Your SlideShare is downloading. ×
Património do concelho de Vila Franca de Xira
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Património do concelho de Vila Franca de Xira

421
views

Published on

Published in: Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
421
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1.
    • Concelho de
    • Vila Franca de Xira
  • 2.
    • Núcleo da Cidade de Vila Franca de Xira
  • 3.
    • Localização Rua Dr. Miguel Bombarda
    • Fundada pelo rei D. Sebastião, em 1576, devido à 'Peste Grande' de 1569.
    • Principais elementos:
    • Capela – mor com retábulo em talha dourada
    • Tecto em abóbada de canhão com estuque pintado.
    Igreja do Mártir Santo São Sebastião Adaptada, em 2001, a Núcleo Museológico de Arte Sacra, “Vila Franca de Xira – Formas de Devoção “.
  • 4.
    • Localização Alto do morro sobranceiro a Povos.
    • Este local inclui:
    • locais de povoamento,
    • necrópoles medievais,
    • santuário onde se encontra uma capela dos séculos XVI a XVII, dedicada ao Senhor da Boa Morte
    • ruínas de um solar dos séculos XVI a XVIII, pertencente à família dos Ataíde, condes de Castanheira.
    Alto do Senhor da Boa Morte
  • 5.
    • Localização Rua Luís de Camões, nº 130
    • Edifício construído em meados do século XVIII, para a Igreja Patriarcal de Lisboa.
    • De salientar, no seu exterior:
    • o portal de entrada que emoldura a porta de madeira
    • o frontão triangular que encima a fachada principal.
    • Funciona como local de realização de exposições temáticas.
    Celeiro da Patriarcal
  • 6.
    • Localização
    • Praça Afonso de Albuquerque (Largo do Município).
    • Vila Franca de Xira teve foral antigo doado por Froyla Ermiges em 1212, tendo sido renovado por D. Manuel, a 1 de Junho de 1510, onde consta a construção de um pelourinho.
    • É um monumento manuelino, encimado por esfera armilar, de D. Manuel. Foi classificado como Monumento Nacional (Dec. De 16 de Junho de 1910).
    Pelourinho
  • 7.
    • Localização Jardim Constantino Palha.
    • Construído em 1788, por determinação da rainha D. Maria I, está classificado como Imóvel de Interesse Público.
    • Foi retirado do seu local de origem: a parte inferior encontra-se em depósito na Câmara Municipal, enquanto que a parte superior do marco se pode observar no jardim junto ao Tejo.
    Marco da IV Légua
  • 8.
    • Localização Largo da Misericórdia.
    • Templo fundado no século XVI com um importante conjunto azulejar de 1760, retratando as Obras da Misericórdia.
    Igreja da Misericórdia
  • 9.
    • Localização
    • Na Lezíria Grande do Tejo.
    • Edifício mandado construir, no
    • século XVIII, pelo 1º Patriarca de Lisboa,
    • D. Tomás de Almeida.
    • Aqui se realiza uma importante romaria de Nossa Senhora de Alcamé.
    • Baseia-se numa lenda:
    • “ um pastor encontrou uma pequena cobra e criou-a, alimentando-a com o leite das ovelhas. A certa altura adoeceu, ficando vários meses sem ir ao campo. Quando lá voltou, foi ao mouchão e assobiou pelo réptil, como costumava fazer. A cobra apareceu, mas não o reconhecendo, atacou-o de goelas abertas. Aflito, o homem invocou a protecção da Virgem, que apareceu, e lançou para a boca da serpente uma maçã. Engasgada e sufocada, a cobra morreu e o pastor salvou-se. O milagre foi atribuído a Nossa Senhora de Alcamé, cujo nome é o aportuguesamento da palavra árabe ‘achmé’, que significa trigo”.
    Igreja de Nossa Senhora de Alcamé
  • 10.
    • Localização Rua Serpa Pinto Nº 65 Descrição O edifício é um exemplar da arquitectura civil setecentista.
    • Aqui funciona o museu municipal que alberga:
    • Exposição permanente “Vila Franca de Xira – Tempos do Rio, Ecos da Terra”, mostra a trajectória histórico-patrimonial do Concelho de Vila Franca de Xira, desde as primeiras comunidades pré-históricas até ao séc. XX.
    •  
    Museu Municipal
  • 11.
    • Localização
    • Rua Alves Redol, nº 45
    • Criado em 1990, possui um vasto conjunto de colecções museológicas, com destaque para espólios literários e editoriais, arquivos documentais (impressos e audiovisuais), acervos iconográficos, obras de arte, bibliotecas particulares e uma biblioteca especializada na temática neorealista.
    Movimento Neo-Realista Português The return of the real- 14   Eduardo Matos Ciclo de Arte Contemporânea Os autos da vida de Luiz Francisco Rebello     o passado e o presente /  / outro olhar sobre a colecção do mnr
  • 12.
    • Apresenta uma exposição permanente de carácter etnográfico sobre o trabalho e profissões tradicionais das lezírias.
    Localização Praça Touros Palha Blanco Museu Etnográfico
  • 13.
    • Localização
    • Trav. do Alecrim 5
    • A casa onde nasceu o toureiro Mário Coelho guarda as memórias e os troféus do toureiro. Com uma carreira de 40 anos, o matador lidou mais de 3000 toiros, actuando em 1427 corridas e mais de 200 festivais de beneficência.
    Casa Museu Mário Coelho
  • 14. Núcleo de Povos
  • 15.
    • Localização Largo da Forca, Rua Direita
    • Classificado como Imóvel de Interesse Público (Dec. N.º 23 122, DG 231, de 11 de Outubro de 1933),
    • Edificado em frente à Casa da Câmara, no centro do aglomerado urbano, onde confluíam a estrada real e a rua que dava acesso à Igreja Matriz de N. Sra. de Assunção de Povos.
    • De estilo manuelino a metade superior da coluna, com decoração naturalista/manuelina, está separada por um nó duplo e encordoado. No capitel estão as armas senhoriais dos Condes da Castanheira, estabelecidas pelo primeiro titular, D. António de Ataíde. 
    •  
    Pelourinho
  • 16.
    • Localização A leste do aglomerado urbano de
    • Povos, junto à calçada de Santa
    • Maria.
    • Quinta com vasta zona de lazer e importante área agrícola.
    • Foi a primeira fábrica de curtumes do reino - fundada em 1729 por João Mendes de Faria
    • Tem uma capela particular adossada ao edifício residencial.
    •  
    Quinta da Fábrica
  • 17.
    • Localização Junto à Escola Velha de Povos, Rua Direita.
    • Vila ocupada entre os séculos I e IV da nossa era. Foi objecto de escavações arqueológicas, entre 1984 e 1991, através das quais se detectaram vestígios do edifício da área habitacional, com várias construções e horizontes de povoamento.
    Vila Romana de Povos
  • 18.
    • Loja Nova
  • 19.
    • Localização Próximo da povoação da Loja Nova.
    • Fundado em 1402,classificado como Imóvel
    • de Interesse Público (Dec. N.º 2/96, DR 56, de 6 de Março) –
    • está ligado à família dos Ataíde, a quem se ficaram a deversas obras do século XV ao século XVII.
    • O conjunto é constituído por:
    • Igreja : capela sepulcral dos Ataíde - estilo renascença túmulos
    • maneiristas na capela-mor
    • residência dos monges com os seus claustros
    • construções ligadas às actividades económicas: hortas de cultivo
    • e lazer, com fontes e lagos.
    Quinta e Convento de Santo António (Propriedade privada)
  • 20.
    • Localização
    • A noroeste de Vila Franca de Xira, junto
    • à estrada que conduz à Loja Nova e Cachoeiras.
    • Construído no século XIX, foi pertença do 1º conde de Farrobo.
    • O palácio incluía um pequeno teatro onde chegaram a actuar companhias de ópera italianas. Classificado como Valor Concelhio (Dec. N.º 29/84, DR 145, de 25 de Junho), encontra-se actualmente num avançado grau de ruína.
    Palácio do Farrobo
  • 21. Alhandra 
  • 22.
    • Localização Os diversos elementos que o compõem encontram-se actualmente depositados nas instalações da Junta de Freguesia de Alhandra.
    • Classificado como Imóvel de Interesse Público (Dec. N.º 23 122, DG 231, de 11 de Outubro de 1933). Pela simplicidade arquitectónica da coluna e pelos seus complementos pode-se perfilhar a hipótese do pelourinho ter sido erigido no reinado de D. João III. Foi alvo de diversas análises, com vista à sua reconstituição e reimplantação, uma vez que, desde o seu apeamento em 1893, se encontrava depositado na Quinta dos Bichos, em S. João dos Montes.
    Pelourinho
  • 23.
    • Localização No alto da elevação que domina Alhandra, no extremo sudeste da Serra de São Lourenço.
    • Erguido em 1883, no local onde existira o Reduto
    • n.º 1, designado por Bateria do Tejo. Daqui partia a linha de fortificações militares que faziam parte do complexo de fortificações das Linhas de Torres.
    • Além do monumento, o local apresenta uma boa situação sobranceira ao Tejo, que permite a apreciação da vista
    • sobre o estuário. 
    Monumento das Linhas de Torres
  • 24.
    • Localização
    • Junto ao cais de Alhandra e à avenida
    • Dr. Sousa Martins.
    • Inaugurado a 3 de Março de 1985, o seu espólio circunscreve-se à freguesia de Alhandra, cujo historial é transmitido através da exposição de documentos, livros, quadros, fotografias, instrumentos de trabalho, objectos de uso quotidiano e colecções particulares.
    • Os aspectos sociais e económicos, a industrialização, o associativismo, as figuras de Sousa Martins, Salvador Marques, Soeiro Pereira Gomes e Francisco Filipe dos Reis estão bem patentes neste museu.
    • Também inclui um espaço dedicado a exposições temporárias e colóquios e uma sala dedicada ao Desporto em Alhandra, homenageando-se o nadador Baptista Pereira.
    Museu de Alhandra Casa Dr. Sousa Martins
  • 25.
    • Localização No Alto do Castelo, em pleno centro histórico
    • da vila de Alhandra.
    • A primitiva igreja matriz, foi fundada pelo cardeal D. Henrique, em 1558, sendo considerada um templo majestoso pela sua qualidade artística e pela proeminência da sua implantação, dado situar-se cerca de 200 metros acima da vila.
    • Em 1887, sofreu um violento incêndio, pelo que foi totalmente reconstruída. Possui uma arquitectura de linhas extremamente simples, depurada de elementos decorativos. No seu interior, existem objectos de arte sacra dos séculos XVII e XVIII, alguns da primitiva igreja e outros provenientes de igrejas de Lisboa. 
    •  
    Igreja Matriz de São João Baptista
  • 26.
    • Localização   Na povoação do Adarce
    • Pequeno templo rural de nave única, construído no século XVII, possui galilé recuperada, em cujo chão são visíveis lápides sepulcrais epigrafadas
    Ermida de Nossa Senhora da Piedade do Adarce
  • 27.
    • ALVERCA
  • 28.
    • Localização
    • Largo dos Pioneiros da Aviação 
    • Abriga um acervo de elevado valor histórico, artístico e documental, sendo o único museu aeronáutico do país. A exposição permanente do museu apresenta 20 aviões, hélices, painéis de instrumentos, equipamentos de navegação e uma miríade de outros objectos que constituem uma representação assinalável da evolução histórica da aviação.
    Museu do Ar
  • 29.
    • Localização Praça João Mantas
    • Classificado como Imóvel de Interesse Público (Dec. n.º 23 122, DG 231, de 11 de Outubro de 1933), foi construído em 1530 junto ao edifício da antiga Casa de Câmara daquele antigo concelho. Exemplar de Arquitectura Civil Pública Manuelina.
    Pelourinho
  • 30.
    • Localização
    • Antigo rossio quinhentista (Praça João Mantas). Edifício extramuros, relativamente ao centro histórico medieval, representa o primeiro momento de expansão urbana.
    • Este edifício alberga o Núcleo Museológico de Alverca. O Núcleo apresenta uma exposição permanente “Alverca: da Terra às Gentes” que apresenta, de forma genérica, os traços do quotidiano da região. Reúne também um espólio dedicado à actividade tradicional da zona – agricultura e, também, uma colecção de achados arqueológicos, que apareceram no decurso da obra de ampliação.
    Núcleo Museológico de Alverca
  • 31.
    • Localização
    • Zona alta da cidade de Alverca.
    • Situada no centro histórico de Alverca, na zona mais elevada, trata-se de uma igreja de três naves, cujo espólio móvel data do século XVIII (retábulo, pinturas e estuque do tecto).
    • Possui também um conjunto de azulejos seiscentistas com cenas da vida de São Pedro, com destaque para a Libertação de São Pedro pelo Anjo.
    Igreja Matriz de São Pedro
  • 32.
    • Templo rural, de finais do século XVI, com
    • nave única e galilé.
    • Possui, no seu interior, azulejos do século XVII e um retábulo maneirista e na capela-mor uma pia de água benta quinhentista. 
    Ermida de São Clemente Localização Povoação de Arcena .
  • 33.
    • Erigida no século XVI, foi objecto de obras no século seguinte. Templo de uma só nave, tem azulejos do século XVII , pinturas em madeira do século XVI, a talha dourada do retábulo-mor e o tecto com pinturas setecentistas. 
    Igreja Matriz de Nossa Senhora da Purificação Localização Junto ao cemitério da povoação de Cachoeiras.
  • 34.
    • Calhandriz
  • 35.
    • Localização
    • No Lugar da Igreja.
    • Reconstruída após o terramoto de 1755, o templo apresenta traça setecentista. São de ressaltar, no seu interior, a imagem de São marcos (século XVIII), uma tela representando Nossa Senhora da Assunção e o altar-mor com talha dourada e policromada.
    Igreja Matriz de São Marcos
  • 36.
    • Localização Dispersos pela freguesia de Calhandriz.
    • A freguesia de Calhandriz é aquela que inclui o maior número de estruturas fortificadas pertencentes às Linhas de Torres Vedras, construídas entre 1809 e 1812 pelas tropas luso-britânicas que combatiam os exércitos napoleónicos.
    • Para além do interesse histórico destes fortes, há ainda a registar o facto de se situarem em zonas altas, constituindo agradáveis zonas de miradouro.
    Fortes das Linhas de Torres
  • 37.
    • Forte da Casa
  • 38.
    • Localização Dispersos pela freguesia do Forte da Casa.
    • São ainda visíveis nesta freguesia algumas das fortificações que faziam parte do conjunto defensivo as Linhas de Torres Vedras. Deste grupo de fortes destaca-se aquele que deu o nome à própria freguesia, situado dentro da actual povoação.
    Fortes das Linhas de Torres
  • 39.
    • Localização Na EN 10, ao Km 13 895, junto da povoação da Verdelha.
    • Classificados como Imóvel de Interesse Público (Dec. n.º 38 973, DG 175, de 18 de Agosto de 1943).
    • Estes marcos assinalam o termo de Lisboa, tendo sido erigidos para comemorar a construção da Estrada Real, no tempo de D. Maria I. Um dos obeliscos contém uma
    • inscrição de 1782, referindo
    • que a estrada era limitada por
    • oliveiras, cujo azeite se destinava
    • à Casa Pia e à iluminação da
    • cidade de Lisboa . 
    Padrões do Termo de Lisboa
  • 40.
    •   Museu do Neo-realismo
    •   SERVIÇO EDUCATIVO
    • Rua Alves Redol, nº 45
    • 2600 - 099 Vila Franca de Xira
    • Telef : 263 285 626
    •   Fax : 263 284 814
    • E-mail : neorealismo@cm-vfxira.pt
    • Museu Municipal de Vila Franca de Xira Rua Serpa Pinto 65 - Vila Franca de Xira 2600-262 VILA FRANCA DE XIRA Telef :263280350
    • Fax:  263280358
  • 41.
    • Museu do Ar
    • Largo dos Pioneiros da Aviação - Alverca do Ribatejo 2615-174 ALVERCA DO RIBATEJO Telef:  ver mais 219582782
    • Fax  : 21957193
    • Posto de Turismo Municipal Praça Afonso de Albuquerque, nº 12 2600 Vila Franca de Xira Telefone: 263 285 605 Fax:  263 271 516 E-mail: [email_address] Horário: 2ª a 6ª feira, 10h-12h30 e 14h-18h Sábado, 10h-13h Encerra ao Domingo e feriados.