LEILÕES DOS AEROPORTOS DO GALEÃO E DE CONFINSSERÁ EM OUTUBRO, DIZ GOVERNOO site G1 (Grau de Relevância 7 | Influência Naci...
ESTADÃO29 de maio de 2013, quarta-feiraEconomia & NegóciosÀs 17h36Investimentos no Galeão estão estimados em R$ 5,2 biEdua...
VALOR ECONÔMICO29 de maio de 2013, quarta-feiraBrasilÀs 17h54Lance mínimo de concessão para Aeroporto do Galeão é de R$ 4,...
O GLOBO29 de maio de 2013, quarta-feiraBrasilÀs 17h56Fundos de pensão estão de fora da disputa por Galeão e ConfinsInvepar...
FOLHA DE S. PAULO29 de maio de 2013, quarta-feiraMercadoÀs 18h11Governo aprova primeira versão do edital para licitar Gale...
Novas empresas que decidirem participar da concorrência poderão até se inscrever para os doisaeroportos, mas só poderá gan...
Também fica determinada a não demissão dos funcionários da Infraero, que terão de participar docomitê de transição.Link: h...
G129 de maio de 2013, quarta-feiraEconomiaÀs 18h26Leilão dos aeroportos do Galeão e de Confins será em outubro, diz govern...
Vista aérea do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins (MG) (Foto:Divulgação/Infraero)O ministro da Aviação Civ...
AGÊNCIA BRASIL29 de maio de 2013, quarta-feiraBrasilÀs 18h39Leilão dos aeroportos do Galeão e de Confins deve ocorrer em o...
Depois da transferência do aeroporto para a concessionária, as tarifas de embarque e de conexãoserão as mesmas praticadas ...
JORNAL DE BRASÍLIA29 de maio de 2013, quarta-feiraÚltimas NotíciasÀs 18h42Leilão dos aeroportos do Galeão e de Confins dev...
O governo já concedeu à iniciativa privada no ano passado a administração dos aeroportosinternacionais de Guarulhos (São P...
CORREIO BRAZILIENSE29 de maio de 2013, quarta-feiraBrasilÀs 18h45Leilão dos aeroportos do Galeão e de Confins deve ocorrer...
Depois da transferência do aeroporto para a concessionária, as tarifas de embarque e de conexãoserão as mesmas praticadas ...
DIÁRIO DO SUDOESTE29 de maio de 2013, quarta-feiraBrasilÀs 18h45Planalto aprova primeira versão do edital para licitar Gal...
O investimento mínimo exigido no prazo de concessão será R$ 5,2 bilhões para o Galeão e de R$3,5 bilhões para Confins. Sen...
VEJA29 de maio de 2013, quarta-feiraEconomiaÀs 19h15Aviação CivilConcessão de Galeão e Confins deve render, no mínimo, R$ ...
(com Estadão Conteúdo)Link: http://veja.abril.com.br/noticia/economia/concessao-de-galeao-e-confins-deve-render-no-minimo-...
UOL29 de maio de 2013, quarta-feiraÀs 20h14Aeroportos pelo BrasilLeilão dos aeroportos do Galeão e de Confins deve ocorrer...
Atualmente, 17 milhões de passageiros passam, por ano, no aeroporto do Galeão e a expectativa éque, em 25 anos, o fluxo se...
CBN29 de maio de 2013, quarta-feiraBrasilÀs 17h59Investimentos previstos na concessão de 25 anos do aeroporto do Galeãoult...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Clipping - Concessão Galeão e Confins

0 views

Published on

Veja as principais notícias sobre o processo de concessão dos aeroportos do Galeão e de Confins

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
0
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Clipping - Concessão Galeão e Confins

  1. 1. LEILÕES DOS AEROPORTOS DO GALEÃO E DE CONFINSSERÁ EM OUTUBRO, DIZ GOVERNOO site G1 (Grau de Relevância 7 | Influência Nacional) publicou matéria informandoque ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Moreira Franco, anunciou nestaquarta-feira (29) que o leilão de concessão à iniciativa privada dos aeroportos doGaleão, no Rio de Janeiro, e de Confins, em Minas Gerais, irá ocorrer em 30 deoutubro. O tema também foi pauta na Agência Brasil (Grau de Relevância 8 |Influência Nacional), Correio Braziliense (Grau de Relevância 7 | Influência RegionalDF), Revista Veja (Grau de Relevância 6 | Influência Nacional), Jornal de Brasília(Grau de Relevância 6 | Influência Regional DF), Valor Econômico (Grau deRelevância 6 | Influência Nacional), Diário do Sudoeste (Grau de Relevância 4 |Influência Regional Sudoeste), O Vale (Grau de Relevância 4 | Influência RegionalSP), Paraná Online (Grau de Relevância 4 | Influência Regional PR), Eco Finanças(Grau de Relevância 3 | Influência Nacional), TN Online (Grau de Relevância 3 |Influência Regional PR). Também publicaram matérias imediatamente após acoletiva: Estadão, Valor Econômico, Folha de S. Paulo, O Globo, G1 e o Portal UOL.DIVULGAÇÃO DAMINUTA DO EDITALDE CONCESSÃO DOSAEROPORTOSGALEÃO E CONFINSREPERCUSSÃO NOS SITESDOS PRINCIPAIS JORNAIS
  2. 2. ESTADÃO29 de maio de 2013, quarta-feiraEconomia & NegóciosÀs 17h36Investimentos no Galeão estão estimados em R$ 5,2 biEduardo RodriguesAgência EstadoBRASÍLIA - Os investimentos previstos na concessão de 25 anos do aeroporto do Galeão são de R$5,2 bilhões, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pela Secretaria de Aviação Civil(SAC). O valor mínimo do leilão do aeroporto é de R$ 4,65 bilhões mais 5% de receita bruta anualdo empreendimento.Já os investimentos previstos no aeroporto de Confins na concessão de 30 anos estão estimadosem R$ 3,5 bilhões. Nesse caso, o valor mínimo do leilão será de R$ 1,56 bilhão, também com mais5% de receita bruta anual. De acordo com o diretor presidente da Agência Nacional de AviaçãoCivil (Anac), Marcelo Guaranys, o edital para o processo deve ser publicado em setembro e osleilões devem ocorrer em outubro deste ano.FôlegoO secretário executivo da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Guilherme Ramalho, detalhou nestaquarta-feira as mudanças na modelagem da concessão dos aeroportos do Galeão e de Confins, emrelação aos leilões anteriores de Guarulhos, Brasília e Viracopos. "Com as novas exigências, oobjetivo é atrair concorrentes de grande porte com fôlego para investimentos", afirmou.Segundo Ramalho, o modelo de estrutura societária dos outros leilões será mantido, com aInfraero detendo 49% do capital. Já as empresas aéreas não poderão ter mais que 4% do capitaldo consórcio e os acionistas diretos ou indiretos dos leilões anteriores não poderão participar donovo processo."A principal alteração é o fato de o operador do aeroporto precisar ter experiência em aeroportoscom 35 milhões de passageiros e uma participação de pelo menos 25% no consórcio", completouRamalho. Além disso, a garantia de proposta nos novos leilões passou de 0,7% para 1% e o aporteinicial de capital passou de 10% para 30%.Link: http://economia.estadao.com.br/noticias/economia-geral,investimentos-no-galeao-estao-estimados-em-r-52-bi,155079,0.htm
  3. 3. VALOR ECONÔMICO29 de maio de 2013, quarta-feiraBrasilÀs 17h54Lance mínimo de concessão para Aeroporto do Galeão é de R$ 4,65 biAndré Borges e Rafael BitencourtValorBRASÍLIA - O concessionário interessado em disputar as concessões dos aeroportos do Galeão (RJ)e de Confins (MG) terão de oferecer um lance mínimo de, respectivamente, R$ 4,65 bilhões e R$1,56 bilhão.Além dos lances mínimos, há os compromissos com investimentos a serem feitos durante a fasede concessão. No caso de Galeão, o investimento exigido é de R$ 5,2 bilhões. Em Confins, as açõescustam R$ 3,5 bilhões.O concessionário vencedor de cada contrato também deverá pagar uma taxa de 5% de sua receitabruta anual, recurso que será depositado no fundo nacional de aviação civil (Fnac), destinado abancar projetos de outros aeroportos administrados pela Infraero.Os editais ficarão em consulta pública durante 30 dias e deverão estar disponíveis no site daAgência Nacional de Aviação Civil (Anac) ainda na noite desta quarta-feira, 29.O diretor-geral da agência, Marcelo Guaranys, disse que a intenção é encaminhar os editais aoTribunal de Contas da União (TCU) assim que concluída a etapa de consulta pública.Link: http://www.valor.com.br/brasil/3143848/lance-minimo-de-concessao-para-aeroporto-do-galeao-e-de-r-465-bi
  4. 4. O GLOBO29 de maio de 2013, quarta-feiraBrasilÀs 17h56Fundos de pensão estão de fora da disputa por Galeão e ConfinsInvepar, sócia do consórcio que arrematou Guarulhos, não poderá participar do leilãoGeralda DocaBRASÍLIA — Os grandes fundos de pensão das estatais não vão poder participar do leilão doGaleão e de Confins (Belo Horizonte). As normas dos editais divulgadas pelo governo nesta quarta-feira não permitem a participação na disputa pelos dois aeroportos acionistas “direitos eindiretos”, vencedores da primeira rodada de privatização de Guarulhos, Brasília e Viracopos(leiloados no início do ano passado). Com isso, a Invepar, sócia do consórcio que arrematouGuarulhos está de fora do processo.De acordo com o edital, o Galeão irá a leilão com lance mínimo de R$ 4,65 bilhões e quemarrematar o aeroporto será obrigado a investir R$ 5,2 bilhões na expansão da infraestrutura emelhoria da qualidade do serviço, ao longo da concessão, que será de 25 anos. Para Confins, foifixado lance mínimo de R$ 1,56 bilhão e investimentos obrigatórios de R$ 3,5 bilhões, durante ocontrato que será de 30 anos.A previsão do governo é lançar os editais em setembro e realizar o leilão no dia 30 de outubro. Asregras ficarão em consulta pública por 30 dias.Os vencedores serão obrigados a apresentar planos de ações imediatas para elevar o nível doserviço e para os eventos especiais, como as Olimpíadas. No caso do Galeão, o concessionário teráque entregar até 2016 obras de ampliação do terminal de passageiros, um novo terminal decargas e novo pátio de aeronaves.Segundo o secretário-executivo da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Guilherme Ramalho, a decisãode deixar os fundos de fora tem por objetivo preservar a concorrência nas regiões.Nessa segunda rodada, o governo se preocupou em aumentar as exigências para atrair grandesoperadores aeroportuários estrangeiros. Somente poder disputar do leilão empresas comexperiência mínima na gestão de terminais com mais de 35 milhões de passageiros. O aporteinicial de capital do consórcio que vai administrar o aeroporto subiu de 10% para 30%.— Queremos implementar uma nova cultura na gestão dos aeroportos brasileiros, com padrãointernacional — destacou o ministro da SAC, Moreira Franco.Link: http://www.valor.com.br/brasil/3143848/lance-minimo-de-concessao-para-aeroporto-do-galeao-e-de-r-465-bi
  5. 5. FOLHA DE S. PAULO29 de maio de 2013, quarta-feiraMercadoÀs 18h11Governo aprova primeira versão do edital para licitar Galeão e ConfinsJulia BorbaDe BrasíliaA Secretaria de Aviação Civil (SAC) e a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) aprovaram nestaquarta-feira (29) a primeira versão do edital para leilão dos aeroportos do Galeão (Rio de Janeiro)e de Confins (Belo Horizonte).O texto será publicado nesta sexta-feira (31) e segue para consulta pública, de 1º de junho a 30 dejunho, com dois encontros presenciais: um dia 17 de junho em Belo Horizonte e outro em 18 dejunho no Rio de Janeiro.De acordo com o ministro da SAC, Moreira Franco, a concessão desses aeroportos trará mudançassignificativas, principalmente para qualidade dos serviços que será oferecida aos usuários."Vai mudar quase tudo. Tem que mudar tudo. A primeira mudança fundamental é que passageiroterá de ser tratado como cliente, maior qualidade do serviço, [redução do] preço, [melhoria da]segurança. Os problemas operacionais que atormentam a vida do passageiro terão de sersolucionados e a capacidade de passageiros ampliada".Atualmente já funcionam sob regime de concessão os aeroportos de Guarulhos (em São Paulo),Juscelino Kubitschek (em Brasília) e Viracopos (em Campinas).De acordo com o governo, o leilão deve ser feito em 30 de outubro, mas a data ainda não foiconfirmada.A estimativa é de que pelo menos 30 administradores de aeroportos, no mundo, estejam aptos aparticipar.A previsão é de que pelo menos 11 se inscrevam no processo, uma vez que foi este o número deconcorrentes na licitação dos outros três aeroportos.LIMITESO edital prevê que não possam participar da concorrência as mesma empresas que já ganharam aslicitações anteriores.A Anac explicou que essa regra foi incluída para incentivar a concorrência entre as empresas eaprimoramento dos serviços.Até acionistas menores, fundos de pensão ou outros controladores diretos e indiretos ficarão defora.
  6. 6. Novas empresas que decidirem participar da concorrência poderão até se inscrever para os doisaeroportos, mas só poderá ganhar uma das concessões. Esta regra também foi aplicada no leilãodos três aeroportos leiloados anteriormente.INVESTIMENTOSO investimento mínimo exigido no prazo de concessão será R$ 5,2 bilhões para o Galeão e de R$3,5 bilhões para Confins. Sendo valor mínimo do lance de R$ 4,66 bilhões para Galeão e de R$ 1,66em Confins.Além disso, o concessionário também pagará 5% de sua receita bruta anual para o governo.Todo o dinheiro irá para o Fundo Nacional de Aviação Civil e direcionado para investimento nosdemais aeroportos do país.REQUISITOSCada concorrente deverá comprovar experiência no gerenciamento de aeroportos que tenham aomenos 35 milhões de passageiros ao ano.A garantia a ser apresentada pelos concorrentes também aumentou de 0,7% para 1% da novalicitação.O aporte inicial passa agora de 10% para 30% do capital social mínimo, como forma de atrairapenas sócios de bom porte econômico, que possam trazer melhorias imediatas aos aeroportos.Todos os participantes também terão de apresentar um plano para preparar os aeroportos areceber os próximos eventos esportivos do país.CRESCIMENTOAtualmente, o Galeão recebe 17,5 milhões de passageiros ao ano. A concessão neste aeroportoserá de 25 anos. Até o final deste período, a previsão é de que a capacidade de passageiros sejaampliada para 60 milhões de passageiros/ano. Uma média de crescimento de 4,9% ao ano.Já em Confins, 10,4 milhões de passageiros são recebidos por ano. A previsão de ampliação doaeroporto, pelos 30 anos de concessão, será de 43,3 milhões de passageiros. Um crescimentoanual de 4,7%.REGRASO edital prevê que seja mantido mesmo modelo societário dos leilões anteriores. Significa que afutura concessionária terá de firmar uma sociedade com a Infraero, que passa a ser investidora,com 49% da sociedade.A relação entre o acionista privado e a Infraero será regulada por um acordo entre as duas partes.As empresas aéreas terão participação acionária máxima limitada a 4%, segundo a Anac, paraimpedir concentração de mercado.
  7. 7. Também fica determinada a não demissão dos funcionários da Infraero, que terão de participar docomitê de transição.Link: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/05/1287039-governo-aprova-primeira-versao-do-edital-para-licitar-galeao-e-confins.shtml
  8. 8. G129 de maio de 2013, quarta-feiraEconomiaÀs 18h26Leilão dos aeroportos do Galeão e de Confins será em outubro, diz governoExecutivo espera arrecadar ao menos R$ 6,2 bilhões com concessões. Lance mínimo para leilãodo aeroporto do Rio será de R$ 4,65 bilhõesFabiano CostaDo G1, em BrasíliaO ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Moreira Franco, anunciou nesta quarta-feira (29)que o leilão de concessão à iniciativa privada dos aeroportos do Galeão, no Rio de Janeiro, e deConfins, em Minas Gerais, irá ocorrer em 30 de outubro. A expectativa do Executivo é arrecadar,no mínimo, R$ 6,21 bilhões com a privatização das duas estruturas aeroportuárias: R$ 4,65 bilhõescom o aeroporto fluminense e R$ 1,56 bilhão com o mineiro.As regras do edital de licitação, que será publicado em setembro pelo governo federal, foramdivulgadas após reunião deliberativa da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), em Brasília.Moreira Franco afirmou que o prazo de concessão para o aeroporto do Galeão será de 25 anos epara o de Confins de 30 anos. Os dois contratos, enfatizou o governo, poderão ser prorrogados poraté 5 anos, por uma única vez.“É uma nova fase não só para esses aeroportos, como para a infraestrutura aeroportuária doBrasil. Vamos ter um novo tempo, no qual tudo o que há de mais moderno em termos deoperação aeroportuária vai conviver com os usuários do sistemas. Os passageiros, a partir deagora, poderão crescentemente vir a ter um sistema de serviços à altura dos melhores aeroportosdo mundo”, ressaltou o ministro da Aviação Civil.O governo decidiu manter o modelo do leilão anterior, realizado em 2012, em que foramconcedidos os aeroportos de Guarulhos, Campinas e Brasília. Isso significa que a Infraero serásócia minoritária em uma sociedade que vai administrar o aeroporto. O controle será do consórcioque vencer a licitação, que terá 51% de participação no negócio.O Executivo, contudo, tornou um pouco mais rígidas as regras para participação no leilão. Oconsórcio interessado deverá contar com a participação de pelo menos uma empresa comexperiência na operação de aeroportos com movimentação de pelo menos 35 milhões depassageiros por ano.No leilão anterior, a regra previa experiência em aeroportos que movimentam 5 milhões depassageiros por ano. O governo espera, com isso, atrair para o país as empresas que operamalguns dos maiores e mais eficientes terminais do mundo. As empresas aéreas que atuam noterritório brasileiro também poderão concorrer na licitação, desde que a soma de suasparticipações no consórcio não ultrapasse 4%.Outra mudança colocada nesta segunda rodada de concessão de aeroportos é que o operadoraeroportuário deverá ter pelo menos 25% de participação acionária no consórcio que vai disputaro leilão de Galeão e Confins.
  9. 9. Vista aérea do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins (MG) (Foto:Divulgação/Infraero)O ministro da Aviação Civil também apresentou as previsões de aumento depassageiros nos dois terminais aeroportuários com as privatizações. De acordo com os cálculos dogoverno, nos próximos 25 anos, a circulação de passageiros no aeroporto do Galeão deverá passardos atuais 17 milhões para 60 milhões por ano. O estudo do governo considera uma média deaumento anual da demanda de usuários de 4,9%.No aeroporto de Minas, o ministério estima que a circulação anual irá saltar de 10,4 milhões para43,3 milhões de pessoas nas próximas três décadas, média de crescimento de 4,7% por ano.Antes de publicar o edital, a Anac e o ministério irão promover audiências públicas para coletarsugestões para o processo licitatório. Durante todo o mês de junho, o governo disponibilizará umespaço na internet para receber as contribuições.Além disso, será promovida uma audiência pública presencial em cada uma das cidades quesediam os aeroportos. O evento para debater a privatização de Confins ocorrerá em 17 de junho eo da capital fluminense no dia 18 de junho.O secretário-executivo da Secretaria, Guilherme Ramalho, assegurou que as atuais tarifas deembarque terão seus preços mantidos no valor de R$ 21,57 até a transferência das operaçõespara as concessionárias vencedoras da licitação. Após esse período, passarão a valer os valoresprevistos no contrato de concessão, que tem como base os valores praticados nos aeroportos jáconcedidos (Brasília, Viracopos e Guarulhos). Atualmente, a tarifa de embarque nesses aeroportosé de R$ 21,13 e a de conexão é de R$ 7,16.Link: http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/05/leilao-dos-aeroportos-do-galeao-e-de-confins-sera-em-outubro-diz-governo.html
  10. 10. AGÊNCIA BRASIL29 de maio de 2013, quarta-feiraBrasilÀs 18h39Leilão dos aeroportos do Galeão e de Confins deve ocorrer em outubroSabrina Craide e Marcelo BrandãoAgência BrasilBrasília - O leilão de concessão dos aeroportos de Confins (MG) e do Galeão (RJ) deverá ocorrer nodia 30 de outubro e terá mais exigências do que as concessões de terminais feitas anteriormente.“O objetivo é garantir uma cultura de operador aeroportuário que coloque nossos aeroportos emum padrão internacional”, disse hoje (29) o ministro da Secretaria de Aviação Civil, MoreiraFranco.As minutas dos editais dos dois leilões foram aprovadas hoje pela Agência Nacional de AviaçãoCivil (Anac). As propostas serão colocadas em consulta pública e serão feitas duas audiênciaspúblicas em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, nos dias 17 e 18 de junho, respectivamente.Os vencedores dos leilões anteriores de aeroportos não poderão participar das licitações deConfins e do Galeão. O interesse do governo é incentivar a competição pelos grandes aeroportosdo Brasil. O consórcio deverá ter a participação de pelo menos 25% de uma empresa que tenhaexperiência em operação de terminais, com no mínimo 35 milhões de passageiros. Atualmente,existem 33 aeroportos no mundo e cerca de 30 empresas que operam nesse patamar.Para o Aeroporto do Galeão, a concessão terá prazo de 25 anos e será exigido um investimento deR$ 5,2 bilhões no período. Entre as melhorias previstas estão a ampliação do terminal depassageiros, o novo terminal de cargas, o novo pátio de aeronaves e uma nova pistaindependente.Em Confins, será preciso um aporte de R$ 3,5 bilhões em 30 anos, que é o prazo da concessão.Entre os investimentos estão um novo terminal de passageiros, um novo estacionamento, umnovo pátio de aviões e uma nova pista independente.Serão exigidos das empresas planos de ações imediatas, de contingência e para eventos especiais,além da participação em rankings internacionais de avaliação de aeroportos. Haverá também umaumento das exigências financeiras para os participantes do leilão. Para as novas concessões, serámantido o mesmo modelo societário das concessões anteriores: a Infraero terá 49% do capital e oconsórcio vencedor ficará com 51%.Os valores mínimos de leilão serão de R$ 4,5 bilhões para o Aeroporto de Galeão, e de R$ 1,5bilhão para Confins. O concessionário também repassará 5% da Receita Bruta anual. Os recursosserão destinados ao Fundo Nacional de Aviação Civil, que financia investimentos em expansão nosdemais aeroportos. “É um setor que tem tudo para se tornar autossustentável, com os grandesaeroportos atraindo recursos para os pequenos, levando ao desenvolvimento do país”, disseGuilherme Ramalho, secretário executivo da Secretaria de Aviação Civil.
  11. 11. Depois da transferência do aeroporto para a concessionária, as tarifas de embarque e de conexãoserão as mesmas praticadas nos aeroportos já concedidos, R$ 21,13 e R$ 7,16, respectivamente.Atualmente, 17 milhões de passageiros passam, por ano, no Aeroporto do Galeão e a expectativaé que, em 25 anos, o fluxo seja de cerca de 60,5 milhões de pessoas. Em Confins, circulam por ano10,4 milhões. A estimativa é que suba para 43,3 milhões em 30 anos.O governo já concedeu à iniciativa privada no ano passado a administração dos aeroportosinternacionais de Guarulhos (São Paulo), Viracopos (Campinas) e o Juscelino Kubitschek (Brasília).Edição: Carolina PimentelLink: http://www.ebc.com.br/noticias/brasil/2013/05/leilao-dos-aeroportos-do-galeao-e-de-confins-deve-ocorrer-em-outubro
  12. 12. JORNAL DE BRASÍLIA29 de maio de 2013, quarta-feiraÚltimas NotíciasÀs 18h42Leilão dos aeroportos do Galeão e de Confins deve ocorrer em outubroO leilão de concessão dos aeroportos de Confins (MG) e do Galeão (RJ) deverá ocorrer no dia 30de outubro e terá mais exigências do que as concessões de terminais feitas anteriormente. “Oobjetivo é garantir uma cultura de operador aeroportuário que coloque nossos aeroportos em umpadrão internacional”, disse hoje (29) o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco.As minutas dos editais dos dois leilões foram aprovadas hoje pela Agência Nacional de AviaçãoCivil (Anac). As propostas serão colocadas em consulta pública e serão feitas duas audiênciaspúblicas em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, nos dias 17 e 18 de junho, respectivamente.Os vencedores dos leilões anteriores de aeroportos não poderão participar das licitações deConfins e do Galeão. O interesse do governo é incentivar a competição pelos grandes aeroportosdo Brasil. O consórcio deverá ter a participação de pelo menos 25% de uma empresa que tenhaexperiência em operação de terminais, com no mínimo 35 milhões de passageiros. Atualmente,existem 33 aeroportos no mundo e cerca de 30 empresas que operam nesse patamar.Para o Aeroporto do Galeão, a concessão terá prazo de 25 anos e será exigido um investimento deR$ 5,2 bilhões no período. Entre as melhorias previstas estão a ampliação do terminal depassageiros, o novo terminal de cargas, o novo pátio de aeronaves e uma nova pistaindependente.Em Confins, será preciso um aporte de R$ 3,5 bilhões em 30 anos, que é o prazo da concessão.Entre os investimentos estão um novo terminal de passageiros, um novo estacionamento, umnovo pátio de aviões e uma nova pista independente.Serão exigidos das empresas planos de ações imediatas, de contingência e para eventos especiais,além da participação em rankings internacionais de avaliação de aeroportos. Haverá também umaumento das exigências financeiras para os participantes do leilão. Para as novas concessões, serámantido o mesmo modelo societário das concessões anteriores: a Infraero terá 49% do capital e oconsórcio vencedor ficará com 51%.Os valores mínimos de leilão serão de R$ 4,5 bilhões para o Aeroporto de Galeão, e de R$ 1,5bilhão para Confins. O concessionário também repassará 5% da Receita Bruta anual. Os recursosserão destinados ao Fundo Nacional de Aviação Civil, que financia investimentos em expansão nosdemais aeroportos. “É um setor que tem tudo para se tornar autossustentável, com os grandesaeroportos atraindo recursos para os pequenos, levando ao desenvolvimento do país”, disseGuilherme Ramalho, secretário executivo da Secretaria de Aviação Civil.Depois da transferência do aeroporto para a concessionária, as tarifas de embarque e de conexãoserão as mesmas praticadas nos aeroportos já concedidos, R$ 21,13 e R$ 7,16, respectivamente.Atualmente, 17 milhões de passageiros passam, por ano, no Aeroporto do Galeão e a expectativaé que, em 25 anos, o fluxo seja de cerca de 60,5 milhões de pessoas. Em Confins, circulam por ano10,4 milhões. A estimativa é que suba para 43,3 milhões em 30 anos.
  13. 13. O governo já concedeu à iniciativa privada no ano passado a administração dos aeroportosinternacionais de Guarulhos (São Paulo), Viracopos (Campinas) e o Juscelino Kubitschek (Brasília).Fonte: Agência BrasilLink: http://www.jornaldebrasilia.com.br/site/noticia.php?leilao-dos-aeroportos-do-galeao-e-de-confins-deve-ocorrer-em-outubro&id=472993
  14. 14. CORREIO BRAZILIENSE29 de maio de 2013, quarta-feiraBrasilÀs 18h45Leilão dos aeroportos do Galeão e de Confins deve ocorrer em outubroAs propostas serão colocadas em consulta pública e serão feitas duas audiências públicas emBelo Horizonte e no Rio de Janeiro, nos dias 17 e 18 de junho, respectivamenteAgência BrasilO leilão de concessão dos aeroportos de Confins (MG) e do Galeão (RJ) deverá ocorrer no dia 30de outubro e terá mais exigências do que as concessões de terminais feitas anteriormente. “Oobjetivo é garantir uma cultura de operador aeroportuário que coloque nossos aeroportos em umpadrão internacional”, disse hoje (29) o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco.As minutas dos editais dos dois leilões foram aprovadas hoje pela Agência Nacional de AviaçãoCivil (Anac). As propostas serão colocadas em consulta pública e serão feitas duas audiênciaspúblicas em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, nos dias 17 e 18 de junho, respectivamente.Os vencedores dos leilões anteriores de aeroportos não poderão participar das licitações deConfins e do Galeão. O interesse do governo é incentivar a competição pelos grandes aeroportosdo Brasil. O consórcio deverá ter a participação de pelo menos 25% de uma empresa que tenhaexperiência em operação de terminais, com no mínimo 35 milhões de passageiros. Atualmente,existem 33 aeroportos no mundo e cerca de 30 empresas que operam nesse patamar.Para o Aeroporto do Galeão, a concessão terá prazo de 25 anos e será exigido um investimento deR$ 5,2 bilhões no período. Entre as melhorias previstas estão a ampliação do terminal depassageiros, o novo terminal de cargas, o novo pátio de aeronaves e uma nova pistaindependente.Em Confins, será preciso um aporte de R$ 3,5 bilhões em 30 anos, que é o prazo da concessão.Entre os investimentos estão um novo terminal de passageiros, um novo estacionamento, umnovo pátio de aviões e uma nova pista independente.Serão exigidos das empresas planos de ações imediatas, de contingência e para eventos especiais,além da participação em rankings internacionais de avaliação de aeroportos. Haverá também umaumento das exigências financeiras para os participantes do leilão. Para as novas concessões, serámantido o mesmo modelo societário das concessões anteriores: a Infraero terá 49% do capital e oconsórcio vencedor ficará com 51%.Os valores mínimos de leilão serão de R$ 4,5 bilhões para o Aeroporto de Galeão, e de R$ 1,5bilhão para Confins. O concessionário também repassará 5% da Receita Bruta anual. Os recursosserão destinados ao Fundo Nacional de Aviação Civil, que financia investimentos em expansão nosdemais aeroportos. “É um setor que tem tudo para se tornar autossustentável, com os grandesaeroportos atraindo recursos para os pequenos, levando ao desenvolvimento do país”, disseGuilherme Ramalho, secretário executivo da Secretaria de Aviação Civil.
  15. 15. Depois da transferência do aeroporto para a concessionária, as tarifas de embarque e de conexãoserão as mesmas praticadas nos aeroportos já concedidos, R$ 21,13 e R$ 7,16, respectivamente.Atualmente, 17 milhões de passageiros passam, por ano, no Aeroporto do Galeão e a expectativaé que, em 25 anos, o fluxo seja de cerca de 60,5 milhões de pessoas. Em Confins, circulam por ano10,4 milhões. A estimativa é que suba para 43,3 milhões em 30 anos.O governo já concedeu à iniciativa privada no ano passado a administração dos aeroportosinternacionais de Guarulhos (São Paulo), Viracopos (Campinas) e o Juscelino Kubitschek (Brasília).Link:http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2013/05/29/internas_economia,368694/leilao-dos-aeroportos-do-galeao-e-de-confins-deve-ocorrer-em-outubro.shtml
  16. 16. DIÁRIO DO SUDOESTE29 de maio de 2013, quarta-feiraBrasilÀs 18h45Planalto aprova primeira versão do edital para licitar Galeão e ConfinsDiário do SudoesteFolhaPressPor Julia BorbaBRASÍLIA, DF, 29 de maio (Folhapress) - A Secretaria de Aviação Civil (SAC) e a Anac (AgênciaNacional de Aviação Civil) aprovaram hoje a primeira versão do edital para leilão dos aeroportosdo Galeão (Rio de Janeiro) e de Confins (Belo Horizonte).O texto será publicado nesta sexta-feira (31) e segue para consulta pública, de 1º de junho a 30 dejunho, com dois encontros presenciais: um dia 17 de junho em Belo Horizonte e outro em 18 dejunho no Rio de Janeiro. De acordo com o ministro da SAC, Moreira Franco, a concessão dessesaeroportos trará mudanças significativas, principalmente para qualidade dos serviços que seráoferecida aos usuários."Vai mudar quase tudo. Tem que mudar tudo. A primeira mudança fundamental é que passageiroterá de ser tratado como cliente, maior qualidade do serviço, [redução do] preço, [melhoria da]segurança. Os problemas operacionais que atormentam a vida do passageiro terão de sersolucionados e a capacidade de passageiros ampliada".Atualmente já funcionam sob regime de concessão os aeroportos de Guarulhos (em São Paulo),Juscelino Kubitschek (em Brasília) e Viracopos (em Campinas).De acordo com o governo, o leilão deve ser feito em 30 de outubro, mas a data ainda não foiconfirmada.A estimativa é de que pelo menos 30 administradores de aeroportos, no mundo, estejam aptos aparticipar.A previsão é de que pelo menos 11 se inscrevam no processo, uma vez que foi este o número deconcorrentes na licitação dos outros três aeroportos.LimitesO edital prevê que não possam participar da concorrência as mesma empresas que já ganharam aslicitações anteriores. A Anac explicou que essa regra foi incluída para incentivar a concorrênciaentre as empresas e aprimoramento dos serviços. Até acionistas menores, fundos de pensão ououtros controladores diretos e indiretos ficarão de fora.Novas empresas que decidirem participar da concorrência poderão até se inscrever para os doisaeroportos, mas só poderá ganhar uma das concessões. Esta regra também foi aplicada no leilãodos três aeroportos leiloados anteriormente.Investimentos
  17. 17. O investimento mínimo exigido no prazo de concessão será R$ 5,2 bilhões para o Galeão e de R$3,5 bilhões para Confins. Sendo valor mínimo do lance de R$ 4,66 bilhões para Galeão e de R$ 1,66em Confins.Além disso, o concessionário também pagará 5% de sua receita bruta anual para o governo.Todo o dinheiro irá para o Fundo Nacional de Aviação Civil e direcionado para investimento nosdemais aeroportos do país.RequisitosCada concorrente deverá comprovar experiência no gerenciamento de aeroportos que tenham aomenos 35 milhões de passageiros ao ano.A garantia a ser apresentada pelos concorrentes também aumentou de 0,7% para 1% da novalicitação. O aporte inicial passa agora de 10% para 30% do capital social mínimo, como forma deatrair apenas sócios de bom porte econômico, que possam trazer melhorias imediatas aosaeroportos.Todos os participantes também terão de apresentar um plano para preparar os aeroportos areceber os próximos eventos esportivos do país.CrescimentoAtualmente, o Galeão recebe 17,5 milhões de passageiros ao ano. A concessão neste aeroportoserá de 25 anos. Até o final deste período, a previsão é de que a capacidade de passageiros sejaampliada para 60 milhões de passageiros/ano. Uma média de crescimento de 4,9% ao ano.Já em Confins, 10,4 milhões de passageiros são recebidos por ano. A previsão de ampliação doaeroporto, pelos 30 anos de concessão, será de 43,3 milhões de passageiros. Um crescimentoanual de 4,7%.RegrasO edital prevê que seja mantido mesmo modelo societário dos leilões anteriores. Significa que afutura concessionária terá de firmar uma sociedade com a Infraero, que passa a ser investidora,com 49% da sociedade.A relação entre o acionista privado e a Infraero será regulada por um acordo entre as duas partes.As empresas aéreas terão participação acionária máxima limitada a 4%, segundo a Anac, paraimpedir concentração de mercado. Também fica determinada a não demissão dos funcionários daInfraero, que terão de participar do comitê de transição.Link: http://www.diariodosudoeste.com.br/noticias/economia/3,27027,29,05,planalto-aprova-primeira-versao-do-edital-para-licitar-galeao-e-confins.shtml
  18. 18. VEJA29 de maio de 2013, quarta-feiraEconomiaÀs 19h15Aviação CivilConcessão de Galeão e Confins deve render, no mínimo, R$ 14,91 biConsórcios que vencerem licitações deverão se comprometer a fazer investimentos nosaeroportos e ceder 5% da renda bruta dos terminaisO valor total da concessão de Galeão e Confins será de, no mínimo, 14,91 bilhões de reais,informou nesta quarta-feira a Secretaria de Aviação Civil (SAC). A soma engloba os lances mínimosexigidos por cada aeroporto e valores que devem ser investidos na melhoria dos terminais durantea concessão. Fora isso, os consórcios que arrematarem os aeroportos deverão ceder 5% da rendabruta anual de cada um dos terminais para o governo. O valor ficou bem próximo da previsão dogoverno, que esperava arrecadar 15 bilhões de reais com as privatizações.No Galeão, o consórcio que vencer o leilão terá que desembolsar, no mínimo, 9,85 bilhões de reaispelo controle do aeroporto. O valor é obtido pela soma do lance mínimo, de 4,65 bilhões de reais,e dos investimentos, que serão de 5,2 bilhões de reais nos próximos 25 anos. Em Confins, o valortotal da concessão será de, no mínimo, 5,06 bilhões de reais - 1,56 bilhão de reais pelo lancemínimo e mais 3,5 bilhões de reais em aportes nos próximos 30 anos.No começo deste mês, o governo terminou uma série de estudos preliminares aos leilões. Deacordo com o diretor presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Marcelo Guaranys,os editais dos processos de concessão devem ser publicados em setembro. Já os leilões devemocorrer no mês seguinte.Em abril do ano passado, o governo realizou os leilões de concessão dos aeroportos de Guarulhos,Campinas e Brasília. Os consórcios vencedores tiveram que desembolsar 24,5 bilhões de reais paracontrolar os terminais.O secretário executivo da SAC, Guilherme Ramalho, detalhou as mudanças na modelagem daconcessão dos aeroportos do Galeão e de Confins, em relação aos leilões anteriores. "Com asnovas exigências, o objetivo é atrair concorrentes de grande porte com fôlego parainvestimentos", afirmou ele. Segundo Ramalho, o modelo de estrutura societária dos outrosleilões será mantido, com a Infraero detendo 49% do capital. Já as empresas aéreas não poderãoter mais que 4% do capital dos consórcios e os acionistas diretos ou indiretos dos leilões anterioresnão poderão participar do novo processo."A principal alteração é o fato de o operador do aeroporto precisar ter experiência em aeroportoscom 35 milhões de passageiros e uma participação de pelo menos 25% no consórcio", disseRamalho. No caso dos três aeroportos já privatizados, a exigência era de experiência namovimentação mínima de 5 milhões de passageiros anualmente.Além disso, a garantia de proposta nos novos leilões passou de 0,7% para 1% e o aporte inicial decapital passou de 10% para 30%.Fundos de pensão levam aeroporto de Guarulhos e governo arrecada R$ 24,5 bi em leilão
  19. 19. (com Estadão Conteúdo)Link: http://veja.abril.com.br/noticia/economia/concessao-de-galeao-e-confins-deve-render-no-minimo-r-14-91-bi
  20. 20. UOL29 de maio de 2013, quarta-feiraÀs 20h14Aeroportos pelo BrasilLeilão dos aeroportos do Galeão e de Confins deve ocorrer em outubroSabrina Craide e Marcelo BrandãoDa Agência Brasil, em BrasíliaO leilão de concessão dos aeroportos de Confins (MG) e do Galeão (RJ) deverá ocorrer no dia 30de outubro e terá mais exigências do que as concessões de terminais feitas anteriormente. "Oobjetivo é garantir uma cultura de operador aeroportuário que coloque nossos aeroportos em umpadrão internacional", disse hoje (29) o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco.As minutas dos editais dos dois leilões foram aprovadas hoje pela Agência Nacional de AviaçãoCivil (Anac). As propostas serão colocadas em consulta pública e serão feitas duas audiênciaspúblicas em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, nos dias 17 e 18 de junho, respectivamente.Os vencedores dos leilões anteriores de aeroportos não poderão participar das licitações deConfins e do Galeão. O interesse do governo é incentivar a competição pelos grandes aeroportosdo Brasil. O consórcio deverá ter a participação de pelo menos 25% de uma empresa que tenhaexperiência em operação de terminais, com no mínimo 35 milhões de passageiros. Atualmente,existem 33 aeroportos no mundo e cerca de 30 empresas que operam nesse patamar.Para o aeroporto do Galeão, a concessão terá prazo de 25 anos e será exigido um investimento deR$ 5,2 bilhões no período. Entre as melhorias previstas estão a ampliação do terminal depassageiros, o novo terminal de cargas, o novo pátio de aeronaves e uma nova pistaindependente.Em Confins, será preciso um aporte de R$ 3,5 bilhões em 30 anos, que é o prazo da concessão.Entre os investimentos estão um novo terminal de passageiros, um novo estacionamento, umnovo pátio de aviões e uma nova pista independente.Serão exigidos das empresas planos de ações imediatas, de contingência e para eventos especiais,além da participação em rankings internacionais de avaliação de aeroportos. Haverá também umaumento das exigências financeiras para os participantes do leilão. Para as novas concessões, serámantido o mesmo modelo societário das concessões anteriores: a Infraero terá 49% do capital e oconsórcio vencedor ficará com 51%.Os valores mínimos de leilão serão de R$ 4,5 bilhões para o aeroporto de Galeão, e de R$ 1,5bilhão para Confins. O concessionário também repassará 5% da Receita Bruta anual. Os recursosserão destinados ao Fundo Nacional de Aviação Civil, que financia investimentos em expansão nosdemais aeroportos. "É um setor que tem tudo para se tornar autossustentável, com os grandesaeroportos atraindo recursos para os pequenos, levando ao desenvolvimento do país", disseGuilherme Ramalho, secretário executivo da Secretaria de Aviação Civil.Depois da transferência do aeroporto para a concessionária, as tarifas de embarque e de conexãoserão as mesmas praticadas nos aeroportos já concedidos, R$ 21,13 e R$ 7,16, respectivamente.
  21. 21. Atualmente, 17 milhões de passageiros passam, por ano, no aeroporto do Galeão e a expectativa éque, em 25 anos, o fluxo seja de cerca de 60,5 milhões de pessoas. Em Confins, circulam por ano10,4 milhões. A estimativa é que suba para 43,3 milhões em 30 anos.O governo já concedeu à iniciativa privada no ano passado a administração dos aeroportosinternacionais de Guarulhos (São Paulo), Viracopos (Campinas) e o Juscelino Kubitschek (Brasília).Link: http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/05/29/leilao-dos-aeroportos-do-galeao-e-de-confins-deve-ocorrer-em-outubro.htm
  22. 22. CBN29 de maio de 2013, quarta-feiraBrasilÀs 17h59Investimentos previstos na concessão de 25 anos do aeroporto do Galeãoultrapassam R$ 5 bilhõesSegundo a Secretaria de Aviação Civil, o valor mínimo do leilão do terminal no Rio de Janeiro éde R$ 4,650 bilhões. O total representa mais de 5% da receita bruta anual do empreendimento.Link: http://cbn.globoradio.globo.com/editorias/economia/2013/05/29/INVESTIMENTOS-PREVISTOS-NA-CONCESSAO-DE-25-ANOS-DO-AEROPORTO-DO-GALEAO-ULTRAPASSAM-R-5.htm

×