Web rompe esquemas teoria e debate 83

512 views
452 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
512
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Web rompe esquemas teoria e debate 83

  1. 1. EnTrEvisTa Web rompe esquemasLuis Nassif é um dos introdutores do jornalismo eletrônico no país. Vencedor de muitos prêmios, coleciona algumas batalhas dentro da grande imprensa. Nesta conversa fala sobre economia e avalia o impacto das novas tecnologias na política e na mídia por Nilmário Miranda e Rose Spina O que você acha da possibilidade de modernização, processo que teve iní- um terceiro mandato, não do Lula, cio com a Constituição de 1988. Agora mas do mesmo projeto? faltam as próximas etapas. Independentemente de quem for O país não tem visão estratégica. o eleito, terá de fazer um upgrade do FHC e Lula tinham projeto de poder. que foi feito por Lula. Ele teve um papel Mas com esse modelo político é preci- relevante, conseguiu tirar o país da ar- so fazer uma tal ginástica para acomo- madilha da dívida interna pesada, que dar forças, para impedir a desestabi- veio da apreciação do real em 1994, e lização, que os presidentes acabam se instituiu políticas sociais de inclusão amarrando. São dois os grandes fatores irreversíveis. Ajudou a criar um novo de desestabilização, que começam a se padrão no mercado de consumo e anular. Um é o mercado. Se Lula tiver de consciência social, típica de país o mínimo de bom senso e não permitir moderno. O Brasil está entrando na a apreciação do real, fica livre do jugoFotos: Walter Craveiro 23 Teoria e Debate 83 H julho/agosto 2009
  2. 2. do mercado. O segundo fator é o papel Essa ofensiva da oposição é deses- que foram os que trouxeram a inova-da grande mídia, que começa a ser pero ou estratégia eleitoral? ção. Em termos de gestão, os progra-anulado pela popularidade de Lula O que está acontecendo agora com mas top vieram da área social: o Bolsae pela emergência da nova opinião a oposição é um pouco o que aconte- Família, o Luz para Todos... Quandopública, graças às novas tecnologias. ceu com o PT no começo do governo Lula completa esse ciclo, com essaCom a internet, blogs fazendo o con- FHC, com o Plano Real. Todo mundo popularidade, ocupa todo o espaçotraponto, reduz-se essa capacidade só pensava na instabilidade inflacio- de centro-esquerda.desestabilizadora da mídia. nária. Houve um esperneio para criar Serra, pelo PSDB, tinha dois ca- Às vezes criticamos Lula pela CPIs. Depois de 2006 Lula acabou for- minhos a seguir: ou se apresentavalentidão com que ele caminha, pelas talecido. Conheço muito militante pela direita como a grande esperançaalianças, mas a probabilidade de uma do PT que tinha se afastado em 2005 branca, ou pelo centro-esquerda comodesestabilização é muito grande. E e, quando iniciaram a campanha de um upgrade de Lula, a continuidadea oposição, então? Todo mundo fala desestabilização, voltou. O carisma com algo a mais. Mas Serra é, politi-“o PT fazia isso”. Quando não tinha pessoal de Lula é muito forte. Ele mon- camente, incompetente. É muito su-possibilidade política, o partido jogava tou uma estratégia tão brilhante em bordinado a FHC, que tem sobre elena desestabilização. No jogo político, termos de discurso que será analisada grande ascendência emocional. Deuquem está fora do poder é agressivo. na história do Brasil como uma ma- a guinada para a direita. Ele, que tinhaDepois, o PT virou poder, e aí pensa- nobra do nível de um Getúlio Vargas. bandeiras desenvolvimentistas no co-mos: “Agora vamos ter uma política de Apropriou-se dos pontos que eram meço dos anos 90, permite que Dilmapaís desenvolvido, programas de lado bandeiras do PSDB, estabilidade eco- ocupe esse espaço. Fecha com a Veja,a lado...” Mas o que faz o PSDB com nômica, não mexeu no BC – foi ruim com a Folha, pessoal que foi para a ul-a mídia? Parte para esse jogo de de- para o país, segurou o crescimento, tradireita, passa a se valer dos jornalis-sestabilização. Tudo o que aconteceu mas manteve a estabilidade – e, ao tas agressivos, alguns completamentetentaram transformar em escândalo mesmo tempo, passou a desenvolver desqualificados. E vai para a direitapara desestabilizar – até tapioca. A programas sociais. Isso graças a essa como um todo, e fica sozinho. Em Sãoponto de Sarney, hoje, virar fator de multiplicidade que é o PT, que tinha Paulo, diz que não está em campanha,estabilidade. É incrível ter de defender de Palocci aos movimentos sociais, mas faz tudo em função disso.Sarney. O novo presidente, com uma baseeconômica melhor, terá de ser muito “LuLa tem um carismamais ousado em relação ao Banco Cen- muito forte, montou umatral, ao qual Lula se subordinou, e vaiter de trabalhar com visão estratégica, estratégia tão briLhanteque é o que o PAC começa a desenhar. em termos de discursoO PAC rompe com a armadilha cria- que será anaLisadada por Marcílio, mantida por Malan econtinuada por Palocci. Então, o ter- na história comoceiro governo, do PT ou não, vai ter de uma manobra dodar esse salto porque o país está ama- níveL de um getúLio”durecendo, já tem uma massa críticade pensadores, um mercado internorobusto de multinacionais brasileiras,o pré-sal, que permitiu um grande sal-to, a discussão sobre educação, políticasocial... Lá na frente entenderemos aimportância dessa estabilização cominclusão social.Teoria e Debate 83 H julho/agosto 2009 24
  3. 3. Serra se inviabiliza sozinho porque foi a gestão Joel Rennó. Com relação a tindo para políticas compensatóriasnão tem marca política em São Paulo. marketing, por exemplo, a gestão de com rapidez e determinação. Já o BCEle é uma ameaça à pacificação. É o Alexandre Machado foi complicada. foi um desastre e sua atuação foi in-seu pessoal que monta CPIs, são os Qualquer projeto de marketing cultural jetar dinheiro nos bancos, sem exigirjornalistas ligados a ele que atacam tinha de passar por São Paulo. Tudo foi contrapartida. Só olhou os bancos, ecolegas. Na outra ponta, surge Aécio, abafado, foi o acordo entre José Dirceu não seus objetivos, que seriam em-com a imagem do avanço, a continua- e FHC para uma transição tranquila. presas e pessoa física. Aumentou osção melhorada de Lula. Se o PSDB fos- A Petrobras é uma empresa de ca- juros uma semana antes do estouro dase um partido racional, iria de Aécio, pital aberto. É tão provável encontrar Lehman Brothers. “Ah, mas o BC nãoe com ele haveria uma disputa, até trambicagens lá como no Grupo Ultra, podia adivinhar...” Só que em dezem-ideológica. Ele seria a consolidação na Odebrecht... Só que a empresa tem bro a economia estava desmanchandodo mercadismo... Aécio, em termos ferramentas que controlam isso, audi- e o relatório do BC dizia que estavade gestão, criou marca. Mas, como os toria, acionistas, tribunal de contas... robusta. Os dados estatísticos não ti-aliados de Serra fariam a mudança de Pegam uma companhia que é chave nham aparecido, e eles só conseguemlado, é complicado. para o desenvolvimento do país e co- entender economia depois de ver da- Serra esvaziou politicamente, pode locam no fogo. O PT, durante tanto dos. Se está desabando, comecem aestar com 35% nas pesquisas, mas a tempo, teve dificuldade de se con- diminuir os juros.tendência é declinante e irreversível. solidar porque passava a imagem de Lula disse que seria uma maroli-Só que ele criou em seu entorno um incendiário. O PSDB, que tinha aquela nha, e foi uma boa marola. Perdemoscírculo de interesses, de aliados. Tem imagem do razoável, cola em Serra uns 2 pontos de PIB, o que é muitao caixa mais fornido do PSDB, para essa imagem de que, se precisar de- coisa, por culpa do BC. E a imprensabancar aliados, está ligado à mídia e à sestabilizar o país para atingir o poder, fica numa sinuca de bico, porque oexecutiva do partido. A única esperan- desestabiliza. E o resultado é terrível ponto que tem para criticar Lula é oça de Serra reverter essa sua tendência para ele mesmo. Grandes empresas de BC. Mas quem o avaliza é a imprensa,declinante e a ascendente de Dilma São Paulo, que o viam com bons olhos que trata os pontos de vulnerabilida-é um escândalo. O que ele fez com porque era um desenvolvimentista, de de Lula como se fossem a herançaa Roseana, no caso Lunus, em 2002. hoje estão assustadas. bendita de FHC e diz que o problemaOs jornais perderam a capacidade de são os recursos do Bolsa Família, quegerar escândalos. Criaram anticorpos Serra tem consciência de que sua foi o que segurou o país. Foi esse mer-que agora são potentes na blogosfe- candidatura está naufragando? cado de consumo abastecido por Bolsara. Com os blogs, há uma articulação Ele não é de enfrentar grandes de- Família, salário mínimo, previdênciafantástica. Em 2006, eram quatro ou safios, para ser ministro da saúde re- social que segurou a peteca.cinco blogueiros atuando. Hoje há um lutou um mês. Tem aquela imagem de E agora o BC está, de novo, jogandouniverso de blogs, em que um escreve pessoa decidida, mas não é, travou na o câmbio para baixo. Esse é o ponto emum artigo e os leitores levam e trazem greve da polícia civil, no caso USP. Em que Lula tinha de ter ousado mais.artigos. Isso anula a capacidade de 2006, quando era para sair candidato,desestabilização da mídia, que per- abriu espaço para Alckmin, e agora já O jornalismo econômico respaldou,deu também a noção de princípios há sinais de que pretende se candida- sem mediações, o neoliberalismo.jornalísticos básicos pelo desespero tar à reeleição em São Paulo. Como se comporta após a deslegiti-de desestabilizar a candidatura Lula. mação dessa agenda, com a crise?Tentam agora apertar o botão verme- Como você avalia o desempenho do Continua a mesma porcaria. Falamlho, que é a CPI da Petrobras. país na crise econômica? o tempo todo: “Precisamos ter capital Em termos de política pública foi externo para o país crescer”. Daí vemO que você acha dessa CPI, de tentar fantástico. A atuação da área opera- uma crise, e o capital especulativo voa.desestabilizar um símbolo nacional? cional, Ministério da Fazenda, BNDES Assenta um pouco, e o capital espe- Se começar a colocar para fora, e bancos públicos foi extraordinária. culativo volta. O analista econômicoveremos que a pior fase da Petrobras Perceberam a gravidade no início, par- é avaliado pela margem de acertos de 25 Teoria e Debate 83 H julho/agosto 2009
  4. 4. suas previsões. Esse pessoal erra, rei- A mídia rejeita qualquer regulação. tinha mais informação do que osteradamente. O que seria razoável? leitores. Como o jornal abarca uma Fala-se que o custo Congresso e Direito de resposta. Sofri um ata- gama grande de temas, o jornalistao custo Judiciário são grandes, mas o que há um ano, entrei com o pedido conversa com a fonte, faz a matéria,maior que temos é o custo mídia. É a de resposta, caí na vara de Pinheiros, e o indivíduo que conhece sabe que émídia que pauta o Congresso, cria a que rejeitou. Daí recorri à segunda besteira, mas sobre o conjunto ele nãoinstabilidade, impede a discussão de instância, que reconheceu o erro, vol- sabe porque não domina. Na internetpolíticas de médio prazo, que acha tou para a juíza. E passou-se um ano. é diferente, porque eu publico umaque tem poder para derrubar ou pro- Tudo demora e é caro enfrentar uma matéria, 90% dos leitores não conhe-teger o criminoso que quiser. E é esse enorme corporação com seus próprios cem o tema, mas 10% que conhecemesquema que está sendo rompido com recursos. Nem essa regulação mínima, trazem informações adicionais, queas novas tecnologias. direito de resposta rápido, se tem. Re- pegam a globosfera. Hoje, a simetria solvi enfrentar a Veja, que abriu cinco de informações é contra os jornais, oNas eleições de 2006 a opinião pú- processos contra mim. Nem a ABI, nem conjunto dos leitores e blogs têm maisblica se descolou da mídia. Esse foi a Fenaj, nem o Sindicato dos Jornalis- informação do que os jornais.um fenômeno ocasional ou revela tas (de São Paulo) se manifestou. Sóuma tendência mais profunda? se manifestam quando é de interesse Só a internet não explica a perda de Veja, por exemplo, o blog da Petro- direto deles. Recebi apoios individuais, influência da mídia. Por exemplo, embras (www.petrobras.com.br/fatoseda- do Milton Coelho, do Mino Carta, do assembleia de orçamento participa-dos). Resolveram enfrentar. Há dois site Comunique-se, de leitores e de tivo de Betim, com 2 mil pessoas,anos fui vítima de ataques baixos da 800 blogs. Esses blogs são aliados para ao ser solicitado o e-mail apenasVeja e do blogueiro de Serra e resolvi essa situação, em outra dependerá. A 20 pessoas tinham. E Lula tem altaenfrentar. Está se tomando consciência internet é uma revolução, arrebenta penetração nessas camadas.de que não se pode curvar a cabeça. os esquemas tradicionais de poder e Mas nisso há influência das políti-Sarney conseguiu me tirar da Folha em influência. cas sociais. Lula passa para todos sua89. Um acordo entre ele e o jornal custou Gilmar Mendes fala em liberda- preocupação com a pobreza e a mi-a minha cabeça, seis meses depois de ter des individuais, mas não se manifesta séria, de quem viveu isso na carne. Jáganhado o Prêmio Esso. Hoje me vejo na quanto aos ataques contra a honra. Se FHC teve seu maior fator de desgastecontingência de defendê-lo porque sei o você não estiver acoplado a um grupo, em sua arrogância – nem para fingirque está por trás das denúncias. Há uma tem de se virar. A vantagem da internet solidariedade ao povo. O povo captaprateleira com denúncias contra quem é juntar vários setores de uma forma se o cara tem vergonha da própria ori-você quiser, esperando o momento em não alinhada. gem. E para um presidente, que estáque sirva a algum interesse escuso. A toda hora na TV, é difícil enganar. Essaquestão não é tirar Sarney para mora- Então não vê chance de regulação... autenticidade de Lula de não rejeitar aslizar. Em seu governo, o homem mais Tem de ter regulação, nos casos origens, com seu linguajar, é sua maiorpoderoso da República era Roberto Ma- de crimes contra a honra, de notícias força. Sua palavra o transformou numrinho. Nenhum ministro era indicado falsas que provocam comoção popular personagem de influência mundial. Esem seu aval e ganhou concessões de ou política. Mas a Justiça tem de regu- o pessoal caçoa...TV em função do poder que tinha sobre lar, não o Executivo. A Veja intimidaSarney. E hoje, no Globo, sai: “20 anos juízes e desembargadores. Coisa da classe média...de trambicagem de Sarney”. Se isso Não só a classe média, mas algunsnão for oportunismo, o que é? Sarney Você expressa forte convicção sobre jornalistas políticos, que são analfa-derrubou o governador do Maranhão as possibilidades abertas pela inter- betos. Por exemplo, o programa ha-Jackson Lago e a candidata derrotada net. Em que medida a web muda a bitacional ou o PAC do Saneamento,Roseane Sarney assumiu o cargo. Isso comunicação? o governo define regras e dialoga comé um escândalo – e a repercussão foi Antes, havia o poder da mídia, era os governos estaduais e municipais,nenhuma. a assimetria de informação: o jornal articulando os três níveis, sem prestarTeoria e Debate 83 H julho/agosto 2009 26
  5. 5. atenção em qual é política. Afinal, o ca- sempre foi questão de honra para os esse trabalho. Estivesse FHC à frentedastro é feito pela prefeitura. Além de liberais: dar o dinheiro e o cidadão do país na crise, ele teria seguido oser irreversível em termos de avanço gastar no que quiser. Mas os defen- receituário com um ajuste fiscal quefederativo e democrático, muda a face sores do neoliberalismo dizem que teria jogado o PIB lá embaixo.do país. O Bolsa Família é concedido há desperdício porque estão com-por um cartão, e não tem o retratinho prando geladeira e fogão. Os grandes Há alguma chance de regular a en-de Lula, mas é evidente que a popula- países são mais pragmáticos: se têm trada e saída de capital das grandesção percebeu sua solidariedade com um problema, pouco importa de que corporações?as famílias. lado vem a solução. Esse pragmatismo Com a crise, como os bancos esta- de Lula, que marcou muitas políticas vam abrindo o bico, havia espaço paraÉ um cartão e o cidadão faz o que sociais, deu um nó na cabeça de mui- fazer grandes reformas. Para apagarquer com o dinheiro. tos setores. o incêndio, Obama jogou muito re- Maria Inês Nassif, minha irmã, tem Há um fator de modernização que curso e, com isso, a pressão que haviaótimas análises sobre o Bolsa Família. podia ter avançado mais. Ainda há a para fazer as mudanças. O Brasil estáQuem cadastra é a prefeitura, e mesmo visão petista de que gestão é forma de novamente sendo alvo de uma ondaassim ele rompeu com o coronelismo. exploração. O Planejamento começa especulativa, e o BC não faz nada. EsteO programa é o que tem de top. Há in- a implantar mais ferramentas de ges- é o problema de Lula: não ter colocadodicadores, pesquisas qualitativas, um tão. Elemento essencial para dar esse um técnico no BC, com coragem decaminho traçado. Nem no Primeiro salto. O PT conseguiu criar modelos: inverter essa dinâmica.Mundo tem isso. Dilma com o PAC; o Minha Casa, Mi- nha Vida; o PAC do Saneamento... Em Pesquisa do IPEA identificou queDecisão importante de Lula foi consi- termos de modelos para gerir um país pobres pagam mais impostos doderar a Previdência solução. É o maior houve avanços modernizadores muito que os ricos. Uma reforma tributáriadistribuidor de renda do país. grandes, que passam desapercebidos é possível? Há uma pesquisa que revela que porque há uma guerra ideológica. No Toda forma de tributação implica55% dos aposentados são arrimo de primeiro mandato de Lula não havia imposto indireto. A carga tributáriafamília. São famílias não desagre- indicadores. Hoje, a Casa Civil realiza é elevadíssima. Mas o ponto central égadas, possibilidade de adolescenteestudar, menor criminalidade e me-nos problemas de saúde. Esse dado “o boLsa famíLialegitima a Previdência. Daí vem o pes-soal de mercado e solta um trabalho é concedido por umpara tentar provar que o aumento do cartão, e não temsalário mínimo amplia a propensão o retratinho de LuLa,à vagabundagem. Trata-se de genteque recebe R$ 500 por mês, R$ 400. É mas a popuLaçãoinacreditável que a imprensa dê es- percebeu suapaço para isso. soLidariedade com As zonas de miséria são de BeloHorizonte para cima; as zonas que es- as famíLias. étão crescendo acima da média nacio- irreversíveL e mudanal são de Belo Horizonte para cima. a face do país”A cara do Nordeste está mudando,foi criado um mercado de consumo.Temos uma empresa como a Nestlé,com estratégia de venda para a classeD e E. De outro lado, um princípio que 27 Teoria e Debate 83 H julho/agosto 2009
  6. 6. que tanto à esquerda quanto à direita corporações, a pequena e microem- o tempo, as informações vêm à tona.há uma visão muito preconceituo- presa não têm vez. Uma mudança ampla.sa em relação às empresas. No blog,quando ocorre alguma discussão so- Que mudanças relevantes têm ocor- Em termos de internet, o que vocêbre tributação, há muitos leitores do rido no mercado de mídia? acha mais interessante e promissor?PT que acham que tem de ter tributo O mercado de opinião é composto A interação informal entre os blogsalto, mas isso significa, na ponta, o por quatro grupos, Globo, Abril, Folha é uma revolução. Há as redes sociais,consumidor pagando. A desoneração e Estadão. Eles competiam entre si, muito relevantes. Tenho uma rede li-da folha de pagamentos é extraor- mas em 2005 fizeram um pacto, pois gada ao blog de 4.700 pessoas gerandodinária porque abre espaço para a tinham um novo “inimigo”: as novas informação. A próxima etapa será aformalização do emprego. Hoje, o tecnologias e os novos grupos de tele- criação de sites que agregarão e darãoemprego com registro em carteira fonia que dominarão a comunicação. massa crítica a essas informações, hojeé penalizado. Jornalista recusa por Desses, a Folha não sobrevive, o Uol, pulverizadas. Isso vai caminhar com acausa dos descontos, e para a empre- sim; o Estadão está à venda; a Abril web2 para formas gradativas de demo-sa é um custo enorme. Em um país tem uma capacidade de se endividar cracia direta. Com a internet, esse mo-que, para crescer, precisa ter emprego permanente; a Globo é o único que delo político acaba. A cada denúncia,formal e pequenas e microempresas tem fôlego. os leitores trazem mais informações,fortalecidas, o custo sobre a folha é O pacto que eles fizeram era para de modo que ficou impossível man-irracional. Já à direita, essa visão de derrubar o governo porque achavam ter a política tradicional. Esse modelomercado, qualquer demanda da eco- que teriam poder para barrar a entrada que tem um candidato, fornecedoresnomia real é vista como choradeira. A dos novos grupos. Mas não percebe- que bancam a campanha e caixa doisempresa e o empregado são parceiros. ram o avanço da internet, o fortale- tende a desaparecer. Um conjunto deO ambiente que garante o emprego é cimento de Lula, o aparecimento da leitores me trouxe informações no casoaquele em que o modelo econômico nova opinião pública e tinham uma da CPI do Grampo que desmoralizavafavorece as empresas, que geram em- geração de diretores de redação que o factoide.pregos e salários. talvez seja a mais medíocre que já vi Aqui o modelo favorece o espe- em quase 40 anos de jornalismo. Como avalia a formação de um setorculador financeiro. O grande capital público de comunicação, em parti-brasileiro, em vez de ser investido no Há censura no Brasil, hoje? cular a TV?país, está em fundos offshore e retorna Há interdição do debate na mídia. A TV pública é fundamental por-como recurso estrangeiro. Haverá de Em outros países o jornalismo é mais que a privada não cumpre as obriga-ter um pacto em favor da produção. austero, trata temas relevantes, ajuda a ções: abrir espaço para os grandesHá três empregadores no país: o Es- formular políticas públicas. No Brasil, debates nacionais, para a cultura etado, as empresas e o terceiro setor. A nos anos 90, os jornais enveredaram integração nacionais, a informaçãomídia consegue colocar os três como pelo sensacionalismo para melhorar de qualidade. Mas deve haver umaadversários, e eles não são. O cresci- a tiragem a qualquer preço e se dis- governança muito bem definida, commento de um país se dá em cima de tanciaram dessa função. autonomia orçamentária, para evitargrandes empresas que ajudam a de- Temos hoje uma estrutura de gru- a influência do governante de plan-senvolver tecnologia, das pequenas e pos de conhecimento de um país de- tão. A referência é o modelo inglês, amicroempresas que geram emprego senvolvido, na área social, em saúde, BBC. Tinha um programa de discussãoem parceria com o governo. Lula tem gestão, há especialistas para todas... de políticas públicas na TV Cultura,isso claro quando faz propaganda do Em outros países essas ideias ganham estava negociando o programa, e Serraproduto brasileiro no exterior. Outro corpo e se disseminam por intermé- cortou meu pescoço. Agora estou indoproblema que o próximo presidente dio dos partidos, universidades, e por para a TV Brasil. ✪vai ter de enfrentar é que, para Lula, uma imprensa de opinião. Aqui não nilmário Miranda é presidente da Fundaçãoassim como para FHC, a economia temos nenhum dos três. Com a inter- Perseu Abramoé mercado financeiro e grandes net, comunidades se articulam e, com rose spina é editora de Teoria e DebateTeoria e Debate 83 H julho/agosto 2009 28

×