Resumo+de+macroeconomia

27,305 views
26,958 views

Published on

Resumo+de+macroeconomia

  1. 1. Resumo de MacroeconomiaAula 1- Quatro variáveis agregadas da macroeconomia, que se relacionam de forma que um afete aosoutros: o nível de preços, o nível de emprego, a taxa de câmbio e a taxa de juros.- Essas variáveis afetam o crescimento econômico, a inflação, o comércio exterior, e adistribuição de renda.- O preço é a soma de todos os preços de todas as empresas que operam em um mesmo sistemaeconômico (encontra-se a variável agregada nível de preço, ou preço)- Um dos efeitos que altera o preço é a inflação.- Inflação é um aumento do nível geral de preços. Aumento da moeda circulante no país.- Deflação é a diminuição do nível geral de preços.- Emprego refere-se a mão-de-obra como fator de produção dentro de um sistema econômico. Onível de emprego depende das expectativas dos empresários em torno do que vão produzir.- Períodos de alto desempenho para a produção beneficiam a todos e geram o crescimentoeconômico.- Crescimento econômico: aumento das atividades econômicas de um país durante um período detempo. Geralmente é medido pelo PIB.- Quando o país apresenta níveis de produção e emprego menores, produz menos, chamamosrecessão (contrário de crescimento econômico).- Taxa de câmbio é o preço da moeda nacional em relação à moeda estrangeira.- Desvalorização da taxa de câmbio: moeda estrangeira encareceu.- Valorização do câmbio: moeda estrangeira está mais barata.- Se há muitos dólares circulando no país, o preço do dólar cai. Se o Banco Central deseja elevaro preço do dólar, tornando o real mais barato, ele compra dólares no mercado e os soma á suareserva. O oposto acontece quando há poucos dólares circulando no mercado (quando o dólar estácaro em relação ao real), aí o BC vende dólares de sua reserva por valores mais baixos do que opraticado pelo mercado.- Balança de pagamentos: determina a atratividade de um país para o comércio exterior, econtrola o fluxo de entrada e saída de capitais. É o registro de todas as transações econômicas queenvolvem o país e o resto do mundo, como exemplo, as exportações, importações e pagamento dejuros das dívidas externas.- Taxa de juros: é quando o mercado embute no preço de produtos e serviços quando se compra acrédito. É uma forma que o mercado encontra para compensar perdas diante da inflação.- Se há aumento da taxa de juros, os empresários ficam desestimulados a investir. A elevação dataxa de juros desestimula os investimentos na produção e estimula a poupança. Se osempresários investem menos, a produção cresce menos, o que implica em menos emprego – Ataxa de juros pode afetar o nível de emprego.- Salário: fonte de renda para quem trabalha, e custo para a empresa. Reajuste estimula oconsumo e eleva os custos da empresa, o que pode ser repassado para os preços. Se isso se repetirde forma generalizada, inicia-se um momento de inflação. Se você ganha mais e o reajuste érepassado para o preço das mercadorias, tudo fica mais caro, e o dinheiro passa a valer menos.- Taxa de câmbio afta o nível de preços e as exportações. A desvalorização do câmbio é um dosfatores que pode afetar a inflação.- Se o poder de compra das pessoas diminui, o nível de compra também é reduzido, assim como aprocura pelos itens.- Os quatro macro problemas econômicos nacionais: inflação; crescimento econômico baixo;dívida externa alta; e má distribuição de renda.
  2. 2. Aula 2- PIB: estimativa do valor de tudo que foi produzido por um país em determinado período. Écalculado com base nos preços de mercado, e leva em conta apenas os bens e serviços finais (não levaem conta os que já estão incluídos no produto, como matéria prima, senão seriam contabilizados deforma duplicada). É a soma de tudo que foi produzido no país, e também a renda total grada noprocesso da produção. ---(o valor da renda é exatamente igual ao valor do produto)- A elevação dos preços afeta o valor do PIB, mesmo que a quantidade produzida permaneça a mesmade um ano para o outro.- PIB Nominal: representa o PIB a preços correntes, baseado nos preços praticados pelo mercado(quantidade atual X preço atual). Capta tanto o crescimento do volume da produção quanto a variaçãode seus preços.- PIB Real: representa o PIB em termos de preços constantes, a partir de um ano considerado comoreferência (quantidade atual X preço ano referência). Calcula o crescimento econômico, a partir doaumento ou da diminuição do nível real de produção de um país.- Se o PIB aumentou de um ano para o outro, ou a quantidade produzida aumentou, ou os produtossofreram aumento de preços.- Deflator do PIB: índice que diz que parte do aumento do PIB nominal cabe ao crescimento dospreços, para calcular a elevação média do nível de preço final de um ano para o outro. Faz referênciaao crescimento médio dos preços da economia. É a razão entre o PIB nominal e o PIB real, que avaliao crescimento médio de preços de um período.- Deflator do PIB = (PIB Nominal / PIB real ) X 100- PNB; é a soma de tudo que é produzido aqui e que fica aqui.- A diferença entre PIB e PNB é a renda líquida enviada ao exterior.- PIB negativo: PIB real de um ano é menor que a do ano anterior, houve recessão, a atividadeeconômica diminuiu entre um ano e outro.- O que o PIB não mede: a economia informal.- Renda per Capita (PIB per capita): é a quantia em reais que cada habitante receberia caso o PIBfosse dividido entre toda a população.- O PIB pode ser medido de duas formas: somando as rendas pagas pelas empresas dentro daprodução ou pelo total dos gastos dos consumidores no mercado de bens e serviços.Aula 3PIB = C + I + G + (X – M)Consumo (despesa das famílias com compra de bens) + Investimento (despesa das empresas commáquinas, equipamentos, etc, excluindo somente as despesas de pessoal e impostos) + Gastos dogoverno (despesas do Estado com compras de bens e serviços) + (exportações, valores de vendas paraoutros países – importações, compras de outros países)- Componentes do cálculo do PIB: consumo, investimento, gastos do governo, exportações,diminuindo o valor das importações.- PIB é igual a soma do consumo das pessoas, investimento das empresas e gastos do governo com ototal das exportações, diminuído do valor das importações.- A renda pode ter três destinos: o consumo (C), a poupança (S) ou pagamento de impostos (T).- PIB = C + S + T- Demanda agregada: desejo dos indivíduos de adquirir os bens produzidos em um país dentro de umdeterminado período de tempo- DA = C + I + G- Se o PIB é igual a demanda agregada (PIB = DA = C + I + G) dizemos que o PIB está emequilíbrio.- Se a demanda agregada for menos que a quantidade produzida, haverá acúmulo de estoque, se ademanda agregada for maior que a quantidade produzida, haverá falta de estoque. A posição deequilíbrio se dá quando a produção agregada iguala ao produto.
  3. 3. Aula 4- Modelo Keynesiano: diz que a demanda por produtos tem papel fundamental nadeterminação do nível de produção e de renda de uma economia. Se a demandaagregada aumenta, as empresas procuram atender essa elevação por meio de maisprodução e mais empregos, o que faz aumentar a renda, e possibilita o aumento daprodução até alcançar novo ponto de equilíbrio.- Função de consumo: diz que a quantidade de gastos de uma pessoa depende de suarenda, e conforme essa renda aumenta, também aumenta o consumo.- Propensão Marginal a Consumir: é a fração de renda adicional que uma pessoagasta- PMC = (mudança no consumo) / (mudança na renda)- Consumo autônomo: sempre ocorrerá, mesmo que a renda de uma pessoa sejaequivalente a zero. É o consumo de itens de subsistência, que não conseguimos viversem ele.Consumo = Consumo autônomo + Renda esperadaC = Co + cYC = Co + cYd (Consumo + consumo autônomo + renda disponível, rendaapropriada pelas famílias, descontados os impostos diretos pagos ao governo)- A propensão marginal a poupar é a fração da renda adicional que uma pessoadestina à poupança.- A soma da PMc e da PMp deve ser igual a l. (consumo + poupança = 1)- Renda = consumo + poupança + impostos --- (Y = C + S + T)- Função poupança: (S = – Co + (1 – c)Yd- Se a renda disponível for zero, a poupança será de –Co. O consumo autônomo serefere aos gastos essenciais. Um indivíduo que não tem renda não pode gastar comnada que não se encaixe nesse tipo de despesa.- Renda em equilíbrio: (T + C + Sexp = C + I + G) impostos + consumo + poupançaesperada = consumo + investimentos + gastos governo- Poupaça em equilíbrio: (Sexp + T = I + G) poupança esperada + impostos =investimentos + gastos governo- Dentro do modelo keynesiano, o consumo autônomo, os gastos do governo e asexportações são considerados gastos autônomos.Ye = ( 1 / 1 – c ) X ( Co – cT + I + G )- C é variação consumo/renda; Co consume autônomo; cT variação dos impostos; Iinvestimento e G gastos governo- O primeiro termo é o multiplicador de gastos – o valor da renda de equilíbrio será mvezes o valor da equação de gastos autônomos (segundo termo).- (Yd = Y – T = Y – tY) Renda disponível = renda – impostos = renda – tributos sobrerenda- (C = Co + cYd = Co + c (Y – tY) consumo = consumo autônomo + variação consumorenda x renda disponível = consumo autônomo + variação consumo/renda X (renda –tributos sobre renda)- Balanço de Transações Correntes = Exportação – ImpostaçãoBTC: saldo de movimento da balança comercial (exportações menos importações) e deserviços como pagamento de juros da dívida externa.
  4. 4. Aula 5- Investimentos: são elementos importantes da demanda agregada e podem aumentar a capacidadeprodutiva, aumentando os recursos disponíveis destinados à produção de bens e serviços (estoque decapital).- Fases do investimento: a 1ª quando há despesas com a compra de capital, o que impulsiona ademanda agregada. A 2ª após a maturação dos investimentos, o que resulta em aumento da produção eda capacidade produtiva da economia.- Investimento é a ação que eleva a oferta agregada e o estoque de capital no sistema econômico.- Investimento líquido: é a diferença entre investimento bruto e depreciação (montante deinvestimento destinado a cobrir o que se desgasta ao longo do tempo).- Estoque de capital desejado = relação entre capital e produto multiplicado pelo nível deproduto (PIB).- Quando há um gasto com investimentos, a renda e o produto deverão aumentar por conta domultiplicador dos gastos. Quando o produto aumenta, os investimentos também aumentam. Ao elevaro estoque de capital, a oferta do produto aumenta também.- Acelerador dos investimentos: diz que uma taxa de crescimento do produto (PIB) causa umaelevação nos investimentos, o que aumenta os níveis do produto, o que acelera os investimentos maisuma vez.- Investir requer um desembolso financeiro, que pode ser com recursos próprios ou de terceiros. Se forde terceiros, deve pagar juros. Outra forma de fazer investimentos é quando a empresa dispõe delucros do período anterior retidos em nível suficiente para bancar seus gastos com investimentos.Neste caso, ela deve avaliar a possibilidade de aplicar esses lucros retidos em títulos que rendam emritmo igual ao das taxas de juros.- Seja com recursos próprios (lucros retidos) ou de terceiros (empréstimos), a taxa de juros representao custo de investir.- O conceito de taxa de juros recai sobre duas taxas: taxa nominal e taxa real.- Taxa nominal: expressa em termos de quantas unidades monetárias são pagas como juros – são osjuros pagos.- Taxa real: expressa em termos de poder aquisitivo ou poder de compra; mede o quanto realmente sepaga, levando em conta o poder aquisitivo do dinheiro antes e depois de pago o empréstimo – são osjuros pagos menos a inflação.- Taxa real = taxa nominal dividida pelo índice de preços.- O que importa para os empresários são as taxas de juros reais, pois ela mede o valor real dosjuros que precisaram ser pagos. Os preços dos produtos que os empresários vendem devem estaracompanhando o ritmo inflacionário.- Os determinantes do investimento: o investimentos depende das variáveis nível de produto, taxa dejuros nominal, inflação e estoque de capital no período anterior.Relação entre as variáveis importantes e o nível de investimento: um aumento no nível de produtoestimula os investimentos (a elevação do produto causa mais vendas, e assim, um estoque maior decapital é desejável); Se a taxa de inflação se mantiver fixa, quanto maior a taxa de juros, maior será ocusto de investir e menor será a motivação para investir., e quanto menor a taxa de juros, menor será ocusto de investir e maior será a motivação para investir; Se a taxa nominal de juros se mantiver fixa, sea taxa de inflação aumentar, o valor real do que se pagará com os empréstimos para investir diminuirá,e por estar mais barato para investir, o nível desejado de investimentos deve aumentar, assim como aredução da taxa de inflação aumenta o valor real do que se pagará com os empréstimos para investir,tendendo a diminuir o nível de investimentos; Quanto menor o estoque de capital do período anterior,maior será a necessidade de investir para cada nível de produção desejada.- efeito multiplicador de gastos (o aumento de investimento eleva a renda); efeito acelerador (oaumento da renda devido ao multiplicador leva a novo aumento de investimentos)- Os investimentos são importantes para o sistema econômico porque são um componente de demandaagregada (estimulam o crescimento do PIB pelo lado da demanda) e porque aumentam a capacidadeprodutiva da economia devido à elevação do seu estoque de capital.- Os mais importantes fatores que influenciam o nível de investimentos são a taxa real de juros , quedepende da taxa nominal e da inflação, e o crescimento do produto.
  5. 5. Aula 6- A moeda representa o dinheiro e todas as outras formas de pagamento ou recebimento que dispomos.- Funções da moeda: intermediário de troca, unidade de conta, e reserva de valor.- Moeda como intermediário de troca: A moeda transforma as transações em trocas indiretas.- Moeda como unidade de conta: expressa os valores das mercadorias e de todos os ativos em geral pela suaprópria unidade. Uma atribuição da moeda é cotar os valores (unidades de conta) em unidades monetárias.- Moeda como reserva de valor: pode ser utilizada em vários períodos de tempo. A pessoa com posse damoeda pode utilizá-la no futuro.- O valor da moeda (poder aquisitivo) é inversamente proporcional ao nível de preço. Toda vez que o nível depreço sobe, o valor da moeda é reduzido, e se os preços diminuem, o valor da moeda aumenta.- Características que a moeda deve ter para que exerça suas funções de forma plena: precisa terdurabilidade (para que possa ser usada ao longo do tempo, se não fosse assim comprometeria as funções demeio de troca e reserva de valor); deve ter aceitação universal (precisa ser aceita por todos, ter baixo custo deestocagem, para que possa ser utilizada em pequenas e altas transações) e ser de difícil falsificação( fundamental para a estabilidade do valor da moeda, porque um volume muito grande de moeda em relação aoproduto diminui seu valor e coloca sua existência à prova) .- Moeda estrutural, ou depósitos à vista: cheques como forma de pagamento. Representa o saldo em contacorrente bancária que pode ser utilizado por meio de cheque para pagamento ou recebimento. É o contrário dodepósito a prazo.- Banco comercial: todo estabelecimento bancário autorizado a receber depósitos à vista. - Atividadeprincipal de um banco comercial: realizar empréstimos. Eles recebem os depósitos à vista e à prazo, deixamparte destes guardados sob forma de reservas para utilizar no caso dos clientes resgatarem esses valores, e aoutra parcela é emprestada a terceiros, que pagam juros (que representam os ganhos brutos dessas instituições).- Principais funções do Bacen: é o banco dos bancos (empresta aos bancos); é responsável pela guarda detodos os valores que o país recebe de moeda estrangeira; é o banco do governo (é depositado nele todos osrecursos referentes a impostos e taxas, e também realiza empréstimos ao governo, mantém e opera títulos dogoverno); é emissor de moeda.- Meios de pagamento: é a moeda, é o total de papel moeda em poder público (PMPP) mais os depósitos avista nos bancos comerciais (DVBC).- Base monetária: é o total de papel moeda em poder público (PMPP) mais o total de reservas mantidas pelosbancos comerciais.- Papel moeda em poder público (PMPP): é o volume de papel moeda emitido menos as reservas dos bancos.- Multiplicador bancário ou dos meios de pagamentos: os bancos criam meios de pagamentos adicionais,deixam uma parte como reserva e emprestam outras, que acabam se transformando em novos depósitos que,pela regra do banco, mantêm somente uma parte como reserva e gerando novos empréstimos com o restante, eassim por diante.- Tipos de reservas (ou encaixes) dos bancos comerciais: encaixes em caixa (são os caixas das agênciasbancárias, que atendem quem vai sacar ou trocar cheques por papel moeda); reservas voluntárias (mantidas noBanco Central para fins de compensação de cheques); e reservas compulsórias (o Banco Central estipulaobrigatoriamente a retenção de uma percentagem dos depósitos à vista como encaixes compulsórios, que devemser recolhidos no Baco Central).- A soma dos depósitos a vista é o resultado da criação de meios de pagamentos por intermédio dos bancos.- O multiplicador dos depósitos será tanto maior quanto menor for a parcela dos depósitos retidos sob a formade reservas bancárias. Quanto maiores as reservas, menos recursos o banco terá para emprestar.- Quanto maior a razão entre depósitos a vista e meios de pagamento, maior será o multiplicador; e quantomaior a fração das reservas bancárias sobre o que se recebe de depósito a vista, menor será o multiplicador.- Controle da oferta de moeda pelo Banco central: é feito de três modos: Mercado aberto ou operações deopen market (O Bacen compra ou vende títulos do governo no mercado de títulos. Quando o governo vende umtítulo, recebe o valor da venda do título em dinheiro, o que retira tal montante de moeda de circulação, havendouma diminuição dos meios de pagamento, e quando compra os títulos do público, está colocando moeda naeconomia, aumentando a oferta monetária); Reservas compulsórias (todo banco precisa reservar uma parte dosdepósitos que recebe, essa parte é definida de acordo com os interesses da política monetária do país, e porafetar a disponibilidade dos recursos para empréstimos, o valor dessas reservas influencia o multiplicadorbancário; Se o Bacen pretender contrair a oferta monetária, pode elevar o recolhimento compulsório dasreservas bancárias, se quiser ampliá-la, pode diminuir essa taxa); e taxa de redesconto (é a taxa de juros que osbancos têm que pagar ao Bacen quando estão sem moeda suficiente para atender aos clientes. Um aumento nataxa de redesconto tende a elevar as reservas bancárias, e assim, diminuir o multiplicador e os meios depagamento).- Multiplicador dos meios de pagamento = meios de pagamento dividido pela base monetária
  6. 6. Aula 7- Demanda por moeda significa quanto de sua riqueza ou renda as pessoas desejam manter sobrea forma de moeda.- A demanda por moeda se dá por motivos de transação, precaução e especulação.- Demanda por moeda por motivo de transação: é a demanda por moeda pela facilidade que elaproporciona para efetuar transações econômicas. É o montante de moeda suposto como osuficiente para efetuar os gastos planejados por um certo período de tempo.- Demanda por moeda por motivo de precaução: se dá pela ciência de que fatos imprevistospodem ocorrer. Quanto mais rica for a pessoa, maior será o encaixe por motivo de precaução.- Demanda por moeda pro motivo de especulação ou portfólio: é reter moeda para aproveitaruma oportunidade de ganhar dinheiro a partir das circunstâncias do momento ou do futuro. É aparcela da demanda por moeda que o indivíduo guarda com objetivo de ser beneficiado por algumganho futuro.- As pessoas retêm moeda não pelo seu valor nominal. O que importa é a demanda real, ou seja, opoder de compra da quantidade de moeda de que se precisa para fazer frente aos gastos. Levandoem conta o valor nominal, pode-se cair na famosa ilusão monetária.- A teoria quantitativa da moeda estabelece uma relação entre a quantidade de moeda e osvalores que terão as transações (ou os produtos) que são trocados por elas em uma economia.Estabelece também que a velocidade de circulação da moeda é constante.- Equação: Md = 0,6Y – 2i informa que a demanda por moeda depende da renda e da taxa dejuros.- O número de vezes que uma moeda passa de mão em mão nos negócios em que é utilizadarecebe o nome de Velocidade de circulação ou velocidade-renda da moeda.- Cálculo da circulação da moeda: dividir o PIB nominal pela quantidade de moeda (meios depagamento).- Quando a moeda está com alta velocidade de circulação (quando todos tentam se livrar damoeda) é porque as pessoas estão retendo pouca quantidade de moeda em razão da renda. Quandoa inflação está muito elevada, ninguém quer ficar com dinheiro nas mãos, já que a perda de seupoder aquisitivo é grande.- Teoria monetária da inflação: emissão de moeda causa tão somente mais inflação.- Pela Teoria quantitativa da moeda, a economia (pessoas, empresas, governo) com maisdinheiro na mão desejará comprar mais, e como já se está no nível máximo de produção, a pressãoda demanda apenas elevaria os preços.- A taxa de juros tem relação inversa com a demanda por moeda.- O rendimento real de uma aplicação é o que se ganha em termos de poder de compra com oresultado da aplicação. Então a taxa real de juros não é a componente que afeta a demanda pormoeda, e sim a taxa nominal, ou seja, o custo de reter moeda é dado pela taxa nominal de juros..- A perda que representa o ato de manter moeda é composta pro duas parcelas: a taxa real de juros(o que se deixou de ganhar por não ter aplicado) e a desvalorização da moeda no período (a taxade inflação).- Custo de demandar moeda: C=r+II onde C é o custo de manter moeda, r é a taxa real de juros,e II é a taxa de inflação.- A taxa real de juros é a taxa nominal descontada a inflação.- Na taxa nominal de juros, quanto maior a taxa de juros menor deverá ser a demanda pormoeda, e quanto menor a taxa de juros, maior a demanda por moeda.- A taxa nominal de juros e a taxa de inflação são importantes elementos na determinação dequanto da riqueza de um indivíduo será mantido em moeda.
  7. 7. Aula 8- As funções da moeda: meio de troca, unidade de conta e reserva de valor.- As instituições que oferecem empréstimos são incluídas no sistema financeiro.- Relação financeira: é o processo de transferência de renda de um agente para outro. Ocorre toda vez que umagente econômico transfere poder de compra para outro agente econômico, tendo em contrapartida a promessade pagamento futuro.- Agentes financeiros existentes dentro da economia: agente superavitário e agente deficitário. Eles podemrealizar relações financeira, que podem ser ou não intermediadas por uma instituição financeira.- Agente deficitário: é todo agente econômico que gasta comprando bens e serviços mais do que recebe comorenda.- Agente superavitário: é todo agente econômico que gasta menos do que recebe como renda.- Poupança de um agente econômico: é toda a renda disponível que este recebeu subtraindo-se o que elegastou comprando bens e serviços de consumo no mesmo período.- Intermediação financeira: é o ato de captar recursos do agente superavitário e transferir para o agentedeficitário.- Instituição financeira: empresa que fazem as intermediações entre agente superavitário e agente deficitário.- Juro: é a vantagem financeira oferecida nas relações financeiras.- Títulos: são as obrigações geradas na realização de contratos financeiros.- Títulos de dívida: são títulos que representam a obrigação de quitar todo o valor expresso no contrato, comoexemplo as notas promissórias, duplicatas e letras de câmbio.- O título negociado pode, em vez de exigir um valor monetário em troca, representar uma inclusão depropriedade. O agente superavitário se torna um dos donos do bem do agente deficitário.- A entidade bolsa de valores não é uma intermediária financeira, pois apenas fornece o espaço para o agentesuperavitário e o agente deficitário negociarem.- As instituições financeiras são instituições que realizam o papel de intermediário financeiro (captam recursosde agentes superavitários e emprestam para agentes deficitários). Nessa operação, é a instituição financeira queobtém lucro.- O que diferencia as instituições financeiras bancárias e as instituições financeiras não-bancárias são asformas de captação de recursos: as instituições financeiras bancárias estão autorizadas a captar parte de seusrecursos através de depósitos, enquanto as instituições financeiras não-bancárias captam recursos apenas atravésda colocação de títulos ou recursos próprios.- Tipos de depósitos realizados nas instituições financeiras bancárias: Depósito à vista (depósitos feitos emconta corrente e que possuem liquidez imediata – podem ser trocados por moeda a qualquer momento) ;depósito à prazo (depósitos feitos no banco mas não resgatáveis a qualquer momento, são obrigações que obanco tem com os clientes que só podem ser resgatados em prazo pré-determinado entre os dois, e caso hajanecessidade de resgatá-lo o cliente poderá perder rendimentos) e depósito em poupança (obrigação que osbancos criam quando o cliente deposita uma determinada quantia com o objetivo de obter algum rendimento,eles podem ser resgatados a qualquer momento, mas somente com um pedido direto aos bancos, isto é, nãopodem ser transferidos por emissão de cheque.- Tipos de bancos: Banco comercial, Banco de investimento e Banco de poupança- Banco comercial: autorizado a captar seus recursos via depósito à vista. Esses recursos são aplicados nomercado de crédito, isto é, são transferidos para agentes deficitários que querem comprar determinado bem ouserviço. Exemplo, o crédito pessoal. Como emprestam dinheiro, correm o risco de não receber esses valores devolta (o chamado risco de crédito). Outro risco que os bancos comerciais correm é o cliente querer sacar maisdo que eles tem em reserva (risco de liquidez). Para não correr riscos de liquidez, os bancos obrigam-se aaplicar recursos captados em créditos de curto prazo.- Banco de Investimento: autorizado a captar seus recursos via depósito a prazo. A maior parte dessesrecursos é aplicada no mercado de capitais, isto é, são transferidos para agente deficitários que querem realizarinvestimentos. Esse tipo de instituição é super importante para o crescimento e desenvolvimento econômico dopaís. O banco de investimento corre Risco de capital (o título pode passar a valer menos do que o esperado),mas da mesma forma, pode ter um ganho de capital, no caso do título valorizar mais do que o esperado.- Banco de poupança: autorizado a captar seus recursos via depósito em poupança. A maior parte dessesrecursos é aplicada no mercado de crédito, mas voltados para o crédito imobiliário. Essas instituições tambémcorrem o risco dos clientes não pagarem (risco de crédito), mas esse risco é reduzido, pois os próprios imóveissão dados como garantia de não-pagamento. Esse tipo de contrato é chamado hipoteca.- Os sistemas financeiros nacionais são compostos de: bancos, caixas de poupança, bolsas de valores, fundosde pensões, seguradoras, bem como do banco central e a autoridade pertinente de cada país.
  8. 8. Aula 09- Juscelino Kubitscheck buscou a industrialização através de forte participação do setor público.Fernando Collor, Fernando Henrique e Lula buscaram a continuidade do desenvolvimento através departicipação mínima do Estado, acreditando que o setor privado seria capaz, por si só, proporcionaresse desenvolvimento.- Até a crise de 1929 a teoria dominante era a teoria neoclássica, onde era recomendada umaparticipação mínima do Estado. Com a crise econômica da época e conseqüentes taxas de desempregoelevadas, foi desenvolvida uma política econômica que afirmava contrário. E a partir daí, as políticaseconômicas passaram a ser adotadas no sentido e haver uma maior intervenção do Estado. Com ascrises inflacionárias a partir de 1970, retornou-se a visão neoclássica e a recomendação da participaçãomínima do Estado voltou às pautas políticas, e ganharam mais efeito a partir de 1990.- Setor público engloba todos os órgãos empresas (industrias ou de serviços) pertencentes ao Estado.- Na economia brasileira, o setor público pode ser analisado como sendo o setor público não-financeiro mais o Banco Central.- O setor público não-financeiro leva em conta: todas as administrações diretas (Executivo)exercidas pelos governos, nas esferas federal, estadual e municipal; as administrações indiretas (comoo Legislativo), também o federal, municipal e estadual; o INSS – sistema público de previdênciasocial; e as empresas estatais não-financeiras também nos níveis federal, estadual e municipal.- Setor público brasileiro – instituições não financeiras, como INSS, e prefeitura- Instituições financeiras: exemplo: Bancos, exceto Bacen, CEF...- Bens públicos: são os bens e serviços que o mecanismo de mercado não consegue prover; são bens eserviços que o mecanismo de mercado, por si só, é incapaz de fornecer, pois não consegue excluir onão pagador).- Uma das funções do governo é a função alocativa: é responsável por fornecer bens públicos,exemplo a justiça, a segurança pública, a educação pública, etc.- Quanto mais produtos o país estiver produzindo, mais fatores de produção esse país contratará e maisrenda terá a população desse país. Daí a importância de buscar sempre o crescimento da produção dopaís, ou seja, o crescimento econômico desse país.- Entre as décadas de 1950 a 1970 as taxas de crescimento do PIB foram em média bem expressivas,mas a miséria da população não diminuiu. Isso se deu porque o país cresceu, a renda total aumentou,mas essa renda não foi dividida de forma igual, houve concentração de renda. - Em relação a isso éque o governo tem a função distributiva, pois ele pode fazer a redistribuição de renda.- O governo pode fazer a redistribuição de renda utilizando as transferências, os tributos e ossubsídios, ele pode realizar essa função sim.- Na função distributiva, quanto maior a produção do país, maior a renda agregada da população. Sea produção aumenta, a necessidade de contratar mais fatores de produção (trabalho, capital e recursosnaturais) também aumenta, ou seja, diminui o desemprego.- Outra função do governo é a função estabilizadora. Em caso do país apresentar elevadas taxas dedesemprego, o governo deve intervir na economia com o objetivo de diminuir o desemprego.- Todas essas funções do governo dependem da teoria econômica que está por trás da ação políticaadotada, que diz se o Estado precisa intervir na economia, ou se essa intervenção deve ser a mínimapossível...- A busca por uma menor participação do Estado na economia também tem o objetivo de satisfazer afunção estabilizadora.- O preço dos produtos fabricados no país também têm uma importância muito grande para o Estado.Se ocorrer um aumento geral dos preços desses produtos, o poder de compra da moeda emitida pelogoverno é diminuído. Toda vez que há inflação, parte da população perde poder de compra (fica maispobre). Isso refere-se a mais uma função estabilizadora do governo: manter estável o nível depreços.- Algumas recomendações que devem ser seguidas para que a estrutura tributária não se torneinjusta ou ineficiente: é recomendável tributar em parcela maior o agente que ganha mais. Essaforma de tentar tornar mais justo a estrutura tributária é chamada de princípio da capacidade depagamento;; cobrar impostos em conformidade com quem está sendo mais beneficiado ou de quempoderia se beneficiar mais. Essa forma de tributação é chamada de princípio do benefício;; a estrutura
  9. 9. tributária deve ser organizada de forma a não atrapalhar a alocação de recursos da economia. Essaforma de tributar é chamada de princípio da neutralidade;; os tributos que o governo impõe àsociedade devem ser de fácil arrecadação. Essa forma de tributar é chamada de princípio dasimplicidade.- Tipos de impostos: impostos diretos (são cobrados diretamente de quem está pagando, é cobrado nafinte emissora do tributo, como IRRF) e impostos indiretos (incidem sobre bens e serviços e não sãocobrados diretamente da fonte pagadora, mas sim sobre um produto consumido, como ICMS e IPI).Além dos impostos, existem as contribuições e outras formas de arrecadação, como as taxas (taxa deincêndio, por exemplo).- O governo realiza seus gastos comprando bens e serviços produzidos na sociedade e/ou pagando seusfuncionários, e/ou transferindo renda e/ou dando subsídios.- Os bens e serviços podem ser divididos em bens e serviços de consumo, bens e serviçosintermediários e bens de capital. Quando o governo compra a merenda da escola, os remédios dohospital, o material do escritório para o Executivo, ele compra bens de consumo. Quando a Petrobráscompra algum insumo para ajudar na produção do petróleo, está comprando um bem intermediário(matéria-prima). Quando o governo constrói um hospital, uma estrada, uma escola, uma plataforma depetróleo, ele está comprando bem de capital, isto é, está criando estruturas de funcionamento asociedade para períodos seguintes.- Os gastos realizados nas compras de bens e serviços de consumo e intermediários são chamadosgastos correntes ou de custeios. Os gastos realizados na compra de bens de capital são chamadosgastos de capital.- As transferências de renda que o governo realiza são as transferências de renda para quem nomomento não está recebendo uma renda qualquer. Como exemplo, paga a aposentadoria de quem jánão tem idade para trabalhar mais, outros exemplos temos o seguro desemprego, o bolsa família, obolsa escola...- Se os gastos totais do governo são maiores que o total de arrecadação, o país apresenta déficit nascontas do governo, e haverá a necessidade de financiamento do setor público (NFSP). O governo,nessa situação, precisa arrumar formas para cobrir o déficit, como lançar títulos da dívida, ou pegarempréstimos. Como ele é o único fabricante de moeda que circula no país, ele pode emitir moeda parafechar suas contas (o que necessariamente, não geraria inflação).- NFSP nominal (necessidade de financiamento do setor público nominal): é a NFSP levando emconta o pagamento com juros nominais, ou seja, inclui o ganho real mais a parte referente à inflação.- NFSP nominal: as contas do governo serão as receitas com os tributos e taxas, os gastos comdespesas não-financeiras mais os gastos com despesas financeiras (pagamento dos juros). A partereferente à emissão de moeda não paga juros.- Quase sempre a taxa de juros oferecida pelo governo é superior à inflação. A taxa de juros total, istoé, levando em conta a inflação, é chamada taxa de juros nominal. A taxa de juros, excluindo-se ainflação, chama-se taxa de juros real. → i = r + Π onde taxa nominal de juros é igual a taxa de jurosreal mais inflação.- Quando o governo contabiliza o seu resultado considerando os juros pagos calculados com a taxa dejuros nominal temos a NFSP nominal. Quando contabiliza seu resultado considerando o pagamentode juros reais, temos a NFSP operacional.- NFSP primária, conhecida também como superávit primário do governo: É quando as contaspúblicas são contabilizadas excluindo as despesas financeiras, isto é, não leva em conta o pagamentode juros (nem reais nem nominais).- NFSP nominal = Receitas – Gastos – Juros Nominais- NFSP operacional = Receitas – Gastos – Juros Reais- NFSP primária = Receitas – Gastos- Ultimamente o Brasil tem feito uma redistribuição de renda do trabalhador para o sistema financeiro.Ele está realizando uma função distributiva, mas no sentido contrário, tirando do pobre e transferindopara o rico.- Funções econômicas do governo: função alocativa (prover os chamados bens públicos); funçãodistributiva (distribuir a renda de forma que a sociedade considere justa); e função estabilizadora(buscar baixo nível de desemprego e nível de preços controlado).
  10. 10. Aula 10- Se houver um aumento da quantidade produzida de bens e serviços haverá umaumento da renda agregada do país, e assim, a sociedade estará mais rica.- Objetivo do governo, ao utilizar uma política econômica: afetara renda agregada dopaís.- Principais políticas econômicas existentes: política fiscal; política monetária,política cambial e política comercial.- Os gastos realizados pelo governo também entram para atingir a renda agregada dopaís.- Todas as variáveis que são contabilizadas no orçamento público podem ser utilizadascomo instrumento da política fiscal.- A política fiscal é a forma que o governo tem de intervir na economia utilizando oorçamento público.- Quando o governo utiliza os tributos, ele está fazendo uma política tributária.Exemplo, quando diminui a taxa do imposto de renda cobrado da população brasileira.- Quando o governo atua sobre os gastos, está fazendo uma política de gastos.Exemplo, quando resolve construir uma estrada.- Como essas políticas fiscais afetam a renda agregada? Tanto reduzindo ouaumentando a alíquota do imposto de renda, o governo consegue afetar a rendaagregada. O governo pode afetar a renda agregada do país por meio da utilização doscomponentes de seu orçamento (arrecadação de tributos e gastos). Se aumentar aalíquota, adota uma política fiscal expansionista, e se diminui a alíquota adota umapolítica fiscal contracionista.- Quando o governo deve agir de forma expansionista: Como Keynes sugeriu, aeconomia atua com desemprego involuntário dos fatores de produção, principalmenteda força de trabalho. Como a economia nunca chegaria ao pleno emprego se deixar porconta do mercado, o governo deveria agir de forma a reduzir o desemprego utilizandoas políticas econômicas (principalmente a fiscal), e para isso deveria utilizar umapolítica fiscal que aumentasse a renda agregada (isto é, uma política fiscalexpansionista).- Quando o governo deve agir de forma contracionista: se a economia apresentasseuma economia de pleno emprego da produção, qualquer pressão da demanda (aumentona procura por bens e serviços) levaria a um aumento de preços, e para resolver essasituação, o governo deveria aumentar o preço desses produtos, fazendo com que omercado passasse a buscar novos produtos em lugar destes. Isso é chamado inflação dedemanda. Essa atitude do governo consiste em diminuir a renda agregada (isto é, umapolítica fiscal contracionista).- A condição de equilíbrio da renda agregada ocorre quando a demanda agregada porbens e serviços é igual à oferta agregada por bens e serviços. → EqRA – DA = OA- A oferta agregada (AO) é a soma de todos os bens produzidos no país (Y) mais osbens disponíveis para importação (M) → AO = Y + M- A demanda agregada (DA), isto é, quem está comprando os bens e serviçosofertados, é realizada por quatro grandes agentes: famílias (que consomem os bens deconsumo (C); empresas (que consomem bens de capital – investimentos (I); governo(que realiza gastos, comprando bens e serviços de consumo e bens de capital (G); e
  11. 11. setor externo (que compra produtos produzidos no nosso país, ou seja, as exportações(X). → DA = C + I + G + X- Keynes supôs que o consumo das famílias (C) depende da renda agregada disponívelque elas têm para gastar.- A renda agregada disponível (YD) é toda renda recebida pela sociedade (gerada noprocesso produtivo), isto é, é a renda agregada (Y) menos os tributos cobrados pelogoverno (T) .- Tanto a aposentadoria como as bolsas são rendas que podem ser utilizadas paracomprar bens e serviços. A inclusão dessas rendas aumenta a renda agregadadisponível para comprar bens e serviços. → renda agregada disponível = (toda rendagerada no processo produtivo e recebida pela sociedade) – (tributos cobrados pelogoverno mais a transferência de renda que o governo faz à sociedade comoaposentadoria, seguro desemprego, bolsa família, bolsa escola, etc) → YD = Y – T- Quanto maior a renda disponível, maior o consumo das famílias. Quanto menor arenda disponível, menos o consumo delas.- Nem toda renda agregada gerada na economia será utilizada para comprar bens eserviços, parte dela será poupada. → C = cYD = c(Y – T) onde c é a propensãomarginal a consumir. (quanto do consumo irá variar quando a renda disponível variar)- Diferença entre déficit público e dívida pública: quando o governo fica com suasreceitas inferiores aos seus gastos, ocorre um déficit. Se o governo adota constantespolíticas fiscais expansionistas que incorram constantes déficits, ele aumentará suadívida, de forma que não poderá mais gastar mais do que arrecada, pois terá que pagaros acúmulos de déficits de períodos anteriores. O déficit público é o que ocorre noperíodo, um fluxo, e a dívida pública é um acúmulo de déficits, um estoque.- Se o governo apresenta o NFSP primário superavitário (com lucros), parece quetomou medidas de contração da renda agregada. Mas se o NFSP nominal fordeficitário, não podemos dizer que o governo tomou medidas expansionistas. Quemempresta a maior parte do dinheiro para o governo são os banqueiros, que já possuemgrande quantidade de bens e baixa propensão a consumir. Assim, a maior parte dastransferências que o governo realiza para esses agentes vira poupança e não consumo.E assim, não aumenta a demanda agregada nem o produto, pouco afetando com isso arenda agregada.- Política fiscal expansionista: adotadas pelo governo quando adota medidas buscandoaumentar a renda agregada. Feita quando o país apresenta desemprego involuntário dosfatores de produção. Com o desemprego involuntário, o governo age afetando a ofertade bens e serviços, gerando uma renda maior. Essa pressão sobre a oferta não afetará onível dos preços, já que o país pode aumentar sua oferta agregada utilizando fatores deprodução desempregados.- Política fiscal contracionista: adotadas pelo governo quando adota medidasbuscando diminuir a demanda agregada. Feita quando o país apresenta característicasde uma economia que está em pleno emprego. Com a economia em pleno emprego, aqualquer pressão sobre a oferta agregada os agentes responderão aumentando o nívelgeral de preços, causando inflação de demanda.
  12. 12. Aula 11- Oferta de moeda: objetos capazes de comprar bens e serviços ou de quitar uma dívida de formaimediata, isto é, objetos que apresentem liquidez total. O papel moeda que está em poder público(PMPP) faz parte dos meios de pagamento da sociedade.- São considerados oferta de moeda: o papel moeda em poder público (PMPP), o cartão de débito, odepósito que está em sua conta (depósito à vista) → OM = PMPP + DV- Política monetária: é o conjunto de medidas que o governo adota para controlar a oferta de moeda(meios de pagamento) conforme os interesses econômicos do país. Quase sempre essas medidas sãoimplementadas pelo Banco Central. É quando o governo resolve variar a oferta de moeda do país.- Diferença entre política monetária expansionsita e política monetária contracionista: Quando ogoverno adota medidas visando aumentar a oferta de moeda, está adotando uma política monetáriaexpansionista, e quando o governo toma medidas visando diminuir a oferta de moeda, adota umapolítica monetária contracionista.- OM = PMPP + DV- Aqueles economistas que acreditam que a emissão de moeda causa inflação e por isso afeta adistribuição de renda no país, recomendam uma política monetária que tem como objetivo um fortecontrole sobre a oferta de moeda, restringi-a ao máximo possível para evitar que ocorra aumentogeneralizado de preços. Aqueles economistas que acreditam que o governo pode emitir moeda aorealizar seus gastos sem necessidade de contrabalançar com tributos/aumento da dívida e que isso nãocausa inflação. Se a economia apresenta desemprego de seus fatores de produção (trabalho, máquinas,equipamentos, etc), o governo pode e deve realizar gastos aumentando a oferta de moeda do país.Esse aumento de gastos fará aumentar a quantidade produzida de bens e serviços, e com isso, a rendaagregada também aumentará e o desemprego tenderá a diminuir.- O governo consegue afetar diretamente a demanda agregada, aumentando ou diminuindo seus gastos(política fiscal). O governo age diretamente sobre a demanda agregada quando utiliza a política fiscal.- Objetivos do governo ao utilizar a política monetária: também dependem da teoria econômicaadotada. De modo geral, os objetivos da política monetária são estabilizar o nível de preços, aumentaro nível de emprego, buscar maior crescimento econômico, estabilizar a taxa de câmbio, etc...- Objetivos principais do governo ao utilizar a política monetária: o objetivo principal é afetar abase monetária da sociedade, que é controlada diretamente por ele. Assim, ele pretende afetar osmeios de pagamento (meta secundária), e assim ele poderá chegar aos objetivos finais (que é aumentaro nível de emprego, crescimento do produto, estabilidade de preços, etc...)- É o governo que determina a quantidade de moeda ofertada, por meio da política monetária, e a taxade juros se adapta a essa quantidade.- Existe a hipótese em que o governo determina a taxa de juros, e com base nessa taxa de juros osbancos determinam a a taxa de juros que acreditam ser atraente. Neste caso, o governo determina ataxa de juros, e os meios de pagamento é que se adaptam a essa taxa.- Para chegar aos seus objetivos pela política monetária, o governo precisa elaborar metas, quepodem ser sobre a base monetária da economia ou sobre a taxa de juros, dependendo da teoriaeconômica utilizada.- Como o governo consegue realizar a política monetária: demora um pouco para os efeitos dapolítica monetária atingirem os objetivos desejados,não é de forma direta.- Para realizar a política monetária, o governo utiliza instrumentos de política monetária: reservascompulsórias, redesconto e operações de mercado aberto.- O governo só tem controle sobre o PMPP que ele emite. Os depósitos a vista são criados pelosbancos comerciais por meio da liberação de empréstimos. O Bacen controla o PMPP mais as reservasbancárias, já que é ele quem emite as reservas que os bancos comerciais guardam (reservas voluntáriase reservas compulsórias).- Multiplicador monetário: é a razão entre os meios de pagamento e a base monetária, isto é, quantoem proporção, os meios de pagamento são superiores às reservas bancárias. Com o dinheiro colocadoem contas em bancos comerciais, o banco multiplica os valores de aplicação e de reservas...- Reservas compulsórias: utilizada quando tenta atingir a oferta de moeda na economia, isto é,quando busca alterar as reservas compulsórias (parte dos depósitos a vista que os bancos comerciais
  13. 13. são obrigados a reservar e guardar no Bacen). O governo pode adotar medida contracionistaaumentando o percentual de reserva compulsória do banco comerciais, por exemplo.- Logo após a implantação do plano real, foi visto que o aumento da demanda pudesse fazer com que ainflação aumentasse. Para evitar isso, o governo adotou medidas contracionista aumentando o valordas reservas compulsórias para 100%, isto é, os bancos não poderiam usar nenhum valor dos depósitosa vista para fornecer empréstimos, fazendo com que isso diminuísse o consumo de bens e serviços,diminuindo a demanda e evitando o aumento da inflação.- Os bancos não são obrigados a guardar parte dos valores depositados em reservas quando estes sãorealizados em poupança. Com isso, os bancos procuram fugir dessas taxas do Bacen.- Redesconto: é quando um banco, na compensação diária, pagam mais do que recebe papel-moeda.Neste caso, deve recorrer a reserva, e se esta não for suficiente, deverá pedir empréstimo aos outrosbancos comerciais. Supondo que estes bancos não possuem reservas disponíveis para emprestar odinheiro, o Banco Central socorre este banco. É aí que ocorre o empréstimo de redesconto, e é nestaoperação que o governo faz valer uma política monetária.- Taxa de redesconto: é a taxa cobrada pelo Bacen ao emprestar dinheiro para os bancos. Essa taxade redesconto é bem maior que a taxa cobrada no mercado de reservas, como forma de punição e paranão acontecer constantemente.- Como o governo controla a oferta de meios de pagamento pelo redesconto: se o governo resolveaumentar a taxa de redesconto, os bancos tendem a emprestar menos, criando uma quantidade menorde depósito a vista. Se ele quer adotar uma política monetária contracionista, ele aumenta a taxa deredesconto, e se quiser adotar uma política monetária expansionista, ele diminui a taxa de redesconto.- Operações de mercado aberto (open market): É um dos instrumentos mais eficazes para afetar osmeios de pagamento da sociedade, já que atinge diretamente a oferta de moeda.- Operações de mercado aberto: são operações de compra e venda de títulos públicos realizadas pelogoverno (via Bacen). O título público é uma obrigação do governo. Toda vez que ele emite um títuloestá trocando uma obrigação por papel-moeda, e toda vez que ele resgata um título, está trocandopapel moeda por obrigação.- Quando você compra um título público, está emprestando dinheiro ao governo. Como é ele quememite o papel moeda, quando ele vende um título e uma pessoa compra, a base monetária da economiaestá diminuindo.- Quando você vende um título público, quando o governo compra um título público emitido por ele,está ocorrendo um aumento da base monetária da economia, visto que o Bacen recolhe o título e lhe dáo papel moeda. Isso aumenta os meios de pagamento da sociedade.- Se o governo compra títulos, ele aumenta a base monetária da economia e aumenta os meios depagamento. Se o governo vende títulos, ele está reduzindo a base monetária e diminuindo os meios depagamento.- Funcionamento do compulsório sobre a política monetária: se o governo aumenta aobrigatoriedade dos bancos comerciais guardar parte dos depósitos a vista como reserva, os bancoscomerciais terão menos dinheiro para emprestar e com isso, menos possibilidade de criar novosdepósitos a vista, e assim eles ficariam mais cautelosos para fornecer empréstimos (políticacontracionista). Se o governo resolve diminuir essa taxa, o custo para os bancos recorrerem ao Bacenserá menor, e eles ficariam menos cautelosos para emprestar (política expansionista).- Funcionamento do redesconto sobre a política monetária: Se o governo resolve aumentar a taxa deredesconto, será maior o custo dos bancos comerciais ao recorrer ao Bacen (medida contracionista).Se o governo diminuir essa taxa, será menor o custo para os bancos recorrerem ao Bacen, e elesficariam menos cautelosos para emprestar (medida expansionista)- Funcionamento das operações de mercado aberto sobre a política monetária: Se o governo vende umtítulo público, ele está recebendo papel moeda e oferecendo o título, diminuindo a base monetária daeconomia e diminuindo os meios de pagamento da sociedade (política contracionista). Se o governocompra um título que está em poder de algum outro agente econômico, ele está retirando desse agenteo título e entregando ao agente papel moeda, e assim, aumentando a base monetária da economia eaumentando os meios de pagamento (política expansionista)
  14. 14. Aula 12- Cálculo das transações comerciais e transações financeiras realizadas entre o país e ostor externo (balançod e pagamento)Contas utilizadas para compensar o resultado obtido da soma dos 2 tipos de transação- As transações comerciais e financeiras realizadas entre residentes e não-residentes de um paíssão realizadas com uma moeda de aceitação internacional (dólar), e para isso, esses paísesprecisam captar essa moeda.- Caso o país não tenha dólar para satisfazer os importadores, o crescimento pode parar. Énecessário que o país apresente métodos capazes de mensurar as suas transações comerciais efinanceiras com o resto do mundo.- Existe a necessidade de contabilizar as transações internacionais de um país. Essacontabilização é feita através do balanço de pagamento do país.- Balanço de pagamento é o método de contabilização das transações financeiras e comerciaisrealizadas por residentes e não-residentes de um país em um determinado período de tempo.- Dois tipos de transações que um país realiza com o restante do mundo: transaçõesrealizadas de forma autônoma pelos residentes e não-residentes do país, e transações realizadaspara compensar o saldo obtido nas transações autônomas (transações compensatórias).- Tipos de transações entre residentes e não-residentes de um país: transações autônomas etransações compensatórias.- Tipos de transações autônomas realizadas entre residente e não-residentes de um país:transações comerciais ou transações financeiras- Tipo de transações autônomas realizadas que são contabilizadas no balanço depagamento: transações comerciais (transações com bens e serviços) e transações financeiras(transações com direitos e obrigações).- Transações Comerciais ou Transações de bens e serviços: Contabilizadas na conta“transações Correntes”.- Transações Financeiras ou Transações de obrigações e direitos: Contabilizadas na conta“Movimento de Capitais Autônomos”.- Conta “Transações Correntes”: Conta do balanço de pagamentos que contabiliza todas astransações de bens e serviços realizadas entre residentes e não-residentes de um país.- Conta Transações Correntes: Subdividida em Balança Comercial; Balança de Serviços eTransferências Unilaterais- Balança comercial: Conta usada para transações que envolvem a compra e venda de bens,ou seja, importação (-) ou exportação (+) de bens. Esses valores são contabilizadoslíquidos, ou seja, sem valor de frete, seguro, etc...- Total da Balança Comercial: Se o total de entrada de dólares (exportação) for maior que ode saída de dólares (importação), o país está com superávit na balança comercial, Se o totalde entrada de dólares (exportação) for menor que o total de saída de dólares (importação), opaís está com déficit na balança comercial.- Balança de Serviços: Conta usada para contabilizar transações de serviços. É dividida em:Transportes: fretes, seguros, etc; Turismo e viagens Internacionais; Renda de Capital: lucros ejuros; Serviços governamentais; e Outros Serviços.- Transferências Unilaterais: Conta usada para transações que não têm nenhumacontrapartida de bens ou serviços nem são trocas de obrigações e direitos, mas representamentrada e saída de moeda estrangeira. Exemplo: transferência de dinheiro ou doações.- Saldo da Conta “Transações Correntes”: é a soma do saldo dos grupos BalançaComercial, Balança de Serviços e Transferências Unilaterais. Se o resultado for negativo(déficit nas transações correntes), significa que o país envia mais dólar para o exterior do que
  15. 15. recebe. E se o sinal for positivo (superávit nas transações correntes), significa que o paísrecebe mais dólar do que envia para o exterior.- Conta Movimento de Capitais Autônomos: usada para contabilizar o movimento decapitais entre os países. Exemplo: empréstimos e financiamentos, amortizações,investimento, reinvestimento e capitais de curto prazo.- Conta erros e omissões: usada para contabilizar operações que, por algum motivo, deixou-se de contabilizar anteriormente, mas que há certeza de que foram realizadas.- Saldo do Balanço de pagamento: Soma do saldo dos grupos Transações Correntes (Balançacomercial, balança de serviços e transferências unilaterais); Movimento de capitais autônomos;e Erros e omissões.- Saldo do balanço de pagamento: pode ser superavitário (quando está entrando mais dólarno país do que saindo), ou deficitário (quando está saindo mais dólar do país do que entrando).- Mesmo o saldo do balanço de pagamento sendo superavitário, nada impede que as transaçõescorrentes estejam negativa e que o saldo positivo de dólar seja referente, por exemplo, aocapital de curto prazo. E isso é ruim para o país, pois a conta transações correntes mostra oque de fato o país precisa para satisfazer as necessidades materiais dos seus residentes, e parafinanciar esses déficits, muitas vezes o governo prefere aumentar a taxa de juros. A alta taxade juros atrai capitais de curto prazo (geralmente especulativos) que faz obter superávit nosaldo do balanço de pagamento, mas qualquer ameaça internacional pode fazer com que essecapital saia do país imediatamente, o que provoca déficits no saldo do balanço de pagamentonovamente, e caso o país não tenha reservas suficientes, terá que tomar medidas, como adesvalorização da taxa de câmbio.- Após o cálculo do fechamento do balanço de pagamento, o saldo deve ser lançado em umaconta de contrapartida, com sinal inverso, para que fique zerada. Esse saldo é lançado naconta Movimento de Capitais Compensatórios.- A conta Movimento de Capitais Compensatórios é dividida em: Variações de reservas(onde se lança o saldo do balanço de pagamento, com sinal negativo); Operações deregularização (usada quando o saldo da conta variações de reserva não der para cobrir adívida, situação em que se deve pedir dinheiro emprestado ao FMI. Esse tipo de empréstimo élançado nessa conta) e atrasados comerciais (usada no caso do FMI não emprestar dinheiropara cobrir a divida, e o país decretar moratória).- O Balanço de pagamento é dividido em transações autônomas e transações compensatórias.As transações autônomas se dividem em transações correntes e o movimento de capitaisautônomos. As transações correntes se dividem em balança comercial (contabiliza astransações de mercadorias), balança de serviços (contabiliza as transações de serviços) etransações unilaterais. A conta Movimento de Capitais Autônomos contabiliza as transaçõesde obrigações e direitos realizadas entre residentes e não-residentes.- O resultado da soma das transações correntes com o movimento de capitais autônomos é osaldo do balanço de pagamento. Se esse saldo for positivo, o país está arrecadando maisdólar do que está enviando para o exterior, e se o saldo for negativo, o país está arrecadandomenos dólar do que está enviando para o exterior. Esses resultados são compensados na contaMovimento de Capitais Compensatórios.A conta Movimento de Capitais Compensatórios registra os saldos obtidos no saldo dobalanço de pagamento, para que este fique zerado. Se o saldo for positivo, registra-se comoVariações de Reservas Internacionais. Se o saldo for negativo, registra-se nas Variaçõesde Reservas e/ou Operações de Regularização (se pegar emprestado com o FMI) e/ouAtrasados Comerciais (se o FMI não emprestar o dinheiro e o país não conseguir cumprirseus compromissos, tendo que declarar moratória.)
  16. 16. Aula 13- Taxa de cambio mostra o quanto da moeda nacional é preciso para comprar umaunidade da moeda estrangeira.- Quando ocorre a desvalorização da taxa de câmbio (ou aumento da taxa decâmbio), significa que a moeda nacional se desvalorizou frente à moeda estrangeira, eque será necessário mais moeda nacional para comprar uma unidade de moedaestrangeira. Com a desvalorização da taxa de câmbio, a taxa de câmbio aumenta.- Quando ocorre a valorização da taxa de câmbio (ou a taxa de câmbio diminui),significa que a moeda nacional se valorizou frente à moeda estrangeira, e que serámenos moeda nacional para comprar uma unidade de moeda estrangeira. Com avalorização da taxa de câmbio, a taxa de câmbio diminui.- A valorização ou desvalorização da taxa nominal de câmbio de uma economia afeta astransações comerciais e financeiras realizadas entre residentes e não residentes de umpaís, principalmente as transações comerciais.- Se a taxa de câmbio desvalorizar, o país gastará mais moeda na importação. Sehouver um produto semelhante no mercado produzido no país e que o preço não tenhaaumentado, as pessoas vão preferir comprar este produto do que importar este mesmoproduto. Assim, verificamos que com a desvalorização da taxa de câmbio, asimportações tendem a diminuir.- Da mesma forma, se a taxa de câmbio desvalorizar, os outros países preferirãocomprar os produtos nesse outro país, pois comprará mais produtos do que antes.Assim, verificamos também que com a desvalorização da taxa de câmbio podeacontecer um aumento das exportações.- Se a taxa de câmbio valorizar, o país gastará menos moeda na importação, e comprarámais produtos do que antes. Assim, verificamos que com a valorização da taxa decâmbio, as importações tendem a aumentar.- Da mesma forma, se a taxa de câmbio valorizar, para os outros países ficará mais carocomprar os produtos do outro país, e comprará menos produtos do que antes. Isso fazcom que a valorização da taxa de câmbio incentive a queda das importações.- Quando a taxa de câmbio de um país é desvalorizada, as exportações de bens eserviços desse país tendem a aumentar e as importações de bens e serviços tendem adiminuir. E quando a taxa de câmbio do país se valoriza, as exportações de bens eserviços tendem a diminuir e as importações tendem a aumentar.- Se a taxa de câmbio se desvalorizar, o país vende mais, mas isso nem sempre é umbom sinal. Se na fabricação do produto for necessário utilizar insumos produzidos emoutros países, esses produtos estarão mais caros, e esse aumento repassado para o preçoda mercadoria, e isso pode gerar inflação.- O governo pode controlar a taxa de câmbio de acordo com os interesses do país:Quando um país está em crescimento, ele produz mais. Isso faz as empresas investiremmais. Como alguns produtos não são produzidos no país, devem ser importados, o querequer envio de dólar para fora do país. Caso as reservas do desse país sejam baixas, opaís terá que agir para conseguir mais dólar ou reduzirá seu crescimento. Para isso, ogoverno utiliza as políticas cambiais (forma como o governo prefere agir em relação àtaxa de câmbio).- Tipos de regimes cambiais existentes: regime de câmbio flutuante, regime decâmbio fixo e regime de câmbio misto.
  17. 17. - Regime de câmbio flutuante: a taxa de câmbio e determinada de acordo com a forçado mercado, ou seja, é depende da quantidade procurada e da quantidade ofertada damoeda estrangeira. Se tiver mais pessoas procurando do que ofertando, a taxa docâmbio se elevará e a moeda nacional se desvalorizará, assim como se a oferta formaior que a procura, a taxa de câmbio diminuirá e a moeda nacional se valorizará.- Problema do regime de câmbio flutuante: a taxa de câmbio pode variar muito deum dia para o outro, e isso prejudica as transações.- Regime de câmbio fixo: é o contrário do regime de câmbio flutuante. O governodetermina uma taxa de câmbio de acordo com o interesse do país e todas as transaçõesdeverão ser realizadas utilizando essa taxa.- Problema do regime de câmbio fixo: se ocorrer grande procura pela moedaestrangeira, o Banco Central do país que adota esse regime, terá que oferecer aquantidade de moeda desejada por essa taxa pré-determinada. Se essa procuracontinuar aumentando, ele terá que satisfazer essa procura com as reservas feitasanteriormente, já que este país não produz essa moeda estrangeira. Se essa reservadiminuir muito, o país terá problemas no seu balanço de pagamentos e terá que recorrerao FMI ou decretar moratória.- Regime de câmbio misto: O governo determina uma taxa de câmbio com limitemáximo e limite mínimo, e deixa a taxa de câmbio efetiva flutuar nesse intervalo devalores. Se a taxa efetiva querer passar da taxa máxima, o governo interferirá nomercado oferecendo essa moeda, o que fará a taxa de câmbio cair. Se a taxa de câmbioefetiva está se aproximando da taxa mínima, o governo entra no mercado e compra amoeda estrangeira, fazendo a taxa de câmbio subir. É uma mistura entre o regime decâmbio flutuante e o regime de câmbio fixo: o governo determina duas taxas decâmbio (câmbio fixo) e deixa a taxa flutuar nesse intervalo (câmbio flutuante).- Diferença entre os regimes de câmbio: No regime de câmbio flutuante a taxa decâmbio é determinada pela oferta e procura de moeda no mercado, no regime de câmbiofixo, a taxa é determinada pelo governo; e no regime de câmbio misto ocorre umamistura dos dois regimes, sendo que se diferencia do regime flutuante por este não terum intervalo de valores, podendo variar além desse intervalo, e se diferencia do regimefixo por este não ter um intervalo para variar e ser fixo em um único valor.- Outra maneira como o governo pode controlar a entrada e saída de moedasestrangeiras do país: Se o país tenha uma política voltada para o desenvolvimentoindustrial do país, o governo pode incentivar a importação somente de bens de capital(máquinas e equipamentos) e proibir as importações de bens supérfluos e que nãoajudem no desenvolvimento industrial. Ele pode fazer isso aumentando as tarifasalfandegárias desses produtos, fazendo com que eles fiquem mais caros do que osproduzidos no país. Da mesma forma, ele pode agir proibindo a exportação, criandotarifas alfandegárias para esse tipo de transação.
  18. 18. Aula 14- Inflação: quando ocorre um aumento geral no nível de preços.- Hiperinflação: quando uma economia atinge patamares elevadíssimos de aumento generalizado depreços. É o processo onde a inflação ultrapassa 50% por mês, e faz com que a moeda perca suasfunções.- Índice de inflação: é a porcentagem de aumento nos preços dos bens e serviços em determinadoperíodo de tempo.- Conseqüências de uma inflação alta: Principalmente sobre a distribuição de renda, pois ostrabalhadores perdem poder de compra. Influencia também nas transações entre residentes e não-residentes do país, principalmente nas transações de bens e serviços contabilizadas nas transaçõescorrentes, pois os preços dos produtos internos tendem a ficar mais caros, incentivando as importaçõese, consequentemente, diminuindo as exportações, e isso produz um déficit em transações correntes.Influencia também nas funções da moeda, principalmente em caso de hiperinflação, pois faz com queela perca suas funções (meio de troca, reserva de valor e unidade de conta): ela perde valor,incentivando as pessoas a não guardar dinheiro (perde reserva de valor), as pessoas utilizam outroindicador para dar valor as coisas, ao invés da moeda (perde unidade de valor) e as pessoas preferemreceber outra coisa mais valiosa em suas negociações de compra e venda do que a moeda (perdendo afunção de meio de troca).- Inflação de demanda: Ocorre quando há excesso de procura por bens e serviços sobre uma dadaoferta, o que provoca aumento dos preços desses bens e serviços- O excesso de oferta de moeda causa inflação: Se o governo aumenta a oferta de moeda, dá asociedade uma maior possibilidade de comprar bens e serviços (aumentar a demanda agregada porbens e serviços). Como a oferta agregada não pode aumentar, esse aumento na procura provocaaumento geral do nível de preços, causando inflação.- Porque a oferta agregada de bens e serviços não pode crescer: a quantidade produzida de bens eserviços está em pleno emprego (os bens e serviços que estão sendo ofertados na economia sãoproduzidos ao máximo possível). Assim, qualquer aumento na procura pressiona os produtores aaumentar a oferta, e como já estão trabalhando em plena capacidade de produção, não conseguemaumentar a produção e respondem à essa procura aumentando os preços. Se isso acontecer, pode gerarinflação. Nesse caso, o governo pode agir: pode restringir o crédito para empréstimos efinanciamentos ou aumentar os impostos e diminuir a renda pessoal e reduzir os gastos públicos.- Inflação de custos: a inflação tem origem na elevação dos custos de produção, que são repassadospara os preços das mercadorias (esses insumos podem aumentar por monopolização do mercado, peladesvalorização da taxa de cambio aumentando o preço dos produtos importados, pelo aumento dopreço do trabalho/salário, etc)- Política econômica mais recomendada para o combate da inflação de custos: controle dospreços. O governo controla preços estratégicos da economia (como o petróleo, energia elétrica) eacompanha a evolução dos custos de produção das empresas e autoriza aumentos de preços apenasquando fica demonstrado que realmente houve um substancial aumento nos custos de produção.- Inflação inercial: agentes econômicos tendem a reajustar seus contratos prevendo a possibilidade deuma inflação e acabam repetindo a inflação passada, e ela acaba baseada, no mínimo, na mesma taxado período anterior.- Quando o governo afirma que a inflação está crescendo devido ao aumento do consumo, ele estáafirmando que a inflação é de demanda, e pode tomar medidas para restringir a renda da sociedade.

×