Periodico Halapid 67
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Periodico Halapid 67

on

  • 924 views

 

Statistics

Views

Total Views
924
Views on SlideShare
924
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Periodico Halapid 67 Periodico Halapid 67 Presentation Transcript

  • BRASIL -BR – TAMUZ DE 5771 (Julho de 2011) ANO II – 67ª Edição “ Tudo se ilumina para aquele que busca a luz” (Ben Rosh) HA–LAPID BRASIL IDEALIZADOR: Elias José Lourenço EDITOR:Tiago da Rocha Sales (Ia’aqob Tsur) COLABORADOR: Rodolfo Luz Penteado (Yeshaiahu Zeev HaOr)COMUNICADO:O presente periódico visa dar continuidade à missão iniciada pelo Capitão Barros Bastos Z”L, que com afinco criou o “Ha -Lapid” de Porto –Pt.
  • PARASHÁ HASHAVÚA – “PINECHÁS”A Parashá Pinechas começa com Dus concedendo sua bênção de paz e sacerdócio a Pinechas, o neto deAharon, por assassinar um príncipe da tribo de Shimeon e uma princesa medianita enquanto estavamenvolvidos em um ato licencioso em público (ao final da Porção da Torá da semana passada).A reação zelosa de Pinechas salva o povo judeu de uma peste que havia irrompido no campo. Dus ordena aMoshê e Eleazar (filho e sucessor de Aharon como Sumo sacerdote) a conduzir um novo recenseamento detoda a nação, o primeiro feito em quase trinta e nove anos.A Torá então relata a reivindicação feita pelas cinco filhas de Tslofchad por uma parte da herança na terra deIsrael, pois não tinham irmãos e o pai morrera no deserto. Dus concorda, e pelo mérito destas mulheresjustas muitas das leis sobre herança são ensinadas. Depois que Dus mostra a terra de Israel do topo de umamontanha, Moshê recebe ordens de transmitir seu manto de liderança a Yeoshua, colocando a mão sobre suacabeça, pois Moshê não entraria no país.A porção da Torá conclui com uma completa descrição dos corbanot, sacrifícios, especiais a serem ofertadosnos vários dias festivos durante o ano, acima e além do sacrifício (corban tamid) que é trazido toda manhã etarde. Estas seções são também lidas na Torá por todo o ano, nos dias festivos apropriados.
  • MENSAGEM DA PARASHÁAo final da Porção da Torá da semana passada, aprendemos sobre as mulheres medianitas que tentaramseduzir os homens judeus a adorar Baal Peor, um abominável ídolo pagão. A estratégia para seduzir oshomens surtiu efeito e já provocara a morte de 24.000 pessoas por uma peste divinamente enviada. Ahistória tem seu clímax quando Zimri, um príncipe da tribo de Shimeon, é flagrado tendo relaçõespecaminosas com Kazbi, uma princesa Medianita, bem no meio do acampamento israelita. Pinechas, o netode Aharon, reage tomando de uma lança e golpeando os dois parceiros pecadores, pondo um fim à praga.E assim iniciamos a porção desta semana da Torá, que recebe o nome de Pinechas por seu ato destemido.Aqui lemos sobre a recompensa de Dus a Pinechas - uma bênção de paz e eterno sacerdócio.Estranhamente, embora esta discussão ocupe apenas parte de uma curta seção da Porção da Torá, mesmoassim a porção inteira recebe o nome de Pinechas. Não somente isso, se a porção da Torá tem de receber onome de uma pessoa, aparentemente faz mais sentido incluir todo o episódio de Pinechas - de seu atoheróico até a recompensa de Dus - tudo em uma porção. Por que seu ato corajoso foi discutido na semanapassada na Parashá Balac e sua recompensa descrita esta semana na Parashá Pinechas?Talvez, a divisão da Torá do episódio em duas porções seja uma tentativa de ensinar-nos uma lição.Pinechas matou Zimri por uma razão e apenas por uma razão - ele sabia que era a coisa certa a fazer.Alguém tinha que tomar uma atitude e impedir que as mulheres medianitas causassem a morte de toda anação judaica. A ação de Pinechas foi motivada no mais alto nível. Pinechas não agiu por auto-gratificação.Não o fez porque desejava que uma Porção da Torá recebesse seu nome. Ele o fez apenas pela santificaçãodo nome de Dus e Seu povo. Ao separar a ação de Pinechas de sua recompensa, a Torá está nos ensinandoque Pinechas não previu, ou mesmo se preocupou, em receber uma recompensa de Dus. Sua ação foirealizada por si, por seu próprio mérito.Quantas vezes achamo-nos fazendo algo não porque é a coisa certa a se fazer, mas porque desejamosreceber algum tipo de recompensa? Quantas vezes fazemos algo apenas para destacar nosso ego? O que aTorá está nos ensinando através de Pinechas é que devemos tentar fazer as coisas com mais empenho esimplesmente porque sabemos que isso é o certo. Nossa recompensa virá na hora certa. Não devemos fazerboas ações apenas para ver nosso nome brilhar. (www.chabad.org) View slide
  • MIDRASHIMDus recompensa PinechasSerá que os judeus apreciaram a coragem de Pinechas quando matou Zimri, por este haver trazido umamulher midyanita ao acampamento? Será que ficaram admirados com seu heroísmo?Ao contrário, maldosos rumores sobre Pinechas começaram a se espalhar por todo o acampamento.Os mais contrariados eram os membros da tribo de Zimri, a tribo de Shimon. Afinal, Pinechas haviaassassinado seu líder!"Quem deu a Pinechas o direito de matar um líder do povo judeu? Quem ele pensa que é para cometer talato?" Os companheiros da tribo de Zimri reclamaram ao restante dos judeus."A mãe de Pinechas descende de Yitrô. Yitrô costumava ser um sacerdote de ídolos antes de tornar-se judeu!Onde Pinechas arrumou a coragem para matar um chefe de uma tribo?"Pinechas foi desprezado por causa de sua origem humilde, e Dus defendeu sua honra:Dus ordenou a Moshê que anunciasse em Seu nome: "Se Pinechas não tivesse matado Zimri, Eu teriadestruído todos judeus! Foi Pinechas que salvou o povo da destruição.""É verdade que ele é descendente de Yitrô pelo lado materno. Porém, ao mesmo tempo, seu pai é Elazar filhode Aharon. Pinechas é um neto digno de Aharon! Assim como certa vez Aharon impediu a peste de se espalharquando ofereceu incenso, assim Pinechas impediu a peste de aniquilar os judeus.""Pinechas é um tsadic, filho de tsadic. Ele é um valoroso descendente de seu avô Aharon, e do fundador de suatribo, Levi. Seu antepassado Levi arrasou a cidade de Shechem porque era um zelote da imoralidade.Pinechas agiu da mesma maneira. Seu ato inspirou-se pelos mesmos motivos nobres que inspiraram as açõesde seu pai Elazar, e as de seu avô Aharon."Aharon destacou-se na realização de atos de bondade e em estabelecer a paz. Aharon jamais proferiu umapalavra áspera. Mesmo sua censura era gentil. View slide
  • Superficialmente, pareceria que Pinechas agira de maneira diametralmente oposta à filosofia de seu avô, poiscertamente assassinato é algo indiscutivelmente cruel de se fazer. Portanto, Dus explicou que Pinechas naverdade realizou um ato de bondade, parecido com os atos misericordiosos de seu avô Aharon. Ao matarZimri, resgatou o povo inteiro da morte através das mãos celestiais, pois eram todos culpados por tolerarem omal em seu meio. Daqui, que o ato de Pinechas beneficiou o povo inteiro.Dus continuou: "Pinechas merece uma grande recompensa. Não pensou em sua própria segurança ao matarZimri, o líder, e Cozbi, a princesa midyanita, porque seu único objetivo era em pôr um fim a profanação donome de Dus."Recompensá-lo-ei neste mundo e no Mundo Vindouro. Até agora, Pinechas foi apenas um levi. Tornar-se-áum cohen a partir de hoje."Antes de matar Zimri, Pinechas não era cohen, apesar de ser neto de Aharon. Dus nomeou como cohenapenas Aharon, seus filhos e futuros descendentes. Os netos de Aharon nascidos antes da unção dos cohanimnão estavam incluídos. Agora, Pinechas tornava-se cohen por seu próprio mérito.Dus completou: "Muitos Sumo-sacerdotes originar-se-ão de Pinechas."A promessa de Dus tornou-se realidade. Na época do Primeiro Templo, dezoito Sumo-sacerdotes descendiamde Pinechas, e na época do Segundo, oitenta.Dus também prometeu: "Pinechas terá uma vida muito longa." De fato, sabemos que Pinechas ainda vivia naépoca dos Juízes, quase quatrocentos anos após os judeus entrarem em Israel!Nossos sábios explicam que a promessa de Dus significava: "Pinechas jamais morrerá." Pinechastransformou-se num anjo e viveu para sempre. Conforme os ensinamentos da Cabalá, Pinechas e Eliyahu oProfeta são a mesma pessoa. Eliyahu não morreu. Foi levado vivo para os céus.Em sua morte, Eliyahu não despiu-se completamente de seu corpo físico, todavia reteve alguns atributosfísicos de forma sublimada, a fim de poder visitar esta terra de tempos em tempos.Dus proclamou: "Mais que isso, porque Pinechas trouxe paz entre os judeus e seu Pai no Céu, eleestabelecerá a paz no futuro. Aparecerá como o profeta Eliyahu, de quem está escrito (Malachi 3:23): "E eletransformará os corações dos pais através dos filhos, e os dos filhos através dos pais."
  • Sua recompensa foi moeda por moeda. A ira Celestial acendeu-se contra os judeus ao ponto de aniquilá-los.Ao atenuar a ira do Todo Poderoso, Pinechas assegurou a sobrevivência do povo judeu. Por conseguinte, elemesmo sobreviveu para sempre.A Torá especifica a ascendência de Pinechas, para enfatizar que este seguiu seus passos. Também menciona aancestralidade de Zimri e Cozbi. Por quê?O elevado status de líder de Zimri é citado para tornar público que ele trouxe vergonha eterna sobre si e suatribo. Apesar do fundador de sua tribo, Shimon, destruir zelosamente a cidade de Shechem pelo crime deimoralidade, Zimri afastou-se das nobres sendas de Shimon, agindo, em realidade, de maneira oposta.O grau de princesa de Cozbi é motivo para vergonha e desgraça eternas. Seu pai, o maior dos reismidyanitas, ofereceu sua filha à prostituição.Diz-se em louvor a Pinechas que ele não deteve-se de matar Zimri e Cozbi por causa de seus status elevados.Dus instruiu Moshê a atacar MidyanImediatamente depois da praga que abateu os judeus que pecaram com as filhas de Midyan, Dus deu aMoshê instruções concernentes a guerra contra Midyan, dizendo:"Os midyanitas estão furiosos porque a princesa Cozbi foi morta. Estão tramando perversas vinganças. Umavez que planejam trazer mais destruição sobre você, levante-se e ataque-os, a fim de protegerem-se."Esta guerra será regida por leis extraordinárias:1. Não lhes dê opção de fazerem paz. Apesar de outras nações não poderem ser atacadas sem aviso prévio,ataque os midyanitas imediatamente.2. Ao sitiar suas cidades, destrua as árvores frutíferas.A Torá proíbe os judeus de cortarem as árvores frutíferas dos inimigos, ao sitiarem uma cidade (Devarim 20:19).Os territórios pertencentes a Midyan são exceções.
  • 3. No tocante a Midyan, Dus fez outra exceção às regras de combate, dizendo: "Na Torá, Eu ordenei quevocês sitiem uma cidade apenas de três lados, deixando o quarto para escapar. Na guerra contra Midyan,contudo, seus exércitos devem sitiar as cidades completamente."Por que a Torá ordenou leis excepcionais para Midyan?Enquanto outras nações aspiravam exterminar os judeus fisicamente, essa nação tentou destruir a almajudaica seduzindo o povo a pecar.Induzir outros a pecar é um crime pior que assassinato. Um assassino priva outrem de vida física. Aquele queleva outros a pecar, contudo, priva-os da vida no Mundo Vindouro.A Torá proíbe o casamento com homens descendentes de convertidos de Amon e Moav, enquanto permite ocasamento com descendentes de egípcios e edomitas convertidos. Os últimos ameaçaram os judeus apenascom a espada, enquanto os anteriores colocaram em perigo nossa existência espiritual, um crime muito maissério.Apesar de Dus ter declarado estado de guerra contra Midyan imediatamente depois da morte de Zimri, Elenão ordenou a mobilização do exército judeu até que os judeus tivessem sido contados.Dus advertiu Moshê para que não participasse da batalha contra Midyan. "Este país outrora já te acolheu,"disse-lhe, "Não atire pedras num poço do qual bebeu."Dus não declarou guerra contra Moav, apesar de também serem culpados (por terem contratado Bilam eincitado os judeus a pecarem).Dus poupou-os agora porque:1. Os moabitas tentaram exterminar os judeus pois temiam que os judeus os roubassem, enquanto que osmidyanitas não tinham razões para prejudicarem os judeus.2. Dus poupou-os em prol de uma preciosa alma, Ruth, que viria a descender dos moabitas.
  • A última contagem dos judeus no desertoConforme explicamos na Parashá Bamidbar, o povo judeu foi contado um mês após a consagração doSantuário. Agora, quase quarenta anos depois, Dus novamente ordenou a Moshê: "Conte o povo deIsrael!"Quais eram Suas razões para este censo?1. Este censo aconteceu pouco antes do falecimento de Moshê.Um fazendeiro contratou um pastor para cuidar de seu rebanho. Contou suas reses ao confiá-las ao pastor, econtou-as novamente antes de serem devolvidas.Similarmente, Moshê foi encarregado de cuidar dos judeus no deserto, espiritual e fisicamente, exatamentecomo um pastor guarda os rebanhos.Ao contar os judeus antes de seu falecimento, Moshê demonstrou a todas as futuras gerações que ele nãofalhou em sua tarefa. Deixou seiscentos mil homens, todos fiéis a Dus e Sua Torá.2. Dus conta os judeus depois de cada praga.Um rebanho de ovelhas foi certa vez atacado por um lobo. A fera conseguiu matar inúmeras ovelhas. Apóslivrar-se do lobo, o pastor queria saber quantas ovelhas haviam restado, porque eram-lhe tão caras. Assim,contou-as.Da mesma forma, "lobos" como os perversos Bilam e Balac fizeram o povo judeu pecar. Por causa disso,muitos judeus acabaram morrendo.Agora Dus desejava estabelecer quantos judeus sobreviveram à peste. Estes judeus estavam livres dopecado, por isso eram preciosos para Dus. Foram, então, contados.3. Os judeus estavam quase na fronteira de Israel. Logo a terra seria dividida entre eles. A contagem eranecessária para saber quantas pessoas receberiam um pedaço de terra. As porções foram distribuídasapenas aos que atingiram a idade de vinte anos na época deste censo.
  • Dus ordenou a Moshê e Elazar, o filho de Aharon, para efetuarem a contagem. Todos os homens entre asidades de vinte e sessenta anos foram contados, cada um entregando uma moeda de meio-shekel. Os levitasforam contados separadamente; a partir de um mês de idade.O que ficou demonstrado pela contagemElazar somou os números de cada tribo. O total foi de 601.730 homens. Este número foi um pouco maisbaixo que o da Parashá Bamidbar.A tribo Shimon totalizou 59.300 homens na contagem de Bamidbar. Agora restavam apenas 22.000. Muitosmembros de Shimon morreram na peste após o pecado de Zimri. Dus os punira por terem servido ao ídoloBáal Peor.A tribo que mais crescera era Menashê, e os levitas ainda eram poucos. Apenas mil homens a mais que naprimeira contagem.Apesar de serem contados apenas os homens, uma mulher é mencionada pelo nome na lista da família datribo de Asher: "O nome da filha de Asher era Serach."Esta mulher é citada por causa de sua integridade e bons atos. Serach mereceu entrar em Israel e lá viveupor muitos anos.Como a terra foi distribuídaDus ordenou a Moshê: "A Terra de Israel deverá ser dividida em doze porções, cujo tamanho édeterminado de acordo com seu valor. Uma porção pequena e fértil equivale a uma porção maior, porémmenos produtiva."As tribos de Menashê e Efrayim receberão duas porções. (A tribo de Levi, contudo, não receberánenhuma.)
  • Você, Balac, disse-me para amaldiçoar os judeus com meus poderes de impureza. Como posso amaldiçoar umpovo cujo Dus está constantemente em seu meio, e os guarda e protege? Um ladrão pode conseguir entrarnum vinhedo e arrancá-lo enquanto o proprietário está dormindo; mas "O Guardião de Israel não dormenem dormita. " (Tehilim 121:4). Como, então, posso prejudicar os judeus?Ao ouvir as palavras de Bilam, Balac perguntou: "Será possível que suas maldições são ineficazes por causado poder de seu atual líder, Moshê? Talvez você deva atrasar os efeitos da maldição para a época depois damorte de Moshê, quando os judeus serão guiados por outro líder?""Impossível," replicou Bilam. "O sucessor de Moshê, Yehoshua, batalhará contra os inimigos tãovigorosamente quanto Moshê. Quando tocar trombetas perante Dus, os muros de Jericó esfacelar-se-ão edesmoronarão!""Dus tirou-os do Egito com o poder da Sua elevação."Você, Balac, disse-me: Veja, um povo saiu do Egito." Estas palavras não eram acuradas. O povo não poderiater deixado o Egito sozinho, mas deve ter sido tirado de lá por Dus de maneira sobrenatural. Eu, Bilam,enfeiticei todas as fronteiras do Egito com meus poderes mágicos, a fim de impedir a fuga dos escravoshebreus. Não obstante, minha feitiçaria foi ineficaz, pois Dus, Ele próprio tirou-os de lá."Pois não há adivinhações em Yaacov, tampouco há qualquer feitiçaria em Israel."Este versículo pode ser compreendido de duas maneiras:1. Nenhuma adivinhação é efetiva contra Israel (uma vez que Dus está em seu meio); portanto, asferramentas de magia que os sábios de Midyan trouxeram a mim são completamente inúteis. Pois, diferentedas nações, este povo não é regido por anjos encarregados, mas estão sob Supervisão direta de Dus.Quando meu avô Lavan estava sequioso por destruir seu patriarca Yaacov com sua artes mágicas, Dus nãodeixou que tivesse êxito. Similarmente, não posso derrotar os descendentes de Yaacov.2. Não poderão ser encontrados adivinhos e feiticeiros entre os judeus. Não praticam magia como as outrasnações, porém consultam Dus diretamente, através de seus profetas, e através da placa peitoral do Sumo-sacerdote. Portanto, este grande povo certamente merece ser abençoado.
  • "Chegará uma época na qual dirão a Yaacov e a Israel: O que Dus operou?"1. Na época de Mashiach, Dus realizará milagres para os judeus, que ultrapassarão todos os que foramfeitos no passado. As nações gentias então virão e indagarão aos judeus sobre os grandes feitos de Dus.2. Na era que se seguirá à ressurreição dos mortos, o amor de Dus pelo povo judeu se tornará evidente atodos. Dus, pessoalmente, será seu professor de Torá. Os tsadikim sentar-se-ão na frente de Dus comoestudantes ante seu mestre, e Ele lhes revelará os profundos significados da Torá.3. Não será permitido aos anjos entrarem, porém precisarão perguntar aos judeus: "O que Dus te ensinou?""Vejam, o povo levantar-se-á como um filhote de leão, e se levantará como um leão."1. Este povo ergue-se tão forte quanto um leão, e não descansará até ter destruído seus inimigos e tomado osespólio de Canaã.2. Não há nação na terra que serve o Criador com tanta energia quanto o povo judeu. Quando um judeu selevanta de manhã, ele se fortalece como um leão para agarrar as mitsvot, para vestir tsitsit e tefilin, e pararecitar o Shemá na hora certa."Não se deitará até que tenha comido de sua presa, e beba o sangue da caça."1. Bilam predisse que Moshê não faleceria antes de vingar-se dele e dos cinco reis midyanitas.2. Um judeu não se deita à noite até ter recitado o Shemá. Ao pronunciar as palavras: "Dus é Um,"reconhecendo assim que não há outro poder que o Todo Poderoso. Dus destrói agentes prejudiciais.Depois de aprender da segunda profecia de Bilam que os judeus conquistariam Canaã e matariam os reis dasnações, Balac aconselhou Bilam: "Melhor ir para casa em silêncio! Não preciso nem de suas maldições, nemde suas bênçãos!"Bilam replicou: "Já não lhe disse que preciso seguir as instruções de Dus?"Balac decidiu fazer mais uma tentativa. "Afinal de contas," pensou, "Sei que esta nação não é invencível.Foram atacados, no passado, pelos amalequitas e canaanitas. Mesmo que eu não consiga destrui-lostotalmente, ou impedi-los de entrar em Canaã, deve haver algum modo de prejudicá-los."
  • "Dê mais terra às tribos que são mais populosas, e menos às que são em número menor."Não obstante," acrescentou Dus, "o sorteio Divino também funcionará para a indicação dos lotes."O sorteio decidia que região cabia a qual tribo, e a locação exata de cada família numa determinada tribo. Olíder de cada tribo era responsável pela distribuição de terras de sua tribo.Na época de Yehoshua, quando a Terra foi realmente dividida, o procedimento deu-se como se segue:Yehoshua e o Sumo-sacerdote, Elazar, reuniam o povo.O espírito de profecia pairava sobre Elazar, e este declarava profeticamente que território caberia a qualtribo. Ele proclamava, por exemplo: "A tribo de Zevulun receberá a área de Aco."Em seguida, Yehoshua realizava um sorteio. À sua frente havia duas urnas, uma contendo inscrições dosnomes de cada uma das doze tribos; e a outra, com inscrições das doze porções. Com uma mão, Yehoshuapuxava um cédula da primeira urna, e com a outra, uma cédula da segunda urna. Miraculosamente, a triboe sua devida porção sempre correspondiam ao que Elazar predissera. Além disso, Dus investiu a própriaporção com o poder da fala. Essa gritava: "Estou destinada a ser a porção de tal tribo."Ao testemunharem esses milagres, as tribos percebiam e se conscientizavam de que as porções eramdeterminadas por Vontade Divina, e aceitavam seus territórios sem reclamações.As filhas de Tselofchad pedem seu quinhão da TerraUm homem chamado Tselofchad faleceu no deserto, deixando cinco filhas: Machla, Chagla, Noa, Milca eTirtsa. Todas as cinco eram virtuosas, inteligentes e estudadas. À época do falecimento de Aharon, depois doqual ocorreram os acontecimentos relatados, tinham quase quarenta anos e eram solteiras, uma vez que nãoconseguiram encontrar maridos valorosos.Ao ouvirem Moshê explicar que a Terra de Israel seria distribuída de acordo com o número de varões,discutiram o assunto entre si.
  • "O nome de nosso pai será esquecido," disseram umas às outras, "porque nenhum herdeiro homem receberáuma porção em Israel que esteja associado a seu nome. Uma vez que não temos irmãos, reivindiquemos aporção da Terra de nosso pai, de maneira que seu nome seja perpetuado."Aproximaram-se dos juízes responsáveis pelas dezenas e apresentaram a reivindicação. Sendo esta umaquestão legal sem precedentes, os juízes não puderam decidir. Levaram a questão das filhas de Tselofchad aosjuízes responsáveis por cinqüenta pessoas."Deixaremos a decisão aos maiores que nós," disseram também estas autoridades mais elevadas. As filhas deTselofchad, então, aproximaram-se dos juízes centuriões; porém, de lá, foram enviadas aos juízesresponsáveis sobre os milhares. Nenhum juiz sentia-se competente para decidir o assunto.Uma das irmãs visitava a Casa de Estudos todos os dias para ouvir os ensinamentos de Moshê. Certo dia,disse às irmãs: "Hoje Moshê ensinou as leis de yibum (levirato). Se um homem morre sem deixar filhos, suamulher casa-se com o irmão do marido. O filho que nascer deste casal é uma lembrança para perpetuar onome do primeiro marido."As outras irmãs sugeriram: "Nosso pai morreu sem deixar um filho. Deixe que nossa mãe se case com nossotio! Se nascer um filho homem, este herdará a propriedade de nosso pai, e o nome dele não será esquecido.""Nossa mãe não poderá fazer isto," explicou a irmã instruída, que havia ouvido a palestra de Moshê."Apenas uma mulher que não tem filho algum pode casar-se com o irmão do marido. Como nossa mãe tevefilhas, não poderá casar-se com nosso tio!"As outras irmãs retrucaram: "Se somos consideradas descendentes de nosso pai, assim como filhos varões,então devemos receber nosso quinhão da terra, também!“ Decidiram todas: "Vamos falar com Moshê."As filhas de Tselofchad foram à Casa de Estudos. Os líderes da nação - Moshê, Elazar, o Sumo-sacerdote (queocupou o lugar de Aharon após a morte do pai), e os juízes do Sanhedrin estavam todos lá. As moças estavamconstrangidas por falar diante dos ilustres líderes. Mas isso não as refreou. Superaram seu recato natural,pois a questão era fundamental. Apresentaram-na de maneira estudada e acadêmica.
  • A filha mais velha principiou: "Nosso pai faleceu no deserto (e não no Egito. Já que faz parte da geração quedeixou o Egito, tem direito a uma porção em Israel.)"A segunda filha continuou: "Não fez parte da perversa congregação de seguidores de Côrach (todos elesperderam suas porções de terra)."A terceira tomou a palavra: "Não induziu outros a pecar, o que o faria perder sua porção, porém morreu porcausa de seu próprio pecado."Tselofchad era o homem que profanou o Shabat recolhendo gravetos, na parashá Shelach.A quarta filha concluiu: "Por que o nome de nosso pai deveria se esquecido por não ter deixado filhos? Quenós, suas filhas, herdemos as porções que lhe são devidas!"Moshê replicou: "A terra será dividida apenas entre homens."As filhas de Tselofchad então argumentaram: "Permita então que nossa mãe faça um casamento levirato comnosso tio. Se tiverem um filho, ele herdará a terra de nosso pai.""Isto não pode acontecer," respondeu Moshê. "Sua mãe não pode casar-se com seu tio. Ela tem filhas."As moças replicaram: "Se as filhas carregam o nome do pai, não deveriam também receber sua herança?""Espere até que eu pergunte a Dus," respondeu Moshê.Imediatamente, Moshê voltou-se para consultar Dus que confirmasse a reivindicação das filhas deTselofchad.Por que Moshê não reconheceu, ele mesmo, a veracidade dos argumentos, preferindo esperar pela decisão deDus?Moshê sabia a decisão haláchica correta. Contudo, quando ouviu que os juízes sobre as dezenas deferiram acausa a uma autoridade superior, e que cada tribunal, sucessivamente, evitou expedir uma decisão, Moshêpensou: "Que eu aja da mesma forma. Há Um maior que eu. Que eu Lhe pergunte."Assim, Moshê ensinou a todos os juízes de todas as futuras gerações a não hesitarem em consultar umaautoridade maior, quando necessário.
  • Dus então respondeu a Moshê: "As filhas de Tselofchad estão certas! Esta lei está escrita na Minha Torá nocéu, exatamente como elas disseram. Dê-lhes a porção do pai em Israel - a porção dupla que ele merecia comoprimogênito.""Esta é a lei para todas as gerações: se um homem não tem filhos, suas filhas herdarão a propriedade."Dus também disse a Moshê que aconselhasse as filhas de Tselofchad a casarem-se com membros da suaprópria tribo, a tribo de Menashê. Assim as terras herdadas permaneceriam propriedade desta tribo.Com o passar do tempo, todas encontraram maridos dignos, se casaram e tiveram filhos. Geralmente, umamulher que não teve filhos antes dos quarenta anos tem mais dificuldades em tê-los depois. Dus realizou ummilagre com essas tsidcaniyot, mulheres justas, e todas foram abençoadas com filhos.A história das filhas de Tselofchad nos mostra o quanto todas as mulheres da geração de Moshê amavam aTerra de Israel. Por isso, Dus recompensou não apenas estas moças, mas todas as mulheres, concedendo-lheso mérito de entrarem na Terra Santa. Ao contrário dos homens, as mulheres da geração de Moshê nãomorreram no deserto.Dus ordenou a Moshê que ensinasse aos judeus as leis de herança que ouvira de Dus no Monte Sinai.As leis básicas da Torá sobre heranças são:• Os filhos do falecido dividem suas posses igualmente; o primogênito, todavia, recebe uma porção dupla.• Se há herdeiros, as filhas não têm direito a um quinhão. Todavia, se não houver filhos, as filhas herdam asposses do pai.• Se não há filhos vivos, porém estes deixaram descendentes, os descendentes herdam da mesma maneira quea descrita acima. Por exemplo, se há descendentes homens e mulheres, os homens herdam as posses doancestral.• Em seguida, o parente mais próximo, primeiro o ancestral paterno; depois os irmãos paternos, então os tiospaternos, e assim por diante, são os próximos a terem direito à herança.
  • Moshê ascende o monte Nevo para fitar a Terra de IsraelApós Moshê bater na rocha em "Águas de Discórdia", Dus disse-lhe que ele deveria morrer no deserto; nãoentraria em Israel. Mesmo assim, quando Dus falou a Moshê sobre as filhas de Tselofchad, instruiu-o: "Dê aelas a parte que lhes cabe na terra."Moshê refletiu: "Será que Dus quis dizer que eu darei literalmente a elas sua porção? Ele me permitiráentrar na terra?""Não, Moshê," falou Dus. "Meu decreto não mudou. O que eu quis dizer é que você ajudará os judeus aconquistar Israel fitando-a e abençoando-a.""Ascenda o monte Nevo, e veja a terra. Depois, você se juntará aos seus antepassados através de um beijoDivino, da mesma forma que faleceu seu irmão, Aharon."Moshê obedeceu a ordem de Dus. Ele subiu ao topo do monte e observou as fronteiras das doze tribos,irradiando bênçãos sobre a Terra de Israel.Dus nomeia Yehoshua sucessor de MoshêAo tomar conhecimento de que as filhas de Tselofchad herdariam a propriedade de seu pai, refletiu: "Chegoua hora de fazer meu pedido a Dus: que meus filhos herdem minha posição."Moshê rezou: "Mestre do Universo, nomeie meu sucessor antes que eu morra. Não deixe que a comunidadefique como um rebanho sem pastor. Gostaria que um de meus filhos tomasse meu lugar.""Dus, sabes que o temperamento das pessoas varia imensamente - alguns ficam irados facilmente, enquantooutros são calmos ou reservados. Dá-lhes um líder que possa dirigir cada um desses tipos com sabedoria, semperder a paciência com os que o provocam.
  • "Não apenas isso, mas ele precisa também liderar pessoalmente o exército para as batalhas; diferentementedos reis não-judeus, que ficam sentados em casa e enviam seus generais à luta."O próprio Moshê liderou as guerras contra Sichon e Og; e similarmente, seu sucessor Yehoshua, cavalgou àtesta do exército na conquista de Israel. O Rei David também encabeçou cada uma de suas campanhasmilitares.Moshê continuou: "Dus, escolha um líder que se devotará a satisfazer as necessidades comunitárias comprecisão e zelo, um líder que tenha grandes méritos próprios, e que rezará pelo bem do povo."Dus replicou: "Já escolhi o futuro líder: Aquele que guarda a figueira comerá seus frutos, e o que serve seumestre será honrado. (Mishlê 27:18). Apesar de seus filhos serem tão sábios quanto Yehoshua, e apesar detampouco poderem te substituir (e já que ninguém atingiu seu nível de sabedoria, você crê que seus filhospodem preencher sua posição tão bem quanto qualquer um); não obstante, seus filhos não são iguais aYehoshua em seu amor pela Torá. Yehoshua investiu cada suspiro de suas forças para adquirir sabedoria,pois ama tanto a Torá. Sua devoção à Torá é insuperável. Agora, colherá os frutos de seu amor à Torá.Liderará o povo judeu."A nomeação de Yehoshua demonstra que uma pessoa não pode receber recompensa completa se meramenteacumula sabedoria em Torá. Apenas aquele que se une à Torá com grande devoção colherá os frutos.Yehoshua era conhecido como "Yehoshua bin Nun," que significa Yehoshua, o filho de Nun.Há uma explicação mais profunda para este nome: A palavra "Nun" em aramaico significa "peixe". Assimcomo o peixe nunca abandona a água, assim Yehoshua nunca deixou a Casa de Estudos, mantendo-se imersonas águas da Torá.Nosso Patriarca, Yaacov, já sabia com espírito de profecia que Yehoshua, "o peixe," descendente de Efrayim,lideraria os judeus à Terra Santa. Deu a seus netos Menashê e Efrayim a seguinte bênção: "Que semultipliquem na Terra como os peixes [na água]."As palavras também podem significar: Aquele cujo nome é "peixe" - Yehoshua da tribo Efrayim - liderará osjudeus até a Terra Prometida.
  • Dus tinha ainda outra razão para escolher Yehoshua como líder: ele era o mais humilde dos alunos deMoshê.Dus disse a Moshê: "Yehoshua entra na casa de estudos cedinho pela manhã e sai tarde da noite. Ele arrumaos bancos para os professores e as cadeiras para os alunos. Como ele serviu a você com todas suas forças,tornou-se maior que todos os outros eruditos de Torá. E será recompensado com a liderança."Dus consolou Moshê: "Muito embora seus filhos não se tornarão líderes, Yehoshua honrará à sua família.Ele virá até seu sobrinho Elazar, para consultar os urim vetumim."O urim vetumim continha o sagrado nome de Dus dentro do peitoral portado pelo Sumo-sacerdote. Issofazia com que as letras da placa acendessem em resposta às perguntas feitas."Yehoshua possui todas as qualidades para tornar-se um líder. Está imbuído de espírito de profecia,sabedoria, compreensão e temor a Dus. Não perderá a paciência se as pessoas discutirem com ele, mas simas guiará gentilmente com sabedoria para que enxerguem a verdade."Uma vez que Yehoshua ainda não atingiu seu nível de sabedoria, transfira-lhe algo de sua sabedoria. Destamaneira, você o imbuirá da sabedoria de que necessita como líder."Dus ordenou que Moshê invista Yehoshua com sabedoria adicional em vez de dá-la, Ele Próprio, como umademonstração pública de que Yehoshua era o escolhido sucessor de Moshê.Na frente de Elazar e do Sanhedrin (Tribunal Superior), Moshê pousou ambas as mãos sobre Yehoshua, eatravés disso a glória de Moshê foi transferida duplamente a Yehoshua:1. Externamente - Da mesma forma que a face de Moshê era iluminada pelos Raios da Glória da Shechiná(Divindade), a face de Yehoshua começou a brilhar com os raios da Shechiná. O brilho de Yehoshua,contudo, não podia ser comparado ao de Moshê; era apenas um reflexo, assim como o luar é meramente oreflexo dos raios brilhantes do sol.2. O ato de Moshê fez com que alguma de sua sabedoria e espírito de profecia passasse a Yehoshua. Tambémnesse aspecto, Yehoshua pôde receber apenas uma diminuta fração da grandeza de Moshê.
  • Apesar de Dus ter dito a Moshê que colocasse a mão direita sobre Yehoshua, ele generosamente pousouambas as mãos sobre o aluno. Nomeou Yehoshua de boa vontade, com espírito alegre e elevado, não tendorancor algum pelo fato de que nenhum de seus filhos ou sobrinhos fossem seus sucessores.Dus ordenou a Moshê que Yehoshua ensinasse o povo em público enquanto Moshê ainda estava vivo, paraque depois ninguém pudesse reivindicar: "Yehoshua não ousaria ensinar enquanto Moshê estava vivo."O propósito das oferendas, e por que a Torá acrescenta aqui as leis dos sacrifíciosAo final desta parashá, são explicadas as leis dos sacrifícios diários e as oferendas adicionais (Mussaf). Porquê este assunto foi inserido aqui? Uma esposa incomodava o marido freqüentemente. Sempre que percebiaque seu marido ficava aborrecido, chamava o casamenteiro, que era um cavalheiro idoso. Este costumava iràquela casa e sempre conseguia restaurar a paz.Quando o casamenteiro ficou mais velho e sentiu que seu fim estava próximo, convocou o marido e implorou-lhe: "Seja complacente com sua esposa! Breve não estarei mais aqui para estabelecer a paz entre vocês. Porisso, imploro que releve os defeitos de sua esposa."O marido replicou: "Em vez de convocar-me, você deveria ter chamado minha esposa. Se você puder ensiná-laa comportar-se de maneira respeitosa comigo, não haverá necessidade de futuras reconciliações."Similarmente, Moshê implorou ao Todo Poderoso que nomeasse um novo líder antes de seu falecimento,alguém que rezasse em prol do povo e defendesse-os se pecassem.Disse-lhe o Todo Poderoso: "Em vez de preocupar-se com a falta de um líder aos judeus após sua morte,assegure-se de que eles Me sirvam bem. Ensine-lhes as leis dos sacrifícios Tamid. Estes sacrifícios os unirão,pois cada judeu doará uma moeda de meio-shekel para adquiri-los, e trará uma radiação e esplendor debênção sobre eles."Dus disse a Moshê: "Enfatize ao povo que Eu não necessito de sacrifícios. O mundo todo é Meu. Eu crieitodos os animais que oferecem para Mim. Além disso, tampouco necessito de comida e bebida. Soutotalmente afastado do mundo físico e não necessito de oferendas terrenas como nutrição."
  • "Mesmo se Eu necessitasse de alimentos, não confiaria Meu sustento a seres cruéis." (Todos os sereshumanos são considerados cruéis, comparados a Dus, a Fonte de Misericórdia)."Por quê, então, Eu ordenei que vocês oferecessem sacrifícios? Desejo seu doce aroma, a satisfação de quevocês cumprem Minha mitsvá. Ao cumprirem as leis de sacrifício, vocês se unem a Mim."Dus ordenou as oferendas diárias como Seu "pão." Isto significa que em mérito de nossos sacrifícios a Ele,Ele nutre o mundo. Nossos presentes de alimentos abrem as fontes Celestiais de nutrição e trazem umsuperávit ao mundo. Alguém que dá tsedacá (caridade) para sustentar uma alma, concomitantemente, abreas fontes Celestiais de abundância.Os sacrifícios diários de TamidDus ordenou: "A cada manhã, os cohanim devem oferecer um cordeiro sobre o altar. Após ser abatido, ocordeiro é completamente queimado. Deve ser acompanhado de uma oferenda de farinha (minchá) eoferenda de vinho (nessech). Esta é a oferenda Tamid da manhã.""Os cohanim oferecem outro cordeiro com minchá e nessech à tarde. Esta é a oferenda de Tamid da tarde".Estas duas oferendas eram oferecidas sobre o altar todos os dias, incluindo Shabat. A comunidade pagavapelo Tamid com moedas de meio-shekel, que eram coletadas uma vez ao ano.O que as oferendas de Tamid nos lembramNosso patriarca Avraham quis sacrificar seu filho Yitschac no monte Moriyá, como Dus lhe haviaordenado. Mas ao final ele não teve de abater seu filho como uma oferenda. Procurou por um animal paratomar o lugar de Yitschac.
  • Dus tinha preparado um cordeiro numa moita próxima. Avraham o encontrou e ofereceu-o sobre o altar.Enquanto o abatia, rezava: "Por favor, Dus, considere-o como se eu tivesse abatido meu filho." Ao queimar ocordeiro, rezava: "Por favor, Dus, considere como se eu tivesse queimado meu filho."Naquela época, Dus disse: "Ordenarei ao povo judeu que ofereça dois cordeiros diariamente como sacrifícios.Assim, lembrarei o mérito do sacrifício de Yitschac e perdoarei o povo judeu por seus pecados."O Tamid matinal reparava os pecados que os judeus tinham cometido na noite anterior. O Tamid vespertinoexpiava os pecados cometidos durante o dia.Maamadot - os enviados que permaneciam ao lado quando os sacrifícios eram oferecidosDus ordenou que alguém que ofereça um sacrifício esteja presente enquanto este é elevado ao altar.Uma vez que era impossível que a nação inteira estivesse presente às oferendas dos sacrifícios comunitários, emvez disso nomeavam-se representantes da comunidade. Os primeiros profetas, Shemuel e David, dividiram oscohanim e levitas em vinte e quatro grupos, bem como escolheram vinte e quatro grupos de israelitas querepresentavam a nação inteira. A cada semana um grupo diferente de cohanim e levitas viajava a Jerusalém paraoferecer os sacrifícios diários, e para cantar durante as oferendas, respectivamente. Representantes dosisraelitas, que moravam em Jerusalém, faziam turnos ficando de pé ao lado das oferendas diárias observando-as.Ao mesmo tempo, grupos adicionais de representantes de cidades de todo Israel participavam dos sacrifíciosdiários, reunindo-se para ler a Torá e rezar para que Dus aceitasse as oferendas.Os sacrifícios de MussafAgora a parashá explica as leis dos sacrifícios de Mussaf. O termo "Mussaf" significa "adicional". Alémdos sacrifícios diários de Tamid, a Torá ordena que sacrifícios adicionais sejam oferecidos em Shabat eYom Tov (Festividade).
  • As oferendas na atualidadeO que fazemos hoje em dia, quando não podemos trazer as oferendas Mussaf no Shabat, Rosh Chôdesh eYom Tov?Temos dois substitutos:1. Rezamos uma Amidá (oração) extra que é chamada Mussaf. Nela, mencionamos as oferendas que eramtrazidas naquele dia ao Templo Sagrado. Por exemplo, no Mussaf de Shabat, dizemos: "A oferenda Mussafde Shabat consiste de dois cordeiros perfeitos, com menos de um ano de idade."Pedimos a Dus que aceite nossa oração no lugar do sacrifício de Mussaf.2. Em Rosh Chôdesh, Pêssach, Shavuot, Rosh Hashaná, Yom Kipur, Sucot, Shemini Atsêret e Simchat Torá,lemos passagens desta parashá que tratam do sacrifício de Mussaf do dia (em Maftir, o último a ser chamadopara a leitura da Torá). Dus aceita nossa leitura da Torá no lugar da oferenda de Mussaf.Estamos aguardando o dia quando o Templo Sagrado será reconstruído. Então, a cada Festividadeviajaremos a Jerusalém e assistiremos aos cohanim oferecerem os sacrifícios daquele Yom Tov.SHABAT SHALOM !!
  • PEDIDOS –“refuát hanefesh urefuát hagúf”Pedimos que rezem pelo pronto restabelecimento de:Margarida Dias da Silva
  • ANUNCIE AQUIVOCÊ DE CAMPINAS E REGIÃO QUE NÃO TEM ACESSO FÁCIL À ARTIGOS JUDAICOS TAIS COMO, LIVROS, TORÁ, VINHOS, VELAS, MEZUZÓT, PERGAMINHOS, CAMISETAS COM TEMAS JUDAICOS, E OUTROS ARTIGOS RELIGIOSOS, ESTÁ FUNCIONANDO EM CAMPINAS, NA RUA GENERAL OSÓRIO 698 1º PISO (PRÓXIMO AO MERCADÃO MUNICIPAL – REGIÃO CENTRAL DE CAMPINAS) A MAIS NOVA LOJA DE ARTIGOS JUDAICOS,“MORASHÁ”. É DO NOSSO AMIGO E COMPANHEIRO NA CAUSA ANUSSIM Shimon Melachim (Alecsandro Reis). PREÇOS ACESSÍVEIS!! CONFIRAM!! CHAZAK U’BARUCH E MAZAL TOV PELA INICIATIVA!!! CONTATOS: (19) 3232-8121 / 8154-2339
  • NOTÍCIASA policia de fronteira de Israel está em prontidão no Aeroporto Ben Gurion, após uma manhã relativamente calma. Cerca de 200 ativistas palestinos, dos 300 que estavam na lista negra, foram impedidos de embarcar em aeronaves com destino à Israel. Mas dezenas de ativistas conseguiram chegar e, até nosso fechamento, 30 estavam detidos para serem retornados às suas origens. (Rua Judaica)
  • NOTÍCIASPor uma esmagadora votação de 407 a 6, a Câmara de Representantes doCongresso Americano aprovou resolução em que prevê o corte total da ajuda dos EUA à Autoridade Palestina no caso desta se recusar a voltar às negociações com Israel e insistir em pedir a aprovação pela ONU de um Estado Palestino.(Rua Judaica)
  • - CULINÁRIA SEFARADI -COALHADA SECA COM AZEITONAINGREDIENTES- 1 frango de 1 1/2 kg (coxas, sobrecoxas e peito)- 1 colher (sopa) de gengibre ralado- 2 cebolas picadas- 1 colher (chá) de açafrão- 1 colher (sobremesa) de canela- 2 colheres (sopa) de azeite de oliva- 1 colher (sopa) de óleo de canola- 12 ameixas secas sem caroço- 2 colheres (sopa) de semente de gergelim- 1 colher (chá) de cominho- 1 colher (chá) de casca de laranja ralada- 1 colher (chá) de coentro em grão moído- sal e pimenta a gosto- 1 xícara (chá) de caldo de galinha (preferencialmente feito em casa)MODO DE PREPAROModo de PreparoTempere o frango com sal e pimenta. Core os pedaços no azeite e óleo. Reserve. Escorra a metade da gorduraque ficou na panela. Refogue a cebola nesta panela (pode ser 1 frigideira de 30 cm de diâmetro) até começar acorar, não deixe que core. Junte todos os temperos acebola. Cozinhe por 2 minutos. Volte os pedaços de frango e vire-os na panela para cobrir com o molho.Cozinhe coberto, em fogo baixo por 35 minutos, juntando caldo de galinha, se começar a secar. Junte asameixas e cozinhe mais 10 minutos. Sirva polvilhado com semente de gergelim torrada. Pode servir comcuscuz marroquino misturado com grão de bico.
  • HUMOR JUDÁICO – KAKAKAKA... É PIADA... NÃO LEVEM TÃO À SÉRIO GENTE !!! KAKAAKAK
  • A OBRA DO RESGATE PELO BRASILRegistramos aqui o contato da nossa leitora ilustre, Dona Rosimar M. Teixeira de Caruaru - Pe.Também entrou em contato conosco Dona Idalina da nossa Associação em Campinas. Possa Ha Kadosh Baruch Hu bendizer à todos vocês. SHABAT SHALOM PARA TODOS!!!!
  • A OBRA DO RESGATE PELO BRASILFoi realizado mais um Kabalat Shabat na residência dos queridos Iranildo Lopes (Yaacov) e Ana Lopes. Desfrutamos de uma verdadeira festa, com um banquete preparado pela referida família e todos da Associação Sefaradita Beit Melech de Campinas. Também nos reunirmos a na manhã de Shabat. Celebramos Shacharit, passamos a tarde estudando e ao final celebramos a Havdaláh. Na terça feria tivemos estudo de Ética e Cultura judaica e na quarta-feira estudamos a Parashá da semana. Possa Ha Kadosh Baruch Hu dar Saúde, Força e União à todos nós. Shabat Shalom à todos.
  • ANÚNCIOS INFORMAMOS AOS LEITORES, QUE SE ENCONTRA DISPONÍVEL UMA ÓTIMA FONTE DE PESQUISA E ESTUDOS, O SITE MEMORIAL BRASIL SEFARAD. O Memorial Brasil Sefarad nasceu como uma organização dedicada à pesquisa, divulgação e preservação da memória dos judeus sefarditas (judeus ibéricos) e de seus descendentes no Brasil. Mantido com recursos próprios e trabalho voluntário, o Memorial atua em 4 campos de ação: 1) pesquisa direta; 2) fomento à pesquisa - bolsas de pesquisa; 3) divulgação - através do site e de material impresso; 4) auxílio a comunidades de descendentes. Maiores informações no site: www.brasilsefarad.com/joomla/JÁ DEVERIA TER POSTADO HÁ MAIS TEMPO, MAS NUNCA É TARDE. SEGUE UM IMPORTANTÍSSIMO SITE ONDE ENCONTRAMOS TODOS OS PRODUTOS QUE SÃO AUTORIZADOS AO NOSSO CONSUMO E USO, COM AUTORIZAÇÃO DO BEIT DIN . http://www.bdk.com.br/default.aspx O PORTAL AMAZÔNIA JUDAICA ESTÁ DE VOLTA!!! NOVO SITE, NOVO VISUAL, MUITAS NOVIDADES, VENHA CONHECER E DESFRUTAR!!! ACESSEM: www.amazoniajudaica.org PRESENTEI AMIGOS E PARENTES COM A MAIS NOVA HAGADÁ DE PESSACH SEFARADI. ENTRE AGORA NO SITE!!!
  • Resposta à proposta.Shalom Rav para todos !É do conhecimento de todos que na última edição deste periódico, foi publicada uma proposta para tentarsolucionar o caso “benei anussim” do Brasil. Acho muito interessante que várias pessoas, quando ligam paramim, ou quando conversam comigo através de chat ou e-mail, sempre se queixam querendo alguém pararesolver todos os seus problemas. O mais engraçado ainda é notar que na hora do vamos ver, pouquíssimassão as pessoas que se manifestam para poder realizar algo efetivo para a situação dos benei anussim do Brasil.Sinceramente não sei o que a maioria pensam, mas uma coisa é certa: Enquanto não pararmos de olhar parao nosso próprio umbigo e vermos o coletivo, nada será feito. As coisas não caem do céu. Rabi Hilel hámilhares de anos já nos ensinava: ... “Se não for agora, QUANDO”?Das mais de 140 pessoas que recebem o HA – LAPID BRASIL, infelizmente somente as seguintes pessoas semanifestaram com o desejo de se engajarem na proposta: Gideone Santos de São Paulo, Jaqueline CardosoAmorim representando a Comunidade do Varjão, a AMBIV, em Brasília, Nilton Portela de Recife e RosimarMartins Teixeira de Caruaru. Além o autor da proposta, o Guilherme Neto, eu e outra pessoa que prefere nãose identificar, de Campinas. Ou seja, somente 7 pessoas ao todo.Para a nossa tristeza, por motivos óbvios, infelizmente as 7 pessoas mesmo com toda boa vontade do mundo,não conseguiriam arcar com a metade dos custeios de um Rabino da Shavei Israel.Acho que o dito “cada um por sí e D’us por todos”, cabe perfeitamente para retratar o que se passa com todosos anussim (ou pelo menos a grande maioria de nós) do Brasil.Sinceramente não sei mais o que posso fazer para tentar ajudar os que realmente precisam.Quanto à mim, continuarei fazendo o meu trabalho com o HA – LAPID BRASIL, que tenho plena consciênciade que também não é nada para uma boa parcela dos que recebem. Mas, enquanto tiver 1 que seja, pedindo,valorizando, continuarei lutando, mas profundamente desencantado com a maioria que só fazem na verdade émuito barulho!!! Mais uma vez obrigado Guilherme Neto, ao Sr Nilto Portela e todos pela força e idéia.Tiago da Rocha Sales (Ia’aqob Tsur)
  • HA –LAPID BRASILÉ um periódico semanal nascido na Associação Morashá Benei Ia’aqob do Varjão, Brasília,tendo como idealizador o Srº Elias José Lourenço de Israel. É distribuído entre ascomunidades judaicas, instituições e amigos desta causa.Contatos, dúvidas e idéias: yaakovtsurbenovadiah@gmail.com ou yaakov@ha-lapidbrasil.com.brWeb: www.ha-lapidbrasil.com.br