• Like
A DITADURA MILITAR CHILENA
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

A DITADURA MILITAR CHILENA

  • 6,749 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • How are you today,
    i hope fine,my name is miss blessing, i saw your profile today at (www.slideshare.net) and i became interested in you i will also like to know more about you, and i will like you to send an email to me so that i can send my photos to you, remember that distance, color or language does not matter but love matters allot in life, am waiting for your reply in my E-mail ID at blessingandrew3@yahoo.com have a nice day yours blessing.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
6,749
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
10

Actions

Shares
Downloads
120
Comments
1
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. A DITADURA MILITAR CHILENAProfessora Cátia Cristina de Almeida Silva
  • 2. Ditaduras Militares no Cone Sul Americano:1954 – Paraguai;1964- Brasil e Bolívia;1973 - Chile e Uruguai em 1973;1976 – Argentina;
  • 3. Chile: via pacífica ao socialismo- Eleição de Salvador Allende em1970.- Programa de governo da UP (PC, PS, PR e dissidências da Democracia Cristã, do Movimento de Ação Popular Unificada e da Esquerda Cristã)*Criação do Estado Popular*Nacionalização de empresas mineradoras, do setor financeiro, de transporte e de produção de energia.*Reforma agrária.*Congelamento de preços e aumento salarial
  • 4. Chile: via pacífica ao socialismo- Oposição ao governo de Salvador Allende:*Campanhas de desestabilização.*Paralisação da produção e greves de setores básicos.*Bloqueio econômico dos EUA.* Saída de chilenos do país após a eleição.- Apoio oficial de Cuba, organizações estudantis, organizações de trabalhadores.- Relações diplomáticas e comerciais com países socialistas
  • 5. Exílio brasileiro no Chile O exílio representou para muitosbrasileiros uma forma de garantir asobrevivência e manter-se na resistênciacontra a ditadura militar brasileira. Noexterior, alguns viveram sob as garantiasproporcionadas pela condição de asilado ourefugiado político, outros foram banidos dopaís sendo caçados como “subversivos”,passando a viver clandestinamente.
  • 6. Exílio no Chile- A partida para o exílio: o que motiva?- A recepção chilena: “abertura de horizontes”- Adaptação à vida de exilado: solidariedade chilena- O Golpe de 1973 e a redefinição das fronteiras do exílio.
  • 7. Chile,11 de setembro de 1973
  • 8. Chile,11 de setembro de 1973
  • 9. Chile,11 de setembro de 1973
  • 10. Chile,11 de setembro de 1973
  • 11. Chile,11 de setembro de 1973
  • 12. Chile,11 de setembro de 1973
  • 13. O Chile Ditatorial (1973-1990)- Junta Militar: General Augusto Pinochet, do Exército; GeneralGustavo Guzmán; da Força Aérea; Almirante José Merino, daArmada e, General Cesar Durán, dos Carabineiros.-Fechamento do Congresso; Proibição de funcionamento departidos políticos e organizações representativas.- Abertura da economia ao capital externo e reforma do sistematributário/financeiro. - Suspensão das garantias individuais. Muitos estrangeiros foramperseguidos, extraditados, expulsos, torturados e mortos nessemomento de eliminação da oposição interna. Brasileiros comoTúlio Cardoso Quintiliano, Vânio José de Matos, Nelson deSouza Kohl, Luiz Carlos Almeida e Jani Vanine não conseguiramescapar e foram assassinados pela ditadura chilena.
  • 14. O Chile Ditatorial(1973-1990)-Operação Condor formalizada em 1975 – Argentina, Chile,Brasil, Bolívia, Uruguai e Paraguai. Caso Prats em 1974 eLetelier em 1976.-1980 aprovação, por meio de um plebiscito, da nova Constituiçãochilena.- Em1988, os chilenos rejeitaram a continuidade do mandato dePinochet.-Pinochet se fez eleger Comandante em Chefe do Exército até1998. Tornou-se senador vitalício.- Saldo: Aproximadamente 3000 desaparecidos políticos
  • 15. Muito obrigada! catia.almeida@gmail.com