0
Um programa de aprendizagem corporativa voltadopara a convivência em redeUm social game para estimular a inovação naempres...
Um programa da empresa-em-rede
Sua empresa precisa de uma rede de inovação?Mas uma rede de inovação não é uma ferramenta –uma plataforma – e sim pessoas,...
Por que as iniciativas de articular redes de inovaçãoem empresas costumam dar errado?Em geral essas redes são urdidas arti...
Projetos de rede dão errado quando as redesprogramadas não conseguem existir por si mesmas(não conformam uma entidade self...
Projetos de rede dão errado quando as pessoas:    não se interessam em compartilhar agendas por   iniciativa voluntária  ...
Costumam dar errado: Redes implantadas top down por instânciashierárquicas Redes de instâncias hierárquicas em vez depes...
Costumam dar errado: Redes avaliadas com métricas fixas, estabelecidasex ante Redes corporativas fechadas aos stakeholde...
Costumam dar errado: Redes que confundem as ferramentas com aspessoas, tomando as mídias sociais (plataformas,sites, port...
Tecer redes é alterar um padrão de organização (maisdistribuído do que centralizado), não adotar um novotipo de organizaçã...
BARAN, Paul (1964). On Distributed Communications. Santa Monica: Rand Corporation, 1964.
Um padrão de organização mais distribuído do quecentralizado configura um ambiente mais favorável àinteração.Um ambiente m...
A Empresa Viva funciona ativando a rede socialdentro da empresa a partir dos desejos de seusstakeholders, por meio da inst...
O social game A Empresa Viva é instalado em umencontro presencial de pessoas da empresa a partirde uma única pergunta:“ – ...
Em torno das mudanças desejadas formam-secomunidades durante o encontro de instalação dogame.Terminado o encontro as respo...
Todas as pessoas da empresa são chamadas a aderir auma comunidade de desejo já formada ou a propornovas comunidades.Bem......
A medida que jogam, as pessoas da empresa passama confiar na rede social e a gostar de se relacionarumas com as outras.Ao ...
E a medida que jogam, as pessoas passam a realizarvárias atividades rotineiras da empresa dentro dogame, transformando o t...
Um programa criado, desenvolvido e aplicado porAUGUSTO DE FRANCO   CACAU GUARNIERI      NILTON LESSA
PARA CONTRATAR O PROGRAMAhttp://dojonave.ning.com/page/a-empresa-viva
A EMPRESA VIVA
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

A EMPRESA VIVA

4,246

Published on

Um social game para estimular a inovação na empresa e prepará-la para a transição dos negócios para uma sociedade-em-rede | Programa de Aprendizagem da empresa-em-rede Netweaving HCW

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,246
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
36
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "A EMPRESA VIVA"

  1. 1. Um programa de aprendizagem corporativa voltadopara a convivência em redeUm social game para estimular a inovação naempresa e prepará-la para a transição dos negóciospara uma sociedade-em-rede
  2. 2. Um programa da empresa-em-rede
  3. 3. Sua empresa precisa de uma rede de inovação?Mas uma rede de inovação não é uma ferramenta –uma plataforma – e sim pessoas, conectadashorizontalmente, interagindo por iniciativa própria.Na ausência de uma verdadeira rede social, qualquerplataforma interativa tende a ficar inativa.
  4. 4. Por que as iniciativas de articular redes de inovaçãoem empresas costumam dar errado?Em geral essas redes são urdidas artificialmente paraseguir uma nova moda e são adotadas como um novoexpediente de gestão corporativa que não altera ospadrões de relacionamento entra as pessoas quehabitam ou orbitam o ecossistema da empresa.
  5. 5. Projetos de rede dão errado quando as redesprogramadas não conseguem existir por si mesmas(não conformam uma entidade self-propelled). Issoacontece quando as pessoas:  não manifestam espontaneamente seu desejo de se conectar e interagir
  6. 6. Projetos de rede dão errado quando as pessoas:  não se interessam em compartilhar agendas por iniciativa voluntária  não freqüentam com regularidade as ferramentas de netweaving instaladas, que ficam então ociosas, recaindo o trabalho de alimentá-las sobre uma equipe burocrática
  7. 7. Costumam dar errado: Redes implantadas top down por instânciashierárquicas Redes de instâncias hierárquicas em vez depessoas Redes de adesão compulsória
  8. 8. Costumam dar errado: Redes avaliadas com métricas fixas, estabelecidasex ante Redes corporativas fechadas aos stakeholders Redes com um escopo pré-fixado
  9. 9. Costumam dar errado: Redes que confundem as ferramentas com aspessoas, tomando as mídias sociais (plataformas,sites, portais e outros mecanismos de comunicação)pelas redes sociais (pessoas interagindo)
  10. 10. Tecer redes é alterar um padrão de organização (maisdistribuído do que centralizado), não adotar um novotipo de organização ou uma nova ferramenta.Veja no próximo slide as diferenças entrecentralização, descentralização e distribuição.
  11. 11. BARAN, Paul (1964). On Distributed Communications. Santa Monica: Rand Corporation, 1964.
  12. 12. Um padrão de organização mais distribuído do quecentralizado configura um ambiente mais favorável àinteração.Um ambiente mais interativo aumenta as chances deinovação.Este é o objetivo do programa.
  13. 13. A Empresa Viva funciona ativando a rede socialdentro da empresa a partir dos desejos de seusstakeholders, por meio da instalação de um creativesocial game.
  14. 14. O social game A Empresa Viva é instalado em umencontro presencial de pessoas da empresa a partirde uma única pergunta:“ – Se você pudesse fazer apenas uma mudança nasua empresa, que mudança seria esta?”
  15. 15. Em torno das mudanças desejadas formam-secomunidades durante o encontro de instalação dogame.Terminado o encontro as respostas – em forma devídeo – são publicadas em uma plataforma de gamee vão continuar rodando no dia-a-dia da empresa.
  16. 16. Todas as pessoas da empresa são chamadas a aderir auma comunidade de desejo já formada ou a propornovas comunidades.Bem... aí começa o jogo! Um jogo cooperativo, complacar, badges, desafios, emulações e vertigem.
  17. 17. A medida que jogam, as pessoas da empresa passama confiar na rede social e a gostar de se relacionarumas com as outras.Ao proporem mudanças – de produto, processo ougestão – as pessoas passam a inovar e a polinizarmutuamente suas inovações, dando origem a umprocesso de collective creativity.
  18. 18. E a medida que jogam, as pessoas passam a realizarvárias atividades rotineiras da empresa dentro dogame, transformando o trabalho repetitivo em umaatividade lúdica, prazerosa e, sobretudo, desejável.
  19. 19. Um programa criado, desenvolvido e aplicado porAUGUSTO DE FRANCO CACAU GUARNIERI NILTON LESSA
  20. 20. PARA CONTRATAR O PROGRAMAhttp://dojonave.ning.com/page/a-empresa-viva
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×