Novas diretrizes na pcr

38,946 views
38,447 views

Published on

0 Comments
25 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
38,946
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
30
Actions
Shares
0
Downloads
1,301
Comments
0
Likes
25
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Novas diretrizes na pcr

  1. 1. Atualização em ParadaCardiorrespiratória
  2. 2. “O que ouço, esqueço.O que vejo, me recordo.O que faço, aprendo.” (Confúcio, sec. IV a.c.)
  3. 3. ObjetivosPadronizar o atendimento na PCR Nortear as atividades Qualificar a assistência Satisfação Familiar
  4. 4. Conceitos Parada Morte Clínica Cardiorrespiratória (PCR) Morte EncefálicaMorte Biológica Irreversível Gasping Agônico
  5. 5. Sinais e SintomasDor torácica Sudorese Palpitações Escurecimento Tontura da visão Inconsciência PCRBaixo débito cardíaco
  6. 6. Sinais Clínicos RespiraçãoInconsciência Ausente PCR Pulso Ausente
  7. 7. REVISÃODor torácica Escurecimento da visão Inconsciência Sudorese Palpitação Tontura Respiração Pulso Ausente Ausente
  8. 8. O que fazer após o reconhecimento da PCR?CuidadosSuporte Ajuda/Carrinho deDesfibrilarPósIniciar RCP -PCRSolicitar Avançado de Vida Parada
  9. 9. Suporte Básico de Vida - SBV Consiste em iniciar imediatamente manobras querestituam a circulação em órgãos nobres (coração ecérebro) e a oxigenação. C-A-B-D-primário.• C – Assistência circulatória;• A – Abertura das vias aéreas;• B – Respiração / Ventilação;• D – Desfibrilação.
  10. 10. MANOBRAS NA RCR C – Assistência Circulatória• O reconhecimento não pode ultrapassar 10 segundos;• Iniciar compressão torácica eficiente;• Frequência de no mínimo 100/min.
  11. 11. MANOBRAS NA RCR C - Assistência Circulatória A – Abertura das vias aéreas• Alinhamento da cabeça com o tronco;• Extensão do pescoço;• Tração anterior da mandíbula.
  12. 12. MANOBRAS NA RCR C - Assistência Circulatória A – Abertura das vias aéreas B – Respiração / Ventilação• Ventilação com Ambú;• Ventilação Boca a Boca;• Ventilação Boca Nariz;• Ventilação Boca-Estoma. D Desfibrilação
  13. 13. RevisãoC AB D
  14. 14. Suporte Avançado de Vida - SAV Nele utilizam-se equipamentos adequados paramaior oxigenação e ventilação associados ao uso demedicamentos e à busca do diagnóstico. Chamadode A – B – C – D secundário
  15. 15. Sequência do SAV• A – Abertura das vias aéreas;• B – Respiração / Ventilação;• C – Circulação (acesso venoso e monitoração);• D – Medicamentos e diagnóstico diferencial.
  16. 16. Manobras da SAV A- Abertura das vias aéreas A intubação traqueal deve ser realizada, o maisrápido possível, por pessoa experiente. Cadatentativa não pode exceder 30 segundos.
  17. 17. Manobras da SAV B- Ventilação Logo após a intubação deve-se testar a posição dotubo dentro da traquéia. Inicia-se a ausculta peloepigástrio, segue-se a do pulmão esquerdo e depoisdo direito.
  18. 18. Manobras da SAV C- Circulação (acesso venoso) Se o paciente não dispuser de um acesso venosopreviamente à PCR, deve-se obter rapidamenteesse acesso, preferencialmente periférico e nosmembros superiores (veia antecubital).
  19. 19. Manobras da SAV C- Circulação (monitorização) As modalidades elétricas da PCR são:a) Fibrilação Ventricular (FV):b) Taquicardia Ventricular sem Pulso (TV):
  20. 20. Manobras da SAV C- Circulação (monitorização) As modalidades elétricas da PCR são:a) Assistolia;b) Atividade Elétrica sem Pulso.
  21. 21. Manobras da SAV D- Medicamentos e Diag. Diferencial O diagnóstico da mais provável causa da PCR éfundamental para uma RCP mais eficaz, já quealgumas delas podem ser facilmente revertidas. Após a administração de um medicamento, deve-se sempre proceder à infusão de 20 ml de soluçãosalina seguida da elevação do braço por cerca de 3segundos.
  22. 22. CUIDADOS PÓS-REANIMAÇÃO• Exame clínico completo;• Monitoração cardíaca contínua e ECG completo;• Acesso venoso;• Avaliação dos outros procedimentos invasivos,• Radiografia do tórax;• Exames laboratoriais;• Medicamentos para manutenção.
  23. 23. TRANSPORTE DO PACIENTE O médico que está coordenando o atendimento àPCR decide o momento do transporte, levando emconta as informações e as opiniões da enfermeira eda fisioterapeuta quanto à estabilização dosparâmetros vitais e das condições adequadas parao recebimento do paciente na UTI.
  24. 24. ATRIBUIÇÃO DE CADA PROFISSIONAL NO ATENDIMENTO À PCR American Heart Association (AHA):• Um na ventilação;• Um na compressão torácica;• Um anotador de medicamentos e de tempo;• Um na manipulação dos medicamentos;• Um no comando, próximo ao monitor/ECG
  25. 25. O tecnico de enfermagem• Aproximação do carro de emergência;• Preparo da medicação;• Obtenção de via de acesso venoso.
  26. 26. Ao enfermeiro• Instala o monitor, no caso de não haver possibilidade ou necessidade de realizar a desfibrilação, ou quando as três primeiras tentativas não tiveram sucesso;• Auxilia o médico nas manobras de RCP, assumindo a ventilação ou a compressão torácica.
  27. 27. Fisioterapeuta Ao chegar no local da PCR, assume a ventilação eauxilia o médico na Intubação e na utilização doVentilador Mecânico.
  28. 28. ABANDONO DAS MANOBRAS DE RESSUSCITAÇÃO• Situações em que se autorizam a interrupção das manobras de ressuscitação;• Situações em que não há indicação para inicio das manobras de RCR.
  29. 29. RECOMENDAÇÕES UNIVERSAIS• Luvas de procedimento para punção venosa, administração de medicação, aspiração de cavidade oral, etc.;• Óculos e máscara de proteção ocular e facial para intubação e aspiração traqueal, se houver secreção abundante ou risco conhecido;• Aventais, caso haja probabilidade de drenagens ou indicação precisa prévia.
  30. 30. Tempo é crucial na PCR e pode salvar vidas.

×