• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
O mistério do rio douro
 

O mistério do rio douro

on

  • 367 views

 

Statistics

Views

Total Views
367
Views on SlideShare
367
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    O mistério do rio douro O mistério do rio douro Document Transcript

    • O Mistério do Rio Douro Noticia de últimahora”O Rio Douro desapareceu”. O país ficou em estado de choque, os peixes morriam asfixiados, as margens perderam o verdedas plantas,barragensvazias,os campos estavamsecos. Quem foi lávisitarviu uma triste paisagem: plásticos, latas,garrafasde vidro, papéis, restos demateriais das obras e barcos encalhados impedidos de transportarpessoas e mercadorias…. No arsente- um cheiro nauseabundo devido ao lixo e aos seres vivos inanimados. se As barragens estão sem água; não há electricidade suficiente parailuminar as casas e as ruas.Com o chegarda noite, ouve- muito barulho e muita confusão e chega mais uma má notícia: as casas sede Gaia e Porto estão a ser assaltadas. A confusão continua a aumentar e ao amanhecer as pessoasestãoem estado de histeria. Cada qual dá a sua opinião. Uns dizem que se pode aproveitaro traçado e efectuaruma boa estrada, outros pensam que a água pode ser trazida de outros rios como se faz em França,outrosauto-ainda, acham que esta é uma boa oportunidade parase limpar o percurso do rio de toda a poluição eassim assegurar um rio mais saudável, isto, depois claro está de se averiguar o porquê dodesaparecimento da água. O governo não sabia o que fazer,e logo nomeou uma comissão paratratardo assunto.
    • Na margem, encontrava-e uma turmade um quartoano que estavaa tentardescobrir o porquê sda faltada água. - Deve tersido uma represaa montante- disse o Nuno. - Não nenhuma represaconseguia segurartantaágua. - respondeu a Irene. -De qualquermodo vamos nós tentardescobriro mistério. – afirmou o Luís. E todos juntos arrastarama professorae começaram a subir o rio. Andaram, andaram e nadanão se conseguia perceber o desaparecimento da água. Pelo caminho foram limpando, fechando osesgotosque se viam a desaguarno rio e tirando todo o lixo que iam encontrando. Quando deram por elaestavam milhares de crianças a fazer a mesma coisa. Todas as escolas se tinham unido e estavam afazero que os adultose o governo não tinhafeito. O rio estavaa ficarlimpo. E surpresa das surpresas… a água começou a surgir da terra. A naturezaé que tinha decididoobrigaros homens a olharem- e a conserva-a. na lTodas as pessoas se reuniram e resolveram festejar este milagre com uma grande festa ondepartilharamcomida, bebidas e dançarem atéficarem cansadas. - Mamã,o rio voltou! - Exclamou a menina pequenina - Pois sim, minha linda filha.- afirmou a mãe da pequenina.E o rio realmente tinhavoltado. Masestavasozinho. Não tinhavida, isto é peixes. No céu apareceram bandos de pássaros que traziam corações de bolsas de alguma coisa queninguém percebia de que eram. Eram bolsas de água cheias de peixes, que os pássaros tinham ido
    • encher a outros rios e estavam a devolver ao Douro, pois também queriam colaborarcom todas ascriançase ajudara tornaro rio bonito saudável. No final,os pássarosem bando fizeram um coraçãoedentro do coração estavauma mensagem que dizia: obrigado. Nós também dependemos do rio paraviver. As pessoas dos outros distritos ouviram no telejornal, que os meninos salvaram o rio Douro,então decidiram incentivaros seus filhos a limpar, respeitare proteger os seus rios. Com esta decisão,este líquido maravilhoso, a água, correria livremente em todos os rios. Todo o ecossistema ganhariasaúde e as pessoaspoderiam frequentaras praiasfluviais novamente. E quem gostade pescar?Pescariafeliz com a certeza que esses peixes de água doce iriam fortalecer a saúde e bem-estar dos seusqueridos familiares e amigos. O barbo, a truta,a boga, a enguia, a lampreia, o savél,a perca, o lúcio,ou o escalo e todos os outros peixes passaram a ser vistos e servidos ás mesas dos barcos quetransportavamos turistasrio acima. Passado algum tempo, o Presidente da República, recompensou as criançasoferecendo-lhes ummonumento com o nome “ Os vinte e quatro heróis”. Na sua base podia ler- “ o homem é uma se:vontade, uma forçae um conhecimento que tendem parao infinito.” (GiambattistaViço) A partirdesse dia os alunos formaram equipas de serviço paradivulgarmedidas de prevençãoàs catástrofesnaturaise estavamsempre prontosa socorreraos gritossilenciosos da natureza.
    • Perante tal acto de solidariedade e de defesa, o Presidente da Câmara do Porto ofereceu aChave da Cidade como reconhecimento. As crianças agradeceram e responderam citando Gustave LeBon “As vontades débeis traduzem-se em palavras;as vontades fortesem actos”. Alguns dirigentes ainda tentaramtiraralgum partido do novo rio, mas as criançasdisseram emcoro: Quem nada fez, não tem direito a vir agorainaugurarnem dizer que é sua o que fomos nós ascriançasque fizemos. Nós somos o futuro e se não o salvaguardarmos não o vamos ter. Que tudo istosirvade lição aos governantese que e pensem nos filhos e netos que hão- nascer e que merecem um demundo melhor. Março/2011 Turmado 4º ano EB1/JIAgra