Teorias da Opinião Pública: Bourdieu

8,057 views

Published on

Aula de Teorias da Opninião Pública.

- A Opinião Pública Não Existe (BOURDIEU)

Published in: Education
0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
8,057
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
184
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Teorias da Opinião Pública: Bourdieu

  1. 1. A crítica de Bourdieu
  2. 2. <ul><ul><li>Opinião e Verdade </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Maiêutica, Doxa, Metafísica e Hermenêutica </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Iluminismo e Opinião Pública Moderna </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>J. Locke – Lei da Opinião </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>J. J. Rousseau – A Opinião Pública </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>W. Lippmann e a Teoria Clássica da Opinião Pública </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Massas e Públicos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Abordagens </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Estereótipos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Interesse e a Criação do Interesse Comum </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Construção da Imagem </li></ul></ul></ul></ul>
  3. 3. <ul><ul><li>Teorias Críticas </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Marxismo e a opinião pública </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>A Escola de Frankfurt e a opinião como alienação </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>J. Habermas e a Esfera Pública </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>P. Bourdieu e a negação da Opinião Pública </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Relações Públicas e Opinião Pública </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Espiral do Silêncio (E. N. Neumann) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>A Hipótese da Agenda Setting </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Manipulação da Opinião Pública – o caso Nazista </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Relações Públicas, Opinião Pública e a Sociedade em Rede </li></ul></ul></ul></ul>
  4. 4. <ul><li>Campo: </li></ul><ul><ul><li>espaço (social) estruturado e estruturante; </li></ul></ul><ul><ul><li>posições independem de quem são os agentes; </li></ul></ul><ul><ul><li>funcionam com relativa independência de outros campos; </li></ul></ul><ul><ul><li>são definidos de acordo com objetos de disputa específicos. (BOURDIEU, 1983, p. 89-94.) </li></ul></ul>
  5. 5. <ul><li>Habitus : </li></ul><ul><ul><li>conjunto de “esquemas de mundo” adquirido na socialização dos indivíduos; </li></ul></ul><ul><ul><li>o indivíduo gera estratégias e tem ações que podem servir a seus interesses mesmo sem estar consciente disso; </li></ul></ul><ul><ul><li>cada indivíduo absorve um habitus de acordo com suas experiências anteriores, de tal forma que ele não é uniforme para todos. </li></ul></ul>
  6. 8. <ul><li>Algumas das críticas comuns às pesquisas de opinião: </li></ul><ul><ul><li>representatividade de amostras; </li></ul></ul><ul><ul><li>questões enviesadas; </li></ul></ul><ul><ul><li>indução de respostas. </li></ul></ul>
  7. 9. <ul><li>Os 3 postulados implícitos: </li></ul><ul><ul><li>a produção de uma opinião está ao alcance de todos; </li></ul></ul><ul><ul><li>todas as opiniões têm [o mesmo] valor; </li></ul></ul><ul><ul><li>há consenso sobre as questões que merecem atenção. </li></ul></ul>
  8. 10. <ul><li>Ignorar as não-respostas </li></ul><ul><ul><li>Vamos supor que a pergunta seja: “Você é à favor ou contra o atual modelo da Lei Rouanet?” </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>As respostas possíveis são: à favor, contra, não sei e não conheço o assunto. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Vamos supor um resultado de: 35% à favor, 25% contra, 15% não sei e 25% não conheço o assunto. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ou você admite que há um resíduo de 40%; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ou você recalcula as porcentagens eliminando as não-respostas (dessa maneira colocando quem não têm opinião formada junto com quem não conhece o assunto). </li></ul></ul></ul></ul>
  9. 11. <ul><li>Na mesma questão anterior: “Você é à favor ou contra o atual modelo da Lei Rouanet?” </li></ul><ul><ul><li>Em uma pesquisa como essa, a opinião dada por um cidadão comum (médico, lixeiro etc.) tem o mesmo “peso” que a opinião do cineasta Fernando Meirelles; </li></ul></ul><ul><ul><li>Essas duas opiniões vão ter o mesmo peso que a do Vice-presidente de Comunicaçnao do Grupo ITAUSA. </li></ul></ul>
  10. 12. <ul><li>Todos concordam sobre as questões, sobre os assuntos que merecem a atenção pública. </li></ul><ul><ul><li>Assim como em nosso exemplo da Lei Rouanet, muitas pessoas sequer concordariam que isso seja um assunto de “opinião pública” </li></ul></ul><ul><ul><li>Um médico, mesmo que saiba sobre o que se trata, provavelmente não crê que este seja um assunto que mereça tanta atenção, é provável que ele acredite que a última modificação exigida pela ANS nos planos particulares de saúde seja o assunto que mereça (ou que mereça mais) estar em “discussão pública” </li></ul></ul>
  11. 13. <ul><li>“ A ‘opinião pública’ (...) sob a forma de porcentagens é um artefato (...) para dissimular que o estado de opinião em um dado momento do tempo é um sistema de forças...” (Bourdieu) </li></ul>
  12. 14. <ul><li>“ (...) a opinião pública na acepção que é implicitamente admitida pelos que fazem pesquisas de opinião ou utilizam seus resultados, esta opinião não existe” (Bourdieu) </li></ul>
  13. 15. <ul><li>Obrigatória: </li></ul><ul><ul><li>BOURDIEU, P. Questões de Sociologia . Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983. (pág. 173-182) </li></ul></ul><ul><li>Complementar: </li></ul><ul><ul><li>BOURDIEU, P. A economia das trocas simbólicas . 6. ed. São Paulo: Perspectiva, 2007a. </li></ul></ul><ul><ul><li>BOURDIEU, P. Razões Práticas: sobre a teoria da ação. 8. ed. Campinas: Papirus, 2007b. </li></ul></ul>
  14. 16. <ul><li>Aproveitando que estamos em ano eleitoral, façam uma breve análise (1-2 laudas), baseada em Bourdieu, sobre uma das pesquisas de opinião para a “corrida presidencial” </li></ul><ul><ul><li>Entregar na próxima aula! </li></ul></ul>

×