Jane Austen Portugal - Junho 2011

  • 1,211 views
Uploaded on

Revista Jane Austen Portugal

Revista Jane Austen Portugal

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,211
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
39
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Revista Jane Austen Portugal Emma Junho 2011 | Nº 6 º janeaustenpt.blogs.sapo.pt Conteúdo original © Jane Austen Portugal
  • 2. Sumário1. Sugestões Austenianas 032. Quando Conheci Jane Austen 043. Emma, Um Manifesto Anti-Casamento? 064. Emma, Uma Heroína Diferente 085. Emma, A Mulher 096. Lendo e Aprendendo com Emma 107. A Perfeita Isabella Kinghtley 138. Frank Churchill, O “Playboy” Ambíguo 149. Jane Fairfax, Uma Mulher Reservada 1610. Porque Amo Mr. George Knightley 1811. A Perfeição Escreve-se com K. 1912. Quem Tem Medo de Mr. John Knightley? 2013. Heroínas e Pais: Mrs. Bennet e Mr. Woodhouse 2214. Passeando com Miss Smith 2415. A Educação de Mrs. Goddard 2816. O Excepcional Mr. Martin 2917. Um Pai Extremamente Zeloso 3118. Um Pai Sortudo 3319. O Interesseiro e a Insuportável 3520. O Casal Exemplar: Mr. e Mrs. Weston 3721. Mrs. e Miss Bates 3922. Os Lugares de Jane Austen 41
  • 3. LivroTempo de Fogo é o primeiro romance de Amadeu Ferreira, autorligado à língua mirandesa, com vários livros publicados nestasegunda língua de Portugal. É baseado em factos reais retiradosdos arquivos do Tribunal da Inquisição e cuja acção decorre,essencialmente, num período da nossa história que, como diz oautor, ainda nos dias de hoje marca o povo português. É um livrocru, à semelhança daquele tempo duro, frio e asfixiante, massimultaneamente profundo. Com uma escrita naturalmentesimples e autêntica, o autor leva-nos para uma viagem carregadade realismo que se centra nos últimos dias de um fradecondenando por aquele Tribunal. Uma leitura empolgante. Fez-me lembrar "O nome da Rosa", talvez por causa da figura dofrade e de todo o peso daquele período histórico. É impossívelficar indiferente a esta história.MúsicaA minha sugestão de música recai sobre Stacey Kent , umacantora de jazz americana. Stacey Kent tem uma voz doce, leve,capaz de criar um ambiente calmo e prazenteiro até mesmo paraaqueles que admitem não apreciar jazz. É uma voz que se ouveem qualquer altura.Filme"Finding Forrester". Não é um filme brilhante, mas tem doisdesempenhos bons, entre eles o de Rob Brown, um actorrevelação que interpreta o jovem Jamal, e uma bonita bandasonora.BlogueE eu aconselho, este mês, que vejam o "Economia cá de Casa"porque é um blogue virado para a poupança doméstica. Ora, paraaqueles que todos os meses se debatem com a gerência de um Sugestõesorçamento que, a maior parte das vezes, não é o ideal devido àscircunstâncias actuais, este blogue surge como uma lufada de arfresco para nos ajudar nesta empresa difícil. É certo que fujo a Austenianastodas as inclinações de literatura, mas é também verdade quepara termos livros e internet, precisamos de uma ferramentafundamental: o mealheiro. Aqui descobrirão ideias engraçadas,úteis e, sobretudo, económicas. [Paula Freire]
  • 4. Por Juliana Cunha (Blogue A Tulipa Azul)N ão foi amor à primeira há uns anos atrás, consegui vista, mas lembro-me, arranjá-la pela internet e é aqui como se fosse hoje, de que surge a paixão pelo “Orgulhoquando “conheci Jane Austen”. e Preconceito”e por Jane Austen.Estava no meu primeiro ano da Fui pesquisar mais obras,faculdade quando uma amiga me descobri “Emma 2009” fiqueiemprestou o dvd da série da bbc completamente fascinada;de 1995 de Orgulho e Preconceito, seguiu-se “Persuasão 2007” que mena altura gostei bastante, no levou às lágrimas; rendi-me deentanto, não dei grande vez, a partir daqui não pareiimportância. mais, veio “Persuasão 1995”, “Sensibilidade e Bom senso 2008”, Em 2005 vejo o filme associo-o àserie, reparo que é da mesma “O Parque de Mansfield 1999” eautora da série que tinha visto “Abadia de Northanger 2007”. Foiantes, mas novamente, fiquei por um consumo das séries e filmesaí. da autora sem fim.O ano passado, em Novembro, A par das adaptações, compreiestava de férias e resolvi ver os livros, primeiro o “Orgulho efilmes e séries. Então, lembrei- Preconceito”, depois “Persuasão” eme daquela série que tinha visto “Emma”. Eu que nunca fui
  • 5. amante das leituras já li os três descobrindo sempre algo novo.livros seguidos. Identifico-me com cada uma das protagonistas, vejo-me com aO que me fascina na obra de insegurança da Anne, com aJane é a sinceridade, a pureza, a alegria e ironia da Lizzie e àsinocência, e o romantismo de vezes sou espontânea, distraída,como acontecem as histórias. infantil e bondosa como aEstas fazendo-nos sonhar e Emma. São as três melhoresimaginar de como seria se “Eu heroínas a meu ver criadas pelafosse a Elizabeth ou a Anne?”, autora e claro, as que têm otransportam-nos para um lugar melhor par masculino, quer omágico onde o amor é sincero e Capitão Wentworth, o Mr. Darcy,puro. ou o Mr. Knightley, sãoPara além disso as personagens verdadeiros príncipes, os homenscriadas tem características que ideais, formando as melhoresse encaixam na actualidade, o histórias de amor dos últimoshumor, o sarcasmo, a vaidade, o tempos.orgulho, a inveja… conseguimosidentificar no nosso meiopessoas assim, estes defeitos não Desde já agradeço o convite àpassam de moda e existem e vão Clara, do Jane Austen Portugal, eexistir sempre. quero felicitar todas pelo magnífico blog que fazemos, éNão consigo escolher só uma bom ter um lugar assim ondeobra como favorita mas sim três podemos falar comentar as obrasque são “Orgulho e Preconceito”, da nossa autora favorita.“Persuassão” e “Emma”, não mecanso de lê-las e volta e meiavejo as séries e filmes,
  • 6. N os tempos de possam ser diferentes Jane Austen, o das que são casamento era a apresentadas no livro quase única carreira de Margaret Mitchell. disponível para as mulheres. Desde que eram apresentadas à Casar era um objectivo sociedade que as e por aquilo que lemos mulheres tinham em Jane Austen, era como objectivo um negócio, era encontrar um marido. desejável sentir afecto pelo futuro marido, mas era muito melhor se ele tivesse uma Lembro-me de ler em forma de sustentar um E Tudo o Vento Levou de lar. Margaret Mtchell que as mães ensinavam às filhas uma série de Unir amor e dinheiro comportamentos a nem sempre era fácil. adoptar para E por isso o casamento arranjarem maridos, de Charlotte Lucas não um deles era comer o nos surpreende ou o menos possível em facto de Edward só puder casar depois do eventos sociais porque Coronel Brandon lhe supostamente uma dar a paróquia. mulher com pouco apetite, era atraente aos olhos do homem. Quem não casava ficava às sopas da família, ou então teriaEmma, Um Não sei se nos tempos de Jane existiam este de trabalho arranjar um comoManifesto tipo de regras, mas a preceptora, professora numa escola ou dama verdade é que E Tudo oAnti Vento Levou passa-se de companhia, não havia muito maisCasamento? durante a Guerra Civil Americana (1861-1865), carreiras disponíveis. E como outras ficções e os livros de Jane nos ensinam estes foram escritos cerca de cargos não eram 50 anos antes, é de profissões de sonho ou meios para alcançar[Vera Santos] supor que existiam satisfação a nível regras, ainda que pessoal.
  • 7. É de supor que de casar. Quando li muitos dos Emma pela primeira casamentos que vez surpreendeu-me aconteceram no que ela afirmasse que círculo social e não pretendia casar, familiar de Jane algo revolucionário Austen eram apenas para a altura. E todas uma tentativa as vezes que o Mr. desesperada de evitar a Woodhouse lamenta o pobreza, a dependência casamento da Miss económica ou ter de Taylor, agora Mrs ganhar a vida com um Weston é de crer que trabalho. Jane não ele pensasse que o seria cega a estas casamento não era coisas e de certeza nenhum mar de rosas e que ao visitar amigas ela estaria muito ou parentes casadas melhor na casa dele, percebia que aquilo do onde embora fosse a casamento era na preceptora de Emma, verdade um grande era muito bem tratada. incómodo, porque a mulher era, muitas vezes, sujeita a uma vida infeliz da qual Penso que este livro, dificilmente conseguia poderá ser considerado escapar. um manifesto anti- casamento e uma forma de criticar a obrigação que existia Talvez, ao ver isto para contrair Jane tenha decido criar matrimónio ainda que uma heroína suficiente não houvesse afecto ou rica que não precisasse vontade para isso.“Casar era umobjectivo e poraquilo que lemosem JaneAusten”
  • 8. E mma é uma Heroína como as que não existem nos livros habitualmente. Na um papel muito activo na sua comunidade e na sua família… realidade grande parte do livro é uma descrição da forma como é mimada, No fundo todas estas auto-confiante em excesso, características que em pedante, cega ao carácter qualquer outra personagem das pessoas que a rodeiam… seriam consideradas vícios, E contudo com tanta coisa no caso da nossa Emma má, Emma é a mais juntam-se para criar uma adorável de todas as personalidade marcante, heroínas de Jane! numa mulher boa e Humana. Parece-me impossível não gostar desta miúda que ao longo do livro cresce diante dos nossos olhos, é Ela não é alguém de quem ferida no ego e aprende que gostamos pelas inúmeras mesmo para alguém tão qualidades… o mais fantástica como ela o amor apaixonante de Emma são é algo importante e que as falhas, estas vale a pena. Ela que aproximam-nos fazendo- procura para todas as nos sentir que Emma é pessoas à sua volta alguém alcançável. Quem companhia e que no é que estando apaixonado entanto sente, que pela sua sem se sentir riqueza e posição social, se correspondida nunca teve encontra acima dessas leis vontade que não houvesse tão naturais, é apanhada no outra pessoa a desejar o seu próprio enredo, objecto de afeição? Haverá apaixonando-se pelo sentimento mais humano fantástico Mr. Knightley. do que este? É também uma das passagens mais adoráveis do livro… Emma é contudo uma Emma, que está habituada alma generosa, vive paraEmma, Uma fazer o bem! No caso desta a ser dona do seu mundo, da sua vontade, do seu heroína a sua percepção de coração, aprende que nuncaHeroína auto-importância em vez de se reflectir numa se é dono de nada… especialmente de nósDiferente vaidade exacerbada, impele-a a ajudar e a ter mesmos![Eva Sousa]
  • 9. E mma é das mulheres "conduzida" por Frank de hoje Austen a Churcill é uma prova de "menos perfeita"... É que a sua base não émimada, julga-se superior a bondade e a afabilidadee pratica o bem não por puras mas sim a suabondade mas porque, como "posição social". Permite a"menina de familia" tem lisonja, presta-se ao papelde o fazer... Estou a ser de ser "exageradamente"severa demais com ela? cortejada por ele, apenas se ressentindo uma vez dessa atenção exagerada de que era alvo mas de queAs mulheres em Jane nunca desconfiou, poisAusten, de uma forma ou sempre achou que lhe erade outra, encantam-me, devida... Por quem mais senão porque são perfeitas poderia encantar Frankmas sim porque são justas Churchill?e, mesmo Lizzy que é"tendenciosa" comMr Darcy e com asmeninas Bingley tem um Aliás acho que estafundo de bondade e ternura "fraqueza" de caracter delaconstante e que expressa e a "rigidez" de caracter declaramente na sua relação Mr. Knightley tornam acom Jane e com o pai; representação dos seusAnne deixa-se "conduzir" papeis dificeis, dadopela sua amiga e deixa-se que facilmente se cai no"anular" pela irmã e pelo "exagero" e se tornampai mas é sempre fiel aos os personagensseus principios generosos e "desagradaveis.rectos; Elinor é "umafortaleza", e é, para mim, amais perfeita das mulheresde Austen... Claro que o final em que ela se apercebe dos seus "erros" e melhora, e a nossa simpatia por elaMas Emma não... a sua aumenta drasticamente econduta tem como raiz o ela redime-se aos nossosfacto de ser uma "menina olhos... e Mr Knightleyde familia", que pratica o perde o seu ar sério ebem porque é seu dever, coloca o seu "ar deque quer ver a sua "amiga" apaixonadofazer um bom não retraido"que nos fazcasamento, cujoseja não alicerce apenas sorrir e sonhar! Emma,o amor mas também aposição social"potencial" marido. A do Fui muito severa com a A Mulherforma como a vaidade a nossa Emma?leva a ser completamente [Marina Nunes]
  • 10. E m meu trabalho sobre Quando Frank a construção Curchill, enteado de do leitor em Tolkien, Mrs. Weston, conhece afirmo, parafraseando Emma Woodhouse, Ezequiel Silva, autor imediatamente começa do livro Leitura na a flertar com ela. Ele escola e na biblioteca, não tem o mínimo que a literatura suscita interesse amoroso na em seu leitor intuições jovem, flerta acerca da vida humana, simplesmente porque pois o autor expressa ele gosta de jogar com uma determinada as situações e as perspectiva cultural: a pessoas. Mais do que sua própria. Lauren qualquer coisa, ao Henderson, autora de flertar abertamente Jane Austen’s guide to com Emma, Frank romance, demonstra que pretende esconder os ao ler Jane Austen, nós sentimentos pelo podemos aprender um verdadeiro objeto de pouco da cultura da sua paixão: Jane qual fez parte a autora. Fairfax, uma jovem reservada e prendada,Lendo e Muito além disso, podemos aprender parente de conhecidosAprendendo também algo sobre de Emma. Frank nãocom Emma como conduzimos se importa que possa nossos romances hoje estar fazendo Emma se em dia. Como todas as apaixonar, ele obras da autora, Emma simplesmente gosta[Natallie desse jogo, e só toma também tem váriasAlcantara] lições para ensinar. consciência de seus erros quando Jane, sua
  • 11. noiva em segredo, brincadeiras paraacaba com o divertirem-se à custacompromisso. Nesse dos outros. Aqui,ponto, Henderson nos Henderson demonstramostra a primeira mais duas lições alição a ser aprendida: serem aprendidas: nãonão se vicie no jogo namore alguém quedo flerte. encoraje seus impulsosEnquanto Frank autodestrutivos econstantemente diz o tenha consciência dooposto do que gostaria, efeito que suasele também faz com “brincadeiras”que Emma demonstre causam em outraso que há de pior em sua pessoas.personalidade. Ocomportamento de um Foi Mr. Knightleyespelha o do outro. quem fez Emma ver eFrank sempre fala mal repensar sua atitudede Jane para Emma, perante Miss Bates.constantemente Ele, aliás, semprecriticando a primeira desempenhou essepara o divertimento da papel na vida desegunda. A provocação Emma. Mr. Knightleycontra Jane continua constantemente “Mr. Knightleyaté Emma ser observa e critica o constantementeextremamente rude observa e comportamentocom Miss Bates, tia de critica o autosuficiente deJane. Essa situação comportamento Emma, aconselhando-ademonstra que Frank e autosuficiente quando achaEmma têm a tendência de Emma” necessário. A amizadede usar suas entre a jovem e Frankcapacidades de fazer
  • 12. Churchill o perturba autora, aprendida ao lermuito mais do que Emma, é: fale, nãodeveria, não somente deixe as chancesporque, como já escaparem por entremencionei, Frank traz seus dedos.a tona o que há de piorno caráter de Emma, Em seu livro,mas porque ele percebe Henderson demonstraque está apaixonado várias lições quepor ela. Quando podem ser aprendidasdescobre a verdadeira ao se ler Jane Austen.paixão de Frank e que Podemos nosEmma não está identificar com cadaapaixonada por ele, Mr. aspecto do caráter deKnightley resolve cada personagem.expor seus sentimentos Como Emma, nóse a pede em também somoscasamento. Ao casamenteiras eperceber, graças à teimosas, mas nãoamiga Harriet, que tolas. Como ela, nóstambém o ama, Emma também erramos.aceita a proposta. Principalmente, comoApesar do final feliz, essa improvávelHenderson chama a heroína de Austen, nósatenção para o fato de também gostaríamosque, se ambos tivessem “Como Emma, de ter um Mr.exposto seus nós também Knightley sempre porsentimentos antes, somos perto.muitas situações casamenteiras edesagradáveis poderiam Referência: teimosas, mas HENDERSON, Lauren. Jane Austens não tolas”ser evitadas. A última guide to romance: the regency rules. London: Headline, 2005.lição apontada pela
  • 13. "M rs. John Knightley era de pequena estatura, bonita e alegre, de modos mas diálogo sequer entre ela e a irmã ao longo da história... afáveis e de índole notavelmente Se Emma Woodhouse é benévola e afectuosa; com um descrita como um modelo grande amor pela família, era feminino, Isabella ainda o uma esposa dedicada, uma mãe será mais por representar o extremosa e tinha tão terna protótipo da "mulher afeição pelo pai e pela irmã que, perfeita", excelente esposa, uma óptima mão, uma filha não falando no amor pelo marido dedicada e uma irmã e pelos filhos, era impossível afectuosa. Isabella reúne encontrar afecto mais ardente. todas as qualidades de Emma Jamais reconheceria um defeito menos, digamos assim, o em qualquer deles. Não era brilhantismo ou a vivacidade de espírito. mulher de viva compreensão ou perspicácia; e a par da semelhança com o pai, tinha também herdado, em grande Mas acima de tudo, Isabella parte, a sua compleição; tinha representa o insituto uma saúde delicada, era "família" na perfeição. E extremamente cuidadosa com a nisso, é claramente o oposto de Emma, que só descobre dos filhos, passava por muitos essa vocação nas últimas terrores, era muito nervosa e na páginas do livro. cidade apegava-se tanto a Mr. Wingfield como o pai a Mr. Perry. Também tinham muitas semelhanças na benevolência de Isabella tem mais sete anos carácter e no hábito pronunciado que a irmã, mas não exerce de dispensar grande estima aos qualquer influência sobre amigos de velha data" esta, parece-me que Emma, apesar de mais nova, foi sempre a mais "espevitada" das duas e sobre a qual recaiu Sempre senti pena de Jane sempre mais atenção. O facto Austen não ter desenvolvido de ser tão parecida com o pai em "Emma" a relação entre - refiro-me àquela tendência Miss Woodhouse e Mrs. hipocondríaca - é capaz de Knightley. Jane Austen levar, por vezes, John habituou-nos a relações Knightley ao desespero, umaA Perfeita entre irmãs muito fortes (Orgulho e Preconceito; vez que ele nâo é muito complacente com esse tipo de Sensibilidade e Bom Senso)Isabella ou, o contrário, como em Persuasão. Mas aqui em coisas. Fora isso, esse casal representa a denominada "Emma" isso não sucede, "felicidade conjugal". E euKnightley Emma e Isabella descritas como nutrindo um são acredito profundamente na felicidade de Isabella, creio amor imenso uma pela outra, mas depois, não há um que não é meramente aparente.[Clara Ferreira]
  • 14. F rank Churcill é alimenta especulações para mim o negativas quanto aos playboy mais sentimentos e às ambíguo da obra de acções de Miss Fairfax. Quando lhe é oferecido Jane Austen. Com as um piano, quiçá de um suas maneiras astutas, “admirador secreto”, é consegue deliciar todos ele próprio que explora os que estão à sua um possível volta, desde o pai, a relacionamento entre madrasta (um pouco Jane e Mr.Dixon, o marido da sua amiga de mais reticente no infância e criação. Ora início), Emma, as uma suspeita deste pessoas das suas género seria passível de relações sociais. arruinar o bom-nome de qualquer jovem, em especial daquela órfã cuja situação pessoal e Exceptuam-se profissional era Mr.Knightley e Jane particularmente frágil. Fairfax. O primeiro, não obstante do seu sentido de perspicácia Mesmo com todos os constante, parece motivos que pudesse revelar ciúmes por invocar (desviar o seu Frank flirtar com alvo amoroso das Emma. A segunda, atenções públicas, numa aparente pressionar de qualquer indiferença, tenta forma Jane a tomar esconder os laços que uma decisão quanto ao seu futuro…), foi de os unem, isto é, oFrank noivado secreto que facto uma leviandade imensa. Assim como escondem das suasChurchill, famílias e amigos. flirtar com Emma, embora neste caso nãoo “playboy” sei até que ponto a imaginação casamenteira daAmbíguo Destaco dois pontos na protagonista e a dualidade desta pressão da família personagem, que Weston não teriam embora dispares em fomentado tal situação termos avaliativos, irreal. revelam o carácter[Fátima Velez de deste jovem. OCastro] primeiro é de índole negativo. Mr.Churchill
  • 15. Mas por outro lado há termo. Comparar um segundo factor que Mr.Churchill a me faz “reabilitar” o Mr.Willoughby, como carácter de Frank já li algures, não faz Churchill, e que é a grande sentido, a forma delicada como menos que se queira trata Miss Bates e a partir do carácter sua mãe. Note-se que playboy das no final do filme personagens, derivando “Emma” (1996) aparece o primeiro para os bons representado em sentimentos e o pintura (numa segundo para os maus. indicação de futuro), Talvez Jane nos tenha de braço dado com querido mostrar que, Jane Fairfax e partindo desta mesma Miss/Mrs.Bates. base, cada personagem, Mostra que, apesar de cada pessoa é livre de tudo, é alguém com escolher o seu próprio bons sentimentos, que caminho, daí os dois estima e protege a exemplos apresentados. frágil tia e avó da sua Pessoalmente amada. simpatizo com Frank Churchill, um jovem Penso que Frank é um obstinado que brinca jovem que não é mau com os jogos sociais e por natureza, e tem a imaginação fértil da uma boa relação com a sociedade da época, e se fortuna, pois casa com diverte muito a uma jovem sem confundir as pessoas. herança, mostrando que Apesar de tudo, é um preza o amor acima do bom rapaz. dinheiro. E não sei se de facto se pode considerar um vilão, no pleno sentido do“Penso queFrank é umjovem quenão é maupornatureza”
  • 16. J ane é a única self-made Quando chega a Highbury, woman neste romance de Jane Fairfax está Jane Austen. Ficou orfã secretamente envolvida muito jovem e por isso com Frank Churchillrapidamente descobriu que apesar de Emma parecertinha de cuidar de si mesma. querer roubá-lo mesmo àRapariga prendada, canta, frente dos seus olhos.toca piano, costura e está Emma só muito tardeprestes a iniciar-se no ensino compreende que Jane não está envolvida com Mrcomo preceptora/governanta; Dixon como Frank a querou seja, faz tudo (e muito fazer acreditar. E essa é abem…)o que uma mulher de razão pela qual ambos sebem deve fazer no seu tempo. divertem às custas daPode mesmo afirmar-se que secreta amada dele. JaneEmma não gosta de Jane não quer confessar ainda oexactamente por tudo isto, seu envolvimento compela sua perfeição feminina, e Frank e, por isso, eleespecialmente quando Mr alinha na brincadeira (oKnightley expressa o seu que não me parece muitoagrado perante a postura de cavalheiresco, masJane. enfim… também nunca fui grande fã dele).Jane está quase a tornar-senuma preceptora num Jane Fairfax é umamundo onde cuidar de rapariga resoluta mascrianças pode parecer algo calma, cujomuito altruísta mas comportamento indicatambém desagradável que transporta consigo(crianças mal-cheirosas, uma tristeza secreta. Achorosas, mimadas). No sua beleza destaca-a masmundo de Highbury, as a sua reserva torna-amulheres assumem esta desinteressante. Tal comoposição apenas porque não Emma observa:são ricas ou nãoencontraram marido (veja-se o caso da Miss Taylorque quando passa a Mrs “there was no getting at herWeston deixa de ser real opinion. Wrapt up in agovernanta dos cloak of politeness, she JaneWoodhouse). E, apesar de seemed determined to hazardpoderem aindaconsideradas mulheres de ser nothing. disgustingly, She was was Fairfax:respeito não deixam depertencer a um estrato suspiciously reserved.” Uma Mulhersocial mais baixo. Talvezseja por isso que Mrs Elton Reservadase sinta na Não será talvez umaresponsabilidade avaliação muito justa mas(irritante…) de apadrinhar é bastante correcta no queJane. diz respeito à reserva de Jane. [Sandra Freitas]
  • 17. O contraste entre a lado, talvez não nos seja delicada decência e dada a oportunidade de moralidade de Jane e a saber mais sobre Jane natureza apaixonada dos Fairfax porque Emma não seus sentimentos é muito quer saber das qualidades mais dramático que dela e o nosso narrador qualquer um dos conflitos tende a seguir a perspectiva que Emma experiencia na de Emma. Apenas quando o história. A sua situação é segredo de Jane e Frank é bem mais complicada que revelado, só aí nos é dada a a da outra personagem oportunidade de aprender uma vez que, não mais sobre Jane como possuindo riqueza, o seu pessoa. futuro será como governanta, enquanto que Emma sempre será rica e parte de um elevado A revelação do estrato social. envolvimento secreto de Jane com Frank torna-a O narrador dá pouco mais numa pessoa mais importância a Jane do que humana, assim como a aquela que dá a Isabella humanidade de Mr. Knightley, mas este facto Knightley é influenciada parece acontecer por pelo seu amor por Emma. razões diferentes. Isabella Na verdade, assim que o não lhe ocupa muito seu segredo é revelado, tempo apenas porque não Jane torna-se numa nova há muito a dizer sobre ela. mulher. Ri e faz amizade Jane, por seu lado, não com Emma e Mrs Weston recebe muita atenção (a sua sogra). E se porque ela mesma assim o conseguir fazer de Frank deseja. Afinal, um segredo Churchill um homem para ocultar e um narrador decente, será uma Mrs curioso podiam interferir Churchill muito feliz! nos seus planos. Por outro“Jane Fairfax é uma raparigaresoluta mas calma”
  • 18. Q uase todas as valores de rectidão. É leitoras de Jane alguém cujo o discurso Austen amam Mr. corresponde às suas acções. Darcy. Se pensarmos bem, isto não é uma coisa rara Digo "quase" para não ser somente na nossa extremista e dizer que actualidade. Se tivermos "todas" amam Mr. Darcy. em conta os outros Eu confesso que também personagens masculinos de amo inúmeros aspectos "Emma", tais como Mr. em Mr. Darcy, mas o meu Elton e Frank Churchill, coração foi constatamos que a completamente arrebatado dissimulação era prática por Mr. Knightley desde a social corrente. Diria até primeira vez que li que ele é, utilizando uma "Emma". expressão corrente, "a voz da razão" na vida de Mr. Knightley tem uma Emma. excelência difícil de ser explicada. Sempre que leio Em quem se terá inspirado "Emma", acabo por Jane Austen para criar um imaginar as expressões, os personagem com olhares, as palavras dele. semelhante grandeza de Ele é, em tudo o que faz e carácter? Terá sido apenas diz, ponderado, atento, resultado de um conjunto gentil, sábio e correcto. de características do Como eu aprecio um homem que ela homem que sabe ser consideraria ideal? Estas gentil e correcto! Eu o são interrogações que imagino como um coloco vezes sem conta. observador atento e reflectido. Alguém que Devo manifestar aqui a não se precipita nem se minha gratidão à querida deixa levar por Jane por nos ter concedido comentários alheios. um personagem tão Todas as acções dele completo e fascinantePorque Amo regem-se por princípios e como Mr. Knightley. Mr. George Knightley[Cátia Pereira]
  • 19. M r. Knightley é-nos Knightley é a voz da apresentado após o Razão. Poderemos falar de casamento de Miss Sensibilidade e Bom SensoTaylor ter acontecido. Ele em "Emma"?chega de Londres, após tervisitado o seu irmão Johne a sua cunhada Isabella,irmã de Emma. A "Se a amasse menos, talvezfamiliaridade com que ele pudesse dizer mais coisas.surge, no capítulo 1 do Mas a Emma sabe como eulivro, à casa dos sou. De mim não ouviráWoodhouse revela a grande senão a verdade."intimidade que ele usufruíana casa; o que traduz umaafinidade alimentada poranos de convivência. São Mr. Knightley observa,vizinhos mas são, analisa, pensa, reflecte,sobretudo, amigos. alerta no momento adequado e sempre é verdadeiro. Usa sempre de franqueza e de verdade.Ele é um homem maduro. Tem posição social eTeria entre 37 e 38 anos e, dinheiro, mas é simples epara além de amizade, ele aprecia a simplicidade e ateria sobre Emma um autenticidade nas pessoas.papel quase paternalista: A sua postura e a suanão no sentido de ser personalidade são simplescondescendente mas no mas a sua perspicácia,aspecto de chamar a capacidade de observação eatenção para as suas acções correcção tornam-noincorrectas. Isto é uma complexo. É ele quem dá oevidência ao longo do livro. abanão em Emma no seuForam inúmeras situações categórico "Badly done,em que Mr. Knightley indeed!" no episódio emalertaria Emma para Box Hill quando Emmadeterminada acção ou humilha Miss Bates. Eatitude. O interessante com esta frase, ele selou onisto tudo é que eu não começo da redenção deconsegui encontrar alguma Emma.situação em que elefalhasse. De todos os heróismasculinos este é o únicoque se manteve íntegro, Ele não é unicamente o A Perfeiçãocorrecto e quase queperfeito. Se ele é, à amigo de Emma. Ele não é somente o amigo revelado Escreve-seprimeira vista, o grandeamigo de Emma enxergo-oainda de outra forma. Ele em amor de Emma. Ele completa-a. Neste sentido, com K. este amor revela o quevem contrabalançar os todos procuramos na vida:defeitos de Emma. Ela, ser completos e sentirmo-dentre todas as heroínas, nos verdadeiros no nossoparece-me ser a que elemento.comete mais erros e caiem mais enganos. Já Mr. [Cátia Pereira]
  • 20. T omei a liberdade de John Knightley é o filho me servir de um mais novo, logo, sem título de um filme direitos em termos de"Whos Afraid of Virginia herança e por isso, naqueleWoolf", adaptando-o ao tempo, obrigado a investirnosso John Knightley numa profissão - Johnprecisamente por ele ter Knightley é advogado, eum carácter muitíssimo dos bons, por sinal. Apeculiar... profissão dele parece preenchê-lo bastante, é o seu principal ganha pão, e com cinco filhos não é deJohn Knightley é daquelas admirar que se dediquepersonalidades que se gosta tanto a "fazer pela vida", eou se odeia, é de extremos. esta é outras dasEu pertenço ao grupo que características quefica fascinado com tais influenciam a minhacaracteres. Se o tamanho opinião favorável sobre ele.da minha admiração pelo John Knightley não recebeirmão me leva a colocá-lo tudo de bandeja, emboracomo o meu herói oriundo de uma grande eausteniano preferido, abastada família, éconfesso-vos que John obrigado a "meter mãos naKnightley virá logo de massa" e a lutar pela suaseguida porque do irmão só independência.difere em (falta) desensibilidade. A suamaneira de ser "terra-a-terra", a sua crítica, a sua Em determinados aspectos,honestidade e a sua lembra-me muito Thomasdedicação atraem-me Palmer de Sensibilidade eprofundamente. Bom Senso, embora (em comparação) John me parece bem mais afável e sociável que o nossoOutra das características "carrancudo" Mr. Palmer.que muito aprecio nestes Que vos parece? Peloirmãos é a sua menos em relação aocumplicidade, os poucos humor negro e abuso detrechos da obra em que sarcasmo, os dois estão noestes dois comunicam um mesmo plano.com um outrodeliciosos e mostram a são Quem Tem"fraternidade" no seu ladomais adorável. É curioso Alguma certa impaciência Medo de Mr.também o acrescento da e intolerância que elesérie de 2009 onde colocamos Knightleys a atirar demonstra para com Mr. John Woodhouse tendem abolas de neve uns aosoutros recordando os levar-nos a desgostar do seu personagem, no Knightley?tempos de infância onde, entanto, convenhamos...na altura, as Woodhouse por muito que Mr.também entravam na Woodhouse nos enterneça,brincadeira: uma cena nem todos os caracteresmuito simples, mas cheia têm níveis de paciênciade intensidade. que possam suportar tanto [Clara Ferreira] medo irracional pela
  • 21. doença. Neste ponto, a sua personagem. E além coloco-me do lado de John disso, tem uma tal Knightley. Como vêem, dedicação à família que lido bem com os "defeitos" limpam qualquer falta. É de John Knightley. certo que perante a passividade da mulher necessita, como Jane diz, de ser mais áspero Não deixa de ser curioso nalgumas atitudes... mas que seja ele quem alerta alguém tem de educar e Emma para as atenções estabelecer regras às desmesuradas de Mr. crianças, Mrs. John Elton e a avisa para deixar Knightley parece ser de ser tão aberta junto do daquelas mães que deixa as pároco ou ele pensará que crianças fazer tudo (não ela lhe está a "abrir as pondo em risco a saúde, portas". John Knightley claro) porque acha que lida com Emma sem lhe assim os filhos são mais prestar as atenções e felizes. Entenda-se por isso maneirismos a que está o papel que John tem de habituada, ele é um amigo assumir. desinteressado, livre da cegueira da pequena sociedade de Highbury que idolatra as suas famílias É um personagem que mais importantes. admiro bastante, não é tão perfeito quanto Mr. Knightley, mas talvez por isso seja mais real e se E acrescento, para aproxime mais das pessoas finalizar que, todos com que lidamos todos os aqueles que acusam John dias e se é certo que ser Knightley de ser pouco detentor de um certo mau- sociável, são obrigados a humor não lhe é muito ter em conta o diálogo favorável, os comentários atencioso que ele tem com assertivos e mordazes Miss Fairfax e que nos trazem-lhe uma certa obrigam a rever alguns mais-valia que abate um preconceitos criados sobre pouco essa maneira de ser. “Alguma impaciência e intolerância para com Mr. Woodhouse tendem a levar-nos a desgostar do seu personagem”
  • 22. “rebentos”? A pós ter revisto os Vemos assim a total filmes Emma e dependência que o Pai Orgulho e de Emma tem pela Preconceito dei comigo filha que a impede de a reparar num viver a sua vida livremente, e o paralelismo entre o egoísmo de Mãe de Pai de Emma e a Mãe Lizzy que (para bem de Lizzy. Sendo que a das filhas) não se seguir exponho uma importa em opinião pessoal sobre estas mesmas personagens e as suas prejudicar a saúde das relações com as filhas, mesmas conquanto que as nossas Heroínas dos elas sigam a sua respectivos livros: vontade e “persigam” os homens certos, que Ambas as heroínas lhe darão um futuro vivem sujeitas aos seguro. caprichos destas figuras pouco Então o que nos faz inteligentes e simpatizar com o Pai aparentemente de Emma desculpando- incompletas… São lhe as possíveis falha personagens egoístas, de carácter por centradas no seu oposição à Mãe de próprio bem-estar Lizzy? através da imposição Na realidade penso queHeroínas e do que pensam a diferença são os correcto às pessoas Pais: Mrs. mais próximas… olhos vemos pelos quais estes Bennet e O “egoísmo” de que progenitores… Segundo a visão de Emma não falo é um egoísmo Mr. desculpável. Ambos há ninguém que se assemelhe ao Pai, e querem o melhor paraWoodhouse as filhas, e pensam nenhum Homem o poderia suplantar, ela que sabem o que é o melhor, não é este nutre pelo Pai um sentimento uma visão amor incomensurável muito realista do que que a cega às eventuais sentem todos os pais falhas deste, um tema [Eva Sousa] em relação aos seus recorrente no Orgulho e Preconceito onde o
  • 23. mesmo acontece entre com o comportamento Lizzy e o Pai. materno? Contudo também no O mundo admirado Orgulho e Preconceito o nos livros de Jane mau comportamento Austen é um mundo familiar produz uma onde tudo se rege por forte crítica em Lizzy princípios morais, onde … apesar de adorar a disciplina traz frutos, Lizzy acho-a um e onde no fim as pouco implacável, na heroínas que merecem relação com a são premiadas com a família… Não deve o felicidade total… ainda amor e admiração por assim, o Amor aqueles que nos Familiar quando criaram suplantar assente em bons quaisquer falhas princípios é o valor destes? Nestes dois principal. Vemos a casos em concreto é “egoísta” mãe de Lizzy uma falha Moral de (um “egoísmo” baseado Emma a dedicação ao no amor que tem pelas Pai ou uma falha de filhas) ser premiada coração o facto de pelos bons casamentos Lizzy não nutrir da da mesma, e castigada mesma pelo amor que tem pela condescendência para sua filha preferida (Lídia) sendo-lhe esta afastada… “Segundo a visão de Emma não há ninguém que se assemelhe ao Pai,e nenhum Homem o poderia suplantar, ela nutre pelo Pai um amor incomensurável que a cega às eventuais falhas deste”
  • 24. "H arriet Smith was dela tão obtusa como por the natural exemplo na adaptação de daughter of Emma de 1996 da Miramax,somebody. Somebody had ou tão rústica como naplaced her, several years back, adaptação de 1997 da BBC. Harriet Smith tam apenasat Mrs. Goddards school, and 17 anos e todas as dúvidassomebody had lately raised e incertezas próprias dessaher from the condition of idade, encontra em Emmascholar to that of parlour- um modelo a seguir eboarder. absorve tudo o que esta lhe transmite. Não acho que a influência de Emma seja totalmente negativa,She was a very pretty girl, and embora não sejaher beauty happened to be of completamente bema sort which Emma conduzida.particularly admired. She wasshort, plump and fair, with afine bloom, blue eyes, lighthair, regular features, and a "You surprize me! Emma mustlook of great sweetness; and do Harriet good: and bybefore the end of the evening, supplying her with a newEmma was as much pleased object of interest, Harriet maywith her manners as her be said to do Emma good. Iperson, and quite determined have been seeing theirto continue the acquaintance. intimacy with the greatest" pleasure. How very differently we feel! Not think they will do each other any good! This will certainly be theHarriet Smith é a filha beginning of one of ournatural de alguém que foi quarrels about Emma, Mr.deixada aos cuidados de Knightley."Mrs. Goddard para sereducada na sua escola.Sabemos que é possuidorade uma beleza requintada, Muitas vezes vejo Harrietmas pouco mais... À vista como uma Miss Morland, osalta-nos a suasimplicidade,humildade, a a sua sua que pensam associação? desta Passeandodependência da opinião deEmma, a quem ela venerado fundo do coração. Com Miss Ambas possuem a mesma ingenuidade, modéstia, a a mesma mesma Smith dependência das opiniõesNão podemos dizer que dos restantes e ambas têmHarriet seja muito uma considerável evoluçãoperspicaz, mas também me ao longo da história.parece demasiado fazer [Clara Ferreira]
  • 25. Tornar-se alvo de uma por Miss Taylor - com amizade vinda de Miss Harriet, Emma não está Woodhouse deve ter sido sozinha. uma grande surpresa para a incógnita Miss Smith. Tal situação poderia levar muito boa gente a "Harriet Smiths intimacy at considerar-se deveras Hartfield was soon a settled importante e a deixar para thing. Quick and decided in trás toda e qualquer her ways, Emma lost no time amizade pois agora in inviting, encouraging, and acompanhava a Miss telling her to come very often; Woodhouse. Tal and as their acquaintance sobranceirismo não existe increased, so did their em Harriet. Vemos que satisfaction in each other. As ela mantém as amizades a walking companion, Emma na escola e, embora had very early foreseen how incentivada no contrário useful she might find her. In por Emma, mantém that respect Mrs. Westons relação com a família loss had been important." Martin. Embora não desgoste da amizade entre Emma e Harriet e o final da história "She was not struck by any seja bastante favorável... thing remarkably clever in parece-me que Harriet Miss Smiths conversation, serve apenas para provar a but she found her altogether Emma quão negativa foi a very engaging -- not sua influência. Emma inconveniently shy, not melhorou-lhe as maneiras, unwilling to talk -- and yet enriqueceu-a com conteúdo so far from pushing, shewing mas também lhe deu so proper and becoming a esperanças frustradas, e deference, seeming so quase pôs em causa a pleasantly grateful for being felicidade de tão terna admitted to Hartfield, and so criatura. artlessly impressed by the appearance of every thing in so superior a style to what she had been used to, that Mas não deixa de ser she must have good sense interessante que, no final and deserve encouragement. de tudo, Harriet escolha, " por iniciativa própria, o seu companheiro para o resto da vida, sem qualquer“Emma vê em varinha de condão da nossa Emma vê em Harriet um adorável Emma. É esta Harriet um objecto para modelar a decisão que demosntra a seu gosto. Harriet, com a evolução do carácter de objecto para sua simplicidade, venera Miss Smith, e Emma nãomodelar a seu Emma e alimenta-lhe deixa de ter razão quando, muitos capítulos antes uma certa vaidade que gosto” satisfaz o seu ego. Mas afirma: acima de tudo, preenche um certo vazio deixado
  • 26. Mr. Martin. Do you think I am right?""Oh! Harriet may pick andchoose. (...) And is she, atseventeen, just entering intolife, just beginning to be "Perfectly, perfectly right,known, to be wondered at my dearest Harriet; you arebecause she does not accept doing just what you ought.the first offer she receives? While you were at all inNo -- pray let her have time suspense I kept my feelingsto look about her." to myself, but now that you are so completely decided I have no hesitation in approving. Dear Harriet, IMiss Smith recebe a give myself joy of this. Itprimeira proposta de Mr. would have grieved me toMartin quando o "projecto" lose your acquaintance,de Emma ainda estava a which must have been thecomeçar, havia, portanto, consequence of yourque terminar com tudo marrying Mr. Martin. Whileaquilo. A persuasão de Miss you were in the smallestWoodhouse quando Harriet degree wavering, I saidchega a Hartfield com a nothing about it, because Icarta na mão, surte o seu would not influence; but itefeito. É um momento would have been the loss ofengraçado no livro, uma a friend to me. I could notvez que o desejo de Emma have visited Mrs. Roberté exactamente o oposto Martin, of Abbey-Mill Farm.daquele que diz. Now I am secure of you for ever."Harriet, indirectamenteinfluenciada pela amiga, Quando conhece Mr.rejeita a proposta. Os Martin, a opinião dedesígnios de Emma para o Emma é totalmentedestino de Harriet são parcial e por viasincompatíveis com Mr. persuasivas transmite àMartin. Aliás, para Emma, amiga uma imagem deé Mr. Martin que toma um "rusticidade" muito poucotremendo atrevimento ao próprias do bom gosto.considerar Harriet suaigual... já o mesmo não “Os desígnios depensa ela em relação àabismal diferença entre Emma para oMr. Elton e Miss Smith "They met Mr. Martin the(curioso!). very next day, as they were destino de walking on the Donwell road. He was on foot, and after Harriet são looking very respectfully at incompatíveis"Miss Woodhouse, as you will her, looked with mostnot give me your opinion, I unfeigned satisfaction at her com Mr. companion. Emma was notmust do as well as I can by sorry to have such an Martin”myself; and I have now quitedetermined, and really almost opportunity of survey; andmade up my mind -- to refuse walking a few yards forward,
  • 27. while they talked together, enfim! É demais para soon made her quick eye qualquer um!! sufficiently acquainted with Mr. Robert Martin. His É natural que as atenções appearance was very neat, de Harriet se tenham and he looked like a sensible desviado para Mr. Elton. young man, but his person Totalmente permeável had no other advantage; and como ela é às opiniões de when he came to be Miss Woodhouse é contrasted with gentlemen, compreensível que o she thought he must lose all incentivo forçado que a the ground he had gained in amiga fazia para o destino Harriets inclination. Harriet conjunto dela com Mr. was not insensible of manner; Elton fosse ganhando she had voluntarily noticed forma na sua mente, embora, como sabemos, her fathers gentleness with sem qualquer argumento admiration as well as wonder. válido. Emma teve a ilusão Mr. Martin looked as if he de uma ligação de Elton did not know what manner com Harriet e forçou was. cegamente todas as atitudes do primeiro como interesse na sua amiga e, consequentemente, induziu "He is very plain, em erro os sentimentos de undoubtedly -- remarkably Harriet. plain: -- but that is nothing, compared with his entire want of gentility. I had no right to expect much, and I Podemos achar Harriet um did not expect much; but I pouco volúvel no que had no idea that he could be respeita às questões do so very clownish, so totally coração... de facto, como se without air. I had imagined diz nalguma parte do livro, him, I confess, a degree or até parece impossível que two nearer gentility." Harriet se tenha apaixonado por três "To be sure," said Harriet, in homens diferentes em a mortified voice, "he is not apenas um ano... mas, so genteel as real gentlemen." caríssimas leitoras, o coração das raparigas de dezassete anos não muda “Podemos assim tanto de século para Harriet fica um pouco século, e quem já teveachar Harriet reticente em relação a dezassete anos conhece as incoerências dos tudo isto, mas aceita a um pouco opinião da amiga e toma-a sentimentos próprios da idade. como a relevante. volúvel no Imaginemos o confronto de sentimentos que vão no que respeita interior daquela criatura... que não sabe se gosta ou Mas como já referi no às questões não de Mr. Martin; gosta, mas não tem a certeza; artigo anterior, Harriet escolheu, livre de toda edo coração...” mas Emma diz-lhe que ele não é seu igual; atrai a sua qualquer escolheu influência e lindamente! atenção para Mr. Elton...
  • 28. V ou ser sincera: se este mês não me tivesse sido atribuída tal ideias, em primeiro lugar porque acho que a relação entre ela e a sua pupila é personagem, era bastante correcta e bem capaz de nem cordial. Depois dar por ela! porque considero Mrs.Goddard é a Harriet uma jovem “preceptora” de bem-educada e bem Harriet Smith, a formada, com bons jovem amiga de sentimentos, não só Emma cuja fruto do seu misteriosa origem carácter/temperame faz omitir qualquer nto, mas de certo indagação nesse por influência do sentido. Ao meio em que vive, e princípio considerei em que esta mulher como Mrs.Goddard é a alguém de principal reputação algo responsável. No duvidosa, uma fundo talvez tivesse espécie de fiel livrado a sua pupila depositária de de uma vida um(a) nobre, que a verdadeiramente troco de dinheiro malograda. Se fosse transaccionou a uma mulher sem vida de uma escrúpulos, era inocente rapariga, provável que cuja reputação estivesse a receber a poderia ficar pensão mensal paga manchada para pelo “pai/mãe” deA Educação de Harriet, sem lhe sempre. Mrs. Goddard dedicar a devida atenção. Acho que Harriet teve muita Porém, ao longo do sorte em ser criada livro mudei de por Mrs.Goddard![Fátima Velez de Castro]
  • 29. r. Martin, é o chefe uma ameaça para o seu M de família, uma feliz plano de juntar vez que é órfão de Harriet com Elton. No pai e por isso, tem entanto é por Mr. de sustentar a mãe Knightley que o ficamos a e irmãs. Imagino-o ainda conhecer melhor, uma vez bastante jovem e por isso, que Robert Martin trabalha com uma enorme para ele. responsabilidade nas mãos que ele assume A alta conta em que Mr. totalmente e com Knightley tem a pessoa bastante honra e Mr. Martin, levam-me dignidade, diria eu. cegamente a considerá-lo de forma igual. Mas é a sua Não faz parte da classe constância na paixão por alta de Highbury e por isso Miss Smith que o pouca relevância lhe é valorizam ainda mais aos dada, ainda assim, é um meus olhos. personagem interessante. Desconhecemos os seus Um personagem sentimentos na primeira consideravelmente pessoa... é-nos dada a secundário... mas atenção, conhecer as características gerador das mais da carta em que propõe interessantes situações Harriet em casamento e, em toda a obra. Ele é o mesmo pela visão responsável por uma das destorcida de Emma, esta melhores discussões entre considera-a uma excelente Emma e Mr. Knightley, a carta! Creio que esta propósito da rejeição de situação não é explícita no Harriet ao pedido de livro, mas se sabemos da casamento de Robert ajuda que Harriet teve de Martin. Emma para escrever a carta de rejeição...poderemos atribuir alguma ajuda de "Nonsense, errant nonsense, Mr. Knightley na redação da carta de proposta de Mr. as ever was talked!" cried Martin? Mr. Knightley. "Robert Martins manners have sense, sincerity, and good-humour to recommend them; and his "She read, and was surprized.O Excepcional mind has more true gentility The style of the letter was than Harriet Smith could much above her expectation. Mr. Martin understand." There were not merely no grammatical errors, but as a composition it would not have disgraced a gentleman; Conhecemos Robert the language, though plain, Martin pela visão was strong and unaffected,[Clara Ferreira] desfavorável de Emma and the sentiments it Woodhouse que vê nele conveyed very much to the
  • 30. credit of the writer. It was "A man cannot be more so," short, but expressed good was his short, full answer. sense, warm attachment, liberality, propriety, even delicacy of feeling." É aqui que sabemos que Mr. Martin não está só "embeiçado" pelos lindos "Yes, indeed, a very good olhos de Miss Smith, ele letter," replied Emma rather está profundamente slowly -- "so good a letter, apaixonado... um pouco ao Harriet, that every thing estilo de um Capitão considered, I think one of his Wentworth, mas sem a sisters must have helped him. vertente do ressentimento. I can hardly imagine the Mr. Martin com certeza, young man whom I saw fica destroçado, mas os talking with you the other seus sentimentos em day could express himself so relação a Harriet mantêm- well, if left quite to his own se apaixonados, e ele nunca powers, and yet it is not the desiste de a conquistar - style of a woman; no, lembro-me da cena na loja de Mr. Fox (creio que será certainly, it is too strong and este o nome). Isto, creio concise; not diffuse enough eu, porque ele sempre for a woman. No doubt he is a soube que a recusa de sensible man, and I suppose Harriet não viria do may have a natural talent for - coração, mas sim da mão - thinks strongly and clearly - da recente amiga Miss - and when he takes a pen in Woodhouse. Mr. Martin, hand, his thoughts naturally pela descrição de Mr. find proper words. It is so Knightley, tinha with some men. Yes, I inteligência suficiente para understand the sort of mind. perceber a "teia" em que Vigorous, decided, with Harriet estava envolvida. À sentiments to a certain point, semelhança de Wentworth, not coarse." que nunca soube perdoar totalmente Lady Russell, penso que o nosso excepcional Mr. Martin, Mais tarde, pela voz de Mr. também nunca soube Knightley conhecemos o perdoar Emma Woodhouse. “A alta conta coração destroçado de Mr. em que Mr. Martin. Talvez esta similitude com Wentworth seja um poucoKnightley tem a forçada, mas parece-me a mim que faz sentido... pessoa Mr. Now, Mr. Knightley, a word ambos tiveram de ganhar or two more, and I have done. pela vida; ambos foram Martin, levam- As far as good intentions passados para segundome cegamente a went, we were both right, and plano por não terem I must say that no effects on "pedigree"; ambos foram considerá-lo de my side of the argument have rejeitados pelas amadas por yet proved wrong. I only want estas terem sido forma igual” to know that Mr. Martin is persuadidas a tal... será no not very, very bitterly mínimo, um "ante- disappointed." projecto" de Wentworth!
  • 31. N o Brasil há um atividade ou situação ditado popular que, em sua opinião e que diz “é na estimada opinião domelhor pecar pelo Mr. Perry, cause doenças. É engraçadoexcesso do que pela acompanhar as suasfalta”. O pai de Emma apreensões em fugir ee Isabela, Mr. proteger a todos dasWoodhouse, peca, correntes de ar.justamente, por ser umpai excessivo. Ele sepreocupa demais, se É esse temor de perdercuida demais, solicita mais algum entedemais, reclama querido que o mobilizademais, tudo em a ser tão excessivo edemasia. E por estas exagerado na educação de suas filhas, em suascaracterísticas, a meu relações sociais e emver, ele é muito seu cotidiano.encantador, pois pensa Divertimos-nos aonos outros, mas sem longo da história (édeixar de priorizar suas possível que algunsnecessidades. leitores se irritem) em acompanhar suas peripécias e argumentos para nãoSua mulher morre sair e/ou comer fora demuito jovem e ele é casa, para não fazerobrigado a assumir viagens longas ousozinho a mesmo comer doces.responsabilidade de Além disso, me pareceeducar suas duas que ele temfilhas. Provavelmente, consciência do grande Um Paiesta fatalidade justifica risco que corre emsuas preocupações ficar sozinho em sua Extremamentedescomunais em evitar gigantesca residência e, Zelosodoenças, pois ele teme por isso, muitas vezesque o mesmo mal “apela” para que Emmapossa atingir suas não viaje e pense em semeninas e outras casar ou lamenta quepessoas queridas. Deste Mrs. Taylor tenha semodo, dedica-se a casado. [Luanpalpitar e planejar sua Fernandes]rotina e a de todos paraafastar qualquer
  • 32. felicidade de ambas. Preocupa-se tanto em mantê-las bem e próximas que chega a Sendo um sufocá-las, dificultando hipocondríaco que amadureçam e se convicto, seus cuidados arrisquem na vida. Ou exagerados beiram o mesmo que absurdo, mas ele é experimentem muito respeitado por frustrações, condições todos, especialmente que impedem que por Emma e Mr. Emma seja mais Knightley, que fazem o tolerante a não possível para atender realização de suas as suas exigências e vontades e mais mantê-lo entretido. sensível aos Este respeito se deve, sentimentos dos em grande parte, a outros. outras qualidades de sua personalidade, pois Bem, para mim, Mr. Mr. Woodhouse é Woodhouse é um bom atencioso, amável, exemplo de como um generoso e, porque não pai pode demonstrar dizer empático, pois se exageradamente amor preocupa com o bem- aos filhos, inclusive estar de todos. das consequencias negativas decorrentes“É esse temor deste excesso de zelo. E Jane Austen descreve de perder Mr. Woodhouse é brilhantemente ao descrito por Jane longo de “Emma” os mais algum Austen como um pai erros e acertos de uma zeloso, complacente ente querido com os caprichos das educação pautada no parental amor filhas e desejoso da que o exagerado e sufocante. mobiliza a ser tão excessivo e exagerado na educação de suas filhas”
  • 33. J ane Austen era uma de qualquer apreensão" e é grande fã de heroínas geralmente alheio a com famílias ridículas qualquer coisa que não envolva directamente o seu que normalmente acabam conforto ou a sua saúde. bem. Se avaliarmos a fortuna de Mr Woodhouse em Emma, esta só será suplantada pela do O que Mr Woodhouse é na seu vizinho em Highbury, realidade é um hipocondrí- Mr Knightley. Contudo, o aco que tem, além de Emma, dois amores na sua ser abastado não impede vida: a sua saúde e o seu estes nossos personagens médico. Mr Woodhouse de serem algo exagerados preocupa-se muito com a e, neste caso, o pai de sua comida e o seu médico, Emma, apesar de não ser Mr Perry, é a pessoa que totalmente estúpido, mais aprecia no mundo, não é exactamente uma além de Emma, claro. Quando percebe que pessoa inteligente ou ninguém está doente é uma perspicaz. pessoa muito animada, como se pode verificar durante o jantar que oferece em sua casa: Pai de Emma e patriarca de Hartfield, Mr Woodhouse é uma personagem nervosa, "Mrs. Bates, let me propose frágil e conhecido pela your venturing on one of sua simpatia e apego à these eggs. An egg boiled very filha mais nova. É pouco soft is not unwholesome. resistente a mudanças, Serle understands boiling an chegando ao ponto de egg better than any body. I ficar infeliz por ver as would not recommend an egg filhas ou a sua governanta boiled by any body else; but casar. Neste sentido, you need not be afraid, they impede o crescimento e a are very small, you see - one aceitação da fase adulta of our small eggs will not hurt de Emma e é, muitas you. Miss Bates, let Emma vezes tolo e incapaz de help you to a little bit of tart acompanhar o desempenho intelectual - a very little bit. Ours are all da filha. apple-tarts. You need not be afraid of unwholesome Um Pai preserves here. I do not advise the custard. Mrs. Emma, no Goddard, what say you to half Sortudo entanto, assume postura generosa uma em a glass of wine? A small half- glass, put into a tumbler of relação ao seu pai, water? I do not think it could confortando-o com afecto disagree with you." genuíno. Raramente fala mal dele e quando o faz é bastante reservada e[Sandra Freitas] pouco se nota. Mr Noutras palavras, ele é Woodhouse nunca "sofre um senhor mimado e
  • 34. elitista que tem a sorte de egoísta. Ele não está ter uma filha como preocupado com o futuro Emma para suavizar as de Mrs Weston ou Emma gaffes que ele comete ou Harriet. Quando perante os outros, sem manifesta a sua tristeza sequer se aperceber do relativamente aos ridículo de algumas casamentos da sua "poor situações e de alguns Isabella" ou da "poor Miss dizeres. Taylor" (que nunca consegue chamar de Mrs Weston), ele está na realidade a pensar em si Numa obra sobre o mesmo. Se as pessoas se casamento como oé casam, passarão menos Emma de Jane Austen, tempo em Highbury e Mr Woodhouse é um consequentemente, menos homem um pouco tempo a mimá-lo e a olhar estranho e indiferente a por ele. essas situações. Se o amor, ou mesmo o casamento, está no ar, ele prefere não lhe dar Felizmente para os nossos importância e chega enamorados Emma e Mr mesmo a tentar Knightley, Mr Woodhouse convencer as pessoas a tem mais medo dos ladrões não casar, principalmente de galinhas do que tem do se são pessoas cujo casamento, razão pela qual distanciamento lhe vai aceita que Emma case com trazer mudanças na vida. Mr Knightley. E, neste aspecto, podemos dizer que é um pouco “Mr Woodhouse éuma personagem nervosa, frágil e conhecido pela sua simpatia e apego à filha mais nova”
  • 35. N o universo necessidade uma austeniano há esposa muito rica. personagens que No inicio até penseigostamos logo, outras que ele ia ter muitaque detestamos e importância na estória,outras que com o mas enganei-me. Apósdesenrolar da estória recusado o pedido deacabamos a gostar. casamento, Elton sai de cena para regressarMr. Elton não encaixa casado com umaem nenhumas destas mulher de fortuna. Acategorias, partir daqui, elesimplesmente porque praticamente se eclipsanão sei o que pensar da estória dando lugarsobre ele. Afável, a Mrs. Elton.simpático e bonito équase tudo o que Enfatuada, presunçosa,sabemos dele. O mais atrevida, ignorante eprovável, como li mal educada. Eis osalgures, é ele ser o simpáticos adjectivosfilho mais novo e por que aparecem noisso não teria fortuna capitulo XXXIII, logoou pertencia a uma boa após ser dito que ofamília que se primeiro exame deencontrava em Emma a Mrs. Eltoncircunstâncias fora deveras acertado.reduzidas, tudo boas Se acrescentarmoshipóteses para o insuportável, a estadesenrolar do pequena lista, temos opersonagem. retrato fiel da Mrs. Elton.Eu julgo que Mr. Eltonseria um homem Ela, para mim,interesseiro e daí a pertence à categoria de Oproposta de casamento personagens quea Emma e o rápido detesto, ela é mesmo a Interesseirocasamento com Miss mais insuportável deHawkins. Para Emma todas as personagens ea criadas por Jane. Aalmejar o casamentodele com Harriet, ele Caroline Bingley Insuportávelteria com certeza um também é igualmentebom rendimento insuportável, mas é umproveniente da insuportável que temparóquia, que lhe justificação. Apermitia ter um lar indelicadeza na forma [Vera Santos]confortável, sem como trata Elizabeth é
  • 36. justificada pelo ciúme possa arranjar uma boa que sente de Darcy. posição de preceptora. Não acredito que o faça Mrs. Elton acha que por bondade, mas todos os habitantes de porque deseja que Jane Highbury devem lhe preste vassalagem considerá-la pela ajuda e todos uma espécie de possam considerá-la rainha e nada deverá uma alma caridosa. ser feito sem que ela possa meter o nariz. Ninguém parece gostar Tudo deverá passar por dela no livro, eu ela e pelo seu gosto pergunto-me se o impecável. Porque se próprio Mr. Elton ao tudo for organizado fim de um tempo conforme ela quer, também percebeu que então será sempre tinha errado na escolha muito bem e o de esposa. Talvez não, melhor. talvez fosse mais parecido com ela do Mrs Elton toma-se de que aquilo que a amores pela situação aparência deixa de Jane Fairfaix e faz transparecer. tudo para que ela “Eu julgo que Mr. Elton seria um homem interesseiro edaí a proposta de casamento aEmma e o rápido casamento com Miss Hawkins”
  • 37. Q uando li "Emma" pela primeira vez, No filme, não nos é dado não reparei em a perceber a naturezaMrs Weston ou Ms deste amor. JulgamosTaylor, nome de solteira. que Emma teráNão sei porquê. Mais efectivamente tidotarde, vi o filme alguma influência. Masrealizado por Douglas não. É no livro queMcGrath e fiquei encontramos a fonte e oencantada com Mrs. percurso longo e lindoWeston. Para quem não deste casal. Mr. Weston,se recorda, o filme pai de Frank Churchill,começa com a voz de casa, inicialmente, comMrs Weston e a Ms Churchill queapresentação da sua pertencia a umaprenda de casamento, importante família deum globo pintado por Yorkshire. Embora Mr.Emma que revela os Weston pertencesse alocais e as personagens uma família de respeitomais importantes do que, ao longo de trêscírculo de amigos de gerações, conseguiraambas. E diz Mrs fortuna e respeito, oWeston: in a time when enlace não foi bemones town was ones world aceite. Ms Churchill veioand tha actions at a dance a revelar-se uma mulherexcited greater interest que não sabia apreciar asthan the movement of imensas qualidades doarmys, there lived a young seu marido e owoman who knew how this casamento ficouworld should be runned. marcado pela distânciaEsta apresentação é dela para com ele. Na vãseguida da sua boda de tentativa de agradar àcasamento. E, logo ali, se perdulária mulher, Mr.percebe que aquele Weston gastou mais docasamento é um que lhe era permitidocasamento de amor. Mas para manter a suanão um amor qualquer.Um amor sedimentado fortuna. Com a morte de Ms Churchill, viu-se O Amorno tempo,sincero, assente maduro, na obrigado a deixar o seu único filho com os Exemplar de cunhados para poderamizade, no respeito, natolerância e no afecto dedicar-se à recuperação Mr. e Mrs. da sua fortuna e àpuro e sincero entre doisseres que souberam aquisição de património Westonrespeitar-se até à altura através do comércio, emde casarem. O meu detrimento da carreiraencanto e admiração por militar.este casal. [Paula Freire]
  • 38. Nesta batalha conhece a Mrs Weston foi sempre preceptora de Emma, Ms complacente com Taylor, uma mulher sem Emma. Mais do que sua dote, como pretendia, e, preceptora, foi, durante acima de tudo, uma dezassete anos sua mulher doce, meiga, amiga. E assim sensata e madura, por continuará depois do quem se apaixona. casamento. Nas suas Todavia, a experiência (poucas) aflições, é a Mrs anterior leva-o a ser Weston que Emma prudente e a casar apenas recorre para se consolar quando alcançar a e para se aconselhar. A fortuna suficiente para preocupação do casal se estabelecer em com Emma é genuína. Randals. Os mais assim como com todos sensíveis poderão chocar- os seus amigos. Mrs se com o facto de Mr. Weston preocupa-se com Weston procurar todos aqueles que recebe propositadamente uma em sua casa. Chega a mulher sem dote que verificar se existem ficasse agradecida por ser correntes de ar em escolhida e não uma que atenção a Mr. pudesse escolher o seu Woodhouse. marido. Mas, atendendo ao seu anterior casamento, não será desculpável? Mr. Weston Eu atrevo-me a dizer que era um homem afável, Mr. e Mrs. Weston são o carinhoso, generoso que casal perfeito na obra de apenas queria ser feliz ao Jane Austen e nos dias lado de uma mulher de hoje. Sou suspeita, já afável e sociável. E esta que aprecio este tipo de será uma união feliz para amor, ao invés da ambos. Nela se incluirá tresloucada paixão“Mais do que sua também Frank Churchill, como o juvenil. Este modelo é constante ao casal preceptora, foi, próprio confidenciará longo de toda a estória e numa carta que envia a é maravilhoso verificar durante Mrs Weston para explicar como se protegem, se dezassete anos, o seu segredo com Miss completam e se apoiam. Fairfax e para se Creio que neste aspecto, sua amiga. E desculpar. Mrs Weston era um verdadeiro exemplo para assim Emma. continuará depois do casamento”
  • 39. “M rs. Bates, resignado que obravam viúva de um tais maravilhas. antigo Mostrava estima por vigário (…) senhora de todas as pessoas, avançada idade, para interessava-se pela quem já tudo havia felicidade de toda a passado, excepto o chá gente e descobria e o voltarete. Vivia qualidades em todos; muito modestamente considerava-se uma em companhia de sua criatura felicíssima e filha solteira, e era cercada de bênçãos alvo de toda a divina, por ter uma consideração e mãe excelente, respeito que uma vizinhos e amigos tão mulher idosa e bondosos e um lar a inofensiva desperta, que nada faltou…” quando em circunstancias difíceis.” Não sou uma fã de Ema, enquanto personagem. Enquanto “A filha gozava de obra no seu total uma popularidade em agrada-me porque grau assaz invulgar penso que é a obra em para uma mulher que que Jane Austen mais não era nova, nem critica a sociedade da bonita, nem rica, nem época com os seus casada (…) demais não preconceitos e estratos possuía superioridade sociais, o que torna a intelectual suficiente história muito para se bastar a si interessante. própria ou conter em devido respeito aqueles que porventura a detestassem. Nunca A relação de Ema com havia revelado nem Mrs e Miss Bates é de beleza nem “caridade e inteligência. A sua condescendência”: Ema apenas as visita eMrs. e Miss mocidade decorrera sem brilho, e agora na as trata bem para agir de acordo com o que Bates idade madura, dedicava-se a cuidar da ela considera ser o seu sua alquebrada mãe papel na sociedade; (…)E, contudo, era uma como pertencente a mulher feliz (…) que um estrato social ninguém citava sem superior, Ema tem o[Marina Nunes] simpatia. (…) sua larga dever de visitar e levar bondade e o seu feitio algum conforto físico e
  • 40. moral aos “mais mais duasnecessitados”. Não personagens nalhes atribui nenhum história, de queoutro interesse que não ninguém seseja a sua obrigação recordaria nosocial, nem aparenta final da história,ter por elas especial mas Jane Austencarinho. A cena do colocou-as nopiquenique demonstra “centro daclaramente a história” e não“consideração” que conseguimosEma tinha por elas, imaginar todaspersonalizada em Miss as mudanças queBates, e como se se operam emconsiderava superior Ema sem elas…(serei demasiado severa Sem terem,com Ema?). Outra muitas vezes,situação que “dá acção directa nasrelevo” a estas duas diferentespersonagens é o facto situações quede estarem dão dinâmica adirectamente ligadas a esta história,Jane Fairfax, que pela estão presentes esua ligação com Frank ligadas a todasChurchill tem impacto estas situações:directo na vida de Ema como pore nas alterações que se exemplo aoperam nela. Além de situação doter sido induzida em piquenique queerro pela sua “vaidade” leva a que Mr.e pelas acções de KnightleyF.Churchill tem repreenda a suatambém em Jane uma amada e éigual… Não igual em através delas queposição social mas em Jane Fairfaxinteligência e beleza. aparece naEstas duas personagens história. “A relação depoderiam ser apenas Ema com Mrs e Miss Bates é de “caridade e condescendência ”
  • 41. [Por um lapso na edição anterior, dedicada a Abadia de Northanger, o artigorelativo aos Lugares de Jane Austen dessa edição, não foi publicado.Colmatamos agora essa falha.]A acção Northanger Abbey de (NA) responsabilidade de regularem organizarem estas etem início em pequenasFullerton, onde comunidades.viviam os Morland,situado noHampshire, perto deAndover. Para além No século XIXdesta são duas as começam aoutras localidades perder importânciaprincipais onde irão devido aodecorrer os cepticismo que seacontecimentos instala por razões dedeste romance. A ineficiência esaber: Bath e as corrupção. O Poorsuas ruas e colinas Law Actcircundantes e a Amendment, deAbadia de 1834 vem entãoNorthanger, situada concretizar a retirar de soberania desteem Gloucestershire. tipo de organização. Bath é uma pequena Fullerton é uma estância balnear já Os Lugaresparóquiaadministrativa, ou referida neste de Jane blogue.seja, umaaldeia onde Austen –antigamente a igreja Abadia dedetinha o poder Sabemos que Janeadministrativo. Austen não gostava NorthangerNessa altura, antes de Bath. Aliás, nada alteração da altura em que lálegislação, eram os viveu nada produziupadres ou vigários em termosque tomavam a literários. Contudo, [Paula Freire]
  • 42. será aqui que uma Bath. Trata-se de boa parte da acção um salão termal de NA terá lugar. onde também Resta-nos, pois, decorriam os saber se as ruas e encontros sociais lugares tais como jogos e mencionados bailes. As pessoas existem mesmo ou bebiam água tépida se foram fruto da que saía de um imaginação da nossa pequeno fontanário autora. Por mim, construído para o antes mesmo de efeito. Poderá dizer- investigar, estou em se que era um salão crer que estes serão com alguma reais. Porquê? imponência. Ainda Porque Jane Austen hoje é uma escreveu este livro referência em Bath. como um esboço o Sobre este edifício que levaria a que vejam ainda este não se desse muito artigo. ao trabalho de inventar lugares. Estarei certa? Vamos ver. O Crescent era uma “O Pump residencial de trinta Room é um casas. Foi desenhado pelo salão grande Acompanhem-me arquitecto John que existe há então nesta pequena Wood Younger e incursão geográfica construído entre mais de dois pelos sítios de NA 1767 e 1774. Dele séculos. Era em Bath. fazem hoje parte um hotel e umconsiderado, ao museu. tempo de Jane O Pump Room é Austen, como um salão grande que o coração existe há mais de A Pulteney Street é dois séculos. Era uma rua larga que social de considerado, ao atravessa Bath. Em Bath” tempo de Jane rigor, trata-se da Austen, como o avenida principal coração social de daquela cidade. Hoje
  • 43. é considerada uma conjunto de quatroavenida de grande casas queimportância, constituem umcomparável às mais quadrado irregularbonitas avenidas de em torno de umaFrança. Foi fonte. Esta,mandada alargar por curiosamente só foiWilliam Pulteney, erguida no século5.º Baronete de Bath, XIX, não fazia parteum proeminente do plano original e,advogado escocês, como tal, nãomembro do existia ao tempo deParlamento, e um Jane Austen.dos homens maisricos de Inglaterra. Foi desenhada porThomas Baldwin. Espero que estaFicou completa em pequena viagem1789 - ano em que tenha sido do vossorebenta a Revolução agrado. Tivemos aFrancesa - e Jane oportunidade deAusten escreveria a verificar que todosprimeira versão de os lugares em Bath,AN, Susan, em 1798- bem como a9 (dez anos depois). localidade de residência de Catherine, existiam mesmo à data daLaura Place foi escrita de NA. E os “Sabemos queconstruído entre restantes lugares? Jane Austen1788 e 1794 e fica Vamos descobrir?situado no fim da não gostava dePulteney Street. Bath. Aliás, naTrata-se de um altura em que lá viveu nada produziu em termos literários”
  • 44. A Revista na próxima edição não estará aberta a artigos das nossas leitoras. Contará apenas com as opiniões pessoais das autoras do blogue Jane Austen Portugal. O tema da próxima edição é: Top Jane AustenColaboraram nesta Edição: Cátia Pereira Clara Ferreira Eva Sousa Fátima Velez de Castro Juliana Cunha Luan Fernandes Marina Nunes Natallie Alcantara Paula Freire Sandra Freitas Vera Santos Conteúdo original © Jane Austen Portugal