CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS
DICIPLINA: HUMANIDADES VI
CORONEL FABRICIANO
2012
BÁRBARA ARAÚJO DE CASTRO
CORONEL FABRICIANO
2012
OBJETIVO
O trabalho tem como objetivo mostrar a relação da cidade, um espaço
interativo, dinâmico, expressivo, formado pel...
DESENVOLVIMENTO
A CIDADE
A Cidade é um espaço de interação, dinâmico, que possui vida e identidade,
ambos gerados por seus...
de fotografar está relacionada a uma sensação, uma percepção muito
particular, uma vivencia muito única, pois é uma ativid...
Prédio Martinelli
Avenida São João, próximo ao edifício do Correios e a Praça Antônio Prado.
Avenida São João próximo a esquina da Rua Ipiranga
Rua Brigadeiro Galvão
Avenida Brigadeiro Luiz Antônio
Rua 24 de Maio
Edifício Columbus
Cartazes e folhetos em locais públicos
Cartazes e folhetos em locais públicos
Pescadores usando boi para puxar rede
Bacia do Mercado
Nas imagens é possível notar edificações e situações que apontam a
identidade do lugar, no caso a cidade ...
É possível notar um grande fluxo de pessoas na Avenida Brigadeiro Luís
Antônio (imagem 5), além de diversos meios de trans...
As fotos foram tiradas durante o carnaval de 2000 no Rio de Janeiro, um
trabalho em que mais do que registrar o momento, c...
coletiva, sugere novas formas de ver o carnaval, movimento que faz parte da
identidade da sociedade.
As próximas Fotografi...
Sebastião Salgado penetra em um mundo que se mantém pelo nascimento,
morte, fé, fatalismo, tradições e mitos. Busca por es...
Duelo de MC’s em Ipatinga
Cine Praça Marabá em Timóteo – foto por Lahís Americano
Carnaval de 2012 em Belo Horizonte – fotos por Casa Fora do Eixo BH
Duelo de MC’s e skate de rua no viaduto Santa Tereza em Belo Horizonte –
fotos por Casa Fora do Eixo BH
As fotos de Ipatinga mostra a ocupação do Parque Ipanema, pelo grupo
Conteúdo Avulso (de Coronel Fabriciano) que propõe em...
Fonte:
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=318574894899022&set=a.29496215
7260296.66082.100002395438774&type=1&relevan...
A cidade e a fotografia
A cidade e a fotografia
A cidade e a fotografia
A cidade e a fotografia
A cidade e a fotografia
A cidade e a fotografia
A cidade e a fotografia
A cidade e a fotografia
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

A cidade e a fotografia

260 views

Published on

O trabalho tem como objetivo mostrar a relação da cidade, um espaço interativo, dinâmico, expressivo, formado pelas pessoas, edificações, políticas e manifestações; com a fotografia, a principio um equipamento de registro, que sofre influência do olhar do fotógrafo de forma que a imagem se torna muito mais rica.

Published in: Art & Photos
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
260
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A cidade e a fotografia

  1. 1. CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS DICIPLINA: HUMANIDADES VI CORONEL FABRICIANO 2012
  2. 2. BÁRBARA ARAÚJO DE CASTRO CORONEL FABRICIANO 2012
  3. 3. OBJETIVO O trabalho tem como objetivo mostrar a relação da cidade, um espaço interativo, dinâmico, expressivo, formado pelas pessoas, edificações, políticas e manifestações; com a fotografia, a principio um equipamento de registro, que sofre influência do olhar do fotógrafo de forma que a imagem se torna muito mais rica.
  4. 4. DESENVOLVIMENTO A CIDADE A Cidade é um espaço de interação, dinâmico, que possui vida e identidade, ambos gerados por seus habitantes e a relação dos mesmos com esse espaço. É necessário um usuário, alguém que habite o espaço, influencie e se deixe influenciar por ele, caso contrário a cidade seria apenas uma área, sem sentido. A partir dessa relação surgem as edificações, o convívio social, a política, a necessidade de ordenar, a preocupação em respeitar o outro ser, as manifestações culturais, o crescimento, desenvolvimento, não apenas da cidade, mas do ser humano. O convívio em sociedade transforma, o espaço onde isso acontece influencia e é transformado, passa então a ter as características dessa sociedade que o habita. Ao longo do tempo, houve várias formas de pensar em planejamento urbano, seja por meio da técnica e mão de obra disponível, malhas ortogonais distribuídas ao longo do espaço, distribuição de elementos urbanos em pontos estratégicos, entre outras formas de influenciar o crescimento urbano. Mas após a revolução industrial passou a haver uma preocupação maior ainda com o ordenamento do crescimento da cidade, pois havia o conceito de que a estava acontecendo um crescimento desordenado da cidade. Essas formas de planejamento e as preocupações com a forma que acontecia o desenvolvimento do espaço refletem os acontecimentos de cada fase. A FOTOGRAFIA A fotografia, utilizada principalmente como forma de registro, documentação, pois a captura da imagem e análise das mesmas em ordem cronológica gera um raciocínio, entendimento, do contexto histórico. Se tornando um ótimo instrumento de trabalho, análise e registro, por capturar não apenas uma imagem, mas um contexto, mais do que isso, um contexto, uma cena, selecionada, interpretada pelo fotógrafo. A imagem fotográfica não deve ser considerada uma cópia da imagem real, pois existe um sujeito que observa o contexto e captura a cena de acordo com sua interpretação e intenção. Para isso é necessário observar e vivenciar o espaço e selecionar o ponto exato que se deseja registrar. Muitas vezes o ato
  5. 5. de fotografar está relacionada a uma sensação, uma percepção muito particular, uma vivencia muito única, pois é uma atividade intensamente ligada com a memória e a forma que o fotógrafo enxerga o espaço e o que nele está acontecendo. A CIDADE E A FOTOGRAFIA A relação entre a cidade e a fotografia acontece de inúmeras formas, a fotografia como forma de registro do olhar de uma pessoa, permite entender como acontece a cidade, como aconteceram as modificações no espaço, está ligada a memória coletiva, possuem uma riqueza de detalhes que nossa memória não seria capaz de lembrar. Pois a medida que o espaço é vivenciado, ele é modificado, as fotografias com um olhar de quem estava vivenciando tal época, consegue capturar a identidade do lugar e sua história. A fotografia não está limitada apenas a imagem, existe também uma questão de entender o contexto da foto, o local, as pessoas e edificações que ali aparecem, as cores ou ausência delas, o movimento, dando verdadeiro significado a foto, criando laços com a memória individual e coletiva, caracterizando lugares a partir do olhar do fotógrafo. As fotografias a seguir foram retiradas do livro “Claude Lévi-Strauss Saudades de São Paulo”. É interessante ressaltar que o fotógrafo via a necessidade de registrar a cidade por acreditar que não há nada no mundo que é permanente ou estável, portanto ele registra momentos e principalmente edificações de forte significado para época (meados dos anos 30).
  6. 6. Prédio Martinelli
  7. 7. Avenida São João, próximo ao edifício do Correios e a Praça Antônio Prado.
  8. 8. Avenida São João próximo a esquina da Rua Ipiranga
  9. 9. Rua Brigadeiro Galvão Avenida Brigadeiro Luiz Antônio
  10. 10. Rua 24 de Maio Edifício Columbus
  11. 11. Cartazes e folhetos em locais públicos
  12. 12. Cartazes e folhetos em locais públicos Pescadores usando boi para puxar rede
  13. 13. Bacia do Mercado Nas imagens é possível notar edificações e situações que apontam a identidade do lugar, no caso a cidade de São Paulo em 1935. No caso do prédio Martinelli, esse edifício era um símbolo, o único arranha-céu de toda a cidade, podia ser visto de toda a parte (repare nas outras fotos da Avenida São João), se tornava uma referência. Representa o desenvolvimento da cidade, uso de tecnologias e técnicas construtivas que eram novas para a época. Na imagem 2 (Avenida São João, próximo ao edifício do Correios e a Praça Antônio Prado) as pessoas aguardam a passagem de um desfile, é possível visualizar novamente o edifício Martinelli (no fundo à direita), o edifício dos correios à esquerda e à direita a Praça Antônio Prado. As imagens da Avenida São João, próximo à esquina da Rua Ipiranga (imagem 3), mostra o local de abertura dos primeiros cinemas, logo o lugar passa a ser identificado como Cinelândia. A região também passa a receber diversos edifícios comerciais, residenciais e mostra a importância dessa região. A Rua Brigadeiro Galvão (imagem 4) foi fotografada durante o carnaval, mostra um dos blocos do desfile de blocos em meados dos anos 30, a construção que aparece apenas em partes, à direita, era sede de um grupo de escola de samba (durante os anos 70).
  14. 14. É possível notar um grande fluxo de pessoas na Avenida Brigadeiro Luís Antônio (imagem 5), além de diversos meios de transporte, sendo essa a principal via de acesso para o centro da cidade. Observa-se na Rua 24 de Maio (imagem 6) o Teatro Sant’Anna, região do denominado “centro novo”, à direita do teatro um edifício abrigava a galeria comercial Guatapará. Em primeiro plano vemos a loja Mesbla e o Touring Club do Brasil. Em destaque o Edifício Columbus (imagem 7) na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, um dos primeiros edifícios de apartamentos de São Paulo, que possuía traços modernos. Os Cartazes e folhetos em locais públicos (imagem 8) mostra o que estava acontecendo na época, como a ocupação japonesa em terras do norte do Paraná, o comício de 13 de maio e os anúncios de algodão sobre os esforços em prol da policultura. A fotografia de Pescadores usando boi para puxar rede (imagem 9) mostra uma das técnica de pescaria usada na época. Logo após a Bacia do Mercado (imagem 10) utilizada para desembarque do pescado. A partir das fotografias de Claude Lévi-Strauss, podemos sentir a São Paulo dos anos 30, o contexto, a expressividade, o desenvolvimento, crescimento da cidade, manifestações da sociedade, formas de comércio, atividades culturais, as ruas, a ocupação do espaço e até mesmo o decorrer dos fatos, a história da cidade e as edificações. As próximas fotos foram retiradas do livro “O corpo da cidade” de Cláudia Jaguaribe. Devo antes explicar que a fotógrafa trabalha com o conceito de que imagem não é cópia do real, pois o enquadramento, luz e foco configuram a composição.
  15. 15. As fotos foram tiradas durante o carnaval de 2000 no Rio de Janeiro, um trabalho em que mais do que registrar o momento, chega ao ponto de nos confundir o que é real e o que não é, destacando toda a manifestação, expressividade e cores do carnaval. O desfile das escolas de samba é um movimento urbano, faz parte da cidade, da identidade, cultura e história da cidade, reconhecido no país e no mundo inteiro. Cláudia Jaguaribe mistura documentos e ficção, memória pessoal e
  16. 16. coletiva, sugere novas formas de ver o carnaval, movimento que faz parte da identidade da sociedade. As próximas Fotografias foram retiradas do livro “Outras Américas” de Sebastião Salgado. O trabalho teve um processo que demorou cerca de 7 anos, as fotos foram tiradas. Sebastião Salgado mostra que as fronteiras não são linhas demarcadas em mapas, são perceptíveis por meio da religião, cultura, economia, política, nítidas a tal ponto que não podem ser ignoradas.
  17. 17. Sebastião Salgado penetra em um mundo que se mantém pelo nascimento, morte, fé, fatalismo, tradições e mitos. Busca por espaços e pessoas isoladas, abandonadas e até mesmo desprezadas. Trabalhando dentro do contexto da América Latina, expondo as outras Américas que existem dentro dessa América com a qual já estamos familiarizados, ampliando nosso olhar. As fotografias foram tiradas no Equador, México, Guatemala, Bolívia, Peru e Brasil, em meados dos anos 70 e 80, um trabalho demorado, devido as barreiras, menos físicas do que culturais. São comunidades isoladas, sem produção de excedentes, não tem produtos a oferecer e nem dinheiro para consumir o que vem de fora; muitas das quais possuem governo autônomo, direcionado por xamãs ou anciões. Não possuem documentos, registros, suas vidas são monótonas e suas mortes passam despercebidas. Sebastião Salgado mostra como é intensa a fé, religiosidade e misticismo nessas pequenas comunidades. Como foi possível observar nas imagens a morte parece estar sempre presente, as tradições, o cotidiano monótono e intenso de trabalho. As fotografias de Sebastião Salgado nos permite sentir que a cidade são as pessoas. Suas atividades e crenças. As imagens a seguir são fotos aleatórias, retiradas da internet ou passadas por pessoas próximas, mas que revelam a dinâmica da cidade, um novo uso do espaço, explora os limites entre público e privado.
  18. 18. Duelo de MC’s em Ipatinga
  19. 19. Cine Praça Marabá em Timóteo – foto por Lahís Americano
  20. 20. Carnaval de 2012 em Belo Horizonte – fotos por Casa Fora do Eixo BH
  21. 21. Duelo de MC’s e skate de rua no viaduto Santa Tereza em Belo Horizonte – fotos por Casa Fora do Eixo BH
  22. 22. As fotos de Ipatinga mostra a ocupação do Parque Ipanema, pelo grupo Conteúdo Avulso (de Coronel Fabriciano) que propõe em certo período de tempo, essa atividade que envolve música e dança relacionados ao rap e hip hop, integrando as cidades de Coronel Fabriciano e Ipatinga. As imagens de Timóteo mostram o Cine Clube Marabá, que é um cinema que acontece nas praças semanalmente, propõe a ocupação do espaço integrando música e cinema em lugares públicos. As imagens do carnaval de Belo Horizonte, mostra a ocupação do espaço que realmente costuma acontecer em carnavais, toda a manifestação, comemoração, expressividade do carnaval e a relação da população com o espaço público, que em Belo Horizonte é muito forte. Nas ultimas imagens acontece também em Belo Horizonte o duelo de MC’s e skate de rua, debaixo do viaduto Santa Tereza, propondo a ocupação de novos espaços, propondo que as pessoas se expressem nas ruas (como o caso da imagem do grafite), o evento acontece semanalmente.
  23. 23. Fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=318574894899022&set=a.29496215 7260296.66082.100002395438774&type=1&relevant_count=1&ref=nf https://www.facebook.com/media/set/?set=a.247952801958451.61356.239672 526119812&type=3 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=275312415889156&set=a.24040520 6046544.59838.239672526119812&type=3 https://www.facebook.com/media/set/?set=a.320874891336076.73943.100002 407021599&type=3 Livros: Outras Américas, Sebastião Salgado. O Corpo da Cidade, Cláudia Jaguaribe. Saudades de São Paulo, Claude Lévi-strauss.

×