Apostila de sociologia 3° ano

15,425 views

Published on

3 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
15,425
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
973
Actions
Shares
0
Downloads
605
Comments
3
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apostila de sociologia 3° ano

  1. 1. E.E.E.F.M. Profº “Filomena Quitiba” Apostila organizada pelo profº Cristiano Bodart E.E.E.F.M. PROFª “FILOMENA QUITIBA” SOCIOLOGIA Profº Cristiano Bodart 3º ANO DO ENSINO MÉDIO Eixo: : CULTURA, VIDA E SOCIEDADE Aluno(a): ______________________________________ Piúma, ES 2010 1
  2. 2. A SOCIOLOGIA estuda as relações sociais e as formas da autoconsciência, e a nossa capacidade de pensar ou raciocinar seria severamente limitada [...].»de associação, considerando as interações que ocorrem navida em sociedade. Desta forma, estudar Sociologia é A. Giddens – Sociologia, FCG, pp.46-47buscar compreender criticamente o mundo que está aonosso redor e entender nosso papel como agente demudança nele. A Sociologia nos permite enxergar o mundo Etnocentrismo ecom outros olhos. Bom estudo! relativismo cultural Primeiro trimestre Você já ouviu falar destes dois termos? Imagino que você deva estar aprendendo um monte de coisas novas, termos e conceitos, não é? Esperamos que eles sejam de muita valia para a sua vida profissional e pessoal. Unidade 1: Sociologia Você lembra que em alguns momentos falamos que os europeus, quando se lançaram ao mar nas grandes navegações, consideravam o Cultural “outro” – geralmente o nativo das terras “recém descobertas” – inferior? E você lembra porque eles se referiam ao outro desta maneira? Pois bem, agora O Conceito Sociológico de você vai estudar um pouco mais sobre um importante conceito que está intrínseco nestas idéias e em Cultura muitas outras de grandes pensadores, antropólogos, «O conceito de cultura, tal historiadores e até cientistas que entraram em como o de sociedade, é uma das contato com povos desconhecidos e desenvolveram noções mais amplamente usadas estudos acerca dos mesmos, e que muitas vezesem Sociologia. A cultura consiste nos valores de um ainda se fazem presentes nas atitudes das pessoasdado grupo de pessoas, nas normas que seguem e mais comuns – como nós!nos bens materiais que criam. Os valores são idéias Ao depararmos com formas de viver e de verabstratas, enquanto as normas são princípios o mundo diferentes das nossas, muitas vezesdefinidos ou regras que se espera que o povo acabamos emitindo juízos de valor acerca de taiscumpra. As normas representam o «permitido» e o realidades, essa observação nos remete ao que pode«interdito» da vida social. Assim, a monogamia – ser ser chamado de etnocentrismo.fiel a um único parceiro matrimonial – é um valor Podemos assim conceituar etnocentrismoproeminente na maioria das sociedades ocidentais. como:Em muitas outras culturas, uma pessoa é autorizada (...) uma visão de mundo em quea ter várias esposas ou esposos simultaneamente. As o nosso próprio grupo é tomado comonormas de comportamento no casamento incluem, centro de tudo, visão segundo a qual todospor exemplo, como se espera que os esposos se os outros grupos são pensados e sentidoscomportem com os seus parentes por afinidade. Em através de nossos valores, nossos modelos,algumas sociedades, o marido ou a mulher devem nossas definições do que seja a existência.estabelecer uma relação próxima com os seus No plano intelectual, o etnocentrismo podeparentes por afinidade; noutras, espera-se que se ser identificado na dificuldade de pensarmosmantenham nítidas distâncias entre eles. a diferença; já no aspecto afetivo, é percebido nos sentimentos de estranheza, Quando usamos o termo, na conversa de medo e de hostilidade. (Mortari, 2002,quotidiana comum, pensamos muitas vezes na p.32)«cultura» como equivalente às «coisas mais elevadasdo espírito» – arte, literatura, música e pintura. Os O etnocentrismo é considerado umsociólogos incluem no conceito estas atividades, mas julgamento da cultura do “outro”, em que a nossatambém muito mais. A cultura refere-se aos modos cultura é tomada como única referência. Dessa formade vida dos membros de uma sociedade, ou de negamos o “outro” muitas vezes sem mesmogrupos dessa sociedade. Inclui a forma como se conhecer melhor a sua cultura, criamos assim umavestem, os costumes de casamento e de vida imagem distorcida e manipulada da realidade social efamiliar, as formas de trabalho, as cerimônias cultural.religiosas e as ocupações dos tempos livres. Abrange Quando nossas atitudes ou olhares sobre otambém os bens que criam e que se tornam “outro” são caracterizados pelo etnocentrismo, aportadores de sentido para eles – arcos e flechas, nossa sociedade é representada como melhor earados, fábricas e máquinas, computadores, livros, superior, como modelo de cultura e civilização. Aohabitações. passo que a sociedade, a cultura, ou até mesmo o A cultura pode ser distinguida próprio “outro” é considerado inferior, atrasado,conceptualmente da sociedade, mas há conexões selvagem. Isso lhe faz lembrar algo?muito estreitas entre estas noções. Uma sociedade é Alguma semelhança com o primeiro contatoum sistema de inter-relações que ligam os indivíduos dos europeus com os povos da América?em conjunto. Nenhuma cultura pode existir sem uma Mas como falamos anteriormente, nãosociedade. Mas, igualmente, nenhuma sociedade precisamos ir muito longe nem no tempo, nem noexiste sem cultura. Sem cultura, não seríamos de espaço; no nosso dia-a-dia muitas vezes temosmodo algum humanos, no sentido em que atitudes como estas diante de grupos com os quaisnormalmente usamos este termo. Não teríamos uma temos contato quase que diário. Negros, mulheres,língua em que nos expressássemos, nem o sentido homossexuais, portadores de necessidades especiais, moradores de rua, idosos, acabam sendo 2
  3. 3. rotulados ou esteriotipados por nós quando nos 3) O que é relativizar, dentro do conceitodeparamos com seu modo de ser e viver, de ralativismo cultural?eventualmente diferente do nosso. Aotransformarmos as diferenças em obstáculos paranos aproximarmos ou nos relacionarmos com taispessoas e emitir juízo de valor sobre seu modo de TEXTO COMPLEMENTARser e viver estamos tendo atitudes etnocêntricas. O conceito de etnocentrismo está, porém, Os Esquimósbastante ligado ao outro conceito – o relativismo Por Thais Pacievitchcultural. Pode-se dizer que seu elo encontra-se nofato de uma posição relativista servir para libertar oindivíduo das perspectivas deturpadoras doetnocentrismo, ou seja, ao relativizarmos nossaposição diante das diferenças culturais do outro Os esquimós (ou inuit como seaceitamos a idéia de que os indivíduos são resultado autodenominam) vivem no Ártico, uma das regiõesde um modo de vida específico e particular com seus mais frias da Terra. As teorias mais propagadaspróprios sistemas de valor e sua cultura. afirmam que seu assentamento nas regiões mais A partir da idéia de relativismo cultural frias do planeta se deve ao rechaço de que foramtivemos mudanças significativas nos estudos objeto por parte dos índios americanos (há 12.000antropológicos uma vez que tais estudos buscam anos), quando chegaram ao Alaska, vindos doestudar, mas sobretudo compreender os costumes nordeste da Ásia e através do Estreito de Bering.dos diferentes povos a partir de seus próprios Hoje, os esquimós não formam nemvalores, permitindo desta forma conhecer e entender pertencem a alguma nação. Trata-se de um povode forma mais próxima os significado dos costumes solidário, acolhedor e muito pacífico. São nômadesdestas diferentes culturas e assim conviver melhor por natureza. Sua civilização se baseia na família,com aquilo que parecia “exótico”. patriarcal e poligâmica, na qual o homem tem mais As culturas são diferentes umas das outras, mulheres na medida em que possui mais riquezas.e nesse sentido o relativismo cultural defende o As crianças são muito importantes para ospressuposto de que as análises e estudos devem ser esquimós porque, de acordo com suas crenças, ossempre relativas a cultura na sua origem, sendo pequenos são reencarnações de seus antepassados.assim impossível a aplicação de normas e valores Os inuit crêem na existência de seres superiores aosabsolutos em tais estudos. quais não é necessário cultuar ou mesmo fazer Relativizar, portanto, é não transformar a orações.diferença em hierarquia, não valorar aos sereshumanos com base em critérios de superioridade e Vila de Esquimósde inferioridade, ou conceber diferentes culturas sob A estatura dos esquimós é pequena, osuma perspectiva dicotômica de bem e mal; é preciso homens medem, em média, 1,60 m e as mulheres 10vê-las sob sua dimensão de riqueza, o que decorre cm menos. Seus corpos são fortes e seus membrosda diferença. (Mortari, 2002, p. 34) curtos. Relativizar, porém, não significa tornar tudo As terras do norte, extremamente frias, nãorelativo. Devemos olhar, por exemplo, o significado permitem o crescimento de plantas, as únicas coisasde um ato não na sua dimensão absoluta, mas no que os esquimós podem fazer para sobreviver écontexto em que o mesmo aconteceu. caçar e pescar. É muito característico dos esquimós Compreender o outro de acordo com os andar acompanhados de cães, usados para caçar eseus próprios valores e não com base nos nossos, puxar os trenós, seu principal meio de transporte.perceber as coisas de forma que se desenvolva uma Dentro de suas casas, as mulheres seperspectiva inter-relacional e não como uma via de dedicam a cozinhar e costurar, enquanto os homensmão única. Nesse sentido a relativização cultural preparam seus utensílios para caçar e pescar focas edeve ser uma via de mão dupla em que o contato e baleias. Os esquimós aproveitam tudo dos animaisconhecimento com a cultura ou o modo de ser do caçados: carne, gordura, pele, ossos e intestinos.“outro” deve nos levar a repensar nossas atitudes e Sua dieta habitual era a carne fervida, mas devido àconceitos, percebendo que os mesmos não são lentidão deste processo e a escassez do combustívelúnicos e não devem se tornar a única referência em animal que era necessário, este povo passou a comenossas vidas, ou “as lentes” da realidade. Desta carne crua. A origem da palavra esquimó (no idiomaforma a diferença pode-se tornar uma alternativa e algonquino) quer dizer comedor de carne crua.não uma ameaça e a sociedade se tornar menos As roupas dos esquimós são feitas com pelehostil e preconceituosa! de foca, com a pelagem voltada para dentro e forradas com pele de urso ou de raposas, que as mulheres mascam com seus dentes e curtem com urina. Estas roupas são costuradas com os tendões dos animais. ATIVIDADE Durante o inverno é comum que os alimentos fiquem escassos, época em que os 1) Conceitue com suas homens saem para viajar e caçar. Quando as palavras os seguintes expedições duram muitos dias, é necessário construir termos: casas temporárias, feitos com gelo, os iglus são estesCultura; famosos refúgios.Relativismo cultural; A língua esquimó está dividida em quatroEtnocentrismo. dialetos bem parecidos, que só tem Substantivos e verbos. 2) Dê um exemplo de situação onde Fonte:http://www.infoescola.com/curiosid ocorre o etnocentrismo. ades/esquimos/ 3
  4. 4. Inicialmente, a categoria do patrimônio que mereceu atenção foi a que se relaciona mais Pesquisa: diretamente com a vida de todos, qual seja o patrimônio histórico representado pelas edifi cações e Produza uma pesquisa sobre um povo objetos de arte.que possui uma cultura bem diferente da nossa. Paulatinamente, ocorreu a passagem daProduza um pequeno (10 linhas) texto descritivo noção de patrimônio histórico para a desobre ele (o melhor texto da turma receberá ponto patrimônio cultural, de tal modo que uma visãoextra). inicial reducionista que enfatizava a noção do patrimônio nos aspectos históricos consagrados por uma historiografia oficial foi-se projetando até uma Tradição versus Costume nova perspectiva mais ampla que incluiu o “cultural”, incorporando ao “histórico” as dimensões testemunhais do cotidiano e os feitos não-tangíveis. As tradições, mesmo as inventadas, Portanto, a noção moderna de patrimônio se caracterizam pela cultural não se restringe mais à arquitetura, mesmo invariabilidade (são fixas) e pela sendo indiscutível que a presença de edificações é repetição do passado real ou forjado um ponto alto da realização humana.ao qual elas se referem. O costume não pode ser Deste modo, o significado de patrimônioinvariável, porque a própria vida não é assim. cultural é muito mais amplo, incluindo diversos Um bom exemplo está no direito: costume é produtos do sentir, do pensar e do agir humano.o que fazem os juízes; a tradição é a peruca, a toga No âmbito internacional, durante as últimase os demais acessórios rituais que cercam a ação do décadas, delinearam-se uma série de instrumentosmagistrado. É como também a universidade: costume jurídicos, convenções, declarações, resoluções eé se formar após o término do curso; tradição é jogar recomendações relativas à proteção do patrimônioo barrete para o alto. cultural, de tal maneira que as convenções e recomendações aprovadas pela UNESCO vêm enriquecer o Direito Internacional da cultura e os direitos internos com a elaboração de leis próprias no sentido dado pela UNESCO. Como “Patrimônio Mundial” a UNESCO define todos os bens que Manifestações possuam um caráter excepcional. Ao considerarmos o “Patrimônio” um bem herdado do passado, culturais e patrimônio investimo-lo de um significado de “referência”. Em outras palavras, tornamos o “Patrimônio” cultural insubstituível para nossa identidade, portanto cabe a nós a efetiva defesa da preservação e divulgação O que se entende por manifestações desse legado cultural.culturais? De acordo com a Constituição Brasileira de 1988, os bens sócio-ambientais diferem-se em Para a Antropologia Cultural, culturais, históricos, artísticos, arqueológicos, manifestação cultural é toda forma de etnográficos e paisagísticos. São bens que têm a expressão humana, seja através de característica de estarem vinculados à história, celebrações e rituais ou através de memória ou cultura do país. outros suportes como imagens Portanto, tem-se que o patrimônio pode fotográficas e fílmicas. abarcar manifestações culturais intangíveis, como as tradições orais, a música, idiomas e festas, além dos Além disso, sabemos que as expressões bens artísticos.das culturas humanas também são veiculadasatravés de outras linguagens, escritas ou verbais. Opatrimônio também se constitui como uma Neste sentido, as festas populareslinguagem que expressa uma forma de sentir e expressam as formas identitárias depensar um acontecimento, um tempo, uma dada grupos locais, onde o motivo deforma de ver as coisas do mundo. encontro, de fé ou simplesmente de Em sua origem, o patrimônio estava ligado celebrar atrai e identifca devotos eàs estruturas familiares, econômicas e jurídicas de indivíduos de mesma identidade. Asuma sociedade estável, enraizada no tempo e no manifestações populares possuemespaço. Hoje a idéia de patrimônio designa um bem um caráter ideológico uma vez quedestinado ao usufruto de uma comunidade, comemorar é, antes de mais nada,constituído pela acumulação contínua de uma conservar algo que ficou na memóriadiversidade de objetos que se congregam por seu coletiva (Paiva Moura, 2001) e formapassado comum: obras e obras primas das belas de manifestação cultural.artes e das artes aplicadas, trabalhos e produtos detodos os saberes das comunidades humanas. A idéia de um patrimônio comum a um gruposocial, definidor de sua identidade e enquanto tal É importante ressaltar que patrimôniomerecedor de proteção perfaz-se através de práticas histórico-cultural não é apenas o acervo de obrasque ampliaram o círculo dos colecionadores e raras ou da cultura de um passado distante; é aapreciadores de antiguidades e se abriram a novas valorização e o conhecimento dos bens culturais quecamadas sociais: exposições, vendas públicas, podem contar a história ou a vida de uma sociedade,edição de catálogos das grandes vendas e das de um povo, de uma comunidade. Será através docoleções particulares. 4
  5. 5. contato com tais bens que conheceremos a memória socialmente marcada (através deou até mesmo a identidade de um povo. índices como corpulência, cor, forma Cabe lembrar ainda que todos os bens do rosto), mas também o corponaturais, ou culturais, materiais ou imateriais, socialmente tratado (com a roupa, osconstituem o patrimônio cultural do Brasil, desde que adereços, a cosmética e,estes sejam portadores de referência à identidade, à principalmente, as maneiras e aação e à memória de diferentes elementos conduta) (1998, p. 193).étnicoculturais formadores da nação brasileira. Através do conhecimento do nossopatrimônio cultural, podemos aprender sobre nossa (...) o processo inicial de acumulação domemória e, conseqüentemente, exercer a cidadania. capital cultural tem inicio, ainda que inconscientemente, desde a origem, sem atraso, sem perda de tempo, pelos membros das famílias que possuem capital cultural. Isso permite pensar que um filho de família de classe média terá mais sucesso do que o filho de um operário, que por sua vez terá mais ATIVIDADE de auto- que um filho de um trabalhador do campo. Desse modo, a posse de capital cultural favoreceria o avaliação desempenho escolar na medida em que facilita a aprendizagem dos conteúdos e códigos escolares. As Após você ter desenvolvido os estudos referências culturais, a erudição e o domínio maior oudesta unidade realize uma leitura cuidadosa sobre as menor da língua culta, trazidos de casa por certasquestões a seguir. crianças, facilitam o aprendizado escolar à medida que funcionariam como ponte entre o mundo familiar 4) Defina tradição inventada e procure e a cultura escolar. A educação escolar, no caso de exemplificar observando em sua cidade crianças oriundas de meios culturalmente essa manifestação. favorecidos, seria uma espécie de continuação da 5) Dê um exemplo de manifestação educação familiar, enquanto para as outras crianças popular realizado em seu município. significaria algo estranho, distante ou mesmo ameaçador. Capital cultural, nas palavras de Bourdieu, pode ser assim definido: (...) conjunto de recursos atuais ou A importância do capital potenciais que estão ligados à posse de uma rede durável de relações mais ou menos cultural: contribuição de institucionalizadas de interconhecimento e de Pierre Bourdieu interreconhecimento ou, em outros termos, à vinculação a um grupo, como conjunto de agentes que não somente são dotados de propriedades (...) o capital cultural é o que pode designar comuns (passíveis de serem percebidas peloo sucesso ou o fracasso de cada aluno. Afinal, observador, pelos outros ou por eles mesmos), masalgumas evidências apontam que as limitações do também são unidos por ligações permanentes e úteisconceito de capital econômico explicam a ligação (Bourdieu, 1998, p. 28).entre o nível socioeconômico e os bons resultados De acordo com o que foi dito, para Bourdieu,educacionais. Isso nos faz considerar que outras é a família que realiza os investimentos educativosformas de capital, como o social e o cultural, que transmitem para a criança um determinadocontribuem diretamente e interagem com o capital quantum de capital cultural durante seu processo deeconômico para fortalecer as relações sociais. socialização, que inclui saberes, valores, práticas, Ao longo da primeira metade do século XX, expectativas quanto ao futuro profissional e a atitudea visão predominante atribuía à escola o papel da família em relação à escola. Bourdieu observacentral na construção de uma nova sociedade, justa, também que o grau de investimento na carreiramoderna, aberta e democrática, na qual a escola escolar está vinculado ao retorno provável que sepública e gratuita garantiria o acesso à educação, e, pode obter com o título escolar, não apenas noconseqüentemente, à igualdade de oportunidades. mercado de trabalho, mas também nos diferentesFoi, entretanto, no contexto da democratização do mercados simbólicos, como o matrimonial, poracesso à escola fundamental e do prolongamento da exemplo.escolaridade obrigatória que se tornou evidente o Fonte: www.educacaopublica.rj.gov.brproblema das desigualdades de escolarização entreos grupos sociais. O otimismo marcante do períodoanterior foi substituído por uma postura de cunhomais pessimista, embasada na influência da origemsocial nos resultados escolares, ou seja, a forterelação existente entre desempenho escolar e origem ATIVIDADEsocial (classe, etnia, sexo, local de moradia, entreoutros). Nas palavras de Pierre Bourdieu: 6) O que é capital cultural? 7) Qual a importância do capital cultural? Não há dúvida de que os julgamentos que pretendem aplicar-se a pessoas 8) Você concorda que indivíduos dotados em seu todo levam em conta não de capital cultural tendem a ter maiores somente a aparência física sucessos na escola e na vida propriamente dita, que é sempre profissional? Por quê? 5
  6. 6. Regionalismo substâncias materiais, e têm seus conhecimentos tomados como reais e verdadeiros por todos os Por Cristiano das Neves Bodart membros da sociedade. Fazem parte dela as crenças, a fé, as orações, as preces, os valores, os O regionalismo é uma hábitos, os conhecimentos, as normas, os costumes, manifestação ideológica, marcada as idéias, os comportamentos, as aptidões, os por uma identidade social imposta. significados, entre outras coisas. Como força política, apresenta a Podemos assim esquematizá-la:possibilidade de mobilizar a sociedade em torno deum dado interesse ou de um projeto identitário daregião. O regionalismo manifesta-se por porta-vozes,as lideranças regionais, que são legitimadas a falarem nome do grupo. Bourdieu se refere ao regionalismo comouma manifestação étinico-cultural, mas é possívelanalisá-la com uma óptica política, de um jogo dedominação. A identidade “consensual” podendo serinterpretada como uma afirmação das relações depoder, sendo ela a manifestação de uma visão daclasse hegemônica. O regionalismo é uma expressão TRABALHO AVALIATIVOda luta de classe dentro do território, representando Tarefa: produzir um pequeno documentárioas manifestações hegemônicas ideológicas. em vídeo utilizando o “Windows Movie maker” O fenômeno do regionalismo possibilita uma abordando uma manifestação cultural típica daabordagem dos elos entre os processos e relações nossa região;internos à região e os externos a ela. A noção de Formato obrigatório do vídeo: “Windowsregião é bem delimitada pelo regionalismo, portanto, Media Player”podemos afirmar que o regionalismo proporciona a Tempo máximo: 8 minutos;legitimidade de uma região. A título de exemplificaçãopodemos citar as relações de poder que se dá sobreo território. Em Piúma, por exemplo, existe umaespécie de regionalismo em alguns bairros, onde os ATIVIDADEindivíduos que ali residem se sentem donos doterritório e dos elementos que ali existem. É (ou pelomenos era) comum um indivíduo “dono do território”ao brigar em uma festa (em seu bairro) com alguém 10) Dê três exemplos dede outro lugar receber apoio do grupo local, cultura material eprincipalmente quando esse outro alguém buscou dois exemplos de cultura imaterial queconquistar alguma mulher daquele território. O que está diretamente ligada a sua cultura.motivará a briga será a identificação do grupo e aameaça de seu domínio. Cultura capixaba: Dicionário Capixabês ATIVIDADE Para o capixaba não tem essa de "mermão", nem de "ô loco"... - Nada de "meu rei", "barbaridade", "uai", 9) Busque identificar "sô", muito menos "vixe". Capaixaba tem linguajar uma situação onde há manifestação do próprio. Duvida? regionalismo em Piúma ou no estado. Então veja só: - Em qualquer lugar do Brasil, a bola ESTOURA. Para o capixaba, ela POCA (pronuncia-se "póca", com ênfase no "ó", como pó...) - Por sinal, "pocar" é um verbo que só existe na Cultuara Material e língua capixabesa. Cultura Imaterial Eu poço Tu poças Ele poca... A cultura divide-se em dois aspectos que Capixaba não vai embora. Ele "poca fora".compõem-na: a cultura material e a cultura imaterial. Outras:A cultura material envolve a parte concreta desta, e é Capixaba não rouba, ele "cata".fabricada pelos homens com materiais concretos, Para o capixaba, um acidente de carro éportanto exige um certo grau de tecnologia, e uma "chapoletada".também produtos, técnicas, construções, normas e Capixaba não desembarca do ônibus, elecostumes que regulamentam sua utilização. Fazem "salta".parte dela os rituais, os cultos, os objetos sagrados Capixaba não tem medo de lagartixa, mas(como imagens, objetos dos rituais, textos sagrados, sim de "taruíra".entre outros), oferendas, manifestações, santuários, Capixaba não vai ao centro, ele vai Àlugares sagrados, instrumentos, vestes, casas, artes CIDADE.plásticas, etc. Já a cultura imaterial, que envolve a Capixaba não chama a polícia, chamaparte espiritual desta, é intangível, não é feita de "uszomi". 6
  7. 7. Capixaba não pega ônibus, pega "buzú". coleções arqueológicas, acervos museológicos, Capixaba não sente agonia, ele sente documentais, bibliográficos, arquivísticos,"gastura". videográficos, fotográficos e cinematográficos. Capixaba não se estressa, ele ficaINJURIADO. Fonte: http://portal.iphan.gov.br/ Capixaba não pára no semáforo, pára noSINAL. Para o capixaba, as coisas não se estragam,elas "dão tilt". Capixaba não come pão francês, ele come ATIVIDADEPÃO DE SAL. Capixaba inicia as frases com "deixa falar..." - Para capixaba, não existe tangerina, e sim"mixirica". 12) Diferencie patrimônio material de Capixaba não sai à noite. Ele vai "pros rock", patrimônio imaterial. Dê dois exemplosmesmo se "os rock" for techno, axé, pagode... de cada tipo de patrimônio. Capixaba não acha Sem graça, ela acha 13) Dê quatro exemplos de patrimônio"palha". imaterial existente em Piúma? Faça o Capixaba não BEIJA MULHER, "PEGA (ou mesmo em relação ao patrimônioPANHA)". material Capixaba não diz COMO VAI, diz "QUALÉ". Capixaba não fala NÃO, fala "É RUIM,HEIN!". Capixaba não vai DUPLICAR a rodovia, vai"ENLARGUECER." Capixaba não fala UM, DOIS, TRÊS E JÁ,fala "UM, DÓ, LÁ, SI, JÁ." ATIVIDADE AVALIATIVA EM Se você entender pelo menos 3/4 dessetexto, parabéns! Você tem é capixaba. GRUPO Produzir um documentário abordando os patrimônios imateriais e materiais de Piúma. ATIVIDADE 11) A “linguagem do capixaba” faz parte da cultura material ou imaterial? Justifique CULTURA, sua resposta. SUBCULTURA, CONTRACULTURA Conceituando: Patrimônio Na Sociologia, Antropologia e estudos Cultural Imaterial e Material culturais, uma subcultura é um grupo de pessoas com características distintas de comportamentos e credos que os diferenciam de uma cultura mais ampla da qual elas fazem parte. A subcultura pode se A Unesco define como destacar devido à idade de seus integrantes, ou porPatrimônio Cultural Imaterial "as práticas, sua raça, etnia, classe e/ou gênero, e as qualidadesrepresentações, expressões, conhecimentos e que determinam uma subcultura como distinta podemtécnicas - junto com os instrumentos, objetos, ser de ordem estética, religiosa, ocupacional, política,artefatos e lugares culturais que lhes são associados sexual, ou por uma combinação desses fatores.- que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, O termo contracultura pode se referir aoos indivíduos reconhecem como parte integrante de conjunto de movimentos de rebelião da juventudeseu patrimônio cultural." que marcaram os anos 60: o movimento hippie, aO Patrimônio Imaterial é transmitido de geração em música rock, uma certa movimentação nasgeração e constantemente recriado pelas universidades, viagens de mochila, drogas e assimcomunidades e grupos em função de seu ambiente, por diante. Trata-se, então, de um fenômeno datadode sua interação com a natureza e de sua história, e situado historicamente e que, embora muitogerando um sentimento de identidade e continuidade, próximo de nós, já faz parte do passado. De outrocontribuindo assim para promover o respeito à lado, o mesmo termo pode também se referir adiversidade cultural e à criatividade humana. alguma coisa mais geral, mais abstrata, um certo espírito, um certo modo de contestação, deO Patrimônio Material com base em legislações enfrentamento diante da ordem vigente, de caráterespecíficas é composto por um conjunto de bens profundamente radical e bastante estranho às forçasculturais classificados segundo sua natureza nos mais tradicionais de oposição a esta mesma ordemquatro Livros do Tombo: arqueológico, paisagístico e dominante. Um tipo de crítica anárquica – estaetnográfico; histórico; belas artes; e das artes parece ser a palavra-chave – que, de certa maneira,aplicadas. Eles estão divididos em bens imóveis ‗rompe com as regras do jogo‘ em termos de modocomo os núcleos urbanos, sítios arqueológicos e de se fazer oposição a uma determinada situação.paisagísticos e bens individuais; e móveis como Uma contracultura, entendida assim, reaparece de 7
  8. 8. tempos em tempos, em diferentes épocas e Atualmente, essa manifestação se diversificou esituações, e costuma ter um papel fortemente protagoniza a realização de diversos projetos sociaisrevigorador da crítica social. que divulgam cultura e educação. A partir de todos esse fatos era difícil Com respeito ao conceito de contracultura,ignorar-se a contracultura como forma de não podemos simplesmente pensar que ele vácontestação radical, pois rompia com praticamente simplesmente definir a existência de uma culturatodos os hábitos consagrados de pensamentos e única e original. Pelo contrário, as manifestações decomportamentos da cultura dominante, surgindo traço contracultural têm a importante função deinicialmente na imprensa, foi ganhando espaço no revisar os valores absorvidos em nosso cotidiano e,sentido de lançar rótulos ou modismos. dessa forma, indicar novos caminhos pelo qual o homem trilha suas opções. Assim, é necessário sempre afirmar que contracultura também é cultura! ATIVIDADE ATIVIDADE 14) Qual a diferença entre cultura, subcultura e contracultura nas 16) O que é contra-cultura? organizações? 15) A partir de suas observações da 17) Dê um exemplo de contra-cultura não sociedade local, exemplifique uma apresentado no texto. manifestação social que pode ser classificada como: a) Cultura. b) Subcultura c) Contracultura CULTURA DE MASSA E INDÚSTRIA CULTURAL A indústria cultural foi um termo criado por Adorno e Horkheimer, A Contra-cultura autores da escola de Frankfurt, que referenciavam este fenômeno ao que também Podemos notar que o conhecemos como “cultura de massa”, ou seja, a desenvolvimento de costumes vão produção em larga escala de elementos da cultura. justamente contra os pressupostos Ela é um dos frutos do sistema capitalista em quecomungados pela maioria. Foi nesse momento em vivemos.que passou a se trabalhar com o conceito de Com o estabelecimento do capitalismo, as“contracultura”, definidor de todas as práticas e cidades vão se transformando em pólos industriais emanifestações que visam criticar, debater e de importância social. Com isso, a população urbanaquestionar tudo aquilo que é visto como vigente em aumenta e se torna o alvo do mercado e seusum determinado contexto sócio-histórico. integrantes se transformam em consumidores em Um dos mais reconhecidos tipos de potencial, o que é conseqüência de um barateamentomanifestação contra-cultural aconteceu nas décadas da mercadoria industrializada, produzida em série.de 1950 e 1960, nos Estados Unidos. Após a saída O mercado, em geral, se dinamiza, atingindodeste país da Segunda Guerra Mundial, um até a esfera cultural que, também, passa a serverdadeiro “baby-boom” foi responsável pelo transformada em mercadoria.surgimento de uma nova geração que viveria todo o Você já se perguntou por que os hábitos econforto de um país que se enriqueceu rapidamente. até os padrões de beleza sempre mudam? Com aContudo, ao contrário do que se podia esperar, essa propagação da cultura de massa entra em cena umgeração desempenhou o papel de apontar os limites novo padrão de beleza, uma nova estética quee problemas gerados pela sociedade capitalista. influencia o gosto das pessoas. Rejeitando o elogio cego à nação, o trabalho O sistema de capital percebe que uma massae a rápida ascensão social, esses jovens buscaram emerge e, mais ainda, percebe que além de seum refúgio contra as instituições e valores que produzir mercadorias de consumo geral para essadefendiam o consumismo e o cumprimento das massa, poderia ser possível produzir, também, e emobrigações. A partir daí foi dado o aparecimento do larga escala, elementos da cultura, transformando-osmovimento hippie, que incitou milhares de jovens a em mercadorias. Daí o termo cultura de massa oucultuarem o amor livre, o desprendimento às para as massas, pois a partir do momento que seconvenções e o desenvolvimento de todo um mundo produz em série para o consumo do povo em geral,que fosse alternativo ao que fosse oferecido pelo para existir um novo padrão de significações na visãosempre tão criticado “sistema”. de mundo, no que as pessoas pensam, sentem e No Brasil, essa ideia de contracultura pode agem. Sabe aquela propaganda na TV que lheser observada com o desenvolvimento do movimento deixou com uma vontade de tomar um refrigerantehip hop. Embalados pela “beat” eletrônico e letras bem gelado, em pleno dia de verão?com rimas ácidas, diversos jovens da periferia dos Ou... Aquele belíssimo carro, aquela casa dosgrandes centros urbanos absorveram um gênero seus sonhos, as roupas da última moda... Osmusical estrangeiro para retratar a miséria e violência celulares de última geração... Hum... São tantas asque se alastravam em várias cidades do país. emoções e opções expostas e impostas pela mídia! 8
  9. 9. Realmente são muitas as opções, no entanto... Tudo publicidade, também denominada propagandao que é produzido pela indústria cultural custa comercial.dinheiro, ou seja, podemos “comprar” se tivermos as A propaganda eleitoral, geralmente, é realizadacondições financeiras. em vésperas de eleições. Suas mensagens, E o capital, onde ele entra em tudo isso? Bom, veiculadas pelos meios de comunicação oueste por sua vez se apropria das expressões divulgadas diretamente através de discursos e apelosculturais, que podem ser: os jornais, livros, filmes, pessoais, convidam a votar em determinadopeças teatrais, músicas, tudo o que possa expressar candidato, enaltecem suas qualidades positivas ea cultura de determinado grupo social. E então, ele a informam sobre as obras que realizou no passado etransforma em produto para o consumo fazendo com as que irá fazer no futuro, se eleito.que a dicotomia entre popular e erudito quase se A produção desses anúncios envolve diversas eanule, pois a indústria cultural visa a compra e venda diferentes etapas. A empresa que deseja aumentarde tudo que ela produz, não importando se a as vendas, o número de usuários de seus serviços,burguesia está consumindo um CD de música Funk, ou o candidato que quer ser eleito, contrata umaoriginado e tocado nos bailes da periferia. agência de propaganda. A partir daí, profissionais Quando falamos em cultura e, principalmente especializados passam a estudar cuidadosamente osem cultura de massa e indústria cultural a coisa não é diversos aspectos que lhes permitam adquirir umdiferente. O que sempre vai estar em jogo é a perfeito conhecimento da situação. Verificam asmanipulação dos valores e padrões estéticos visando características do produto ou serviço, formas deao controle das massas. Contudo, as classes sociais distribuição, preços e informam-se sobre ospodem ter suas percepções e visões de mundo e concorrentes. No caso de candidatos a cargostambém propagá-las. políticos, analisam suas qualidades, aspectos físicos, idéias que defendem etc. Obtido o maior número Indústria cultural é o nome dado à possível de informações, a agência passa a empresas e instituições que trabalham investigar os prováveis consumidores ou eleitores. com a produção de projetos, canais, Pesquisa seus hábitos, expectativas, motivações, jornais, rádios, revistas e outras formas desejos e todos aqueles elementos necessários para de descontração, baseadas na cultura, prever as atitudes que poderão assumir em face das visando o lucro. Sua origem se deu propostas a serem apresentadas. Verifica, ainda, os através da sociedade capitalista que hábitos de leitura, locais que freqüentam, canais de transformou a cultura num produto televisão e estações de rádio que preferem e os comercializado. respectivos horários. De posse de todos esses (Luiz Reginaldo Silva) dados, relativos ao que deve ser anunciado, às pessoas que devem receber as mensagens e aos veículos de divulgação, a agência prepara a Assista ao vídeo “A História das coisas” em: campanha. Tem condição, assim, de criar os comerciais e anúncios de forma atrativa e http://www.youtube.com/watch?v=lgmTfPzLl4E convincente para, em seguida, difundi-los nos locais, veículos e horários mais adequados à consecução dos objetivos que tem em vista. A pessoa que recebe a comunicação não encontra nenhuma dificuldade em perceber que se ATIVIDADE trata de propaganda, ou seja, de que existe o fim específico de gerar uma predisposição para a compra ou utilização da serviço, criar uma imagem favorável da empresa ou obter votos. Pode, inclusive, evitar os 18) O que é cultura de apelos desligando a TV, mudando a estação do rádio massa? Quem a produz e com qual ou simplesmente não prestando atenção. objetivo? Há uma outra forma de propaganda que se desenvolve de maneira bem mais complexa. Nos casos até agora mencionados a meta era estimular apenas a prática de um ou alguns atos isolados. PROPAGANDA: IDEOLOGIA Promovia-se, como vimos, a escolha de bens ou E MANIPULAÇÃO serviços de certas empresas ou a opção de voto para o candidato de determinado partido. A propaganda ideológica ao contrário, é mais ampla e mais global. Ao assistir à televisão, ler um jornal Sua função é a de formar a maior parte das idéias e ou revista, ouvir rádio ou olhar um convicções dos indivíduos e, com isso, orientar todo ocartaz de rua, tem-se a atenção despertada para seu comportamento social. As mensagensmensagens que convidam a experimentar um apresentam uma versão da realidade a partir da qualdeterminado produto ou a utilizar algum serviço. São se propõe a necessidade de manter a sociedade nasanúncios que pedem para usar um sabonete, fumar condições em que se encontra ou de transformá-lacigarros de certa marca, depositar dinheiro numa em sua estrutura econômica, regime político oucaderneta de poupança e inúmeros outros. Outras sistema cultural.vezes, embora sem se referir especificamente aos Não é mais tão fácil perceber que se trata deprodutos ou serviços, os anúncios mencionam uma propaganda e que há pessoas tentando convencerdeterminada empresa ou instituição, falam de sua outras a se comportarem de determinada maneira. Asimportância para a sociedade, dos empregos que ela idéias difundidas nem sempre deixam transparecerpropicia ou de sua contribuição para o progresso do sua origem nem os objetivos a que se destina. Porpaís. Procuram, dessa forma, criar uma imagem trás delas, contudo, existem sempre certos grupospositiva da entidade para que se a considere com que precisam do apoio e participação de outros parasimpatia. Trata-se, em todos esses exemplos, de a realização de seus intentos e, com esse objetivo, 9
  10. 10. procuram persuadi-los agir numa certa direção. Eeles conseguem, muitas vezes, controlar todos osmeios e formas de comunicação, manipulando o O papel da mídia noconteúdo das mensagens, deixando passar algumasinformações e censurando outras, de tal forma que só consumismoé possível ver e ouvir aquilo que lhes interessa. Os noticiários de jornais, rádio e televisão e os Os órgãos midiáticos são osdocumentários cinematográficos transmitem as maiores responsáveis pela compulsividadeinformações como se fossem neutras, mera e simples consumista dos últimos tempos. Com propagandasdescrição dos fatos ocorridos. Mas, em verdade, essa apelativas e com o alto poder de persuasão, aneutralidade é apenas aparente, pois as notícias são televisão influencia a sociedade à prática dopreviamente selecionadas e interpretadas de molde a consumismo.favorecer determinados pontos de vista. Os filmes de Tal poder de influência da mídia a tornaficção, romances, poesias, as letras de músicas e capaz de distorcer ilusoriamente a natureza de certosexpressões artísticas de maneira geral parecem produtos, transformando o supérfluo em essencial.resultar da livre imaginação dos mais variados Esta transformação vem causando uma exageradaartistas. Todavia, a distribuição a promoção das valorização material por parte da sociedade, eobras são controladas de modo a só tornar atribuindo ao homem a necessidade psicológica deconhecidas aquelas cujo conteúdo não contrarie as comprar mais, e cada vez mais.idéias dominantes. As denominações de ruas e A supervalorização material é um gravepraças, as placas comemorativas e de sinalização, as problema, pois faz com que as pessoas gastem maisestátuas e efígies de pessoas, colocadas nos mais do que possuem. Ou pior, muitas vezes édiversos logradouros, aparentemente se destinam responsável pelo desvio de conduta do homem, poisapenas a servir de orientação ou a decorar os este passa a priorizar a posse, mesmo que para obtê-ambientes. Porém, na maioria dos casos, cuja vida la seja necessário ignorar princípios éticos e morais.deva servir de exemplo, com o objetivo de que sejam A mídia brasileira está recheada deimitadas em benefício da realização dos interesses informações fúteis e alienadoras, bem como de váriospromovidos pela propaganda. Professores programas que têm como a finalidade exclusiva deextravasam sua função de transmitir conhecimentos promover a própria emissora. Um bom exemplo é ocientíficos para divulgar concepções comprometidas programa Vídeo Show, que promove as "estrelas" dacom certas posições. Líderes religiosos, que se própria Rede Globo desde o primeiro até o últimopropõe a orientar seus adeptos pelos caminhos da minuto da exibição.paz espiritual e da salvação eterna, acabam Uma séria intervenção política, na área daempurrando-os para ações que favorecem lucros comunicação, é essencial para mudar o quadro demateriais e ambições terrenas. alienação populacional causada pela televisão. Por toda a parte e em todos os momentos são Impulsionar o desenvolvimento de programaspropagadas idéias que interferem nas opiniões das educativos que conscientizem a população dospessoas sem que elas apercebam isso. Desse modo, problemas sociais e econômicos do país e, aosão levadas a agir de uma outra forma que lhes é mesmo tempo, fiscalizar os conteúdos abusivos dasimposta, mas que parece por elas escolhida propagandas televisivas, são medidas que devemlivremente. Obrigadas a conhecer a realidade contribuir decisivamente para diminuir o problema dosomente naqueles aspectos que tenham sido consumismo.previamente permitidos e liberados, acabam tão Melhorar este quadro de ignorânciaenvolvidas que não têm outra alternativa senão a de populacional é possível, sim, mas é algo que só sepensar e agir de acordo com o que pretendem delas. concretizará quando o Estado deixar de preocupar-se (Nélson Jahr Garcia) com o domínio da massa através da alienação, e passar a priorizar o desenvolvimento social, IDEOLOGIA: é um conjunto de idéias, de usufruindo primordialmente da educação.procedimentos, de valores, de normas, de Fonte: http://luizreginaldo.blogspot.com/pensamentos, de concepções religiosas, filosóficas,intelectuais, que possui uma certa lógica, uma certacoerência interna e que orienta o sujeito paradeterminadas ações, de uma forma partidária e Sugestão de Filme: “História das Coisas”responsável. A ideologia é um poder social invisível Disponível em:que nos força a pensar como pensamos e agir como http://videolog.uol.com.br/video.php?agimos sem consciência crítica. id_video=353307 ATIVIDADE ATIVIDADE 21) Dê um exemplo de propaganda que 19) Dê três exemplos de manipulação exerce uma forte influência sobre oexercida pela mídia sobre a sociedade atual. gosto das pessoas e outro exemplo de propaganda que influencia no 20) Os noticiários são neutros comportamento da sociedade.quanto aquilo que transmitem? Justifique suaresposta. 10
  11. 11. 22) Qual o principal objetivo dos anúncios todas as partes.Estes apelos consumistas acabam de TV? tentando achatar as necessidades humanas em algumas faixas, padronizando desejos, as aspirações e colocando como condições única de bem estar a 23) Já observaram que sempre que há um aquisição daquele apetrecho que se encontra em comercial de bebida alcoólica é moda.Com isso, as necessidades passam a ser envolvido neles mulheres bonitas. Qual impostas de fora para dentro, de uma forma seria o objetivo dessa ação? massacrante. Muitas vezes, as pessoas nem questionam as imposições sociais, mas dentro delas nasce o conflito entre as necessidades interiores e 24) Dê um exemplo de ideologia. autênticas e as exteriores, impostas. Um dos dois pólos tem que ser esmagado para o outro sobreviver e, infelizmente, a força social e a 25) Com base nas charges (a e b) produza demanda consumista parecem falar mais alto. um texto abordando a temática Aliado a isso, as próprias dificuldades pessoais fazem “manipulação da indústria cultural”. com que as pessoas se voltem mais para a aquisição de coisas que lhes proporcionarão mais prazer. a) Como o relacionamento com os outros não lhes está sendo uma fonte de prazer, passam a comprar esse prazer em forma de casa bonita, carro novo, roupas, jóias etc. Talvez, aí, possa estar uma explicação para o fato de pessoas lutarem tanto para conseguir alguma coisa e, quando conseguem, desinteressam- se imediatamente. Ter como guia necessidades e valores impostos de fora para dentro levam, no mínimo, a uma grande decepção, quando não levam a depressão e a falta de motivação para a luta e para a vida. SANDRA STELA GRECO, psicóloga. A Influência da Mídia Sobre os Padrões de Belezab) Os padrões de beleza é um assunto polêmico e gerador de controvérsias, o que se vê nos dias atuais são mulheres insatisfeitas com sua imagem e atrativos físicos. O que ocorre é que estes padrões mexem com o psicológico das mulheres, pois fica claro o conflito, não sabem como se valorizar pelos pensamentos e atitudes, pois existe uma influência acirrada que impõe padrões magérrimos fazendo-as acreditar, cada vez mais, que só serão bem aceitas pela sociedade se aproximando dos mesmos. Esses padrões são definidos pelas propagandas na TV e em revistas. Isto é resultante de uma mídia capitalista que bombardeiam tantas informações de forma que a mulher chega até mesmo a esquecer sua individualidade e a natureza da beleza. Os resultados desta forte influência são notórios, como a obsessão pela magreza, as dietas, a malhação, a cirurgia plástica, a moda, os produtos de Comportamento - Consumir para beleza, todos vendidos pela mídia. O que fica claro é o mito existente dentro sublimar destes padrões “vendidos”, uma vez que estas mulheres são magérrimas, vivem em prol da beleza, ganham milhões para terem corpos esbeltos; o que Algumas pessoas costumam difere bastante da realidade da mulher moderna queavaliar seu grau de sucesso e mesmo de felicidade, precisa sair para o mercado de trabalho, seatravés dos bens materiais que possuem ou através desdobrarem entre suas várias funções e ainda lidarda facilidade e da disponibilidade para comprá-los. É com a cobrança interna e externa exigidas por essesa sociedade consumista incentivando o Ter as coisas padrões.e levando pessoas a se sentirem extremamente mal Para fugir desses padrões, que às vezese por baixo, na medida em que não conseguem agridem tanto o aspecto físico quanto o emocional,atender aos apelos consumistas que lhes vêm de talvez seja necessário que as pessoas ressignifiquem 11
  12. 12. seus conceitos de beleza, priorizando seus pontos modo tão agressivo que suprimem as outras culturasfortes, afim de, descobrir sua beleza natural. nacionais. Patrícia Lopes - Equipe Brasil Escola Outros autores, pelo contrário, associaram os processos de globalização a uma crescente Fonte: diferenciação no que diz respeito a formas ehttp://www.brasilescola.com/sociologia/a- tradições culturais. Ao contrário dos que insistem noinfluencia-midia-sobre-os-padroes-beleza.htm argumento da homogeneização cultural, estes autores afirmam que a sociedade global se caracteriza atualmente pela coexistência lado a lado de uma enorme diversidade de culturas. Às tradições Globalização cultural: locais, junta-se um conjunto de formas culturais adicionais provenientes do estrangeiro, presenteando imperialismo ou diversidade? as pessoas com um leque estonteante de opções de escolha de estilos de vida. Estaremos a assistir à “O impacto cultural da globalização foi fragmentação de formas culturais, e não à formaçãoalvo de muita atenção. Imagens, idéias, produtos e de uma cultura mundial unificada. As antigasestilos disseminam-se hoje em dia pelo mundo inteiro identidades e modos de vida enraizados em culturasde uma forma muito mais rápida. O comércio, as e em comunidades locais estão a dar lugar a novasnovas tecnologias de informação, os meios de formas de ‘identidade híbrida’, compostas porcomunicação internacionais e a migração global elementos de diferentes origens culturais. Destefomentaram um fluxo sem restrições de cultura que modo, um cidadão negro e urbano da África do Sultranspõe as fronteiras das diversas nações. Muitas atual pode permanecer fortemente influenciado pelaspessoas defendem que vivemos hoje numa única tradições e perspectivas culturais das suas raízesordem de informação – uma gigantesca rede mundial, tribais, mas simultaneamente adaptar um gosto e umonde a informação é partilhada rapidamente e em estilo de vida cosmopolitas – na roupa, no lazer, nosgrande quantidade. (…) tempos livres, etc. – que resultam da globalização.” Segundo estimativas, centenas de milhõesde pessoas do mundo inteiro assistiram ao filme Fonte: Anthony Giddens, Sociologia, 5ªTitanic, em salas de cinema ou em vídeo. Estreado edição, F. C. Gulbenkian, 2007, Lisboa, pp. 64-65.em 1997, o Titanic conta a história de um jovem casalque se apaixona a bordo do fatídico naviotransoceânico, e é um dos filmes mais populares desempre. O Titanic quebrou todos os records debilheteira, acumulando mais de 1,8 mil milhões dedólares de receitas provenientes de salas de cinemaem cinquenta e cinco países diferentes. Quando da Atividadeestréia do filme, formaram-se em muitos países filas 26) Descreva em poucas palavras ade centenas de pessoas para comprar bilhete, e as globalização cultural.sessões estavam permanentemente esgotadas (…) O filme é um dos muitos produtos culturais 27) Dê exemplos ilustrativos daque conseguiu quebrar as fronteiras nacionais e dar globalização cultural diferentes dosorigem a um fenómeno de verdadeiras proporções exemplos dados pelo autor.internacionais. (…) Uma razão que explica o sucesso de Titanicé o facto do filme reflectir um conjunto particular deideias e valores com que as assistências pelo mundofora conseguiam identificar-se. Uma das temáticascentrais do filme é a da possibilidade do amorromântico vencer as diferenças de classe social e astradições familiares. Embora este ideal seja, de umaforma geral, aceite na maior parte dos paísesocidentais, ainda não prevalece em muitas outrasregiões do mundo. O sucesso de uma película comoo Titanic reflete a mudança de atitudes em relação arelacionamentos pessoais e casamentos, porexemplo, em partes do mundo onde os valores maistradicionais têm prevalecido. No entanto, pode dizer-se que o Titanic, tal como muitos outros filmesocidentais, contribui para essa mudança de valores.Os filmes e programas de televisão produzidos noOcidente, que dominam as mídias mundiais, tendema avançar uma série de agendas políticas, sociais eeconômicas que refletem uma visão do mundoespecificamente ocidental. Alguns preocupam-se como fato da globalização estar a conduzir à criação deuma ‘cultura global’, em que os valores dos maisricos e poderosos – neste caso, os estúdios decinema de Hollywood – se sobrepõem à força doshábitos e das tradições locais. De acordo com estaperspectiva, a globalização é uma forma de‘imperialismo cultural’, em que os valores, os estilos eas perspectivas ocidentais são divulgados de um 12
  13. 13. Segundo trimestre Ethos Ethos, na Sociologia, é uma espécie de síntese dos costumes de um povo ou grupo social. O termo indica, de maneira geral, os traços característicos de um grupo, do ponto de vista social e cultural, que o diferencia de outros. Seria assim, um valor de identidade social. Unidade 2: Identidade A palavra ethos tem origem grega e significa valores, ética, hábitos e harmonia. É o "conjunto de hábitos e ações que visam o bem comum deCultural e Multiculturalismo determinada comunidade". Embora constitua uma criação humana, tal expressão normativa pode ser simplesmente observada, como no caso das ações IDENTIDADE por hábito, ou refletida a partir de um distanciamento consciente. Nesse caso, adentramos o terreno da ética enquanto discurso racional sobre o ethos. O termo "identidade" Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre. reapareceu tanto no vocabulário das ciências sociais como na linguagem corrente. Um pouco por todo o ladofala-se de "crise das identidades" sem se saber bemo conteúdo desta expressão: dificuldades de inserçãoprofissional dos jovens, aumento da exclusão social, ATIVIDADEmal-estar face às mudanças, desagregação dascategorias que servem para se definir a si próprio epara definir os outros... Como em qualquer períodoque se segue a uma crise econômica de grande 29) O que é ethos? Dê um exemplo.dimensão, a incerteza quanto ao futuro domina todosos esforços de reconstrução de novos quadros 30) Defina, em suas palavras, o que ésociais: os do passado já não são pertinentes e os do identidade.futuro ainda não estão estabilizados. A identidade de alguém é, no entanto, aquiloque ele tem de mais precioso: a perda de identidadeé sinónimo de alienação, de sofrimento, de angústia ede morte. Ora, a identidade humana não é dada, deuma vez por todas, no ato do nascimento: constrói-se Trabalho de campona infância e deve reconstruir-se sempre ao longo da Após escolher um ethos realize umvida. O indivíduo nunca a constrói sozinho: ela estudo de campo a partir de entrevistasdepende tanto dos julgamentos dos outros como das e observações, a fim de, produzir umsuas próprias orientações e autodefinições. A trabalho apresentando as principaisidentidade é um produto de sucessivas socializações. características culturais do ethos Entre as múltiplas dimensões da identidade estudado.dos indivíduos, a dimensão profissional adquiriu uma O trabalho deverá ser apresentadoimportância particular. Porque se tornou um bem com auxílio de Data Show.raro, o “emprego” condiciona a construção das Em grupo de no máximo 5 alunos.identidades sociais; porque sofreu importantes Sugestões de Ethos:mudanças, o trabalho apela a subtis transformações Pescadores;identitárias; porque acompanha intimamente todas as Funkeiros;mudanças do trabalho e do emprego, a “formação” Patricínhas;intervém nas dinâmicas identitárias muito para além Capoeiristas;do período escolar. Emo; (DUBAR, Claude. A Socialização Rockeiros.Construção das Identidades Sociais. Porto Editora.Lisboa. Portugal. 1997) Minorias ATIVIDADE Com o crescimento cada vez maior da globalização, as culturas vêm sofrendo alterações comprometendo as identidades culturais. É uma espécie de 28) O que é identidade? Qual sua “rotulação” mundial da cultura ou uma globalização importância? cultural. Na sociedade consumista os meios de comunicação em massa determinam o que devemos comer vestir, assistir, ouvir, usar, comprar, entre outras imposições. Diante da “padronização” cultural, existem no mundo vários grupos com práticas culturais, 13
  14. 14. religiosas peculiares, são grupos diferentes O preconceito leva à discriminação, àdenominados de minorias, correspondem a grupos ou marginalização e à violência, uma vez que é baseadonações que lutam por seus ideais, o primeiro luta pelo unicamente nas aparências e na empatia.respeito e cidadania, o segundo aspiram por suaindependência territorial, cultural, religiosa e política,para defender os interesses de suas peculiaridades. Mas as minorias não são compostas apenas de ATITUDES,nações reivindicando sua independência territorial,existem as minorias inseridas em praticamente todas PRECONCEITOS Eas sociedades. A situação de exclusão e/oudiscriminação provoca o surgimento de organizações ESTERIÓTIPOSque buscam dignidade e respeito através de açõespolíticas. O preconceito seja ele do tipo que for, é um Podemos exemplificar vários grupos de atestado de insegurança, de autoritarismo, deminorias, como os homossexuais, os sem terra, os absolutismo intelectual, enquadrandosem teto, as feministas e os povos indígenas, todos automaticamente em categorias classificatórias eeles tem seus motivos para lutar, todos eles são pejorativas tudo aquilo que represente diferença. Nominorias dentro das sociedades, no fim todos querem fundo, viver em democracia está na proporção diretao mesmo, ser respeitados. do quanto somos pessoal e coletivamente capazes de superar os nossos medos. O esteriótipo é simplesmente o "rótulo" com que costumamos classificar certos grupos de pessoas, e é muito mais comum do que possa parecer. É introduzido no seio da sociedade e se agrega a ATIVIDADE psique das pessoas por meio de anedotas, frases feitas, "adágios", contos populares etc, pois, desde a mais tenra idade, as pessoas são condicionadas a acreditar que certos grupos de pessoas estão ligados 31) Dê dois exemplos de minorias que a determinados atributos ou características. Este sofrem preconceitos? condicionamento, ou esta verdadeira lavagem cerebral, ocorre as vezes de forma bastante 32) Dê um exemplo de minorias despretensiosa quando as pessoas, por exemplo, organizadas em busca de dignidade e afirmam convictamente ou em tom de gracejo que "o respeito. negro é malandro", "o negro só sabe jogar bola e sambar", "o português é burro", "o judeu é negociante e é capaz de vender qualquer coisa", "o negro quando não erra na entrada, erra na saída", "as mulheres só têm jeito para cuidar de crianças, velhos e pessoas doentes", "as mulheres bonitas são PRECONCEITO burras", "as mulheres não são boas para comandar porque são excessivamente emotivas", "as mulheres só conseguem alcançar o topo da carreira Preconceito é uma postura ou seduzindo", "os baianos não gostam de trabalhar", "o idéia pré-concebida, uma atitude de carioca é malandro", "o brasileiro procura levaralienação a tudo aquilo que foge dos “padrões” de vantagem em tudo" etc.uma sociedade. As principais formas são: preconceito (Otávio B. Lopes)racial, social e sexual. O preconceito racial é caracterizado pelaconvicção da existência de indivíduos com Sugestão de música:características físicas hereditárias, determinados “Racismo é burrice” de Gabriel, o Pensadortraços de caráter e inteligência e manifestações http://www.youtube.com/watch?culturais superiores a outros pertencentes a etnias v=MDaB8muAANcdiferentes. O preconceito racial, ou racismo, é umaviolação aos direitos humanos, visto que fora utilizadopara justificar a escravidão, o domínio de algunspovos sobre outros e as atrocidades que ocorreramao longo da história. Nas sociedades, o preconceito é desenvolvido a ATIVIDADEpartir da busca, por parte das pessoaspreconceituosas, em tentar localizar naquelas vítimasdo preconceito o que lhes “faltam” para seremsemelhantes à grande maioria. Podemos citar oexemplo da civilização grega, onde o bárbaro 33) Comente a frase: "A BASE DO(estrangeiro) era o que "transgredia" toda a lei e PRECONCEITO É Ocostumes da época. Atualmente, um exemplo claro DESCONHECIMENTO SOBRE O FATO,de discriminação e preconceito social é a existência OU SOBRE O OUTRO".de favelas e condomínios fechados tão próximosfisicamente e tão longes socialmente. Outra forma de 34) O que é esteriótipo? Dê dois exemplospreconceito muito comum é o sexual, o qual é não empregados no texto.baseado na discriminação devido à orientação sexualde cada indivíduo. 35) O piumense possui um esteriótipo próprio? Qual? 14
  15. 15. Ao conquistar 12 lugares no Parlamento da Saxônia (com 9,2% dos votos) em setembro, o Texto complementar: partido neonazista alemão, o NPD, provocou consternação em todo o país. Anti-semitismo Peter Marx, um de seus dirigentes, não faz mistério em relação ao feito: a chegada à Saxônia Anti-semitismo é a dos neonazistas do Partido Nacional-Democrata da ideologia de aversão Alemanha (Nationaldemokratische Partei cultural, étnica e social aos Deutschlands, ou NPD) foi tudo, menos improvisada. judeus. O termo foi Ela foi preparada como uma operação utilizado pela primeira vez militar, com a definição do alvo, estudo do terreno, pelo escritor anti-semita plano de ação, mobilização dos meios. Alguns anos Wilhelm Marr, em 1873, mais tarde, o resultado está aí para quem quiser ver: surgindo como uma forma pela primeira vez em sua história, o NPD entrou para de eufemizar a palavra o Parlamento Regional do Estado da Saxônia. alemã "Judenhass", que No dia 19 de setembro, 19.087 votos (ou significava “ódio aos seja, 9,2% do total) aprovaram 12 deputadosjudeus”. Ao pé da letra, o termo “anti-semita” é neonazistas, provocando consternação na Alemanhaerrôneo, visto que os árabes também são“semitas”, e no resto da Europa. O NPD só tivera resultadosdescendentes de Sem, filho de Noé. No entanto, a semelhantes uma única vez antes, em 1969, empalavra se refere unicamente ao povo judeu. Desde o Baden-Wurttemberg. Depois disso o partidofim do século XI, os judeus eram segregados na praticamente desapareceu do cenário político oficial,Alemanha, embora o anti-semitismo em si tenha no qual acaba de reaparecer, depois de 35 anos desurgido a partir da década de 1870. resultados eleitorais medíocres. Durante anos, foi criado na Alemanha, noentanto em uma intensidade menor, o sentimento deque os judeus eram os responsáveis pelos males “Milhares de activistas de extrema-esquerda eocorridos no país. O diplomata, escritor e filósofo militantes neonazis semearam o caos nafrancês Arthur de Gobineau, um dos maiores teóricos cidade alemã de Dresden” (Euronews,do racismo, afirmava que os judeus eram inferiores 10/02/2010).aos arianos, tanto moral quanto fisicamente. Essaideologia encontrou seu ponto máximo no nazismo.Em seu livro “Mein Kamff”, Adolf Hitler traçou o perfil “Depois de um longo inquérito as autoridadesdos judeus: um povo parasita, incorporado ao alemãs passam finalmente à acção. Umaorganismo de outros povos. Segundo ele, eram um série de buscas tiveram lugar na madrugadapovo explorador, que vivia do trabalho dos outros e desta terça-feira em quatro estados, noda exploração econômica, visando apenas o lucro, domicílio de líderes de numa organização denunca o bem da comunidade. extrema-direita que se fazia passar por uma A forte e eficiente propaganda nazista fez associação de defesa do ambiente, alvo decom que a população alemã tomasse ódio pelos investigação desde há alguns meses. A HDJjudeus, assim, as pessoas foram convencidas de que – Associação da Juventude fiel à pátria, paraeliminá-los era conveniente para a nação. Como quem judeus e estrangeiros são uma ameaçaconsequência de uma ideologia bem trabalhada, para a nação, foi ilegalizada, tinha comotodas as tensões sociais eram canalizadas para a projecto criar uma elite neo-nazi e edoutrinavaquestão anti-semita. crianças dos 8 aos 14 anos. O ministro do Em 1933, foi aprovada uma lei que deixava Interior faz questão de assinalar que oos judeus fora da proteção da legislação. Dessa governo “está decidido a combater o neo-forma, os mesmos passaram a ser presos de forma nazismo, a extrema direita e a xenofobia”legal e confinados em campos de concentração sem (Euronews, 31/03/2009).nenhum motivo. No fim da Segunda Guerra Mundial,cerca de 6 milhões de judeus (dois terços dapopulação da Europa) haviam sido mortos. Fonte: www.mundoeducacao.com.br/ Atividade de pesquisa: Qual era o contexto social da Alemanha quando o nazismo de Hitler assumiu o poder? Há alguma Reportagem: semelhança com a atual situação desse país? Em caso afirmativo, Avanço do neonazismo relacione-as. preocupa alemães Sugestão de leitura inicial para a atividade de pesquisa: Por GEORGES MARION, Tradução de Clara Allain http://www.espacoacademico.com.b 18/10/2004 r/046/46andrioli.htm Com 9,2% do total de votos, o partidoalemão NPD conquistou 12 lugares no Parlamentoda Saxônia, em setembro. 15
  16. 16. Multiculturalismo A particularidade identitária dos grupos sociais e suas ações sofrem determinações econômicas, institucionais e ideológicas da sociedade A cultura, como vista da qual fazem parte. anteriormente, explicita as relações Portanto, os diferentes grupos sociais criam entre homens, a natureza e o processo soluções culturais, configurando, dessa forma,de sua transformação. Explicita também as relações particularidades e possibilidades dentro do sistemados homens entre si no interior de uma sociedade e cultural.entre sociedades diferentes, e ainda a produção Como dito anteriormente, o Brasil é um paíssimbólica de valores que dão sentido às relações plural e este é o caráter da sociedade e da culturavividas entre o homem e a sociedade. brasileira. Assim, quando se pensa uma cultura Logo, se a cultura diz respeito aos particular como a nossa, a existência de umasignificados socialmente produzidos, ela pode variedade de formas culturais expressa realidadessobreviver e se manter sem a sociedade. A diferentes, ligadas à intensa diversidade interna dosociedade desaparece, mas a cultura que se país.produziu permanece através de sua produção Em nosso país, a diversidade é bastanteremanescente. O oposto, porém, não ocorre: não há complexa, pois envolve culturas das sociedades quesociedade sem cultura, pois a cultura faz parte da vivem no interior da sociedade nacional, como osvida social e das relações entre os homens. indígenas, até a cultura de grupos sociais locais, que Um exemplo disso foi a cultura grega na vivem tradicionalmente no campo, ou a cultura deantiguidade. A Grécia clássica quando vivia seu agrupamentos religiosos, que vivem no meio urbano,apogeu foi dominada por Roma. A política e a por exemplo.sociedade “sucumbiram” ao poder romano, mas a Essa diversidade de cultura interna dacultura perdurou fascinando e influenciado os povos sociedade brasileira envolve modos diversos de vivercom os quais estabelecia contato. que devem ser estudados e relativizados sem Assim, quando falamos de Brasil, temos que etnocentrismos, o que auxiliará a compreensão daspensar no contexto histórico em que se configurou o diversas culturas e o conseqüente respeito a elas,que hoje se chama de cultura brasileira. O contexto superando os preconceitos advindos das diferenças.histórico aqui referido é o período colonial cuja Assim, é preciso ter claro que a diversidadesociedade compunha-se, sobretudo, de brancos, interna de expressões culturais não pode seríndios e negros. É neste contexto que a sociedade e considerada isoladamente. É o caso da culturaa cultura se constituem. indígena, que constitui a expressão mais radical da Desde a origem do país, portanto, nossa diversidade interna: uma vez que ela sepossuímos uma formação social diversa, onde a associa interna e externamente aos processosdiferença fica a cargo das relações sociais sociais mais amplos de nossa sociedade moderna.desenvolvidas entre os grupos. As discussões sobre diferença cultural, Nesse sentido, estes grupos desde o início combate ao preconceito e respeito a cidadaniadesenvolveram formas próprias de se alocar na começaram a se tornar alvo de discussões a partirsociedade colonial, maneiras particulares de se dos anos 60 nos EUA e no Canadá, porém foi seexpressar, o que acaba por produzir a diferenciação fortalecendo à medida que o processo dena vida social. A cultura enquanto dimensão da vida globalizaçÀ

×