Da criação à utilização:Espólios patrimoniais em bibliotecas especializadasEunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoAcer...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoSumário1. Coleções existentes na BA2. Integração e ut...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoColeções especiais220225.000 imagens digitais disponí...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoEspólios de artistas e arquitetos portuguesesAmadeo d...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoMetodologia utilizada para definir políticas deacesso...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão                  Obras de arte do domínio público / ...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão A obra de arte é ou não o motivo principal da fotogr...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoObras de arte feitas para serem mantidas permanenteme...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão Retratos de figuras públicas / Retratos de pessoas s...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoMarcas comerciaisInteresse dos documentos para a hist...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoReserva sobre a intimidade da vida privadaDesenhos de...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão               Reserva sobre a intimidade da vida pri...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão                        Política de acesso e difusão ...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão                  Política de acesso e             di...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão                     Política de acesso e            ...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão                    Política de acesso e difusão     ...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão                  Política de acesso e difusãoRegisto...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoPolítica de acesso e difusão - algumas questõesProven...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoProcessamento bibliográficoAbordagem tradicionalConte...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoProcessamento bibliográfico-Conhecimento detalhado da...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoRepresentação da ordem lógica originalCriação de camp...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoPesquisa, acesso e utilização das coleções1. Modelo C...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão1.3. Acesso e apropriação dos ficheiros digitais- A p...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão1.3.1. Outras formas de apropriação da informação
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão2. Do universo fechado ao mundo infinito: reutilizaçã...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão                     Utilização das coleçõesPúblico e...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoCatálogo WWW (2011)Pesquisas restringidas a coleções ...
Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão                                  ObrigadoEunice Pint...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Da criação à utilização: Espólios patrimoniais em bibliotecas especializadas / Eunice Pinto, Jorge Resende, Paulo Leitão

329

Published on

As colecções patrimoniais da Bilioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian: boas práticas de organização, digitalização e acessibilidade.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
329
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Da criação à utilização: Espólios patrimoniais em bibliotecas especializadas / Eunice Pinto, Jorge Resende, Paulo Leitão"

  1. 1. Da criação à utilização:Espólios patrimoniais em bibliotecas especializadasEunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoAcervos patrimoniais: novas perspetivas e abordagens ICampo Arqueológico de Mértola I 16 de Março I 2012
  2. 2. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoSumário1. Coleções existentes na BA2. Integração e utilização de acordo com o quadro legal3. Processamentobibliográfico4. Pesquisa, acesso eutilização
  3. 3. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoColeções especiais220225.000 imagens digitais disponíveisBibliotecas particulares (Calouste Gulbenkian, Ernesto Soares,José-Augusto França, Reis Santos, Ana Hatherly)Coleções fotográficas 180 coleções 367.000 espécies 89.000 espécies digitalizadasEstúdio Novais, Azulejaria portuguesa, A arquitetura gótica emPortugal, A talha em Portugal, Do Estádio Nacional ao JardimGulbenkian….
  4. 4. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoEspólios de artistas e arquitetos portuguesesAmadeo de Sousa Cardoso1.695 manuscritos, 713 fotografias, 658 recortes deimprensa, 196 monografias, 27 publicações periódicas e 8 objetospessoais do pintor Amadeo de Sousa CardosoDiogo de Macedo467 dossiers, com documentos diversos sobre a vida e obra doescultor e crítico de arte Diogo de Macedo, organizados pela suaviúva, Eva de Macedo. Recortes de imprensa, fotografias, publicaçõesperiódicas e correspondência, num total de 58.496 imagens.Cristino da Silva, Raul Lino780 projetos, 19.000 desenhos, memóriasdescritivas, correspondência, fotografias
  5. 5. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoMetodologia utilizada para definir políticas deacesso e difusão das imagens digitais: Direitos de autor de personalidade : reserva da vida privada, imagem segurança e confidencialidade proveniência e condições de incorporaçãoModalidades de disponibilização Internet Intranet Consulta a pedido
  6. 6. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão Obras de arte do domínio público / protegidasIgreja de Santo André, Aveiro : painel de azulejo padrão / fot. João Miguel dos Santos SimõesCol. Azulejaria portuguesa. CFT009.11Fernando Fernandes (1924- )– Veado, 1957 / fot. Abreu NunesCol. I e II Exposição de Artes Plásticas. CFT032.1/293
  7. 7. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão A obra de arte é ou não o motivo principal da fotografiaVista da I Exposição de Artes Plásticas / fot. Abreu Nunes. 1957Col. I e II Exposição de Artes Plásticas. CFT032.1/294
  8. 8. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoObras de arte feitas para serem mantidas permanentemente em locaispúblicos / património de particulares não visível da via pública[Quinta da Agrela, Santo Tirso, projeto de Francisco Caldeira Cabral] / fot.Manuel Silveira Ramos. 2002-2003Col. Do Estádio Nacional ao Jardim Gulbenkian. CFT169.753
  9. 9. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão Retratos de figuras públicas / Retratos de pessoas sem notoriedade pública Fotografias ocasionais em locais públicos / Eventos ou cerimónias privadasBaile, Lisboa, 1928 / fot. Mário Novais, 1899-1967. 1928. Col. Estúdio Mário Novais.CFT003.050879Exposição do Mundo Português, Lisboa, 1940 :inauguração / Horácio Novais. 1940
  10. 10. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoMarcas comerciaisInteresse dos documentos para a história da fotografia, pelo seu valorestético ou científico Reclame luminoso, Lisboa, Portugal / fot. Horácio Novais. [s/d] Coleção Horácio Novais. CFT164 050607.ic
  11. 11. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoReserva sobre a intimidade da vida privadaDesenhos de exteriores (alçados) / Desenhos de interiores(cortes, plantas)Questões de segurança / confidencialidadeEstabelecimentos e serviços prisionais ; desenhos de especialidadesDesenhos atuais / desatualizados ; edifícios demolidosDivulgação Casa unifamiliar, Lisboa cortes, plantas, pormenores / projeto Raúl Lino. 1912
  12. 12. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão Reserva sobre a intimidade da vida privada CorrespondênciaCartas confidenciais / não confidenciaisSujeitas a direito de autor ou nãoDivulgadas ou nãoAutoria do produtor do espólioou de terceiros [Carta] a Lúcia / Amadeo. Vila do Conde, 1910. Espólio de Amadeo de Sousa Cardoso. ASC12/07
  13. 13. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão Política de acesso e difusão Retratos. fotografias com pessoas1. 1 Retratos de figuras públicas (políticos, artistas, etc.) Internet1.2 Imagens representando figuras públicas no exercíciodas atividades que deram origem à sua notoriedade Internet(imagens de representações teatrais, de atos políticos,etc.).1.3 Retratos ou fotografias com pessoas sem notoriedade A pedidopública e encomendadas para uso privado.1.4 “Fotografias ocasionais” : documentam factos Internetocorridos publicamente em lugares públicos, seja qual foro seu grau de importância- Exposição do MundoPortuguês, desastres, cenas de rua, passeios em jardinspúblicos, etc.1.5 Fotografias com pessoas incluídas em
  14. 14. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão Política de acesso e difusão Desenhos de arquitetura Edifícios ou partes Edifícios ou partes de edifícios de de edifícios de acesso público acesso reservadoAlçados Internet InternetPlantas Internet A pedidoVistas aéreas/Plantas de Internet Internetlocalização/ implantaçãoPlantas esquemáticas Internet InternetPlantas desatualizadas Internet InternetCortes Internet A pedidoPerspetivas exteriores Internet InternetPerspetivas interiores Internet A pedidoPormenores Internet InternetDesenhos já publicados Internet Internet
  15. 15. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão Política de acesso e difusão Correspondência Internet Intranet Apedido1. Cartas de natureza não confidencial e de autor identificado.7.1.1. Cartas do domínio público e que sejam inéditas,com exceção do caso referido em 7.1.27.1.2. Documentos do domínio público e divulgados comoinéditos, há menos de 25 anos, por iniciativa de outra entidade que não a FCG. (obtida autorização, poderão ser disponibilizadosna Internet).7.1.3. Cartas que ainda não caíram no domínio público,mas que já foram divulgadas.7.1.4. Cartas que ainda não caíram no domínio públicoe que sejam inéditas.7.1.5. Caso específico- cartas que haja interesse em divulgar,como “obras póstumas”:
  16. 16. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão Política de acesso e difusão Registos bibliográficos da coleção e das espéciesA informação a incluir nos registos bibliográficos deve obedecer aos seguintescritérios:-devem identificar-se as entidades, nomeadamente museus, onde foramfotografadas obras de arte;- devem identificar-se, sempre que possível, as entidades cuja atividade édescrita e documentada pelas fotografias (por exemplo, imagens de edifícios ede interiores de empresas, relativas a reportagens);- a informação disponibilizada ao público relativa à identificação dos edifícios e debens de particulares, deve ser elaborada de modo a respeitar a intimidade davida privada; não poderão, nomeadamente, serem incluídos nos registos dadospormenorizados sobre o nome do proprietário, a localização de edifícios - comonome da rua e número de porta-, podendo somente ser indicada a localidade;informação mais pormenorizada deve figurar em nota interna, sendo facultadaaos investigadores caso a caso.
  17. 17. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão Política de acesso e difusãoRegistos de exemplar Tipo exemplar : Reservado 1 Estado exemplar: “ar” (acessível em rede)“Disclaimer” sobre as condições legais a observar na utilização dasreproduções digitais, e responsabilidades da biblioteca de arte nessamatéria . Deve ser utilizado o Modelo A.
  18. 18. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoPolítica de acesso e difusão - algumas questõesProveniência e condições de incorporação das coleçõesDefinição prévia de opção a adotar: Disponibilizar de forma mais restrita ou obter autorizações? Prever utilização das coleçõesAnálise sistematizada das tipologias documentais, sob o pontode vista da sua disponibilizaçãoUtilização flexível as modalidades de disponibilização
  19. 19. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoProcessamento bibliográficoAbordagem tradicionalContexto: a unidade documental é o documentoA existência de coleções patrimoniais com diferentes tipologias e unidadesdocumentais conduz a:Abordagem atualContexto: análise e representação consistente das relações entre conjuntos dedocumentosDeterminar a política de processamento bibliográfico a adotar na descrição eficazde cada coleção, para facilitar o acesso por parte de quem investigaO acesso à diversidade de coleções patrimoniais é otimizado a partir de umaabordagem unificada do processamento bibliográfico
  20. 20. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoProcessamento bibliográfico-Conhecimento detalhado das necessidades dosutilizadores-Gestão consistente dos recursos financeiros ehumanos- Definição da estrutura dos registos e sua adequaçãoàs funcionalidades do software de gestão documental- Identificação dos instrumentos normativos a utilizarna descrição e representação de cada coleçãopatrimonial
  21. 21. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoRepresentação da ordem lógica originalCriação de campos de uso local para assegurar asligações entre os núcleos documentais/documentosRelações hierárquicasRecíproca: campos 469 e 499 Unívoca: campo 459Relações de equivalênciaObras relacionadas: Campo 488
  22. 22. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  23. 23. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  24. 24. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  25. 25. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  26. 26. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  27. 27. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  28. 28. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoPesquisa, acesso e utilização das coleções1. Modelo Catálogo 1.1. Pesquisa por palavra 1.2. Partições específicas – pesquisa e navegação
  29. 29. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  30. 30. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  31. 31. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  32. 32. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão1.3. Acesso e apropriação dos ficheiros digitais- A partir dos registos bibliográficos- Formato dos ficheiros: PDF- Implementação dos requisitos definidos na Política deAcesso para cada coleção
  33. 33. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  34. 34. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  35. 35. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  36. 36. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão1.3.1. Outras formas de apropriação da informação
  37. 37. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão2. Do universo fechado ao mundo infinito: reutilização da metainformação e dos conteúdos 2.1. Reutilização de metainformação: EUROPEANA 2.2. Reutilização e socialização de conteúdos: FLICKR
  38. 38. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  39. 39. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  40. 40. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  41. 41. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  42. 42. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  43. 43. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão
  44. 44. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão Utilização das coleçõesPúblico especializadoInvestigações, tesesPesquisas feitas por museus, galerias, universidades, editoras, etc.:preparação de exposições e catálogos, publicações, projetos dedisponibilização de informação em linha, parcerias comuniversidades em projetos de investigação, empréstimo de obraspara exposições.Público geral – consulta de coleções digitalizadas em linha(2011)Catálogo WWW - 63.804 visitantes únicos, que realizaram 255.985visitas e 2.217.704 pesquisas.Sítio Web da Biblioteca de Arte - 57.684 visitantes, os quaisrealizaram 96.799 visitas.Flickr –1.510.213 visualizações.
  45. 45. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo LeitãoCatálogo WWW (2011)Pesquisas restringidas a coleções – 4.822Pesquisas restringidas a coleções digitalizadas – 1.129Consultas de originais de coleções especiais não processadas ouparcialmente processadas (2011): 182 Empréstimos por habilitações (2011) 15048 15529 350
  46. 46. Da criação à utilização I Eunice Pinto I Jorge Resende I Paulo Leitão ObrigadoEunice Pintoepinto@gulbenkian.ptJorge Resendejresende@gulbenkian.ptPaulo Leitãopjleitao@gulbenkian.ptFundação Calouste GulbenkianBiblioteca de Artehttp://www.biblarte.gulbenkian.pt/

×