eTICtar - versão completa

513 views
407 views

Published on

Texto incluído nas actas da conferência internacional Challenges 2011 que decorreu em Braga, a 12 e 13 de Maio.

Published in: Education, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
513
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

eTICtar - versão completa

  1. 1. eTICtar Betina Astride Santos betinaastride@gmail.comApresentação de poster relativo a projectos e experiências de utilização das TIC emcontexto.Palavras-chave: actividades aprendizagem escolaResumoO título do presente poster reinventa a palavra «etiquetar».Numa escola, as TIC contribuem, irreversivelmente, para o desenvolvimento de actividadesque se poderão agrupar em 4 etiquetas: (i) sala de aula ; (ii) trabalho escolar; (iii) família/comunidade; (iv) formação.Nenhuma delas é estanque, entrecruzando-se frequentemente.Pretendemos apresentar alguns exemplos concretos que têm lugar no Agrupamento Vertical deMontemor-o-Novo, particularmente no departamento do 1º ciclo.AbstractThe poster title rebuilds the portuguese word «etiquetar» (to label)In a school, ICT contribute, irreversibly, to the development of activities that can grouped under4 labels: (i) classroom; (ii) school work; (iii) family/ community; (iv) training.None of these labels are fixed, they intercepted frequently.We intend to present some examples that happen in our schools (Agrupamento Vertical deMontemor-o-Novo), particularly in the primary school department. «A sociedade em rede é a sociedade em que vivemos. Não é uma sociedade composta por cibernautas solitários e robôs em telecomunicação.» CastellsIntroduçãoO desafio da utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na educaçãocomeçou há muito; contudo, permanece, ainda, um desafio.Em torno do tema TIC, continuam a esgrimir-se argumentos pró e contra cuja principal função éa de, progressivamente, levar os mais cépticos a admitir a irreversibilidade da utilização dedispositivos tecnológicos cada vez mais diversificados, nas nossas escolas, e a usufruir dassuas potencialidades. A escola muda, evolui com ou sem tecnologia, diz Pouts-Lajus &Riché-Magnier (1998), mas as circunstâncias sociais actuais e os nativos digitais (Prensky,
  2. 2. 2001) que já circulam nas nossas escolas não deixam margem para dúvidas: a mudança passapelo caminho das TIC. Pessoalmente, este é um processo muito aliciante que consta dos meusobjectivos profissionais.O título do presente poster reinventa a palavra «etiquetar».O ser humano tem necessidade de categorizar, de dar nomes às coisas para, talvez, maisfacilmente arrumar o conhecimento que vai tendo da realidade. Todavia, as redes sociais etecnológicas que nos enleiam e nos sustentam tornam esta tarefa cada vez mais difícil.As primeiras ideiasNa génese do presente poster, uma ideia estava muito clara: no meu quotidiano profissional, asTIC são uma presença constante. O passo seguinte foi pensar na melhor maneira de explicarcomo e mostrar exemplos.Nesse sentido, mapeei as situações em que as TIC desempenham um papel activo na minhaactividade e na da minha escola, particularmente no departamento curricular que coordeno – 1ºciclo do ensino básico do Agrupamento Vertical de Montemor-o-Novo.Dessa tarefa, resultaram as seguintes etiquetas:(i) Sala de aula – Todas as salas de aula do 1º ciclo têm um computador com ligação àInternet. A sua utilização é diversa, não só no tipo de actividades, mas também no tipo deutilizadores. Dependendo do nível de confiança do professor no domínio das TIC assim é a suautilização: uns ainda estão na fase de permitir que as tecnologias lhes facilitem o processo deorganização de documentos necessários à gestão quotidiana da sala de aula e de fichas detrabalho; outros já as rentabilizam com os alunos, colocando-os em situação de exploraçãoparcial ou plena não esquecendo, nunca, procedimentos de segurança no uso da Internet. Pelautilização de aplicações do Office (particularmente o Word, mas também o PowerPoint e maisresidualmente o Excel), do Paint e do PhotoStory 3 elaboram-se trabalhos de dimensõesvariadas: local, nacional e internacional. O computador Magalhães é, sem dúvida, umaexcelente oportunidade nas salas do 1º ciclo que não tem sido assim entendida por todos, masque continua a ser incentivada.(ii) Trabalho escolar – Todos os documentos de referência do Agrupamento e todos osinstrumentos utilizados na organização e planificação das actividades são elaborados edivulgados através do uso das TIC. O Moodle é uma ferramenta utilizada com frequência portodos os departamentos, grupos, assim como por turmas, algumas dinamizando o espaço comos pais e encarregados de educação.(iii) Família/ comunidade – Tendo em vista uma relação de proximidade progressivamentemais estreita entre a escola/ família/ comunidade, nomeadamente através da divulgação deprodutos dos alunos e professores, o site do Agrupamento disponibiliza informação actualizada
  3. 3. aos seus elementos e à comunidade educativa e apresenta ligações a sites/ blogues deprojectos específicos. No caso do 1º ciclo, os espaços públicos apresentam documentos detrabalho entre os professores, informações sobre segurança na Internet, sugestões de páginascom interesse educativo, actualidades, vídeos apresentando alunos a explicar conteúdos dasdiferentes disciplinas e trabalhos realizados pelos alunos, uns desenvolvidos nas turmas eoutros em colaboração com as famílias, câmaras municipais e outras entidades que colaboramcom a escola.(iv) Formação – As TIC também têm contribuído imenso para esta última etiqueta. Emqualquer formação presencial o seu uso é uma constante e as sessões de formação à distânciaacontecem de forma crescente, muitas vezes em formato exclusivo. O departamento do 1º cicloestá neste momento a preparar alguns vídeos e guiões de apoio de modo a que cada professorpossa, à medida da sua disponibilidade, explorar as ferramentas sobre as quais tem maiorinteresse. Para a definição destes interesses foi elaborado um inquérito ao qual os professorespuderam responder online. Esta estratégia de apoio aos professores do departamento prevê,também, suporte mais imediato via email e sessões presenciais de apoio para suprir dúvidasmais persistentes e partilhar o processo de aprendizagem e os conhecimentos e produtosconseguidos.Colocadas as etiquetas, com facilidade percebemos que nenhum destes campos se basta a sipróprio, antes se enredam entre si fazendo das TIC um elemento transversal e aglutinador.Os exemplosDe seguida, passo a enumerar e explicitar alguns exemplos que darão rosto às ideias iniciais.Tratam-se, na sua maioria, de espaços que estão colados a mim ou porque os criei e dinamizoou porque deles usufruo.Mostra lá (http://mostrala1c.blogspot.com/ )Blogue que divulga actividades desenvolvidas nas salas do 1º ciclo e de jardim-de-infância doAgrupamento e disponibiliza ligações para páginas de turma e outros projectos.CHISAE (http://chisaeetwinning.blogspot.com/ )Blogue que divulga trabalhos do projecto eTwinning Children’ Songs across Europe em queparticipa uma turma portuguesa de 3º ano, da escola de Montemor-o-Novo n.º 3, e outrasturmas da Bulgária, Polónia, Roménia e Turquia.Toca a musicar (http://tocaamusicar.blogspot.com/ )Blogue construído no âmbito das Actividades de Enriquecimento Curricular, área de Música,com o propósito de divulgar e avaliar o trabalho realizado com alunos de 2º e 3º anos da escolade Montemor-o-Novo n.º 1 inscritos na actividade.Didáctica Filmes (http://didacticafilmes1.weebly.com/index.html )
  4. 4. Site que contém pequenos vídeos onde alunos de 1º ciclo apresentam alguns conteúdos dasdiferentes áreas curriculares.Caixa de Papel (http://caixadepapel.weebly.com/ )Site que disponibiliza materiais de trabalho para os professores do 1º ciclo e divulga sugestões,actualidades, eventos e procedimentos de segurança, por exemplo.Once Upon a Time (http://onceineurope.blogspot.com/ )Blogue de um projecto Comenius com o mesmo título onde participam as onze turmas daescola de Montemor-o-Novo n.º 1 e outras turmas de Espanha, Letónia, Holanda, Polónia eEslovénia.Moodle (https://escolas.uevora.pt/eb23sjd/login/index.php )Espaço virtual disponibilizado a todo o Agrupamento. A secção do 1º ciclo tem utilizado estesítio como um repositório de documentos de trabalho entre os professores e para os alunos;estes últimos são habitualmente trocados via email e guardados segundo critériosestabelecidos.Google (email, documentos, calendário, formulários)Ferramenta de uso corrente entre os professores do departamento do 1º ciclo para envio deinformações, convocatórias, actas e outros documentos necessários; com os professores têmcomo correio electrónico o Gmail, acrescenta-se a possibilidade de comunicação em directoque muitas vezes resolve dúvidas em tempo real e a custo zero.LLP (http://ec.europa.eu/education/lifelong-learning-programme/doc78_en.htm )Longlife Learning Programme é o Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida que permite aparticipação em interessantes projectos de carácter europeu com e sem alunos. Seminários decontacto, Comenius e visita de estudo do Programa Transversal são acções em que jáparticipei e em todas elas as TIC foram determinantes tanto no princípio, como nodesenvolvimento e, também, fim. E, sendo este termo muitas vezes apenas oficial, poisacontece o contacto com os outros parceiros prolongar-se para a esfera da amizade, tambémaqui as TIC têm o seu papel.eTwinning Learning Labs (http://learninglab.etwinning.net/web/guest/home )Uma oficina online que desafia profissionais da educação a encontrarem-se virtualmente parainiciar e/ ou aprofundar aprendizagens sobre determinados temas. Cada workshop tem ummoderador e uma língua de trabalho. É a partir daqui que nascem muito projectos eTwinning.Tal aconteceu com o CHISAE, apresentado quase no início desta lista. A imprescindibilidadedas TIC é evidente.WebCasts Educação(http://www.microsoft.com/portugal/educacao/webcasts/ciclo2010/default.mspx )
  5. 5. A Microsoft Educação, Portugal, tem tido uma dinâmica muito próxima dos professores, não sódisponibilizando recursos, maioritariamente livres, como formação através de vários encontrosonline que têm o objectivo de explicitar a utilização das referidas ferramentas. De referir quetodos os webcasts ficam disponível no site da instituição para os interessados poderem assistirna altura que mais lhes convier.Webinares DGIDC (http://webinar.dgidc.min-edu.pt/ )Iniciaram-se em Janeiro passado e acontecem quinzenalmente no site da Direcção-Geral deInovação e Desenvolvimento Curricular. Em cada sessão há um convidado que expõe ideiassobre um determinado assunto reservando um espaço, no final, para responder a perguntasque o público pode enviar via email. Também estas conferências podem ser revistas emqualquer altura uma vez que ficam disponível no site.INTERATIC 2.0 (http://interactic.ning.com/ )Comunidade virtual que reúne profissionais da educação; a partilha e a entreajuda são doisobjectivos muito claros e que têm tido sucesso.da janela do meu jardim (http://janelajardim.ning.com/ )Comunidade virtual concebida em moldes idênticos à anterior mas mais direccionada para osprofissionais de jardim-de-infância.COIED (http://www.coied.com/in%C3%ADcio.aspx )Conferência Online Informática Educacional foi um evento realizado no passado mês deFevereiro. Durante duas semanas, foram dinamizadas sessões de carácter teórico e deexemplificação de diferentes ferramentas da Web 2.0 que em muito contribuíram para reforçarnão só o meu interesse por toda a temática TIC, mas também para revalidar a ideia de que aaprendizagem nunca está terminada.Ideias finaisDuas ideias que só são finais porque se encontram no fim deste texto.1. Os exemplos apresentados são fruto de uma motivação forte capaz de ultrapassarconstrangimentos inerentes a qualquer situação e é essa motivação que tento passar aos meuscolegas, auxiliando sempre que possível.2. O desafio das TIC vai muito além da utilização das ferramentas. É, portanto, necessáriomantermo-nos numa aprendizagem constante de modo a que a dinâmica do processoensino-aprendizagem seja efectivamente bilateral e para que todos possam fazer o que aindanão foi feito, cumprindo, assim, o mote dado no início desta Conferência. Abril, 2011

×