Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro

338,812 views
338,478 views

Published on

Slide para o projeto mais Educação!

Published in: Education
10 Comments
107 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
338,812
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8,656
Actions
Shares
0
Downloads
4,352
Comments
10
Likes
107
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Identificação dos níveis silábicos Emília Ferreiro

  1. 1. • Nesse primeiro nível, a criança começa a perceber que a escritarepresenta aquilo que é falado. Assim, em um primeiromomento, ela tenta se aventurar pela escrita por meio dareprodução de rabiscos e desenhos,o que para ela constitui aquiloque é dito. Posteriormente, ela passa a reconhecer algumasletras, sobre tudo as que formam seu nome, e a utilizar essas letrasconhecidas na tentativa de escrever várias palavras diferentes.Aqui a criança já sabe que uma palavra é formada por várias letras(no mínimo três), mas ainda não se preocupa com a posição decada letra, utilizando-as aleatoriamente.• OBS : Icônico -Nesse sentido a representação icônica (imagem)funciona como expressão de seu pensamento através dedesenhos, não tendo a noção de escrita no sentido propriamentedito, escrever é a mesma coisa que desenhar.• Não- Icônico - Por outro lado, a representação não icônica (semimagem) vai além do desenho, funcionando como expressão dopensamento da criança através de rabiscos, daí o termo “nãoicônica”. A criança inicia o conceito de escrita, mas ainda nãoreconhece as letras do alfabeto e seu valor sonoro.
  2. 2. 1 Período pré- silábico 2 Período pré-silábico• Sempre da esquerda para direitatraços pequenos ou grandesconforme o tamanho da palavra –Distinção entre modo iônico e nãoiônico de representação.• Criança – 7 anos• Construção de formas dediferenciação, controle progressivode variações qualitativas equantitativas. – Fazendo asdiferenças interfigural eintrafigurais dentro dostraços, mais não entre as palavrasna forma de escrever repete asmesmas letras para todas aspalavras ditadas.
  3. 3. 2 Período pré-silábico: Construção deformas de diferenciação (controleprogressivo de variações qualitativas equantitativas)2 Período pré-silábico: Construção deformas de diferenciação (controleprogressivo qualitativas equantitativas).• Transição para diferenças Interfiguraisentre as palavras (fase da transição)-Falha repete a mesma representação.• Ex:A hipótese de escrita de Larissa é aPré-silábica com exigência mínima deletras ou símbolos, com variação decaracteres dentro da palavra, mas nãoentre as palavras. A leitura do escrito ésempre global, com o dedo deslizandopor todo o registro escrito.• Qualitativas porque mudou as posiçõesdas letras. Estabelece referênciasinterfigurais entre aspalavras., consegue modificar as letrasaleatoriamente de forma arbitraria. Ex: Ahipótese de escrita de Romina é a Pré-silábica com exigência mínima de letrasou símbolos, com variação de caracteresdentro da palavra e entre as palavras(variação qualitativa intrafigural einterfigural). Neste nível, o alunoconsidera que coisas diferentes devemser escritas de forma diferente.
  4. 4. • Trabalho intenso com os nomes dos alunos,destacando as letrasiniciais atividades variadas com fichas,crachás e alfabeto móvel.• Contato com farto e variado material• Escrito,revistas,jornais,cartazes,livros,jogos,rótulos,embalagens, textos,músicas,poesias,par lendas entre outros• Avaliação de leitura com e sem imagens-notícia,propagandas,histórias,cartas,bilhetes,etc...• Hora da leituras-livro,revistas e jornais a escolha.• Atividades de escrita espontânea-listas,relatórios,autoditado;• Atividades para distinção de letras e numerais;• Manipulação intensa com o alfabeto móvel;• Desenho livre,pintura,modelagem,recorte,dobradura;• Classificação de palavras ou nomes que se parecem;• Memorização de como se escreve algumas palavras;• Relatório oral de experiências;• Produção de texto oral;• Estudo e interpretação de gravuras;• Análise e síntese de palavras;• Interpretação oral de textos;• Reconto e reescrita de histórias;• Escritas espontâneas;
  5. 5. ÁLBUNS:• De rótulos e embalagens;• De nomes, retratos ouautorretrato;• Da história da vida do aluno.JOGOS E BRINCADEIRAS ORAIS:• Com rimas;• Adivinhações;• Telefone sem fio;• Recado oral;• Jornal falado.JOGOS DIVERSOS:• Bingo de letras,de iniciais de nomes,eoutros.• Dominós associando nomes einiciais,desenhos,letras;• Baralho de nomes,figuras;• Quebra –cabeças variados comgravuras,nomes e letras;JOGOS COM CARTÕES:• Parear cartões com nomes iguais;• Parear cartões com desenhos;• Parear cartões com letras.JOGOS COM O ALFABETO MÓVEL:• Cobrir fichas ou crachás;• Separar e agrupar letras iguais.Olha queLegal!Ohhh!!!Projetoletramento eAlfabetizaçãoFernanda
  6. 6. • Nesse nível, a criança começa a perceber acorrespondência entre as letras daquilo que éfalado, de modo que passa a atribuir uma letra acada sílaba da palavra que quer escrever (ouseja,coloca uma letra para cada vez que abre suaboca para falar uma determinada palavra). Noinício, as letras continuam aleatórias ,de modo quepode escrever PATO, por exemplo, como EG.Entretanto conforme a criança vai aprendendo ereconhecendo os sons das letras, passa a utilizarletras que de fato expressam o som da palavra quequer escrever, em geral o som das vogais, vistoque elas são mais rapidamente reconhecidas.Assim, uma criança no final deste nível poderiaescrever PATO, por exemplo, como AO.VÍDEOAPRENDIZAGEMNÍVEL SILÁBICO!
  7. 7. • “ Nestes dois primeiros períodos, o escrito não está regulado pordiferenças ou semelhanças entre os significantes sonoros. É aatenção às propriedades sonoras do significante que marca oingresso no terceiro grande período desta evolução ’’(Ferreiro,2001)• Ex: Bicicleta – Som= significante do objeto• Significantes sonoros= é dos signos para compreender a palavrade forma simbólica.• Signo(Palavra)- A palavra ou seja o som dela é a sua ligação com oobjeto.• Ex: – a palavra Bicicleta que remete o som do objeto e seusignificado,como ex: Bola.
  8. 8. 3 Período:Fonetização da escritaNível Silábico (Hipótisesilábica)mudança Quantitativapara cada som uma palavra3 Período: Fonetização da escritaNível silábico( HipótiseSilábica)mudança Qualitativa porsemelhanças no somNível = significa sub. Períodos• Consegue construir um esquema paracada sílaba, através do som• Ex:A hipótese de escrita de Erik é aSilábica sem valor sonoro convencional.Cada letra ou símbolo corresponde auma sílaba falada, mas o que se escreveainda não tem correspondência com osom convencional daquela sílaba. Aleitura é silabada.• Consegue colocar a palavra conforme osom• Ex:A hipótese de escrita de Ricardo é aSilábica com valor sonoro convencional.Cada letra corresponde a uma sílabafalada e o que se escreve temcorrespondência com o somconvencional daquela sílaba, em geralrepresentada pela vogal, mas nãoexclusivamente. A leitura é silabada.
  9. 9. •Atividades que envolvam frases e textos para facilitar avinculação discurso oral e texto escrito.•Elaboração de textos coletivos.•Reconto e reescritas de histórias.•Leitura de poesias, músicas, par lendas e outros textossignificativos e previamente memorizados.•Trabalho simultâneo e inter-relacionado comletras,palavras e textos:•Análise sonora sobre as iniciais dos nomes próprios epalavras significativas.•Completar lacunas em textos e palavras;•Listas,escritas espontâneas diversas;•Atividades para trabalhar com rimas,sons iniciais,finais emedianos das palavras;•Ditados variados.•Colocar letras em ordem alfabética.•Cortar o número de palavras de cada frase.
  10. 10. • Silábico-alfabético: Na verdade, essa hipótese corresponde aum período de transição no qual a criança ora utiliza uma letrapara cada sílaba, como no final do nível anterior, orareconhece os demais fonemas das palavras e passa também aempregá-los . Assim, a criança poderia, por exemplo, escreverSAPATO como SAPTO ,verificando –se que às vezes ela utilizauma única letra para a sílaba e às vezes consegue reproduzi-laadequadamente.VÍDEO _ APASSAGEM DONÍVEL SILÁBICOPARA O NÍVELSILÁBICO-ALFABÉTICO
  11. 11. • Nesta fase tem tendência a usar letras diferentes para o mesmo som ex: X/CH;SS/S; RR/R.• Ex: Bolo escrita- som –Bobu confusão na escrita (esquemas) e uma vez quese constrói um esquema destes é difícil desfazer estes esquema(Errado).• Ex:A hipótese de escrita de Antonio é a Silábico-alfabética. Este nível marca atransição do aluno da hipótese silábica para a hipótese alfabética. Ora ela escreveatribuindo a cada sílaba uma letra, ora representando as unidades sonorasmenores, os fonemas.
  12. 12. • Jogos e atividades variadas com o alfabeto móvel e sílabasmóveis;• Caça-palavras;• Cruzadinhas;• Leitura e interpretação oral de diferentestextos,poesias,músicas,par lendas,textos diversos,etc...• Produção de textos coletivos;• Relatório oral e escrito de experiências vivenciadas.• Escrita de cartas,bilhetes,listas,anúncios e propagandas.• Análise e síntese de palavras significativas;• Classificação e seriação de palavras;• Transcrição de receitas,brincadeiras,piadas;• Reestruturação de frases de poesias,par lendas ou músicasque os alunos já sabem de cor;• Trabalhos manuais recortes,dobraduras,pinturas,encaixespropiciam aos alunos novas formas de expressão e o uso,emsua linguagem,de novas palavras.
  13. 13. • Esta seria a última hipótese relacionada à alfabetização, na qual acriança já consegue reproduzir adequadamente todos os fonemas deuma palavra, caracterizando a escrita convencional que todos nósempregamos. Aqui, ainda persistem, de início, muitos errosortográficos, já que, pautando-se pelo som das letras, a criança aindaconfunde S e SS ou X e CH, por exemplo. Contundo,esses erros vãodiminuindo com o tempo,por meio da prática e do trabalho conjuntocom o professor.Vídeo NívelAlfabético
  14. 14. • Ex: A hipótese de escrita de Rodrigo é a Alfabética. Neste estágio, oaluno já compreendeu o sistema de escrita, entendendo que cada umdos caracteres da palavra corresponde a um valor sonoro menor doque a sílaba. Agora, falta-lhe dominar as convenções ortográficas.Compreensão de que cada unidade menor da palavra corresponde aum valor sonoro menor do que uma sílaba,restando dominarconvenções ortográficas.
  15. 15. • A prática de produção de texto é uma atividade essencial ao longo de todo oprocesso de alfabetização.• Produção de texto individual e coletiva;• Produção de texto a partir do desenho do aluno,a partir de gravuras em sequencia;• Escrita de textos a partir de outros já conhecidos pelos alunos;• Atividades a partir de um texto:• Leituras globais ou parciais;• reconhecimento de palavras,frases ou letras no texto;• análise de palavras do texto quanto ao número de sílabas e de letras,quanto a letrainicial ou final,etc...• ditado de palavras e frases relativas ao texto trabalhado;• remontagem do texto com fichas de frases ou palavras;• produção de um desenho para ilustrar o texto;• marcar, no texto mimeografado, nomes próprios e comuns, rimas, palavras nosingular e no plural;• separar frases em palavras;• construir frases com palavras do texto;• completar lacunas de frases e palavras;• registrar a frente das frases, o número de palavras que a compõem;• produções de histórias em quadrinhos.• Análise de palavras numa frase ou texto;• Leitura de diferentes textos: livros, revistas, cartas, bilhetes, convites,propagandas, anúncios, músicas, poesias, par lendas, adivinhações, trava-línguas, etc.

×