Os Prè-socráticos

5,281 views
5,009 views

Published on

Filosofia História Geral

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,281
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
75
Actions
Shares
0
Downloads
111
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Os Prè-socráticos

  1. 1. Os Pré-Socráticos Prof. Dr. William B. Gomes Aula 2 Atualizado em 15/03/2006
  2. 2. De onde vem o conhecimento humano? <ul><li>Experiência </li></ul><ul><li>Desenvolvimento </li></ul><ul><li>Memória </li></ul><ul><li>Autoconsciência </li></ul><ul><li>Respostas </li></ul><ul><li>Experiência </li></ul>
  3. 3. Condições para a autoconsciência: <ul><li>Fazer sentido das coisas </li></ul><ul><li>O sentido se faz pela linguagem </li></ul><ul><li>A linguagem narra o sentido </li></ul><ul><li>O sentido narrado em linguagem transforma-se em crenças para o autor e o ouvinte. </li></ul>
  4. 4. Quais os desafios a serem explicados? <ul><li>A vida </li></ul><ul><li>A morte </li></ul><ul><li>A sorte </li></ul><ul><li>O fracasso </li></ul><ul><li>O mundo </li></ul><ul><li>Todas as coisas </li></ul>
  5. 5. Recapitulação: Análise das três vias <ul><li>Via Ativa </li></ul><ul><li>Via Afetiva </li></ul><ul><li>Via Intelectiva </li></ul><ul><li>Grandes Sínteses </li></ul>
  6. 6. Quais os três termos básicos? <ul><li>Consciência </li></ul><ul><ul><li>A intuição imediata que os humanos possuem dos seus estados físicos e mentais, e dos seus atos. </li></ul></ul><ul><li>Animismo </li></ul><ul><ul><li>O termo animismo procede do latim anima que quer dizer respiração ou alma. </li></ul></ul><ul><li>Psique </li></ul><ul><ul><li>Alma como sopro (respiração), </li></ul></ul><ul><ul><li>Alma como fogo (calor vital que se apaga com a morte), </li></ul></ul><ul><ul><li>Alma como sombra, duplo, ou simulacro – que pode sair à noite, como ocorre nos sonhos; que pode aparecer aos vivos, como ocorre depois da morte; e que pode reencarnar-se em outros seres. </li></ul></ul>
  7. 7. <ul><li>Os Mitos explicavam: </li></ul><ul><ul><li>A origem do mundo </li></ul></ul><ul><ul><li>A origem dos seres vivos </li></ul></ul><ul><ul><li>As relações entre a terra e o céu </li></ul></ul><ul><ul><li>O que vem depois da morte. </li></ul></ul>Os primeiros sentidos O animismo
  8. 8. Os Mitos referiam-se ao cósmico, a deuses e a heróis.
  9. 9. Relações entre animismo e cultura <ul><li>Encontrar crenças que dê sentido aos atos da vida; </li></ul><ul><li>Encontrar meios de justificar sucessos e fracassos </li></ul><ul><li>Encontrar meios que auxiliem a transposição de obstáculos. </li></ul><ul><li>Encontrar explicações para os fatos da vida. </li></ul><ul><li>Os mitos são as primeiras teorias e explicações legadas pelos povos antigos. </li></ul>
  10. 10. Como explicar a relação entre vida e morte ? <ul><li>Através da psique ou alma </li></ul><ul><li>O termo alma relaciona-se com vida </li></ul><ul><ul><li>Alma como sopro ou fôlego vivente </li></ul></ul><ul><ul><li>Alma como diferente do corpo - imortalidade </li></ul></ul><ul><li>A alma explica todos os processos dos organismos vivos. </li></ul>
  11. 11. Figura 1 Vida e Alma Vida = Alma
  12. 12. Figura 2 Tripartição da Alma Alma Nutritiva Sensitiva Intelectiva
  13. 13. Mitos Os mitos são explicações animistas. Existem outras explicações para a natureza e a vida?
  14. 14. Contribuições Pré-socráticas <ul><li>Mitológicas </li></ul><ul><li>Objetivas </li></ul><ul><li>Subjetivas </li></ul><ul><li>Éticas </li></ul>Explicações
  15. 15. Explicar o quê? <ul><li>Qual a natureza das coisas? </li></ul><ul><li>Como as coisas se transformam? </li></ul><ul><li>Qual a natureza do ser humano? </li></ul><ul><li>Qual a verdade do conhecimento? </li></ul><ul><li>Como confiar na verdade? </li></ul><ul><li>O que é a verdade? </li></ul>
  16. 16. Perguntas levam a outras perguntas: <ul><li>O que são as coisas? </li></ul><ul><li>Como eu sei que as coisas são o que são? </li></ul><ul><li>Por que eu sei que o que eu sei é o que eu sei? </li></ul><ul><li>Para que serve o conhecimento? </li></ul>
  17. 17. Figura 3: Sensível versus Idéia Como responder as perguntas? Tomar o sensível como ponto de partida? Tomar a idéia como ponto de partida ?
  18. 18. Os primeiros sábios
  19. 19. Grécia Antiga (Mapas Figuras 4,5,6) Samos Abdera
  20. 20.  Eléia Adbedra Samos
  21. 21. Essência Exterior Permanência, coisa, ser Variação Movimento Percepção Devir Essência Interior Conceito, Forma Presentação Representação Permanência versus Mudança
  22. 22. Medicina Grega – Alcmeão. Alcm eão - Dessecação de Animais - Relação entre alma e cérebro - Alma em três partes: intelecto consciência paixão
  23. 23. Hipócrates: Os quatro humores <ul><li>1. Sangue = Coração </li></ul><ul><li>2. Fleuma = Cérebro </li></ul><ul><li>3. Bílis Amarela = Fígado </li></ul><ul><li>4. Bílis Negra = Baço </li></ul>
  24. 24. Sofistas e Subjetividade <ul><li>Interesse pelo bem estar do homem; </li></ul><ul><li>Interesse pela competência da razão humana </li></ul><ul><li>Protágoras - o homem como medida de todas as coisas; </li></ul><ul><li>Gorgias - existe verdade? </li></ul>Do interesse cosmológico para o interesse antropológico; Sofistas - o homem como espelho da realidade.
  25. 25. Vida Virtuosa Sócrates (469-399) <ul><li>Do subjetivismo dos sofistas para uma verdade além da experiência individual. </li></ul><ul><li>Como aferir as opiniões? </li></ul><ul><li>Resposta: Método dialético – depuração dos conceitos. </li></ul><ul><li>Explicação: Conceitos puros = conceitos morais apoiados na razão da consciência moral. </li></ul>
  26. 26. Sócrates: Conhece-te a ti mesmo mesmo <ul><li>Como trazer os princípios morais inatos na razão prática? </li></ul>
  27. 27. Contribuições para a Psicologia <ul><li>Contribuições marginais para uma filosofia da vida moral; </li></ul><ul><li>Análise do impulso humano para a felicidade e o bem; </li></ul><ul><li>Estudo das relações entre razão e paixões; </li></ul><ul><li>Indagações sobre a motivação das ações humanas. </li></ul><ul><li>(Rosenfeltd, 1993) </li></ul>

×