2011

902 views
580 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
902
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

2011

  1. 1. 2011 [DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVES (DST)] Escola Secundária Ermesinde Página 1
  2. 2. Doenças sexualmente transmissíveis(DST) ou Infecção sexualmente transmissíveis(IST) é conhecida como em categoria de patologias DOENÇAS VENÉREAS. São doenças que se transmitem essencialmente pelas relações sexuais. O uso de preservativo é considerado a medida mais eficaz, prevenir a doenças e de ficar grávida. A vários tipos de agentes infecciosos: vírus, fungos, bactérias, entre outros… estão envolvidos na contaminação DST, gerando manifestações, como feridas, bolhas … Escola Secundária Ermesinde Página 2
  3. 3. Sífilis é uma doença infecciosa provocada por uma Treponema pallidum que vai piorando lentamente em três fases caracterizada por lesões da pele e mucosas. Pode ser transmitida por contacto sexual, considerando como uma DST. Progressão e Sintomas: O sintomas de sífilis são vários, depende da pessoa e em que estado que se encontra; Nos Estados Unidos são 36.000 casos de sífilis por ano e número actual é mais alto. Seis em dez casos a maioria são homens; Sífilis pode causar sérios danos no sistema nervoso e ao coração. Sem tratamento pode ser fatal; Escola Secundária Ermesinde Página 3
  4. 4. O cancro mole, úlcera mole venérea ou cancroide é uma doença sexualmente transmissível, causada por uma bactéria Haemophilus ducreyi. O cancro mole não é uma neoplasia, não é um cancro, mas sim uma doença infecciosa. É transmitida pela relação sexual (vaginal, anal, ou oral), desprotegido com uma pessoa contaminada. Aumenta a probabilidade de transmissão do HIV. Progressão e Sintomas: Após da relação sexual que transmite a doença, demora entre um dia e duas semanas até aparecer o cancro mole, normalmente na glande do pénis, escroto ou lados do pénis no homem, ou nos lábios maiores ou menores da vulva na mulher. No homem costumam ser apenas 1 ou 2 dias, mas nas mulheres podem ser até quarto dias, mas com menos sintomas; É uma úlcera dolorosa com acerca de 3-50 milímetros, sangra facilmente, onde ocorre na região genital. Os bordos são irregulares mas bem definidos contra a pele normal. A base monstra um material amarelado-esverdeado purulento. Escola Secundária Ermesinde Página 4
  5. 5. Os gânglios linfáticos regionais (inguinais) ficam inchados e facilmente palpáveis. Nos estágios avançados não tratados podem irromper na pele drenado pus. O cancro mole é distinguido do cancro duro e da sífilis pela sua fraca consistência Escola Secundária Ermesinde Página 5
  6. 6. A Tricomoníase é uma doença sexualmente transmissiveis, causada pelo parasita unicelular Trichomonas vaginalis. O T. vaginalis é um protozoário oval ou piriforme, e que possui movimento contínuo caractristico. Sintomas: Nas mulheres a doença começa com uma secreção espumosa de cor verde-amarelada e odor desagradável, que provem na vagina; A vulva pode ser irritada e dolorida e é possível que o coito também cause dor, devido á vaginite; Outros sintomas são a dor ao urinar ou aumento na frequência das micções, que se assemelham aos de uma infecção do trato urinário baixo. Nos homens com a doença não manifestam sintomas, mas podem infectar as suas parceiras sexuais; A ureta pode sofrer uma pequena ligeira irritação e por vezes aparece humidade no orifício do pénis; São ocorrência comum em ambos sexos; Escola Secundária Ermesinde Página 6
  7. 7. A clamídia é uma DST causada pela bactéria Chamydia trachomatis. Afecta os órgãos genitais masculinos ou femininos. Pode produzir esporos, o que se torna sua disseminação mais fácil. Existem três tipos de Clamídia. E todas elas causam para os seres humanos. Clamídia Trachomatis provoca cegueira e DSTs. Clamídia Pneumoniae provoca doenças respiratórias como a pneumonia causada pelo MICROPLASMAS. Clamídia Psitaci causa ornitose (doenças respiratória nos pulmões) e transmitida pelas aves. Sintomas: Clamídia é uma doença silenciosa ¾ das mulheres e metade dos homens infectados não apresentam nenhuns sintomas. Eles só manifestam entre 1-3 semanas depois contaminação; Mulheres apresentam sintomas que podem ter secreções vaginais e sensação de queimação ao urinar. A infecção se espalha no cérvix aos tubos de Falópio algumas das mulheres podem não apresentar sintomas, outras têm dores no abdómen inferior e parte debaixo das costas, náusea, febre, dor durante a relação sexual e sangramento entre os ciclos menstruais. A infecção pode espalhar até ao repto; Escola Secundária Ermesinde Página 7
  8. 8. Homens apresentam sintomas que podem ter secreções no pénis e sensação de queimação ao urinar. Podem ter também coceira ao redor da abertura do pénis;Dor inchado nos testículos são incomuns; Escola Secundária Ermesinde Página 8
  9. 9. A SIDA é provocada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH), que penetra no organismo por contacto com uma pessoa infectada. A transmissão pode acontecer de três formas: relações sexuais; contacto com sangue infectado; de mãe para filho, durante a gravidez ou o parto e pela amamentação. VIH é um vírus bastante poderoso que, ao entrar no organismo, dirigese ao sistema sanguíneo, onde começa de imediato a replicar-se, destruindo as células defensoras do organismo e deixando a pessoa infectada (seropositiva), mais debilitada e sensível a outras doenças, as chamadas infecções oportunistas que são provocadas por micróbios e que não afectam as pessoas cujo sistema imunológico funciona convenientemente. Também podem surgir alguns tipos de tumores (cancros). Entre essas doenças, encontram-se a tuberculose; a pneumonia por Pneumocystis carinii; a candidose, que pode causar infecções na garganta e na vagina; o citomegalovirus um vírus que afecta os olhos e os intestinos; a toxoplasmose que pode causar lesões graves no cérebro; a criptosporidiose, uma doença intestinal; o sarcoma de Kaposi, uma forma de cancro que provoca o aparecimento de pequenos tumores na pele em várias zonas do corpo e pode, também, afectar o sistema gastrointestinal e os pulmões. A SIDA provoca ainda perturbações como perda de peso, tumores no cérebro e outros problemas de saúde que, sem tratamento, podem levar à morte. Esta síndrome manifesta-se e evolui de modo diferente de pessoa para pessoa. Escola Secundária Ermesinde Página 9
  10. 10. Sintomas: A fase aguda da infecção com VIH ocorre uma a quatro semanas após o momento do contágio. Algumas pessoas apresentam sintomas semelhantes aos de uma gripe como febre, suores, dor de cabeça, de estômago, nos músculos e nas articulações, fadiga, dificuldades em engolir, gânglios linfáticos inchados e um leve prurido. Calcula-se que pelo menos 50 por cento dos infectados tenham estes sintomas. Algumas pessoas também perdem peso e outras, ocasionalmente, podem perder a mobilidade dos braços e pernas, mas recuperam-na passado pouco tempo. A fase aguda da infecção com VIH dura entre uma a três semanas. Todos recuperam desta fase, em resposta à reacção do sistema imunológico, os sintomas desaparecem e observa-se um decréscimo da carga vírico. Os seropositivos vivem, depois da fase aguda, um período em que não apresentam sintomas, embora o vírus esteja a multiplicar-se no seu organismo o que pode prolongar-se por diversos anos. É neste período que se encontram, actualmente, 70 a 80 por cento dos infectados em todo o mundo. Na fase sintomática da infecção (mas ainda sem critérios de SIDA), o doente começa a ter sintomas e sinais de doença, indicativos da existência de uma depressão do sistema imunológico. O doente pode referir cansaço não habitual, perda de peso, suores nocturnos, falta de apetite, diarreia, queda de cabelo, pele seca edescamaria, entre outros sintomas. A fase seguinte na evolução da doença designa-se por SIDA e caracteriza-se por uma imunodeficiência grave que condiciona o aparecimento de manifestações oportunistas (infecções e tumores). A evolução da infecção descrita acima, designada como “Evolução Natural da Infecção” pode, actualmente, ser modificada pelo tratamento com os fármacos anti-retrovíricos, podendo os seropositivos nunca chegar a uma fase sintomática da doença. Escola Secundária Ermesinde Página 10
  11. 11. A gonorreia ou blenorragia é uma DST (doença sexualmente transmissível) causada pela bactéria Neisseria gonorrheae é uma das DST mais frequentes. A gonorreia é transmitida por via genital (através de uma relação sexual), bucal (sexo oral) e/ou no parto (transmissão da mãe para o filho). Sintomas: No homem: uretrite (inflamação da uretra): aparece geralmente 4 a 20 dias após a contaminação A uretrite se manifesta através de uma urina: > amarelada > abundante > que mancha as roupas > com possível ardência na micção Na mulher: Os sintomas da gonorreia nem sempre são visíveis nas mulheres (assintomática). Se houver sintomas, estes podem ser corrimentos brancos (leucorréias) ou outras inflamações locais como a cistite. Em caso de ausência de tratamento, a gonorreia pode causar esterilidade (ver em complicações). Em jovens meninas, a gonorreia pode desencadear inflamações da vulva e da vagina. Escola Secundária Ermesinde Página 11
  12. 12. A hepatite B, provocada pelo Vírus da Hepatite B (VHB), descoberto em 1965, é a mais perigosa das hepatites e uma das doenças mais frequentes do mundo, estimando-se que existam 350 milhões de portadores crónicos do vírus. Estes portadores podem desenvolver doenças hepáticas graves, como a cirrose e o cancro no fígado, patologias responsáveis pela morte de um milhão de pessoas por ano em todo o planeta; contudo a prevenção contra este vírus está ao nosso alcance através da vacina da hepatite B que tem uma eficácia de 95 por cento. O vírus transmite-se através do contacto com o sangue e fluidos corporais de uma pessoa infectada, da mesma forma que o vírus da imunodeficiência humana (VIH), que provoca a Sida, só que o vírus da hepatite B é 50 a 100 vezes mais infeccioso do que o VIH. Existe também a possibilidade de transmissão de mãe para filho, no momento do nascimento, uma forma de contágio especialmente grave, dada a grande tendência de evolução para a cronicidade e que é muito comum nas zonas hiperendémicas de países em desenvolvimento, onde a maior parte dos infectados contrai o vírus durante a infância. O vírus provoca hepatite aguda num terço dos atingidos, e um em cada mil infectados pode ser vítima de hepatite fulminante. Em menos de dez por cento dos casos em que a infecção ocorre na idade adulta, a doença torna-se crónica, verificando-se esta situação mais frequentemente nos homens. Em Portugal, calcula-se que existam 150 mil portadores crónicos do VHB. Escola Secundária Ermesinde Página 12
  13. 13. Sintomas: Os primeiros sintomas a surgir são febre, mal-estar, desconforto, dor abdominal, dor nas articulações e erupções na pele. Mais tarde, pode aparecer icterícia, a urina tornar-se escura e as fezes mais claras do que o habitual. A hepatite crónica pode não apresentar quaisquer sintomas específicos, mas por vezes, provoca alguma debilidade associada a cansaço. Escola Secundária Ermesinde Página 13
  14. 14. Sintomas: A infecção com o herpes simples 2 é semelhante (10% dos casos são por HSV1, o que se atribui ao aumento da prática do sexo oral). Há infecção da mucosa genital, no homem na glande do pénis, na mulher na vulva ou vagina, com exantemas e sensibilidade dolorosa. Também pode ocorrer no ânus. Outros sintomas são febre, mal-estar, dores musculares e de cabeça, dores ao urinar e corrimento vaginal ou da uretra no pénis. A maioria das infecções no entanto é assintomática. Simultaneamente ocorre a invasão dos neurónios sensitivos com migração no interior dos axônios para os corpos celulares nos gânglios nervosos lambo sacrais. Aí ficam em estado de latência sem se reproduzir, indetectáveis enquanto os virions activos da mucosa são destruídos pela resposta citotóxica imunitária. Após período de debilidade voltam a migrar pelos axônios para a mucosa e estabelecem novo episódio doloroso típico. As recorrências podem ser de todos os meses a raras. Os episódios de recorrência são menos intensos e frequentemente antes da erupção das vesículas há irritação (comichão) da mucosa. O vírus é transmitido mesmo na ausência de sintomas. As complicações são mais raras e mais moderadas quando ocorrem somente na forma labial. Um tipo de complicação específico do HSV2 é a meningite, que é pouco perigosa, sendo a encefalite muito rara. Contudo, se a mãe infecta o recém-nascido via ascensão pelo útero na gravidez ou no nascimento, a infecção é especialmente virulenta, devido ao sistema imunitário ainda pouco eficaz do bebé. A mortalidade e probabilidade de deficiências mentais são significativas, apesar de ocorrer numa minoria dos casos. O herpes pode ser mortal. Escola Secundária Ermesinde Página 14
  15. 15. Escola Secundária Ermesinde Página 15
  16. 16. O linfogranuloma venéreo é uma doença de transmissão sexual causada por Chlamydia trachomatis, uma bactéria de crescimento intracelular. O linfogranuloma venéreo é causado por variedades de Chlamydia trachomatis diferentes das que provocam inflamação da uretra (uretrite) e do colo (cervicite). Ocorre geralmente nas zonas tropicais e subtropicais. Sintomas: Os sintomas começam aproximadamente de 3 a 12 dias após a infecção. No pénis ou na vagina aparece uma pequena bolha indolor cheio de líquido. Em geral, esta converte-se numa úlcera que sara rapidamente e costuma passar despercebida. Mais tarde, os gânglios linfáticos da virilha de um ou de ambos os lados podem aumentar de volume e tornar-se sensíveis ao tacto. A pele que cobre a zona infectada adquire uma temperatura mais elevada e torna-se avermelhada. Se não se tratar, podem aparecer orifícios (fístulas) na pele que os cobre. Estes orifícios descarregam pus ou líquido sanguinolento e geralmente curamse, mas podem deixar uma cicatriz e recorrer. Outros sintomas incluem febre, mal-estar, dor de cabeça e das articulações, falta de apetite e vómitos, dor de costas e uma infecção do recto que produz secreções purulentas manchadas de sangue. Depois de episódios prolongados ou repetidos, os vasos linfáticos podem obstruir-se e isso faz com que o tecido se inflame. A infecção rectal causa ocasionalmente cicatrizações que redundam num estreitamento do recto. Escola Secundária Ermesinde Página 16
  17. 17. As verrugas genitais (Condylomata acuminata) são lesões localizadas na ou à volta da vagina, no pénis ou no recto, causadas por papilomavírus transmitidos sexualmente. As referidas verrugas são frequentes e causam preocupação porque têm um aspecto repulsivo; podem superinfectar-se com bactérias e talvez indiquem que o sistema imunológico não funciona bem. Nas mulheres, o papilomavírus tipos 16 e 18, que afectam o colo do útero mas não formam verrugas nos órgãos genitais externos, podem causar cancro cervical. Este e outros tipos de papilomavírus podem provocar displasia intra-epitelial cervical (demonstrada por um resultado anormal num esfregaço de Papanicolau) ou cancro da vagina, da vulva, do ânus, do pénis, da boca, da faringe ou do esófago. Sintomas: Estas lesões costumam formar-se nas superfícies húmidas e quentes do corpo. Nos homens, as zonas mais frequentes do corpo são a cabeça e o corpo do pénis e debaixo do prepúcio (se o pénis não foi circuncidado). Nas mulheres, formam-se na vulva, na parede vaginal, no colo do útero e na pele que rodeia a área vaginal. As verrugas genitais podem aparecer na zona que rodeia o ânus e no recto, especialmente nos homens homossexuais e nas mulheres que praticam sexo anal. As verrugas geralmente aparecem de 1 a 6 meses depois da infecção e começam como pequenas protuberâncias moles, húmidas e de cor rosada ou vermelha. Crescem rapidamente e podem desenvolver pedúnculos. Na mesma zona costumam aparecer numerosas verrugas e as suas superfícies ásperas conferem-lhes a aparência de uma pequena couve-flor. Podem crescer rapidamente nas mulheres grávidas, nos imunodeprimidos (por exemplo, porque estão doentes com SIDA ou porque efectuaram um tratamento com fármacos imunossupressores) e nos que apresentam inflamação na pele. Estas lesões genitais costumam ser diagnosticadas pela sua aparência. Contudo, podem ser confundidas com úlceras que aparecem no segundo estádio da sífilis. As verrugas de aspecto estranho ou persistentes podem ser extraídas cirurgicamente e analisadas ao microscópio para se ter a certeza de que não são cancerosas. As mulheres que têm verrugas no colo deverão fazer o esfregaço para a prova de Papanicolau regularmente. Escola Secundária Ermesinde Página 17
  18. 18. Escola Secundária Ermesinde Página 18

×