Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1

on

  • 564 views

CADERNO 1 - ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO - PARTE 1

CADERNO 1 - ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO - PARTE 1

Statistics

Views

Total Views
564
Views on SlideShare
564
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
46
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1 Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1 Presentation Transcript

  • PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA
  • Sejam todas bem vindas para mais um ano de socialização de conhecimentos e aprendizagens.
  • Orientadora: Elisabete Feliciano dos Santos e-mail: probete.feliciano@gmail.com Blog: pnaicbetefeliciano.blogspot.com.br View slide
  • O registro reflexivo é um dos mais valiosos instrumentos para sabermos sobre nós mesmos, pessoal e profissionalmente, já que possibilita uma análise sobre o trabalho realizado juntamente com a sistematização dos saberes adquiridos e utilizados no exercício da profissão. De fato, o professor é ao mesmo tempo o autor e o principal ator da narração escrita por ele. É como diz Clarice Lispector: “ escrevo porque a medida que escrevo vou me entendendo e entendendo o que quero dizer, entendo o que posso fazer. Escrevo porque sinto necessidade de aprofundar as coisas, de vê-las como realmente são...” Professor, escreva refletindo sobre o seu momento no curso e sobre o momento do grupo no qual está inserido. Estamos aprendendo juntos. View slide
  • Registros reflexivos de cada encontro Portfólios - Tarefas
  • Caderno 1
  • ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO A organização do trabalho pedagógico requer que pense em modos onde situem o aluno em um ambiente de atividade matemática, possibilitando que ele aprenda, além de codificar e decodificar os símbolos matemáticos; a realizar variadas leituras de mundo, levantar conjecturas e validá-las, argumentar e justificar procedimentos.
  •  Pautado no diálogo e nas interações;  Na comunicação de ideias;  Na mediação do professor;  Na intencionalidade pedagógica para ensinar de forma a ampliar as possibilidades das aprendizagens. Tal intencionalidade requer um planejamento consistente do professor, com vários fatores intervenientes no processo como: a prática do professor, o material e a metodologia utilizados, dentre outros.
  • CARACTERIZAR A COMUNIDADE DE APRENDIZAGEM DA SALA DE AULA COM VISTAS À ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA DE TODOS OS ALUNOS DESTACAR A INTENCIONALIDADE PEDAGÓGICA COMO ELEMENTO ESSENCIAL NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO APONTAR POSSIBILIDADES PARA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO COMPARTILHAR VIVÊNCIAS DE PROFESSORES QUE BUSCAM GARANTIR OS DIREITOS DE APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA DOS ALUNOS. CADERNO 01 OBJETIVOS
  • DIFERENTES FORMAS DE PLANEJAMENTO A essência das ações docentes se sustenta em preparar e planejar cuidadosamente as aulas. O planejamento: • Deve ser um orientador da ação docente; • Deve refletir um processo de racionalização, organização e coordenação do fazer pedagógico.
  • Pensar a organização do trabalho envolve as diferentes formas de planejamento. Planejamento Anual Planejamento Bimestral ou Similares Planejamento Semanal
  • O planejamento anual deverá ser produzido no coletivo da escola, compartilhado entre professores do ciclo de alfabetização e a coordenação pedagógica. Para tal, será necessário:  Conhecer o que e como os professores dos anos anteriores trabalharam;  A escolha de conteúdos matemáticos leva em conta documentos oficiais e deve estar intimamente vinculada à construção do planejamento pedagógico pelo coletivo da escola, ou seja, organizar a aula de maneira intencional, planejada, criativa, capaz de produzir efeitos positivos para a aprendizagem dos alunos.
  • Ao planejar, o professor deve ter clareza de que é necessário: • Ativar conhecimentos prévios; • Possibilitar que os alunos construam seu conhecimento mediatizado pelo professor; • Possibilitar que os alunos realizem tentativas para elaborar respostas aos desafios propostos; • Escutar cuidadosamente o aluno; • Utilizar recursos diversos; • Ter clareza dos critérios avaliativos (discutidos na escola), do perfil de turma (discutidos no PNAIC); • Conhecer o objeto de estudo de cada área do conhecimento.
  • É importante considerar que o planejamento é flexível. Isso por quê:  O cotidiano da sala de aula é tempo/espaço de imprevisibilidade. “O professor frequentemente se encontra diante de situações comuns que alteram a dinâmica da sala de aula, interferindo no processo ensino/aprendizagem. O planejado, vai sendo atravessado pelos fatos que se impõem ao previsto, criando novas demandas, novas possibilidades, novos obstáculos, fazendo com que o preestabelecido precise ser constantemente revisto e reorganizado”. (ESTEBAN, 2001, p. 172)
  • O que fazer com os alunos que ainda não estão onde deveriam estar?
  •  A resposta a essa questão também precisa ser debatida no coletivo da escola.  Sabe-se que os alunos aprendem de modos diferentes e têm tempos diferentes de aprendizagem.  Será necessário criar novas estratégias de ensino de modo que os alunos sintam-se desafiados a avançar.
  • Podemos destacar alguns tópicos importantes que devem ser levados em consideração na sala de aula e no planejamento.  Escutar cuidadosamente os alunos;  Observar e avaliar o processo;  Fornecer sugestões adequadas;  Interpretar suas formas de raciocinar;  Possibilitar que os estudantes debatam sobre o assunto, cabendo ao professor encorajar a formação de uma comunidade de aprendizagem em sala de aula.
  • “À medida que o professor vai ajustando seu discurso às questões apresentadas pelos alunos, ele contribui para que esses construam novos conhecimentos. Essa postura em nada se parece com a de transmissão ou informação de conceitos e teorias. Professor, a vida das ações docentes, se sustentam no preparar e planejar cuidadosamente as aulas semanalmente.” PLANEJAMENTO SEMANAL
  • • Deve ser organizado sequencial ao que foi trabalhado na semana anterior; • Cabe ao professor decidir quais estratégias deve utilizar para realizar a retomada do que foi trabalhado; • O que será trabalhado na semana deverá contribuir para a continuidade da aprendizagem dos alunos. PLANEJAMENTO SEMANAL
  • QUAIS ATIVIDADES DA SEMANA GARANTIRÃO A CONTINUIDADE NA CONSTRUÇÃO DO CONCEITO ? O conceito deve ser trabalhado de forma contínua e não apenas em um momento estanque. Portanto, é fundamental ao planejar, primar pela qualidade das atividades elaboradas em detrimento a quantidade das mesmas.
  • • Exemplo: A noção de tempo exige um trabalho rotineiro com a organização temporal; (ROTINA) • O livro de literatura – fonte inesgotável de aprendizagens.
  • A IMPORTÂNCIA DA RETOMADA DE CONTEÚDOS • Como retomar um determinado conteúdo para consolidar a aprendizagem e possibilitar a compreensão a todos? • Que diversidade de materiais a escola possui para a retomada desse conteúdo?
  • FIO DE CONTAS
  • Dependendo do conteúdo que será trabalhado, é preciso pensar desde questões relativas à necessidade e possibilidade de fornecer materiais impressos em tempo adequado até sobre a organização do espaço da sala de aula:  Os alunos trabalharão individualmente, em duplas ou em grupo?  Como será a disposição das carteiras em cada situação?  O mobiliário e espaço da escola favorece diferentes organizações?  Os materiais de uso coletivo estão colocados ao alcance dos alunos?
  • ORGANIZAÇÃO DA SALA DE AULA: FAZENDO A AULA ACONTECER
  • No primeiro ciclo de alfabetização a sala de aula é um ambiente formativo que ocupa uma posição central no processo de alfabetização.  A importância da presença de materiais que remetam para a função social da Matemática, como: gráficos, tabelas, informações numéricas diversas, etc;  As brincadeiras e as expressões culturais da infância precisam estar presentes;  Trazer para as aulas as experiências vividas é imprescindível, respeitando as culturas da infância.
  •  ABERTURA DA AULA;  A ORGANIZAÇÃO DA SALA;  O FECHAMENTO DAS ATIVIDADES
  • ATIVIDADES UTILIZANDO MEDIDAS DE TEMPO • Leitura do calendário diariamente. A professora convida um aluno a vir fixar os números de 01 a 30 ou 31 no calendário confeccionado.
  • ATIVIDADE COM VELAS • A professora leva até a sala 3 (três) velas de cores diferentes. Explica para as crianças que acenderá as velas em 3 (três) momentos diferentes para que todos possam analisar o tempo.
  • • A primeira vela será acesa no início da aula até o recreio; • A segunda vela será acesa durante o recreio; • A terceira vela será acesa do término do recreio até o encerramento da aula.
  • PROBLEMATIZAÇÃO • Qual vela queimou mais? Por quê? • Qual vela queimou menos? Por quê?
  • Produção do cartaz com a organização da semana DOMINGO SEGUNDA- FEIRA TERÇA- FEIRA QUARTA- FEIRA QUINTA- FEIRA SEXTA- FEIRA SÁBADO DIA DE DESCANSO FLÚOR Contação de história Informática HINO NACIONAL ANIVERSARI ANTES DA SEMANA
  • QUAIS MATERIAIS A ESCOLA POSSUI PARA PLANEJAR CONSIDERANDO RECURSOS DIDÁTICOS? • Quais livros literários podem ser utilizados para contextualizar o trabalho com a linguagem matemática; • Quais jogos a escola possui? • Há mapas, bandeiras, globo terrestre?
  • MATERIAIS MANIPULÁVEIS QUADRO VALOR LUGAR
  • BLOCOS LÓGICOS
  • MATERIAIS MANIPULÁVEIS – SUCATA
  • JOGO Um jogo necessita de vários momentos uma vez que: • Muitas vezes, num primeiro momento, a criança precisa conhecer o material e manuseá-lo. Trabalhar nessa perspectiva significa orientar a prática a partir da concepção de infância (a criança é naturalmente curiosa); • Num segundo momento já há mais aproveitamento do tempo para que haja a sistematização do conteúdo proposto.
  • JOGOS MATEMÁTICOS EXEMPLOS: • Nunca dez • Jogos digitais educacionais • (UCAA – offline)
  • USO DA LITERATURA
  • VÍDEOS Exemplos: • 101 Dálmatas (verificar contagem de centena, formação de agrupamentos) • Ursinho Pooh 1,2,3 Descobrindo os números e as contas (elementos gráficos, linguagem matemática) • Donald no País da Matemágica (proporções, aplicações da Matemática no meio social)
  • AO UTILIZAR UM RECURSO FAZ-SE NECESSÁRIO: • Planejar em consonância com o objetivo e o conteúdo; • Ter clareza dos objetivos (o que pretendo alcançar?) • Compreender que o recurso é somente um meio para a apropriação do conhecimento, o que garante a superação das dificuldades é a mediação.
  • PLANEJAMENTO E INTERDISCIPLINARIEDADE Só é possível planejar interdisciplinarmente se houver clareza/ aprofundamento do objeto de estudo de cada área do conhecimento. • Exemplo: Se solicitarmos um desenho trabalhando com determinado conteúdo da língua portuguesa não necessariamente, estaremos trabalhando com arte.
  • APRENDIZAGEM CONTEXTUALIZADA E SIGNIFICATIVA Organização de situações- problema a partir de encartes, panfletos, folders – que contenham objetos que possam despertar interesse no universo infantil.
  • Objetos que ilustram concretamente problematizações cotidianas. Exemplos: réplicas de dinheiro, balanças, relógios, réguas etc.
  • QUAIS SÃO OS COMPONENTES TÉCNICOS QUE UM PLANEJAMENTO DEVE TER? ( LOPES, 1989) • Conteúdo ( o quê?); • Objetivos (para quê?); • Encaminhamento metodológico (Como?); • Critérios Avaliativos? (O que efetivamente foi apropriado)?
  • QUE OUTROS COMPONENTES PODERÍAMOS ACRESCENTAR NA CONCEPÇÃO QUE TEMOS • Divisão do tempo ( atividades permanentes, atividades que variam e que são contextuais) • Espaços: Como o espaço será organizado; • Retomada/ recuperação paralela;
  • • SUGESTÕES DE ATIVIDADES JOGO QUEBRA CABEÇA DOS RELÓGIOS:
  • • SUGESTÕES DE ATIVIDADES DITADO DE HORAS:
  • ATIVIDADE 1 O texto “Diferentes Formas de Planejamento” destaca a importância do planejamento anual e durante o período letivo. Quais encaminhamentos planejou para este ano com relação à Alfabetização Matemática? Informe e discuta o que houve de mudanças em relação ao que fez no ano passado? O planejamento deste ano está considerando as ideias presentes no texto?
  • ATIVIDADE 2 –Pg. 40-44 “Negociando significados na leitura de um texto de problema” - Professora Eliana Rossi - Município de Itatiba, SP. Turma de 3º ano, com 23 alunos, 2013. Propôs o seguinte problema, sem questionamento, com o objetivo dos alunos aprenderem a interpretar situações-problema, analisar o gênero textual, familiarizando-se com sua estrutura e linguagem, notarem a falta da questão problematizadora e produzi-la: ÚRSULA É UMA URSINHA. ELA PRECISA APRENDER A ANDAR NA CORDA-BAMBA PARA GANHAR UM EMPREGO NO CIRCO COMO MALABARISTA. TODOS OS DIAS ÚRSULA AUMENTA EM 5 CENTÍMETROS A ALTURA DO ARAME EM QUE ELA TREINA. HOJE O ARAME ESTAVA A 15 CM DO SOLO.
  • TAREFA DE CASA • Ler o texto: Compartilhando – Caderno 1 – Organização do Trabalho Pedagógico (p. 46 a 66).