Monografia Edneide Ciências Contábeis 2010

19,716 views
19,482 views

Published on

Ciências Contábeis 2010

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
19,716
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
209
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Monografia Edneide Ciências Contábeis 2010

  1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA-UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO – CAMPUS VII COLEGIADO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EDNEIDE ROSENDO DO NASCIMENTOA IMPORTÂNCIA DO DESENVOLVIMENTO CONTÍNUO PARA O PROFISSIONAL CONTÁBIL SENHOR DO BONFIM – BA 2011
  2. 2. EDNEIDE ROSENDO DO NASCIMENTOA IMPORTÂNCIA DO DESENVOLVIMENTO CONTÍNUO PARA O PROFISSIONAL CONTÁBIL Monografia apresentada à Universidade do Estado da Bahia – UNEB, Campus VII,Senhor do Bonfim, como requisito final para obtenção do grau de Bacharel em Ciências Contábeis. Orientador: Prof. Daniel de Jesus Pereira SENHOR DO BONFIM – BA 2011
  3. 3. EDNEIDE ROSENDO DO NASCIMENTO A IMPORTÂNCIA DO DESENVOLVIMENTO CONTÍNUO PARA O PROFISSIONAL CONTÁBILMonografia apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharelem Ciências Contábeis da Universidade do Estado da Bahia - Departamento deEducação, Senhor do Bonfim – Bahia. Aprovada em ___ de _____ de 2011. Banca Examinadora Prof. Daniel de Jesus Pereira Orientador Prof. Prof.
  4. 4. A memória de Carmosina Batista dos Santos,que não pode presenciar mais este momentode vitória em minha vida;Aos meus filhos, razão pelo qual busco cadavez mais aperfeiçoar meus conhecimento emelhorar como ser humano. A minha família por acreditar no meupotencial e pelas palavras de incentivo nosmomentos de desanimo e dificuldade.
  5. 5. AGRADECIMENTOS Agradeço a Deus por ter me dado sabedoria e perseverança para alcançarmais essa vitória; A minha família pelo constante apoio e compreensão, representada aqui pelomeu marido Marcos James T. do Nascimento e pela minha irmã Evaneide R. dosSantos; Ao Departamento de Educação – Campus VII da Universidade do Estado daBahia – UNEB; A todos os colegas com quem compartilhei os momentos de alegria,ansiedade e insegurança no ambiente acadêmico; Ao professor Daniel de Jesus Pereira, pela orientação, paciência e incentivodurante a construção desse trabalho; A todos que direta ou indiretamente contribuíram na elaboração dessetrabalho.
  6. 6. Nós os contadores, eticamente, temos o deverda opinião, da informação, das relaçõespessoais e da nossa rigorosa obediência à lei.A lei é feita para ser comprida. Às vezes, podeestar enganada. O italiano diz: ―Feita a lei sedescobre o engano‖. É o tal planejamentotributário. Antônio Lopes de Sá
  7. 7. RESUMOO presente trabalho monográfico objetivou demonstrar como a constante atualizaçãoe aperfeiçoamento profissional contribui para melhorar a atuação do contabilistadiante do cenário de mudanças sociais, econômicas e tecnológicas. Dentro dessaperspectiva buscou-se autores que fomentaram a pesquisa como: Franco (2000);Mauss (2007); Marion (2008); Sá (2009); Santos (2007); Zanluca (2010).Utilizou-se apesquisa de cunho bibliográfico buscando através do mesmo fazer uma pesquisaminuciosa sobre o tema. Dessa forma as conclusões obtidas foram que a profissãocontábil está a cada dia evoluindo surgindo novas ramificações para o mercado detrabalho. Percebeu-se também o surgimento e execução de programas de educaçãocontinuada, como cursos, palestras, especializações, exigindo do profissionalcontábil sua constante atualização e aperfeiçoamento de suas habilidadesgarantindo a permanência no mercado de trabalho.Palavras-chave: profissional contábil, atribuições, mercado de trabalho
  8. 8. LISTA DE QUADROSQuadro 1: Aplicação da contabilidade.......................................................18Quadro 2:principais mudanças introduzidas pelas leis 11.638/2007 e11.941/09(MP449/08).............................................................................21
  9. 9. LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLASADR- American Depositary ReceiptsCFC- Conselho Federal de ContabilidadeCRCs- Conselho Regionais de ContabilidadeCEOs -Chief Executive OfficerCES – Conselho de Ensino SuperiorCLT- Consolidação das leis do TrabalhoCPC- Código de Ética profissional do ContadorCVC -Comissão de valores ImobiliáriosCBO- Classificação Nrasileira de OcupaçõesCNE – Conselho Nacional de EducaçãoDoar - Demonstração da Origem e Aplicação de RecursosFenafim- Federação Nacional de Auditores e Fiscais em Tributos MunicipaisFucape- Fundação Instituto Capixaba de Pesquisa em ContabilidadeFurb Fundação Universidade Regional de BlumenauIbracon- Instituto dos Auditores Independentes do BrasilIES- Instituto de Ensino SuperiorEjumt - Encontro Sobre Julgamento Administrativo Municipal TributárioISSQN – Imposto Sobre Serviço de Qualquer NaturezaRFB- Receita Federal do BrasilSMF- Secretaria Municipal de FinançasSOX- Sarbanes OxleyUFA- Universidade Federal do AmazonasUFPE- Universidade Federal de Pernambuco UNB- Universidade de Brasília
  10. 10. SUMÁRIOINTRODUÇÃO ..............................................................................................................................................101 CONTABILIDADE: ASPECTOS HISTÓRICOS E CONCEITUAIS ......................................................13 1.1 CONTABILIDADE NO BRASIL............................................................................................................ 19 1.2 CONCEITO E SURGIMENTO DO PROFISSIONAL CONTÁBIL ................................................... 22 1.2.1 O Profissional da Contabilidade Ambiental .......................................................................... 29 1.2.2 Professor de Ciências Contábeis ......................................................................................... 302 ATUALIZAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DO PROFISSIONAL CONTÁBIL MADIANTE ACONTEXTUALIZAÇÃO ATUAL. ................................................................................................................32 2.1 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CONTINUADA E PROPOSTAS PARA A PROFISSÃO CONTÁBIL .......................................................................................................................................................................... 35 2.2 O CÓDIGO DE ÉTICA E AS ATRIBUIÇÕES DO PROFISSIONAL CONTÁBIL ....................... 393 AS OPORTUNIDADES NO MERCADO DE TRABALHO PARA O PROFISSIONAL CONTÁBIL ..44CONSIDERAÇÕES FINAIS ........................................................................................................................49REFERÊNCIAS ............................................................................................................................................51ANEXO ..........................................................................................................................................................54
  11. 11. 10 INTRODUÇÃO No Brasil, até a década de 60, este profissional era chamado de ―guarda -livros‖, todavia com o milagre econômico na década de 70 essa expressãodesapareceu e observou-se uma excelente e valorizado mercado de trabalho para ocontabilista. Em 2006, conforme artigo do jornal do CFC, o número de contadores noBrasil era de 390 mil profissionais. É claro, que com a evolução da Contabilidade o contabilista passa ser maisdinâmico e cada vez mais necessário para as entidades. Ele deixa de somentecalcular tributos para também fornecer informações necessárias à tomada dedecisões exigindo que esse profissional esteja atento às modificações ocorridas nocenário dentro do qual desenvolve a sua profissão, para que preste um serviço dequalidade e mantenha-se no mercado de trabalho. Então, devido ao atual cenário onde a mudança é uma certeza e asexpectativas da sociedade estão sempre crescendo em relação ao profissionalcontábil, surgiu o seguinte questionamento: Como a constante atualização e aperfeiçoamento profissional contribuempara melhorar a atuação do contabilista no cenário de rápidas mudanças em queestá inserido? Diante da problemática surgiram as seguintes hipóteses que irão auxiliar nodesenvolvimento da pesquisa: a) As mudanças no cenário em que atua, traz ao contabilista a necessidadede adquirir e aprimorar suas habilidades necessárias ao bom desempenho daprofissão; b) Garantia de sua empregabilidade ou permanência no mercado de trabalho,remete o profissional contábil a constante busca de cursos que garanta apermanência no mercado de trabalho; c) A utilização da tecnologia na Contabilidade requer do contabilistaconhecimento em informática.
  12. 12. 11 O objetivo geral da pesquisa consiste em demonstrar como a constante atualização e aperfeiçoamento profissional contribui para melhorar a atuação do contabilista diante do cenário de mudanças sociais, econômicas e tecnológicas. Dessa forma, para facilitar a pesquisa foram projetados os seguintes objetivos específicos: a) Verificar como a capacitação profissional continuada pode contribuir paragarantir sua competitividade profissional b) Identificar a importância do código de ética contábil na qualidade edesempenho do profissional no contexto atual; c) Identificar as novas expectativas que surgiram em relação ao profissional com as mudanças sociais, econômicas e tecnológicas. A importância da discussão desse tema dá-se pelo fato da Contabilidade ao longo da história ter sofrido influência da globalização e dos avanços tecnológicos, obrigando-a a adequar-se a nova realidade e o contador como tem papel importante nesse processo, também necessita acompanhar essa evolução reciclando-se e aprimorando-se. Essa pesquisa poderá despertar o interesse de outros alunos e contadores, bem como de outros profissionais que anseiam pelo desejo de aprofundar seus conhecimentos no tema uma vez que na atual conjuntura onde as mudanças é um processo rápido, como a globalização de mercados, aumento do comércio internacional, a complexidade da tecnologia da informação não representa um mero ajuste e sim uma ruptura. Com isso, faz-se necessário que o profissional contábil busque aperfeiçoamento contínuo, aumentando dessa forma o foco de discussão do assunto, que é importante para todos os profissionais que estão entrando no mercado de trabalho, como também para aqueles que já estão nele há muito tempo. A pesquisa apresentada, do ponto de vista dos objetivos é descritiva pois possibilitou investigar as mudanças ocorridas na contabilidade e na profissão contábil.O procedimento utilizado foi a pesquisa bibliográfica onde através de jornais, artigos, revistas, livros, e meios eletrônicos buscou-se um estudo detalhado
  13. 13. 12sobre o tema, pois tais acervos estão relacionados ás concepções teóricas epráticas de uma determinada realidade. Foi utilizada a abordagens qualitativa e quantitativa. Qualitativa pelo fato dotema apresentado está diretamente relacionada com as interações sociais, equantitativo por apresentar objetividade na investigação e interpretação dos dados. A presente produção monográfica de conclusão de curso está estruturada emtrês capítulos. No capítulo I foi abordado o contexto histórico da contabilidade e suaevolução, buscando autores como Sá (2009); Santos (2007); Mauss (2007); Marion(2008) dentre outros que fomentaram e contextualizaram a presente pesquisa. O capítulo II apresenta discussões referentes ao profissional contábil e seuaperfeiçoamento para o mercado de trabalho, dessa forma autores como Franco(2000); revistas e site renomados que visam sustentar as necessidades existentesna profissão contábil como a imprescindível educação continuada. O capítulo III apresenta as oportunidades de trabalho existente na atualidadepara o profissional que se encontrar preparado. E por fim, apresentam-se as considerações finais com os resultados obtidosda pesquisa no qual se evidencia como a constante atualização e aperfeiçoamentoprofissional contribui para melhorar a atuação do contabilista diante do cenáriorepleta de mudanças sociais, econômicas e tecnológicas.
  14. 14. 131 CONTABILIDADE: ASPECTOS HISTÓRICOS E CONCEITUAIS A Contabilidade existe desde os primórdios da civilização. Antes que ohomem soubesse escrever ou calcular, valendo-se de formas primitivas deinscrições para evidenciar seus feitos e o que tinha conseguido. Sá (2009, p. 15),afirma que ―A Contabilidade nasceu com a civilização e jamais deixará de existir emdecorrência dela‖. O homem utilizava-se de pedras e fichas de diferentes formatos pararepresentar o controle de seus bens, criando assim uma forma de registro contábil. Com o surgimento das primeiras grandes comunidades e o cultivo agrícola ea criação de animais, surgiu a necessidade de controle. Precisava-se de um sistemapara registrar a localização de mercadorias, proprietários e direitos de antigosproprietários. A invenção da escrita pictográfica (gráficos simplificados) pelos sumérios3100 ac e a alfabética pelos fenícios em 1100 a.C. possibilitou o desenvolvimentocultural da humanidade e conseqüentemente o da Contabilidade. Segundo Sá (2009, p.23): ―No Egito, há milhares de anos, o ―papiro‖ deuorigem aos livros contábeis e já se faziam registros sofisticados, inclusive utilizando-se o sistema de matrizes (como na lógica matemática)‖. Conclui-se então que, o advento do papiro proporcionou uma maiordivulgação e evolução da escrita Contábil. Há, aproximadamente, 2000 a.C. no Egito já existia a obrigatoriedade doslivros e documentos comerciais e a escrituração das contas era baseado no valor damoeda egípcia, o shat de ouro e prata. De acordo com Santos et al (2007, p. 26):―Com o surgimento da moeda e das medidas de valor, o sistema de contas ficoucompleto, sendo possível determinar as contas contábeis representantes dopatrimônio e seus respectivos valores‖. A invenção da escrita e o surgimento da moeda podem ser considerados ummarco histórico no desenvolvimento cultural como também na evolução daContabilidade, dando início a uma nova fase, a era moderna da Contabilidade. Para
  15. 15. 14Meles (1950 apud. SANTOS, 2007), o século XIII foi o período que marcou o fim daera da Contabilidade Antiga e o início da era da Contabilidade Moderna. Neste mesmo século, surge o livro do frade franciscano Luca Paccioli,matemático, intitulado ―Suma de Aritmética, Geometria Proporção eProporcionalidade, que expôs o sistema de partidas dobradas de forma completa‖.Sistema que deu origem ao principio de débito e crédito utilizados até hoje naContabilidade. De acordo com Santos et al (2007, p. 30): ―A data precisa de quandoforam introduzidos os primeiros sistemas contábeis utilizando partidas dobradas nãoé conhecida, mas uma das primeiras manifestações de uso empresarial foi por voltade 1340, na cidade de Gênova‖. Conforme Santos e outros (2007, p. 29): Como os mercados consumidores cresceram e transcenderam os muros das cidades, principalmente em cidades marítimas, como Veneza, no mar Adriático, e Gênova, no terreno, tanto comerciantes como consumidores necessitavam de controle de suas mercadorias e de seus negócios. O fluxo de dinheiro envolvido nessas transações aos poucos foi tomando vulto, surgindo então, a necessidade de controle de entradas e saídas de caixa. A Contabilidade, naturalmente, foi criando sistemas para o controle de toda a movimentação patrimonial dessas empresas [...]. Portanto, com o crescimento do comércio, surgiu também a necessidade decontrole e, a Contabilidade começa a criar sistemas capazes de controlar asmovimentações patrimoniais das empresas, a exemplo das partidas dobradas,tornando-se um instrumento ideal para disponibilizar as informações necessáriaspara gerenciamento dos negócios. Para Sá (2009, p. 26) ―Era preciso escriturar oque acontecia no mundo dos negócios com maior clareza e segurança, explicandocontabilmente tanto a origem quanto o efeito de cada ocorrência havida com ariqueza patrimonial‖. Com o uso do processo das partidas dobradas passou-se a exigir também umlivro Mestre denominado posteriormente de Razão. Outro livro que logo depois seriausado, para registros de ocorrências diárias, era o Diário. (SÁ, 2009, p. 27). Já no século XIV, eram usados por diversas companhias os livros Diários,Razão, de Compras e Vendas, caixa, Pequenas despesas, de Vendas e Varejo, de
  16. 16. 15produção, das viagens, das Filiais, de Balanços e outros para registrar suasmovimentações (SÁ, 2009). Durante muito tempo a Contabilidade significou escrita, manutenção de livrosde escrituração de contas, apresentação de saldos de contas..., essa visão limitadaperdurou até o século XIX. (SÀ, 2009). Santos e outros ( 2007, p.61) definem que ―A contabilidade é uma ciênciasocial tactual que tem por objetivo o estudo das variações, qualitativas equantitativas ocorridas no patrimônio das entidades‖. Com isso a contabilidade temcomo função registrar, analisar, interpretar os fenômenos contábeis na gestãopatrimonial tanto física como jurídica. Em 1993 com o art. 3o da Resolução n0-750/93 foram fundamentadas osprincípios fundamentais da contabilidade que são : Da entidade; Da continuidade; Da oportunidade; Da atualização monetária; Da competência; Da prudência. Tais princípios discorrem sobre a caracterização da entidade e patrimônio.Segundo o art. 20 da resolução n0 750/93: Aos princípios fundamentais da contabilidade representam a essência das doutrinas e teorias relativas à Ciência da Contabilidade, consoante o entendimento predominante nos universos científico e profissional de nosso País. Concernem, pois à contabilidade no seu sentido mais amplo de ciência social, cujo objeto é o patrimônio das Entidades. (apud SANTOS e outros 200, p.36). De acordo com os princípios citados o patrimônio é alcançado de formaglobalizada proporcionando tomadas de decisões através de informaçõesnecessárias e de suma importância.
  17. 17. 16 A evolução é uma constante no mundo da Contabilidade. Hoje se fala emcontabilidade digital, com o intuito de potencializar todo o processo que antesdemoravam horas. (CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, 2006, p. 6). Referente a esse contexto, relata Santos e outros (2007, p. 33): O final do século XX marca uma nova realidade para a Contabilidade, especialmente após a criação da rede mundial de contabilidade na internet (International Accounting Network). Hoje, uma informação contábil não tem mais fronteiras especiais e temporais. Essa revolução informacional faz-se questionar a respeito do papel dacontabilidade perante essa nova realidade social, principalmente no que diz respeitoà satisfação dos indivíduos, uma vez que a contabilidade surgiu da necessidade doser humano acompanhar, e controlar e evolução de seu patrimônio fazendo partedessa forma da evolução da sociedade. A contabilidade a priori preocupava-se com informações financeirasdesempenhando o papel de atender as exigências das obrigações legais e fiscais.Porém, com a globalização e ascensão tecnológica propiciou a abertura de variaspossibilidades e potencialidades para a contabilidade. Com o surgimento do mercado globalizado que acirrou a concorrência, a informação contábil tornou-se imprescindível e estratégica para a subsistência e criação de vantagem competitiva para possibilitar que as empresas locais competissem com as grandes corporações transnacionais, e para que estas dispusessem das informações necessárias para poder avançar e expandir mundialmente. (MAUS e outros, 2010) Percebe-se que modelos antigos contábeis não dão conta da atual conjunturasocial onde o aceleramento de informação e conhecimento se tornou acirrada eexigindo da contabilidade atuar como instrumento administrativo dando suporte aoplanejamento das entidades ou seja a contabilidade deve acompanhar e evoluçãodos padrões existentes; avaliar, articular as tomadas de decisões e resultados. Dessa forma, se faz necessário observar as ramificações da contabilidademoderna, uma vez que a mesma esta atrelada a evolução social, ou seja, tem quehaver uma compatibilidade no atual mercado de trabalho e suas particularidades.
  18. 18. 17 Veja no quadro abaixo as principais ramificações da contabilidade naatualidade: Fonte: Marion (1998) É notório, que a contabilidade ao longo de sua história tem acompanhado odesenvolvimento das sociedades para dessa forma atender as necessidades dasmesmas à proporção que surgem. Enquanto houver desenvolvimento social,econômico, tecnológico, a Contabilidade estará evoluindo para poder atender osanseios de seus usuários. Vendo por essa perspectiva tornou-se necessário acriação de áreas de atuação na contabilidade, sobre isso Ott descreve que: A vinculação da contabilidade com o ambiente empresarial onde se está competindo, demonstra que ela está subordinada e ao mesmo tempo influenciada pelo mesmo. Neste sentido, a contabilidade evolui conforme o ambiente em que está afeta e reflete as mudanças desse ambiente para prover aos usuários da informação contábil com demonstrações e análises de natureza econômica, financeira, física e de produtividade da entidade objeto de contabilização, o que descaracteriza em definitivo a idéia de que a contabilidade tem função apenas fiscal e legal.(apud MAUSS e outros 2010, p.5). Observa-se que tais áreas foram criadas para atender a demanda deinformações de diferentes usuários fazendo da contabilidade um alicerce importantenas entidades públicas e privadas. Obsrva-se as áreas de atuação contábil: Contabilidade financeira; constitui a origem da contabilidade, suas atribuiçõescontribuem para o que se produz em uma empresa sendo ela externa ou interna,analisando,classificando e registrando transações.
  19. 19. 18 De acordo com Marion (1998, p 29), ―[...] é a contabilidade geral, necessária atodas as empresas. Fornece informações básicas aos seus usuários e é obrigatóriapara fins fiscais‖. De acordo com a área de atuação da organização, o objeto dacontabilidade pode ser denominado como agrícola, bancária, pública, comercial,hospitalar etc. Evidencia-se que a contabilidade financeira representa a contabilidade geralmostrando a atual situação financeira das entidades em geral. Contabilidade Gerencial; consiste em mensurar, analisar, acumular avaliando,planejando interpretando as tomadas de decisões dos gestores. (ADELEGAN,2010). Contabilidade de custo; possibilita o controle operacional das empresas,mensurando o desempenho de cada área especificas nas organizações. Contabilidade Social; objetiva o estudo entre a relação de empresa esociedade. Para Arnosti (2000),a contabilidade como ciência social estuda odesempenho financeiro e econômico das entidades. Entende-se também que oprofissional contábil tem o papel de fornecer informações entre a sociedade e asorganizações. A contabilidade Ambiental; consiste em orientar, registrar fatos referentes aproteção ambiental. A partir da década de 50 as relações entre crescimentoeconômico e questão ambiental ficaram mais estreitas, mas só na década de 70 queessas relações se tornaram mais significativa. (DONAIRE, 1999). Segundo Santos e outros (2001,p. 91): A contabilidade ambiental é o estudo do patrimônio ambiental (bens, direitos e obrigações ambientais) das entidades. Tem como objetivo fornecer aos seus usuários informações sobre os eventos ambientais que causam modificações na situação patrimonial, realizando a sua identificação, mensuração e evidenciação. Para o autor a contabilidade é uma poderosa aliada na conservação do meioambiente, pois a mesma garante uma relação com as regulamentações existentes.O autor também afirma que apenas 20% das empresas brasileiras utilizam acontabilidade ambiental.
  20. 20. 19 Com isso, fica evidente o quanto a contabilidade ambiental é pouco utilizadanas entidades do Brasil estando ainda em estado emergente. Controladoria; surgida no século XX perante as organizações americanasvisando à promoção do controle organizacional, motivado pela fusão das grandescorporações. A controladoria consiste em fazer as empresas funcionarem atuando na suacoordenação, suas ações participando de forma ativa do planejamento, avaliando e,monitoramento o controle dos resultados. (ALMEIDA, PARISI E PEREIRA, 1999).1.1 CONTABILIDADE NO BRASIL No Brasil, a trajetória da contabilidade começa desde o período colonial, ondea necessidade de controle contábil se faz presente, quando Portugal nomeia GasparLamego como primeiro contador Geral das terras do Brasil (REIS e outros,2010). O primeiro processo de escrituração contábil que se tem conhecimento noBrasil foi datado no ano de 1808, pelo príncipe regente da época D.João VI,conforme descrito na carta: Para o método de Escrituração e fórmulas de Contabilidade de minha real fazenda não fique arbitrário a maneira de pensar de cada um dos contadores gerais, que sou servido criarem para o referido Erário: - ordeno que a escrituração seja mercantil por partidas, por ser a única seguida pelas nações mais civilizadas, assim pela sua brevidade, para o manejo de grandes somas como por ser mais clara e a que menos lugar dá a erros e subterfúgios, onde se esconde a malícia e a fraude dos prevaricadores. Pode-se observar a importância dada a contabilidade. Para tal função aresponsabilidade é de profissionais que tiveram aulas em comércio, dentro dessecontexto surge o primeiro professor de contabilidade no Brasil José Antonio Lisboa,que foi nomeado pelo alvará de 15 de julho de 1809, para finalidade docente. Percebe-se que a contabilidade no Brasil sofreu forte influência de Portugaldesde Brasil colônia ao Brasil império, percebe-se também que o desenvolvimentoda contabilidade é o sustentáculo para as necessidades de uma sociedade. Portugal não foi o único país que teve influencia sobre o Brasil nacontabilidade, ele também recebeu influência da Itália considerada o berço da
  21. 21. 20contabilidade, que predominou até a década de 50. Depois surgiu a influênciaamericana onde o principio baseava-se em conceitos teóricos que exaltava odesenvolvimento prático da contabilidade. (REIS e outros, 2010). Na década de 90 foi criada a escola neopatrimonialista, que foi inteiramentegalgada na teoria da contabilidade que por sua vez foi fundada por teoriasanteriores. Segundo Martins e Silva (2007 apud Reis e outros, 2010), oneopatrimonialismo foi a primeira doutrina a fixar valores filosóficos e científicos. Em 27.5.2009, foi sancionadaa lei 11.941/09 resultado da conversão em leida Medida Provisória nº 449, de 3.12.2008 (―MP 449/08‖ ) que refere a naturezacontábil, tem como atual objetivo atualizar as regras da contabilidade determinandode vez a harmonia entre o IFRS ( International Financial ReportingStandard),internacionalizando a contabilidade brasileira de acordo com os moldesdo ifrs tais mudanças proporcionaram maior responsabilidade na aplicação dosprincípios contábeis, divulgando as demonstrações das informações contábeiscomo forma de transparência para o publico.Essa lei também busca neutralizar osimpactos da adoção dos novos critérios contábeis no qual foi instiuído pela lei no11.638/07 e pelos artigos 37 e 38 da própria lei. Decorrente dessa alteração atrela-se o surgimento de conceitos e controlesobre quais as empresas precisam se adaptar as regras impostas pela lei queespecifica as funções da empresa de forma adequada ao novo contexto social, ouseja, acompanhando as mudanças da contabilidade, promovendo a mesma deforma mais transparentes dando credibilidade as suas funções e confiança aopúblico em geral. Outra lei que vem trazendo benefício ao universo contábil é a lei no12. 249/10que foi sancionada no dia 11 de julho de 2010 . A referida lei atualiza a profissãocontábil instituindo benefícios a classe; nesse artigo consta o Exame de Suficiênciaque de acordo com o Conselho Federal de Contabilidade ( CFC) órgão quecoordena e congrega todos os Conselhos Regionais, sendo o órgão maior daContabilidade no Brasil e de natureza normativa e que visa avaliar os conhecimentosdos estudantes do curso de graduação de ciência contábeis. Segundo o Jornal CFC,( 2010), a classe contábil venceu uma luta bastanteesperada uma vez que com esse exame é tido como pré-requisito importante a
  22. 22. 21profissão contábil, pois pressupõe uma maior abertura ao Conselho Federal deContabilidade ( CFC) , e do Conselho Regionais de Contabilidade (CRCs,) (esseórgão é responsável pelo registro do profissional da Contabilidade e pelafiscalização do exercício da atividade contábil no Brasil), visando o surgimento eincentivo de especializações e aperfeiçoamento aos contadores como também aaquisição de um registro ao técnico de contabilidade. Este exame foi considerado para classe contábil um grande avanço, poiscomo conseqüência houve o fortalecimento da profissão e respeitabilidade nocenário econômico no âmbito nacional. Observa-se que as mudanças na lei despontam a contabilidade inserindo-acom mais atuação e responsabilidade no mercado globalizado e tecnológico. Dando continuidade, existe uma lei que foi criada para aperfeiçoar osproblemas financeiros e coibir o número de fraudes de uma empresa ou entidadedenominada Sarbanes-Oxley (SOX) . Essa lei foi criada nos Estados Unidos devidoaos problemas financeiros das empresas internacionais Enron, Worldcom, ela prevêmultas de 1 milhão a 5 milhões de dólares e pena de entre 10 e 20 anos para osChief Executive Officer (CEOs ) e Chief Finance Officer (CFOs) das empresas. No Brasil essa lei contempla cerca 70 empresas que admitem AmericanDepositary Receipts (ADR,) ou seja, ações de empresas que não estão sediadasnos Estados Unidos, no caso do Brasil incluem empresas que tem ADR antes de2002. (MENDOÇA e outros, 2010.) Mendonça (2010, p.2) postula que: A SOX surge, em 2002, para recuperar a credibilidade da informação contábil, aumentando o custo de litígio e o nível de governança corporativa. Essa lei almeja proteger os investidores e restaurar sua confiança nas demonstrações financeiras das empresas, por meio de uma maior precisão das divulgações contábeis. Porém vale ressaltar que a implantação dessa lei não coíbe eventuais fraudesque surgem em uma empresa, pois mesmo a fraude sendo identificada muitoraramente conseguiu efetuar ou elaborar sansões legalizados contra qualquerempresa estrangeira no mercado americano (PALEPU; HEALY, 2010, apudMENDONÇA e outros, 2010).
  23. 23. 22 Em janeiro de 2000 Comissão de valores Imobiliários( CVC) elaborou umanteprojeto pedindo a reforma da lei 6.404/76 onde as mudanças contemplavam amodernização da lei societária ou contabilidade financeira buscando inserir o Brasilno contexto da atual economia globalizada. Essa lei foi modificada a parti da lei 11.638/07, onde demonstram os principaisimpactos nas práticas contábeis que são: Instrumentos financeiros / Derivativos; Contratos de arrendamento mercantil; Equivalência patrimonial; Transformação, Incorporação, Fusão e Cisão. Reavaliação de ativos. Eliminação da obrigatoriedade da apresentação da DOAR - Demonstração da Origem e Aplicação de Recursos; Apresentação da Demonstração de Fluxo de Caixa e se for S/A aberta a Demonstração do Valor Adicionado.1.2 CONCEITO E SURGIMENTO DO PROFISSIONAL CONTÁBIL A contabilidade seguiu todo um curso de mutações com o surgimento denovas tecnologias que fizeram com que essa ciência fosse cada vez maisimportante para a humanidade assumindo assim, um papel importantíssimodentro das empresas junto aos gestores, devido a possibilidade de fornecerinformações valiosas para a tomada de decisões no curto e longo prazo. Nessesentido, o papel do contador é relevante, pois é ele que trabalha com os dados parao fim de gerar informações para as empresas (REVISTA BRASILEIRA DECONTABILIDADE, 2007). A profissão contábil e considerada umas das mais antigas. Segundo (Jornaldo CFC,2007), no ano 2000 a.C. um escriba egípcio conseguiu contabilizar osnegócios efetuados pelo governo do seu país.
  24. 24. 23 Assim como a contabilidade, o contabilista acompanhou as mudanças nocenário em que está inserido. O contador, antigo ―guarda-livros‖, hoje assume opapel de um consultor gerencial, pois tem participado mais das decisões daempresa, não só com informações como também sendo parceiro dos gestores. O mercado de trabalho atual estar cada vez mais competitivo, exigindo umprofissional contemporâneo com visão global, atento as inovações, interado comassuntos de diversas áreas, ou seja, um profissional multifuncional. Hendriksen e Breda (1999, p.47 ), fazem o seguinte relato a respeito dosurgimento da profissão contábil: Com o advento da revolução industrial começaram a surgir especialista em contabilidade. O caminho foi aberto em Edinburgo,cujo anuário municipal de 1773 indicava a existência de sete contadores. No início do séc. XIX, ainda havia menos de 50 contadores públicos registrados nas listas das principais cidades da Inglaterra e da Escócia. Esses números cresciam rapidamente em conseqüência da aprovação da Lei das Companhias em 1844, que passou a exigir balanços aprovados por auditores. Uma lei semelhante, em 1862, alcunhada de ―amiga do contador‖, exigiu o uso de contadores em caso de falência, representando a maior parte do trabalho dos contadores. Em 1854, foi criada a Sociedade de contadores em Edinburgo na qual seusmembros podiam apresentar-se como contadores autorizados. Até que em 1880, oInstituto de Contadores Registrados da Inglaterra e do País de Gales foi aprovadopela Rai .nha Vitória (HENDRIKSEN; BREDA, 1999). No Brasil a presença do profissinal contábil é notada desde o periódo colonial,quando devido a evolução da sociedade, a necessidade de controle contábil e apreocupação com o ensino comercial fizeram, em 1549, Portugal nomear GasparLamego como primeiro Contador Geral do Brasil Segundo Peleias e Bacci (2006, p. 7): ―[...] o Decreto nº. 4.475, de 1870,assinado pelo imperador D. Pedro II, por meio do qual foram aprovados os estatutosda Associação dos Guarda-Livros, fato que contribuiu para o reconhecimento daprofissão contábil no Brasil‖. Conforme o autor, nesse ano a profissão de Guarda-Livros é reconhecidaoficialmente como a primeira profissão liberal regulamentada no Brasil.
  25. 25. 24 Em 30 de junho de 1931, o Decreto nº. 20.158 regulamentou a profissão decontador e reorganizou o ensino comercial, dividido em dois níveis: técnico esuperior (PELEIAS, 2006). Em 22 de setembro de 1945, o Decreto-lei n° 7.988 elevou os cursos deContabilidade ao nível universitário. No entanto, somente em 27 de maio de 1946,com a assinatura do Decreto-lei 9.295 pelo então Presidente da RepúblicaFederativa do Brasil Eurico Gaspar Dutra, ocorreu a regulamentação da profissãocontábil nos pais, além da criação do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e(CRCs) dos Conselhos Regionais de Contabilidade ( JORNAL DO CONSELHOFEDERAL DE CONTABILIDADE, 2006). Conforme jornal do CFC (2006), e em consonância com os registros, osprimeiros sinais organizativos visando à consolidação da profissão foram dados apartir do anseio de alguns notáveis e ousados contabilistas ainda na década de 20,destacando-se nomes como o do Senador João de Lyra Tavares, dos professoresFrancisco D’Áuria, Hilário Franco e Frederico Herrmann, e tantos outros. Ainda segundo o jornal do CFC (2006, p. 9): O ano de 1946 está marcado na História da Contabilidade brasileira por ter sido publicado o Decreto-Lei n° 9.295, que trouxe legalidade e legitimidade à profissão para o seu digno exercício. Neste mesmo ano, foram criados o CFC e os Conselhos Regionais de Contabilidade de São Paulo e do Paraná. Nos anos seguintes, os demais CRCs, com exceção dos Regionais do Tocantins, Acre, Amapá e Roraima, que foram implantados na década de 90. Criado com o propósito de fiscalizar o exercício profissional e de melhor preparar os profissionais, Desta forma, a profissão encontrou seu próprio caminho, tornando-se umadas mais antigas e respeitadas profissões regulamentadas do País, reunindo hojecerca de 400 mil profissionais. Diante do exposto, verifica-se um notável crescimentoe fortalecimento da profissão e conquistas alcançadas na luta da profissão contábilpelo merecido reconhecimento e valorização. O contador é o profissional em que a profissão veio evoluindo lado a lado comevolução da humanidade. Antigamente utilizavam-se riscos, desenhos como formasde contagem, hoje se prestam consultorias, motivo pelo qual o contador devemanter-se num processo de educação continuada.
  26. 26. 25 Segundo Franco (1999, p.82), de conformidade com a evolução dassociedades e diante da globalização da economia: ―O Contador tornou-se umconsultor profissional, confiável, cujo aconselhamento é solicitado para ampla gamade assuntos‖. Segundo Marion (2008, p. 28), o profissional contábil pode ser conceituado daseguinte forma: Denomina-se técnico em contabilidade (válido até 2004) aquele que cursou Contabilidade em nível técnico. Após o término do curso superior (3º grau) de contabilidade, o profissional é chamado de contador ou bacharel em ciências contábeis. Tanto o técnico em contabilidade quanto o contador são chamados contabilistas, e ambos podem, legalmente, ser responsáveis pela contabilidade das empresas, analistas de balanços, pesquisadores contábeis, etc. O contador, porém, estar habilitado a exercer outras atividades não cabíveis ao técnico em contabilidade. Essas atividades são: auditoria; perícia contábil e professor em contabilidade. Nota-se que as funções atribuídas ao técnico em contabilidade são limitadas,pois, algumas das atividades são exclusivas do bacharel em Ciências Contábeis. Sobre os Técnicos em Contabilidade (TC) diz Franco (1999, p. 330): ―sãoprofissionais de nível médio que prestam competente e eficiente apoio a profissãocontábil. Eles têm experiência em técnicas contábeis e computação e trabalham soba supervisão de contadores‖. De acordo com Selézio Dagostim podem ser adotados os seguintes verbetespara conceituar contabilista, contador e técnico em contabilidade: a) CONTABILISTA — É sinônimo de contabilidade, de campo de atuaçãodos contadores e dos técnicos em contabilidade. É uma palavra formada peloadjetivo ―contábil‖, acrescida do sufixo ―ista‖. É o mesmo que ―engenheiralista,―medicinalista‖, ―direitista‖, ―agronomista‖―. b) CONTADOR — Profissional universitário que exerce funções técnicas eacadêmicas da contabilidade; denominação profissional dada aos detentores dotítulo universitário de bacharel em Ciências Contábeis (instituído pelo Decreto-Leinº 7.988, de 22.09.45), registrado no Conselho Regional de Contabilidade ou que,por equiparação, a lei outorgou quando da criação do curso superior deContabilidade.
  27. 27. 26 c) TÉCNICO EM CONTABILIDADE — Profissional que executa a funçãotécnica da contabilidade. É o sucessor do antigo guarda-livros, profissional formadopelos cursos profissionalizantes das Escolas Técnicas do Comércio, curso de nívelmédio, instituído pelo Decreto-Lei nº. 20.158, de 30.06.1931. Através da Lei nº.3.384, de 28.04.1958, o antigo guarda-livros foi transformado em técnico emcontabilidade. Deste modo, pode-se dizer que o profissional contábil é aquele em que aatividade consiste na prestação de serviços, fornecendo informações e avaliaçõesprincipalmente de natureza física, financeira e econômica sobre o patrimônio dasentidades, objetivando auxiliar no processo de tomada de decisões e sobre astendências futuras das mesmas. Conforme consta no artigo 2º da resolução nº 560/1983, que dispõe sobre asprerrogativas do contabilista. Ele pode exercer suas atividades na condição deprofissional liberal ou autônomo,de empregado pela CLT, de servidor público, demilitar, de sócio de qualquer tipo de sociedade, de diretor ou conselheiro dequaisquer entidades, ou em qualquer outra situação jurídica definida pela legislação,exercendo qualquer tipo de função. Essas funções podem ser de analista, auditorinterno ou externo, conselheiro, consultor de arrecadação, controller, educador,escritor ou articulista técnico, escritor contábil ou fiscal, executor subordinado, fiscalde tributos, legislador, organizador, perito, pesquisador, planejador, professor ouconferencista, redator, revisor. Essas funções podem ser exercidas em vários níveis como de chefe, subchefe,diretor, responsável, encarregado, supervisor, gerente, subgerente, de todas asunidades administrativas nas quais se processem serviços contábeis. Já as disposições expressas no art. 12 do decreto-Lei n 9.295-46,destaca quesó pode exercer a profissão contábil quem possuir registro( inscrição profissional) noCRC de sua jurisdição. O artigo 25 do referido diploma legal, por sua vez, dispõe sobre as atribuiçõesdo contabilista: Art. 25. São considerados trabalhos técnicos de contabilidade:
  28. 28. 27 a) Organização e execução de serviços de contabilidade em geral; b) escrituração dos livros de contabilidade obrigatórios, bem como de todos osnecessários no conjunto da organização contábil e levantamento dos respectivosbalanços e demonstrações; c) perícias judiciais ou extrajudiciais, revisão de balanços e de contas em geral,verificação de haveres, revisão permanente ou periódica de escritas, relaçõesjudiciais ou extrajudiciais de avarias grossas ou comuns, assistência aos ConselhosFiscais das sociedades anônimas e quaisquer outras atribuições de natureza técnicaconferidas por lei aos profissionais de contabilidade.‖ Os Técnicos em Contabilidade tem sua atuação prevista nas alíneas a e bsupra. Ainda referente ao técnico em Contabilidade, Franco (1999, p.330) diz oseguinte: ―Tecnicamente eles se envolvem na execução, manutenção edesenvolvimento de sistema de registros, planejamento, controle e relatórios deatividades financeiras de uma entidade, normalmente sob a supervisão de umcontador‖. Conforme o autor verifica-se que o campo de atuação do profissional contábilé bastante amplo dando oportunidade de se especializar em qualquer uma dasáreas acima citado. Com a evolução tecnológica se fez necessário do profissional contábil, umapostura diferente, ou seja, seu perfil tem que atender as exigências do mundocontemporâneo que, por conseguinte vigora um paradigma que requer constanteatualização da profissão. A grande mudança desta era, e com certeza a mais surpreendente, é o desafio que o avanço tecnológico representa. Com a revolução tecnológica tem-se bilhões de informações à disposição da sociedade, transitando à velocidade da luz. Para as empresas isto se traduz de várias formas, como o controle em tempo real e decisões quase em tempo real. Quase, porque ainda depende do homem. Mesmo adaptado à velocidade vertiginosa das mudanças desse início de século, o ser humano a princípio não responde com a mesma agilidade dos computadores, quando se trata de decisões complexas. Afinal, o contexto da decisão sempre exigirá algumas análises, dependendo da importância do assunto e dos riscos envolvidos. (KOUNROUZAN, 2010, p.2).
  29. 29. 28 Evidencia-se nesse contexto, que na atual conjuntura comercial o mesmorequer modernidade, criatividade, novos conhecimentos que consigam dar conta doparadigma social no qual o individuo este inserido aqui em especial o profissionalcontábil. Uma vez que a presença desse profissional é cada vez mais imprescindívelnas organizações com cunho lucrativo ou não. Para o profissional contábil seguir acompanhando a sociedade globalizada, omesmo deve conter especialidades que estejam em consonância com esteprocesso. Sobre isso Zanluca (2010) descreve: A principal característica desta profissão, no século XXI, será o conhecimento aplicado. Não menos importante, é que o contabilista precisa ser um profissional flexível, autodidata e preparado para enfrentar desafios de uma profissão na qual a competição e exigências crescem a cada dia. (PORTAL DE CONTABILIDADE, 2010). Concordando com Zanluca e Barros (2005, p. 10) destacam: (...)l para o cargo de contador, procura verificar se a tão mencionada mudança no perfil do funcionário público atingiu essa categoria. Acredita-se que um profissional para estar a altura das demandas da sociedade e poder melhor atender ao cidadão, deve estar apto em toda a sua plenitude e, particularmente, na sua capacidade intelectual, que se refletirá desde o seu adequado processo de seleção até a atingir a sua maturidade na vida profissional. Para isso, é necessária uma melhor reflexão sobre o processo de ensino, aprendizagem e avaliação do contador. Contextualizando com a atualidade a atual conjuntura social requer doprofissional contábil um conhecimento polivalente uma vez que o mesmo éconsiderado um gestor de informações, tem que esclarecer e dominar de maneiraeficaz a informática como também e sua compreensão perante as normasinternacionais de contabilidade. É como nos diz Perez (1997, p. 68), citado por FariaNogueira (2007) que o objetivo da profissão contábil ―[...] vai mais além de acumularcifras para preparar um balanço para efeitos impositivos. Vai mais além de registrarautomaticamente uma ou várias operações: um software adequado pode produzirmelhor as rotinas‖. Dentro desta perspectiva a área do profissional contábil oferece inúmerasalternativas de trabalho, nas quais são destacadas abaixo:
  30. 30. 29a) Perícia Contábil - apuração de haveres, lucros cessantes, impugnações fiscais eavaliação de patrimônio líquido.b) Auditoria: exame e emissão de pareceres sobre demonstrações financeiras,controles internos e gestão.c) Fiscal: fiscalização de contribuintes ou de contas de entes públicos. d) Gestão de Empresas – administração de finanças, custos e fluxo de caixa eempreendimentos de qualquer porte.e) Gestão Pública – atuação em áreas de planejamento, finanças, administração econtabilidade pública. f) Atuarial - área estatística ligada a problemas relacionados com a teoria e ocálculo de seguros.g) Consultoria – aos 3 setores da sociedade (iniciativa privada, governos e ONG´s).h) Ensino – atuação em dezenas de disciplinas como Contabilidade Rural,Contabilidade de Custos ou Orçamento Público.1.2.1 O Profissional da Contabilidade Ambiental Uma área na atualidade de suma importância para o profissional contábil é acontabilidade ambiental. A mesma é compreendida como conjunto de dados eidentificações e registros dos problemas ambientais, ou seja, é o registro dopatrimônio ambiental. (PAIVA, 2003). Há vários tipos de contabilidade ambiental tais como: contabilidade ambientalnacional que diz respeito às avaliações das políticas microeconômicas ambientais;Contabilidade Ambiental Gerencial é o gerenciamento das atividades gerenciais, ouseja, os gestores são usados para as tomadas de decisões; Contabilidade AmbientalFinanceira consiste em registrar as transações que dão impacto ao meio ambiente. Todas essas ramificações da contabilidade ambiental requerem doprofissional contábil, habilidades, conhecimento econômico, ambiental, pois naatualidade o descaso com assuntos relacionados ao meio ambiente é inadmissível
  31. 31. 30uma vez que os investidores empresariais estão atrás de empresas responsáveis einteressadas na conservação ambiental. O Contador, conforme Sá (2000) é indispensável nesse novo cenário, com adisposição e competências necessárias para cooperar com a preservação doplaneta, evolução das sociedades e valorização do homem. Contribuindo na tomadade decisão. Devendo ser capaz de divulgar a responsabilidade social na suaorganização e nas empresas nas quais prestam seus serviços.1.2.2 Professor de Ciências Contábeis Para exercer essa profissão de docente universitário requer do profissionalconhecimento específico, habilidades para discutir dados de pesquisas, e analisardados referentes à área da educação contábil. A profissão de professor de contabilidade é bastante discutida e avaliadaquanto as competências necessárias a esse profissional da área. Strassburg (2010) descreve o perfil de um bom professor de contabilidade: - A influência da nota do aluno; - A influência da idade e do sexo dos alunos; - A influência do tamanho da classe; - A influência do esforço dependido pelo aluno; - A influência da importância dada ao curso pelo aluno; - A influência das teorias implícitas dos estudantes; - A influência da personalidade do professor; - A maturidade para julgamento.
  32. 32. 31 MIALARET (2010, apud STRASSBURG, 2010), destaca o julgamento feitocom relação ao perfil do professor contábil ele pontua que: se é verdade que, na prática, são facilmente feitos (pelos alunos, os pais, os outros colegas, a administração), juízos de valor a cerca de um professor, a análise científica e a constituição de um ―Retrato-Robot‖ do ―Bom‖ Professor é difícil, se não impossível. Fica evidente que essa construção de julgamento está relacionada aocontexto histórico social em que as opiniões sobre o desempenho do professor jávem formada, engessada de certo preconceito. É coerente ressaltar que não se temreceitas para um perfil ideal de professor e sim atitudes e requisitos que sãodesenvolvidos ou adquiridos na profissão, no cotidiano profissional. Deve-se ter consciência que para que o curso de ciência contábil tenha ummaior proveito e domínio da matéria se faz necessário uma educação continuada dequalidade.
  33. 33. 322 ATUALIZAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DO PROFISSIONAL CONTÁBILMADIANTE A CONTEXTUALIZAÇÃO ATUAL. Atualmente existem inúmeras instituições e entidades, empresas e órgãospúblicos necessitados de profissionais contábeis competentes, dedicados,capacitados, entretanto, o mercado de trabalho está cada vez mais exigenterequerendo deste profissional uma constante atualização no que diz respeito asnormas contábeis;a lançamentos tecnológicos inerentes a sua área atuante,conhecimento e visão estratégica que possam ser utilizadas no mundo que seencontra em constante transformações.Isto nos confirma Kramer (2000,p. 83): No caminho da valorização do profissional contábil, faz-se necessário que ele desenvolva estudos para conhecer as necessidades dos usuários da informação contábil e que as assimile, pois só assim poderá alcançar qualidade em seus serviços. De acordo com Kounrouzan (2010, p.1): O profissional após concluir a graduação tinha a certeza de que exerceria sua profissão e teria vantagem competitiva no mercado de trabalho. Atualmente não basta apenas concluir o nível superior, o profissional necessita ter características multifuncionais e estar preparado a quebra de paradigmas e mudar a forma de agir e interpretar as informações disponíveis. O contabilista precisa ter em mente que as técnicas adquiridas no ambienteuniversitário são importantes para o sucesso e valorização da profissão, mastambém se faz necessário o aprimoramento permanente e continuado dessesconhecimentos. Sobre esse contexto reforça Franco (1999, p. 67): A preparação acadêmica deve incluir crescentes quantidades de treinamento em Tecnologia da Informação, como exigência fundamental. Realmente a continua melhoria profissional e a chave da manutenção da competência do contador, pois o conhecimento de hoje não podem atender as tarefas do Contador de amanhã. Atualização profissional, no passado, já foi disciplina optativa. Décadas atrás ao concluir o ensino superior, considerava-se terminado a fase de estudo e iniciava-se a fase do trabalho e experiência, não havendo qualquer tipo de questionamento referente a atualização de seus conhecimentos, pois os
  34. 34. 33 mesmos duravam mais. Porém isso mudou com a rapidez das mudanças sociais, econômicas e tecnológicas que tanto influenciam o ambiente de trabalho do contabilista. Quanto a essas mudanças discorre Sá (2000, p. 2): A disputa pelos mercados, a evolução cientifica, a mudança de consciência social, a concentração de capital, a valorização da criatividade, a informática, a telemática, foram alguns dos fatores que revolucionaram o mundo na segunda metade do século XX. Manter-se atualizado, tornou-se uma necessidade para o desempenho doexercício da profissão, diante da competitividade que têm exigido do contadoraprimoramento constante de suas habilidades e conhecimentos, adaptando-sedessa forma as novas exigências do mercado de trabalho. Pode-se observar o quanto a formação e atualização desse profissional são desuma importância para o mesmo almejar um trabalho nas mais diversas áreas daprofissão contábil. Para que o profissional contábil tenha oportunidade no mercado de trabalho énecessário investi em educação continuada como:  Pós Graduação;  Mestrado;  Doutorado;  MBA. Sobre o assunto Franco afirma (1997, p. 29): Programas de educação profissional continuada serão absolutamente necessários para que o contador assuma, no Brasil, posição de maior relevo cultural e social, mercê de seu aprimoramento técnico e cultural e do inevitável reconhecimento da profissão como de extrema utilidade para a economia nacional e internacional. Segundo o contexto, observa-se ainda que para que o contador possa deforma precisa e relevante fornecer informações confiáveis, relevantes,compreensíveis, faz-se necessário um constante aprimoramento da sua profissão. Oconhecimento, a tecnologia, as exigências de todos os campos profissionais da
  35. 35. 34atualidade crescem continuamente e cada vez mais rápido. Isso coloca aoprofissional que deseja manter-se competente, completamente equipado, ecompetitivo, a necessidade de acompanhar essa evolução. E a forma de conseguirisso é aprendendo continuamente. O profissional contábil pode obter sua atualização e aperfeiçoamento através de cursos de especialização. O Conselho Federal de Contabilidade buscando o fortalecimento e valorização da profissão tem promovido a educação continuada aos contabilistas por meio de cursos, seminários, palestras, educação à distância, congressos, convenções, entre outros (JORNAL DO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, 2006, p. 9). De acordo com a Resolução, CFC n. º 945/02 e 995/04 são atribuídas àsseguintes atividades para a Educação Profissional Continuada: Aquisição de conhecimentos por meio de cursos certificados; seminários, conferências, painéis, simpósios, palestras, congressos, convenções nacionais e outros eventos de mesma natureza; cursos de pós-graduação e programas de extensão com disciplinas relacionadas à profissão contábil. Docência em cursos de pós-graduação, bacharelado em Ciências Contábeis e cursos de extensão, em eventos relacionados ao treinamento reciclagem, especialização ou atualização na área contábil, promovidos pelo CFC, CRCs,Ibracon, IES e capacitadoras. Atuação como participante em comissões técnicas no CFC, CRCs, Ibracon e outros organismos da profissão contábil, no Brasil ou no exterior; orientador ou membro de comissão de defesa de monografia, dissertação ou tese. Produção intelectual por meio de publicação de artigos em revistas nacionais e internacionais; produção de estudos ou trabalhos de pesquisa apresentados em congressos nacionais ou internacionais; autoria, co-autoria e tradução de livros relacionados com a Contabilidade e a profissão contábil publicados por editora. Dessa forma, o CFC e os CRCs, preocupados em fortalecer não só imagemdo profissional em contabilidade como também a crescente participação na política
  36. 36. 35e na sociedade, fomenta então á educação profissional continuada. Para tanto taisconselhos investiram em programas que atestem o compromisso do sistema.2.1 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CONTINUADA E PROPOSTAS PARA APROFISSÃO CONTÁBIL O principal objetivo da educação profissional continuada é aprimorar osconhecimentos técnicos dos contadores que atuam como auditores independentesregistrados no (CNAI), Centro Nacional de Auditores Independentes que é umórgão criado pela resolução CFC nº 1019, de 18 de fevereiro com o intuito deatender as exigências da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) como também ado Banco do Brasil de realização de exame de qualificação para os auditores .. Vale ressaltar que 20 Estados incluindo Bahia participam do programa, osdemais conselhos regionais não executam o programa. (REVISTA BRASILERIA DECONTABILIDADE, 2009). Observa-se a seguir alguns programas e propostas que visam odesenvolvimento profissional dos contabilistas. Programa Excelência na contabilidade, este programa foi implantada pelo CFC em 1994 com a proposta de ofertar apoio financeiro para a realização de cursos de pós-graduação lato e stricto sensu, mediante convênios com instituições de Educação superior. É valido ressaltar que o programa Excelencia intensificou a realização decursos de pós- graduação lato e stricto sensu na área contábil em alguns Estadostais como Stricto Sensu: Universidade Federal do Amazonas (UFA);l de Universidade deBrasília (UnB); Fundação Instituto de Pesquisa em Contabilidade, Economia eFinanças (Fucape) em Espírito Santo; Fundação Universidade Regional de Blumenal(Furb).
  37. 37. 36 Lato Sensu: Instituto Brasil Extensão e Pós-graduação (Ibep); FaculdadeSABER no Acre; Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)/FADE emPernambuco. Na modalidade de especialização Lato sensu foram contemplados 3.947alunos e na modalidade Stricto senso 589 alunos totalizando 4.536 alunos. Pode-seobservar que o desenvolvimento de programas para educação continuada emciências contábeis está se ampliando promovendo oportunidades deaperfeiçoamento a todos os profissionais da área: Programa Rede Contabilizando o Sucesso, este projeto foi iniciado em 2003, em parceria entre o CFC e com o Sebrae Nacional, este programa tem por finalidade criar uma rede de contabilista que assessore e gerencie ás empresas de micro e pequeno porte agregados aos serviços já prestados pelas firmas contábeis. O CFC vem promovendo eventos a nível nacional para desenvolvimento eaperfeiçoamento do profissional contábil .dentre os eventos os oferecidos estão: VIEncontro Nacional de Coordenadores de Curso de Ciências Contábeis;COMUNICADO II CONECT - Congresso de Contabilidade e Tributos; Capacitaçãoem Contabilidade Aplicada ao Setor Público entre outros de grande relevância paraa area contábil. Alguns órgãos do Estado como os CRC’s promovem eventos para oaprimoramento do contabilista citando aqui três CRC’s dos Estados da Bahia ; Riode Janeiro;e São Paulo. O Conselho Regional da Bahia criado com o intuito de fiscalizar o exercício daprofissão do contador e de técnico em contabilidade oferece cursos deaprimoramento da profissão contábil exemplificando aqui algumas como: PalestrasSobre Sped e Nota Fiscal Eletrônica, essa palestra visa apontar caminhos para apreparação das adequações para empresas e profissionais dentre outros; WorkshopSobre Dmed e Sped Contábil ; Seminário Sobre Sped Contábil ;Palestra Sobre SpedContabil e Ifrs; Curso Sobre Nova Estrutura. da Cont. Para Pequenas e Médias
  38. 38. 37Empresas; IX Fórum da Mulher Contabilista do Estado da Bahia; III SeminárioBaiano de Contabilidade Aplicada ao Setor Público dentre outro eventos. O Conselho Regional do Rio de janeiro também investe em oportunidades ecursos ao profissional contábil, tais como Palestra sobre Imposto de Renda PessoaFísica proferida pelo Auditor Fiscal da RFB; Palestra sobre Nota Fiscal de ServiçoEletrônica – SMF; V Fórum da Mulher Contabilista do Estado do Rio de Janeiro eoutros. No CRC de São Paulo estão programados para o corrente ano os eventosConvenção Regional de Contabilistas, Empresários e Estudantes da Contabilidadede Araçatuba; Convenção Regional de Contabilistas, Empresários e Estudantes daContabilidade de Lins; Convenção Regional de Contabilistas, Empresários eEstudantes da Contabilidade de Jundiaí; 22ª Convenção dos Contabilistas do Estadode São Paulo. A Federação Nacional de Auditores e Fiscais em Tributos Municipais(Fenafim) é uma entidade de âmbito nacional que congrega associações esindicatos dos auditores e fiscais tributários dos municípios brasileiros, tambéminveste em cursos e eventos para melhor atuação dos profissionais contábeis. A missão desta entidade é unir os Auditores Fiscais dos 5.550 municípios,acreditando na necessidade da luta nacional pela proteção dos direitos e garantiasdos servidores do Fisco. Entre as principais conquistas obtidas nos últimos anos,destacam-se: a inclusão, pela primeira vez na história, da atividade profissional doFiscal de Tributos Municipais na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), juntoao Ministério do Trabalho; e a edição da Lei Complementar Federal n° 116/2003 quedisciplina as hipóteses de incidência do ISSQN – Imposto Sobre Serviço de qualquernatureza. Tal legislação era aguardada desde 1988, eis que a falta deregulamentação constitucional gerava enormes prejuízos aos municípios. Dentre os eventos oferecidos por essa entidade destaca-se o realizado noano de 2009, o Ejumt - Encontro Sobre Julgamento Administrativo MunicipalTributário esse seminário buscou identificar, avaliar, documentar e difundir asmelhores práticas de gestão tributária em municípios. Dessa forma fica evidente a
  39. 39. 38importância de uma atuação dessas entidades para o oferecimento de cursos,eventos, para os profissionais contábeis especificando aqui os auditores fiscais paraque aja um sistema nacional tributário de forma mais justa, promovendo qualidadeao investimento público. Uma proposta bastante interessante elaborada e publicada em forma de livropelo CFC, é a proposta Nacional de Conteúdo para o Curso de Graduação emCiências Contábeis para atender á Resolução CNE/ CES No 10/40, DE 10/12/2004,nos segmentos de educação presencial e a distância. (REVISTA BRASILEIRA DECONTABILIDADE, 2009). Esta proposta foi desenvolvida de acordo com o contexto do ensino dacontabilidade uma vez que a mesma obteve na elaboração a participação de umacomissão de professores: Foram recebidas sugestões de professores e de coordenadores de cursos de Ciências Contábeis de todo país, que contribuíram para a adequação da matriz curricular ás necessidades do ensino de contabilidade. (REVISTA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE, 2009, p.15). Diante da nova proposta de um mundo globalizado em que as informaçõessão processadas de maneira cada vez mais rápidas se faz necessários a utilizaçãode ferramentas que venham dinamizar, potencializar o processo ensinoaprendizagem está falando das novas tecnologias. A tecnologia da informação tornou-se uma ferramenta indispensável aoprocesso de aprendizagem como também de conhecimento para o mercado detrabalho, programas como educações a distância utilizam essa tecnologia parafomentar tanto a atualização do profissional contábil e ao mesmo tempo umadinâmica de atualidade ao curso citado preparando os futuros contadores para arealidade atual: (...) a hiper competitividade, a mudança tecnológica acelerada, a grande troca de informações, a globalização e o aumento das exigências fazem parte do cenário atual na busca pela informação (...) a internet é a que tem o maior nível de utilização, sendo hoje, a principal forma de pesquisa para estudantes. Com as constantes mudanças opiniões e conceitos também devem se modificar. (REVISTA BRASIEIRA DE CONTABILIDADE, 2009, p.22).
  40. 40. 39 Percebe-se, então que a capacitação profissional do contador passa a ser fatorprincipal para o seu sucesso, para sua permanência no mercado de trabalho. Pois, oprofissional do século XXI só terá êxito se acompanhar a evolução do mundo dosnegócios, se aliarem-se ao contínuo desenvolvimento dos processos tecnológicos eda comunicação para oferecer informações rápidas e úteis aos seus usuários. Sabe-se da grande demanda e exigência no mercado de trabalho para oprofissional contábil, e dentro dessa perspectiva a educação continuada éimprescindível a esse profissional. 2.2 O CÓDIGO DE ÉTICA E AS ATRIBUIÇÕES DO PROFISSIONAL CONTÁBIL Quando se fala em ética não se pode esquecer que seu primeiro ensinamentofoi com os gregos a partir dos escritos de Sócrates e Platão a ética tambémconhecida como filosofia moral. De acordo com Chauí ( 2002, p. 342): Para os gregos, a ética tinha como concepção a educação do caráter do sujeito moral para dominar racionalmente os impulsos, apetites e desejos, para orientar a vontade rumo ao bem e à felicidade, e para também formá-lo como membro da coletividade sociopolítica. Sá (2005, p.50) também pontua que: A ética continuou a ser tema discutido pelos filósofos contemporâneos adotando-se novas perspectivas sobe a temática a exemplo de Nietszche, Sigmund Freud, Karl Max, dentre outros. Tais pensadores desenvolveram novas tendências filosóficas na modernidade. Com efeito, as variações ocorridas nos pensamentos, as influências de outros aspectos como os políticos, religiosos, econômicos, mostram que a conduta humana é rica em sua produção de fenômenos, merecendo, portanto, múltiplas concepções e estudos ambiciosos, no sentido de conhecer e explicar a conduta humana . Dessa forma a ética era utilizada como instrumento que conduzia a harmoniaentre os indivíduos em sociedade. Para conceituar ética deve-se levar em consideração diversas normas quedirecione o ser humano a construir ou adquirir hábitos e construção de caráter tendotambém em vista os direitos e deveres a serem compridos.
  41. 41. 40 Para Teixeira (1998, p. 15) a ética: Constitui o respaldo filosófico sobre o qual são desenvolvidos os padrões de comportamentos e as atividades, também representando o parâmetro sob o qual se analisam conceitos, perfis e a relação de compatibilidade entre si e entre eles e a organização. Nesse contexto o autor discorre sobre a necessidade da ética no trabalho acada momento as organizações buscam qualidades e condutas éticas para se terum reconhecimento da sociedade por seus feitos visando confiança,para umamelhor retorno no aumento das vendas ou prestação de serviços. A ética sempre foi fonte de discussão sejam entre os gregos, na idade médiaou na contemporaneidade tendo ela várias concepções. Porém se faz necessárioobservar que a ética se integra ao convívio social sendo ela um conjunto de condutacom princípios normativos e diplomáticos á conduta do ser humano em sociedade,exercendo uma boa convivência em beneficio de uma conduta profissional coerenteestando de acordo com as regras contidas na lei. Em 14 de dezembro de 2010, houve algumas modificações no código de éticado profissional contabil. Foi aprovada a Resolução CFC n° 1.307/10 que alterou etrouxe novos dispositivos ao Código de Ética Profissional do Contabilista (CEPC)regido pela Resolução CFC n° 803/96 e que a partir de agora, passa a se chamarCódigo de Ética Profissional do Contador (PORTAL DE CONTABILIDADE, 2010). Também foram incluídas novas condutas contrárias à ética profissional, comoapropriar-se indevidamente de valores confiados à sua guarda, exercer a profissãosem a capacidade exigida para tal fim demonstrando incompetência na atuação;deixando de apresentar documentos e informações quando solicitado pelosConselhos Regionais: Na aplicação das sanções éticas, podem ser consideradas como atenuantes:I- ação desenvolvida em defesa de prerrogativa profissional;II - ausência de punição ética anterior;III - prestação de relevantes serviços à Contabilidade. Na aplicação das sanções éticas, podem ser consideradas como agravantes:
  42. 42. 41I - Ação cometida que resulte em ato que denigra publicamente a imagem doProfissional da Contabilidade;II - punição ética anterior transitada em julgado. Observa-se a importância de exercer uma tarefa baseado no comportamentoético para o exercício da profissão contábil, pois a mesma envolve princípio evalores muitas vezes não condizente a um determinado numero de regras proposto. É como nos pontua Handel (1994p. 20): Não é possível nem permissível a um profissional ter todos os conhecimentos técnicos para exercer com maestria a profissão contábil se este mesmo profissional não desenvolver suas atividades baseado num comportamento ético em relação aos demais colegas e a terceiros interessados. Segundo Sá (2005, p.157): ―Desconhecer, todavia, como realizar a tarefa ouapenas saber fazê-la parcialmente, em face da totalidade exigível para eficácia, éconduta que fere os preceitos da doutrina da moral‖. Isto implica dizer que oprofissional contábil tem que atua na sua profissão com honestidade e competência,para tanto é preciso do mesmo força de vontade e perseverança. Porém para que o profissional contábil tenha uma postura adequada ao seudesempenho é preciso ter ética profissional. O art. 10 do código de ética doprofissional contábil regulamenta os deveres deste profissional. No referido códigoconsta a forma como se deve agir o contabilista quanto a sua forma de atuaçãoprofissional. Para maiores detalhes sobre a ética do profissional contábil ver (anexo). Nota-se que seriedade, capacidade e boa conduta são atribuiçõesindispensáveis ao profissional contábil objetivando responsabilidades fundamentaispara o correto desempenho da profissão. Neste contesto percebe-se a importância do código de ética para oreconhecimento do profissional contábil no mercado de trabalho uma vez que osucesso de um profissional está na seriedade no qual se executa o trabalho levandoem consideração seu potencial de crescer profissionalmente adquirindopotencialidades ligadas a categoria, pois a competição na atual conjuntura esta cadavez mais acirrada, por isso a necessidade de uma conduta coerente desse
  43. 43. 42profissional e a sua polivalência, essa, por usa vez exigida para uma eficienteatuação no mercado de trabalho. Por falar em desempenho profissional ,o mercado de trabalho está a cada diamais competitivo uma vez que a escassez de profissionais qualificados é umanotória realidade, o avanço contínuo da informática, tecnologias e ciências, ainternacionalização dos mercados e a relevâncias sociais e ambientais exigem umaampla visão tanto da contabilidade quanto do profissional contábil ultrapassando oteor jurídico e econômico dando foco a uma visão social. (REVISTA DO INSTITUTODE ESTUDOS CONTÁBEIS, 2003). Observe algumas características essenciais de um profissional em busca deoportunidades de trabalho:Criatividade;Desenvoltura;Capacidade de resolver problemas;Visão gerencial;Ousadia;Liderança;Trabalho em equipe;Motivação;Flexibilidade;Profundo conhecimento contábil;Falar tanto o seu idioma, quanto outros, especificamente o inglês e o espanhol;Atender a clientes do seu país, quanto de outros países; Ressalta-se que a responsabilidade e autonomia estão presentes noprofissional contábil moderno, pois seus conhecimentos lhe dão competências paraatuar em diversas áreas no mercado de trabalho. Diante dessa afirmação Franco(1999, p. 103) diz:
  44. 44. 43 O contador tornou-se um consultor profissional confiável, cujo aconselhamento é solicitado para ampla gama de assuntos. Para ser bem- sucedido, contudo, os contadores precisam, atualmente. Serem treinados de forma diferente. Além dos conhecimentos técnicos comerciais, o contador da atualidade precisa também desenvolver habilidades relativas à comunicação, às relações humanas e à administração, criando um balanceamento adequado entre a formação teórica e a experiência prática. Diante disso percebe-se a importância do profissional contábil em diversificarseus conhecimentos desenvolvendo habilidades que venham a supri asnecessidades das empresas e instituições que a cada momento se tornamexigentes quanto ao perfil do profissional, uma vez que as mesmas buscam mostrarqualidade e credibilidade no mundo globalizado.
  45. 45. 443 AS OPORTUNIDADES NO MERCADO DE TRABALHO PARA OPROFISSIONAL CONTÁBIL O campo de atuação do profissional contábil é bastante amplo, diante destaperspectivas o profissional da área precisa continuamente de reciclagem e asmudanças de procedimentos da empresa tem sido muito acelerada devido aoavanço tecnológico, pois qualquer empresa de médio e pequeno porte faz uso dainformática; dessa forma, o contador viu-se pressionado a acompanhar o novo ritmoe as demandas que lhe são apresenta demandas essa que requerem desseprofissional grande desempenho, atenção , disponibilidade e vontade de aprender ecrescer, perante as novas oportunidades que surgem no mercado de trabalho.Poisqualquer empresa na atualidade tem necessidade de um contábil. Neste capitulo busca-se apresentar uma fonte de ofertas de emprego para oscontadores, o site de recrutamento o Michael Page. Esta fonte fora escolhida pelaacessibilidade e visibilidade de ofertas de empregos tanto a nível nacional comointernacional. A Michael Page, é uma das maiores empresas de recrutamento, fundada em1976 na Inglaterra por Bill Macgregor e Michael Page no início prestavarecrutamento aos profissionais de contabilidade e finanças com abrangênciaindustrial e comercial. Atualmente é dedicada a recrutar executivos em todo omundo. Ela atua como intermediária contratando candidatos qualificados para omercado de trabalho sendo esse mercado com duração de tempo determinado ouindeterminado. Observem na tabela abaixo algumas oportunidades de trabalho oferecidaspela empresa de recrutamento Michael Page para os profissionais contábeis.Lembrando que devido a grande quantidade de demanda de oportunidades na áreacontábil exposta no site, foi selecionado o período que vai de 27 de abril de 2010 á01 de fevereiro de 2011.
  46. 46. 45 FUNDAÇÃO DATA REQUISITOS REMUNERÇÃO FORMAÇÃO R$ EXIGIDAGerente 27/04/2010 Relacionamento 200000 a Administraçãoadministrativo com instituições 251290 de Empresas.Financeiro financeiras e Economia ou controle do fluxo Ciências de caixa. Contábeis.Gerente 25/06/2010 Gestão e Não AdministraçãoAdministrativo estruturação das especificado de Empresas. áreas financeira, Economia, administrativa, Ciências RH, IT e Contábeis ou Marketing. Engenharia.Business 01/07/2010 Gerir as 250000 a Na área deContoller atividades de 300000 controladoria e contabilidade, formação em fiscal, orçamento, ciências reporting. contábeis.Analista 18/08/2010 Fechamentos Não Graduado emfinanceiro contábeis; especificado Ciências Planejamento contábeis, financeiro. Economia ou administração de empresa.Analista de 18/08/2010 Atuação na área Não Superior financeira, especificado Completo emcontroladoria contábil e custos. Administração, Contabilidade ou Economia; Inglês Avançado.Analista contábil 18/08/2010 Envolvimento Não Formação com toda a rotina especificado acadêmica em contábil. Ciências Contábeis.Gerente de 18/08/2010 Planejar, 105000 a Formados em coordenar e 140000 Administraçãoauditoria acompanhar a de Empresas, execução dos Ciências trabalhos de Contábeis, auditoria interna. Engenharia ou Economia.
  47. 47. 46Coordenador 26/08/2010 Coordenar a Não Formação emcontábil equipe para especificado Ciências execução do Contábeis fechamento (CRC Ativo). contábil das empresas do grupo.Auditor contábil 28/08/2010 Assegurar Não Formação em interesses e especificado Ciências investimentos da Contábeis, companhia Administração através do de Empresas controle de ou Economia. atividades. 27/08/2010 Gerenciar e Não Formação prover a equipe especificado superior de vendas com completa emAnalista de ferramentas que Administração,planejamento proporcionem Economia e /oufinanceiro análises de Ciências viabilidade Contábeis. financeira (P&L).Gerente contábil 27/09/2010 Preparar a Não Bacharel em análise mensal do especificado Ciências balanço, as Contábeis. contas de demonstração de resultados e conciliações bancárias;Analista de 15/10/2010 Identificar Não Formados nos oportunidades de especificado cursos decustos melhoria no Administração, processo de Economia, apuração, Ciências comunicação de Contábeis ou custos e Engenharia. resultadosGerente de 09/09/2010 Desenvolver 1800000 a Graduação em 240000 contabilidadeimposto ou advocacia.Coordenador de 22/11/2010 Implementação e R$ 110000 a graduado emContabilidade e gerenciamento de 140000 CiênciasSolidificação toda a rotina Contábeis contábil e fiscal
  48. 48. 47Coordenador 24/11/2010 Coordenar o Não Graduado emfiscal planejamento especificado ciências tributário. contábeis.Coordenador de 30/11/2010 Executar todas as Não Graduação emimpostos tarefas previstas ciências especificado na legislação de contábeis, impostos. administração e direito.Analista tributário 16/12/2010 Analise de 60000 a 70000 Formação emSenior assuntos fiscais. Ciências Contábeis, Direito, Administração ou Economia.Consultor 16/12/2010 Coordenação de Não Graduado emtributário de projetos de especificado direito oudireito revisão fiscal. ciência contábeis.Especialista em 18/01/2011 Gerir e controlar Não Formação emtributos Indiretos os processos do Ciências especificado Setor Fiscal, e Contábeis, todas as Economia, contribuições e Administração tributos. ou Direito.Supervisor fiscal 01/02/2011 Elaboração e 120000 Graduado em implementação Ciências de projetos de Contábeis, planejamento Administração, tributário. Economia Direito.Fonte: www.michaelpage.com.br Observa-se através dos dados coletados que a oferta de emprego para oprofissional contábil é ampla exigindo do mesmo um constante aperfeiçoamento edeterminação deste profissional. Nota-se que para ser um contador na atualidadetem que ultrapassar a função de demonstrar, registrar patrimônios ou antigo guarda-livros no qual o mesmo se encarregava, hoje esta mais atrelada aos computadores,ao sistema tecnológico cabendo a esse profissional a interpreta; cão dos dadosdisponibilizados para a geração de informações que possibilitem ao gestores amelhor escolha nas tomadas de decisões.
  49. 49. 48 Percebe-se também que os cursos e especializações ofertados no Brasil sãoessenciais a esses profissionais, para supri a demanda de um contadormultidisciplinar no qual é exigido no atual mercado de trabalho. Tais cursos é umarealidade nos institutos brasileiros, pois em parcerias com os CRCs,as instiuições deensino superior promovem especializações, palestras, eventos para oaperfeiçoamento desse profissional. Para a classe contábil esses cursos ofertados vieram como alicerce e avançona atual conjuntura social. Tanto que tais eventos não convêm apenas aoscontabilistas, também são contempladas graduações como: advocacia,administração, economia e outros relacionados ao mesmo propósito. Isso prova apolivalência, o investimento e a importância atribuída ao profissional contábil. Em se falando de remuneração o profissional contábil é hoje uma dosprofissionais mais procurados e bem pagos na atualidade, dependendo do setor deatuação. Entre as profissões liberais o contador estar entre o mais bem remunerado.(MARION, 2000). Sabe-se, no entanto que a evolução da profissão contábil é notória, nopassado a competitividade era baixa, pouco envolvimento nos negócios, baixacomplexidade nas operações, e incansável luta pelo reconhecimento; hoje o quadroé outro, a profissão é reconhecida, a utilização da tecnologia, da informação tornou-se indispensável à profissão além da padronização legal do curso. Enfim, ressalta-se que a contabilidade tem seu alicerce demonstrandocompetência e tornando imprescindível ao mundo dos negócios empresarial umavez que, a competitividade cresce a cada momento. É sabido que o profissionalcontábil tenha uma boa formação estando sempre em constante atualização eaperfeiçoamento, estes requisitos exigidos na profissão num mundo globalizadorepleto de paradigmas.

×