Apresentação projeto encontro de saberes para sedf

  • 266 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
266
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
8
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. PROJETO ENCONTRO DE SABERES: A INTEGRAÇÃO DOS OFÍCIOS E DAS ARTES TRADICIONAIS NO UNIVERSO ACADÊMICO APRESENTAÇÃO O projeto Encontro de Saberes é uma iniciativa inovadora na promoção de diálogos sistemáticos entre os saberes acadêmicos e os saberes indígenas, afro- brasileiros, populares e de outras comunidades tradicionais. O objetivo central do projeto é incluir no ensino superior como docentes os mestres e mestras representantes da rica diversidade de saberes e práticas tradicionais em todas as áreas do conhecimento (arte, tecnologia, saúde, psicologia, cuidado com o meio ambiente, cosmologia, espiritualidade) e assim reconhecer plenamente o valor desses saberes e o protagonismo de seus mestres como sujeitos da arte e do pensamento humanos. A proposta do Encontro de Saberes envolve, portanto, o registro, a transmissão e a reprodução de sistemas e métodos de ensino tradicionais no diálogo com as estruturas convencionais do meio acadêmico, possibilitando aprendizados mútuos, a partir da realização de cursos regulares nas universidades e de outras ações interculturais. Trata-se de abrir um espaço de ensino e pesquisa em que possam transitar livremente todas as artes e todos os saberes válidos produzidos na sociedade brasileira baseado em uma perspectiva pedagógica que integra o pensar com o sentir e o fazer, para além do foco exclusivo no mero produto final (na maioria das vezes, apenas intelectualizado) de um conteúdo acadêmico já normatizado e legitimado. Esse projeto-piloto é o resultado de uma parceria entre a Universidade de Brasília (UnB), por meio do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) de Inclusão no Ensino Superior e na Pesquisa, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), com o Ministério da Cultura (MinC).
  • 2. O projeto Encontro de Saberes já convidou para esse diálogo mestres de artes e ofícios populares representativos das regiões e saberes tradicionais do país: o mestre de teatro popular de Cavalo Marinho de Pernambuco, Biu Alexandre; o mestre do Congado do Vale do Paraíba, Zé Jerome; a mestra raizeira quilombola do estado de Goiás, Lucely Pio, ligada à Articulação Pacari de Plantas Medicinais do Cerrado; o mestre ManiwaKamayurá, representante dos povos indígenas do Alto Xingu, especialista em construção da residência tradicional kamayurá; o mestre BenkiAshaninka; representante do povo ashaninka do Acre, que desenvolve um trabalho de conhecimento da floresta comprometido com a proteção ambiental; o mestre Antônio Bispo dos Santos, poeta, escritor, intelectual e liderança quilombola; mestre Badia Medeiros, cantor, compositor, violeiro, dançarino e guia de festejos populares; os mestres indígenas Casimiro e Álvaro Tukano, que ensinaram sobre os saberes indígenas, política, xamanismo e mitologia tukano; e os mestres Arturos, que desenvolvem um trabalho ancorado em tradições culturais das festas e rituais sagrados do Reinado de Nossa Senhora do Rosário em sua comunidade. A eles se agregam professores parceiros da Universidade de Brasília das áreas de Artes Cênicas, Música, Arquitetura, Saúde e Educação Ambiental e Ciências Sociais. Assim, com a exposição do projeto e a interação com os docentes acadêmicos, interesses em comum, epistemes convergentes e prováveis desafios vêm sendo inicialmente situados. A primeira etapa do projeto foi a realização de um Seminário Temático Preparatório na Universidade de Brasília, para reunir a contribuição das experiências nacionais e internacionais em curso na área de inclusão de protagonistas de conhecimentos tradicionais no ensino superior e para apresentar a proposta do projeto em um clima de diálogo entre mestres acadêmicos e mestres tradicionais. O seminário contou também com a participação enriquecedora de um grande número de mestres tradicionais, além dos participantes do projeto-piloto. Foram ainda realizadas oficinas preparatórias com cinco mestres do projeto com o objetivo de que os métodos de ensino tradicional pudessem ser introduzidos e adaptados ao contexto universitário. O projeto teve ainda duas etapas adicionais. Os mestres convidados passaram uma semana realizando atividades de residência na Universidade de Brasília, com
  • 3. acesso aos espaços acadêmicos e a aulas, acompanhados de membros da comunidade onde vivem e atuam. Neste período, tiveram a oportunidade de se adaptar e de, em conjunto com os professores parceiros, identificar interesses comuns e possíveis resistências geradas em cada grupo e propor adaptações (específicas para cada saber tradicional) dos espaços e das convenções temporais do ensino acadêmico. A partir daí, começaram a preparar, junto com os professores parceiros, a metodologia e os recursos didáticos necessários para que pudessem, na etapa final, ministrar a disciplina Artes e Ofícios dos Saberes Tradicionais. Em 2011 foi efetivado um Termo de Cooperação entre o Ministério da Culturaatravésda Secretaria de Politicas Culturais e a Universidade de Brasília visando o desenvolvimentode ações para a formação de professores do ensino fundamental e médio das escolas públicas. Neste termo de parceria a experiência do Encontro de Saberes se direciona àinclusão do ofícios tradicionais no currículo escolar. A disciplina já foi ofertada por três anos consecutivos a estudantes universitários de todos os cursos da Universidade de Brasília (UnB) e caminha para sua quarta edição em 2013. Está estruturada em seis módulos sucessivos, com uma carga semanal de 6 horas (por turno), ao longo de 13 semanas. Serão oferecidas duas turmas este ano: uma pela manhã (de 10:00h às 12:00h) e outra à tarde (de 16:00h às 18:00h). A matéria faz parte da grade horária regular do curso de graduação do departamento de antropologia da UnB, contabilizando créditos na categoria de módulo livre. Durante todo o processo, os mestres estão em constante diálogo com os professores parceiros e com a coordenação do projeto. Nossa expectativa é expandir a proposta, de maneira que seja viabilizadaaformação de professores de nível fundamental e médio da rede pública durante a oferta dadisciplina na grade curricular na UnBno segundo período letivo de 2013. Desta forma conseguiremos potencializar a proposta inicial e integrar as ações deforma a otimizar a equipe do projeto que se amplia para conseguir atender a todas asnecessidades para a efetivação das ações propostas.
  • 4. São oferecidos aos alunos não apenas um conteúdo disciplinar específico, mas também uma prática imbuída de sentidos e ensinamentos que agrega valor e visibilidade ao saber tradicional. Nesse processo é priorizada a reconstrução no diálogo entre os saberes do conceito de aprendiz, igualmente perdido ou mesmo descartado no ensino universitário vigente. A realização desta disciplina proporciona, acreditamos, mais um passo na superação deste conceito meramente industrial de produtividade que possibilitou aumentar o fosso entre os saberes populares tradicionais e os saberes eurocêntricos atualmente hegemônicos nas nossas universidades. Justamente por ser concebido como uma pedagogia do encontro o projeto propicia aos professores da UnB que mantenham afinidade e interesse pelas áreas de saberes do curso, uma oportunidade rara de estabelecer contato próximo e intenso com os mestres tradicionais. Eles podem, assim, compreender como foram construídas trajetórias artísticas e saberes que prescindiram inteiramente da formação curricular letrada. Por outro lado, os mestres tradicionais também aprendem com seus parceiros letrados outras dimensões de conhecimentos e saberes aos quais não tiveram acesso. O Encontro de Saberes é assim um espaço epistêmico e experiencial de diálogos e trocas dentro do qual, acreditamos, todos haverão de sair positivamente transformados. Esperamos que esta experiência inovadora seja capaz de inspirar iniciativas semelhantes em várias outras universidades brasileiras e não apenas por meio de projetos de extensão (dos quais já contamos com alguns precedentes), mas de um modo consistente, como no caso presente da UnB, que colocará os mestres dos saberes tradicionais na condição de professores da grade regular da graduação. Mais ainda, contamos com que este Encontro de Saberes possa idealmente evoluir para um modelo de abertura de várias Cátedras Livres de Ofícios e Artes Tradicionais que venham a ser oferecidas em universidades públicas e privadas brasileiras, bem como em escolas de ensino médio e fundamental. Para maiores informações visite o site: http://www.inctinclusao.com.br