Matemática no Pré-escolar

  • 8,501 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
8,501
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
187
Comments
0
Likes
3

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. A Matemática na Educação Pré-Escolar
  • 2. Existem três áreas de conteúdo- Área de formação pessoal e social;- Área de expressão e comunicação;- Área de conhecimento do mundo.
  • 3. O desenvolvimento matemático nos primeiros anos éfundamental:Alicerça aprendizagens;Promove o sucesso das aprendizagens futuras;Funções na vida corrente.
  • 4. Papel do educadorQuestionarIncentivarEncorajarProporcionar acesso a livros, histórias, jogos…Utilizar a linguagem própria da matemáticaO educador deve valorizarConhecimento das criançasVivências das criançasOportunidades que surjam naturalmente
  • 5. Uma história pode ser explorada intencionalmente nosdomínios da Linguagem Oral e abordagem à escrita, da dasexpressões motora, plástica e musical e da Matemática.Que histórias? Como explorar a história?
  • 6. Apresentação de sugestões…
  • 7. Mais Uma Ovelha? de Mij Kelly Russell AytoTodos no Sofá de Luísa Ducla SoaresA mãe da Maíza é que conta de António TorradoOs Três PorquinhosBranca de Neve e os Sete Anões1 * 2 * 3 de Luísa Ducla SoaresO Nabo Gigante de Alexis Tolstoi e Niamh Sharkey
  • 8. Quadradinha (autor desconhecido)O Bosque das Figuras Geométricas retirado de http://eecm.amt.ua.ptO Capuchinho VermelhoCaracóis de Ouro e os Três UrsosNa Cidade dos Sólidos retirado de http://eecm.amt.ua.pt
  • 9. Pequeno Livro de Desmatemática de Manuel António PinaPoemas da Mentira e da Verdade de Luísa Ducla Soares
  • 10. A criança familiariza-se muito cedo com os números.Exemplos de situações:- elevador;- comando da televisão;- supermercado;E no Jardim de Infância?
  • 11. O conhecimento do número é menos abrangente que osentido de número.O sentido de número no Jardim-de-Infância é entendidocomo um processo no qual a criança vai aprendendo acompreender os diferentes significados e utilizações dosnúmeros e a forma como estes estão interligados.
  • 12. O sentido de número refere-se à compreensão global dosnúmeros e das operações a par com a capacidade para usaresta compreensão de forma flexível para fazer julgamentosmatemáticos e desenvolver estratégias úteis de manipulaçãodos números e das operações.
  • 13. Assim, possuir o sentido de número inclui conhecer o númeroe as suas relações, compreender o efeito das operações sobreos números bem como perceber a grandeza relativa de umnúmero. Isto é, compreender que um número se pode obter apartir de outros, entender o que acontece a dois númerosquando se opera com eles, e ainda, perceber que porexemplo
  • 14. o professor não pode ter 200 anos, mas um automóvel custamais de 200 euros. O sentido do número engloba aindaperceber que os números podem ser usados em diferentescontextos e com diferentes significados. Por exemplo, onúmero do bilhete de identidade serve para identificar umdeterminado indivíduo, o número da porta indica alocalização da casa numa dada rua ou a altura de um prédio étambém expressa por um número, que representa a suamedida.
  • 15. As crianças gostam de decorar e recitar sequênciasnuméricas, criam sequências próprias até conhecerem acorrecta.Exemplo Retirado de brochura Sentido de número e organização de dados, pg.16
  • 16. A contagem oral engloba o desenvolvimento:- Do conhecimento da sequência dos números com um só digito.- Do conhecimento das irregularidades entre 10 e 20.- Da compreensão de que o nove implica a transição …- Dos termos de transição para uma nova série (10, 20, 30, …) Retirado de brochura Sentido de número e organização de dados, pg.16
  • 17. As primeiras actividades a realizar com as crianças devem serconcretas, para que, de modo progressivo ganhem abstracçãoe consigam pensar nos números sem contactarem comobjectos.
  • 18. Mais Uma OvelhaPromove a aprendizagem do nosso sistema de contagem oral.TarefaLeitura da história “Mais Uma Ovelha”.Reflectir sobre a situação apresentada na brochura Sentido de número e organização de dados, pg. 40.Questões feitas pela educadora.Extensão à tarefa inicial.
  • 19. Todos no SofáPermite trabalhar a contagem oral crescente e a contagem oral decrescente.TarefaLeitura da história “Todos no Sofá”Reflectir sobre a situação apresentada na brochura Sentido de número e organização de dados, pg. 14.
  • 20. A mãe de Maíza é que contaPermite trabalhar a contagem por ordem crescente ou decrescente.Utilização de termos específicos do localizar, nomeadamente dentro e fora.TarefaLeitura da história “A mãe de Maíza é que conta”Reflectir sobre a situação apresentada na brochura Sentido de número e organização de dados, pg. 90. Geometria, pg. 78.
  • 21. Outras formas de trabalhar a sequência numérica.CançõesPoemasLengalengas
  • 22. CançõesCanção da velha e dos númerosBati à porta do número umEstava uma velha a dançar com atumQue giro que é! (4 vezes)
  • 23. Bati à porta do número doisEstava uma velha a dançar com dois boisQue giro que é! (4 vezes)Bati à porta do número trêsEstava uma velha a dançar com um chinêsQue giro que é! (4 vezes)
  • 24. Bati à porta do número quatroEstava uma velha a dançar com um sapatoQue giro que é! (4 vezes)Bati à porta do número cincoEstava uma velha a dançar com um brincoQue giro que é! (4 vezes)
  • 25. Bati à porta do número seisEstava uma velha a dançar com pincéisQue giro que é! (4 vezes)Bati à porta do número seteEstava uma velha a dançar com um babeteQue giro que é! (4 vezes)
  • 26. Bati à porta do número oitoEstava uma velha a dançar com um biscoitoQue giro que é! (4 vezes)Bati à porta do número noveEstava uma velha a dançar com um bigodeQue giro que é! (4 vezes)
  • 27. Bati à porta do número dezEstava uma velha a dançar com os pésQue giro que é! (4 vezes)retirado de http://miminhosecarinhos.blogspot.com/search/label/Matem%C3%A1tica
  • 28. TarefaIlustre a canção da velha e dos números com as crianças e exponha-a na sala de aula.
  • 29. Poesia OS NÚMEROS DO MENINO GULOSO Dá-me bolinhos mas não só um. Desde o almoço faço jejum. Dá-me bolinhos mas não só dois. Como um agora outro depois.
  • 30. Dá-me bolinhosmas não só três,que os vou paparduma só vez.Dá-me bolinhosmas não só quatro,para os provarlogo no quarto.
  • 31. Dá-me bolinhosmas não só cinco.Com tanta fomeeu bem os trinco.Dá-me bolinhosmas não só seis,todos maioresque bolos reis. Luísa Ducla SoaresRetirado dehttp://www.app.pt/nte/luisads/mentiraverdade.htm#OS%20NÚMEROS%20DO%20MENINO%20GULOSO
  • 32. TarefaInspire-se no poema de Luísa Ducla Soares que acabou de lere escreva um poema no qual os números sejam o temaprincipal.
  • 33. TarefaExplore o espaço poético (poesia, jogos,…) emhttp://www.ecolenet.nl/tellme/poesia/poemas.htm
  • 34. Os 10 soldadinhosMarcham 10 soldados, ai, mas como chove!Um escorregou na lama, só ficaram 9.Os nove soldados cearam biscoito, um comeu demais, sóficaram 8.Os oito soldados seguem o cadete,Perde-se um na estrada, só ficaram 7.Vão sete soldados apanhar papéis,Um foge para casa, só ficaram 6.Estes seis soldados acharam um brinco,Um vai ao ourives, e só ficaram 5.
  • 35. Os cinco soldados encontraram um rato,Um foge assustado, e só ficaram 4.Os quatro soldados vão lavar os pés,Cai um no ribeiro, e só ficaram 3.Ficam três soldados a guardar os bois,Um vai para toureiro, e só ficaram 2.Dos dois um deitou-se a fazer ó - ó,Foi-se embora o outro, e ficou 1 só.Este era o tambor, e fez: trrum-tum-tumCai de cansaço, não ficou nenhum.Retirado dehttp://www.minerva.uevora.pt/itic/1998_1999/elefante/can_solda.html
  • 36. LengalengasFui à caixa das bolachasTirei umaTirei duasTirei trêsTirei quatroTirei cincoTirei seis
  • 37. Tirei seteTirei oitoTirei noveTirei dezQue é para veres o guloso que tu és Retirado de http://www.recursoseb1.com/ficheiros/varios/historia.pdf
  • 38. Um, dois, três, quatroA galinha mais o patoFugiram da capoeiraForam atrás da cozinheiraQue lhes deu com um sapatoUm, dois, três, quatro Retirado de http://www.recursoseb1.com/ficheiros/varios/historia.pdf
  • 39. Ordem crescente e decrescenteFormiguinhas Cinco formiguinhas andando devagar uma entrou no formigueiro quantas restam para entrar? Quatro Quatro formiguinhas andando devagar uma entrou no formigueiro quantas restam para entrar? Três
  • 40. Três formiguinhas andando devagar uma entrou no formigueiro quantas restam para entrar?DuasDuas formiguinhasandando devagaruma entrou no formigueiroquantas restam para entrar?Uma
  • 41. Uma formiguinhaandando devagarela entrou no formigueiroquantas restam para entrar?ZeroRetirado dehttp://terroristasdepalmoemeio.blogspot.com/2008/06/canes-para-trabalhar-noes-matemticas.html
  • 42. ROMANCE DAS DEZ MENINAS CASADOIRASSão dez as meninas e sobre elas chove, mas chega um bombeiro e ficam só nove.São nove meninas comendo biscoito mas chega um padeiro e ficam só oito.
  • 43. São oito meninasfazendo uma omeletemas chega um gulosoe ficam só sete.São sete meninaspintando papéismas chega um pintore ficam só seis.
  • 44. São seis as meninasà volta de um brincomas chega um ourivese ficam só cinco.São cinco meninasque vão ao teatromas chega um actore ficam só quatro.
  • 45. São quatro meninasfalando francêsmas chega um estrangeiroe ficam só três.São três as meninasguardando peruasmas chega um pastore ficam só duas.
  • 46. São duas meninasnadando na espumamas chega um barqueiroe fica só uma.É uma meninaa apanhar carumamas chega um leão,não fica nenhuma. Luísa Ducla SoaresRetirado dehttp://www.app.pt/nte/luisads/mentiraverdade.htm#ROMANCE%20DAS%20DEZ%20MENINAS%20CASADOIRAS
  • 47. Para além da contagem oral um a um podemos promover àcriança a aprendizagem da contagem oral de 2 em 2, de 5 em5, ou de 10 em 10.
  • 48. Retirado de brochura Sentido de número e organização de dados
  • 49. BibliografiaCastro, J.P. e Rodrigues, M.. Sentido de número e organização de dados. DGIDC: Lisboa. 2008.Mendes, M.F. e Delgado, C.C.. Geometria. DGIDC: Lisboa,.2008.Orientações Curriculares. Ministério da Educação, Lisboa,.1997.APM, Desenvolvendo o Sentido do Número. Materiais para o educador e para o professor do 1ºciclo. 2005.Abrantes, P., L. Serrazina, e I. Oliveira. A Matemática na educação básica. Lisboa: ME/DEB. 1999Matos, J. M. e Serrazina, M. L.. Didáctica da Matemática. Lisboa: Universidade Aberta. 1996Moreira, D.. Iniciação à Matemática no Jardim de Infância. Universidade Aberta. 2003
  • 50. http://r21.ccems.pt/http://eecm.amt.ua.pthttp://www.app.pt/nte/luisads/mentiraverdade.htm#ROMANCE%20DAS%20 DEZ%20MENINAS%20CASADOIRAShttp://terroristasdepalmoemeio.blogspot.com/2008/06/canes-para- trabalhar-noes-matemticas.htmlhttp://www.recursoseb1.com/ficheiros/varios/historia.pdfhttp://www.minerva.uevora.pt/itic/1998_1999/elefante/cancoes.htmlhttp://omundinhododavid.blogspot.com/2008/06/cano-dos-nmeros.htmlhttp://www.ecolenet.nl/tellme/poesia/poemas.htmhttp://miminhosecarinhos.blogspot.com/search/label/Matem%C3%A1tica