Contributos para o trabalho de grupo trabalho colaborativo

  • 834 views
Uploaded on

 

More in: Technology , Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
834
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
4
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Caros colegas<br />Contributos para o trabalho de grupo<br />Fica aqui o meu contributo para o trabalho de grupo, resultado de leituras e algumas pesquisas devidamente assinaladas. No final do texto fica uma nota sobre as possíveis estratégias de desenvolvimento e conclusão do trabalho.<br />O AMBIENTE / CLIMA DE ESCOLA<br />Tópicos associados: <br />A liderança (administração), a sua força e eficácia <br />Monica Gather Thurler, Inovar no Interior da Escola, 2001<br />Estilos de liderança - Relações profissionais, culturas institucionais e mudança (Comparação entre diferentes tipos de liderança na escola – autoritária e liberal, descentralização, pastoral, maestro e cooperativa):<br /> LIDERANÇA AUTORITÁRIA E LIBERAL<br />Relações profissionais (corpo docente) – individualismo<br />Consenso em relação aos objectivos – consenso fraco<br />Estilo de funcionamento – laços fracos<br />Incidências sobre a mudança – pontuais e específicas <br /> LIDERANÇA COOPERATIVA<br />Relações profissionais (corpo docente) – cooperação profissional<br />Consenso em relação aos objectivos – acordo e regulação permanentes<br />Estilo de funcionamento – desenvolvimento profissional e organizacional<br />Incidências sobre a mudança – mudança como componente da organização<br />(Turner, Barling e Zacharatos, 2002)<br />LIDERANÇA TRANSFORMACIONAL, aquela em que o líder se afirma pela sua capacidade para propor e gerir as mudanças no seio da organização. Ocorre quando o líder fortalece, nos seguidores, a noção da missão ou visão para a qual eles trabalham, criando assim uma situação em que os seguidores se sentem entusiasmados e interessados nos objectivos comuns.<br />O clima de escola/a cultura de escola<br />Luc Brunet (ver em: http://www2.dce.ua.pt/docentes/ventura/ficheiros/documpdf/luc%20brunet.pdf, )<br />Características do clima de trabalho e eficácia na escola: Os actos e os componentes na direcção são os determinantes principais do clima de uma organização. O clima é um elemento estável no tempo e evolui muito lentamente. Para o modificar tem de se proceder a alterações importantes nos próprios alicerces da instituição.<br />Categorias do clima: Clima fechado - ambiente autocrático, rígido, constrangedor, onde os indivíduos não são considerados nem consultados. Clima aberto – meio de trabalho participativo, no qual o indivíduo tem um reconhecimento próprio no quadro de uma estratégia de desenvolvimento do seu potencial.<br />Douglas Reeves, How do you change school culture?, 2007<br />O desenvolvimento educacional mostrou que mudança de políticas sem mudança de cultura é pura futilidade e frustração. O verdadeiro desenvolvimento da escola começa com a mudança de cultura e a mudança de cultura começa nos órgãos de gestão da escola (voltamos à liderança).Como mudar a cultura das escolas de forma duradoura?<br />Definir aquilo que não constituirá foco de mudança. Identificar valores, tradições e relações específicas que são de manter. Directores eficazes colocam a mudança num contexto de estabilidade. Líderes eficazes identificam mudanças e constroem a partir das tradições em vez de competir com elas.<br />Reconhecer a importância das acções. Para implementar reformas inovadoras o director tem de estar disponível para fazer mudanças ao nível da tomada de decisões, da gestão de tempo pessoal e das relações dentro da comunidade educativa.<br />Usar as ferramentas de mudança adequadas à escola–ferramentas de cultura, poder, gestão e liderança.<br />Disponibilizar-se para a acção global. Aqueles que aspirem a mudar a cultura de escola, têm forçosamente de fazer uma actividade de substituição ou qualquer outra, demonstrando que nãohátarefas mais ou menos importantes na escola<br />O efeito de contágio – proponho que os colegas desenvolvam este tópico.<br />Inovação de meios e articulação de saberes - proponho que os colegas desenvolvam este tópico.<br />O PROPÓSITO<br />A colaboração é sempre voluntária e assenta em factores de motivação intrínseca, apela à autonomia e combina processos de trabalho individual e colectivo. Há duas forças que se interrelacionam – o grupo como agente de apoio individual e o indivíduo, cujo envolvimento para colaborar repousa no seu interesse em partilhar com o grupo a realização de tarefas. É necessária uma maior maturidade cognitiva nas práticas colaborativas do que nas cooperativas. A cooperação baseia-se na distribuição de tarefas e responsabilidades pelos elementos do grupo, para atingir determinado objectivo. Na colaboração negoceia-se e orienta-se a interacção visando um objectivo comum, através do consenso. Pressupõe uma definição colectiva de objectivos e pretende que cada membro, individualmente, seja responsável por atingir o objectivo de grupo e não o objectivo individual. Daí a maior necessidade de maior maturidade dos intervenientes. Este aspecto está muito relacionado com a liderança e o seu peso nas práticas colaborativas na escola. Daí ser essencial que para haver mudança, e necessariamente propósito dos intervenientes, tem de se verificar uma alteração na liderança das escolas.<br />O texto Teamwork is a make or break situation…. ou Dez formas de distinguir entre uma equipa ou um grupo” pareceu-me essencial para a diferenciação entre o trabalho cooperativo e o trabalho colaborativo, com a caracterização do que se considera um grupo ou uma equipa. Para haver propósito é necessário que se trabalhe em equipa:<br />
    • Compreensão - Numa equipa os seus elementos reconhecem a sua individualidade e compreendem que os objectivos pessoais e de grupo são mais facilmente atingíveis com apoio mútuo
    • 2. Pertença – Numa equipa os membros têm um sentimento pela unidade, porque estão relacionados com valores e objectivos comuns que ajudaram a estabelecer.
    • 3. Criatividade e contributo – Numa equipa, os membros contribuem para o sucesso da organização, investindo os seus talentos, conhecimento e criatividade em prol dos objectivos comuns.
    • 4. Confiança
    • 5. Compreensão comum
    • 6. Desenvolvimento pessoal
    • 7. Resolução de conflitos
    • 8. Tomadas de decisão
    • 9. Liderança clara e efectiva
    • 10. Propósito – Numa equipa os seus elementos são recrutados na base dos seus elevados níveis de competência.
    Deixo estas sugestões de trabalho dentro dos dois tópicos escolhidos e, faço notar que nunca foram por nós discutidas as estratégias do trabalho de grupo. Faço aqui a sugestão de um de vós poder pegar neste esboço, introduzir-lhe mais elementos e voltar a por aqui o texto para outro lhe pegar, até atingir a forma finalizada de um trabalho de grupo. Se for necessário definir quem finaliza este trabalho, peço que a escolha não recaia sobre mim, estou muito atrasado na disciplina de Educação e Sociedade Actual que aponta para o dia 17 de Novembro como limite para a participação em fórum moderado (certamente não sou o único) e vou ter um fim de semana bastante atrapalhado. Noutra altura poderei dar outros contributos ao grupo. Gostava que deixassem a vossa opinião sobre o que referi.<br />Um abraço para todos<br />JAM<br />