Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .:                                          Isilia Aparec...
Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .:                                          Isilia Aparec...
Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .:                                    Isilia Aparecida si...
Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .:                                   Isilia Aparecida sil...
Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .:                                  Isilia Aparecida silv...
Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .:                                    Isilia Aparecida si...
Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .:                                    Isilia Aparecida si...
Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .:                                            Isilia Apar...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Enfermagem E Aleitamento Materno

2,376

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,376
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
27
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Enfermagem E Aleitamento Materno

  1. 1. Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .: Isilia Aparecida silva ENFERMAGEM E ALEITAMENTO MATERNO: COMBINANDO PRÁTICAS SECULARES NURSING AND BREASTFEEDING: AN ELDEST PRACTICIES COMBINATION Isília Aparecida Silva* SILVA, I.A. Enfermagem e aleitamento materno: combinando práticas seculares. Rev.Esc.Enf.USP, v.34, n.4, p. 362-9, dez. 2000. RESUMO A assistência à prática da amamentação, como um dos f atores de promoção à saúde materno-inf antil, tem sido incrementada através de inúmeras iniciativas de órgãos governamentais e não governamentais. No entanto, a mulher ainda encontra dificuldades para o acesso à assistência especializada para resolução de problemas relativos ao aleitamento e lactação, após a alta hospitalar. Relatamos aqui o Programa de Atendimento Domiciliar ao Binômio, que tem como objetivo o apoio e orientação às nutrizes, em seu domicílio. A assistência constitui-se no ensino de técnicas simplificadas de manejo do aleitamento, e segue um modelo teórico construído com base no Interacionismo Simbólico. Todas as mulheres atendidas conseguiram manter a amamentação ou relactar com sucesso. PALAVRAS-CHAVE: Aleitamento materno. Cuidados domiciliares de saúde. Enfermagem materno- infantil. ABSTRACT Support for breastfeeding, one of the factors contributing to mother-child wellbeing, has increased through innumerable government and non-government iniciatives. Despite this, women still have difficulty finding specialised help to solve problems related to breastfeeding and lactation af ter discharge from hospital. We describe the Domiciliary Attendance to Mother and son, whose aim it is to give assistance and advice to mothers in their homes. This assistance consists of teaching simplified breastfeeding management techniques, based on the Symbolic Interactionism Model. All the women assisted under this program have been able to continue breastfeeding or to re-lactate succes fully. KEYWORDS: Breastfeeding. Home nursing. Maternal-child nursing. I INTRODUÇÃO Vários fatores têm contribuído concretamente e muitas vezes familiar, resulta na introdução de para a baixa freqüência da prática de aleitamento outros alimentos para a nutrição do lactente. materno atual, e entre elas a dificuldade enfrentada Me smo nas situaçõe s c ríticas p ara a pelas mulheres quanto ao acesso aos serviços amamentação, como é o caso de crianças internadas especializados, com profissionais qualificados para em unidades de terapia intensiva, são raros os atendimento à mãe e ao seu filho, nesta fase de vida, serviços que adotam procedimentos que visam após a alta hospitalar. garantir a continuidade da amamentação, ficando A grande maioria dos serviços de atendimento mãe e filho à mercê de possibilidades próprias para obstétrico e neonatal não apresentam programa re solu ção de possíveis di ficuldades a se rem específico para o incentivo ao aleitamento materno, enfrentadas em seus domicílios (CANDELLA, 1996). e quando este existe, não extende a assistência ao Por outro lado, é comum o questionamento dos período pós-parto tardio, período este considerado profissionais quanto às contradições observadas crítico para a manutenção do aleitamento, pois é nas entre o discurso e o desejo materno expresso de primeiras semanas do puerpério que surgem as amamentar o filho e as ações das mulheres em principais inte rcorrê ncias da lact ação e relação ao amamentar, que resultam no desmame, amamentação, que somadas a insegurança materna na maioria das vezes, precoce. * Enfermeira obstétrica. Professora Associada do Depto de Enfermagem Materno-Infantil e Psiquiátrica da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo 362 Rev.Esc.Enf. USP, v.34, n.4, p. 362-9,dez. 2000.
  2. 2. Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .: Isilia Aparecida silva Diante da crença de que a mulher é capaz de intercorrências da amamentação no período inicial vivenciar a experiência da amamentação com deste processo, mas a gama de cuidados demandados sucesso, se estiver preparada para exercê-la a partir por essas mulheres nos fez estabelecer, aos poucos, do conhecimento dos aspectos básicos e práticos da um programa amplo de assistência, o qual passou a amamentação, considerando-se que os fatores i n i ci ar–se n o pe rí o do ge staci o n al dan do - se causais do desmame residem, em sua maioria, no continuidade no período pós-natal desde a primeira desconhecimento desse conteúdo, a maioria dos mamada do recém-nascido, ainda na maternidade programas desenvolvem ações educativas para (SILVA, 1996). gestantes e nutrizes, enfocando os aspectos técnicos Este programa foi implementado, em princípio, e biológicos da amamentação (MOTTA, 1990; SILVA, considerando-se a importância da informação/ 1999). educação das mulheres em relação aos cuidados pré Mesmo assim, os índices da freqüência e e pós natais para prevenção e tratamento de duração do aleitamento materno vêm contrariando intercorrências e problemas mais usuais da a eficácia dos esforços de inúmeros programas oficiais amamentação. Estas estratégias pareciam ser e não governamentais, de incentivo ao aleitamento eficientes para garantir a minimização de problemas, materno em todo o País. ou garantir o sucesso da amamentação para grande parte do binômios. No entanto, o programa de Talvez um dos grandes desafios da enfermeira, e atendimento domiciliar, embora tivesse sucesso com da equipe multiprofissional, para alcançar os boa parte das mulheres assistidas, no sentido da objetivos dos projetos e programas de incentivo ao existência de poucos casos de desmame precoce e aleitamento materno, resida na dificuldade de definitivo, ainda parecia frágil. Era visível que havia compreender os reais motivos pelos quais muitas necessidade de uma total compreensão das mais mulheres deixam de amamentar seus filhos. Desafio diversas atitudes maternas, para que os vazios dessa maior, por conseguinte, é atuar junto a essas compreensão não incorressem em prejuízo da mulheres na tentativa de intervir nos aspectos assistência ao manejo do aleitamento materno. obscuros que levam à decisão materna de desmame e introdução de outros alimentos na dieta do recém- Assim, em 1995 passamos a adotar uma nascido. abo rdage m in te racionis t a si mbólic a para O processo da amamentação, embora de atendimento das mulheres que nos procuravam, com aparente simplicidade e autonomatismo fisiólogico base nos estudos que realizamos, (SILVA, 1994), cujo singular, requer um complexo conjunto de condições modelo passou a ser o referencial teórico para interacionais no contexto social da mulher e seu filho assistência no manejo do aleitamento. (SILVA, 1997a). Assim, só a informação ou educação, não basta de per si, para que as mulheres tenham sucesso em I I. PRO GRA MA D E A TE NDI ME NTO À sua experiência de amamentar, ou fiquem motivadas MULHER E FILHO EM ALEITAMENTO em fazê-lo. É preciso dar condições concretas para MATERNO que mães e bebês vivenciem este processo de forma prazerosa e com eficácia. Pesando riscos e benefícios — referencial teórico Segundo POMPIDOU (1988), a informação não para a compreensão e intervenção no processo do g aran te a ação e m re l ação ao o bje to , po is a aleitamento materno. i n f o r m a ç ã o n ã o s i g n i f i c a n e ce s s a r i a m e n te A amamentação, segundo este modelo, não é conhecimento; tomar ciência não significa tomar apenas um evento ou resposta a determinantes medidas e a decisão em tomar medidas não significa biológicos e sociais, antes, é um complexo processo necessariamente realizar a ação. de interação da mulher com os abjetos significantes Em n o s s a s e x pe ri ê n c i as e m a m b i e n te contidos em seu meio. Todos os elementos com os hospitalar, acompanhando mães no processo do quais ela interage são percebidos, interpretados e amamentar, passamos a questionar o futuro daquela revestido de significados, os quais determinam as experiência no ambiente natural do binômio, à mercê ações que definem o tipo e duração da amamentação de uma série de influências e hábitos familiares. (SILVA, 1997a). Nosso interesse em trabalhar formas de O conjunto de ações que a mulher executa e as atendimento em aleitamento materno e desenvolver decisões que ela toma em relação a amamentar ou uma sistematização do cuidar na amamentação, desmamar seu filho, não são resultados de fatores levou-nos a acompanhar as mães em seus domicílios, isolados e dependentes exclusivamente dos oferecendo-lhes um atendimento individualizado, co n h e ci me n to s e h abi l i dade s n o man e jo da segundo suas necessidades e as de seus filhos. Em amame n tação . O qu e . de te rmi n a a ação de p r i n cí pi o , o a te n d i me n to vi sa v a cu i d ar das amamentar, sua qualidade e duração é o significado Rev.Esc.Enf. USP, v.34, n.4, p. 362-9,dez. 2000. 363
  3. 3. Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .: Isilia Aparecida silva que a mulher atribui a essa experiência. Significado de que a criança não está sendo alimentada este, determinado pela relação percebida pela adequadamente, ou seja, que seu leite não é de boa mulher, do ato de amamentar com os símbolos qualidade e em quantidade suficiente, há uma r e p re se n t a d o s n o s e l e me n to s de i n te r açã o reavaliação que gera ações para solucionar o vivenciados por ela em seu contexto. problema identificado. A perspectiva do Interacionismo Simbólico nos A mãe age e reage, na sua interação com o indica uma abordagem distinta para o estudo da vida recém-nascido, atribuindo significados ao que é e ação humanas, considerando que a descrição do expresso através do choro e das manifestações do comportamento humano deve ser feito com base no filho. A maneira como a "linguagem" da criança é ato social que se dá em duas dimensões: a atividade interpretada, depende da perspectiva da mãe, uma "manifesta" sendo concebido como o comportamento vez que estas interpretações e inferências são externo observável, conside ran do o processo influenciadas pelas concepções acerca da qualidade dinâmico em execução e a atividade "encoberta", isto e quantidade do leite que produz, dos sentimentos é, a experiência interna do indivíduo (BLUMER, percebidos por ela, na sua condição de nutriz e pelas 1969). inferências externas que sofre em seu meio. Apenas a mãe estabelece e decide as ações e condução da Embora a mulher, ainda na gravidez, procure amamentação, determinadas, em grande parte, pelas definir e estabelecer ações em relação a como limitações da compreensão do comportamento do pretende cuidar de seu filho futuramente, em recém-nascido e ao seu real significado. especial no tocante a amamentação, é a partir da realidade concreta de ser mãe, "vivenciando a Os elementos considerados para esta avaliação prática de amamentação", que ela terá elementos estão ligados simbolicamente à sua capacidade de para definir ações e tomar decisões produzir um leite em quantidade suficiente e considerado, por ela, de boa qualidade. A prática de amamentar é uma experiência que implica no envolvimento de uma série de fatores Observamos, no entanto, que a avaliação feita, maternos e outros relacionados ao recém-nascido, a quanto ao tipo de leite produzido, não traz mudança qual não está na dependência exclusiva de uma na sua crença quanto à qualidade do leite materno. decisão prévia de amamentar ou não. Também não Essa avaliação é de ordem pessoal, referindo-se ao depende de seus conhecimentos sobre técnicas de leite que ela produz. A interação estabelecida com o manejo da amamentação. recém-nascido não é o único fator interveniente na experiência da amamentação. A nutriz leva em Isto pode ser explicado segundo os temas a consideração, também, e talvez, principalmente, seguir: aspectos que indicam valor individual de como ela 1.Avaliando sua capacidade para amamentar, vê, sente e percebe a situação de amamentar, significa a avaliação que a mulher faz da sua afetando suas condições físicas. capacidade física, biológica de amamentar e manter- 2.Avaliando seus sentimentos mostra que a se hígida, garantindo a boa nutrição ao seu filho. experiência real de amamentar implica na vivência A prática da amamentação estabelece uma de sentimentos e situações com os quais a mulher interação básica entre mãe e filho, em que é a mãe, tem que lidar e passa a interpretá-los à luz do que que identifica, analisa e faz julgamento sobre as estes significam para ela. mani fe staçõe s de comportame nto do filho Estes são elementos que influenciam estabelecendo, a partir daí as ações relativas ao ato implicitamente o curso de amamentação , nem de amamentar. sempre expressos claramente. Desde o nascimento do filho, a mãe passa por Os sentimentos, elementos percebidas a partir processo de aprendizado em relação a conhecer e da experiência de amamentar, de forma isolada ou compreender a linguagem do recém-nascido e o no seu conjunto, concorrem para mudanças de método básico que utiliza é a observação de atitude da mulher frente à ação de amamentar ou comportamento da criança, principalmente choro, reforçam sua disposição em dar continuidade à período de sono e vigília, a freqüência com que ela é amamentação. aceita e solicita a alimentação, o tempo gasto nas mamadas, além de avaliação do crescimento e Assim, a mulher experiencia a amamentação desenvolvimento. não gostando de amamentar, o que representa uma somatória de sensações percebidas por ela como É a partir do conjunto desses elementos que a sendo obrigada a amamentar ou sentindo vergonha mãe avalia se a criança "está bem", ou seja, se ela, a de amamentar em público, o que muitas vezes chega mãe, tem capacidade física, biológica, de nutrir a a inibir a nutriz a ponto de buscar alternativas de criança. alimentar a criança, quando se vê em situações que Assim, ao menor sinal, interpretado pela mãe, teria que expor-se a público. 364 Rev.Esc.Enf. USP, v.34, n.4, p. 362-9,dez.
  4. 4. Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .: Isilia Aparecida silva Por outro lado, a experiência de amamentar po de se r vi ve n ci ada pe l a mu l h e r co mo uma que se traduz na i denti fi cação de demandas ex pe riênci a ag radável , dando- lhe pr azer e m prioritárias para a criança ou para a mulher, o que amamentar, achando natural e sentindo-se bem em determina sua decisão em continuar amamentando amamentar em público, o que em primeira instância ou não. é resultado de uma atitude positiva da mãe diante Isso implica na escolha e tomada de decisão da amamentação, desenvolvida pela observação de em relação ao que parece ser mais importante e outras mães amamentando, ou ainda pela percepção prioritário para a mulher, ou seja, atender as suas da maternidade envolvendo a afetividade e a crença próprias necessidades ou as necessidades de seu de que amame nt aç ão favo re ce a lig aç ão e filho. aproximação entre mãe e filho. Dessa forma, ela prioriza as suas necessidades A nutriz interage também com elementos quando oferece mamadeira ao recém-nascido por determinados pelo seu papel de mulher, seus projetos necessitar de repouso, ter que trabalhar, não querer de vida profissional, pessoal e principalmente na sua sentir dor, precisar tomar pílula ou por temer pelo sexualidade e com as implicações que a amamentação prejuízo da estética de suas mamas entre outras razões. tem em todas as dimensões de sua vida. A mãe também opta por desmamar, Por um curto período de tempo, na dieta, ela priorizando as necessidades do filho, quando no desempenha atividades de mãe e nutriz, sabendo, processo de avaliação do leite que produz, ao no entanto, que este não é o único papel que lhe cabe considerá-lo insuficiente do ponto de vista de volume no sistema familiar. Este aspecto se reveste de ou da sua qualidade, utiliza sua avaliação para importância para a prática do aleitamento, uma vez justificar o desmame. que a amamentação é vista como uma das funções A tomada de decisão em amamentar, ou dar da mulher, a qual deve ser incorporada no movimento continuidade ao processo, também é baseada nas da sua vida, junto aos demais papéis e atividades prioridades identificadas e estabelecidas pela desempenhadas por ela. Ao perceber a fase da mulher, tendendo ao atendimento das necessidades amamentação como insegura para a prática sexual, da criança, quando a mulher atribui a elas maior a mulher sente-se vulnerável à nova gravidez e tendo importância que as necessidades maternas. Neste receio de engravidar passa a tomar medidas ou caso, muitas vezes, os benefícios para a criança, cuidados para não engravidar. identificados pela mãe, anulam aquilo que séria A insegurança em amamentar, sem estar necessidade ou que simboliza riscos maternos, resultando de alguma forma, também, como benefício protegida, cria um conflito para a mulher no que diz para a mulher. respeito à continui dade da amamentação e a u ti li zação de u m méto do con traceptivo , A s si m , a e x pe ri ê n c i a de a m a me n t a r é principalmente, quando ela escolhe a pílula. Este fato percebida pela mulher não somente como a ação de in te rfere em prejuízo à amamentação , pois a garantir a nutrição do recém-nascido, estabelecida necessidade de sentir-se segura contra outra num contexto centrado na interação com seu filho, g ravi dez pode superar a i mpo rtância da mas também como um processo que se expande e amamentação. reflete nas demais interações de sua vida, no qual 3. Tomando decisões representa o conjunto das suas percepções sofrem modificações ao longo do interações estabelecidas pela nutriz, seja no seu curso dessa vivência num constante movimento. papel de mãe, seja no seu papel de mulher. Ela À medida que a mulher define a situação de pe r ce be se n ti me n to s re l a ti v o s à p r át i c a de amamentar para si, ela passa a representá-la em amamentar como fatores que refletem na vida do te rmo s si mbóli cos de risco s e be ne fícios . recém-nascido, na dela própria, ou no conjunto Simbolicamente o risco, na experiência da mulher, familiar. Diante do significado atribuído a estes significa a possibilidade de perda, prejuízo, dano, fenômenos são estabelecidas as prioridades em desvantagem, perigo e ameaça física ou emocional manter a amamentação ou não, quer em relação à para o binômio ou uma de suas partes. Da mesma criança, quer em relação a ela mesma, a mulher. O forma, simbolicamente, benefícios são considerados conjunto desses elementos fornecem subsídios para os ganhos, proveitos e vantagens obtidas pela a decisão, uma vez que nem sempre um elemento amamentação, por ela ou pela criança, ou ambas. isolado é considerado suficiente para tomada de A ssi m , o cu rso d a a m a me n taç ão so f re decisão, más sim, o conjunto da sua experiência de co nstantes aval i açõe s po r parte da mu l he r, amamentar. influenciada pelo seu contexto, seus projetos de vida Assim, a tomada de decisão, em relação a e visão pesso al da experiênci a, que são amamentar,. é feita mediante uma avaliação das determinantes dos significados dessa experiência necessidades do recém-nascido e da própria nutriz, para o recém-nascido e para ela, retratados em termos de risco e benefícios. Rev.Esc.Enf. USP, v.34, n.4, p. 362-9,dez. 2000. 365
  5. 5. Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .: Isilia Aparecida silva Na unicidade dessa vivência, identifica-se um No entanto, as dificuldades de compreensão de processo de PESAR RISCOS E BENEFÍCIOS, que muitos dos comportamentos maternos relativos ao caracteriza as múltiplas partes e movimentos da amamentar, nos levaram ainda a questionar quais as experiência de amamentar vivenciada pela mulher. melhores estratégias para implementar, junto a estas Este fenômeno permeia o processo da mulheres, ações de enfermagem que garantissem a amamentação, definindo-o como uma situação de manutenção da amamentação pelo maior tempo constante estimativa em termos de riscos e benefícios, possível, pois apesar de muitas mulheres nos sendo interpretada, segundo a perspectiva da mulher, procurarem, em busca de soluções para seus problemas, sob o prisma dos papéis que está desempenhando a resolução das dificuldades emergenciais, nem sempre dentro do seu contexto de interações. garantia a continuidade da amamentação. Em meados de setembro de 1996, passamos a Programa de Atendimento Domiciliar para Mãe / receber solicitações de outros profissionais, obstetras filho na Amamentação e pediatras, além de nutrizes e gestantes buscando Como nasceu e como funciona ajuda para suas questões em aleitamento materno e retomamos o atendimento domicilar das mulheres e O Programa de Atendimento Domiciliar para seus filhos, mas agora com uma nova visão do Mãe / filho na Amamentação, foi iniciado em 1992, p ro ce sso de a ma me n t a r, u ti l i za n do a vi s ão com o propósito de atender nutrizes em suas interacionista simbólica que passou a fundamentar necessidades relativas às intercorrências da as ações no Programa de Atendimento Domiciliar amamentação, com vistas a reduzir as possibilidades para Mãe / filho na Amamentação. de desmame precoce diante das dificuldades mais comuns no início deste processo. O Programa faz parte das atividades do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Aleitamento Materno – O atendimento era feito às mulheres que nos procuravam, na sua maioria, indicadas por obstetras NEPAL – da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, sob nossa coordenação, contando com que detectavam dificuldades dessas nutrizes e as encaminhavam para resolução dos problemas. Esta alunos de graduação, bolsistas de iniciação científica. atividade foi interrompida em 1994, tendo em vista a As mulheres, em geral entram em contato prioridade de conclusão do programa de pós-graduação, conosco pelo telefone do NEPAL, e neste primeiro no qual a autora deste relato estava matriculada. contato são colhidas algumas informações básicas como paridade, idade gestacional, e é marcada uma Como docente da Universidade de São Paulo, entrevista com ela e com o marido ou companheiro, com contrato exclusivo, não era possível a dedicação segundo o desejo da gestante. ao atendimento dessas mulheres em tempo integral, assim esta atividade era feita também, com vistas A entrevista, preferencialmente é feita no aos estudos e melhor compreensão do processo de domicílio da grávida ou, dependendo da situação, amamentar e melhor cuidar dessas mães, sendo elas pode ser realizada na Escola de Enfermagem. Em se esclarecidas dessas razões e sempre prontas a tratando de gestante, a programação do trabalho a colaborar em “nosso trabalho” conjunto, sendo ser desenvolvido com ela ou com o casal, fica na inclusive, este, gratuito. dependência da necessidade dos envolvidos, das questões colocadas, das informações colhidas, de suas Com o passar do tempo, as mulheres passaram a experiências, suas expectativas, de uma avaliação te r u m i mpo rtan te pape l co mo age n te s de do ambiente familiar – como convivência com mãe, divulgação do trabalho, o que levou a uma mudança sogra, outros elementos familiares significativos – na origem das novas mães atendidas, sendo estas os qu ais podem parti cipar deste processo de encaminhadas pelas próprias nutrizes que já haviam construção da experiência de amamentar, desde a sido assistidas por nós. gestação, se a mulher o desejar. Também é realizada Outro fato importante, foi perceber que as uma avaliação física das mamas. mulheres já não nos procuravam apenas no período crítico da amamentação, mediante as intercorrências Fazemos o acompanhamento da gestante j á i n stal adas, mas ch e g avam cada ve z mai s discutindo aspectos da amamentação, desde o precocemente, ainda na gestação, em busca de p re p aro dos mamilos p ara amame ntação , profilaxia para as complicações mais comuns a este esclarecimentos sobre a técnica de amamentação e período. de todos os questionamentos que ela tenha a fazer. Muitas delas, primíparas amedrontadas pela A primeira mamada, na maternidade é experiência observada de outras mulheres, em seu acompanhada e estando lá, junto da mulher e família, contexto ou, ainda, multíparas com experiências podemos observar a nutriz iniciando a sua vivência próprias de complicações, ou que por razões maternas no processo de amamentar. ou do RN, não haviam amamentado os filhos mais Em princípio, a diversidade de maternidades velhos. em que essas mulheres são atendidas, devido as suas 366 Rev.Esc.Enf. USP, v.34, n.4, p. 362-9,dez. 2000.
  6. 6. Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .: Isilia Aparecida silva condições sócioeconômicas, possibilidades de convênios etc; dificultou o trabalho no que diz de papilas; obstruções de microductos, provocando respeito ao tempo que se necessita dedicar para o ingurgitamento persistente em determinados lobos; acompanhamento da mãe e filho e estar presente na queixa de hipogalactia; queixa de mamadas muito primeira mamada, ou primeiras mamadas. freqüentes; queixa de recusa do RN em mamar. Também foi observado o uso de chás e água no No entanto, a presença de uma enfermeira intervalo entre as mamadas, assim como dificuldade neste tipo de trabalho tem influenciado os demais do lactente apreender mamilos semi-protrusos, ambientes hospitalares, facilitando e promovendo a planos ou invertidos. organização de grupos de incentivo ao aleitamento materno, o que passou a ser um suporte para a mãe Também atendemos, nesse período 6 mulheres e família e deixou de ser impecílio para o nosso que desejaram voltar a amamentar seus filhos, trabalho. Em alguns hospitais, hoje, há núcleos de havendo necessidade de relactação. Entre elas, 2 atendimento em amamentação, enfermeiras que tiveram seus filhos prematuros e não haviam, ainda, receberam nossa assessoria para a instalação do amamentado. As outras mulheres tinham sido serviço e, dessa forma, falamos a mesma linguagem orientadas, por profissionais da equipe de saúde, a e nos ajudamos mutuamente. introduzir mamadeira, tendo percebido que gradualmente seus filhos estavam abandonando o Quando se trata de mulheres que nos procuram peito, apresentando cada vez maior dificuldade em em processo instalado de amamentar, com as apreender o mamilo a aceitar leite materno. dificuldades como lesões de papila, ingurgitamento mamário, ou dificuldades expressas a partir de As 38 mulheres atendidas não correspondem observações e interpretações da manifestação de ao total de gestantes e nutrizes que nos foram comportamento do RN, procuramos fazer uma visita encaminhadas ou que nos procuraram. As aqui imediata em seu domicílio e iniciar o trabalho. mencionadas foram efetivamente aquelas que puderam ser atendidas, apesar da nossa dificuldade Também neste caso, a programação obedece à em conciliar o tempo dedicado a docência e as demanda apresentada, não havendo receitas ou necessidades de atendimento dessas mulheres. protocolos a seguir, pois a necessidade individual de cada mulher e criança é que determina as ações a Quanto às outras mulheres, as quais, não foi serem realizadas, dentro do seu contexto natural. possível realizar o atendimento pessoalmente, foram Tomamos como base para atendimento destas encaminhadas para colegas e serviços qualificados mulheres e seus filhos os procedimentos em manejo para assistência à mãe e filho nesse processo, ou, clínico da amamentação, adotados por autores como como suas necessidades assim demandavam e CAMPESTRINI (1991); KING, (1998); SILVA, (1996). permitiam, foram assistidas pelos próprios obstetras ou pediatras, mediante nossa orientação. Todas as mulheres que nos procuram têm livre acesso ao telefone do NEPAL e recebem informações É possível perceber no relato desta experiência, sobre todas as possibilidades de contatos telefônicos que não estamos nos prendendo aos números para que possam nos acessar quando sentirem absoluto s ou relativos, ou especifi camente a necessidade. freqüência dos problemas biológicos do manejo da amamentação que os binômios apresentaram. À guisa de relato da experiência com as mães e A nossa intenção é ressaltar que o profissional, crianças ao estender sua assistência para além das questões No período correspondente de janeiro (1997) a biológicas da amamentação, buscando identificar e março (1998), foram atendidas 38 mulheres em seus esclarecer junto a mulher as suas percepções acerca domicílios. Destas, 12 eram mulheres em idade desta vivência, possibilita a compreensão sobre a gestacional variando entre 16 e 32 semanas. O que experiência da mulher em amamentar de se realizar denota uma gama de demanda diferenciada pelas uma assistência ampla. possibilidades de programação de trabalho. Embora Embora os aspectos relativos à orientação de das 12 gestantes, 8 fossem primigestas, as demais técnicas de amamentação e outros elementos também não tinham experiência anterior em informativos do ponto de vista biológico tenham amamentação, pois tiveram filhos prematuros que p a pe l i m po r t an te , te mo s a ce rte z a de qu e , j amai s fo ra m am ame n tado s, te n do saí do da compreender que as tomadas de decisão da mulher maternidade desmamados completamente. em relação a amamentar ou desmamar seu filho, não Ainda, dentre essas mulheres atendidas, 20 s ã o c a u s a s i s o l a d a s o u f a t o r e s s i m p l i st a s eram puérperas com os mais diversos problemas. dependentes exclusivamente da instrumentalização Apresentaram mamilos lesados nos mais variáveis desta na habilidade de manejar as técnicas de graus de comprometimento do tecido papilar; amamentação e o esvaziamento de suas mamas, é ingurgitamento mamário, associado ou não a lesões de fundamental importância para o sucesso do trabalho junto a estas mulheres. Rev.Esc.Enf. USP, v.34, n.4, p. 362-9,dez. 2000. 367
  7. 7. Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .: Isilia Aparecida silva Reduzir a experiência de amamentar ao modelo biológico e altruísta, não contempla as que terminar a licença, pois não posso possibilidades de atuação do profissional, pois não perder meu emprego... é minha reflete o processo de amamentar do ponto de vista profissão, minha carreira.... tenho medo da mulher, que é, em última análise, quem toma as de ter que optar por desmamar ou ter decisões e o rumo do aleitamento. que largar o emprego se o neném não desmamar... o outro eu também não O sucesso da amamentação depende do consegui amamentar... não sei este. Mas significado atribuído pela mulher, determinado pela quer o amame ntar ne ste tempo... de relação dessa ação com os símbolos representados licença": nos elementos de interação vivenciados por ela, em seu contexto. Uma vez que o sentido que orienta a Onde está o risco, ou onde está o benefício? O prática de amamentar, desenvolve-se nas diferentes risco está na necessidade desta mãe sentir que a relações ocorridas no seu cotidiano, antes e durante amamentação pode representar um obstáculo para a experiência de amamentar, é nesse cotidiano que o o retorno ao seu trabalho, à continuidade de sua profissional deve estar inserido, ou pelo menos ter carreira. Garantir que é possível, inclusive continuar conhecimento, para poder atuar junto à mulher, amamentando após o retorno ao trabalho, elaborar identificando os símbolos significantes presentes e um programa de estoque de leite materno para ser que fazem parte da construção dos significados para oferecido ao bebê em sua ausência , mamadas no esta mulher. início e final do dia, apoio, compreensão, e não Os elementos determinantes do processo julgamento fizeram com que esta mãe amamentasse devem ter sua compreensão em uma visão do seu filho até aos oito meses de idade. conjunto a que eles pertencem. Com o trabalho vem o reconhecimento, não só A o po de r co mp re e n de r o s si g n i fi ca do s da nutriz, mas da família, que passa a perceber a atribuí dos pela mulher a sua experiênci a de segurança, a tranqüilidade materna, refletida em amamentar, os significados de beneficio podem ser bem estar da mãe e do bebê, reforçados pelo profissional. Por outro lado, os "se to d o s o s ho s p i tai s tiv e s se m significados simbolicamente considerados risco, reais enfermeiras qualificadas para dar este ou potenciais, podem ser modificados, muitas vezes tipo de atenção, garanto que o desmame por ações simples, mas que resultam em novas seria menor..."- palavras de um pai, que interações, entendimentos ou solução de questões só teve o terceiro filho amamentado... prioritárias para a nutriz, como pode ser percebido nesta fala de uma primípara: Embora não seja nosso objetivo, colocar nossa experiência em termos numéricos, é importante " eu juro que não percebi que ele tinha o ressaltar que todas as mulheres atendidas tiveram nariz entupido, pensava que ele não s u ce s so n a a m a m e n t a ç ã o , c o m m í n i m o d e queria o meu peito, pois ele jogava a intercorrências, mesmo as relactantes, e que a média cabeça para trás irritado... parecia que mínima de tempo de amamentação nas mulheres tinha náusea quando punha o mamilo na atendidas foi de 5 meses, sendo que a maioria boca... é tão simples", ou ainda, quando ultrapassou os oito meses de idade da criança. outra nutriz comenta: Atualme nte , após já te rmos pre stado "pensando melhor, quando você fala acho assessoria a diversos grupos de enfermeiras para mesmo que eu estou é querendo provocar formação de grupos de apoio a amamentação, para minha sogra, pois ela quer tanto que o assistência hospitalar e domiciliária, estamos neto seja amamentado... mas eu preciso incrementando o programa, através do Núcleo de pensar que quem está aqui é antes de Pesquisa em Aleitamento Materno, com participação ser o neto dela, é meu filho... quase de bolsistas de iniciação científica, visando também a desmamo por bobagem....': participação de alunos de pós-graduação. Esta atividade propiciará a combinação do A presença de um profissional ao lado da desenvolvimento de estudos, de formação e pesquisas mulher nesta fase, possibilita a compreensão de em aleitamento materno, com melhoria da qualidade elementos, que normalmente passariam desper- de assistência à mãe e filho e sua família, neste cebidos em uma consulta rápida, ou a um profissional processo. que só Observe aspectos biológicos: "eu bem que queria amamentar, mas Tecendo algumas considerações penso se n ão ser á difícil de smamar depois... eu quero voltar a trabalhar logo Esta experiência, sendo desenvolvida no meio acadêmico, não tem sido explorada em sua totalidade 368 Rev.Esc.Enf. USP, v.34, n.4, p. 362-9,dez. 2000.
  8. 8. Enfermagem e aleitamento materno : combinando práticas seculares .: Isilia Aparecida silva n devido à dificuldade de disponibilidade de tempo REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS para dedicação ao Programa como um todo. No entanto , dessa vivênci a co m famíli as, mães, lactentes, alunos, enfermeiras, colegas que nos procuram para assessoria em seus trabalhos, BLUMER, H. Simbolic interactionism: perpesctive and method. podemos fazer algumas considerações. London, University of California Press, 1969. Segundo CIANCIARULLO (1995), "a CAMPESTRINI, S. Tecnologia simplificada na amamentação, perspectiva de um novo milênio é uma oportunidade Curitiba, Universitária Champagnat, 1991. para refletirmos sobre o nosso passado... para realizarmos nosso presente e visualizarmos nosso CANDELLA, C. Condições de lactação de mães de RN de alto risco pós alta hospitalar. São Paulo,1996. 121p. Monografia futuro, com nossos desafios". [Especialização] - Escola de Enfermagem, Universidade de São No que diz respeito ao presente, consideramos Paulo. que a base do trabalho de assistência em aleitamento materno tem sido o modelo biológico em que há CIANCIARULLO, T.I. Rumos da enfermagem para o terceiro milênio – uma agenda para o futuro. In: ENCONTRO DE predomínio do conhecimento técnico da fisiologia da ENFERMAGEM E TECNOLOGIA, 5°, São Paulo, 1995. Anais. lactação e outros aspectos ligados ao crescimento e São Paulo, 1995. p.85-9. desenvolvimento do RN. Segundo SILVA (1999), " o profissional, alheio ou não inteiramente apropriado KING, F.S. Como ajudar as mães a amamentar. Brasília, dos símbolos signi ficantes presentes em su a Ministério da Saúde, 1998. interação com a mulher/nutrriz, desenvolve ações de incentivo sem dar o sentido para a assistência, que MOTTA, J.A.C. Ideologia implícita no discurso da amamentação materna e estudo retrospectivo no máximo tangencia o mundo das percepções comparando crescimento e morbidade de lactentes em maternas, sem atingir seu núcleo significativo". uso de leite humano e leite de vaca. Belo Horizonte, 1990. 226p. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Medicina, C l a ro e st á qu e o do mí n i o de as pe cto s Universidade Federal de Minas Gerais. fisiológicos e técnicos nos permite detectar muitas das causas das intercorrências da amamentação e POMPIDOU, A. National AIDS information programme in p r o p o r , a o b i n ô m i o , r e so l u ç õ e s p a r a s u a s France. In: WORLD HEALTH ORGANIZATION. AIDS: dificuldades. prevention and control. Washington, United States Pergamon Press, 1988. p. 28-31. A aplicação do conhecimento biológico em conjunto ao conhecimento da experiência da mulher SILVA, I.A. Amamentar: uma questão de assumir riscos ou em amamentar propicia uma amplitude de cuidados garantir beneficios. São Paulo, 1994. 191p. Tese (Doutorado) que nos aproxima da nossa clientela, permitindo uma Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo. atuação por inteiro. As possibilidades são inúmeras SILVA, I.A. Inovação no tratamento do ingurgitamento mamário: e os ganhos são incontáveis para a mãe, o filho, e uso do vibrador elétrico para massagens. Acta Paul. Enf. para o profissional. v.9,n.1, p.61-70, 1996. Quanto ao futuro , a experiência de SILVA, I.A. Amamentar: uma questão de assumir riscos ou atendimento domiciliar, ao binômio mãe-filho garantir beneficios. São Paulo, Robe, 1997a. durante a amamentação, em parceria com outros profissionais ou de forma individual, abre para a SILVA. I.A. O significado de amamentar segundo a perspectiva Enfermagem um campo inesgotável de possibilidades da mulher. In: ENCONTRO PAULISTA DE ALEITAMENTO de atuação e realização. MATERNO, 7°. São Paulo, 1997. Anais. São Paulo, UNIFESP, 1997b, p.45-8. Sem dúvida, temos um sistema de saúde que não atende e não fornece para a mulher a rede de SILVA, I. A. Construindo perspectivas sobre a assistência em serviços qualificados que ela necessita, ainda amamentação : um processo interacional. São Paulo, 1999. h a ve n d o o de s m a me po r r a z õ e s f a c i l me n te 168p. Tese (Livre Docência) - Escola de Enfermagem, controláveis. Universidade de São Paulo. O trabalho autônomo da enfermeira, nesta área, é perfeitamente possível de ser realizado e traz para esta catego ri a o reconheci mento de u m profissional liberal, com conhecimento científico, validado em seus referenciais teórico metodológico, mas principalmente, no potencial de uma profissão que está encontrando seus caminhos, descobrindo seus desafios e suas estratégias para alcançar metas cada vez mais ousadas e sólidas. Rev.Esc.Enf. USP, v.34, n.4, p. 362-9,dez. 2000. 369

×