Apostila de sociologia 1° ano

27,183 views
26,873 views

Published on

1 Comment
7 Likes
Statistics
Notes
  • como baixar apostilas, estou tendo dificuldades.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
27,183
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
968
Actions
Shares
0
Downloads
919
Comments
1
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apostila de sociologia 1° ano

  1. 1. E.E.E.F.M. PROFª “FILOMENA QUITIBA” SOCIOLOGIA Profº Cristiano Bodart 1º ANO DO ENSINO MÉDIO Eixo: Ciência, Vida e Sociedade Aluno(a): ______________________________________ Piúma, ES 2010
  2. 2. A SOCIOLOGIA estuda as relações sociais e as formas 2. Cite regras sociais sem as quais seria impossível conviver em grupo.de associação, considerando as interações que ocorrem navida em sociedade. Desta forma, estudar Sociologia é 3. Dê uma de sociólogo. Faça obuscar compreender criticamente o mundo que está ao levantamento de um fenômeno social existente nonosso redor e entender nosso papel como agente de seu ambiente escolar, sugira soluções viáveis emudança nele. A Sociologia nos permite enxergar o mundo que obedeçam as regras deste ambiente, fazendocom outros olhos. Bom estudo! o estudo de como interferir neste fenômeno, tendo por fim o bem estar coletivo. Primeiro trimestre Sociologia X Senso Comum A observação e o estudo do Unidade 1: Sociologia como mundo em que vivemos pode ser feita de maneiras diversas. Há pessoas, por ciência e suas origens exemplo, que baseiam suas opiniões sobre a sociedade que lhes abriga em dados cientificamente confirmados. No entanto, existem pessoas que optam por enxergar o mundo em que vivem através de seus próprios olhos, criando assim conceitos particulares e uma definição de mundo própria, sem quaisquer outras fontes de confirmação senão o próprio A Sociologia é uma ciência? Qual indivíduo. O que muitos chamam de "achismo" ou de é o seu campo de estudo? Por que "ciência particular" é formalmente chamado de Senso existe? Comum. A sociologia, conhecimento e estudo científico da sociedade formulado através de pesquisas históricas e pesquisas de campo, é O homem só consegue sobreviver em antagônica ao senso comum. Isto ocorre no momentosociedade. Isto implica numa série de inferências. em que as teorias sociológicas são baseadas em Sem certas regras seria impossível viver em pesquisas científicas, ou seja, em que sãogrupo, pois a todo momento aconteceriam choques confirmadas através de todo um processo dede interesses. observação e resgate de informações históricas. Viver em sociedade exige o estudo de Tomemos como exemplo uma situaçãofenômenos, chamados “sociais”, que vão aparecer social: numa cena de assalto, em que o assaltante épor exigência deste fato. É para estudá-los que existe negro encontram-se dois observadores. Um deles,Sociologia. baseando-se apenas no senso comum, afirma: "O A Sociologia vai além do estudo dos negro é assaltante porque tem preguiça de trabalhar".fenômenos sociais e parte para o levantamento de Contrapondo-se ao senso comum, ou seja, baseandosoluções e estuda como interferir nestes fenômenos, sua afirmação em dados históricos e sociológicos, otendo por fim o bem estar coletivo. Podemos definir a segundo observador rebate: "Na verdade, osociologia como uma ciência que estuda os assaltante é negro devido às conseqüências de umfenômenos sociais, refletindo sobre eles e tentando processo de exploração chamado escravidão".explicá-los através de certos conceitos, técnicas e Como se pôde observar, a necessidade demétodos. confirmação de hipóteses mostra-se essencialmente A sociologia não pode ter uma posição presente na sociologia ou em qualquer outro estudodeterminista em relação ao seu objeto de estudo, por científico. Eis aí o que difere a sociologia e a ciênciase tratar de uma ciência humana e não exata, a em geral do senso comum: a necessidade de umapossibilidade de quantificação das variáveis para seu base sólida, obtida através de pesquisas, paraestudo e sua transmissibilidade futura, assim como a comprovar teorias.generalização das relações entre as variáveisdescobertas, é algo relativo e precário. Ela é ciência Fonte:porque usa métodos e técnicas que lhe permitem http://re-bo-lina.blogspot.com/2009/03/sociologia-x-estudar o social. Podemos afirmar que sem a senso-comum.htmlestatística dificilmente a sociologia poderia serconsiderada uma ciência. Seu campo de estudo é aorganização da sociedade (a estática) e tudo o queacontece entre seus membros (dinâmica). SOCIOLOGIA E SOCIEDADE Para a Sociologia, sociedade é ATIVIDADE o conjunto de pessoas que compartilham propósitos, gostos, preocupações e costumes, e que interagem entre si constituindo uma comunidade. A sociedade é o objeto de estudo das ciências sociais, 1. Por que podemos afirmar que a especialmente da Sociologia.sociologia é uma ciência? Também se chama de sociedade ou associação o agrupamento de pessoas para a 2
  3. 3. realização de atividades privadas, sendo reservada à quanto em relação à compreensão dessa novaprimeira expressão à reunião com fins empresariais e sociedade. Mudam-se hábitos e pensamentos.a segunda para o conjunto que visa resultados Muda-se a forma de agir e de como ver esociais independentemente de benefícios financeiros. compreender o mundo. Uma sociedade é um grupo de indivíduos A economia eminentemente agrária e deque formam um sistema semi-aberto, no qual a maior comércio dá lugar à produção industrial de largaparte das interações é feita com outros indivíduos escala. O poder político muda não apenas de mãos –pertencentes ao mesmo grupo. Uma sociedade é da nobreza para a nova classe, a burguesia – comouma rede de relacionamentos entre pessoas. Uma também de forma – do regime monárquico ou similar,sociedade é uma comunidade interdependente. O baseado na hereditariedade, para um regime designificado geral de sociedade refere-se representação, a democracia. No Séc. XVIsimplesmente a um grupo de pessoas vivendo juntas desenvolve-se o movimento que ficou conhecido pornuma comunidade organizada. “Reforma Protestante”, propiciando tendência A origem da palavra sociedade vem do latim comportamental que contribuiu de modo significativosocietas, uma "associação amistosa com outros". para a valorização do conhecimento racional. Com Societas é derivado de socius, que significa essa nova maneira de se relacionar com as coisas"companheiro", e assim o significado de sociedade é sagradas, a sociedade da época passou a analisar ointimamente relacionado àquilo que é social. Está universo de outra forma. Com isso a razão passa aimplícito no significado de sociedade que seus ser soberana e é colocada como elemento essencialmembros compartilham interesse ou preocupação para se conhecer o mundo.A visão mítica e mágicamútuas sobre um objetivo comum. Como tal, do mundo foi substituída aos poucos pelo que foisociedade é muitas vezes usado como sinônimo para chamado de razão – o homem assume seu papelo coletivo de cidadãos de um país governados por como protagonista da história e o desenvolvimentoinstituições nacionais que lidam com o bem-estar tecnológico e científico torna-se meta da sociedade.cívico. A solidariedade comunitária dos servos camponeses Pessoas de várias nações unidas por do sistema feudal perde-se em meio às novastradições, crenças ou valores políticos e culturais necessidades da massa das cidades, que apesar decomuns, em certas ocasiões também são chamadas ocupar um mesmo espaço geográfico se individualizade sociedades (por exemplo, Judaico-Cristã, Oriental, e se fragmenta – agora é cada um por si na batalhaOcidental etc.). Quando usado nesse contexto, o por uma vaga em uma indústria ou mineradora e natermo age como meio de comparar duas ou mais luta pela garantia da sobrevivência de seu núcleo"sociedades" cujos membros representativos familiar.representam visões de mundo alternativas, O avanço tecnológico e científico jamaiscompetidoras e conflitantes. experimentado pela humanidade num período tão Também, alguns grupos aplicam o título curto, numa quantidade tão grande e variada e numa"sociedade" a eles mesmos, como a "Sociedade qualidade até então inimaginável foi outraAmericana de Matemática". Nos Estados Unidos, isto característica importante desse período. Mas tãoé mais comum no comércio, em que uma parceria significante quanto o crescimento tecnológico eentre investidores para iniciar um negócio é científico foram as condições a que a grande maioriausualmente chamada de uma "sociedade". No Reino da população das cidades industrializadas foiUnido, parcerias não são chamadas de sociedade, submetida. Uma enorme massa humana – incluindo-mas cooperativas. se aí idosos, crianças de até oito anos e mulheres grávidas – era colocada em situações completamente insalubres em fábricas ou minas de carvão2[2]. Jornadas que chegavam a catorze ou dezesseis O SURGIMENTO DA horas de trabalho, salários reduzidos às necessidades mínimas de compra de alimentos, SOCIOLOGIA: cenário de seu pagamentos de aluguéis (geralmente aos próprios empregadores) e aquisição de vestimentas básicas, surgimento mínima ou nenhuma segurança no local de trabalho (encurtando a vida ou a utilidade do operário). Estas A sociologia propriamente dita é fruto da eram condições comuns da nova classe que seRevolução Industrial, e nesse sentido é chamada de formava como peça fundamental da lógica capitalista:"ciência da crise" - crise que essa revolução gerou a classe dos trabalhadores assalariados.em toda a sociedade européia. É neste período de nascimento e afirmação A história da civilização ocidental talvez não do capitalismo como relação social de produçãotenha enfrentado período tão conturbado quanto hegemônica na Europa que surgem movimentosaquele compreendido entre o fim do regime feudal filosóficos3[3], explodem acontecimentos políticos eeuropeu e o nascimento do capitalismo. Período este históricos marcantes4[4] e se dão saltos tecnológicos eque se arrasta do século XVI ao XVIII. científicos5[5] que reconfiguram não somente as Conturbado não apenas no sentido de relações econômicas, políticas e sociais comoconflitos bélicos1[1]. Mas, principalmente, em relação também acabam interferindo em toda a história daàs mudanças radicais nos aspectos econômicos, humanidade.políticos e sociais. Mudanças que ao interferir naforma como a sociedade produz e distribui suasriquezas e na forma como passam a ser geridos os 2[2]governos – e que por isso vão interferir também na Principal fonte energética para a maquinaria industrial. 3[3]forma como homens e mulheres se relacionam em Como o iluminismo, apostando na razão para oseu cotidiano – criam uma nova visão de mundo tanto desenvolvimento da humanidade. 4[4]em relação a expectativas individuais e coletivas A Revolução Francesa, que deu o poder político a quem já detinha o poder econômico, a burguesia.1[1] 5[5] A Guerra dos Trinta Anos (1618-48) e as Campanhas Sua maior expressão foi a chamada Revolução Industrial, emNapoleônicas são os mais característicos exemplos. meados do século XVIII. 3
  4. 4. Em decorrência da complexidade da como se cada indivíduo trouxesse em si a marca dosociedade agora posta, surge a necessidade de uma social, e esta marca determinasse suas ações.ciência que possa compreender essa nova ordem.Uma ciência que possa entender a dinâmica das DIVISÃO DO TRABALHO E FUNCIONALISMOrelações específicas e mais gerais que mulheres e A divisão do trabalho, para ele, pode ser:homens mantêm entre si e com o mundo que os normal ou geral e anômica ou patológica. Normal é ocerca. Nasce a sociologia em meio a um cenário que se repete de maneira igual, o que funcionaenriquecido de variados e ainda incompreendidos espontaneamente, gerando a solidariedadeelementos. E, por isso mesmo, extremamente necessária à evolução do social. O patológico édesafiador para os que se dispunham a ordenar, aquilo que difere do normal. Durkheim acha que astransformar ou simplesmente decifrar as coisas tendem à normalidade: até o patológicoaparentemente caóticas relações sociais. caminha para a normalidade. Durkheim compara a sociedade a um corpo humano, onde o Estado é o cérebro, elaborando representações coletivas que aperfeiçoem a solidariedade. Para ele, todas as partes do corpo tem uma função, não havendo hierarquias entre as Atividade diferentes partes. É uma sociedade harmônica. Até o crime é considerado normal porque 4) O que é sociedade na visão da Sociologia? não há sociedade onde não haja crime e também tem uma função social, a função de manter e gerar uma 1) A sociologia é necessária para a coesão social. Quando acontece um crime, a compreensão da sociedade em que consciência coletiva é atingida: o social é agredido vivemos? Por quê? pelo indivíduo. Um ato não ofende a consciência coletiva porque seja criminoso, mas é criminoso porque ofende a consciência coletiva. No entanto, o 2) Apresente, em poucas palavras, os Estado pode fortalecer a consciência coletiva através principais fatores colaboradores para o da punição do criminoso. É através da punição do surgimento da Sociologia. criminoso que a consciência coletiva mantém a sua vitalidade. A pena impede um crescimento exagerado do crime, não permitindo que ele se torne patológico. Numa visão durkheimiana, a impunidade, não-punição do crime pelo Estado, enfraquece a consciência coletiva, os laços de solidariedade, gerando um estado de anomia. Quando o patológico A CONTRIBUIÇÃO DOS prevalece sobre o normal, há uma desestruturação social. O estado de anomia é uma situação limite eCLÁSSICOS sem função na sociedade. SOLIDARIEDADE MECÂNICA À ORGÂNICA 1. Durkheim Solidariedade mecânica O AUTOR Em De la Division du Travail Social, Durkheim David Émile Durkheim esclarece que a existência de uma sociedade, bem nasceu em 15 de abril de 1858, na como a própria coesão social, está baseada num França, e morreu em 1917. O grau de consenso entre os indivíduos e que ele princípio sociológico de Durkheim designa de solidariedade. De acordo com o autor, há está fundado no social. Para ele, dois tipos de solidariedade: a mecânica e a orgânica. o que não advém do social não A solidariedade mecânica prevalece tem importância para a sociologia naquelas sociedades ditas "primitivas" ou "arcaicas", que ele pretende fazer. Isso ou seja, em agrupamentos humanos de tipo tribalporque a sociedade é a pré-condição de ser humano: formado por clãs. Nestas sociedades, os indivíduosé na sociedade que o indivíduo. A vida social unifica, que a integram compartilham das mesmas noções eestrutura e gera significados para a existência valores sociais tanto no que se refere às crençashumana. Ele é determinista, dando absoluto religiosas como em relação aos interesses materiaispredomínio ao social tanto no plano causal quanto no necessários a subsistência do grupo, essaplano das ações. correspondência de valores assegura a coesão O social existe no plano ideal. Para social.Durkheim, é no social que está tudo aquilo que agente sabe, que os antepassados descobriram e que Solidariedade orgânicaas futuras gerações irão descobrir. O social é De modo distinto, existe a solidariedadeuniversal e, por isso, objetivo e racional. orgânica que é a do tipo que predomina nas sociedades ditas "modernas" ou "complexas" doREPRESENTAÇÕES COLETIVAS ponto de vista da maior diferenciação individual e O social cria representações coletivas, que social (o conceito deve ser aplicado às sociedadessão atitudes comuns de uma determinada capitalistas). Além de não compartilharem doscoletividade em uma determinada época. Esta mesmos valores e crenças sociais, os interessesrepresentação coletiva independe dos indivíduos, individuais são bastante distintos e a consciência depois o indivíduo não tem poder criativo. Em cada indivíduo é mais acentuada.Durkheim, o social que determina o indivíduo. É A divisão econômica do trabalho social é mais desenvolvida e complexa e se expressa nas 4
  5. 5. diferentes profissões e variedade das atividades • Mas, ATENÇÃO: um fato social é geralindustriais. Durkheim emprega alguns conceitos das porque é coletivo, mas não pode ser considerado umciências naturais, em particular da biologia (muito em fenômeno coletivo apenas por ser geral. Quandouso na época em que ele começou seus estudos falamos em um fato coletivo, afirmamos que esse fatosociológicos) com objetivo de fazer uma comparação é independente de suas manifestações individuais.entre a diferenciação crescente sobre a qual se Dito de outro modo, um fato não é social por serassenta a solidariedade orgânica. generalizado em uma dada coletividade, porém é Durkheim concebe as sociedades geral para a coletividade por ser social.complexas como grandes organismos vivos, onde osórgãos são diferentes entre si (que neste caso FATO SOCIAL NORMALcorresponde à divisão do trabalho), mas todos • Quando se encontra generalizado peladependem um do outro para o bom funcionamento do sociedade ou quando desempenha alguma funçãoser vivo. A crescente divisão social do trabalho faz importante para sua adaptação ou sua evolução.aumentar também o grau de interdependência entre • A generalidade de um fato social, isto é,os indivíduos. sua unanimidade, é garantia de normalidade na Para garantir a coesão social, portanto, onde medida em que representa o consenso social, apredomina a solidariedade orgânica, a coesão social vontade coletiva, ou o acordo de um grupo a respeitonão está assentada em crenças e valores sociais, de uma determinada questão.religiosos, na tradição ou nos costumes "Para saber se o estado econômico atualcompartilhados, mas nos códigos e regras de dos povos europeus, com sua característica ausênciaconduta que estabelecem direitos e deveres e se de organização, é normal ou não, procurar-se-á noexpressam em normas jurídicas: isto é, o direito. passado o que lhe deu origem. Se estas condições são ainda aquelas em que atualmente se encontraO FATO SOCIAL nossa sociedade, é porque a situação é normal, a • “É fato social toda maneira de fazer, fixada despeito dos protestos que desencadeia”.ou não, suscetível de exercer sobre o indivíduo umacoerção exterior", ou ainda, "que é geral no conjunto FATO SOCIAL PATOLÓGICOde uma dada sociedade tendo, ao mesmo tempo, • Quando um fato põe em risco a harmonia,uma existência própria, independente das suas o acordo, o consenso e, portanto, a adaptação e amanifestações individuais”. evolução da sociedade, então estamos diante de um • Três características dos fatos sociais: acontecimento de caráter mórbido e de uma a. COERÇÃO SOCIAL sociedade doente. b. EXTERIORIDADE • Patológico é aquele que se encontra fora c. GENERALIDADE dos limites permitidos pela ordem social e pela moral vigente. Como as doenças, são transitórios e Coerção social excepcionais. • A força que obriga o indivíduo a conduta e • Uma sociedade que não consegue sea formas de pensar específicas – manifestas em proteger punindo seus membros, pois lhe falta osrepresentações coletivas e regras de comportamento. parâmetros do “certo” e do “errado” é uma sociedade • Exemplos: modelos de relações familiares, anômica.religião, língua, códigos legais etc. • Anomia: ausência de regras instituídas e • Coerção social direta: direito, educação, orientadoras da conduta dos indivíduos.família e religião; coerção social indireta: língua,sistema econômico, desenvolvimento tecnológico. • “A coerção social não excluinecessariamente a personalidade individual”. Exterioridade • Existem e atuam sobre os indivíduosindependentemente de sua vontade ou de sua Atividadesadesão consciente, ou seja, eles são exteriores aosindivíduos. 3) Qual a contribuição de Durkheim para a • As regras sociais, as crenças, os Sociologia?costumes, as leis e os valores já existem antes donascimento das pessoas; são a elas impostos por 4) Segundo Durkheim, qual é o objeto demecanismos de coerção social, como a educação. estudo da Sociologia?Portanto, os fatos sociais são ao mesmo tempocoercitivos e dotados de existência exterior às 5) Quais são as características do Fatoconsciências individuais. Social? Explique cada uma delas. • Uma conclusão lógica importante é quetodo processo de socialização implica um alto grau 6) O que é o fato social normal ede coerção (imposição). patológico? Dê exemplo para cada um Generalidade deles. • É social todo fato que é geral, que serepete em todos os indivíduos ou, pelo menos, namaioria deles. 7) De acordo com a definição de Fato Social • Os fatos sociais manifestam sua natureza formulada por Durkheim, assinale acoletiva ou um estado comum ao grupo, como as alternativa INCORRETA:formas de habitação, de comunicação, ossentimentos e a moral. a) A escola é um fato social e – como instituição – • A generalidade distingue o essencial do cumpre um relevante papel na formatação dofortuito e especifica a natureza sociológica dos comportamento individual em consonância com asfenômenos. regras e valores presentes na consciência coletiva. 5
  6. 6. b) O ato de adoecer é um fato social, pois possuindo • A ação social, pode ser positiva ou negativa,motivações biológicas podem ser percebidos como dependendo do sentido que o ser humano dê a ela.exteriores aos indivíduos; excetuando-se as doenças • A ação social gera efeitos sobre a realidade,psicossomáticas e influenciadas por fatores sociais. pois toda ação modifica alguma coisa, causa reaçãoc) A arquitetura de nossas casas constitui um fato positiva ou negativa. Este processo ação-reaçãosocial, na medida em que seguimos padrões e causa efeitos que contribuirá para modificar aobedecemos a um senso estético exterior às nossas realidade.consciências individuais.d) O sistema eleitoral é um fato social, porque Ex: Ataque coordenado de criminosos em Sãopertence à esfera da vida política. Paulo tem gerado sentimento de medo, pânico e completa insegurança entre a população da região e 8) Sobre a Sociologia de Durkheim assinale de outros Estados. com (V) as afirmativas verdadeiras e com (F) as falsas. A sociedade em Weber é vista como um conjunto de esferas autônomas que dão sentido àsa) ( ) O objeto de estudo da Sociologia segundo ações individuais. Mas só o indivíduo é capaz deDurkheim é a ação social. realizar ações sociais. A ação social é uma ação cujob) ( ) O casamento, a educação, a escola, a religião, sentido é orientado para o outro. Um conjunto deo crime, são exemplos de fato social. ações não é necessariamente ação social. Para quec) ( ) Durkheim se esforçou para emancipar a haja uma ação social, o sentido da ação deve serSociologia das demais teorias da sociedade. orientada para o outro. Seja esta ação para o ‘bem’d) ( ) Segundo Durkheim, a sociologia tinha por ou o ‘mal’ do outro. A ação social não implica umafinalidade não só explicar a sociedade como também reciprocidade de sentidos: o outro pode até não saberencontrar soluções para vida social. da intenção do agente.e) ( ) O objetivo máximo da vida social, de acordo Para Weber há quatro tipos de ação social:com Durkheim é promover a harmonia da sociedade ação social tradicional, ação social afetiva, açãoconsigo mesma e com as demais sociedades. social racional quanto aos valores, ação socialf) ( ) O crime não pode ser considerado um fato racional quanto aos fins.social normal. Ação social tradicional é aquela que og) ( ) A sociedade apresenta como todo organismo, indivíduo toma de maneira automática, sem pensarestados normais e patológicos. para realiza-la.h) ( ) Sanções espontâneas são aquelas prescritas Ação social afetiva implica uma maiorpela sociedade em forma de leis nas quais se participação do agente, mas são respostas maisestabelece a infração e a penalidade subseqüente. emocionais que racionais. Ex.: relações familiares. Segundo Weber, estas duas primeiras ações sociais não interessam à sociologia. Ação racional com relação a valores é aquela em que o sociólogo consegue construir uma racionalidade a partir dos valores presentes na sociedade. Esta ação social requer uma ética da convicção, um senso de missão que o indivíduo 1. WEBER precisa cumprir em função dos valores que ele preza. Ação racional com relação aos fins é O AUTOR aquela em que o indivíduo escolhe levando em Max Weber nasceu em consideração os fins que ele pretende atingir e os Erfurt, em 21 de abril de 1864, e meios disponíveis para isso. A pessoa avalia se a faleceu em junho de 1920. ação que ela quer realizar vale a pena, tendo em Weber vive numa época em que vista as dificuldades que ele precisará enfrentar em as idéias de Freud impactavam decorrência de sua ação. Requer uma ética de as ciências sociais e em que os responsabilidade do indivíduo por seus atos. valores do individualismo Relação social não é o encontro de pessoas, moderno começavam a se mas a consciência de ambas do sentido da ação. A consolidar. A grande inovação relação social é sempre probabilística, porque ela se que Weber trouxe para a fundamenta na probabilidade de ocorrer determinadosociologia foi o individualismo metodológico. Para evento, o que inclui oportunidade e risco. A vidaele, o indivíduo escolhe ser o que é, embora as social é totalmente instável: a única coisa estável daescolhas sejam limitadas pelo grau de conhecimento vida social é a possibilidade (e necessidade) dedo indivíduo e pelas oportunidades oferecidas pela escolha. Não há determinismos sobre a o que será asociedade. O indivíduo é levado a escolher em todo sociedade. Por isso, as análises sociológicas sãoinstante, o que faz da vida uma constante baseadas em probabilidades e não em verdades.possibilidade de mudança. O indivíduo escolhe emmeio aos embates da vida social. Essa idéia faz com DOMINAÇÃOque o sentido da vida, da história, seja dado pelo Como já dissemos a vida social para Weberpróprio indivíduo. Os processos não têm sentido é uma luta constante. Por conta disso, ele não vêneles mesmos, mas são os indivíduos que dão possibilidade de relação social sem dominação.sentido aos processos. Todas as esferas da ação humana estão marcadas por algum tipo de dominação. Não existe e nem vaiAÇÃO SOCIAL existir sociedade sem dominação, porque aAÇÃO SOCIAL: é a conduta humana dotada de dominação é condição de ser da sociedade. Asentido. dominação faz com que o indivíduo obedeça a uma • A ação social é o comportamento humano ordem acreditando que está realizando sua própriacom uma intenção. Ex: uma festa, um assalto. vontade. O indivíduo conforma-se a um padrão por 6
  7. 7. sua própria escolha e acha que está tomando uma trabalho. A partir da centralidade da mercadoria nodecisão própria. pensamento de Marx, podemos entender alguns de Existem pelo menos três tipos de dominação seus conceitos mais importantes. Comecemos pelalegítima: legitimação tradicional, legitimação divisão do trabalho.carismática e legitimação racional. Para Weber aburocracia é a mais bem acabada forma de DIVISÃO DO TRABALHOdominação legítima e racional. A burocracia baseia- Evolutivamente, a divisão do trabalho é ase na crença na legalidade ou racionalidade de uma segunda maneira de construir relações sociais deordem. A burocracia mais eficaz de exercer a produção, que são formas como as sociedades sedominação. E é uma conseqüência do processo de organizam para suprir suas necessidades. A primeiraracionalização da vida social moderna, sendo é a cooperação. Falar em divisão do trabalho emresponsável pelo gerenciamento concentrado dos Marx é falar em formas de propriedade. Isso porquemeios de administração da sociedade. a divisão do trabalho se dá entre quem concede e quem executa o trabalho, entre os donos dos meios de produção e os donos da força de trabalho. CLASSES Da divisão do trabalho surgem as classes. Para Marx, as classes não são constituídas de agregados de indivíduos, mas são definidas Atividades estruturalmente: as classes são efeito da estrutura. No modo de produção antigo as classes eram a dos 9) Para a teoria sociológica de Max Weber, patrícios e dos escravos; no modo de produção em toda sociedade há dominação, que é feudal, havia senhores e servos; no modo de entendida como uma “[...] probabilidade de produção capitalista, burgueses e operários. Há haver obediência para ordens específicas sempre uma relação de oposição entre duas classes, (ou todas) dentro de um determinado grupo de modo que uma não existe sem a outra. Esta de pessoas [...]”. Fonte: WEBER, M. oposição ele chamou de luta de classes. Tradução de Regis Barbosa e Karen Elsabe Barbosa. Economia e Sociedade, Brasília: LUTA DE CLASSES Ed. UnB, 1991, p. 139. A luta de classes, assim como as classes decorrem da divisão do trabalho. Nas sociedadesDe acordo com a teoria sociológica do autor, é modernas a luta de classes se dá entre capitalistascorreto afirmar que os três tipos puros de ou burgueses (donos dos meios de produção) edominação legítima são: trabalhadores ou proletariado (donos da força dea) Racional, tradicional e carismática. trabalho). O trabalho nas sociedades modernas éb) Econômica, social e política. denunciado por Marx pelo seu caráter exploratório doc) Feudal, capitalista e comunista. trabalhador. No entanto, Marx vê uma solução parad) Monárquica, absolutista e republicana. esta relação exploratória: a revolução que seria feitae) Socialista, neoliberal, social-democrata. pelo proletariado. No entanto, a revolução do proletariado contra o modo de produção capitalista só não acontece, segundo Marx, devido à alienação. FETICHISMO A separação da mercadoria produzida pelo trabalhador dele mesmo esconde o caráter social do trabalho. O fetichismo se dá quando a relação entre 2. MARX os valores aparece como algo natural, independente dos homens que os criaram. A criatura se desgarra O AUTOR do criador. O fetichismo incapacita o homem de Karl Marx (1818-1883) enxergar o que há por trás das relações sociais. E o talvez seja o mais conhecido maior exemplo de fetichismo da mercadoria é a mais- cientista social e também o valia. menos conhecido. Explico melhor: é difícil encontrar MAIS-VALIA alguém que nunca tenha A mais-valia é o excedente de trabalho não ouvido falar de Marx, mas pago, não incluído no salário do trabalhador. É a também é difícil encontrar mais-valia que forma o lucro que será investido parapessoas que conheçam bem as idéias deste autor. aumentar o capital.Talvez porque o pensamento de Marx seja muitoaberto, o que possibilita leituras diferenciadas. Mas o ALIENAÇÃOpensamento de Marx é mais bem aproveitado pelos A alienação faz com que o trabalhador nãoeconomistas que pelos cientistas sociais. Isso se reconheça no produto de seu trabalho, nãoporque para Marx, a mercadoria é a base de todas as percebendo a sua condição de explorado. A soluçãorelações sociais, e este é o ponto-chave para a para o problema da alienação passa por uma lutacompreensão de suas idéias. Para ele, há uma política do próprio proletariado e não pela educação.tendência histórica das relações sociais semercantilizarem: tudo vira mercadoria. IDEOLOGIA Provavelmente Marx tenha dado tanta Como dissemos, as classes dominantesimportância à economia porque estivesse controlam os meios de produção. A infraestruturapresenciando as mudanças sociais provocadas pela (conhecimentos, fábricas, sementes, tecnologia etc.),Revolução Industrial, principalmente nas relações de que está nas mãos da classe dominante, determina a 7
  8. 8. superestrutura (Estado, Direito, Religião, Culturaetc.). A superestrutura é uma construção ideológicaque serve para garantir o poder da classe dominante,mantendo a classe trabalhadora alienada. Atividade 10) Produza uma charge abordando a Charge e Sociologia temática “classes” ou desigualdade social. Sugestão: Assista ao Vídeo: Alienação e Trabalho em: http://www.youtube.com/watch?v=7- 3GNPM9Wok&feature=player_embedded# Aplicando a teoria a prática cotidiana: questões para a reflexão sociológica 11) Por que as pessoas de um bairro se unem para criar uma associação comunitária, ou de bairro? 12) 2 – Por que os brasileiros que nunca entraram em uma igreja se dizem ser católicos? 13) 3 – Por que a sociedade repugna o usuário de maconha? 14) 4 – Por que existem leis e normas na escola? Elas são necessárias? 15) 5 – Por que usamos roupas para sair de casa? Usar roupa é um fato social? Por quê? Atividade 16) Produza um resumo abordando as principais idéias apresentadas pelos três sociólogos estudados (Durkheime, Weber e Marx). 8
  9. 9. organizada: a charanga rubro-negra, banda musical Segundo trimestre que passou a apoiar o time sem qualquer apoio financeiro do clube. Outra personagem de destaque é Dulce Rosalina fundadora da Torcida Organizada do Vasco (TOV) em 1944. Uma figura igualmente famosa foi o mineiro Otacílio Batista conhecido como Tarzã. Durante Unidade 1: Comunidade e muitos anos líder da Torcida Organizada do Botafogo (TOB). Seu apelido vinha de seu porte atlético rivalidade adquirido por anos de alterofilismo. Entre as décadas de 50 e 70 se tornou conhecido por investir de peito aberto contra as torcidas adversárias tendo nas mão uma bandeira do Botafogo. “Sou o maior anti- Comunidade e rivalidade flamenguista da história” dizia com orgulho. Todos esses nomes parecem se constituir como torcedores-símbolos, figuras que representavam toda a torcida. Na década de 70, principalmente após aVIOLÊNCIA NAS TORCIDAS ORGANIZADAS conquista da Taça Jules Rimet, o futebol assume CARIOCAS outras dimensões com a criação de novos espaços, por Renato Lanna interesses políticos e investimentos econômicos. Nesse período o país vivia uma fase de otimismo que As histórias de vida, as estratégias dos ficou conhecida como “milagre brasileiro”. Aindivíduos munidos de paixão, os sentimentos que propaganda oficial falava do Brasil como o “País dounem o torcedor ao seu time, mostram um conjunto futuro”. Paralelamente as estas transformações adiversificado, formado principalmente por jovens do relação torcedor – futebol assume outros aspectos.sexo masculino num universo social no qual alguns Afirmam-se as primeiras organizações burocratizadasindivíduos radicalizam seu pertencimento e tornam-se de torcedores, inaugurando um novo padrão demilitantes profissionais de seus times, abandonando relacionamento entre si e com os dirigentes dosfamília, trabalho etc... para serem somente a acima clubes, com mais cobranças e críticas a jogadores ede tudo torcedores. dirigentes. Outro fator relevante desse período é o De acordo com Maurício Murad os aumento do número de jovens nestas torcidas.torcedores organizados são originários de todas as Ao longo dos anos 80 as torcidasclasses, de todas as faixas de renda, de organizadas fortaleceram-se enquanto grupo,escolaridade, de profissionalização, de informação, explicitando uma outra forma de sociabilidade emalem disso, cerca de 80% concentram-se na faixa relação ao futebol, fundamentado em um modoetária dos 14 aos 25 anos e destes 50% são menores diverso de torcer que se respalda, entre outrasde idade, esses dados são nacionais, não se coisas, na crença de tais torcedores em seu poder derestringindo a um determinado estado, região ou escolher, demitir e projetar jogadores técnicos ecidade, embora os problemas mais agudos ocorram dirigentes.principalmente nas cidades de São Paulo, Rio de Definidos substancialmente como gruposJaneiro e Belo Horizonte, nesta ordem. perigosos, essas organizações nos anos 90, foram A presença de torcedores nos jogos diversas vezes responsabilizadas na mídia, peloincentivando um time de futebol é fato que remonta a afastamento das famílias dos estádios. Osdécada de 10 do século passado. Nessa época, o enfrentamentos entre torcedores rivais, e entre estesfutebol era um esporte amador e os jogadores e a polícia, fortalecendo a imagem de um torcedorpertenciam à elite, ou seja, para freqüentar os clubes organizado violento ligado a gangues.era preciso ser branco e de boa família. O primeiro Para alem do espetáculo de cores, cânticosclube fundado para a prática do futebol no Rio de e bandeiras, expressando o clima de disputa ejaneiro foi o Fluminense em 1902, em 1904 surge o reforçando a rivalidade que se travará no campo, taisBotafogo, iniciando-se o conhecido clássico vovô. associações se teriam tornado um local privilegiado Nascido inicialmente como clube de regatas de desmedida violência juvenil sob tutela dos próprioso Flamengo só se forma para o futebol em 1912 após clubes, devendo, pois, serem banidas do futeboluma dissidência do Fluminense. profissional. A divulgação do futebol entre as classes A Torcida Jovem do Flamengo dividi-se empopulares já pode ser observada em fins dos anos “pelotões”, a Torcida Jovem do Botafogo em20, conquistando simpatias e espaços cada vez “esquadrões”, A Força Jovem do Vasco em “famílias”maiores, atraindo mais e mais espectadores, aos e a Young Flu em “núcleos”. Para cada um dessespoucos os clubes vão abrindo suas portas para os seguimentos existe um líder que pode ser indicado outorcedores mais simples. Até então, não era bem eleito, sua função e representa-los, aumentar osaceita a participação de negros nos clubes de elite. sócios, arrecadar capital (as torcidas mantém-se comEntretanto um clube de Segunda divisão veio as mensalidades, venda de material e eventos).contrariar o rumo dos fatos, seu nome Vasco da As torcidas organizadas têm representantesGama, clube de comerciantes portugueses do que participam de reuniões do Conselho Deliberativosubúrbio dá seus passos no futebol a partir de 1916, de cada clube, contando com salas na sedes dosaceitando negros em seu elenco. clubes para guardar material. A popularização do Flamengo, nos anos 30 Dependendo da diretoria dos clubes ase 40, faz surgir uma rivalidade importante no futebol relações podem ser bem amistosas e interesseirascarioca com o Vasco, a partir daí surgem as primeiras (patrocínios e distribuições de ingressos). Umabandeiras e torcedores organizados com as cores exceção a essa regra é a Torcida Jovem do Vascodos clubes, morteiros, fogos e balões. Em 1942 que após uma série de conflitos e discussões rompeuJaime de Carvalho funda a primeira torcida com a diretoria em 1998: “O Eurico Miranda tentou 9
  10. 10. proibir a nossa entrada, não porque nós arrumamos nem sua eficácia. É possível que através do futebol,confusão ou briga, mas porque a gente ficava os torcedores elaborem sentimentos, contradições,gritando: Eurico, 171” vivências que são ali ritualizadas. Outro aspecto é a relação das torcidas com A violência e igualmente um objeto deos jogadores. Nesse sentido diferenciam os bons ritualização no espaço do estádio. Todavia, se elajogadores dos ídolos. Estes, segundo eles, vestem a ultrapassa os limites aceitáveis, há que se endagar, ocamisa, honram o clube, defendem suas cores, dão que está ocorrendo com a sociedade e não com osidentidade ao time, ajudam a escrever sua história. torcedores organizados isoladamente, como seAlém disso atraem novos torcedores. Tornam-se fossem grupos que se reúnem pela violência, semassim heróis, verdadeiros mitos os maiores exemplos referencia com outros contextos. Condenar o futebolsão os de: Zico (Flamengo), Roberto Dinamite ou as torcidas organizadas, como faz a maior parte(Vasco) e Garrincha (Botafogo). Outra forma de da mídia, não vai tornar mais compreensível orelacionamento com os jogadores se dá de forma fenômeno que está se desenrolando. Partindo entãomenos nobre, são muitos os casos de jogadores que de que a violência não seja causada pelo futebol,financiam torcedores para não serem hostilizados nas mas apenas expressa através dele, vale entãoarquibancadas. perguntar o que estimularia tais conflitos? Na visão de Nobert Elias, a funçãoAs torcidas e seus símbolos compensadora da excitação através do jogo aumenta A década de 80 aparece como um momento à medida que as inclinações para as excitaçõesprivilegiado para afirmação da identidade coletiva das sérias e ameaçadoras diminuem.torcidas organizadas, com a criação de símbolos e de Isso significa que o esporte se constituidivisões internas que os caracterizam até hoje. A numa espécie de antídoto ao excesso de controle eJovem do Flamengo denomina-se Exército rubro- tensão dos indivíduos, fazendo-os liberarnegro. Tem como marca um tanque com três moderadamente suas emoções. Na excitação séria,canhões e o escudo do Flamengo ao centro. Seu as pessoas podem perder o autocontrole e tornarem-lema é: “Nada do Flamengo, tudo pelo Flamengo”. se uma ameaça, tanto para si próprio como para os A Jovem do Botafogo é representada por outros, ao passo que aquela promovida pelasuma caveira com dois ossos cruzados, tendo na testa atividades de lazer, não apenas seria despojada dea estrela solitária. A Forças Jovem do Vasco, por sua perigo, como pode ter um efeito cartático, contudo, ovez, tem como mascote Eddie, uma criatura cujo o autor admite a possibilidade da última formarosto é uma caveira apropriada do grupo de Heavy- transforma-se na primeira, suscitando o quemetal Iron Maiden. denominou de jatos de descivilização, admitindo que Finalmente a Young Flu tem como marca o esse tipo de violência respalda-se na realidade, épróprio nome registrado no escudo do time. Alem preciso estar atento ao que se passa na sociedadedestes são usados dragões, personagens poderosos que, de algum modo, encontra expressão entre oscomo Hulk, He-Man e líderes político que esteja em torcedores organizados. Torna-se crucial, pois,evidência que expressem bravura e coragem como conhecer as tensões existentes para se compreenderAiatolá Khomeini, Sadan Hussein e Che Guevara. porque os mecanismos de controle capazes de A que remete tais símbolos? O que estariam garantir a excitação agradável, mas controlada, seenfatizando? Observando atentamente percebemos a monstram ineficazes em certos momentos.presença predominante de elementos tomados deempréstimo do universo militar (tanques, canhões, BIBLIOGRAFIA: Esse Texto foi escritoexercito, esquadrão, pelotão) e figuras que indicam baseado na pesquisa feita por: TEIXEIRA, Rosana daperigo ou morte (caveiras, caveiras com adagas Camara. Os perigos da paixão: visitando jovenscravadas, caveiras com dois ossos cruzados e torcidas cariocas – São Paulo, Annablume, 2003.monstros com armas). Isso significa que sobre tais símbolos sãoprojetadas noções e sentimentos que estão foradeles, mas através dos quais as torcidas colocam em INTERAÇÃO SOCIAL /foco valores como força, garra, astúcia, coragem efidelidade. Os símbolos constituem sua marca, SOCIALIZAÇÃOtornam-se um sinal coletivo, indicador de suaidentidade, estando seus significados, não nelesmesmos, mas nas associações que possibilitam. O Conceito de interação socialconjunto de símbolos de cada torcida é compartilhadopor seus membros como verdadeiros sinais de É a ação social, mutuamente orientada, dedistinção expressos em todo o material que dois ou mais indivíduos em contato. Distingue-se daproduzem. mera interestimulação em virtude de envolver A partir daí se desenvolve um processo significados e expectativas em relação às ações debélico entre essas torcidas que vão desde cantos outras pessoas. Podemos dizer que a interaçãoofensivos e preconceituosos, xingamentos do mais social é a relação de ações sociais. O aspecto maisobscenos até, o que é pior, enfrentamentos diretos importante da interação social é que ela modifica ofora e dentro dos Estádios que muitas vezes levam a comportamento dos indivíduos envolvidos, comomorte desses torcedores. resultado do contato e da comunicação que se estabelece entre eles. Desse modo, fica claro que oA violência simples contato físico não é suficiente para que haja Se os códigos de guerra ou de morte estão uma interação social. Os contatos sociais e aai presentes e se mantém é porque de alguma forma interação constituem, portanto, condiçõescomunicam com especial eficácia as percepções indispensáveis à associação humana. Os indivíduosdesses torcedores sobre o mundo em que vivem. se socializam por meios dos contatos e da interaçãoNão basta dizer que escolhem porque são violentos. social; e a interação social pode ocorrer entre umaIsso não explica o fenômeno, nem sua permanência, 10
  11. 11. pessoa e outra, entre uma pessoa e um grupo eoutro.Conceito de contato social e processo social Os indivíduos estão constantementeenvolvidos em uma infinidade de processos sociaisque os levam a aproximar-se ou afastar-se de seus 17) PARA PENSAR E RESPONDERsemelhantes, modificando situações de distância EM FORMA DE TEXTO DISSERTATIVO:anteriormente existentes. As relações sociais, por suavez, não correspondem a outra coisa senão a estas A internet propicia maiores contatos entre ossituações de maior ou menor distância entre os indivíduos da sociedade ou os reduz? Quais suassujeitos, tomadas em um dado momento do vantagens e suas vantagens relacionados adesenvolvimento de processos de associação e interação social?dissociação. São o resultado de processos sociaisem determinado instante. A intensidade das relações PENSADOR: J.J.Rousseau (1712-1778)é, pois, determinada pela distância existente entre as Em sua obra Contrato Social, Rousseaupessoas. O conceito de distância social, em Wiese, é firmava que a base da sociedade estava no interessemultifacetado, sendo inúmeros os fatores que comum pela vida social, no consentimento unânimeconduzem à aproximação e ao afastamento entre os dos homens em renunciar as suas vontadeshomens - a linguagem, o sexo, a idade, a classe particulares em favor de toda a comunidade.social, os hábitos etc. - e diversos, também, os Para alicerçar suas idéias a respeito dapontos de vista sob os quais esta distância pode ser legitimidade do Estado a serviço dos interessesmedida. Entre um grupo de indivíduos que obedece comuns e dos direitos naturais do homem, Rousseaucertas regras de etiqueta, por exemplo, pode-se procurou traçar a trajetória da humanidade a partir doidentificar a proximidade decorrente do convívio, que igualitarismo primitivo até a sociedade diferenciada.é facilitado por tais regras, e, ao mesmo tempo, o Para ele, a origem dessa diferenciação estava nadistanciamento imposto pela preservação da propriedade privada.intimidade, também imposta pela etiqueta. A As crianças deveriam ser educadas para secategoria do contato social é ampla, e compreende tornarem bons cidadãos e se comportarem dentro decontatos físicos, psíquicos e físico-psíquicos. São um espírito coletivo. O benefício próprio é um mal.fenômenos de curta duração, que não constituemprocessos sociais de associação e dissociação masque podem, todavia, desencadeá-los, dando origem anovas relações sociais. Os contatos sociaisprovocam, também, modificações e até a eliminação 18) PARA PENSAR E RESPONDERde relações já existentes. A principal classificação NO CADERNOdos contatos sociais é a que os divide em primários esecundários. Aqueles são contatos próximos, De que forma os consensos sociais, de acordo comimediatos, estabelecidos através do tato, da visão Durhkeim e Rousseau, colaboram para o bem dafrente à frente, da fala ou até do olfato, ao passo que sociedade? O que você acha a esse respeito?estes últimos são contatos que se produzem amaiores distâncias . Os contatos secundários podemser mantidos com o auxílio de meios de comunicaçãoa distância - telefone, carta, rádio, internet, etc. ATIVIDADE AVALIATIVA INDIVIDUAL A noção de contato social é, em comparação Para entregar em folha A-4a estas outras categorias, uma noção ainda mais 1.Construa um glossário sobre os conceitosgeral e abstrata, já que são caracterizados como abaixo :contatos sociais tanto aqueles contatos que resultam a. Vida Social;no aparecimento de processos sociais (um encontro b. Classe social;entre pai e filho, por exemplo) como aqueles que c. Status e papel social;desaparecem sem deixar vestígios (o contato, que d. Grupo social;pode ser meramente visual, entre dois desconhecidos e. Processo social:que viajam juntos no mesmo ônibus e que nunca i. Conflitomais voltam a se encontrar). ii. Competição iii. Acomodação iv. Cooperação v. Assimilação. f. Interação social e comunicação g. Contato social Conceitos importantes: h. Socialização Contatos sociais (direto, indireto, i. Cultura e etnocentrismo primário, secundário); j. Raça e etnia Processos sociais (comunicação, l. Estrutura social socialização, cooperação, competição, conflito, m. Poder e etnia acomodação, assimilação). n. Movimento Social 2. Discuta como esses conceitos podem contribuir para o estudo da sociedade, e para a percepção do “outro” (individuo) como ser social. 11
  12. 12. 3. Recorte pequenas matérias de jornais FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA que trate de conflitos de natureza familiar e as analise conforme os conceitos acima CONTRIBUIÇÃO DE PIERRE (escolha um tema e desenvolva-o). BOURDIEU O HABITUS ELEMENTOS PRINCIPAIS DA Os valores orientadores dos indivíduos são SOCIEDADE HUMANA posturas básicas denominadas, por Bourdieu, de habitus: normas e condutas básicas que são O homem sempre viveu em reproduzidas através das leis, costumes etc, grupos e não podemos imaginar a sua inculcados de forma mais ou menos refletidos e maisexistência fora deles. Sem contato com o grupo ou menos irrefletidos pelos indivíduos.social, o homem dificilmente pode desenvolver as O habitus funciona como uma orquestraçãocaracterísticas que chamamos de humanas, como, de valores impostos a uma coletividade (geral oupor exemplo: organizar instituições, chorar e sentir específica) sem que haja um maestro específico quepela morte de seus entes queridos, transmitir a execute sua regência.mensagens através de símbolos... O processo dehominização ocorre, justamente, na sociedade em OS CAPITAISque ele aprende a viver com outros homens e a se Para Bourdieu, há dois tipos de capitalcomportar como tal. Portanto, o ser humano é cultural: o capital cultural herdado (a cultura deproduto da interação social. É interagindo com os berço), e o capital cultural adquirido (a escola).outros homens, ou seja, é influenciando e sendo A inserção do indivíduo no “mercadoinfluenciado que ele irá aprender a conviver. escolar” já pressupõe que ele chegue com um capital Segundo Durkheim que o homem só é cultural. No entanto, a escola vai valorizar o capitalhomem porque vive em sociedade. A criança não que lhe seja semelhante (ou seja valorizar aquelenasce sabendo se comportar em sociedade. É capital que seja igual ao dela, - classificado comoconvivendo, primeiramente, com seus grupos mais legítimo), e desvalorizar o capital cultural adquiridoíntimos (família e escola) e depois com outros grupos que lhe é diferente, classificado como ilegítimoque irá se tornar um membro ativo da sociedade em (aquele relacionado às classes populares, os “poucoque nasceu. A esse processo chamamos de eruditos”).socialização. Com isto, a escola impõe normas de Conseqüentemente, podemos observar que comportamento: regras de falar, de agira criança tem poucas possibilidades de seguir seus legitimamente, de acordo com o capital legítimo.desejos e suas vontades, que normalmente são Assim sendo, a escola vai ser o instrumento porhedonistas e egoístas e que muitas vezes são excelência de reprodução e inculcação dos valoresopostas às vontades do grupo, o qual exige restrição, dominantes (que correspondem aos valores dasdisciplina, ordem e abnegação. E nesta relação, a classes dominantes).sociedade normalmente sai ganhando. Embora o ambiente físico seja também A VIOLÊNCIA SIMBÓLICAimportante, o ambiente social é o fator Para Bourdieu, os valores da escola são osverdadeiramente determinante na socialização da valores das classes dominantes. O que ocorre sãocriança. Mas este processo durará pela vida toda, imposições de verdades, de modo arbitrário, comopois ele é permanente e nós estamos sempre forma de inculcações de verdades. Por exemplo, háaprendendo coisas novas em nossa sociedade. uma adequação e valorização de uma certa estética O ambiente social influencia até no tipo de e verdade da classe dominante (de beleza e justiça)personalidade dos indivíduos, assim observamos, ao em detrimento dos valores das classes dominadaslongo da História, sociedades que geraram homens Em consequência, o conceito de Beleza e de Justiçaguerreiros, homens caçadores, homens viajantes, sempre é definido arbitrariamente. Não existem ohomens executivos com tino para negócios, etc. De bom, o belo, ou o justo. Tudo é relação de forças. Ouum modo geral, pode-se dizer que cada cultura seja, não existe um símbolo que represente emproduzirá seu tipo especial ou tipos especiais de absoluto um desses valores.personalidades. Este processo de imposição de verdades (ou colonização de valores) vem a ser denominado por Bourdieu de violência simbólica. A violência simbólica é fruto da dominação Socialização: processo de aprendizagem da simbólica (capacidade que uma classe tem de cultura da sociedade em que nascemos. exercer seu domínio sobre outra de forma doce e Hedonista: ligado aos prazeres. sedutora). Ela revela-se quando é exercida de forma sutil e imperceptível, de modo que o dominado tome os valores do dominante como naturais e seus, e os inculque de forma irrefletida e docilmente. Enquanto maior for a dominação simbólica, ATIVIDADE AVALIATIVA EM DUPLA menor será a violência física (a percebida e sentida) Assistir o filme “Cão de Briga” e relaciona-lo e maior será a violência simbólica (a doce, nãoao conteúdo “Elementos principais da sociedade percebida).humana”, especialmente enfocando o processo de Quando as formas de dominação simbólicasocialização vivido pelo personagem Danny (Jet Li). enfraquecem, maior é a necessidade do uso daA atividade deve ser entregue em forma de texto violência física para manter a dominação.digitado em papel A-4, fonte 12 (uma lauda). 12
  13. 13. ATIVIDADES ATIVIDADES Com base no texto responda: 19) Dê um exemplo de habitus. 23) Qual a relação da música com o conteúdo estudado? 20) Podemos afirmar que a escola está a serviço da classe dominante? Como isso 24) O que a compositora quis transmitir no ocorre? refrão da música? 21) Explique em suas palavras o que vem a ser Violência Simbólica? 22) Dê um exemplo que como ocorre a violência simbólica? Sociologia e Música: Admirável Chip Novo Composição: PittyPane no sistema, alguém me desconfigurouAonde estão meus olhos de robô?Eu não sabia, eu não tinha percebidoEu sempre achei que era vivoParafuso e fluído em lugar de articulaçãoAté achava que aqui batia um coraçãoNada é orgânico, é tudo programadoE eu achando que tinha me libertadoMas lá vem eles novamenteE eu sei o que vão fazer:Reinstalar o sistemaPense, fale, compre, bebaLeia, vote, não se esqueçaUse, seja, ouça, diga RefrãoTenha, more, gaste e vivaPense, fale, compre, bebaLeia, vote, não se esqueçaUse, seja, ouça, diga...Não senhor, Sim senhor (2x)Pane no sistema, alguém me desconfigurouAonde estão meus olhos de robô?Eu não sabia, eu não tinha percebidoEu sempre achei que era vivoParafuso e fluído em lugar de articulaçãoAté achava que aqui batia um coraçãoNada é orgânico, é tudo programadoE eu achando que tinha me libertadoMas lá vem eles novamente refrãoMas lá vem eles novamenteE eu sei o que vão fazer:Reinstalar o sistema 13
  14. 14. Terceiro trimestre IDENTDADE CULTURAL: Unidade 4: CULTURA, IDENTIDADE BRASILEIRA NACIONALIDADE E A cultura faz parte da totalidade de uma determinada sociedade, nação ou povo. Essa IDENTIDADE CULTURAL totalidade é tudo o que configura o viver coletivo. São os costumes, os hábitos, a maneira de pensar, agir e sentir, as tradições, as técnicas utilizadas que levam ao desenvolvimento e a interação do homem com a natureza. Ou seja, é tudo Cultura Erudita/Cultura Popular mesmo! Tudo que diz respeito a uma sociedade. Muitos sociólogos e historiadores brasileiros, a partir do século XIX, buscaram explicar a formação do povo A maioria dos historiadores brasileiro, caracterizado pela diversidade cultural,atuais continua a estabelecer a partir do século XVI enquanto uma nação. E o olhar de alguns dessesuma distinção entre "cultura erudita" e "cultura autores foi exclusivamente dedicado ao aspectopopular". Em relação ao período anterior esta cultural. O legado cultural que herdamos dos povosdistinção parece não ter existido. Terá havido um que se misturam deu origem aos brasileiros.grande circulação de idéias entre as várias formas Fomos colonizados primeiramente pelosde expressão cultural, o que esbateria as suas europeus, especificamente pelos portugueses efronteiras. O século XVI funciona como uma data de espanhóis. Temos também uma marcante presençareferência para assinalar o momento a partir do qual dos africanos, que foram trazidos para cá comose reconhece que distinção entre grupos sociais se escravos e os indígenas que aqui já viviam... depois,traduz também de forma nítida em termos de gostos por volta de 1870 em diante, é que imigraram muitose consumos culturais. outros povos, como os italianos, alemães e A Cultura Popular holandeses, em busca de trabalho e de uma vida O conceito de cultura popular é contudo melhor e promissora no Brasil! Somos um povo querecente, está intimamente associado ao processo de surgiu de uma grande confluência! Miscigenados! Ouurbanização que ocorre a partir do século XVIII, e ao seja, o povo brasileiro foi formado, a princípio, a partirdespertar uma outra forma de cultura- a cultura de de uma miscigenação, que foi a mistura demassas. A cultura popular, divulgada pelo basicamente três “raças”, quais sejam: o índio, oromantismo, ocupará no imaginário da burguesia branco e o negro. Vamos entender o que é raça,oitocentista as memórias de uma sociedade que etnia e cultura.estava a desaparecer. Neste imaginário aparece O conceito de etnia distingue-se do conceito deretratada uma cultura feita por camponeses. Símbolo raça e cultura. Etnia é um conceito associado a umade um povo idealizado, puro e feliz na sua ignorância. referência e/ou origem comum de um povo. Ou seja,Trata-se de uma imagem que é a antítese das são grupos que compartilham os mesmos laçosmassas de operários e pobres que se arrastam pelas lingüísticos, intelectuais, morais e culturais.cidades em vias de industrialização. Embora possuam uma mesma situação de A imagem deste "povo"- ator desta cultura, dependência de instituições e organização social,identifica-se aos olhos dos românticos com o espírito econômica e política, não constitui ainda em umanacional. Os seus usos, costumes, romances, nação, mas apenas um agrupamento étnico. Etnia é,cantares dão origem a um conceito novo de portanto, um conceito diferente de raça e cultura."Folclore", expressão deste saber ancestral São exemplos de grupos étnicos, entre outros,preservado pelo povo. os índios xavantes e javaés do interior de Goiás, que A cultura popular surge frequentemente são reconhecidos pelo etnômino de tapuios. Hojedecomposta nas suas múltiplas manifestações, como habitam no Parque Nacional do Xingu, em númerosejam: a arte, o teatro, o folclore, a música, extremamente reduzido.arquitetura, as festas e romarias, a culinária, a Já a cultura é tudo que as diferentes raças e aspoesia, os jogos, os divertimentos. diferentes etnias possuem em matéria de vida social, O conceito de cultura popular apesar de o conjunto de leis que regem o país, a moral, apersistir, revela-se hoje profundamente limitativo para educação-aprendizagem, as crenças, as expressõesdescrever a própria realidade social dos campos. As artísticas e literárias, costumes e hábitos, ou seja, é acomunidades rurais estão impregnadas de valores totalidade que abrange o comportamento individual epróprios da cultura de massas, sem, no entanto, coletivo de cada grupo, sociedade, nação ou povo.terem abandonado por completo as suas referências O termo raça significa dizer que há grupos deculturais. Constituem já uma cultura intermédia em pessoas que possuem características fisiológicas efase de rápida integração na cultura de massas. biológicas comuns. No entanto, o uso do termo raça A Cultura Erudita acaba classificando um grupo étnico ou sociedade, Por oposição ao conceito de arte popular, a levando também à hierarquização.partir do século XVI ter-se-á consolidado uma cultura Como se todos nós, seres humanos, fôssemoserudita, alta cultura ou cultura cultivada, própria dos postos em uma grande escadaria, e em ordem degrupos sociais dominantes. classificação e hierarquização pelo grau de O traço mais importante desta cultura devia- importância das características físicas de cada grupose ao fato dos grupos dominantes serem os mecenas étnico; os mais importantes ficariam no topo e assim(patrocinadores de artistas) e os principais iria descendo até chegar nos menos importantes.compradores das obras produzidas pelas elites dos Contudo, qual raça ou grupo étnico pode dizer que écriadores culturais. melhor ou mais desenvolvido que outro? 14
  15. 15. Muitas críticas a esse pensamento foram legítima que os índios têm das suas reservas delevantadas, principalmente no final do século XIX, terras.pois tais concepções ajudaram a reforçar a Outro exemplo de etnicidade e mobilização é adiscriminação e o preconceito e, conseqüentemente a luta pela igualdade de oportunidades no trabalho e nalegitimação das desigualdades sociais. Apesar de educação, distribuição de renda, contra atodas as críticas, ainda é possível observar que nos discriminação étnica-racial (racismo), etc., que osséculos XIX e XX houve um retorno de práticas negros travam no Brasil.racistas como, por exemplo, a eugenia e estudos do As cotas, termo que também faz parte dasgenoma, que foram muito defendidas por estudiosos chamadas Políticas Afirmativas. Essas são medidasadeptos às teorias evolucionistas sobre o progresso que buscam reparar ou minimizar o racismo e afísico e comportamental do homem. Tais teorias exclusão social que afetam os negros econcebiam que determinadas raças e etnias descendentes retirando as oportunidades de ingressodeveriam ser conservadas, por serem modelos de nas universidades e nos concursos públicos. O Brasilpureza, de superioridade, etc. é conhecido como o país de maior número de negros Contudo, outras que não se enquadrassem nos e afrodescendentes depois do Continente Africano,modelos estabelecidos, ou que fossem, pela situação no entanto, o racismo que muitas vezes aparecesocial que viviam, vítimas de doenças ou epidemias “camuflado”, estabelece uma grande distância entretornavam-se um perigo para o progresso da estes e as suas efetivas e plenas participações nahumanidade e não deveriam existir. Podemos tomar vida social.como um exemplo claro deste pensamento, oapartheid ocorrido na África do Sul nos anos de 1948a 1991, quando toda a população negra foi obrigadaa seguir normas e regras rígidas com relação aoconvívio social, trabalho, etc., além de toda a forma ATIVIDADEde violência e discriminação sofrida. Ou ainda, quemnão se lembra do genocídio dos judeus ou maisconhecido como o Holocausto dos Judeus, durante a 25) Como você descreveria o povoII Guerra Mundial? brasileiro? O pensamento ideológico que estava por trásdaquele terrível ato que exterminou cerca de 6 26) Quais os fatores colaboradores para amilhões de judeus, que não eram reconhecidos como existência de racismo?seres humanos, era a idéia de superioridade da “raçaariana” alemã. A perseguição e o extermínio dos 27) Qual a diferença entre cultura, raça enazistas alemães contra os judeus ficou conhecido na etnia?história por anti-semitismo, uma forma de repudiartudo o que era contrário à ideologia nazista. Quando olhamos os três grupos étnicos que se 28) O que é etnicidade?miscigenaram no Brasil Colônia, séculos XVI e XVII,com suas características biológicas específicas etambém sócio-culturais, suas tradições, vemos como 29) Dê um exemplo de etnicidade existentefizeram toda a diferença no processo de colonização próximo de você (em Piúma ou noe formação do povo brasileiro, diferentemente de Espírito Santo, se possível)?outras colonizações empreendidas pelo mundo. Nosso país é uma “aquarela” de grupos étnicos!Constituída por meio da colonização (século XVI) e TRABALHO AVALIATIVOdepois, pelas imigrações por volta dos séculos XVIII e Tarefa: produzir um pequeno documentárioXIX. Temos então uma pluralidade de identidades, em vídeo utilizando o “Windows Movie maker”caracterizada pelas diferenças. Por conta dessa abordando uma manifestação cultural típica davariedade de identidades, povos e tradições, os nossa região;diferentes grupos étnicos fizeram com que Formato obrigatório do vídeo: “Windowsocorressem em nosso país, um processo chamado Media Player”de etnicidade. Tempo máximo: 8 minutos; É interessante saber que o contato interétnico Número de alunos: No máximo 5 alunos poré um fenômeno que não ocorreu somente no período grupo.das colonizações, ainda ocorre, a ocupação por partede alguns grupos, como por exemplo, os madeireiros,garimpeiros, e etc., em territórios indígenas, assimcomo pela utilização do trabalho manual dos índios. A situação de conflito, como já sabemos,decorre do sentimento e da atitude etnocêntrica, que CULTURA POPULAR E Ofoi uma característica do pensamento evolucionista,apoiando o empreendimento colonialista pelo mundo. FOLCLORE Etnicidade O termo Folclore surgiu em Na nossa vida social cotidiana, muitas vezes, meados do século XIX e ganhou força quando, emdeparamos-nos com notícias de grupos étnicos 1846, o inglês William Thoms (1803-1885) inventou olutando e reivindicando algo na sociedade, tanto no termo folk-lore, (folk = povo e lore = saber, então, oâmbito econômico ou político, como ocorre com os “saber do povo”).índios e os negros. As várias etnias indígenas se Brandão em seu livro, O que é Folclore,unem em prol da luta pelos direitos de suas terras. discute sobre a dificuldade de se conceituar eNão se trata de direitos à igualdade de distribuição de diferenciar os termos Folclore e Cultura Popular. Mas,renda ou de Reforma Agrária, mas, sim da posse apresenta que no caso brasileiro, foi em 1950, com a 15

×