Your SlideShare is downloading. ×
Visão de quem vende, Visão de quem compra
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Visão de quem vende, Visão de quem compra

2,787
views

Published on

Published in: Health & Medicine

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,787
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Visão de Quem VendeVisão de Quem Compra Gabriel PalneSaúde Business Fórum - 2012
  • 2. Complexidade• Setor de Saúde possui diversos atores com objetivos diversos: – Operadoras de Planos de Saúde; – Prestadores de Serviços (Hospitais, Home Care,...); – Pacientes; – Fornecedores;• Cada um trabalha de forma independente, ao invés de trabalharem de forma colaborativa para gerar valor;• Peso excessivo aos resultados de curto prazo;
  • 3. Operadoras de Planosde Saúde• Aumento dos custos assistenciais, oriundos de inclusões de novas terapias não previstas anteriormente por parte da ANS;• Decisões judiciais sem respaldo médico;• Rede cada vez mais consolidada em conglomerados econômicos;
  • 4. Operadoras de Planosde Saúde Custo Médio por Internação R$12,000.00 R$10,000.00 R$8,000.00 R$6,000.00 R$4,000.00 R$2,000.00 R$- 2007 2008 2009 2010 2011 Autogestão Cooperativa médica Filantropia Medicina de grupo Seguradora especializada em saúde Entre 2007 e 2011: Autogestão: 47,94% | Cooperativas Médicas: 69,01% | Filantropia: 7,85% Medicina de Grupo: 61,02% | Seguradora Especializada em Saúde: 33,79%
  • 5. Operadoras de Planos de Saúde Operadoras de planos privados de saúde em atividade (Brasil - dezembro/1999-março/2012)2,400 2,003 1,990 1,9682,000 1,747 1,646 1,5761,600 1,524 1,488 1,377 1,269 1,216 1,183 1,176 1,1781,200 1,072 1,080 1,050 1,063 1,009 1,028 998 995 957 1,006 1,008 1,016 1,006 1,003 800 400 0 dez/99 dez/00 dez/01 dez/02 dez/03 dez/04 dez/05 dez/06 dez/07 dez/08 dez/09 dez/10 dez/11 mar/12 Médico-hospitalares Médico-hospitalares com beneficiários
  • 6. Prestadores de Serviços(Hospitais, Home Care, ...)• Altas taxas de glosas;• Tabelas de serviços que não acompanham a inflação;• Implicações legais;• Escassez de mão de obra qualificada;
  • 7. Prestadores de Serviços(Hospitais, Home Care, ...)• Pesquisa DataFolha 2006/2007: – Os problemas que ocorrem com maior frequência e que mais preocupam os hospitais são: • pagamentos (86%), mais especificamente glosas, falta de reajustes e atrasos, e a liberação de guias (75%) • Falhas no atendimento (52%) • Problemas de cobertura (25%) • Remoção de pacientes para outros hospitais (14%)
  • 8. Prestadores de Serviços(Hospitais, Home Care, ...)• Pesquisa Vox Populi (2010) – Sindhosp/Fehosp – Principais problemas: • Glosas aparecem em primeiro lugar geral, com 44,9%; • Para hospitais, a demora para liberação de procedimentos como internação, cirurgias e exames, vem em primeiro lugar com 51% das respostas; • Demora no pagamento (16,1%); • Dificuldades de contato com as centrais de atendimento (15,8%); • Dificuldades para negociar reajustes (13,9%) - O reajuste médio recebido em três anos foi de 4,5% x IGP- M foi de 21,31%, e INPC de 17,84%;
  • 9. Pacientes“Registros de erros médicos crescem 52% entre os anos de 2010 e 2011” (notícia G1 de 11/05/2012) “Crescimento da saúde suplementar não acompanha qualidade do serviço” (notícia Saudeweb de 31/08/2012) “..., a grande dificuldade apresentada à ProTeste pelos consumidores brasileiros, ..., é “no acesso a uma rede adequada para atender a essa quantidade de novos beneficiários”.
  • 10. Pacientes “Hospitais e clínicas vão adotar Programa Nacional de Qualidade em Mamografia” (notícia Saudeweb de 04/04/2012)“Estima-se que 60% das mamografias realizadas em todo o Brasil contenhamerros, sujeira, impressões digitais, revelações mal feitas, chapas tremidas ou riscadas que acabam levando a um diagnóstico errado ou tardio”
  • 11. Pacientes
  • 12. Quando todos ganham? “Bons resultados são  Hospitalizações menos complexas; conseguidos com menor Operadoras  Recuperações mais rápidas; custo, porque o que determina o de Planos  Métodos menos invasivos; de Saúde  Menores complicações ou custo é o quão doente as pessoas agudizações; estão. Quanto mais saudáveis elas estão, menos custos elas trazem para o sistema” Michael Porter Melhor  Remuneração Melhor qualidade de Saúde alinhada aos vida; resultados; Menor tempo de  Maior capacidade hospitalização; Pacientes Prestadores estrutural; Complicações mais  Recursos mais leves; qualificados; Menor risco de vida;  Melhor imagem institucional;
  • 13. Valor• Valor = Benefícios / CustoMichael Porter definiu VALOR, em saúde como: Valor = Resultados para o paciente Custo total Por que Valor para os pacientes deve ser o centro das ações?
  • 14. Resultados parao paciente Hierarquia de Medidas de Resultados Camada Sobrevivência 1 Condição de Saúde Grau de saúde / Obtida recuperação Camada Tempo até a recuperação ou retorno às 2 atividades normais Processo de Processo de Tratamento (ex. Recuperação desconforto, complicações, efeitos adversos, ...) Camada Manutenção da saúde ou recuperação e 3 natureza das recorrências Sustenta- bilidade Consequências de longo prazo da terapia da Saúde (ex. doenças motivadas pelo cuidado) Michael Porter
  • 15. Valor para o paciente Quando maximizamos os resultados Reduzimos os custos Valor = Resultados para o paciente Custo total Agregamos Valor
  • 16. Como tornar o setor de saúde sustentável? Buscar Valor para o paciente, mas como?Operadoras de Planos Prestadores Fornecedores de SaúdeSelecionar parceiros com foco Garantir as melhores equipes: Integrar as ações aosnos resultados clínicos, não - Competências técnicas e Prestadores, como forma deno custo comportamentais gerar sinergismo e eficiênciaParticipar na criação de Assegurar o gerenciamento Assegurar que os produtos deformas de remuneração que ao longo do ciclo: melhor resultado para ocontemplem os resultados - Integrar ações entre paciente sejam priorizados empresas e em cada umaRedefinir processos que Adicionar tecnologia paraimpactem no resultado para aumentar a eficiência:o paciente (ex. autorizações, - Ganhar agilidade nospadronizações por custo, ...) processos e evitar o retrabalho
  • 17. Ciclo de geraçãode Valor Maior Melhor remuneração à equipe, trabalh empresa pelos ando resultados, o integrada, com que financia as os melhores condições à recursos seguir Maior grau de recuperação, m Menor custo enor tempo de total da internação, me assistência nores agravos futuros Menor demanda por recursos de manutenção da saúde
  • 18. Conclusão A sustentabilidade do setor de saúde somente pode ser alcançada quando os atores do setor se unem ao redor das necessidades do paciente, construindo uma assistência mais humana e resolutiva.
  • 19. Se queres conhecer o passado, examina o presente que é o resultado; se queres conhecer o futuro, examina o presente que é aGabriel Palne de Souza Rodrigues gabriel.palne@geriatrics.com.br causa. Confúcio