0
WEB 2.0 ESPAÇO DE PARTILHA E DE CONSTRUÇÃO COLECTIVA DE SABERES E DE COMPETÊNCIAS AO SERVIÇO  DA BIBLIOTECA ESCOLAR? Ferna...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | A aprendizagem da leitura   e o domínio dessa competência,   A criação e o desenvolv...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | Promover a  capacidade de seleccionar informação  e actuar criticamente perante a qu...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>Derrubámos paredes, ampliámos o espaço </li></ul><ul><li>Tirámos as portas a...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>Introduzimos equipamentos de leitura e produção (áudio, vídeo e multimédia) ...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>Fizemos o percurso da web 1.0 e estamos na web 2.0 </li></ul><ul><li>Formámo...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | Competências baseadas fundamentalmente nos conteúdos e no ensino presencial. Desenvo...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | Aluno receptor passivo. Aluno consumidor de informação. Aluno isolado. Estilos de ap...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | A biblioteca é uma escola.  O bibliotecário é um professor.  O aluno faz da bibliote...
<ul><li>Desenvolvimento do digital, </li></ul><ul><li>Desenvolvimento das redes físicas e virtuais </li></ul><ul><li>Expan...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>A Internet constitui-se como um dispositivo permanente de redistribuição da ...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>Os comportamentos face à informação e à aprendizagem mudaram. Os indivíduos ...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>Apresentam tolerância zero para a perda de tempo no acesso à  informação, pr...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>Valorizam mais os seus pares como fonte de informação do que as fontes idóne...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  |
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | WEB 2.0  ?
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>Pesquisas no  Google   sobre a  WEB 2.0 </li></ul><ul><li>2007 </li></ul><ul...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | WEB 2.0  &quot;Web 2.0 é a mudança para uma Internet como plataforma e a compreensão...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | O mundo digital e as redes globais têm transformado as características essenciais do...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | Veja-se o exemplo da Biblioteca Pública de Aarthus, na Dinamarca, que introduziu no ...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  |
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | http://www.youtube.com/watch?v=Fu7XciJi6xY
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | E AGORA  ?
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | E AGORA  ? Catorze anos depois, uma nova encruzilhada, novos desafios se colocam à b...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | A biblioteca escolar, deixou de ser o local, quase único e por excelência, onde os a...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | A biblioteca escolar vai continuar a ser um espaço híbrido, onde a informação presen...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | E AGORA  ? <ul><li>VAMOS MODIFICÁ-LA, INOVANDO O ESPAÇO, OS EQUIPAMENTOS E AS METODO...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | INOVAR O ESPAÇO E OS EQUIPAMENTOS De modo a transformar a biblioteca num espaço de a...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>INOVAR O ESPAÇO E OS EQUIPAMENTOS </li></ul><ul><li>De modo a promover uma g...
http://facstaff.unca.edu/sinclair/spaceplan/clc.html   WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | Mobiliário e equipamentos que...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  |
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  |
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | Reorganizemos o espaço, criando áreas para o trabalho colaborativo, a reflexão indiv...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DAS ESCOLAS  DO ENSINO SECUNDÁRIO ES Gabriel Pereira - Évora
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | EB 2,3 Marquesa de Alorna - Lisboa
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | ES Pedro Alexandrino - Odivelas
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | ES Mouzinho da Silveira  - Portalegre
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | ES de Penafiel  - Penafiel
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | ES Gabriel Pereira - Évora
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | ES D. Manuel I - Beja
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | ES José Régio – Vila do Conde
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | ES Rocha Peixoto – Póvoa de Varzim
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | ES de Penafiel  - Penafiel
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | VAMOS PÔR A WEB 2.0 AO SERVIÇO DA BIBLIOTECA BIBLIOTECA 2.0 O termo biblioteca 2.0 f...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>Quatro princípios caracterizam a Biblioteca 2.0 segundo Maness (2005): </li>...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | A biblioteca 2.0 passou a ser uma extensão natural da missão da biblioteca num mundo...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>Manifesto do Bibliotecário 2.0 (Laura Cohen) </li></ul><ul><li>Reconhecer as...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | As ferramentas da WEB 2.0 devem ser usadas com rigor e no estrito objectivo de facil...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>As ferramentas devem procurar: </li></ul><ul><li>Ser informativas (blogue) <...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | <ul><li>Promover a interactividade (blogue, twitter) </li></ul><ul><li>Partilhar nov...
WEB 2.0   |  BIBLIOTECAS ESCOLARES  | OBRIGADO Fernando do Carmo Os analfabetos do século 21 não serão aqueles que não con...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Web 2.0 partilha e construcao de saberes

2,647

Published on

"WEB 2.0 – espaço de partilha e de construção colaborativa de saberes e de competências ao serviço da biblioteca escolar?" - Fernando Carmo (Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares)

Published in: Education, Technology
0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,647
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
11
Actions
Shares
0
Downloads
82
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Web 2.0 partilha e construcao de saberes"

  1. 1. WEB 2.0 ESPAÇO DE PARTILHA E DE CONSTRUÇÃO COLECTIVA DE SABERES E DE COMPETÊNCIAS AO SERVIÇO DA BIBLIOTECA ESCOLAR? Fernando do Carmo – 2010 [email_address]
  2. 2. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | A aprendizagem da leitura e o domínio dessa competência, A criação e o desenvolvimento do prazer de ler e a aquisição de hábitos de leitura , O aprofundamento da cultura cívica, científica, tecnológica e artística. Quando em 1996 se lançou o Programa da Rede de Bibliotecas Escolares, as bibliotecas, salvo algumas excepções, viviam enclausuradas num espaço fechado, distante da realidade escolar e dos alunos, era necessário romper com este paradigma: As bibliotecas escolares, surgem como recursos básicos do processo educativo, sendo-lhes atribuído papel central em vários domínios importantes:
  3. 3. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | Promover a capacidade de seleccionar informação e actuar criticamente perante a quantidade e diversidade de fundos e suportes Desenvolver métodos de estudo e de investigação autónoma Desenvolver competências e hábitos de trabalho baseados na consulta, tratamento e produção de informação Desenvolver a capacidade de analisar, criticar e utilizar documentos, Desenvolver um trabalho de pesquisa ou estudo e produzir sínteses informativas em diferentes formatos.
  4. 4. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>Derrubámos paredes, ampliámos o espaço </li></ul><ul><li>Tirámos as portas aos armários, colocámos estantes abertas </li></ul><ul><li>Colocámos mobiliário atraente, funcional e adequado aos jovens (colocámos sofás, lembram-se?) </li></ul><ul><li>Actualizámos os fundos documentais, introduzimos novos suportes (iconográficos, áudio, vídeo, multimédia) </li></ul><ul><li>Diversificámos as colecções: apoio ao currículo, apoio às actividades extracurriculares, apoio ao prazer de ler, ouvir e ver (ficção para todas as idades, periódicos, banda desenhada, música, cinema) </li></ul>Trabalhámos intensamente nestes últimos 14 anos (as Escolas, as Equipas das Bibliotecas Escolares as Direcções Regionais, as Autarquias, as Bibliotecas Municipais, as nossas “Andorinhas” e o Gabinete da RBE):
  5. 5. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>Introduzimos equipamentos de leitura e produção (áudio, vídeo e multimédia) </li></ul><ul><li>Introduzimos o computador e muitos dos seus periféricos </li></ul><ul><li>Iniciámos o tratamento documental, colocámos os nossos catálogos em linha </li></ul><ul><li>Pugnámos pelo empréstimo domiciliário </li></ul><ul><li>Desempenhámos um papel essencial na divulgação e utilização da Internet no espaço escolar </li></ul><ul><li>Criámos um espaço único para a pesquisa e produção de informação em qualquer suporte, incluindo o virtual, em regime de ACESSO LIVRE </li></ul><ul><li>Produzimos jornais, revistas e outros documentos, recorrendo à edição digital e à divulgação impressa e na internet </li></ul>
  6. 6. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>Fizemos o percurso da web 1.0 e estamos na web 2.0 </li></ul><ul><li>Formámo-nos e fizemos formação com e para as equipas, os professores e, essencialmente, os alunos </li></ul><ul><li>Trabalhamos com os professores em actividade curricular e extracurricular </li></ul><ul><li>Abrimo-nos à comunidade envolvente e ao exterior em geral </li></ul><ul><li>Estabelecemos parcerias com a BM, criámos Redes Concelhias </li></ul><ul><li>Instituímos o Professor Bibliotecário </li></ul><ul><li>Levámos o PNL às escolas e contribuímos para a sua implantação </li></ul><ul><li>Contribuímos decisivamente para a mudança da escola e das suas práticas </li></ul>
  7. 7. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | Competências baseadas fundamentalmente nos conteúdos e no ensino presencial. Desenvolvimento de competências principalmente no período de formação inicial do professor. O professor é a base do ensino. O professor trabalha sozinho   Competências baseadas em conteúdos e processos de aprendizagem que incluem as TIC. A formação faz-se ao longo da vida. A comunidade contribui com conhecimento, apoio e experiência. O professor trabalha em equipa e com técnicos de educação e outros especialistas. Contribuímos para a mudança do paradigma educacional:
  8. 8. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | Aluno receptor passivo. Aluno consumidor de informação. Aluno isolado. Estilos de aprendizagem standardizados. Aluno parceiro activo na aprendizagem. Aluno produtor de conhecimento e media. Aluno colaborante. Diversos estilos de aprendizagem.
  9. 9. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | A biblioteca é uma escola. O bibliotecário é um professor. O aluno faz da biblioteca a sua oficina. A biblioteca era um armazém de livros e periódicos. O bibliotecário era o seu zelador. O aluno olhava para o seu conteúdo com curiosidade e receio.
  10. 10. <ul><li>Desenvolvimento do digital, </li></ul><ul><li>Desenvolvimento das redes físicas e virtuais </li></ul><ul><li>Expansão das redes </li></ul><ul><li>Interactividade em tempo real </li></ul><ul><li>Formação de comunidades virtuais. </li></ul>WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | Contribuímos para uma escola melhor, mas o mundo não parou, a evolução das tecnologias e das atitudes face a ela provocaram enormes mudanças, novas formas de interagir e comunicar surgiram.
  11. 11. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>A Internet constitui-se como um dispositivo permanente de redistribuição da informação disponível a partir de qualquer lugar . </li></ul><ul><li>A educação não formal passou a desempenhar um papel relevante na formação dos cidadãos . </li></ul><ul><li>O modelo de aprendizagem tem-se difundido para além do mundo dos educadores </li></ul><ul><li>A diversidade dos modos de acesso ao saber constitui uma das grandes vantagens da sociedade em rede. </li></ul><ul><li>Esta diversidade está ligada ao fim de alguns monopólios, característicos da sociedade anterior: o da instituição escolar, o do livro, e o da biblioteca como centro privilegiado de acesso à informação e ao conhecimento. </li></ul>
  12. 12. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>Os comportamentos face à informação e à aprendizagem mudaram. Os indivíduos desenvolveram novos métodos e hábitos, induzidos pela disseminação da informação e pela facilidade com que se acede e se navega nas “suas águas”, particularmente os jovens: </li></ul><ul><li>São mais competentes com a tecnologia </li></ul><ul><li>Têm expectativas muito elevadas nas TIC </li></ul><ul><li>Preferem sistemas interactivos e estão mais longe do consumo de meios de comunicação passiva (televisão e rádio) </li></ul><ul><li>Preferem decisivamente formas digitais de comunicação: texting em vez de falarem </li></ul><ul><li>Privilegiam a multitarefa em todas as áreas das suas vidas </li></ul><ul><li>Preferem as informações visuais às textuais </li></ul>
  13. 13. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>Apresentam tolerância zero para a perda de tempo no acesso à informação, procurando respostas rápidas </li></ul><ul><li>São a geração do “copia-cola” </li></ul>
  14. 14. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>Valorizam mais os seus pares como fonte de informação do que as fontes idóneas </li></ul><ul><li>Precisam de se sentir constantemente ligados à web </li></ul><ul><li>Desenvolvem competências por tentativa e erro, preferem aprender fazendo, em vez do estudo aplicado </li></ul><ul><li>Preferem a informação rápida, sob a forma de pequenos pacotes, facilmente assimilável, em vez do texto completo </li></ul><ul><li>São especialistas na pesquisa </li></ul><ul><li>Não respeitam a propriedade intelectual </li></ul>Estudo da British Library/JISC sobre o comportamento dos jovens relativamente à informação, veio, no entanto, relativizar algumas destas afirmações.
  15. 15. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES |
  16. 16. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | WEB 2.0 ?
  17. 17. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>Pesquisas no Google sobre a WEB 2.0 </li></ul><ul><li>2007 </li></ul><ul><ul><li>WEB 2.0 - 676.000.000 </li></ul></ul><ul><ul><li>Library 2.0 – 2.300.000 </li></ul></ul><ul><li>2010 </li></ul><ul><ul><li>WEB 2.0 - 399.000.000 </li></ul></ul><ul><ul><li>Library 2.0 – 94.700.000 </li></ul></ul><ul><li>WEB 2.0 em Portugal: </li></ul><ul><ul><li>WEB 2.0 - 469.000 </li></ul></ul><ul><ul><li>Biblioteca 2.0 - 110.000 </li></ul></ul><ul><ul><li>Library 2.0 – 325 </li></ul></ul>WEB 2.0 ? Pesquisa na BN (2010) WEB 2.0 – 1 registo Biblioteca 2.0 – 4 registos Library 2.0 – 3 registos Pesquisa na PORBASE WEB 2.0 – 5 registos Biblioteca 2.0 – 14 registos Library 2.0 – 17 registos Pesquisa numa BM3 (2010) WEB 2.0 – 0 registos Biblioteca 2.0 – 0 registos
  18. 18. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | WEB 2.0 &quot;Web 2.0 é a mudança para uma Internet como plataforma e a compreensão das regras para obter sucesso nesta nova plataforma. Entre outras, a regra mais importante é desenvolver aplicativos que aproveitem os efeitos de rede para se tornarem cada vez melhores à medida que são usados pelas pessoas, aproveitando a inteligência colectiva “. Tim O’Reilly. 2004 INTERNET COMO PLATAFORMA QUE, USANDO OS EFEITOS DE REDE, APROVEITA E AMPLIA A INETLIGÊNCIA COLECTIVA A palavra a Tim O´Reilly < http://www.youtube.com/watch?v=87LG-MQrEu0 >
  19. 19. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | O mundo digital e as redes globais têm transformado as características essenciais do acesso e utilização da informação. Profundas mudanças estão em curso, desafiando a estrutura tradicional das bibliotecas, e condenando-as à irrelevância social, da forma como hoje se organizam. Tal panorama conclama as Bibliotecas para a necessidade de se actualizarem e acompanharem as evoluções tecnológicas.
  20. 20. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | Veja-se o exemplo da Biblioteca Pública de Aarthus, na Dinamarca, que introduziu no seu espaço profundas inovações tecnológicas no acesso à informação presencial e virtual
  21. 21. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES |
  22. 22. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | http://www.youtube.com/watch?v=Fu7XciJi6xY
  23. 23. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | E AGORA ?
  24. 24. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | E AGORA ? Catorze anos depois, uma nova encruzilhada, novos desafios se colocam à biblioteca escolar. Entre um passado recente que ajudámos a construir de forma inovadora e um futuro que já começou e está em permanente alteração, voltamos a ter que mudar, conforme fizemos então, partindo da realidade da escola actual.
  25. 25. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | A biblioteca escolar, deixou de ser o local, quase único e por excelência, onde os alunos procuravam a informação que lhes fazia falta, mas desempenha um papel importante na articulação entre a aprendizagem formal e não formal, onde se aprende a aprender e se faz a transformação da informação em conhecimento, autonomizando os alunos para a aprendizagem ao longo da vida. A biblioteca tem que ser, cada vez mais, a interface entre o interior e o exterior, o local e o global, o individual e o colectivo, entre a informação e o conhecimento. E AGORA ?
  26. 26. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | A biblioteca escolar vai continuar a ser um espaço híbrido, onde a informação presencial e a virtual se complementam, onde a internet como plataforma para o trabalho colaborativo e para a troca de ideias, informações e conhecimento vai ser um instrumento essencial ao seu serviço. E AGORA ?
  27. 27. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | E AGORA ? <ul><li>VAMOS MODIFICÁ-LA, INOVANDO O ESPAÇO, OS EQUIPAMENTOS E AS METODOLOGIAS </li></ul><ul><li>VAMOS ABRI-LA AO EXTERIOR DE MODO QUE SEJA A BIBLIOTECA E A INFORMAÇÃO A IR AO ENCONTRO DOS UTILIZADORES, PONDO A WEB 2.0 AO SERVIÇO DA BIBLIOTECA, LEMBRANDO, TAMBÉM E AINDA, QUE É O ESPACIO IDEAL PARA O ENCONTRO FACE-A-FACE, OS OLHOS NOS OLHOS, UM ESPAÇO DE HUMANIDADE </li></ul>
  28. 28. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | INOVAR O ESPAÇO E OS EQUIPAMENTOS De modo a transformar a biblioteca num espaço de aprendizagem colaborativa, enfatizando que a compreensão real e os conhecimentos são construídos através da experiência pessoal e da reflexão, valorizando a &quot; co-aprendizagem e co-construção do conhecimento.&quot;
  29. 29. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>INOVAR O ESPAÇO E OS EQUIPAMENTOS </li></ul><ul><li>De modo a promover uma grande variedade de elementos para reforçar a aprendizagem do aluno de modo novo e criativo. Não sendo um laboratório de informática, utiliza intensamente as tecnologias : </li></ul><ul><ul><li>Incorpora a liberdade da comunicação sem fios </li></ul></ul><ul><ul><li>Disponibiliza espaços flexíveis de trabalho, bem equipados </li></ul></ul><ul><ul><li>Promove a interacção e o trabalho colaborativo </li></ul></ul><ul><ul><li>Dispõe de apoio na aprendizagem, quer dos professores quer dos colegas </li></ul></ul><ul><ul><li>Possui mobiliário confortável e um ambiente estético que estimula o bem estar e a criatividade. </li></ul></ul>
  30. 30. http://facstaff.unca.edu/sinclair/spaceplan/clc.html WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | Mobiliário e equipamentos que estimulem o trabalho e o uso colaborativo das tecnologias, das redes sociais e da informação virtual para além da presencial
  31. 31. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES |
  32. 32. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES |
  33. 33. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | Reorganizemos o espaço, criando áreas para o trabalho colaborativo, a reflexão individual, a aprendizagem informal o acesso ao mundo virtual. Escola a intervencionar pela Parque Escolar, em fase de projecto.
  34. 34. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DAS ESCOLAS DO ENSINO SECUNDÁRIO ES Gabriel Pereira - Évora
  35. 35. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | EB 2,3 Marquesa de Alorna - Lisboa
  36. 36. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | ES Pedro Alexandrino - Odivelas
  37. 37. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | ES Mouzinho da Silveira - Portalegre
  38. 38. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | ES de Penafiel - Penafiel
  39. 39. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | ES Gabriel Pereira - Évora
  40. 40. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | ES D. Manuel I - Beja
  41. 41. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | ES José Régio – Vila do Conde
  42. 42. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | ES Rocha Peixoto – Póvoa de Varzim
  43. 43. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | ES de Penafiel - Penafiel
  44. 44. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | VAMOS PÔR A WEB 2.0 AO SERVIÇO DA BIBLIOTECA BIBLIOTECA 2.0 O termo biblioteca 2.0 foi usado pela primeira vez em 2005 por Michael Casey, aplicando os princípios da Web 2.0 à biblioteconomia.
  45. 45. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>Quatro princípios caracterizam a Biblioteca 2.0 segundo Maness (2005): </li></ul><ul><li>Centrada no utilizador. O utilizador participa na criação de conteúdos e serviços disponibilizados na Web pela biblioteca. </li></ul><ul><li>Disponibiliza uma experiência multimédia. Tanto as colecções como os serviços da biblioteca 2.0 contêm componentes vídeo, áudio, realidade virtual. </li></ul><ul><li>Socialmente rica. Interage com os utilizadores quer de forma síncrona quer de forma assíncrona. </li></ul><ul><li>Inovadora ao serviço da comunidade. Procura constantemente a inovação e acompanha as mudanças que ocorrem na comunidade, adaptando os seus serviços para permitir aos utilizadores procurar, encontrar e utilizar a informação. </li></ul>
  46. 46. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | A biblioteca 2.0 passou a ser uma extensão natural da missão da biblioteca num mundo em rede. As bibliotecas devem incentivar a criatividade e a descoberta e inspirar os utilizadores, oferecer serviços e recursos que os alunos não têm na escola nem nos laboratórios de informática.
  47. 47. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>Manifesto do Bibliotecário 2.0 (Laura Cohen) </li></ul><ul><li>Reconhecer as mudanças no mundo da informação e responder positivamente às mudanças, em benefício do serviço e dos seus utilizadores </li></ul><ul><li>Conhecer os utilizadores e coordenar os serviços em prol destes </li></ul><ul><li>Trabalhar activamente em prol da mudança </li></ul><ul><li>Não esperar por algo perfeito antes de o partilhar </li></ul><ul><li>Trabalhar com os utilizadores na informação </li></ul>
  48. 48. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | As ferramentas da WEB 2.0 devem ser usadas com rigor e no estrito objectivo de facilitar a missão da Biblioteca Escolar, isto é, contribuir para o desenvolvimento dos conhecimentos, competências e valores dos alunos. Devem ter uma utilização colaborativa, como é próprio da web 2.0, envolvendo os professores, os alunos e outros elementos, dentro e fora da escola. Só excepcionalmente deverão ser da responsabilidade única do Professor Bibliotecário. Sempre que possível, e idealmente, deverão resultar da colaboração em rede com outras bibliotecas escolares e municipais.
  49. 49. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>As ferramentas devem procurar: </li></ul><ul><li>Ser informativas (blogue) </li></ul><ul><li>Ser formativas (moodle, edu2.0) </li></ul><ul><li>Comunicar directamente com os utilizadores (twiter, blogue) </li></ul><ul><li>Obter informação actualizada e permitir o acesso à informação da biblioteca pelos utilizadores (FEEds RSS) </li></ul><ul><li>Integrar os média social e a criação de redes sociais, permitindo: </li></ul><ul><ul><li>Interacção social </li></ul></ul><ul><ul><li>Colaboração </li></ul></ul><ul><ul><li>Partilha de informação </li></ul></ul><ul><ul><li>Comunidades virtuais </li></ul></ul><ul><ul><li>(facebook, myspace, orkut, youtube, slideshare, flickr) </li></ul></ul>
  50. 50. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | <ul><li>Promover a interactividade (blogue, twitter) </li></ul><ul><li>Partilhar novidades (twitter) </li></ul><ul><li>Permitir a construção de serviços de referência (twitter, wikis) </li></ul><ul><li>Construir repositórios ( flickr, Picasa, slideshare, youtube) </li></ul><ul><li>Disponibilizar serviço de bookmarking (delicious, diigo) </li></ul><ul><li>Possibilitar a catalogação social - disponibilizar e partilhar catálogos, facilitar o social bookmarking - (Librarything) </li></ul><ul><li>Criar redes colaborativas (wikis) </li></ul>Temos que ser capazes de mudar e de inovar
  51. 51. WEB 2.0 | BIBLIOTECAS ESCOLARES | OBRIGADO Fernando do Carmo Os analfabetos do século 21 não serão aqueles que não conseguem ler e escrever, mas sim aqueles que não conseguem aprender, desaprender e reaprender. Alvin Toffler
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×