Colaboração_rede_puc_rs

554 views
443 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
554
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Colaboração_rede_puc_rs

  1. 1. Ferramentas de GC -Colaboração em Rede- Outubro/2010 Bayardo Morales
  2. 2. Colaboração <ul><li>Pessoas </li></ul><ul><li>Objetivo próprio </li></ul><ul><li>Contribuição Individual </li></ul><ul><li>Autonomia/Relacionamentos Informais </li></ul><ul><li>Paridade de habilidades </li></ul><ul><li>Resolução Conjunta de um problema </li></ul>Cooperação <ul><li>Pessoas </li></ul><ul><li>Objetivo comum </li></ul><ul><li>Contribuição do grupo </li></ul><ul><li>Produto/Tarefa </li></ul><ul><li>Interdependência </li></ul><ul><li>Hierarquia/Distribuição de tarefas </li></ul><ul><li>Habilidades Complementares </li></ul>
  3. 3. Gestão do Conhecimento é o processo sistemático, integrado e transdisciplinar que promove atividades para criação, identificação, organização, compartilhamento, utilização e proteção de conhecimentos estratégicos, gerando valor para as partes interessadas. Conceito-Ensaio de Gestão do Conhecimento
  4. 4. *Processos *Práticas *Ferramentas GC INOVAÇÃO APRENDIZAGEM ORGANIZACIONA APOIO À DECISÃO RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS
  5. 5. TÉCNICAS PRÁTICAS PROCESSOS MÉTODOS Ferramentas – Modelo de suporte
  6. 6. Mapeamento Conceitual da GC FONTE: Adaptado de SOUZA & ALVARENGA NETO (2003).
  7. 7. Mapeamento Conceitual Integrativa da GC FONTE: Rivadávia de Alvarenga Neto (2008 ).
  8. 8. Grupamento de Ferramentas Ferramentas Administrativas de Gestão - Focadas nos objetivos/resultados Ferramentas de Gestão do Conhecimento - Focadas na colaboração/aprendizagem/compartilhamento Web 2.0
  9. 9. Evolução das Mídias Sociais Tradição Oral Escrita Imprensa Correios, Telefone, Rádio, TV Internet (Web 1.0 2.0 3.0) TECNOLOGIAS TEMPO
  10. 10. WEB 2.0 Novo padrão de interação Colaboração (compartilhamento) Horizontalidade da comunicação Interação muitos-muitos
  11. 11. WEB x WEB 2.0 Fonte: Adpatado de Cozic (2007)
  12. 12. Da Web 1.0 à Web 2.0
  13. 13. Evolução da Web
  14. 14. Fonte: European Commission (2009) baseado em Spivack (2007) Desenvolvimento da Web
  15. 15. Fonte: César Coll, Carles Monereo et al Comparação entre a Web 1.0, 2.0 e 3.0
  16. 16. Tipologia de Ferramentas de GC por Rodrigo Baroni de Carvalho (2003)
  17. 17. Tipologia de Ferramentas de GC aplicada nas Práticas de GC
  18. 18. Tipologia Funcional de Ferramentas de GC <ul><li>Registro e compartilhamento de conhecimento explícito (escrito ou gravado) </li></ul><ul><li>Ex: portais, blogs, wikis, workflow,  podcasts, videocasts; </li></ul><ul><li>Integração de especialistas, para compartilhamento de conhecimento tácito </li></ul><ul><li>Ex: ferramentas de colaboração, como fóruns, salas de reunião virtual,  teleconferências e videoconferências, redes sociais; </li></ul>
  19. 19. Tipologia Funcional de Ferramentas de GC <ul><li>Apoio a processos de outras especialidades que propiciem a gestão do conhecimento </li></ul><ul><li>Ex: ferramentas de gestão da informação, sistemas de gestão de competências, ferramentas de E-Learning. </li></ul><ul><li>Administrativas de Gestão </li></ul><ul><li>Ex: ferramentas de mapeamento de processos e de competências pessoais e organizacionais que permitem identificar e acompanhar os objetivos estratégicos da organização e o desempenho das ações que produzem essas competências. </li></ul>Fonte: Adptação de Carlos Yamada. Disponível em : http://mygc.wordpress.com/2009/05/02/tecnologia-da-informacao-aplicada-a-gestao-do-conhecimento/
  20. 20. Recursos Comuns nas Ferramentas de GC Fonte: Turban, McLean, Wetberbe (2004); O’Brien (2001); Laudon e Laudon (1999)
  21. 21. Tendências de TI para 2010 - Gartner Computação em nuvem ( cloud computing ) Modelo da nuvem computacional, com recursos e serviços distribuídos é uma tendência forte. Sua utilização, diz o  Gartner , não elimina o custo das soluções de TI mas ajuda a reorganizá-los e pode até reduzi-los em alguns casos. Com serviços em nuvem, as empresas fornecem cada vez mais informação, aplicações e processos aos seus clientes e parceiros. Análises Avançadas Regras fixas e políticas pré-definidas deram lugar às decisões a partir de informações corretas na hora correta, seja por meio da gestão do relacionamento com clientes (CRM), do planejamento de recursos empresariais (ERP) ou de outras aplicações. É um novo passo, diz o Gartner, que olha para o futuro e prevê o que vai ou pode ocorrer. Client Computing A virtualização cria novas formas de empacotar aplicações e capacidades de client computing, tornando menos crítica a escolha das plataformas de hardware e sistema operacional. Para o instituto, as empresas devem estabelecer um roadmap estratégico de cinco a oito anos para client computing, definir uma abordagem para os padrões de dispositivos, propriedade e suporte; seleção, implementação e atualização do sistema operacional e da aplicação; e planos de gerenciamento e segurança para administrar a diversidade.
  22. 22. TI Verde A onda ecológico e a preocupação com a redução no consumo de energia deve ficar ainda mais forte, e a TI pode tornar viáveis muitas iniciativas 'verdes', como o uso de documentos eletrônicos e o incentivo ao trabalho via teleconferência, além de ferramentas analíticas que podem ser implementadas para a redução do consumo de energia em transporte ou outras atividades. Remodelagem do Data Center Os custos serão menores se as empresas adotarem uma abordagem pod-based, método de engenharia de estrutura, para a construção e expansão dos data centers. Cortar despesas operacionais libera recursos que podem ser aplicados em outros projetos ou investimentos em TI ou até mesmo no próprio negócio. Computação Social (Social Computing) Empresas devem perceber que o funcionário não quer dois ambientes diferentes - um para os produtos do trabalho e outra para ter acesso a informações &quot;externas&quot;. O foco a ser adotado é o uso de software e mídia social na companhia e a integração com comunidades externas patrocinadas pela empresa e públicas. Segurança e Monitoramento de Atividades O foco da segurança evoluiu do 'muro' que mantém os outros de fora para o monitoramento das atividades e a identificação de padrões que foram esquecidos anteriormente. As ferramentas de monitoramento e análise complementares ajudam a perceber e investigar atividades suspeitas, inclusive com alertas em tempo real ou atuação direta nas transações. Observando os pontos fortes e fracos dessas ferramentas, as empresas entendem como podem usá-las melhor para se defenderem e para atender às exigências de auditoria.
  23. 23. Memória Flash A novidade na memória flash é, segundo o Gartner, que ela está se movendo para um novo nível no plano de storage - e a desvantagem do preço mais alto em relação aos discos giratórios está chegando ao fim. Por isso, essa tecnologia deve obter taxa composta de crescimento anual superior a 100% nos próximos anos, e será estratégica em muitas áreas de TI. Outras vantagens, aponta o Gartner, incluem espaço, aquecimento, performance e robustez. Virtualização para aumentar disponibilidade A virtualização esteve entre as principais tecnologias estratégicas em anos anteriores e continua na lista por novos elementos, como a migração dinâmica, permite obter a maior disponibilidade possível e alterar as configurações rapidamente quando for preciso. Aplicações Móveis Até o final de 2010, estima-se que 1,2 bilhão de pessoas vai levar consigo dispositivos com capacidade de fazer transações comerciais móveis, favorecendo a convergência da mobilidade e da web. Plataformas como Apple e iPhone já têm alguns milhares de aplicações. O mercado limitado e a necessidade de codificação única podem favorecer uma versão que opere de forma flexível tanto em PCs como nos sistemas em miniatura, diz o Gartner.
  24. 24. Ranking de Redes & Colaboração 06 October 2010
  25. 30. Fonte: http://www.c4lpt.co.uk/recommended/top100-2010.html
  26. 31. Ferramentas Web 2.0 Genéricas de GC BLOG MICROBLOG REDES SOCIAIS WIKIS RSS (agregadores) FOLKSONOMIA/TAG AUDIO/VIDEOCAST BUSCADORES STORYTELLING (Narrativas)
  27. 32. Ferramentas Web 2.0 Genéricas de GC APRESENTADORES DE SLIDES AVA/E-LEARNING CoP REPOSITÓRIO/TAXONOMIA MODELADOR DE PROCESSOS GERENCIADOR DE PROJETOS/TAREFAS MAPAS CONCEITUAIS MAPAS MENTAIS TELE/VÍDEO CONFERÊNCIA MEMÓRIA ORGANIZACIONAL
  28. 33. Comunidades de Prática CoPs
  29. 34. Integração de novos modelos organizacionais <ul><li>Grupos inter-funcionais </li></ul><ul><li>Grupos inter-setoriais </li></ul><ul><li>Equipes de trabalho </li></ul><ul><li>Comunidades de Prática </li></ul>Projetos, tarefas, resultados. Trabalho, aprendizagem, mudança, inovação. Estruturas formais, hierárquicas de aquisição e difusão de informações, idéias, conhecimentos. Estruturas complementares às anteriores, não hierárquicas que, consolidam o compartilhamento de conhecimentos, e propiciam a aprendizagem e a inovação . Comunidades de Prática
  30. 35. <ul><li>Comunidades de Prática - CoP </li></ul><ul><li>Presenciais </li></ul><ul><li>Virtuais - CVPs </li></ul>
  31. 36. É um grupo de pessoas (membros) que compartilham o mesmo interesse e conhecimento e/ou estão inseridas no mesmo contexto, de forma a permitir e/ou auxiliar a resolução de problemas e/ou encontrar novas soluções. CVP Fonte: adaptado de Koch, M; Lacher, M. Integrating Community Services…
  32. 37. Componentes das CVPs Fonte: adaptado de Wenger (2001) O Domínio Contexto específico de uma área do conhecimento. A Comunidade Pessoas (membros) engajadas em processos e atividades afins. A Prática Conjunto de métodos, técnicas, ferramentas, vocabulário, histórias, repositórios compartilhados.
  33. 38. Tipos de Arquitetura Organizacional
  34. 39. Elementos de identificação de uma CoP <ul><li>O espaço </li></ul><ul><li>O tempo </li></ul><ul><li>O corpo </li></ul><ul><li>O conhecimento </li></ul><ul><li>A situação social </li></ul>Fonte: Wenger (2001)
  35. 40. Recursos relacionados às CVPs <ul><li>Integração entre trabalho e conhecimento; </li></ul><ul><li>Trabalho - espaços para projetos; </li></ul><ul><li>Estrutura Social – portal da comunidade; </li></ul><ul><li>Conversação – grupos de discussão; </li></ul><ul><li>Interações por locais de encontro (síncronas); </li></ul><ul><li>Instrução – espaços de aprendizagem virtual; </li></ul><ul><li>Compartilhamento de conhecimento; </li></ul><ul><li>Bases de conhecimento - arquivos; </li></ul><ul><li>Mecanismo de busca; </li></ul><ul><li>Ontologias (taxonomia/tagging); </li></ul><ul><li>Integração de multimídias; </li></ul><ul><li>Alimentador RSS. </li></ul>
  36. 41. Funcionalidades que uma ferramenta de CVP deve ter: <ul><li>Permitir, de forma transparente, que membros da comunidade possam inserir e compartilhar seu conhecimento; </li></ul><ul><li>Permitir, de forma transparente, que membros da comunidade possam recuperar o conhecimento disponibilizado por outros membros; </li></ul><ul><li>Armazenar o conhecimento informal dos membros em uma base de conhecimento estruturada, que permita buscas estruturadas; </li></ul><ul><li>Usar ontologias para delimitar o domínio; </li></ul><ul><li>Usar ontologias para auxiliar os membros tanto na inserção como na busca de conhecimento. </li></ul>
  37. 42. Benefícios das CoPs
  38. 43. Mapas Conceituais
  39. 44. Mapas Conceituais são ferramentas gráficas que permitem construir, organizar e representar os conhecimentos. São estruturados a partir de conceitos fundamentais e suas relações. Os conceitos são destacados em caixas de texto e a relação entre os conceitos é representado por uma linha ou seta, contendo uma palavra ou frase de ligação que formam as proposições sobre o objeto em estudo. Fonte: Novak e Cañas (2006) A metodologia de construção de Mapas Conceituais está baseada na teoria da aprendizagem significativa, na qual, a pessoa constrói significados (relacionamentos) entre um determinado conceito e conhecimento prévios e os conceitos e conhecimentos derivados. Fonte: David Ausubel (1980)
  40. 45. GC – A captura do conhecimento entre especialistas (I)
  41. 46. GC – A captura do conhecimento entre especialistas (II)
  42. 47. Mapa Conceitual de GC
  43. 50. Aplicações dos Mapas Conceituais <ul><li>Na construção, organização e representação do conhecimento; </li></ul><ul><li>No mapeamento dos processos do conhecimento; </li></ul><ul><li>Como metodologia de resolução de casos; </li></ul><ul><li>No raciocínio baseado em casos; </li></ul><ul><li>No suporte dos processos decisórios; </li></ul><ul><li>Na autoria de cursos presenciais e a distância. </li></ul><ul><li>Biblioteca_Virtual_SBGC_RS </li></ul>
  44. 51. Matriz de Aplicação de Ferramentas e Técnicas Fonte: FIA/GATI – Secretaria de Gestão Pública - SP
  45. 52. Wiki http://www.wikispaces.com/site/features
  46. 53. Wiki é uma ferramenta de software que permite a qualquer pessoa criar e alterar páginas de um site na web. Funciona como um gerador de conteúdo, gerenciador de arquivos e como repositório de documentos, vídeos, áudios, nas mais diversas mídias digitais. A característica principal das ferramentas wiki é a facilidade de edição e a possibilidade de criação colaborativa de páginas.
  47. 54. Recursos dos Wikis <ul><li>Formatação de textos </li></ul><ul><li>Inserção de: áudio, vídeos, imagens, documentos </li></ul><ul><li>Add. de widgets </li></ul><ul><li>Inserção de links webs </li></ul><ul><li>Histórico de páginas </li></ul><ul><li>Notificação por e-mail ou RSS </li></ul><ul><li>Estatísticas </li></ul><ul><li>Taggs </li></ul><ul><li>Permissões </li></ul><ul><li>Fóruns </li></ul><ul><li>Integração com Intranets e Redes Sociais </li></ul>

×