troncos – um que vaipara o pulmão direito, outro que vai para o pulmão esquerdo. Nos pulmões, esses troncos se ramificamaté formar uma vasta rede de capilares ao nível dos alvéolos. Ocorre a hematose, e o sangue que voltados pulmões já está novamente oxigenado. Ele retorna ao coração por quatro veias pulmonares, que sejuntam duas a duas, desembocando no átrio esquerdo. Na grande circulação (circulação sistêmica), o sangue oxigenado parte do ventrículo esquerdopela artéria aorta, é distribuído (através de numerosas ramificações da aorta) para a cabeça, os braços,o tronco, as vísceras abdominais e para as pernas, voltando depois, já pobre em oxigênio, mas comelevado teor de dióxido de carbono, pelas veias cava inferior (sangue venoso que vem das pernas e dosórgãos abdominais) e cava superior (sangue venoso que vem da cabeça e dos braços), chegando aoátrio direito. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • OBSERVE O ESQUEMA SISTEMA EXCITATÓRIO – condutor do coração Embora seja regulado pelo sistema nervoso, o coração não depende dele para se contrair. Naaurícula direita, próximo à entrada da cava superior, existe um aglomerado de células cardíacas queformam o nódulo sinal-atrial (nodo sinusal), responsável pela geração dos estímulos elétricos quepromovem a contração do miocárdio. Os impulsos propagam-se, promovem a contração simultânea dasaurículas e estimulam o nódulo atrioventricular. Esse nódulo transfere os impulsos para o feixeatrioventricular (feixe de His), cuja fibras originam a rede de Purkinge, que propaga os impulsos para osventrículos. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • ATENÇÃOFrequência cardíaca é o número de vezes que o coração bate por minuto. Entre as pessoasjovens e saudáveis, a frequência média é de 70 batidas por minuto (bpm). Abaixo de 60 bpm,ocorre a bradicardia e acima de 110 bpm surge a taquicardia.A frequência cardíaca é regulada pelo nervo vago e pelos nervos simpáticos cardíacos. Ovago é o nervo parassimpático que libera acetilcolina no coração, provocando diminuição dafrequência cardíaca, enquanto os nervos simpáticos liberam adrenalina, aumentando aatividade do coração. Regulação autônoma do ritmo cardíaco lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  A CIRCULAÇÃO LINFÁTICA A diferença de pressão na parte do capilar que conduz o sangue arterial é maior que a diferençano lado venoso. Assim, a quantidade de líquido que sai do capilar é superior à quantidade que volta. O excesso de líquido intersticial é recolhido pelosvasos linfáticos e passa a se chamar linfa. Os vasoslinfáticos de todo o corpo — que constituem o sistemalinfático —, confluindo em dois grandes vasos, lançam alinfa nas veias próximas ao coração e, assim, ela retornaà circulação sanguínea. Os vasos linfáticos têm outras funções, além dessa. Por exemplo: recolhem algumas proteínas queconseguem vazar dos capilares, devolvendo-as aosangue. Após uma refeição rica em gorduras, a linfa ficacom aspecto leitoso, pois uma de suas funções éabsorver gorduras do intestino. Fora isso, os vasoslinfáticos atravessam dilatações no nosso corpo — osnódulos linfáticos e os gânglios linfáticos —,recolhendo linfócitos desses órgãos e lançando-os nosangue. Os linfócitos defendem o corpo atacandomoléculas estranhas ao organismo, etc.). lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • ExercíciosQUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA01. (UFF–RJ) No sistema circulatório, as trocas gasosas entre o sangue e os tecidos ocorrem no nível de: a) vênulas. b) capilares. c) arteríolas. d) linfáticos. e) alvéolos.02. (UEL) A função das válvulas existentes nas veias é: a) retardar o fluxo sanguíneo. b) impedir o refluxo do sangue. c) acelerar os batimentos cardíacos. d) retardar as pulsações. e) reforçar as paredes dos vasos.03. (Unijuí–RS) A veia cava inferior desemboca no(a): a) átrio direito. b) átrio esquerdo. c) ventrículo direito. d) ventrículo esquerdo. e) aurícula esquerda.04. (UMC) Sistole e diástole são, respectivamente: a) contração do coração e relaxamento dos pulmões. b) contração do diafragma e relaxamento dos músculos intercostais. c) relaxamento do coração e contração dos pulmões. d) relaxamento do diafragma e contração dos músculos intercostais. e) contração e relaxamento das partes do coração.05. (Fuvest/FGV–SP) Nos mamíferos, pode-se encontrar sangue venoso: a) na aurícula direita, na artéria pulmonar e na veia cava. b) no ventrículo direito, na veia pulmonar e na veia cava. c) na aurícula direita, na veia pulmonar e na artéria aorta. d) na aurícula esquerda, na artéria pulmonar e na veia cava. e) no ventrículo esquerdo, na veia pulmonar e na artéria aorta. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 06. (FEEQ–CE) O coração funciona como uma bomba. Nos mamíferos, o sangue com baixo teor de oxigênio é enviado aos pulmões. Por outro lado, o sangue oxigenado nos pulmões é mandado para os vários setores do organismo. Assinale a opção correta entre as abaixo apresentadas. a) O sangue que sai do ventrículo esquerdo é enviado aos pulmões para a oxigenação. b) O átrio direito recebe sangue das veias cavas e o envia para o organismo. c) As veias pulmonares levam o sangue oxigenado para o átrio esquerdo. d) O ventrículo direito recebe o sangue oxigenado e o envia para o organismo. e) A aorta sai do ventrículo direito e transporta sangue oxigenado.07. (Fuvest–SP) O esquema representa um corte longitudinal do coração de um mamífero. O sangue que deixa o ventrículo direito (VD) e o que deixa o ventrículo esquerdo (VE) seguirão, respectivamente para: (A) aurícula direita e aurícula esquerda. (B) veia cava pulmonar. (C) ventrículo esquerdo e pulmões. (D) pulmões e artéria aorta. (E) pulmões e ventrículo direito.08. (UECE) Relacione as colunas: 1. irrigação do miocárdio 2. conduz sangue arterial 3. leva O2 para os tecidos 4. conduz sangue venoso 5. retira CO2 de circulação ( ) veia pulmonar ( ) pequena circulação ( ) artéria pulmonar ( ) grande circulação ( ) coronária A correta sequência numérica da segunda coluna, de cima para baixo, de conformidade com a primeira, é: (A) 2, 5, 4, 3, 1. (B) 1, 3, 4, 5, 2. (C) 5, 3, 2, 4, 1. (D) 4, 2, 3, 1, 5. (E) 1, 4, 2, 3, 5. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 09. A figura a seguir mostra o coração de um mamífero. Assinale a alternativa correta: a) 3, 4 e 5 são artérias que levam o sangue do coração para outras partes do corpo. b) 1, 2 e 5 são veias que trazem o sangue venoso do corpo para o coração. c) 5 são veias que levam o sangue do coração para os pulmões. d) 4 é uma artéria que leva o sangue do coração para as demais partes do corpo. e) 3 e 4 transportam o sangue arterial.10. Em relação ao sistema humano, são feitas as seguintes afirmativas: I. No coração, o sangue que penetra na aurícula esquerda é arterial e chega através das veias pulmonares. II. O coração envia sangue venoso aos pulmões através das artérias pulmonares, que saem do ventrículo esquerdo. III. Através da artéria aorta, o sangue chega ao ventrículo esquerdo de onde é distribuído para todo o corpo. Indique a alternativa correta: a) Todas são verdadeiras. b) Somente I e II são verdadeiras. c) Somente II e III são verdadeiras. d) Somente I é verdadeira. e) Somente II é verdadeira.11. Numere a segunda coluna de acordo com a primeira e assinale a alternativa que apresenta a ordem correta. 1. Conduzem o sangue do coração para as diversas partes do corpo. 2. Permitem a grande irrigação sanguínea com todas as células do corpo. 3. Coletam o sangue das diversas partes do corpo e conduzem-no de volta ao coração. ( ) Veias ( ) Artérias ( ) Capilares lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • a) 2, 1, 3 b) 2, 3, 1 c) 3, 1, 2 d) 3, 2, 1 e) 1, 3, 212. A função do nódulo sinoatrial no coração humano é: (A) regular a circulação coronariana. (B) controlar a abertura e o fechamento da válvula tricúspide. (C) funcionar como marca-passo, controlando a ritmicidade cardíaca. (D) controlar a abertura e o fechamento da válvula mitral. (E) controlar a pressão diastólica da aorta. QUESTÕES DE PROPOSIÇÕES MÚLTIPLAS 13. (UFSC) Examine o esquema abaixo e indique a(s) proposição(ões) correta(s), no que diz respeito à circulação do sangue no corpo humano: (01) O sangue, passando pelas veias cavas, chega ao coração, rico em CO2. (02 O sangue, passando pela artéria pulmonar, sai do coração e vai ao pulmão, onde sofre hematose. (04) O sangue, passando pela veia pulmonar, chega ao coração, saturado de O2. (08) O sangue, saindo do coração pela artéria aorta, circula pelo corpo, passando pelos rins, onde sofre filtração. (16) O sangue, uma vez filtrado nos rins, circula e entra no coração pela aurícula direita. (32) O sangue, ao circular pelos diferentes tecidos do corpo, executa a função de transportar gases, nutrientes e produtos de excreção.14. Durante os primeiros 4.700 anos da história escrita da humanidade, desconhecia-se o fato mais elementar sobre o sangue – que ele circula. Foram Willian Harvey (1578-1657) e Marcello Malpighi (1628-1694) que, no século XVII, demonstraram esse fato. O conhecimento sobre a importância evolutiva dos sistemas circulatórios sua estrutura e as funções orgânicas a eles relacionadas permite afirmar: (01) O fato do sangue circular atende à necessidade de distribuição de substâncias às diversas partes do organismo. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • (02) A manutenção da corrente sanguínea dentro de artéria, capilares e veias caracteriza sistema circulatório fechado. (04) O sistema circulatório foi fundamental para o sucesso evolutivo dos animais pluricelulares. (08) As funções exercidas através do sistema circulatório prescindem da presença de células no sangue. (16) Um sistema circulatório aberto dispensa a presença de uma estrutura propulsora do sangue. (32) A presença de pigmentos sanguíneos está associada à função protetora do sistema circulatório.15. Símbolo da própria vida, ele é um músculo que funciona como uma paciente e econômica bomba hidráulica. A cada minuto, envia 5 a 6 litros de sangue para todos os órgãos do corpo humano. (WIZIACK, In: Veja, p. 120) Sobre o coração e a fisiologia circulatória, é correto afirmar: (01) O tipo de compartimentação do coração em aves e mamíferos impede a mistura de sangue arterial com sangue venoso. (02) Coração com câmaras e vasos sanguíneos conectados por capilares integram sistemas circulatórios abertos ou lacunares. (04) O miocárdio é um músculo constituído por fibras lisas que se caracteriza por uma contração voluntária. (08) As artérias transportam, apenas, sangue oxigenado, enquanto as veias se incumbem do transporte do sangue impuro. (16) O circuito sanguíneo que envolve coração - pulmões- coração estabelece a pequena circulação. (32) A contração do ventrículo direito dá início à grande circulação que proporciona a ocorrência de hematose. (64) A atividade circulatória realiza a integração de diversas funções orgânicas, tais como nutrição, excreção e defesa. GABARITO 01. B 09. D 02. B 10. D 03. A 11. C 04. E 12. C 05. A 13. 01, 02, 04, 08, 16 e 32 06. C 14. 01, 02 e 04 07. D 15. 01, 16 e 64 08. A lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • CAPÍTULO SISTEMA URINÁRIO 5 ANATOMIA - Rins Cálices - Sistema Pielo-calicial Bacinetes Ureteres - Vias Urinárias Bexiga Uretra lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  OS RINS Os rins têm cor vermelha-escura, em forma de grão de feijão e cada um deles mede pouco maisde 10cm de comprimento. Localizam-se na parte posterior da cavidade abdominal, logo abaixo dodiafragma, um de cada lado da coluna vertebral. Nessa posição, estão protegidos pelas últimas costelase também por uma camada de gordura. O rim possui uma cápsula fibrosa envolvente, que protege sua região mais externa, o córtexrenal. A parte mais interna é a medula renal. Na região do córtex renal estão localizados os néfrons,estruturas microscópicas responsáveis pela filtração do sangue e pela remoção das excreções. Cadarim apresenta mais de 1 milhão de néfrons. Na medula renal localizam-se tubos provenientes dosnéfrons, os dutos coletores de urina.Ureteres, bexiga urinária e uretra Os ureteres são tubos que conduzem a urina da pelve renal à bexiga urinária. Sua parede éformada por três camadas de tecido: uma camada mucosa interna, uma camada intermediária demusculatura não estriada e uma camada externa fibrosa. Cada ureter parte da pelve de um dos rins,descendo pela parede posterior do abdome desembocando na parte lateral posterior da bexigaurinária. Ureteres realizam movimentos peristálticos, que facilitar a condução da urina em seu interior.A bexiga urinária é uma bolsa de parede musculosa localizada na cavidade pélvica. A bexiga dos homens posiciona-se imediatamente à frente do reto; nas mulheres, entre a bexigae o reto, localiza-se o útero. A função da bexiga é armazenar a urina, que flui continuamente dosureteres, até sua eliminação do corpo. A bexiga de uma pessoa adulta tem capacidade para armazenarcerca de 300 mL de urina. A uretra é o canal que sai da bexiga e conduz a urina para fora do corpo. A uretra feminina é pequena e, diferentemente da uretra masculina, é exclusiva do sistemaurinário. Ela abre-se para o exterior entre os lábios menores, logo abaixo do clitóris. No homem é maislonga, passa por dentro do pênis e desemboca na glande. ESTRUTURA DO RIM lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  FISIOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO A função dos rins é filtrar o sangue, dele removendo a ureia, sais, ácido úrico e outrassubstâncias que estejam em excesso no organismo. O sangue a ser filtrado chega ao rim pela artériarenal, que se ramifica muito no interior do órgão, originando grande número de pequenas artérias,denominadas arteríolas aferentes. Cada uma dessas arteríolas penetra na cápsula renal de um néfron,onde se ramifica, formando um enovelado de capilares, o glomérulo renal.Formação da urina O sangue proveniente das artérias renais penetra nos capilares do glomérulo sob alta pressão(entre 70mm Hg e 80mm Hg), o que força a saída de líquido sanguíneo para a cápsula renal. Esselíquido que composição química semelhante à do plasma sanguíneo, com a diferença de que nãopossui células nem moléculas de proteínas e de lipídios; devido ao seu tamanho, essas moléculas sãoincapazes de atravessar as paredes dos capilares glomerulares. Diariamente, passam pelos rins deuma pessoa quase 2.000 L de sangue, formando-se cerca de 160 L de filtrado glomerular.Reabsorção de substâncias úteis do filtrado lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • No decorrer do trajeto do filtrado glomerular pelo túbulo contorcido proximal, ocorre reabsorçãodessa solução, de grande parte da água e de outras substâncias, as quais retornam ao sangue doscapilares do néfron. Essa reabsorção é um processo ativo, em que há dispêndio de energia por parte das células dotúbulo renal. Em condições normais, toda a glicose, todos os aminoácidos, todas as vitaminas e grandeparte dos sais presentes no filtrado glomerular retornam ao sangue. No caso de alguma dessassubstâncias estar em concentração anormalmente elevada no sangue, ela não é totalmente absorvida eparte é excretada na urina. É isso que acontece, por exemplo, com pessoas portadoras de diabetesmelito; a alta concentração de glicose no sangue faz com que parte desse glicídio não seja reabsorvidapelo túbulo renal, sendo eliminada na urina. Na alça néfrica ocorre principalmente reabsorção da água do filtrado, que vai se tornando cadavez mais concentrado. As células da parede do túbulo contorcido distal absorvem ativamente doscapilares próximos substâncias indesejáveis, como ácido úrico e amônia, lançando-as na urina emformação. Ao fim do percurso pelo túbulo do néfron, o filtrado glomerular transformou-se em urina, umfluido aquoso, de cor amarelada e que contém predominantemente ureia, além de quantidades menoresde amônia, ácido úrico e sais. A partir dos 160 L de filtrado glomerular produzidos diariamente nos rinsde uma pessoa forma-se apenas 1,5 L de urina. Portanto, mais de 98% da água do filtrado são reabsorvidos durante o trajeto pelo túbulo do néfron. Oscapilares que reabsorvem as substâncias úteis dos túbulos renais originam-se pela ramificação daarteríola eferente, pela qual o sangue deixa a cápsula renal. Esses capilares reúnem-se posteriormente,originando uma vênula que desemboca na veia renal, que leva o sangue para fora do rim, em direçãoao coração.Esquema que ilustra a função do néfron, aqui representado simplificadamente, bem como a redecapilar, representada como um único vaso. Em seqüência, ocorrem a filtração glomerular, a reabsorçãode substâncias úteis no túbulo contornado proximal, a reabsorção de água na alça de Henle e aeliminação ativa de excreções no túbulo contornado distal. A tabela mostra as principais substânciasenvolvidas em cada um desses processos. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • Regulação da reabsorção de sódio O balanço de líquidos no corpo está intimamente ligado à presença e quantidade do íon sódio(Na+) no sangue. Quando ingerimos alimentos salgados, aumenta a taxa sanguínea de sódio, o queprovoca aumento da concentração do sangue. Centros nervosos do hipotálamo, conhecidos comocentros da sede, detectam esse aumento de concentração e causam a sensação de sede. Se a pessoabeber líquidos, a água diluirá o sangue, baixando sua concentração aos níveis normais. O volume sanguíneo, porém, aumenta, situação que deve ser imediatamente corrigida para quenão haja aumento da pressão arterial. O restabelecimento do volume sanguíneo a seu nível normal éconseguido pela diminuição na produção de ADH, que resulta em maior eliminação de água na urina. A quantidade de sódio no sangue é controlada pelo hormônio aldosterona, secretado pelo córtexda glândula adrenal. Quando a quantidade de sódio no sangue baixa, aumenta a secreção do hormônioaldosterona, que atua sobre os túbulos contorcidos distais e sobre os ductos coletores, estimulando areabsorção de sódio do filtrado glomerular. A secreção do hormônio aldosterona, por sua vez, é regulada pela enzima renina e pelo peptídioangiotensina. Se a pressão sanguínea diminui, ou se a concentração de sódio no sangue aumenta, osrins liberam renina no sangue. A renina é uma enzima que catalisa a formação de uma proteína sanguínea chamada deangiostensina a partir de um precursor denominado angiostensinogênio, presente no sangue eproduzido pelo fígado. A angiotensina causa diminuição do calibre dos vasos sanguíneos, o queprovoca aumento da pressão arterial, estimulando a secreção de aldosterona. Esta, por sua vez, induzum aumento na reabsorção de sódio pelos rins. O coração também interage com o sistema urinário atuando na regulação da pressão arterial.Quando o volume de sangue aumenta, por exemplo, pela ingestão de grande quantidade de água, háuma expansão maior dos átrios cardíacos, o que induz o coração a liberar um hormônio conhecidocomo peptídio natriurético atrial (PNA). Esse hormônio, sintetizado principalmente por células doátrio, inibe a secreção de sódio e o fluxo de urina. O PNA também antagoniza a ação vasoconstritora daangiotensina e de outras substâncias vasoconstritora, reduzindo a pressão arterial.Regulação da reabsorção de água A reabsorção de água pelos rins está sob controle do hormônio antidiurético, tambémconhecido pela sigla ADH. Esse hormônio é sintetizado no hipotálamo (uma região de encéfalo) eliberado pela parte posterior da glândula hipófise. O ADH atua sobre os túbulos renais, provocandoaumento da reabsorção de água do filtrado glomerular. Quando bebemos pouca água, o corpo se desidrata e a tonicidade do sangue aumenta. Certascélulas do encéfalo percebem a mudança e estimulam a hipófise a liberar ADH. Como consequência, hámaior reabsorção de água pelos túbulos renais. A urina torna-se mais concentrada e a quantidade deágua eliminada diminui. A ingestão de grandes quantidades de água tem efeito inverso. A tonicidade do sangue diminui,estimulando a hipófise a liberar menos ADH. Em consequência, é produzido maior volume de urina maisdiluída. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  UREOGÊNESE É um processo de formação da ureia; a ureia é formada (produzida) no fígado, no ciclo daornitina, e eliminada principalmente pela urina. A ornitina é um aminoácido que não costuma entrar na composição das proteínas comuns. A ornitina combina-se com uma molécula de CO2 e uma molécula de NH3 (Amônia), perde H2O ese transforma num outro aminoácido, também raro, chamado de citrulina. A citrulina, por sua vez, pode combinar-se com outra molécula de NH3, perde mais uma moléculade H2O, e origina um outro aminoácido chamado de arginina, que é mais comum que os outros dois. Finalmente, para fechar o ciclo, a arginina combina-se com uma molécula de H2O, libera umamolécula de ureia e restaura a ornitina, isto é, volta a se transformar em ornitina. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  COMPOSIÇÃO DA URINA Um adulto elimina, em média, 1,5 a 2,0 litros de urina em 24 horas. A urina é um líquido amarelo,graças a um pigmento chamado de urobilina, e ácido. Em 1,0 litro de urina há mais ou menos, 950cm3 de água (950g de água), 20 a 25g de ureia, 0,5 a0,6g de ácido úrico, 10 a 12g de NaCl e 4 a 10g de outros sais minerais. Também encontramos traçosde colesterol na urina. Já vimos que, quando há lesão glomerular ou quando o organismo não está funcionando bem, osrins podem eliminar substâncias úteis, como, por exemplo, a glicose, albumina, sangue etc. Dá-se onome de glicosúria à eliminação de glicose pelos rins; dá-se o nome de albuminúria à eliminação dealbumina pelos rins; dá-se o nome de hematúria à eliminação de sangue pelos rins.NÃO ESQUEÇAFUNÇÃO ENDÓCRINA DOS RINS1. Quando a pressão sanguínea ao nível dos rins cai acentuadamente, algumas células renais produzem um hormônio chamado renina, que é lançado no sangue. A renina estimula a transformação de uma proteína plasmática chamada angiotensinogênio, em angiotensina. A angiotensina, por sua vez, estimula a glândula adrenal (ou supra-renal) a lançar no sangue a aldosterona, que estimulará a reabsorção de Na+ e Cl– ao nível do túbulo contornado proximal. O volume circulatório aumentará e a pressão do sangue voltará a níveis normais.2. Eritropoetina: hormônio produzido pelos rins e que estimula a medula óssea vermelha a produzir hemácias. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • ExercíciosQUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA01. (Umesp–SP) Durante o metabolismo celular são produzidas substâncias nitrogenadas tóxicas ao organismo, que são excretadas. Na espécie humana, a ureia é uma delas. Se compararmos a concentração de ureia na urina inicial (filtrado glomerular) e na urina que é eliminada, teremos: a) concentração maior na urina inicial, pois ainda ocorrerá filtração. b) concentrações iguais, pois a quantidade de ureia é a mesma nos dois líquidos. c) concentração maior na urina inicial se tivermos ingerido muita água. d) concentração maior na urina eliminada, pois parte da água que compunha a urina inicial foi reabsorvida. e) concentração menor na urina eliminada se tivermos ingerido alimentos salgados.02. Considere as listas a seguir referentes a estruturas e funções do sistema excretor humano. I. néfron A. condução de urina para o meio externo II. bexiga B. produção de urina III. uretra C. armazenamento de urina IV. ureter D. condução de urina até o órgão armazenador Assinale a alternativa que associa corretamente cada estrutura à sua função. a) IA, IIB, IIIC, IVD b) IB, IIC, IIIA, IVD c) IB, IID, IIIC, IVA d) IC, IIA, IIID, IVB e) ID, IIC, IIIB, IVA03. (Cesgranrio–RJ) A ingestão de bebidas alcoólicas inibe a liberação do hormônio responsável pelo aumento da permeabilidade das membranas das células dos túbulos renais. Com isso, é diminuída a reabsorção: a) passiva de água, o que diminui a concentração sanguínea e concentra a urina. b) passiva de água, o que aumenta a concentração sanguínea e dilui a urina. c) passiva de água, o que diminui a concentração sanguínea e dilui a urina. d) ativa de água, o que aumenta a concentração sanguínea e dilui a urina. e) ativa de água, o que diminui a concentração sanguínea e concentra a urina.04. Três amostras de urina humana foram analisadas e revelaram a seguinte composição: A um indivíduo normal, poderia(m) pertencer: a) apenas I. b) apenas II. c) apenas III. d) apenas I e II. e) I, II e III. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 05. (FCMSC–SP) O sangue de um mamífero, que chega à veia cava inferior, vindo do fígado, contém, relativamente, grande quantidade de: a) oxigênio e de ureia. b) gás carbônico e de ureia. c) ureia e pequena de gás carbônico. d) gás carbônico e pequena de ureia. e) oxigênio e pequena de ureia.06. (PUC–RJ) A ausência ou disfunção dos rins pode causar a morte devido ao acúmulo de resíduos altamente tóxicos no sangue. Contudo, essa disfunção pode ser compensada por aparelhos que realizam a hemodiálise, que farão a filtração dos resíduos: a) nitrogenados do catabolismo protéico. b) nitrogenados do anabolismo protéico. c) nitrogenados do anabolismo glicídico. d) hidrogenados do anabolismo glicídico. e) hidrogenados do catabolismo glicídico.07. (FCMSC–SP) Os animais têm adaptações para: I. remover produtos finais do metabolismo. II. manter diferentes íons em concentrações adequadas. III. manter a água do organismo em quantidades adequadas. O sistema excretor está relacionado: a) apenas com I. b) apenas com I e II. c) apenas com I e III. d) apenas com II e III. e) com I, II e III.08. (UMC–SP) O líquido que penetra na cápsula de Bowman pode ser chamado: a) plasma. b) linfa. c) soro. d) ultrafiltrado. e) sangue.09. (UFAL) ―No homem, os produtos de excreção, resultantes do metabolismo, chegam ao fígado sob a forma de ....I.... e, nesse órgão, são transformados em ....II....‖. Para completar corretamente a frase acima, basta substituir I e II, respectivamente, por: a) amônia e ureia. b) ureia e amônia. c) amônia e ácido úrico. d) ureia e ácido úrico. e) ácido úrico e ureia. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 10. (Unifor–CE) Assinale a alternativa da tabela abaixo que identifica corretamente as substâncias transportadas pelo sangue nos rins (o sinal + indica sangue rico na substância mencionada). Artéria renal Veia renal Gás Gás Oxigênio Ureia Oxigênio Ureia Carbônico Carbônico a) + + + b) + + + + c) + + + d) + + + e) + + +11. (UNIP–SP) No desenho abaixo os números 1, 2, 3 e 4 representam, respectivamente: a) rins, ureteres, bacinete e uretra. b) rins, artérias renais, bexiga e uretra. c) rins, ureteres, bexiga e uretra. d) rins, uretra, bexiga e ureter. e) rins, vasos renais, bexiga e uretra.12. (PUC–SP) Em decorrência de baixa ingestão de água pelo organismo, pode-se prever que: a) diminua a pressão osmótica do sangue. b) os túbulos renais fiquem mais permeáveis à água. c) diminua a taxa de hormônio antidiurético liberado na circulação. d) aumente a secreção de aldosterona e diminua a de hormônio antidiurético. e) a urina se torne muito diluída.13. (Unirio–RJ) Um homem com um cálculo renal localizado em um de seus rins, passado algum tempo, consegue eliminar o cálculo. Até ser eliminado, o cálculo passou sucessivamente pelo: a) rim, ureter, bexiga e uretra. b) rim, bexiga, ureter e uretra. c) rim, uretra, bexiga e ureter. d) rim, bexiga, uretra e ureter. e) rim, uretra, ureter e bexiga. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 14. (Acafe–SC) No sistema urinário dos mamíferos o sangue é filtrado no nível da(os): a) alça de Henle. b) cápsula de Bowman. c) túbulos contornados proximais. d) túbulos contornados distais. e) glomérulos de Malpighi.15. (PUC–MG) O esquema representa um corpúsculo renal. Os números 1 e 2 indicam, respectivamente: a) arteríola aferente e arteríola eferente. b) cápsula de Bowman e glomérulo. c) arteríola e venula renal. d) arteríola aferente e glomérulo. e) vênula renal e cápsula de Bowman.16. (Fatec–SP) O desenho abaixo representa esquematicamente um néfron: Qual das substâncias abaixo não é encontrada normalmente em B apesar de existir em A? a) proteína b) água c) ureia d) glicose e) íons inorgânicos17. (Fuvest–SP) Recentemente , descobriu-se que, quando aumenta a pressão nos átrios (aurículas) cardíacos, estes secretam um hormônio – o fator atrial – que tem ação direta sobre os néfrons, as unidades filtradoras dos rins. Entre outros efeitos, o fator atrial produz dilatação da arteríola aferente, combinada com a constrição da arteríola eferente (veja o esquema a seguir que representa um néfron). lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • Dessas informações, pode-se deduzir que a secreção de fator atrial provoca: a) maior filtração glomerular, formação de mais urina, diminuição da pressão sanguínea. b) menor filtração glomerular, formação de mais urina, diminuição da pressão sanguínea. c) maior filtração glomerular, formação de menos urina, elevação da pressão sanguínea. d) menor filtração glomerular, formação de menos urina, elevação da pressão sanguínea. e) menor filtração glomerular, formação de mais urina, elevação da pressão sanguínea.18. (UEL–PR) Nos casos de hipertensão é recomendável que o indivíduo faça uma dieta ingerindo alimentos sem sal. Assinale a alternativa que justifica a razão fisiológica dessa recomendação. a) A redução da concentração de NaCl no plasma sanguíneo provoca um aumento na produção e eliminação de urina diluída, causando a diminuição do volume de sangue circulante e consequente diminuição da pressão arterial. b) A redução da concentração de NaCl no plasma sanguíneo provoca um aumento na produção e eliminação de urina concentrada, causando o aumento do volume de sangue circulante e consequente diminuição da pressão arterial. c) A redução da concentração de NaCl no plasma sanguíneo provoca uma diminuição na produção e eliminação de urina diluída, causando a diminuição do volume de sangue circulante e consequente diminuição da pressão arterial. d) O aumento da concentração de NaCl no plasma sanguíneo provoca um aumento na produção e eliminação de urina diluída, causando a diminuição do volume de sangue circulante e consequente diminuição da pressão arterial. e) O aumento da concentração de NaCl no plasma sanguíneo provoca uma diminuição na produção e eliminação de urina concentrada, causando o aumento do volume de sangue circulante e consequente diminuição da pressão arterial.QUESTÕES DE PROPOSIÇÕES MÚLTIPLASQUESTÕES 19 E 2019. Em muitos organismos, as estruturas que livram o corpo de excesso de água e íons estão também adaptados para livrá-lo dos restos metabólicos. A ilustração a seguir apresenta a unidade de função do rim, o néfron, e, em destaque, uma célula da parede do túbulo proximal. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • Em relação a fenômenos celulares relacionados à função excretora, pode-se dizer: (01) As microvilosidades presentes na face luminal da célula constituem uma estratégia para o contato intercelular. (02) Modificações na superfície celular contribuem para a adaptação da célula à sua função. (04) A presença de mitocôndrias, em grande número, sugere um grande requerimento energético para a função específica da célula. (08) O processo de síntese protéica está limitado aos ribossomos mitocôndriais. (16) A difusão de líquidos entre o lúmen do túbulo renal e os espaços intercelulares é livre. (32) Proteínas de membrana estão relacionadas a mecanismos de transporte de substâncias. (64) A atividade nuclear, nessas células, está reduzida à replicação do material genético.20. Quanto à atividade fisiológica do néfron, pode-se afirmar: (01) O sistema circulatório e o excretor se relacionam intimamente, no glomérulo. (02) O filtrado do sangue passa do glomérulo ao interior da cápsula de Bowman. (04) A água do filtrado do sangue é eliminada integralmente através do ducto coletor da urina. (08) A função excretora do néfron inclui e a conversão da amônia à ureia. (16) A presença constante de proteínas ou células sanguíneas, na urina, pode indicar lesão glomerular. (32) As concentrações de água, sais e ureia são equivalentes, no túbulo proximal e no distal.GABARITO01. B 05. D 09. A 13. A 17. A02. B 06. A 10. A 14. E 18. A03. B 07. E 11. C 15. D 19. 02, 04 e 3204. A 08. D 12. B 16. A 20. 01, 02 e 16 lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • CAPÍTULO 6 SISTEMA HORMONAL ENDOCRINOLOGIA É o estudo das glândulas endócrinas ou de secreção interna. As glândulas endócrinas secretam seus produtos na corrente sanguínea. Essa secreção échamada hormônio. São mensageiros químicos, distribuídos pela corrente sanguínea, que atuam controlando ometabolismo de certas células. Como são dispersos pelo sangue, todas as células estão igualmenteexpostas a eles, embora apenas algumas reajam à sua presença, os ―órgãos-alvos‖. Quimicamente, os hormônios constituem um grupo bastante heterogêneo. Podem ser proteínas,peptídeos, aminoácidos ou esteroides. A figura abaixo mostra as glândulas que têm função endócrina no homem. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • A) HIPÓFISE OU GLÂNDULA PITUITÁRIA Situam-se na sela túrcica do osso esfenóide, na base docrânio. Tem três porções: uma anterior (adeno-hipófise), outraposterior (neuro-hipófise) e outra intermediária. O hipotálamo,localizado acima da hipófise, é uma parte do sistema nervosocentral que regula parcialmente a hipófise.ADENO-HIPÓFISE Sintetiza e segrega os seguintes hormônios:1. Hormônio do Crescimento, GH ou somatotrofina ou Hormônio somatotrófico. • Ação – controla o crescimento do esqueleto, músculos e outros órgãos até a adolescência. • Excesso – o excesso do hormônio do crescimento na criança leva ao gigantismo; no adulto à acromegalia (crescimento das extremidades). • Deficiência – provoca o nanismo.2. Tireotrofina (T.S.H.) – hormônio que estimula glândula tireóide a produzir seus hormônios.3. Corticotrofina (A.C.T.H.) – hormônio que estimula o córtex da glândula Adrenal ou supra-renal a produzir seus hormônios.4. Hormônio luteotrófico (L.T.H.) ou Prolactina – estimula a produção do leite pelas glândulas mamárias após o parto. Sua ação depende do ato da sucção pelo recém-nascido.5. Hormônios Gonadotróficos ou Gonadotrofinas – estimulam as gônadas (testículos e ovários) a produzirem hormônios. São eles: • F.S.H. – hormônio folículo estimulante - amadurece o folículo ovariano. No homem estimula a Espermatogênese (produção de espermatozoides). • L.H. – Hormônio luteinizante – transforma o folículo maduro em corpo lúteo, ou corpo amarelado, que passará a produzir progesterona. No homem é chamado de I.C.S.H. (Hormônio estimulante das células intersticiais); estimula as células intersticiais nos testículos a produzir testosterona. NEURO-HIPÓFISE Armazena dois hormônios produzidos pelo hipotálamo.1. H. antidiurético (A.D.H.) ou vasopressina • Ação – promove a reabsorção de água nos túbulos renais, (Alça, de Henle e túbulo contornado distal) diminuindo a quantidade de água na urina. Sua outra ação é contrair os vasos sanguíneos, aumentando a pressão sanguínea, daí vem seu nome vasopressina (mas é conhecido como A.D.H.). • Deficiência – a deficiência deste hormônio causa a diabete insípida, doença que se caracteriza por aumento do volume urinário (poliuria) e sede excessiva (polidipsia). Semelhante à diabete mellitus, outro tipo de diabetes por deficiência do pâncreas que estudaremos mais adiante. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 2. Ocitocina – sua principal função é promover a contração do miométrio (musculatura uterina) no momento do parto. Mas também age na amamentação e ajuda o deslocamento dos espermatozoides durante o ato sexual. ATENÇÃOO LOBO INTERMEDIÁRIOSegrega um único hormônio, o M.S.H. (Hormônio Estimulante dos Melanócitos).• Ação – Estimula os melanócitos a produzir melanina (pigmento que dá cor à pele). No homem, sua função é pouco conhecida. Em anfíbios e répteis participa no controle do mimetismo.B) GLÂNDULA PINEAL OU GLÂNDULA EPÍFISE Localiza-se no diencéfalo (3º ventrículo). Fabrica melatonina, hormônio que se relaciona com ocontrole da pigmentação da pele em anfíbios e répteis, principalmente. No homem, os cientistasdescobriram que a melatonina ajuda a regular o relógio biológico. O pico de produção desta substância é na adolescência. A partir dos 25 anos de idade ela começa a cair extraordinariamente contribuindo para o processodo envelhecimento e todas as suas consequências. A Melatonina ajuda a combater a insônia, o stress, a depressão, a ansiedade e a fadiga.Atualmente, ela está sendo muito empregada, já que foi sintetizada em laboratório, não só paracombater os sintomas citados, como também na osteoporose, câncer, aterosclerose, artrite, diabetesetc. A melatonina é também devoradora de radicais livres, o lixo atômico presente no organismo eprincipal responsável pela degeneração dos tecidos.C) GLÂNDULA TIREOIDE lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • Localiza-se na parte anterior do pescoço, abaixo da laringe, em frente à traquéia. Tem a forma deuma letra H. Possui dois lobos ligados pelo istmo. HORMÔNIOS1. T3 (Tri-iodo – Tironina) e T4 (Tetra-iodo – Tironina) ou tiroxina, de ações idênticas.• Ação – estimula as oxidações celulares, aumentando o metabolismo celular, utilizando glicose e gordura, participando, desta maneira, do crescimento do indivíduo.• Excesso - hipertireoidismo ou Doença de Basedow – esta doença se caracteriza por metabolismo alto, taquicardia, irritação, nervosismo, tremores, insônia, exoftalmia etc.• Deficiência - hipotireoidismo – essa doença se caracteriza por metabolismo baixo. Na criança, isto leva à deficiência no crescimennto, conduzindo ao Nanismo e Cretinismo (Retardamento mental). No adulto causa lentidão mental, diminuição nos reflexos e bócio. O indivíduo pode dormir de 12 e 15 horas por dia e terá sempre tendência à obesidade. Pode também ocorrer o mixedema (pele seca e endurecida, queda de cabelos (Alopécia) e unhas quebradiças.2. Calcitonina ou Tireocalcitonina• Ação – participa do metabolismo do cálcio e fosfato. Aumenta o fosfato sanguíneo e diminui o cálcio. É hipocalcemiante. ATENÇÃO O crescimento da tireoide recebe a denominação de Bócio ou Papo. Bócio exoftalmico: provocado por distúrbios na produção de T3 e T4; Tipos Bócio endêmico: provocado pela falta de iodo na alimentação.D) GLÂNDULAS PARATIREOIDES lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • Localizam-se nas porções laterais da Tireoide e são em número de quatro. Fabricam umhormônio: o paratormônio.• Ação – participa do metabolismo do cálcio e fosfato. Aumenta a quantidade de cálcio no sangue e diminui a de fosfato. Observe que a Calcitonina e o Paratormônio têm efeitos contrários.• Deficiência – baixa de cálcio no sangue, levando a alterações na contração muscular, contrações espasmódicas dos músculos, caracterizando o quadro convulsivo da tetania (hipoparatireoidismo).• Excesso – aumento de cálcio no sangue, descalcificação dos ossos, que se tornam porosos e quebradiços, depósito de cálcio nos rins, osteomalácia, osteoporose(hiperparatireoidismo).E) GLÂNDULAS ADRENAIS OU SUPRERENAIS Localizam-se no pólo superior dos rins. Podemos dividi-las em duas regiões: córtex-adrenal emedula-adrenal. O Córtex é a região mais externa; fabrica hormônios chamados corticóides.TIPOS DE CORTICOIDESa) Glicocorticoides – destes, o mais importante é a cortisona ou cortisol. Ação – Controla o metabolismo da glicose, dos aminoácidos e dos lipídios. Em situações de estresse ocorre aumento de cortisol no sangue, o que provoca o aumento da glicemia porque o cortisol estimula a gliconeogênese. Além disso, tem efeito antiinflamatório, pois é um estabilizador de membranas.b) Mineralocorticoides – destes, o mais importante é a aldosterona. Ação – Estimula a reabsorção do íon sódio para o sangue e a eliminação dos íons potássio e hidrogênio pelos rins, especialmente nos túbulos coletor e contornado distal. A reabsorção de sódio aumenta a concentração do sangue e a reabsorção da água com conseqüente aumento do volume do sangue e aumento da pressão sanguínea.c) Sexocorticoides – hormônios que agem sobre a sexualidade. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • Ex.: Andrógenos A Medula Adrenal fabrica a Adrenalina e Noradrenalina, cujas ações serão estudadas em Sistema Nervoso. A adrenalina é também chamada de Epinefrina e a Noradrenalina, de Norepinefrina.F) PÂNCREAS O pâncreas é uma glândula mista ou anfícrina. Localiza-se na cavidade abdominal, junto aoestômago e duodeno. (Figura abaixo) A parte exócrina do pâncreas fabrica o suco pancreático. A parte endócrina corresponde a 1% do pâncreas e é representada pelas ilhotas pancreáticas oude Langerhans. Essas ilhotas possuem dois tipos de células:Células α – segregam GlucagonEfeitos metabólicos:- ação hiperglicemiante: aumenta a concentração sanguínea de glicose;- promove a glicogenólise, a transformação do glicogênio em glicose no fígado;- estimula a gliconeogênese — síntese de glicose a partir de aminoácidos, proteínas e lipídios.Células – segregam InsulinaEfeitos metabólicos:- ação hipoglicemiante: reduz a concentração sanguínea de glicose;- estimula o transporte da glicose para o interior das células musculares e adiposas;- promove a glicogênese, isto é, a formação de glicogênio no fígado.Deficiência de Insulina: A falta de insulina determina uma doença conhecida como diabetes mellitusque se caracteriza por elevação da glicose no sangue (hiperglicemia) e, consequentemente,eliminação de glicose pela urina (glicosúria), pois a quantidade de glicose que chega aos rins é tãogrande que este órgão não consegue reabsorvê-la toda.Sintomas da doença - Poliúria (muita urina), Polidipsia (sede excessiva) e Polifagia (fome em excesso).• Excesso de Insulina - diminui a glicose no sangue, (Hipoglicemia), podendo levar a tonturas,desmaios; chegando até à convulsão e morte. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • G) GÔNADAS lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  REGULAÇÃO DAS GLS. ENDÓCRINAS Denomina-se ―FEEDBACK‖ ou RETROALIMENTAÇÃO o mecanismo através do qual asglândulas endócrinas são reguladas de modo a manterem uma taxa constante dos seus hormônios noorganismo. Observe-se que cada glândula tem uma tendência a hipersecretar seu hormônio até que orespectivo efeito fisiológico se manifeste à distância, e a glândula receba de algum modo umainformação, através da qual duas hipóteses poderão ocorrer:1ª O efeito foi insuficiente - isto serve de estímulo à secreção de mais hormônios. É o FEEDBACK positivo.2ª O efeito foi suficiente - isto tende a inibir a secreção de mais hormônio. É o FEEDBACK negativo. Usualmente este mecanismo é bem compreendido quando a HIPÓFISE participa do controle deoutra glândula endócrina. Observe:I. Baixo teor de cortisona (no sangue) – hipersecreção de ACTH (hormônio do córtex-adrenal) = retroalimentação hipofisária.II. Aumento de ACTH – elevação do nível sanguíneo de cortisona.III. A adrenal produz muita cortisona – inibição do ACTH.IV. O baixo teor de ACTH – reduz a produção de cortisona pela adrenal. Trata-se, portanto, de um importante equilíbrio dinâmico através do qual a regulação química seestabelece, integrando as atividades fisiológicas. Quando este mecanismo está afetado, o organismopadece dos efeitos da liberação de quantidades insuficientes ou excessivas dos hormônios em jogo,acarretando alterações de determinadas funções orgânicas (hipofunção ou hiperfunção). Exercícios• QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA01. (Cesgranrio–RJ) O esquema abaixo ilustra a interrelação entre glândulas endócrinas e seus hormônios, da qual resulta um mecanismo regulador. Pela análise do esquema podemos afirmar que ocorrerá: a) inibição da hipófise. b) estímulo da tireóide. c) aumento de TSH. d) aumento de tiroxina. e) feedback positivo. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 02. (UNEB–BA) Um déficit de água no sangue estimula certas células no hipotálamo que, por sua vez, levam a hipófise a liberar: a) ocitocina. b) adrenalina. c) secretina. d) hormônio antidiurético. e) hormônio luteinizante.03. (Fuvest–SP) Considere as seguintes funções de controle do sistema endócrino: I. concentração de cálcio e fósforo. II. crescimento geral do corpo. III. atividade das gônadas. IV. metabolismo do açúcar no corpo dos mamíferos. As glândulas que correspondem a estas funções são, respectivamente: a) paratireóides, hipófise, hipófise e pâncreas. b) tireoide, hipófise, hipófise e pâncreas. c) paratireoides, hipófise, hipófise e timo. d) supra-renal, hipófise, timo e pâncreas. e) hipófise, supra-renal, pâncreas e tireoide.04. (UnB) A ocorrência de apatia e falta de apetite num ser humano, bem como a presença de dilatação na altura da garganta (bócio), poderão indicar que o mesmo está com hipofunção da glândula: a) timo. b) paratireoide. c) tireoide. d) pâncreas. e) adrenal.05. (UFRS) Se analisarmos o sangue de uma pessoa em situação de emergência ou perigo, ou num momento de raiva ou susto, poderemos identificar o aumento do hormônio: a) tiroxina. b) corticotrofina. c) gonadotrofina. d) ocitocina. e) adrenalina.06. (Fuvest–SP) Considere as seguintes funções do sistema endócrino: 1. controle do metabolismo de açúcar; 2. preparação do corpo para situações de emergência; 3. controle de outras glândulas endócrinas. As glândulas que correspondem a essas funções são, respectivamente: lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • a) salivar, tireoide, hipófise. b) pâncreas, hipófise, tireóide. c) tireoide, salivar, adrenal. d) salivar, pâncreas, adrenal. e) pâncreas, adrenal, hipófise.07. (UFRN) O esquema abaixo representa as conversões de glicose em glicogênio e vicer-versa, promovidas pelos hormônios A e B: A e B são respectivamente: a) glucagon e insulina. b) insulina e ocitocina. c) insulina e glucagon. d) glucagon e hormônio antidiurético. e) ocitocina e hormônio antidiurético.08. (Vunesp–SP) Um paciente adulto procurou um endocrinologista porque estava com baixo peso, metabolismo basal muito alto, nervosismo e globo ocular saliente (exoftalmia). A disfunção hormonal que poderia ser responsável pelo quadro apresentado pelo paciente envolve: a) o pâncreas. b) a paratireóide. c) a adrenal. d) a tireoide. e) a supra-renal.09. (UNA–MG) O cretinismo e o nanismo representam hipofunções das seguintes glândulas: a) tireoide e paratireoides. b) adeno-hipófise e tireoide. c) adeno-hipófise e paratireoides. d) supra-renais e tireoide. e) tireoide e hipófise.10. (MACK–SP) O diabete insípido e o diabete melito resultam, respectivamente, de deficiência: a) do lobo posterior da hipófise e do pâncreas. b) do pâncreas e do lobo posterior da hipófise. c) do córtex adrenal e do pâncreas. d) do pâncreas e do córtex adrenal. e) da parte exócrina e da parte endócrina do pâncreas.11. As descobertas científicas deste século despertam tanto interesse e controvérsia quanto a pílula anticoncepcional. Pesquisas realizadas nas décadas de 1940 e 1950 permitiram sua elaboração, lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • a partir da evidência de que determinados hormônios esteróides eram capazes de bloquear a ovulação em ratas e macacas. Essa pílula contém certos hormônios: a) hipofisários que inibem a produção de hormônios ovarianos. b) hipofisários que estimulam a produção normal de hormônios ovarianos. c) ovarianos que inibem a produção de certos hormônios hipofisários. d) ovarianos que estimulam a produção normal de certos hormônios hipofisários. e) hipofisário e ovarianos que alteram o ciclo menstrual.12. As funções sexuais femininas são reguladas pelos hormônios: folículo estimulante (FSH), luteinizante (LH), estrógeno (estradiol) e progesterona. Considere as seguintes afirmações relacionadas a tais hormônios. I. Os hormônios folículo estimulante (FSH) e progesterona são produzidos pela adenoipófise. II. A ovulação ocorre quando o nível do hormônio luteinizante (LH) atinge seu valor mais elevado. III. O hormônio progesterona atinge seu valor máximo após a ovulação. Podemos dizer que: a) somente a afirmação I está correta. b) somente a afirmação II está correta. c) as afirmações I e II estão corretas. d) as afirmações II e III estão corretas. e) todas as afirmações estão corretas.• QUESTÕES DE PROPOSIÇÕES MÚLTIPLAS13. Vários fatores interagem no processo de formação e estruturação definitiva dos ossos, sendo muito importantes a nutrição (vitamina D, cálcio, fósforo) e os hormônios da tireóide e paratireoide. Em relação a estes fatores, analise as proposições a seguir: (01) O hormônio calcitonina remove o cálcio do plasma sangüíneo, incorporando-o à matriz óssea. (02) O paratormônio remove o cálcio da matriz óssea, levando-o ao plasma. (04) Um excesso de calcitonina no organismo descalcifica os ossos, tornando-os mais sujeitos a fraturas. (08) O paratormônio é responsável pela remoção do cálcio do plasma e por sua incorporação à matriz óssea. (16) Os hormônios paratormônio e calcitonina mantêm as taxas de cálcio e fósforo no plasma sangüíneo, regulando as trocas desses elementos entre a matriz óssea e o plasma. (32) A produção dos hormônios é controlada pelo mecanismo de feedback ou retroalimentação.14. A figura exposta mostra glândulas endócrinas do corpo humano. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • Sobre elas, assinale as alternativas corretas. (01) A glândula assinalada em 2 tem dependência com o hipotálamo. (02) As glândulas 5 e 6 agem no controle da taxa de glicose. (04) A glândula assinalada em 4 entra em atrofia com o tempo. (08) A glândula assinalada em 3 exerce influência sobre a produção de leite. (16) A glândula assinalada em 7 depende de 2. (32) As glândulas assinaladas em 2, 3, 4 e 6 são exclusivamente endócrinas.15. Analise as alternativas seguintes e assinale as corretas. (01) Anemia, perda de apetite, debilidade física, aumento da pigmentação da pele são sinais e sintomas da doença de Addison, causada por uma hipofunção da tireóide. (02) A supra-renal produz adrenalina, que regula a veia arteríola; (04) A insulina aumenta a saída de glicose do sangue, estimulando sua entrada nas células, onde é convertida em glicogênio. (08) A tireoide produz hormônios que estimulam o metabolismo basal. (16) O pâncreas produz glucagon, que participa da regulação glicêmica. (32) Os testículos produzem testosterona, que regula as funções dos sistemas reprodutores. GABARITO 01. A; 06. E; 11. C; 02. D; 07. C; 12. A; 03. A; 08. D; 13. 01, 02, 16 e 32 04. C; 09. E; 14. 01, 02, 04 e 16 05. E; 10. A; 15. 04, 08 e 16 lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • CAPÍTULO SISTEMA NERVOSO 7 O Sistema Nervoso Humano tem as seguintes funções:a) Colocar o indivíduo em relação com o mundo exterior.b) Promover o relacionamento entre as diferentes partes do organismo. O Sistema Nervoso Central é constituído pelo Encéfalo e pela medula espinhal, que sãoprotegidos por estruturas ósseas. O crânio protege o encéfalo, e a coluna vertebral protege a medulaespinhal. Internamente, o S.N. Central é revestido por membranas conjuntivas chamadas de meninges, emnúmero de três:1 - Dura-mater – membrana externa que fica em contato com a coluna vertebral e com o crânio. É grossa e fibrosa.2 - Aracnoide – membrana média. Tem uma vascularização que lembra uma teia de aranha.3 - Pia-mater – membrana interna; fica em contato com S.N. Central. É rica em vasos sanguíneos. Líquido céfalo-raquidiano ou Líquor – é um líquido que circula no S.N. Central entre as meninges; tem função protetora. SUBSTÂNCIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL1. Substância cinzenta – composta de corpos de neurônios.2. Substância branca – composta de axônios mielinízados. No encéfalo a substância cinzenta é externa, compondo o córtex cerebral, e a branca é interna.Na medula, a substância cinzenta é interna e a branca é externa. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  ENCÉFALOa) Telencéfalo – porção superior e anterior do encéfalo. É dividido em dois hemisférios: o direito e o esquerdo. É recoberto pelo córtex cerebral. O hemisfério cerebral direito comanda as atividades do lado esquerdo do corpo, e o hemisfério cerebral esquerdo comanda as atividades do lado direito do corpo. O cruzamento desses comandos se faz ao nível do Bulbo e da medula espinhal. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • O Córtex cerebral coordena: • atividades voluntárias; • pensamento; • memória; • aprendizagem; • inteligência; • linguagem.b) Mesencéfalo – porção média; coordena alguns reflexos visuais e auditivos.c) Diencéfalo – possui uma cavidade denominada 3º ventrículo, que delimita o tálamo e o hipotálamo. No 3º ventrículo localiza-se a glândula pineal. Função – regula a temperatura e coordena os processos emocionais – ira, medo, raiva, choro, etc.d) Cerebelo – é o centro do equilíbrio, pois está relacionado com a coordenação dos movimentos e da regulação do tônus muscular (estado de semicontração dos músculos).e) Bulbo Raquidiano – comunica o encéfalo com a medula. O Bulbo é o centro da deglutição, da tosse, do vômito e exerce o controle dos batimentos cardíacos e da respiração. MEDULA ESPINHAL Em forma de tubo, se localiza dentro da coluna vertebral. Observe na figura a seguir a localizaçãoda substância cinzenta e da branca na medula. Observe que no centro da medula encontramos a substância cinzenta, delimitando um canalchamado de ependimário ou epêndima. Da região posterior da substância cinzenta chegam os neurônios sensitivos. Da região anteriorpartem os neurônios motores. A junção destes neurônios forma o nervo raquidiano ou raquiano ouespinhal. A medula é responsável por alguns reflexos e serve de conexão para o encéfalo. Ela termina maisou menos ao nível da 1ª ou 2ª vértebra lombar. Uma anestesia, chamada de raquianestesia nãooferece perigo de traumatizar a medula, porque é feita com uma agulha que penetra no canal medularabaixo da 2ª vértebra lombar. Abaixo desse nível, só se encontra um cordão fibroso muito fino, chamado filum terminale, queprende a extremidade inferior da medula ao cóccix. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  •  SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO (FORMADO PELOS NERVOS CRANIANOS E RAQUIDIANOS) Denominamos de nervos cranianos àqueles que nascem diretamente do encéfalo; alguns sãosensitivos, outros são motores e outros são mistos.• Sensitivos – conduzem impulsos da periferial para o S.N. Central.• Motores – conduzem impulsos do S.N. Central para a periferia.• Mistos – conduzem impulsos nos dois sentidos. NERVOS CRANIANOS – São em número de 12 pares. Nervos Raquinianos – são aqueles que nascem da medula raquidiana. São em número de 31 a33 pares e todos são mistos. São eles:• 8 pares de nervos cervicais;• 12 pares de nervos dorsais (ou torácicos);• 5 pares de nervos lombares;• 5 pares de nervos sacros ou sagrados;• 1 a 3 pares de nervos coccígeos ou coccigeanos. SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO OU SISTEMA NEURO-VEGETATIVO É o responsável pelo equilíbrio do meio interno (homeotasia), pois regula a pressão arterial,temperatura corpórea, contração e relaxamento dos músculos lisos das vísceras, batimentos cardíacose atividades involuntárias. O S.N.A. é formado por nervos e gânglios que trabalham sem a participaçãoda vontade ou da consciência do indivíduo. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • A) SIMPÁTICO As fibras partem das regiões toráxica e lombar. As fibras pré-ganglionares produzem aceticolina e as pós adrenalina e noradrenalina.B) PARASSIMPÁTICO As fibras partem das regiões craniana e sacra. Produzem acetilcolina. AÇÃO NO ORGANISMO S.N. SIMPÁTICO• aumenta os batimentos cardíacos (taquicardia);• causa vasoconstrição, aumentando a pressão arterial;• dilata os brônquios; lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • • dilata a pupila (midríase);• inibe os movimentos e secreções salivares e gastro-intestinais;• estimula as secreções lacrimais e sudoríparas;• aumenta a taxa de glicose no sangue (hiperglicemia);• excitação e ejaculação.S.N. PARASSIMPÁTICO• diminui os batimentos cardíacos (bradicardia);• causa vasodilatações, diminuindo a pressão arterial;• contrai os brônquios;• contrai a pupila (miose);• estimula os movimentos e secreções gastro-intestinais;• relaxa o esfíncter da bexiga;• relaxa o esfíncter anal e contrai o reto;• ereção.ARCO-REFLEXO É o mecanismo básico do Sistema Nervoso. Corresponde a uma resposta do S.N. Central paraalguma parte do corpo, sem a intervenção da vontade do indivíduo.COMPONENTES1) Órgão receptor (sensorial) – recebe os impulsos na periferia do corpo. Este receptor periférico recebe as sensações, como tato, pressão, olfato, visão, etc.2) Neurônio sensitivo – é a via aferente, pois leva impulsos nervosos da periferia para o S.N. Central.3) S.N. Central – representado pela medula e encéfalo.4) Neurônio motor – é a via eferente, pois leva impulsos do S.N. Central para a periferia.5) Órgão efetuador ou efetor – é o que vai efetuar a ação. Se for um músculo, contrai; uma glândula segrega. No arco-reflexo simples, o neurônio sensitivo faz sinapse diretamente com o motor. No arco-reflexo complexo existe entre o neurônio sensitivo e o motor um terceiro, chamado de associativo. Se você pisar num prego, automaticamente seu pé é retirado. Este reflexo é chamado de reflexode defesa e é processado na medula espinhal e pelas partes conscientes do cérebro. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • ExercíciosQUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA01. (Vunesp–SP) Imagine as seguintes situações: 1) você vai tomar uma injeção e fica com o braço distendido, recebendo a picada da agulha sem nenhuma reação; 2) você estava distraído e alguém picou-lhe o braço com um alfinete; a reação foi um salto. Os órgãos do sistema nervoso que controlaram a primeira e a segunda reação foram, respectivamente: a) medula e cérebro. b) medula e córtex. c) medula e hipotálamo. d) cérebro e medula. e) cérebro e neurônio. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 02. (Unifor–CE) Qual das alternativas abaixo contém os dados da ação do sistema nervoso simpático sobre o coração humano? Batimentos cardíacos Pressão sanguínea a) Retardados Diminuída b) Acelerados Elevada c) Mantidos constantes Diminuída d) Retardados Elevada e) Acelerados Mantida constante03. (Fatec–SP) Uma doença degenerativa do cerebelo humano provocará alterações, provavelmente: a) nos movimentos respiratórios. b) no equilíbrio do corpo. c) na memória e no raciocínio. d) na visão e na audição. e) nos batimentos cardíacos.04. (PUCC–SP) Um macaco que tem uma lesão no bulbo (mielencéfalo) apresenta distúrbios: a) na respiração. b) na audição. c) na visão. d) no sono. e) na temperatura corporal.05. (PUC–RJ) Uma pessoa que tenha sofrido lesão no cerebelo não será mais capaz de: a) lembrar do nome de um amigo. b) reconhecer a cor de um objeto. c) sentir o sabor dos alimentos. d) caminhar em linha reta. e) fazer associação entre fatos.06. (Fuvest–SP) Em acidentes em que há suspeita de comprometimento da coluna vertebral, a vítima deve ser cuidadosamente transportada ao hospital em posição deitada e, de preferência, imobilizada. Esse procedimento visa preservar a integridade da coluna, pois em seu interior passa: a) o ramo descendente da aorta, cuja lesão pode ocasionar hemorragias. b) a medula óssea, cuja lesão pode levar à leucemia. c) a medula espinhal, cuja lesão pode levar à paralisia. d) o conjunto de nervos cranianos, cuja lesão pode levar à paralisia. e) a medula óssea, cuja lesão pode levar à paralisia. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • 07. (PUC–SP) Ao localizar sua presa, um animal apresenta taquicardia, dilatação de pupila e tremor geral do corpo. Esse fato se deve à liberação de: a) adrenalina, pelo sistema nervoso simpático. b) adrenalina, pelo sistema nervoso parassimpático. c) acetilcolina, pelo sistema nervoso simpático. d) acetilcolina, pelo sistema nervoso parassimpático. e) acetilcolina, pelo sistema nervoso central.08. (Vunesp–SP) Quando você termina de jogar uma partida de futebol, com 90 minutos de duração, você nota que há um aumento do número de batidas de seu coração por minuto. O responsável por isso é o sistema nervoso: a) somático. b) autônomo simpático. c) autônomo parassimpático. d) periférico. e) autônomo somático.09. (Unicamp–SP) Para se observar corpos de neurônios, o melhor seria fazer cortes histológicos com material colhido a partir de: a) nervos raquianos. b) nervos cranianos. c) massa branca da medula. d) medula óssea. e) córtex cerebral.10. (Cesgranrio–RJ) Em relação à evolução do sistema nervoso dos invertebrados, são feitas as afirmações abaixo: I. Ocorre uma centralização e uma cefalização à medida que o animal se torna mais complexo. II. A maioria desses animais apresenta tubo nervoso de localização ventral. III. As medusas são os primeiros animais a terem um controle central de mensagens. Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s): a) apenas I. b) apenas I e II. c) apenas I e III. d) apenas II e III. e) I, II e III. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • • QUESTÕES DE PROPOSIÇÕES MÚLTIPLAS11. Bebidas energéticas são anunciadas pela propaganda quase como um elixir milagroso, que atenua o cansaço e aumenta a disposição física e mental. Energéticos contêm cafeína, um estimulante natural que age sobre o sistema nervoso central, promovendo a liberação de neurotransmissores, entre eles a dopamina, responsável pela sensação de alegria e bem-estar. Em quantidades elevadas, a cafeína pode causar insônia e alterações na freqüência cardíaca, até o agravamento de doenças cardiovasculares. Conforme apresentado no esquema, o efeito sistêmico da cafeína fundamenta-se em eventos que ocorrem em nível celular no tecido nervoso, a respeito dos quais, é correto afirmar: (01) A transmissão de um impulso nervoso efetiva-se diretamente entre os axônios dos neurônios pré-sináptico e pós-sináptico. (02) Os neurotransmissores configuram-se como a versão química do impulso nervoso de natureza elétrica. (04) A cafeína constitui matéria-prima para a síntese de dopamina em nível celular. (08) A liberação do neurotransmissor na fenda sináptica depende da fusão de vesículas à membrana plasmática, viabilizada pela organização molecular das biomembranas. (16) O efeito da cafeína no organismo como um todo revela a função integradora do sistema nervoso. (32) Processos ativos e passivos de transporte de íons através da membrana estão relacionados à transmissão do impulso nervoso.12. O stresse sempre existiu. Ele consiste em uma descarga hormonal que provoca a dilatação das pupilas, aumenta a freqüência cardíaca, eleva a pressão arterial, eriça os pêlos. Tudo com a finalidade de preparar o organismo para enfrentar uma situação fora do comum – em geral perigosa, como fugir de um animal feroz. Passada a situação-limite, o corpo volta para o seu estado normal. Quando o perigo não se afasta, o stresse torna-se prejudicial. ISTO É, p. 49 A interpretação do texto e o conhecimento de bases fisiológicas ligadas ao stresse permitem afirmar: (01) Os sintomas mais freqüentes do stresse estão associados ao aumento na secreção de adrenalina. (02) O aumento da pressão arterial está relacionado ao estreitamento dos vasos sangüíneos em resposta à ação hormonal. (04) A base fisiológica da situação de stresse se estabeleceu em respostas às ameaças a que o homem está submetido na atualidade. lfa-geraldo-fisiologia 2010
  • (08) As supra-renais são as glândulas que regulam o funcionamento de todo o sistema hormonal em mamíferos. (16) A dilatação da pupila, em momento de stresse, ocorre como um reflexo voluntário, para ampliar as chances de defesa. (32) A resposta orgânica a fatores que geram stresse está na dependência da ação coordenada de células nervosas.GABARITO01. D; 05. D; 09. E;02. B; 06. C; 10. B;03. B; 07. A; 11. 02, 08, 16 e 3204. A; 08. B; 12. 01, 02, 04 e 32 BIBLIOGRAFIALOPES, Sônia Godoy Bueno Carvalho. Bio - Volume 2 - Introdução ao estudo dos seres vivos / Sônia Godoy Bueno Lopes. – 1ª ed. – São Paulo: Saraiva, 2002.SILVA JÚNIOR, César da. 1934.; Sasson, Sezar. Biologia 2 – seres vivos: estruturação e função / César da Silva Júnior, Sezar Sasson – 7ª ed. reform. – São Paulo: Saraiva, 2002.AMABIS, José Mariano.; MARTHO, José Rodrigues. Biologia dos Organismos – Volume 2 – A diversidade dos seres vivos e Anatomia e Fisiologia de plantas e de animais / José Mariano Amabis, José Rodrigues Martho – 2ª ed. Moderna.LINHARES, Sergio.; GEWANDSNAJDER, Fernando. Biologia Hoje. Volume 2 – Os Seres Vivos / Sergio Linhares, Fernando Gewandsznajder – 11ª ed. – São Paulo: Ática, 2003.BRITTO, Elias Avancini de.; FAVARETTO, José Arnaldo. Biologia – Volume 2 – Uma abordagem evolutiva e ecológica / Elias Avancine de Brito, José Arnaldo Favaretto – 1ª ed. – São Paulo: Moderna.UZUNIAN, Armênio.; BIRNER, Ernesto. Biologia – Volume 2 – Armênio Uzunian, Ernesto Birner – 2ª ed. – São Paulo: Harbra, 2002.DIAS, Diarone Paschorelli Biologia viva, volume único / Diarone Paschorelli Dias – 1ª ed. – São Paulo: Moderna, 1996. ATENÇÃO Este módulo contém material extraído integralmente da bibliografia acima que inclusive é indicada para os alunos. lfa-geraldo-fisiologia 2010