AULA 4 - ENTREVISTA
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

AULA 4 - ENTREVISTA

on

  • 24,079 views

 

Statistics

Views

Total Views
24,079
Views on SlideShare
24,051
Embed Views
28

Actions

Likes
2
Downloads
501
Comments
0

7 Embeds 28

http://notes2mmi.blogspot.pt 16
http://notes2mmi.blogspot.com 3
http://aoalcancedetodospravaler.blogspot.com 2
http://aoalcancedetodospravaler.blogspot.com.br 2
https://twitter.com 2
http://radioetvnomundo.blogspot.com.br 2
http://radioetvnomundo.blogspot.com 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

AULA 4 - ENTREVISTA Presentation Transcript

  • 1. AULA 4 - ENTREVISTA
  • 2.
    • Diversas são as classificações de entrevista apontadas por estudiosos que abordam o tema. Nilson Lage, por exemplo, indica diversos tipos de entrevista.
    • Quanto aos objetivos :
    • ritual (entrevista breve, apenas para pegar uma declaração)
    • temática (centrada num assunto do qual o entrevistado tem grande conhecimento)
    • testemunhal (quando o entrevistado assistiu a um fato)
    • profundidade (centrada na figura do entrevistado).
    •  
  • 3.
    • Quanto às circunstâncias
    • ocasional (quando não é programada)
    • confronto (quando o repórter tem a missão de encostar o entrevistado na parede)
    • coletiva (quando o entrevistado é submetido a perguntas de diversos repórteres)
    • dialogal (marcada com antecedência pelo repórter com um entrevistado, num ambiente controlado)
  • 4.
    • No entanto, essas classificações no campo teórico NÃO são seguidas nas redações dos grandes jornais do país.
    • Tipos de entrevistas jornalísticas (prática)
    • A que tem como objetivo gerar um texto corrido, uma matéria jornalística ( relato )
    • A que é centrada na figura de uma pessoa; enquadrada como gênero jornalístico “Entrevista”; chamada, nesse caso de Pingue-Pongue (ou simplesmente “ pingue ”) ou Pergunta-resposta.
  • 5.
    • Nesse caso, o repórter ouve diferentes pessoas (fontes) sobre o fato para construir uma reportagem. Várias entrevistas, portanto, são realizadas, até que o jornalista tenha cercado o fato sob seus diferentes ângulos e aspectos.
    • Normalmente, esse tipo de entrevista é feito num tempo bem mais curto que a entrevista pingue-pongue. O objetivo central não é centrar-se na figura de uma pessoa, mas nas informações que essa lhe fornece para construir a matéria.
  • 6.
    • Para dar credibilidade ao texto, o repórter destaca algumas declarações dos entrevistados na forma direta (colocando-as entre aspas) e indireta (parafraseando o que o entrevistado disse), sempre indicando, antes ou depois da declaração o nome e o cargo (ocupação, papel) de quem a proferiu.
    • Outras vezes, as informações obtidas não precisam vir acompanhadas da identificação do entrevistado, pois são informações simples demais, que serviram apenas como base para a construção do texto.
  • 7.
    • A entrevista que gera um texto corrido pode ser feita em duas situações, que definem outros subtipos de entrevista: a individual ( que muitas vezes pode ser exclusiva ) e a coletiva .
    • Individual – Quando o repórter entrevista a fonte, sem a companhia de outros colegas de profissão. Se o repórter conseguiu do entrevistado a garantia que aquelas informações serão fornecidas em primeira mão e especialmente para ele, dizemos que se trata de uma entrevista exclusiva.
    • Coletiva – Diversos jornalistas, num local e data estabelecido, entrevistam uma mesma pessoa ou um grupo de pessoas.
    •  
  • 8.
    • Entrevista centrada na figura de uma pessoa. É usada quando a fonte é rica em informações sobre o assunto que se pretende abordar, possui uma história significativa em relação a um tema ou quando se trata de uma personalidade.
  • 9.
    • Regras de edição da entrevista pingue-pongue
    • 1) Assim, como uma reportagem ou notícia, a entrevista pingue-pongue exige um bom título, que deve destacar o aspecto mais interessante de tudo o que foi falado com o entrevistado. Pode ser um aspecto sobre a personalidade do entrevistado ou uma declaração expressiva dele.
    •  
    • 2) Toda entrevista no formato pergunta e resposta exige um texto introdutório pequeno (também conhecido informalmente como cabeça) , contendo informações sobre o entrevistado (breve perfil) e um resumo sobre o que foi tratado na entrevista (podendo conter algumas frases do entrevistado).
  • 10.
    • 3) Após o texto introdutório, seguem as perguntas (feitas por você) e as respostas da sua fonte . As respostas devem ser uma transcrição fiel da fala do entrevistado. Por isso é fundamental (especialmente neste tipo de entrevista) a gravação. Apesar da fidelidade, erros gramaticais, repetições típicas da linguagem falada (como “né” e “daí”) e vícios de linguagem cometidos pelo entrevistado devem ser retirados do texto e corrigidos, sempre que possível. A não ser que se queira destacá-los. Se quiser destacá-los, use a palavra “SIC” (“assim”, do latim), que quer dizer que a pessoa disse aquilo mesmo, por mais estranho que possa parecer. Mas é melhor evitar essa prática.
    • 4) Não mude o nível de linguagem do entrevistado. Se a linguagem dele é popular, mantenha o estilo.
    •  
  • 11.
    • 5) Tente preservar a ordem original em que as perguntas foram feitas , a não ser que o entrevistado volte várias vezes aos mesmos assuntos. Nesse caso, tente deixar próximas as respostas por temas.
    • 6) Antes de cada pergunta sempre vem o nome do veículo de comunicação (jornal, boletim, revista) . A não ser em projetos editoriais especiais, como num livro.
    • 7) Antes de cada resposta, sempre vem o nome do entrevistado , sendo que, na primeira resposta o nome completo deve ser escrito. Já nas outras respostas, apenas as iniciais ou o nome mais conhecido da pessoa é grafado.
  • 12.
    • 8) Se a resposta for muito longa, é preciso resumi-la , mantendo os pontos essenciais.
    • 9) Informações básicas (nome e idade do entrevistado, dados sobre sua carreira profissional e seu estilo de vida) devem vir no texto introdutório e não na forma de pergunta e resposta.
    •  
    • Fonte: Manual de Redação da Folha de S.Paulo