Homem Darcynianus: uma espécie em extinção                              Por Marcelle Santos VieiraO homem darcynianus era ...
sentimentos por antigas e falhas convenções humanas. Relevava o que o seu amor tinhade especial e se empenhava por conquis...
Homem darcynianus
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Homem darcynianus

656

Published on

Published in: Entertainment & Humor
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
656
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Homem darcynianus

  1. 1. Homem Darcynianus: uma espécie em extinção Por Marcelle Santos VieiraO homem darcynianus era um animal extremamente racional, membro da espécieDistintus Mascullinitus, pertencente ao gênero Ánthro̱pos Komagamaiusculus. Os extintosdarcynianus possuíam elevado entendimento. Esta espécie ultrapassava os padrõesrelacionados apenas à intelectualidade e demonstravam inteligência prática tanto nasquestões triviais, quanto nas mais complexas situações do cotidiano.Acredita-se que um dos últimos integrantes desta espécie foi visto no condado deDerbyshire, possivelmente no interior da Inglaterra, em meados do Século XIX. Conhecidopelo nome de Fitzwilliam Darcy, este ser singular, incorporava as mais prodigiosascaracterísticas do gênero masculino. Seu perfil e legado foram cuidadosamente descritospela escritora inglesa Jane Austen, que cuidou dos mínimos detalhes para que aoriginalidade e a personalidade do homem darcynianus fossem notadamente enaltecidas.As características essenciais da espécie darcynianus abrangiam aspectos dehonestidade, honradez, caráter, inteligência prática, beleza, discrição, austeridade e,especialmente, romantismo. Porém, como todo ser humano, carregava algumasimperfeições; em destaque, o preconceito. No entanto, uma vez que era detentor de uminvejável autoconhecimento, o homem desta espécie procurava sempre seuaperfeiçoamento e se retratava das suas ações incoerentes com humildade, sem perdersua elegância e masculinidade, obviamente.O romantismo do homem darcynianus era reconhecidamente genuíno, pois não lançavamão de máscaras ou artimanhas para conquistar as moças em geral. Ele não tentava sero que não era, procurava apenas ser ele mesmo, Sóbrio, Sério e Sábio. Aliás, a junçãodos três S’s ajudou a construir todo o paradigma em torno do homem ideal, ou seja,daquele homem que não existe mais. Vale ressaltar que, apesar de Sóbrio, Sério e Sábio,darcynianus também era espirituoso, com quem era possível conversar horas a fio arespeito dos mais variados assuntos. Era habilidoso cavaleiro e adepto do cavalheirismo.Charmoso e de profundos olhos constantes. O homem desta espécie não se apaixonavafacilmente e não conseguiria amar qualquer uma. Ele saberia reconhecer uma mulherespecial e diferenciada.Darcynianus era capaz dos atos mais benevolentes, do carinho sincero, das palavrasditas em voz baixa e num tom firme e acolhedor. Ele se prontificava a escutar sobre osproblemas da mulher amada, e fazia isso da melhor maneira, olhando nos seus olhos esegurando em suas mãos. Carregava sempre consigo um lenço, já que previa asimpetuosas lágrimas daquela para quem dedicava eterno amor. Embora pudesse sentirpreconceito das “origens” dela, ele, no fim das contas, procurava não confundir seus
  2. 2. sentimentos por antigas e falhas convenções humanas. Relevava o que o seu amor tinhade especial e se empenhava por conquistá-lo das formas mais nobres possíveis. Ao sedeclarar para a mulher amada, ele apenas diria assim: “Você precisa permitir-me dizer oquanto eu ardentemente a admiro e a amo”.O homem darcynianus não poderia se interessar ou deixar-se levar por qualquer outramulher estando casado, noivo, em um relacionamento sério ou apenas enamorado. Elenão seria um solteiro interessado somente em sexo e curtição, muito menos em nãoassumir responsabilidades.Todavia, esta espécie já foi extinta do seio terrestre e muitas são as teorias acerca dosmotivos que causaram o seu desaparecimento. Aqui, vale ressaltar a visão de Vieira(2011), que afirma ser a falta de valorização feminina a principal impulsionadora destacatástrofe sem precedentes. E por mais que o feminismo tenha sido benéfico para aemancipação da mulher, ele trouxe inúmeros prejuízos à vida afetiva da mesma. Hoje,impera a disputa entre os gêneros, além da falta de respeito e responsabilidade nasrelações. O sexo é tão facilmente acessado que o prazer se torna algo efêmero e semvalor. Ademais, o amor se torna algo impossível de se encontrar, porque foi esvaziadodos corações, transformou-se em aspecto secundário, terciário ou quaternário nosrelacionamentos. As mulheres se empenham para trabalhar e conquistar seus espaços nomundo, mas não são capazes (em sua maioria) de possuir a certeza de ter homens aosseus lados que as amam incondicionalmente. Os homens, por outro lado, estãoconfortáveis, já não precisam mais ser amantes, cuidadosos, não se interessam porpresentear, auxiliar, procurar, muito menos reconhecer ou elogiar. A espécie atual seencontra numa zona de conforto, e tem a certeza de que o sexo oposto irá ao seuencontro mais cedo ou mais tarde. E o que sobra para as boas e raras mulheres, é asaudade do que nunca existiu, dos tempos que jamais serão desfrutados e do amor quenunca será compartilhado. ***Este texto é dedicado a todas as BOAS e RARAS mulheres que assim como eu acreditamna extinção do homem ideal. Também é dedicado para aquelas comprometidas quegostariam que seus amores herdassem um pouco mais das características darcynianas.ReferênciasAUSTEN; J. Pride and Prejudice. London: CRW Publishing Limited, 2003.VIEIRA; M.S. Da experiência pessoal à abordagem austeniana: desenvolvido na menteda Marcelle mesmo. Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Facebook, 2011.WIKIPEDIA. Baseado em consultas efetuadas à página:http://pt.wikipedia.org/wiki/Homo_sapiensTexto publicado no site www.janeaustenbrasil.com.br

×