revolução agrícola

60,394 views
59,905 views

Published on

revolução agrícola

Published in: Education
2 Comments
9 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
60,394
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,041
Actions
Shares
0
Downloads
456
Comments
2
Likes
9
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

revolução agrícola

  1. 1. A Revolução agrícola e o arranque da revolução industrial Trabalho elaborado por: Mafalda Grilo nº13 8ºB
  2. 2. Localização temporal e espacial <ul><li>Nos séculos XVII e XVIII, na Inglaterra e na Holanda, verificou-se um grande desenvolvimento das técnicas e dos utensílios agrícolas. </li></ul>
  3. 3. Inovações Agrícolas <ul><li>Em Inglaterra, a nobreza rural foi autorizada a alargar as suas propriedades anexando terras comunais ou adquirindo terras a pequenos proprietários falidos. </li></ul><ul><li>Estas terras era exploradas para a agricultura ou criação de gado. </li></ul><ul><li>Esta renovação das propriedades, ficou conhecida como movimento das enclosures. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Para além desta, houve outras inovações na agricultura: </li></ul><ul><li>Novas técnicas agrícolas e novos métodos de cultivo; </li></ul><ul><li>A drenagem dos pântanos e a melhoria dos solos; </li></ul><ul><li>Introdução de novas culturas e a selecção de sementes e de animais reprodutores. </li></ul>
  5. 5. Crescimento Demográfico <ul><li>Factores que influenciaram o crescimento demográfico: </li></ul><ul><li>A melhoria da alimentação; </li></ul><ul><li>Os progressos na higiene e na medicina; </li></ul><ul><li>A diminuição das epidemias e das guerras bem como da mortalidade infantil. </li></ul>
  6. 6. Êxodo Rural <ul><li>O êxodo rural deveu-se ao aumento da população e à mecanização da agricultura que levaram ao excesso de mão-de-obra nos campos. </li></ul>
  7. 7. Crescimento Urbano <ul><li>O crescimento urbano deveu-se ao facto das populações terem abandonado os campos para procurarem emprego nas cidades. </li></ul>
  8. 8. A revolução industrial em Inglaterra
  9. 9. Condições da prioridade Inglesa <ul><li>Abundância de matérias primas fornecidas pelo desenvolvimento da agricultura e da criação de gado e pela riqueza do subsolo; </li></ul><ul><li>Muita mão de obra disponível; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento das manufacturas em grande escala; </li></ul><ul><li>Grande mercado de escoamento dos produtos; </li></ul><ul><li>Boas vias de comunicação; </li></ul><ul><li>Uma burguesia e uma nobreza dinâmicas; </li></ul><ul><li>Existência de capitais para investir. </li></ul>
  10. 10. Sectores de arranque da Revolução industrial <ul><li>Os principais sectores de arranque da revolução industrial foram o têxtil e o da metalurgia. </li></ul>
  11. 11. A mudança no regime da produção <ul><li>A manufactura foi substituída pela maquino factura; </li></ul><ul><li>As oficinas foram substituídas pelas fábricas; </li></ul><ul><li>Os artesãos especializados deram lugar aos operários sem qualificações. </li></ul>
  12. 12. A civilização industrial no século XIX
  13. 13. A expansão da Revolução industrial <ul><li>Por volta de 1870 a Revolução Industrial alastrou-se a outros países da Europa, Estados Unidos e Japão, a partir de Inglaterra. </li></ul>
  14. 14. As novas potências industrializadas <ul><li>Na Europa, depois da Inglaterra e da Bélgica, a Alemanha destacou-se com as industrias metalúrgicas do algodão e dos produtos químicos e a França com a construção da rede de caminhos de ferro e a exploração mineira e metalúrgica; </li></ul>
  15. 15. <ul><li>Os Estados Unidos da América destacaram-se pelas inovações na ciência e nas técnicas; </li></ul><ul><li>No Japão, foram construídos caminhos de ferro, fábricas e desenvolvidos os sectores da construção naval e da industria têxtil e algodoeira. </li></ul>
  16. 16. A revolução dos transportes <ul><li>A revolução dos transportes iniciou-se através da aplicação da máquina a vapor ao barco e à locomotiva. </li></ul>
  17. 17. A importância da revolução dos transportes <ul><li>A máquina a vapor permitiu a construção de grandes paquetes e a formação de companhias de navegação para deslocação de milhões de pessoas desempenhando um importante papel na emigração Europeia. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Nos transportes terrestres destacou-se o comboio que se tornou, o mais importante meio de transporte de pessoas e mercadorias. </li></ul>
  19. 19. Novas máquinas e indústrias <ul><li>Na segunda metade do século XIX foram inventados a turbina, o dínamo e o motor de combustão. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Apareceram indústrias novas como: </li></ul><ul><li>A indústria química; </li></ul><ul><li>A indústria de materiais eléctricos; </li></ul><ul><li>A indústria do aço. </li></ul>
  21. 21. O capitalismo financeiro <ul><li>O capitalismo financeiro é o tipo de economia em que o grande comércio e a grande indústria, estão associados ao poder dos bancos e de sociedades financeiras, como por exemplo, a bolsa. </li></ul>
  22. 22. Uma sociedade em mudança
  23. 23. O crescimento urbano <ul><li>O crescimento urbano verificou-se quando os camponeses abandonaram os campos e foram para as cidades em busca de melhor vida. </li></ul>
  24. 24. O crescimento urbano <ul><li>O rápido crescimento da população nas cidades trouxe problemas económicos e sociais tais como a desenraizamento e insegurança das pessoas que vinham do mundo rural. </li></ul>
  25. 25. Emigração <ul><li>A emigração deveu-se ao facto de não haver emprego para todos. </li></ul><ul><li>Entre 1800 e 1900, mais de 50 milhões de pessoas emigraram para a América do Norte. </li></ul>
  26. 26. A sociedade e mentalidade burguesa <ul><li>No século XIX a sociedade do Antigo Regime foi substituída por uma sociedade de classes. </li></ul><ul><li>Nesta sociedade, a burguesia ocupava um lugar de destaque, uma vez que, liderava a economia, influenciava o poder politico e impunha um certo modelo de vida. </li></ul><ul><li>A burguesia dividia-se em alta, média e baixa. </li></ul>
  27. 27. O operariado industrial <ul><li>O operariado aumentou com o crescimento das cidades e a industrialização. </li></ul><ul><li>O excesso de mão-de-obra nas cidades, fez baixar os salários, aumentar o número de horas de trabalho em fábricas com más condições de higiene favorecendo o aparecimento de doenças graves e a degradação de vida dos operários. </li></ul>
  28. 28. O movimento sindical <ul><li>O movimento sindical nasceu do clima de descontentamento, revolta e agitação social dos operários. </li></ul><ul><li>No início do século XIX, em Inglaterra, foram criadas as associações de operários com a finalidade de chamar a atenção dos governos para as difíceis condições em que viviam os operários. </li></ul>
  29. 29. O movimento sindical <ul><li>A greve passou a ser a principal forma de luta dos operários e em 1864 foi fundada a Associação Internacional dos Trabalhadores. </li></ul>
  30. 30. Os países de difícil Industrialização: o caso Português
  31. 31. O atraso da agricultura <ul><li>No século XIX, a agricultura portuguesa registava um atraso significativo em relação aos restantes países da Europa. </li></ul>
  32. 32. <ul><li>Os principais motivos para este atraso foram: </li></ul><ul><li>População activa distribuída desigualmente pelo país; </li></ul><ul><li>Existência de muitos terrenos incultos, baldios e morgadios explorados de modo tradicional; </li></ul><ul><li>Existência de um mercado interno reduzido; </li></ul><ul><li>Analfabetismo e atraso das técnicas agrícolas e de irrigação; </li></ul><ul><li>Inexistência de uma verdadeira politica de fomento por parte do Estado. </li></ul>
  33. 33. Transportes e comunicações <ul><li>Iniciou-se em Portugal em 1851 o chamado período de Regeneração (ou Fontismo) , que provinha do nome do ministro das obras públicas, Fontes Pereira de Melo. </li></ul><ul><li>Foi nesse período que Portugal se modernizou e progrediu. </li></ul>
  34. 34. As principais medidas tomadas por Fontes Pereira de Melo foram: <ul><li>-O início da construção da rede de caminhos de ferro; </li></ul><ul><li>- A abertura de novas estradas e a construção de pontes; </li></ul><ul><li>- A instalação da primeira linha de telégrafo; </li></ul><ul><li>- A instalação dos primeiros telefones; </li></ul><ul><li>- O alargamento dos serviços postais; </li></ul><ul><li>- O arranque das primeiras carreiras de barcos a vapor. </li></ul>
  35. 35. <ul><li>Este desenvolvimento alastrou-se também às Colónias Portuguesas. </li></ul><ul><li>Realizaram-se obras como estradas, escolas e a criação de companhias coloniais. </li></ul>
  36. 36. A tímida industrialização Portuguesa <ul><li>As principais causas para o fraco desenvolvimento industrial em Portugal foram: </li></ul><ul><li>A lentidão na aplicação das inovações agrícolas; </li></ul><ul><li>A atracção que o comércio exercia sobre os investidores; </li></ul><ul><li>A emigração de gente jovem para o Brasil; </li></ul><ul><li>Elevada taxa de analfabetismo e poucos conhecimentos técnicos e científicos; </li></ul><ul><li>Difícil concorrência dos países do Norte e Centro da Europa. </li></ul>
  37. 37. <ul><li>Assistiu-se a um certo desenvolvimento da industria Portuguesa em meados do século XIX. </li></ul><ul><li>O principal sector era o têxtil. </li></ul><ul><li>No fim do século XIX desenvolveram-se outros sectores: tabaco, moagem, cerâmica, vidro… </li></ul>
  38. 38. A dependência face ao estrangeiro <ul><li>Portugal contraiu muitos empréstimos no estrangeiro, aumentando a divida pública e levando o governo a conceder grandes empreendimentos a estrangeiros. </li></ul><ul><li>A agricultura continuava pouco produtiva. </li></ul>
  39. 39. <ul><li>A dependência económica de Portugal sobretudo em relação à Inglaterra, aumentou com a revolução dos transportes e a industrialização, porque tínhamos de importar os principais materiais para esses sectores. </li></ul>
  40. 40. Fim

×