Saude mental Hospital de Caridade de Crissiumal Rs 2013
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Saude mental Hospital de Caridade de Crissiumal Rs 2013

on

  • 238 views

Apresentação final do Hospital de Caridade do município de Crissiumal/RS do Curso em Atenção Integral em Saúde Mental, Álcool, Crack e outras Drogas para profissionais atuantes nos Hospitais ...

Apresentação final do Hospital de Caridade do município de Crissiumal/RS do Curso em Atenção Integral em Saúde Mental, Álcool, Crack e outras Drogas para profissionais atuantes nos Hospitais Gerais da Macrorregião Missioneira do Rio Grande do Sul, Brasil, entre julho e novembro de 2013.

Statistics

Views

Total Views
238
Views on SlideShare
238
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Saude mental Hospital de Caridade de Crissiumal Rs 2013 Saude mental Hospital de Caridade de Crissiumal Rs 2013 Document Transcript

  • HOSPITAL DE CARIDADE DE CRISSIUMAL Rua Redentora, Nº. 81 – Centro – Crissiumal – RS CEP: 98640-000 Fone: (55) 3524-1177 http://www.hccrissiumal.com O Hospital de Caridade de Crissiumal está situado na Rua Redentora, nº 81, no município de Crissiumal – RS. Foi fundado em 12 de março de 1960. A Instituição está classificada como um hospital micro-regional, atendendo as clínicas: Médica, Cirúrgica, Traumatológica, Ginecológica, Obstétrica e Pediátrica, direcionando seu atendimento prioritariamente aos municípios de Crissiumal, Humaitá e Tiradentes do Sul. O prédio consta com três pavimentos interligados por corredores, e são de dois andares exceto o terceiro. Em Agosto de 2009, foi implantada a Ala de Dependência Química, com uma readequação de incentivos, em Março de 2013,implantou se a Unidade de Saúde Mental que visa atenção a pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades recorrentes do uso de álcool, crack e outras drogas. O intuito é de viabilizar a internação de pacientes de Saúde Mental, bem como, dependentes de substâncias psicoativas com o objetivo de desintoxicar e tratar esses pacientes. O propósito é disponibilizar aos usuários tratamento, oferecendo de forma racional o diagnóstico adequado, além de planejar o tratamento baseado no melhor nível de evidencia disponível. Através do diagnóstico e planejamento do tratamento proporciona-se maior número de recuperação e reinserções sociais desses pacientes. Entende-se que este é um serviço que deve estar integrado a outras redes, logo o tratamento não pode, nem deve ser esgotado durante a permanência nesta modalidade de atenção. Por isso, compreende-se importante e efetivo um sistema de referência e contrareferência após este nível. Portanto, o objetivo das internações serão avaliar, adequar e planejar o tratamento de acordo com o nível de complexidade, conforme a demanda. E o que se espera e objetiva-se é que estes pacientes sejam beneficiados destas ações, de modo a serem reinseridos em grupos sociais, aos quais por motivos de conhecimento comum foram afastados ou excluídos, melhorando sua qualidade de vida e convívio familiar.
  • Realidade do Hospital Realidade do Hospital Sugestão de de Campinas das Geral de Crissiumal. alterações do Missões. trabalho desenvolvido. Internação Equipe da Unidade de Paciente chega com a Saúde Mental avalia se o documentação necessária paciente tem a devida para internação e necessidade de permanece na Unidade internação. sem essa avaliação. Acolhimento Recepção comunica à Recepção encaminha ao Dois membros da equipe que o paciente setor de internação. Equipe farão o esta na instituição. Internação avalia acolhimento antes do Duas pessoas da equipe documentação, solicita processo de Internação fazem o acolhimento. que alguém da equipe e após será Após avaliação se dirige a receba o paciente na encaminhado à internação e após o Unidade e lá é realizado o internação, para a paciente é encaminhado mesmo. realização do cadastro para a Unidade. do paciente, seguindo para a Unidade. Período de 21 dias 24-30 dias Internação Número de 14 leitos 6 leitos leitos Verificação Realizada no momento Após o paciente estar objetos da internação e os acomodado no quarto a pessoais pertences do paciente equipe realiza as que pode permanecer na orientações e após é unidade é identificada. realizada a vistoria. Onde Caso contrário o que não os pertences que não é permitido é podem permanecer com o encaminhado ao familiar, paciente, são identificados que leva para casa. e mantem no posto de enfermagem até sua alta hospitalar ou transferência do paciente. Regras Normas e Proibido uso telefone celular ou qualquer equipamento eletrônico; Tabaco controlado (estipulado na internação – seis unidades pela manhã e a tarde, a noite são três unidades); Tem rádio e televisão na sala de convivência Unidade. Liberado uso do telefone Redução de Danos no celular na Unidade; Tabaco instituído apenas há dois meses, Liberado Tabaco é juntamente com o negociado para a redução Projeto de de danos, a quantia de Humanização. cigarros, é avaliada Posteriormente será segundo cada caso; estipulado como na Unidade em que Televisão se encontra na visitamos. sala de convivência, com horário das 08h as 23 h; Proibido trazer rádio de casa, quando possível é liberado no quarto com
  • Acompanhant es Não há, durante a internação. O familiar somente acompanha o paciente até a internação e acomodado ao leito. Atendimento Uma vez na semana Psicológico Individual Visitas de Uma vez na semana familiares ao paciente Atendimento Todos os dias. em GruposPacientes Psicóloga Fisioterapeuta Grupos Familiares Grupo de Apoio da Rede (dentro da instituição) Grupo de Apoio da Rede (fora da instituição) combinação de horários ou, utilizada na sala de socialização; É solicitado que o familiar ou acompanhante permaneça com paciente pelo menos 72 horas ou conforme equipe determinar. Dependendo do caso não há acompanhante. Duas vezes na semana Todos os dias no horário de visita destinado. Das 13 às 14h e 18h às 19h h. Ou conforme combinação com os familiares. Os nomes dos visitantes (pai, mãe, irmãos, esposa, filhos) ficam na recepção conforme combinado com cada paciente. Oficinas de Artesanato, Todos os dias. Educação Física; Espiritual; Assistencial; e Cada membro da Unidade Nutricional; é Responsável pelas Psicológica; oficinas. Médica. Duas vezes ao mês, na qual os agendamentos das datas já são préestabelecidas pela equipe. E no acolhimento o familiar já recebe as datas. Duas vezes ao mês, para pacientes do Município de Crissiumal. AA; Todas as terças. Feiras à noite. Pastor, Grupo Cruz Azul; responsável pelo Grupo de Apoio da Cruz azul, Grupo Recomeçar (Duas busca os pacientes na terças-feiras ao mês, o Unidade e retorna com Grupo Recomeçar é os mesmos; realizado pela SMS, nas dependências do Hospital, View slide
  • Carteirinha Alta Avaliação Psiquiátrica. Equipe Médico Psiquiatra, Enfermeira, Técnico de Enfermagem, Psicóloga (40 horas), Assistente Social, Fisioterapeuta, Irmã (voluntária Espiritual). e pacientes da Unidade que são do Município participam do mesmo). Após todas as Altas o paciente recebe a mesma, com data pré-estabelecida para os próximos grupos. Equipe da Unidade Já tem as datas dos Grupos, pois mantém contato com a Rede. Avaliação da Equipe num todo. Médico Clínico, Enfermeiras (40 horas/ 30 horas), Técnicos de Enfermagem, Psicóloga (20 horas), Assistente Social (20 horas), Nutricionista (30 horas), Educador Físico (3 horas semanais), Pastor (voluntário Espiritual). Cada profissional tem sua função específica na qual é trabalhado em atendimentos individuais ou em grupos. Atividades Duas vezes na semana. fora da Instituição Unidade- local Separada dos leitos clínicos. Registro em Apenas enfermagem, e Prontuário psicóloga uma vez na semana. Será instituído, a partir do próximo mês, nas tardes das Quartasfeiras. Atividades laborais na praça, localizada próximo às dependências do Hospital, com a orientadora física e psicóloga. Inserida com os leitos de Pediatria e Clínicos. Toda equipe faz registro diários de todas as atividades realizadas na Unidade (evolução da enfermagem, evolução clínica médica, e evolução do paciente). Bem como registros pessoais, devido o código de ética. View slide
  • Papeis burocráticos Referência e contra referência; Evolução Enfermagem e Psicóloga; Estrutura Física Três quartos com 5/6 leitos, sendo um quarto destinado apenas ao sexo feminino; Posto de Enfermagem; Sala de Convivência; Refeitório coletivo; Espaço externo de socialização; Lavanderia dentro da Unidade; Porta divisória da área física com câmeras de monitoramento; Prescrição Semanal Médica Tipos de Acolhimento; atividades ofertadas e Atendimentos modelo de individuais; atenção Atendimentos Assistenciais; Referência e contra referência; Parecer da equipe; Anamnese do paciente; Evolução de enfermagem; Evolução da equipe; Carteirinha dos grupos de Apoio; Três quartos com dois leitos cada. Sendo um destinado ao sexo feminino. Ou leito individual; Posto de Enfermagem; Sala de convivência; Refeições em leito com mesa individual; Sala de socialização; Espaço externo para atividades físicas/ uso tabaco; Lavanderia externa; Sem porta divisória com monitoramento nos corredores de todas as unidades do Hospital; Diária Grupo de Apoio Familiar: duas x ao mês- Psicóloga e Assistente Social; Oficina de Psicologia; Oficina de Assistência Social; Grupo Fazer Juntos- Toda equipe da Unidade Grupo de Presente; Espiritualidade; Oficina de NutriçãoCuidando melhor do seu Atividade de artesanato bem estar; (materiais ofertados pela Atendimentos Individuais; comunidade); Oficina de Atividades Físicas; Grupo de Espiritualidade; Grupo de Apoio Cruz Azulambiente externo da Unidade; Grupo de Apoio Recomeçar- SMS;
  • Relação com a Encaminhamentos Rede de direcionados ao ESF; Atenção Psicossocial e a Rede Intersetorial. Desafios encontrados Possibilidade s de soluções Reuniões mensais com equipe da SMS; Reuniões semanais com todos os membros da Equipe da Unidade; Carteirinha pós-alta de Grupos; Encontros uma vez ao mês, na terceira Quinta. Feira com a Equipe da Rede Básica. Contato com profissionais da equipe da rede frente a casos específicos quando há necessidade; Redução de danos ao tabaco; Acompanhamento pósalta; Participação do paciente e familiar a grupos pós-alta; Estabelecimento do vínculo dos profissionais da rede; Número insuficiente de profissionais específicos para atuar na Saúde Mental- Rede; Dificuldade de manejo com o profissional responsável pela Saúde Mental do Município; Falta de comprometimento da equipe dos ESF; Falta de carga horária de alguns membros da equipe da Unidade Hospitalar; Melhoria na estruturação Implementação do CAPS física. no município; Comprometimento maior entre as equipes (hospital e rede);