• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Contabilidade de Custos
 

Contabilidade de Custos

on

  • 8,776 views

 

Statistics

Views

Total Views
8,776
Views on SlideShare
8,776
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
183
Comments
3

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

13 of 3 previous next Post a comment

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • The objective being to end up with a classroom APPROXIMATELY MID-WAY between this…
  • Variable costing (also called direct costing or marginal costing) treats only those costs of production that vary with output as product costs. This approach dovetails with the contribution approach income statement and supports CVP analysis because of its emphasis on separating variable and fixed costs. The cost of a unit of product consists of direct materials, direct labor, and variable overhead. Fixed manufacturing overhead, and both variable and fixed selling and administrative expenses are treated as period costs and deducted from revenue as incurred. Absorption costing (also called the full cost method) treats all costs of production as product costs, regardless of whether they are variable or fixed. Since no distinction is made between variable and fixed costs, absorption costing is not well suited for CVP computations. Under absorption costing, the cost of a unit of product consists of direct materials, direct labor, and both variable and fixed overhead. Variable and fixed selling and administrative expenses are treated as period costs and are deducted from revenue as incurred.
  • Harvey Company produces 25,000 units of a single product. Variable manufacturing costs total $10 per unit. Variable selling and administrative expenses are $3 per unit. Fixed manufacturing overhead for the year is $150,000 and fixed selling and administrative expenses for the year are $100,000.
  • The unit product costs under absorption and variable costing would be $16 and $10, respectively. Under absorption costing, all production costs, variable and fixed, are included when determining unit product cost. Under variable costing, only the variable production costs are included in product costs.
  • We need some additional information to allow us to prepare income statements for Harvey Company: 20,000 units were sold during the year. The selling price per unit is $30. There is no beginning inventory. Now let ’s prepare income statements for Harvey Company. We will start with an absorption income statement.
  • Let ’s examine a variable costing contribution format income statement. First, we subtract all variable expenses from sales to get contribution margin. At a product cost of $10 per unit, the variable cost of goods sold for 20,000 units is $200,000. The next variable expense is the variable selling and administrative expense. After computing contribution margin, we subtract fixed expenses to get the $90,000 net operating income. Note that all $150,000 of fixed manufacturing overhead is expensed in the current period.
  • Now, let ’s examine an absorption costing income statement. Harvey sold only 20,000 of the 25,000 units produced, leaving 5,000 units in ending inventory. At a sales price of $30 per unit, sales revenue for the 20,000 units sold is $600,000. At a unit product cost of $16, cost of goods sold for the 20,000 units sold is $320,000. Subtracting cost of goods sold from sales, we find the gross margin of $280,000. After subtracting selling and administrative expenses from the gross margin, we see that net operating income is $120,000. Fixed manufacturing overhead deferred in inventory, as a result of the 5,000 unsold units at $6 of fixed overhead per unit, is $30,000.
  • In the second year, Harvey Company sells 30,000 units. The selling price per unit, variable costs per unit, total fixed costs, and number of units produced remain unchanged. Five thousand units are in beginning inventory, left from last year.
  • First, let ’s examine a variable costing contribution format income statement for the second year. At a product cost of $10 per unit, the variable cost of goods sold for 30,000 units is $300,000. After computing contribution margin, we subtract fixed expenses to get the $260,000 net operating income. Note that all $150,000 of fixed manufacturing overhead is expensed in the current period.
  • Of the 30,000 units sold in the second year, 25,000 units were produced in the second year and 5,000 units came from beginning inventory. The $30,000 of fixed manufacturing overhead deferred into inventory in the first year is released from inventory this year as part of the $16 unit product cost. Selling and administrative expenses are deducted from gross margin to obtain the net operating income of $230,000. Fixed manufacturing overhead is released from inventory as a result of the 5,000 units sold in the second year that were produced in the first year. The amount released is $30,000 (5,000 units at $6 of fixed overhead per unit).
  • On your screen is a summary of what we have observed from the Harvey Company ’s two years: When units produced equal units sold, the two methods report the same net operating income. When units produced are greater units sold, as in year 1 for Harvey, absorption income is greater than variable costing income.  When units produced are less than units sold, as in year 2 for Harvey, absorption costing income is less than variable costing income. 
  • Vendas = Despesas variáveis+ Despesas Fixas + Lucros (R$0,00)

Contabilidade de Custos Contabilidade de Custos Presentation Transcript

  • ECONTABILIDADDE CUSTOS nais de as Internacio IFRS – Norm Contabilidade 1
  • Sobre o instrutor: Augusto Rocha; Contador (FEA/USP); Especialização TUKKK, Finlândia, MBA Copenhagen Business School; Planejamento Estratégico / Controladoria em empresas de grande porte de bens de consumo; Palestrante em cursos de Custos, Orçamento Empresarial, English for Accounting.
  • Sobre vocês: Nome Empresa em que trabalha Atividades dentro da empresa Visão geral de Custos dentro da empresa
  • 5
  • PROCESSO DE CONVERGÊNCIA AO IFRS NO MUNDO
  • No dia de hoje:- Intro: o que mudou?- Sistema Contábil deCustos: Custo porAbsorção- CPC 01 e CPC 12- CPC 16 - Estoques- Implantação deSistemas de Custos- Alternativasdesenvolvidas pelaContabilidade Gerencial
  • Objetivos do curso Entender a Contabilidade de Custos sob a ópticacontábil, societária, tributária e gerencial; Apresentar as novas normas brasileiras decontabilidade para valorizar os estoques e apuraro CPV – Custo dos Produtos Vendidos, Demonstrar como implantar o sistema contábilpara atender as IFRS e NBC-T; Apresentar as distorções apresentadas pelaContabilidade de Custos na análise derentabilidade por produto e as alternativasdesenvolvidas pela Contabilidade Gerencial
  • NBC - NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE ESTOQUES CPC 16 – NBC TG 16 CPC PME – NBC TG 1000 – Seção 13 9
  • NBC - NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE Conjunto de regras e procedimentos que devem ser observados como requisitos para o exercício da profissão contábil. As normas são convergentes com as IFRS e aprovadas por resoluções emitidas pelo CFC – Conselho Federal de Contabilidade. 10
  • ESTRUTURA DAS NORMAS TÉCNICAS NBC TG – Geral (Resolução CFC1.328/11) Normas completas – compreendem as normas editadas pelo CFC a partir dos documentos emitidos pelo CPC que estão convergentes com as normas do IASB, numeradas de 0 a 999. Normas simplificadas para PMEs – numeradas de 1000 a 1999. Normas específicas – compreendem as ITs (InterpretaçãoTécnica) e os CTs (Comunicado Técnico) numeradas de 2000 a 2999 11
  • Resultado:Desvinculação da Contabilidade da LegislaçãoTributáriaLei 11.638/07 – Artigo 177
  • Qual é o objetivo da Contabilidade de Custos? Apurar o Lucro Vendas 1.000 CPV – Custo do Produto Vendido e de 700 Serviço Prestado = Lucro 300Empresa de prestação de serviços Custo dos serviços prestadosEmpresa comercial Método de valorização dos estoques ( Médio e PEPS )Empresa industrial Método contábil de apropriação dos custos ( Custo por Absorção )Empresa industrial Método fiscal Regulamento do Imposto de Renda
  • NORMA CONTÁBIL ATÉ 2010Sociedade Anônima de Capital Apura o custo pelo sistemaAberto contábil de custos Custo apurado pelo critério de valorização dos estoquesDemais sociedades arbitrado pela Receita Federal RIR – Regulamento do Imposto de Renda NORMA CONTÁBIL A PARTIR DE 2010 Apura o custo pelo sistemaTodas as sociedades contábil de custos.( exceto MEI – Microempreendedor Individual ) Não é mais aceito o critério deFiscalização:a Lei 12.249 de 11 de junho de valorização arbitrado pela2010 atribui poder de fiscalização ao CFC, ao Receita Federalexercício da profissição contábil
  • NORMA CONTÁBIL A PARTIR DE 20101.Desvinculação com a legislação fiscal / tributária.2.Estoques calculados a valor presente.3.Estoques avaliados pelo valor realizável líquido.4.Custos calculados com base na capacidade normal de produção.5.Custos indiretos resultantes da diferença entre produção real ecapacidade normal de produção são reconhecidos no resultado.6.Os custos indiretos variáveis devem ser rateados aos produtos fabricadoscom base no consumo da matéria-prima.7.Custo de co-produtos e subprodutos são avaliados por novos métodos.
  • Histórico do processo de convergência das normas brasileiras de contabilidade - NBCT, ás normas internacionais - IFRS Código Civil – Lei 10.406/02 Estatuto das ME, EPP e MEI – Lei Complementar 123/06 e 128/09 16
  • Lei 11.638/07 BEM VINDOS À ERA DO JULGAMENTO!A 11.638/07 demanda muito mais conhecimento do Contador em relação ao mercado em que sua empresa está inserido, assim como aspectos internos da mesma.
  • Processo de Convergência
  • AS IFRS E A CONTABILIDADE DE CUSTOS EGP PMEEmpresa de Grande Porte Empresa de Pequeno e Médio PorteFaturamento acima de R$ Faturamento até R$ 300 300 milhões / ano milhões / ano IFRS - Integral IFRS - Parcial SMEs CPC 16 CPC PME – Seção 13Resolução CFC 1.170/09 Resolução CFC 1.255/09 NBC TG 16 NBC TG 1000 – Seção 13 Estoques 19
  • AS IFRS E A CONTABILIDADE DE CUSTOS EGP PME ME e EPPEmpresa de Grande Porte Empresa de Pequeno e Microempresa e Empresa Médio Porte de Pequeno PorteFaturamento acima de R$ Faturamento até R$ 300 Faturamento até R$ 3,6 300 milhões / ano milhões / ano milhões / ano IFRS - Integral IFRS - Parcial SMEs CPC 16 CPC PME – Seção 13 Contabilidade SimplificadaResolução CFC 1.170/09 Resolução CFC 1.255/09 Resolução CFC 1.115/07 (Revogada pela Resolução CFC 1.330/11) NBC TG 16 NBC TG 1000 – Seção 13 NBCT 19.13 (Revogada pela ITG 2000 de 22/03/2011) 20
  • A CONTABILIDADE DE CUSTOSE A LEGISLAÇÃO
  • PRINCÍPIOS CONTÁBEIS GERALMENTE ACEITOS• 1. Valorizar matéria-prima a preço médio ou PEPS• 2. Segregar custos e despesas.• 3. Ratear custos fixos ou indiretos aos produtos e• 4. Alocar despesas diretamente ao resultado do mês. NOVAS NORMAS DE CONTABILIDADEIFRS – International Financial Reporting StandardsNBC TG – Normas Brasileiras de Contabilidade - Geral• 1 – Capacidade Normal de Produção• 2 – Valor presente• 3 - Reconhecimento parcial de custo indireto como despesa• 4 – Valor realizável líquido• 5 – Custo do subproduto e co-produto 22
  • PRINCÍPIOS CONTÁBEIS CLASSIFICAÇÃO DOS GASTOS CUSTO Gasto para fabricar um produtoGASTO Gasto para vender o DESPESA produto e administrar a empresa 23
  • PRINCÍPIOS CONTÁBEIS CLASSIFICAÇÃO DOS GASTOS CUSTO ESTOQUEGASTO DESPESA RESULTADO 24
  • PRINCÍPIOS CONTÁBEIS CLASSIFICAÇÃO DOS GASTOS DIRETO / VARIÁVEL CUSTO INDIRETO / FIXOGASTO Rateado aos produtos DESPESA 25
  • QUAL É O OBJETIVO DACONTABILIDADE DE CUSTOS ? Vendas 1.000 Custos e Despesas 700 = Lucro 300 A quem interessa o lucro ? ACIONISTAS GOVERNO CREDORES AUDITORES 29
  • DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO Brasil Europa ÁsiaReceita 1.000 1.000 1.000( - ) Custo 600 600 600= Resultado 400 400 400( - ) Despesas 100 100 100= Lucro 300 300 300 30
  • SISTEMA CONTÁBIL DECUSTOSGastos 31
  • ESQUEMA BÁSICO DO CUSTO POR ABSORÇÃO
  • MATÉRIA-PRIMA SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUESPRODUTOS (Físico e financeiro )EM ELABORAÇÃO SISTEMA DEPRODUTOS CUSTOSACABADOS 33
  • IMPOSTOS INCIDENTES SOBRE A COMPRA
  • TÉCNICA PARA APROPRIAR OS GASTOS GERAISDE FABRICAÇÃO CENTROS DE CUSTOS ADMINISTRATIVOS INDUSTRIAL - AUXILIAR OU DE APOIO INDUSTRIAL - PRODUTIVOS Administração Almoxarifado Corte Usinagem Estamparia Montagem Manutenção
  • MAPA DE DISTRIBUIÇÃO DOS CUSTOS INDIRETOS MAPA DE DISTRIBUIÇÃO CONTA CONTÁBIL CENTROS DE CUSTOS TOTAL Código Denominação Critério de PRODUTIVOS AUXILIARES rateio Corte Usinagem Estamparia Montagem Almox Manut. 3.2.1 Salários folha pgto 10% 10% 30% 40% 5% 5% 100% 3.2.2 Encargos sociais folha pgto 10% 10% 30% 40% 5% 5% 100% 3.2.3 Energia elétrica kw 5% 50% 20% 10% 5% 10% 100% 3.2.4 Depreciação de máquinas utilização 5% 60% 20% 5% 5% 5% 100% 3.2.5 Aluguél de imóveis m2 5% 10% 10% 30% 30% 15% 100% 3.2.6 Outros custos industriais diversos 5% 40% 10% 10% 15% 20% 100%Distribuição dos centros de custosauxiliares aos produtivosAlmoxarifado total 20% 40% 20% 20%Manutenção OS 10% 50% 20% 20%
  • SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUES Físico e Financeiro HISTÓRICO VALORCompra de 1 unidade 10,00Compra de 1 unidade 12,00Venda de 1 unidade 20,00 RESULTADO MÉDIO PEPS REPOSIÇÃORECEITA DE VENDA 20,00 20,00 20,00( - ) CUSTO DO PRODUTO 11,00 10,00 13,00VENDIDO= LUCRO 9,00 10,00 7,00 ESTOQUES 11,00 12,00 13,00
  • DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO Descrição Produto A Produto B Produto C TotalReceita 500 300 200 1.000( - ) Custo 250 200 150 600= Resultado 250 100 50 400( - ) Despesas 50 30 20 100= Lucro 200 70 30 300 Descrição Produto A Produto B Produto C TotalReceita 500 300 200 1.000( - ) Custo 400 150 50 600= Resultado 100 150 150 400( - ) Despesas 50 30 20 100= Lucro 50 120 130 300
  • A DISTORÇÃO DO CUSTO INDIRETO ( CUSTO FIXO )80706050 Produção40 Custo Fixo302010 0 Janeiro Fevereiro Março Abril 39
  • NBC - NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE ESTOQUES CPC 16 – NBC TG 16 CPC PME – NBC TG 1000 – Seção 13 CPC 12 – NBC TG 12 CPC 01 – NBC TG 01 40
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESIMPAIRMENTImpairment é uma palavra em inglês que significa deterioração em sua traduçãoliteral. Tecnicamente trata-se da redução do valor recuperável de um bem ativo.No âmbito internacional o impairment já está estabelecida pelo FASB nos EstadosUnidos e pelo IASB com as IAS e as IFRS que são as normas internacionais decontabilidade.No Brasil esse procedimento é normatizado pelo CPC 01 – Redução ao ValorRecuperável de Ativos, instituido em 07/11/07 pelo CPC, reconhecido pelo CFCatravés da resolução 1.110/07.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESIMPAIRMENT – OBJETIVOAssegurar que os ativos não estejam registrados contabilmentepor um valor superior àquele passível de ser recuperado notempo de uso nas operações da entidade ou em sua eventualvendaQUANDO FAZER O TESTE DE IMPAIRMENT?Quando houver evidência de que os ativos estão registradospor um valor não recuperável no futuro.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESIMPAIRMENT – IDENTIFICAÇÃO DE ATIVOS DESVALORIZADOS- Ocorreram ou ocorrerão no futuro mudanças : - Tecnológicas - De mercado - Legais / Jurídicas-Obsolêscencia ou dano físico-Decisões internas: - Descontinuação de uma linha de produtos - Reestruturação - Relatórios internos que evidenciem que o retorno será menor do que o esperado
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESIMPAIRMENT – PRINCIPAIS CONCEITOS:-Valor Justo (Fair Value)-Valor em Uso (Value in Use) – Fluxo de Caixa Descontado
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUES IMPAIRMENT- Valor justo ou preço líquido de venda: obtido através de um contrato de venda formalizado, ou de uma negociação em um mercado ativo, menos as despesas necessárias de venda. Caso estas informações não estejam disponíveis, o preço deve ser baseado na melhor informação disponível para refletir o valor que a entidade possa realizar a venda – podemos entender como valor de mercado.- Valor em uso: estimado com base nos fluxos de caixa futuros derivados do uso contínuo dos ativos relacionados, utilizando-se de uma taxa de desconto para trazer estes fluxos de caixa a valor presente.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUES IMPAIRMENTO Pronunciamento define valor recuperável como o maior valorentre o preço líquido de venda do ativo e o seu valor em uso. Casoum desses valores exceda o valor contábil do ativo, não haverádesvalorização nem necessidade de estimar o outro valor.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESIMPAIRMENT Assumindo que o valor residual de um determinado ativo é R$ 1000,00 em qual dos casos abaixo teríamos impairment? Qual seria o lançamento contábil pertinente? Valor em Uso Valor Líquido de Venda • A 900 1,050 • B 900 980 • C 960 925
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESIMPAIRMENT Impairment ocorre nos casos B e C Caso B D – Despesas de Impairment – 20 C – Ativo Fixo- 20 Caso C D – Despesas de Impairment – 40 C – Ativo Fixo- 40 * A depreciação também deve ser ajustada
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESAJUSTE A VALOR PRESENTE: CPC 12A Lei 11.638/07 passou a exigir a obrigatoriedade do ajuste a valorpresente nos realizáveis e exigíveis a longo prazo e, no caso de efeitorelevante, também nos de curto prazo.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESAJUSTE A VALOR PRESENTE: CPC 12AVP: tem como objetivo efetuar o ajuste para demonstrar o valorpresente de um fluxo de caixa futuro. Esse fluxo de caixa pode estarrepresentado por ingressos ou saídas de recursos (ou montanteequivalente; por exemplo, créditos que diminuam a saída de caixa futuroseriam equivalentes a ingressos de recursos).
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESAJUSTE A VALOR PRESENTE: IMPACTO NOS ESTOQUESNo caso de operações de aquisição e venda a prazo de estoque, os jurosimbutidos devem ser expurgados do custo de aquisição das mercadoriase apropriados pela fluência do prazo. É considerada que a operaçãocomercial se caracteriza como financiamento.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESAJUSTE A VALOR PRESENTE: EXEMPLOOperação de venda com prazo de 6 meses para recebimentoVenda com prazo de 6 meses = R$ 100, com ICMS de 10% = R$10Venda a vista = R$ 80, com ICMS de 10% = R$8a)Contabilização no vendedor:Débito - Contas a Receber – R$ 80Crédito – Receita de Vendas – R$ 80Débito – Despesa com ICMS– R$ 10Crédito – ICMS a Pagar – R$ 10Com o passar do tempo, a diferença (R$20) entre o VP do contas a receber (R$80) e ovalor que será recebido no final de 6 meses (R$100) é apropriada ao resultadofinanceiro como receita financeira.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESa)Contabilização no comprador:Débito - Estoque– R$ 70Débito – ICMS a Recuperar – R$ 10Crédito – Fornecedores– R$ 80No caso do comprador a situação é mais complexa, pois a taxa de juros imputadapelo fornecedor não é conhecida, neste caso deve ser estimada tomando a cadeia defornecedores como um todo.A diferença ($ 20) entre o valor presente das contas a pagar ($ 80) e o valor que serápago no final de seis meses ($ 100) é apropriada ao resultado do período comodespesa financeira.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – OBJETIVOEstabelecer o tratamento contábil para os estoques. A questãofundamental na contabilização dos estoques é quanto ao valordo custo a ser reconhecido como ativo e mantido nos registrosaté que as respectivas receitas sejam reconhecidas. Orientarsobre a determinação do valor de custo dos estoques e sobre oseu subsequente reconhecimento como despesa em resultado,incluindo qualquer redução ao valor realizável líquido. Tambémproporciona orientação sobre o método e os critérios usadospara atribuir custos aos estoques.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Definição de EstoquesEstoques são ativos:(a)mantidos para venda no curso normal dos negócios;(b) em processo de produção para venda; ou(c) na forma de materiais ou suprimentos a serem consumidos outransformados no processo de produção ou na prestação de serviços.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Mensuração dos EstoquesOs estoques objeto deste Pronunciamento devem sermensurados pelo valor de custo ou pelo valor realizável líquido,dos dois o menor.A grosso modo, similar ao que sempre tivemos: custo oumercado, dos dois o menor.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Custo dos Estoques O valor de custo do estoque deve incluir todos os custos deaquisição e de transformação, bem como outros custosincorridos para trazer os estoques à sua condição elocalização atuais.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Custo dos Estoques O valor de custo do estoque deve incluir todos os custos deaquisição e de transformação, bem como outros custosincorridos para trazer os estoques à sua condição elocalização atuais.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Custo de AquisiçãoO custo de aquisição dos estoques compreende:-Preço de compra-Impostos de importação e outros tributos (exceto os recuperáveis)-Custos de transporte, seguro e manuseioDescontos comerciais, abatimentos e outros itens semelhantes devem serdeduzidos do custo de aquisição.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Custo de AquisiçãoO custo de aquisição dos estoques compreende:-Preço de compra-Impostos de importação e outros tributos (exceto os recuperáveis)-Custos de transporte, seguro e manuseioDescontos comerciais, abatimentos e outros itens semelhantes devem serdeduzidos do custo de aquisição.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Custo de Transformação São custos para transformar a matéria-prima em produto acabado. Corresponde a: -Custo direto: matéria-prima, materiais e mão-de-obra direta -Custo indireto fixos ou variáveis: mão-de-obra indireta, depreciação, manutenção, energia elétrica, etc...
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Alocação dos custos fixos indiretos - Custos rateados aos centros de custos. - Deve ser baseada na capacidade normal de produção. - O volume real de produção pode ser utilizado se aproximar da capacidade normal. - Custos indiretos não alocados são reconhecidos como despesas do período
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUES CAPACIDADE NORMAL DE PRODUÇÃO: Antes da 11.638 – normas vigentes até 31.12.2007 Custos Custos Custos Capacidade Meses Produção Custo Unit. Variáveis Fixos Totais NormalMês 1 1.000 6.200 25.000 31.200 31,20 2.600Mês 2 1.800 11.160 25.000 36.160 20,09 2.600Mês 3 2.300 14.260 25.000 39.260 17,07 2.600Totais 5.100 31.620 75.000 106.620 7.800 Mês 1:D-Estoque Prod. Acabado / C-Estoque de Prod. Elaboração – 31.200 Mês 2:D-Estoque Prod. Acabado / C-Estoque de Prod. Elaboração – 36.160 Mês 3:D-Estoque Prod. Acabado / C-Estoque de Prod. Elaboração – 39.260
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESAntes da 11.638 – normas vigentes até 31.12.2007Resultado Bruto Descrição Mês 1 Mês 2 Mês 3 Total Preço de Venda 25 25 25 Quantidade Vendida 1.000 1.800 2.300 5.100 Receita Operacional 25.000 45.000 57.500 127.500 CPV 31.200 36.160 39.260 106.620 Lucro Bruto (6.200) 8.840 18.240 20.880 % de Lucro Bruto -24,80% 19,64% 31,72% 16,38% Mês 1:C-Estoque Prod. Acabado / D-CPV – 31.200 Mês 1:C-Estoque Prod. Acabado / D-CPV – 36.160 Mês 1:C-Estoque Prod. Acabado / D-CPV – 39.260
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESDe acordo com a nova norma, o procedimento acima não estácorreto. A norma determina que nestes casos parte dos custosindiretos de fabricação fixos não devem ser contabilizados emEstoques, mas sim lançados diretamente para despesas (CPV). Osvalores referentes aos custos indiretos que serão ativados deverãoser os valores proporcionais à capacidade normal de produção(capacidade normal esperada).
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Capacidade Normal de Produção – Alguns Conceitos• Capacidade Teórica• Capacidade Normal• Capacidade Real
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Capacidade Normal de Produção• A maior novidade trazida pela norma!• Deve ser definida em conjunto entre os departamentos de custos, engenharia e planejamento e controle da produção.• Somente mediante ao uso do conceito de capacidade normal é que podemos chegar em um custo fixo unitários.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Capacidade Normal de ProduçãoOs custos indiretos de produção eventualmente não-alocadosaos produtos e os valores anormais de custos de produçãodevem ser reconhecidos como despesa do período em queocorrem, sem transitar pelos estoques, dentro desse mesmogrupo, mas de forma identificada.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Capacidade Normal de Produção - Impacto• O valor do custo fixo alocado a cada unidade produzida não pode ser aumentado por causa de um baixo volume de produção ou ociosidade.• Os custos fixos não-alocados aos produtos devem ser reconhecidos diretamente como despesa no período em que são incorridos. Em períodos de anormal alto volume de produção, o montante de custo fixo alocado a cada unidade produzida deve ser diminuído, de maneira que os estoques não sejam mensurados acima do custo.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Capacidade Normal de Produção – Impacto• Os custos indiretos de produção variáveis devem ser alocados a cada unidade produzida com base no uso real dos insumos variáveis de produção, ou seja, na capacidade real utilizada.
  • CAPACIDADE NORMAL VS VOLUME PRODUZIDODescrição Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6Gastos Gerais de 1.500.000 1.500.000 1.500.000 1.500.000 1.500.000 1.500.000Fabricação FixosHoras Reais 11.500 12.000 12.800 10.500 13.000 17.000TrabalhadasCusto Fixo Unitário 130,43 125,00 117,19 142,86 115,38 88,24Descrição Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6Gastos Gerais de 1.725.000 1.800.000 1.920.000 1.575.000 1.950.000 2.550.000Fabricação VariáveisHoras Reais 11.500 12.000 12.800 10.500 13.000 17.000TrabalhadasCusto Variável Unitário 150,00 150,00 150,00 150,00 150,00 150,00
  • CAPACIDADE NORMAL VS VOLUMEPRODUZIDO
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Produtos em Conjunto ou Subprodutos• Quando os custos de transformação de cada produto não são separadamente identificáveis, eles devem ser atribuídos aos produtos em base racional e consistente.• Essa alocação pode ser baseada, no valor relativo da receita de venda de cada produto, seja na fase do processo de produção em que os produtos se tornam separadamente identificáveis, seja no final da produção, conforme o caso.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Itens não incluídos no custo dos estoques: (a) valor anormal de desperdício de materiais, mão-de-obra ou outros insumos de produção; (b) gastos com armazenamento, a menos que sejam necessários ao processo produtivo entre uma e outra fase de produção; (c) despesas administrativas que não contribuem para trazer o estoque ao seu local e condição atuais; e (d) despesas de comercialização, incluindo a venda e a entrega dos bens e serviços aos clientes.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Outras formas de mensuração de custos:Custo Padrão:-leva em consideração os níveis normais de utilização dos materiais ebens de consumo, da mão-de-obra e da eficiência na utilização dacapacidade produtiva.-as variações relevantes do custo-padrão em relação ao custo devem seralocadas nas contas e nos períodos adequados de forma a se ter osestoques de volta a seu custo.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Critérios de valoração de estoque:- PEPS (Primeiro que entra, primeiro que sai)- Média Ponderada MóvelA entidade deve usar o mesmo critério de custeio para todos osestoques que tenham natureza e uso semelhantes para a entidade. Paraos estoques que tenham outra natureza ou uso, podem justificar-sediferentes critérios de valoração.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Valor Realizável Líquido• O custo dos estoques podem não ser recuperáveis, se estes: • Estiverem danificados ou se tornado total ou parcialmente obsoletos. • Tiverem seus preços diminuidos • Os custos incorridos para realizar a venda tiverem aumentado
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Valor Realizável Líquido – Objetivo da normaA prática de reduzir o valor de custo dos estoques (writedown) para o valor realizável líquido é consistente com oponto de vista de que os ativos não devem ser escrituradospor quantias superiores àquelas que se espera que sejamrealizadas com a sua venda ou uso.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Valor Realizável Líquido- Deve ser feito item a item- Apenas nos itens que tiverem seu valor contábil maior que o valor realizável líquido deve ser provisionada a perda por desvalorização de estoque – norma extremamente conservadora!
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Valor Realizável Líquido- Deve ser feito item a item- Apenas nos itens que tiverem seu valor contábil maior que o valor realizável líquido deve ser provisionada a perda por desvalorização de estoque – norma extremamente conservadora!
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESCPC 16 – Valor Realizável LíquidoAs estimativas do valor realizável líquido devem serbaseadas nas evidências mais confiáveis disponíveis nomomento em que são feitas as estimativas do valor dosestoques que se espera realizar.O valor realizável líquido da quantidade de estoque mantidopara atender contratos de venda ou de prestação de serviçosdeve ser baseado no preço do contrato. Se os contratos devenda dizem respeito a quantidades inferiores às quantidadesde estoque possuídas, o valor realizável líquido do excessodeve basear-se em preços gerais de venda.
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUES Descrição Alíquotas Valor R$Preço de Venda 100,00 1.200,00(-) ICMS 18,00 216,00(-) PIS 1,65 19,80(-) Cofins 7,60 91,20(=) Preço de Venda Líquido 72,75 873,00(-) Comissão de Vendas 5,00 60,00(-) Fretes 1,50 18,00(-) Embalagem variável 0,53 6,40(-) Boleto Bancário 0,03 0,40Valor Realizável Líquido 788,2
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUES Preço de ValorIte Despesas Quant. Unit. Total Venda Comissões Fretes Embalagens Total Realizável Provisão m Bancárias Líquido LíquidoA 1.500 38,00 57.000 40,00 2,00 1,00 0,40 0,10 3,50 36,50 (2.250,00)B 2.500 25,00 62.500 29,00 1,45 0,73 0,29 0,10 2,57 26,43C 3.000 26,00 78.000 25,00 1,25 0,63 0,25 0,10 2,23 22,77 (9.690,00)D 5.000 23,00 115.000 22,00 1,10 0,55 0,22 0,10 1,97 20,03 (14.850,00)E 500 15,00 7.500 20,00 1,00 0,50 0,20 0,10 1,80 18,20 Total (26.790,00)D – Custo dos Produtos Vendidos(Conta de Resultado)C – Provisão para Ajuste ao Valor Realiável Líquido R$ 26.790,00
  • PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 16 – ESTOQUES CPC – PME Seção 13 - ESTOQUESRTT - REGIME TRIBUTÁRIO DE TRANSIÇÃOO RTT – Regime Tributário de Transição deixa claro em seu texto que asalterações na Legislação Societária para adaptação das regras contábeisbrasileiras aos padrões internacionais não devem ter qualquer aplicaçãotributária, sendo mantidas, até que nova lei seja editada, as regras contábeisvigentes em 31 de dezembro de 2.007, de modo a se obter a neutralidade fiscalda adoção do padrão contábil internacional.
  • CRÍTICAS AO SISTEMA CONTÁBIL DECUSTOS CONSIDERANDO AS IFRS - NBC-T 1)   Distorção no custo dos produtos em função do rateio doscustos indiretos ou fixos; ( corrigido em parte )2)    Distorção no custo dos produtos em função do volume deprodução e de capacidade produtiva osciosa ( corrigido )3) Valorização da matéria-prima com base no preço médio deaquisição (corrigido em parte )4) Interferência da legislação tributária / fiscal . (corrigido )
  • L ÃO A Ç NU T A A N M LA P IM o ss paD E a so e ç s ão o pa iras d odu açã sile n t r l an t B r a e I p s d Im rma ilida N o n ta b Co 86
  • SISTEMA CONTÁBIL DE CUSTOSManual de ImplantaçãoGUIA PASSO A PASSO:Passo 1 – Criação do Departamento de CustosPasso 2 – Objetivo e metodologia do sistema de custosPasso 3 – Estudo da legislação vigentePasso 4 – Análise estruturada do sistemaPasso 5 – Ferramenta operacionalPasso 6 – Departamentalização da empresaPasso 7 – Departamentalização da folha de pagamentoPasso 8 – Adaptação do Plano de ContasPasso 9 – Sistema de Controle de Estoques de Matéria-prima e MateriaisPasso 10 – Ficha Técnica do ProdutoPasso 11 – Sistema de apontamento da produçãoPasso 12 – Definir a Capacidade Normal de ProduçãoPasso 13 – Elaborar o Mapa de Distribuição dos CustosPasso 14 – Apurar o custo dos produtos em processo e acabadosPasso 15 - Apurar o custo de subproduto e co-produtosPasso 16 – Registrar a movimentação no Sistema de Controle de EstoquesPasso 17 – Elaborar os Lançamentos ContábeisPasso 18 – Elaborar a DRE – Demonstração do Resultado do ExercícioPasso 19 – Elaborar o RTT – Regime Tributário Transitório.
  • EVOLUÇÃO DOS CUSTOS GERENCIAIS CUSTO POR ABSORÇÃO CUSTO DIRETO CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADE
  • Custo Direto PRODUTO VALO: -Matéria-Prima -Material de Embalagem -Mão-de-Obra Direta -Frete de Saída* -Comissão de Vendas*
  • Custo Direto Procura resolver 3 problemas:-Custos fixos independentes da fabricação ou não, e nãooscilam diante de diferentes volumes.-Alto grau de arbitrariedade dos rateios.-Aumentando-se o volume tem-se um menor custo fixopor unidade e vice-versa. Distorções causadas pormudanças de volumes em outros produtos.
  • Visão Geral do Custo Direto e Custo por Asorção Custo Custo por Direto Absorção Materiais DiretosCusto do Mão de obra Direta Custo doProduto Custos Indiretos Variáveis Produto Custos Indiretos FixosCusto do Despesas Administrativas e de Vendas Var. Custo do Período Despesas Fixas Período
  • Custo Direto• Metodologia Gerencial!!• Conceito de Margem de Contribuição
  • Cálculo do Custo Unitário Harvey Company produz um único produto:Número de unidades produzidas (ano) 25,000Custos Variáveis por Unidade Material direto e mão de obra direto $ 10 Despesas variáveis (frete e comissão) $ 3Custos Fixos por Ano Custo Indireto $ 150,000 Despesas Administrativas e de Vendas $ 100,000
  • Cálculo do Custo Unitário O custo de produção unitário é: Custo por Custo Absorção DiretoMaterial e mão-de-obra direta $ 10 $ 10Custo Fixo ($150,000 ÷ 25,000 unidades ) 6 -Custo Unitário $ 16 $ 10 No custo por absorção, todos os custos de produção, fixos e variáveis são incluídos, no custo direto, apenas os custos variáveis de produção são considerados para cálculo do custo unitário de produção.
  • DRE no Custo por Absorção e DiretoVamos considerar as seguintes informaçõesiniciais sobre a Harvey Company– 20,000 unidades são vendidas por ano a um preço de $30 cada.– Não há estoque inicial.Agora vamos calcular o lucro operacionalsob as duas metodologias.
  • DRE com Custo Direto Todo o custo indireto Apenas custos vai para despesas do variáveis. período. Custo DiretoVendas (20,000 × $30) $ 600,000Menos gastos variáveis:CMV Variável (20,000 × $10) $ 200,000Despesas Adm e de Vendas variáveis (20,000 × $3) 60,000 260,000Total gastos variáveisMargem de Contribuição 340,000Menos gastos fixosCusto Indireto $ 150,000Despesas Fixas 100,000 250,000Lucro Operacional $ 90,000
  • DRE – Custo por Absorção Custo de Produção Unitários. AbsorçãoVendas (20,000 × $30) $ 600,000Menos CMV: (20,000 × $16) 320,000Margem Bruta 280,000Menos despesas adm e de vendasvariável (20,000 × $3) $ 60,000Fixas 100,000 160,000Lucro Operacional $ 120,000 Custo fixo que ficou em estoque 5,000 unidades × $6 = $30,000.
  • Comparação no 2o.anoNúmero de unid. Produzidas 25,000Número de unid. Vendidas 30,000Unid. Estoque Inicial 5,000Preço de Venda Unitário $ 30Custo Variável por Unidade Material e M.Obra Direta Material e M.Obra Direta $ 10 Despesas Adm e de Vendas Variáveis $ 3Custo Fixo por Ano Custos Indiretos $ 150,000 Despesas Adm e de Vendas Fixas $ 100,000
  • DRE – Custo Direto Todos os Custos Fixos vão para despesa do Apenas custos período variáveis Custo DiretoVendas (20,000 × $30) $ 900,000Menos gastos variáveis:CMV Variável (20,000 × $10) $ 300,000Despesas Adm e de Vendas variáveis (20,000 × $3) 90,000 390,000Total gastos variáveisMargem de Contribuição 510,000Menos gastos fixosCusto Indireto $ 150,000Despesas Fixas 100,000 250,000Lucro Operacional $ 260,000
  • DRE Custo por Absorção Custo de produção unitário. AbsorçãoVendas (30,000 × $30) $ 900,000Menos CMV: (30,000 × $16) 480,000Margem Bruta 420,000Menos despesas adm e de vendasvariáveis (30,000 × $3) $ 90,000Fixas 100,000 190,000Lucro Operacional $ 230,000 Custo fixo que saiu do estoque 5,000 unids. × $6 = $30,000.
  • Resumo Relação entre Relação entre produção Efeito no custo direto e e vendas estoque custo por absorçãoUnidades Produzidas Absorção = Sem mudanças = Unidades Vendidas no estoque DiretoUnidades Produzida Absorção > Estoque > Unidades Vendidas Aumenta VariávelUnidades Produzidas Absorção < Estoque < Unidades Vendidas diminui Variável
  • • Que significa uma Margem de Contribuição = 0?• Como uma empresa consegue achar o seu ponto de equilíbrio?• Quais benefícios eu posso tirar de uma abordagem como o Custo Direto?• Quais as vantagens desta metodologia?
  • Custeio Baseado em Atividades:1850 - 1975: economia de escala e escopo: produção em massa de produtos padronizados;Alta incidência de custos diretos (mão-de-obra e materiais).
  • Uma frase famosa:“Eles podem ter qualquer cor, desde queseja preto...” Henry Ford
  • Cenário Atual Empresas competindo em um ambiente complexo - fundamental a compreensão de suas metas e métodos para atingí-las; A capacidade de exploração de ativos intengíveis se tornou tão importante quanto dos ativos tangíveis; Desenvolvimento de relacionamentos Inovação Bens e serviços de alta qualidade, bom preço e ciclo mais curto Motivação de funcionários
  • Como os custos são tratados noABC: ABC difere dos custeios tradicionais de 3 maneiras: ABC difere dos custeios tradicionais de 3 maneiras: Custos de Despesas (não Manufatura produtivas) ABCMétodos Tradicionais  ABC aloca ambos os tipos de custos ao produto.
  • Como os custos são tratados noABC: ABC difere dos custeios tradicionais de 3 maneiras: ABC difere dos custeios tradicionais de 3 maneiras: Custos de Despesas (não Manufatura Ma produtivas) ma iori s n a, Alguns Todos ão t od os ABCMétodos Tradicionais ABC não aloca todos os custos de manufatura aos produtos
  • Como os custos são tratados noABC: ABC difere dos custeios tradicionais de 3 maneiras: ABC difere dos custeios tradicionais de 3 maneiras: Nível de Complexidade Custeio Custeio baseado em baseado em atividades atividades Taxa de Taxa de alocação por alocação por departamento departamento Taxa de Taxa de alocação para alocação para toda fábrica toda fábrica Número de Centros de Custos  ABC usa mais centros de custos.
  • Como os custos são tratados noABC: ABC difere dos custeios tradicionais de 3 maneiras: ABC difere dos custeios tradicionais de 3 maneiras: Cada atividade ABC tem um próprio direcionador de custos. Sistemas de custos tradicionais são baseados em medidas de volume, como horas/homem ou horas/máquina para alocar todos os custos indiretos aos produtos.  ABC usa mais centros de custos.
  • Como os custos são tratados noABC: Um evento que causa o Atividades consumo de recursos Um agrupamento em que Grupo de custos relacionados a uma Custos de atividade particular são Atividades acumulados. $$ $ $$$
  • Como os custos são tratados noABC: O termo cost driver Medida da também é usado para atividade se referir a uma medida de atividade.Uma base de alocaçãoem um custeiobaseado em atividades
  • Como os custos são tratados noABC:Dois tipos comuns de medida de atividade:Driver de Driver de duraçãoTransação Medida de quantidade Conta o número de tempo de vezes que a para fazer atividade uma ocorreu. atividade
  • Como os custos são tratados noABC: ABC define 5 níveis de atividade que não se relacionam com volume produzidoSistemas de custeio tradicional geralmente utilizamh/h ou h/m para ratear custos aos produtos
  • Como os custos são tratados noABC: Unitários Batch de produção Empresas industriais geralmente classificam suas atividades em 5 categorias. Produtos Clientes Suporte à organização
  • Pretzel Ltda: Exemplo de ABC Vendas 3.200.000 Custo dos Produtos Vendidos Materiais Diretos 975.000 Mão-de-obra direta 351.250 Mão-de-obra indireta 1.000.000 2.326.250 Margem Bruta 873.750 Despesas Adm e de Vendas Frete 65.000 Despesas de Marketing 300.000 Despesas Adm Gerias 510.000 875.000 Prejuízo Líquido -1.250Os custos indiretos são alocados aos produtos com base em um únicoOs custos indiretos são alocados aos produtos com base em um únicocritério, h/h ou h/m, por exemplo.critério, h/h ou h/m, por exemplo.
  • 1) Definir atividades edirecionadores de custos  Na Pretzel, a equipe do ABC, as seguintes atividades e direcionadores de custos ATIVIDADES DIRECIONADORES DE CUSTOS Pedidos de Clientes Número de pedidos Desing de Produtos Número de produtos desenhados Tamanho da Ordem Horas-Máquina Relação com Consumidores Número de clientes ativos Outros n.a
  • 1) Definir atividades edirecionadores de custos• Pedidos de Clientes -- alocados todos os custos de recursos que são• Pedidos de Clientes alocados todos os custos de recursos que são consumidos por pegar e processar pedidos dos clientes. consumidos por pegar e processar pedidos dos clientes.• Design de Produtos -- alocados todos os custos de recursos• Design de Produtos alocados todos os custos de recursos consumidos para o design de produtos. consumidos para o design de produtos.• Tamanho de Pedido -- alocados todos os custos de recursos• Tamanho de Pedido alocados todos os custos de recursos consumidos como consequência do número de unidades produzida. consumidos como consequência do número de unidades produzida.• Relação com consumidores – alocados todos os custos associados• Relação com consumidores – alocados todos os custos associados com manutenção de relação com clientes. com manutenção de relação com clientes.• Outros – alocados todos os custos que não estão relacionados com• Outros – alocados todos os custos que não estão relacionados com nenhuma atividade. nenhuma atividade.
  • 2) Alocar custos e despesas àsatividades CUSTOS E DESPESAS PRODUTIVOS E NÃO PRODUTIVOS Departamento Produtivo Salários de mão-de-obra indireta 500.000 Depreciação de equipamentos 300.000 Utilidades 120.000 Aluguel da Fábrica 80.000 1.000.000 Departamento Administrativo Salários administrativos 400.000 Depreciação de equipamentos (escritórios) 50.000 Aluguel do Escritório 60.000 510.000 Departamento de Marketing Salários de Markeitng 250.000 Despesas de Vendas 50.000 300.000 Total Custos e Despesas 1.810.000
  • 2) Alocar custos e despesas àsatividades CUSTOS E DESPESAS PRODUTIVOS E NÃO PRODUTIVOS Departamento Produtivo Salários de mão-de-obra indireta 500.000 Depreciação de equipamentos 300.000 Utilidades 120.000 Aluguel da Fábrica 80.000 1.000.000 Departamento Administrativo Salários administrativos 400.000 Depreciação de equipamentos (escritórios) 50.000 Aluguel do Escritório 60.000 510.000 Departamento de Marketing Salários de Markeitng 250.000 Despesas de Vendas 50.000 300.000 Total Custos e Despesas 1.810.000 Materiais diretos, MOD e frete são excluídos pois o sistema de cstos atual da Pretzel já pode alocar diretamente estes custos aos produtos ou pedidos.
  • 2) Alocar custos e despesas àsatividadesATIVIDADES Pedidos de Design Tamanho das Relação com Outros Total Clientes de Ordens Consumidores ProdutosDepartamento ProdutivoSalários de mão-de-obra indireta 25% 40% 20% 10% 5% 100%Depreciação de equipamentos 20% 0% 60% 0% 20% 100%Utilidades 0% 10% 50% 0% 40% 100%Aluguel da Fábrica 0% 0% 0% 0% 100% 100%Departamento AdministrativoSalários administrativos 15% 5% 10% 30% 40% 100%Depreciação de equipamentos 30% 0% 0% 25% 45% 100%(escrit)Aluguel do Escritório 0% 0% 0% 0% 100% 100%Departamento de MarketingSalários de Markeitng 20% 10% 0% 60% 10% 10%Despesas de Vendas 10% 0% 0% 70% 20% 100%
  • 2) Alocar custos e despesas àsatividades CUSTOS E DESPESAS PRODUTIVOS E NÃO PRODUTIVOS Departamento Produtivo Salários de mão-de-obra indireta 500.000 Depreciação de equipamentos 300.000 Utilidades 120.000ATIVIDADES Aluguel da Fábrica 80.000 1.000.000 Pedidos de Design Administrativo Departamento de Tamanho Relação com Outros Total Salários administrativos 400.000 Clientes Produtos das Consumidor Depreciação de equipamentos (escritórios) 50.000 Aluguel do Escritório Ordens es 60.000 510.000Departamento Produtivo Departamento de MarketingSalários de mão-de-obra indireta 125.000 Salários de Markeitng 250.000 Despesas de Vendas 50.000 300.000Depreciação de equipamentos Total Custos e Despesas 1.810.000UtilidadesAluguel da FábricaDepartamento AdministrativoSalários administrativosDepreciação de equipamentos(escrit) Salários de MOI $500,000Aluguel do Escritório % consumido por pedidos de cliente 25%Departamento de Marketing $125,000Salários de MarkeitngDespesas de Vendas
  • Calcular as taxas de atividade  A equipe do ABC determinou que a Pretzel terá este total de atividades para cada direcionador de atividade.  1,000 pedidos de clientes,  400 novos designs,  20,000 horas-máquina,  250 atividades de relacionamento com clientes. Agora eles podem computar a taxas individuais (unit.) para Agora eles podem computar a taxas individuais (unit.) para cada direcionador, dividindo o custo total de cada atividade cada direcionador, dividindo o custo total de cada atividade pelo total do nível de atividade. pelo total do nível de atividade.
  • Calcular as taxas de atividade Grupo de Atividade Custo Total Total de Atividade Taxa da Atividade Pedidos de Clientes 320.000 1.000 ordens R$320 por ordem Desing de Produto 252.000 400 desings R$630 por desing Tamanho da Ordem 380.000 20.000 h/m R$19 por h/m Relação com Clientes 367.500 250 clientes R$1.470 por cliente Outros 490.500 na na
  • ABC na Pretzel Materiais MOD Frete Custos Indiretos e Despesas Diretos Traçado Traçado Traçado Produtos, Pedidos, Clientes
  • ABC na Pretzel Materiais MOD Frete Custos Indiretos e Despesas Diretos Primeira etapa de alocação Comprar Campanha Visitas a Montagem Outros Materiais De Mkt Clientes Segundo Estágio de Alocação $/Ordem $/Design $/HM $/Cliente Não alocado Produtos, Pedidos, Clientes
  • Distribuindo custos indiretose despesas a produtos  Produtos da PretzelProduto Alfa1. Padronizado - não requer novo design2. 30,000 unidades encomendadas em 600 ordens separadas.3. Cada alfa requer 35 minutos de h/m cada, para um total de 17.500 h/m Produto Gama 1. Requer novos designs 2. 400 ordens separadas. 3. 400 designs personalizados preparados. 4. 1,250 gamas produzidos, requerindo 2 h/m cada para um total de 2,500 h/m
  • Distribuindo custos indiretose despesas a produtos
  • Alocando custos edespesas aos clientesAgora vamos checar como a Pretzel trabalha com apenas 1 de seus 250 clientes - Ventos Yatchs que colocou um total de 3 pedidos. Ordens 1. 2 ordens para 250 Alfas, com 150 em cada. 2. Uma ordem para Gama. Horas-Máquima 1. As 300 Alfas demandaram 175 h/m. 2. O Gama demandou 2 h/m.
  • Alocando custos edespesas aos clientes ALOCAÇÃO DE CUSTOS PARA A VENTOS YATCH Grupo de Atividades Taxa da Atividade Nível Atividade Custo ABC Pedidos de Clientes 320 3 960 Design de Produtos 630 1 630 Tamanho de Ordens 19 177 3.363 Relação com Clientes 1.470 1 1.470 Total 6.423
  • 5) Preparação deRelatórios Gerenciais Produto Alfa Produto Gama TOTALVendas 2.660.000 540.000 3.200.000Custos DiretosMateriais Diretos 905.500 69.500 975.000Mão-de-obra direta 263.750 87.500 351.250Frete 60.000 5.000 65.000
  • 5) Preparação de RelatóriosGerenciais: Cálculo da Margem do Produto O segundo passo para calcular a margem do produto é incorporar o alocação do custo ABC previamente calculado, pertencente ao produto. Alfa Gama TOTALVendas 2.660.000 540.000 3.200.000Custos DiretosMateriais Diretos 905.500 69.500 975.000Mão-de-obra direta 263.750 87.500 351.250Frete 60.000 5.000 65.000ALOCAÇÃO DO CUSTO ABCPedidos de Clientes 192.000 128.000 320.000Desing do Produto 0 252.000 252.000Tamanho da Ordem 332.500 47.500 380.000
  • 5) Preparação de RelatóriosGerenciais: Cálculo da margem do produto O terceiro passo no cálculo da margem do produto é deduzir os custos diretos e indiretos das vendas Alfa Gama Vendas 2.660.000 540.000 Custos Diretos Materiais Diretos 905.500 69.500 Mão-de-obra direta 263.750 87.500 Frete 60.000 5.000 Pedidos de Clientes 192.000 128.000 Desing do Produto 0 252.000 Tamanho da Ordem 332.500 47.500 (-)Custo Total 1.753.750 589.500 (=) Margem do Produto 906.250 -49.500
  • 5) Preparação de RelatóriosGerenciais: Cálculo da Margem do Produto A margem do produto pode ser reconciliada com o lucro operacional da empresa, da seguinte forma: Alfa Gama TotalVendas 2.660.000 540.000 3.200.000(-) Custos Totais 1.753.750 589.500 2.343.250(=) Margem do Produto 906.250 -49.500 856.750(-) Custos não alocadosRelação com consumidores 367.500Outros 490.500Total 858.000(=) Prejuízo Operacional -1.250
  • 5) Preparação de RelatóriosGerenciais Análise da Lucratividade por Cliente O primeiro passo para calcular a margem da Ventos Yatch é juntar suas informações de vendas e custos diretos Ventos Yatch Vendas $11.350 Custos Diretos Materiais Diretos $2.123 MOD $1.900 Frete $205
  • 5) Preparação de RelatóriosGerenciais Análise da Lucratividade por ClienteO segundo passo é incorporar a alocação de custos ABC calculada para a Ventos Yatch Ventos Yatch Vendas 11.350 Custos Diretos Materiais Diretos 2.123 MOD 1.900 Frete 205 ALOCAÇÃO DO CUSTO ABC Pedidos de Clientes 960 Desing do Produto 630 Tamanho da Ordem 3.363 Relacionamento com Clientes 1.470
  • 5) Preparação de RelatóriosGerenciais Análise da Lucratividade do ClienteO terceiro passo é clacular a margem da Ventos Yatch, deduzindo todos os custos diretos e indiretos de suas vendas Ventos Yatch Vendas 11.350 Custos Diretos Materiais Diretos 2.123 MOD 1.900 Frete 205 Pedidos de Clientes 960 Desing do Produto 630 Tamanho da Ordem 3.363 Relacionamento com Clientes 1.470 10.651 Margem do Cliente 699
  • Agora, vamos ver essahistória contada por um sistema de custos tradicional...
  • Margem do Produto: sistema decustos tradicional Primeiro passo para calcular a margem do produto é pegar as vendas e custos diretos de fabricação. Alfa Gama TOTALVendas 2.660.000 540.000 3.200.000Custos DiretosMateriais Diretos 905.500 69.500 975.000Mão-de-obra direta 263.750 87.500 351.250
  • Margem do Produto: sistema decustos tradicionalO segundo passo é calcular uma taxa de rateio geral da fábrica Departamento de Produção Salário - mão-de-obra indireta 500.000 Depreciação de equipamentos 300.000 Utilidades 120.000 Aluguel 80.000 Total de Custos Indiretos 1.000.000 Taxa de manufatura da fábrica= $1,000,000 = $50 por hora-máquina 20,000 MH Horas Máquina Alfa 17.500 Gama 2.500 Total H/M 20.000
  • Margem do Produto: sistema decustos tradicional O terceiro passo é alocar os custos indiretos aos produtos. Horas Taxa de Alocação Máquina Rateio de Indiretos Stanchions 17.500 50 875.000 Compass Housings 2.500 50 125.000 Total de Indireto Alocados ao 20.000 1.000.000 Produto 17.500 horas × $50 por hora = $875,000
  • Margem do Produto: sistema decustos tradicional Alfa Gama TOTALVendas 2.660.000 540.000 3.200.000Custo dos ProdutosVendidosMateriais Diretos 905.500 69.500 975.000Mão-de-obra direta 263.750 87.500 351.250Custos Indiretos 875.000 2.044.250 125.000 282.000 1.000.000 2.326.250(=) Margem do Produto 615.750 258.000 873.750Despesas Adm e Vendas 875.000(=) Prejuízo Operacional -1.250 Despesas de Frete 65.000 Despesas de 300.000 Marketing Despesas Adm e 510.000 Vendas 875.000
  • Diferenças entre o ABC e CusteioTradicional Alfa Gama Margem do Produto - 615.750 258.000 Tradicional Margem do Produto - ABC 906.250 -49.500 Mudança nas margens -290.500 307.500 reportadas O sistema tradicional de custos O sistema de custos sobrecarrega os alfas tradicional beneficia o e reporta uma menor gama e reporta uma margem para este margem maior para produto. este produto
  • Diferenças entre o ABC e CusteioTradicionalExistem 3 motivos pelos quais a margem reportadados produtos para os dois sistemas de custosdivergem uma da outra.Custeio tradicional aloca todos os custos indiretosaos produtos. Custeio ABC aloca apenas os indiretosconsumidos por produtos a estes produtos.
  • Diferenças entre o ABC e CusteioTradicionalExistem 3 motivos pelos quais a margem reportadados produtos para os dois sistemas de custosdivergem uma da outra. Custeio tradicional aloca todos os custos indiretosbaseado em uma relação-volume. Custeio ABCtambém considera bases de alocação nãorelacionadas a volume.
  • Diferenças entre o ABC e CusteioTradicionalExistem 3 motivos pelos quais a margem reportadados produtos para os dois sistemas de custosdivergem uma da outra. Sistemas tradicionais de custos desconsideramdespesas administrativas e de vendas, pois estas sãoassumidas como despesas do período. Custeio ABCidentifica diretamente custo de frete aos produtos einclui despesas não produtivas causada pelos produtosem um grupo de atividades, cujas despesas sãoalocadas aos produtos.
  • Buscando melhoria de processos Gerenciamento baseado em atividades, em conjunto com ABC, para identificar áreas que se beneficiariam de melhorias de processo.. As taxas das atividades podem oferecer excelente dicas em onde deve ser o foco para buscar melhorias. Benchmarking pode ser usado para comparar o custo Benchmarking pode ser usado para comparar o custo das atividades com pradrões globais de performance das atividades com pradrões globais de performance alcançado por outras organizações. alcançado por outras organizações.
  • Limitações Requer recursos Resistencia a números substanciais para e relatórios não implementar e manter familiares Desejo de alocar todos Potencial má os custos aos produtos interpretação dos dados. Necessidade de manter 2 sistemas de custos.
  • PARA FINALIZAR:CUSTO CONTÁBIL: SISTEMA CONTÁBIL DE CUSTOS – CUSTO POR ABSORÇÃO, ATENTAR ÁNOVA LEI CONTÁBIL, ESPECIALMENTE CPC 16 – ESTOQUES!CUSTO GERENCIAL: - CUSTO DIRETO: empresas com alta incidência de custos diretos/variáveis - CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADE: empresas com alta incidência de overheads
  • PRONUNCIAMENTOSTÉCNICOS CONTÁBEIS www.ifrs.org www.cpc.org.br
  • BIBLIOGRAFIA – Sistema Contábil de Custos CONTABILIDADE DE CUSTOS Eliseu Martins Editora Atlas 2003 MANUAL DE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA Fipecafi Editora Atlas 2010 ESTOQUES – CPC 16 Coleção IFRS Editora IOB 2010
  • BIBLIOGRAFIA – Sistema Gerencial deCustos Edição Internacional 2010 Edição nacional 2.007 Editora MacGraw-Hill