Your SlideShare is downloading. ×
http://ciriloquartim.weebly.com
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

http://ciriloquartim.weebly.com

188
views

Published on

Published in: Entertainment & Humor

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
188
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Cirilo Quartim artes visuais
  • 2. CIRILO QUARTIM Sobre o artista Cirilo Quartim é artista plástico de Brasília e articulador cultural. Estudou artes visuais na UnB e destaca-se nacidade com ações artísticas em diversas vertentes: intervenção urbana, desenho, pintura, computação gráfica,instalações interativas e, principalmente, combinando essas linguagens. Participa de exposições individuais e coletivas como artista e curador. Integrou, em 2008, no Museu da República, aI Bienal Internacional de Poesia na mostra "Obranome". Como proponente do projeto Fora do Eixo foi contempladono edital "Conexões Artes Visuais" da Funarte. Representou Brasília no Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana(MG) em 2007 com mostra individual e oficina. 2
  • 3. CIRILO QUARTIM Depoimentos Território da arte digital "Cirilo Quartim brinca com nossos sentidos, com nossas referências, com nossos espaços físicos, geográficos,sensoriais. Seu trabalho é pesquisa, é exploração no universo das potencialidades técnicas e poéticas de diferentestecnologias. Pode estar impresso, pode ser luz, ação, cor. Uma provocação para aqueles que desejam fazer e questionar a produção artística contemporânea." Maria Luiza Fragoso Artista, mestre em artes pela George Washington University, A arte digital de Cirilo "Cirilo é um artista da geração digital, que utiliza o computador com competência e talento. Sua paleta descende das cores RGBs e não das CMKYs dos pintores tradicionais.As cores Vermelho(R),Verde(G) eazul(B) como primárias, oferecem a possibilidade de uma paleta mais completa, vibrante e rica em saturação cromática.Esta maior intensidade, analogicamente é a mesma intensidade das notas musicais dos rocks-pops, que tanto encantamos jovens. Assim como na música eletrônica, os trabalhos de Cirilo nascem com a necessidade de serem amplificadospara que possam falar alto aos olhos do espectador. Bit a byte, as imagens são construídas em um "bit map" uma espécie de mosaico eletrônico, onde a intensidade ecoloração dos pontos geram a representação bidimensional da composição." Darlan Rosa Artista Plástico Cor e atitude "Ao apreciar a obra de Cirilo Quartim é visível sua busca pelo equilíbrio. O artista varia o ritmo visual dostrabalhos com repetições de elementos e garante a harmonia com criatividade. Cirilo é um colorista nato, e mostraisso em suas composições equilibradas, com linguagem contemporânea e uso da cor muito especial. São trabalhos pensados e avaliados, o que não os impede, contudo, de ter força expressiva. O resultado demonstradesenvoltura no emprego das cores com intensidade máxima (saturadas) sem que nada fique exagerado. Sua obra é forte, vibrante, harmônica e ficou muito bem no painel projetado para a parede externa do EspaçoCultural da 508 Sul - um local histórico no apoio à arte brasiliense. Parabenizo-o por sua iniciativa e seu interesse em estar sempre crescendo." Lygia Saboia Mestre em Arte e Tecnologia da Imagem pela Universidade de Brasília Doutora em Multimeios pela UNICAMP Professora do Instituto de ArtesVisuais da UnB 3
  • 4. CIRILO QUARTIM Mídia e artigos Arte no dia-a-dia Não, dinheiro não nasce em árvore. Mas no mundo de Cirilo Quartim, há espaço para a fantasia. Há maisde uma semana as folhas do flamboyant em frente ao Café Eldorado do Conic dividem os galhos com notasde R$ 2. Nos primeiros dias, as notas eram verdadeiras. Cirilo pendurou na árvore R$ 500 recebidos paramontar a instalação, uma das oito intervenções urbanas do projeto Ar Livre. O artista inaugurou a árvore aoamanhecer de uma sexta-feira. Naquele horário, as pessoas atravessavam a Praça do Conic em direção aotrabalho. Quem percebeu colheu dinheiro. Hoje, sobraram apenas as reproduções de notas. Mas o pastorMarlei de Lima celebra a idéia do artista. “É a árvore da prosperidade, como se fosse uma videira. Qualquerpessoa pode colher da árvore e ver que existe esperança. Foi uma idéia divina”, acredita. Bem, Quartim não vê bem assim. É mais uma crítica. “Arte sempre lida com objetos do desejo, então éirônico colocar o dinheiro diretamente na árvore. Nahima Maciel Jornalista 6/2/2008 Correio Braziliense – DF A multiplicidade da anedota na arte contemporânea: a produção de espaços e o enfrentamento do poder Uma mesma palavra pode assumir diferentes significados de acordo com cada contexto. A palavra ‘árvore’, porexemplo, está em composição permanente com outras palavras e conceitos que, juntas, assumirão a efemeridadesignificante no momento da fala, da ação. Sendo assim a linguagem não é a transcrição do objeto árvore para umconceito ‘árvore’ imutável, nem a descrição da árvore de um primeiro para um segundo indivíduo — alguém que viu ealguém que não viu uma ‘árvore’ de dinheiro — a linguagem se dá quando acontece a desterritorialização do conceito‘árvore’ para utilizá-lo em múltiplos outros contextos. É quando compreendemos que ‘árvores’ existem muitas, cadaqual diferente da outra, e mesmo sabendo disso ainda insistimos em uma denominação geral de ‘árvore’, seja essaárvore um Gonçalo Alves, um Ipê, uma Banha de Galinha, um Pequizeiro, uma Lobeira ou, uma árvore de dinheiro.Assumimos, deste modo, nossa falência total de compreender o real a partir da linguagem. Somos obrigados a recorrerà anedota como forma de especular e complexificar a nossa triste realidade fracassada. Inventamos o dinheiro equeremos um pé dele! A árvore de dinheiro pertence ao imaginário popular e marca presença concreta na linguagem cotidiana. Asexpressões ‘você acha que eu tenho pé de dinheiro’ são recorrentes e praticamente todo mundo já disse ou ouviu essafrase que significa, na maior parte dos casos, que não se tem muito dinheiro para esbanjar. Assim, essa árvore dedinheiro tão sonhada não possui existência física mas ninguém pode dizer que ela não exista na prática Assim, ‘Fruto Capital’ é a obra que Cirilo Quartim fez em Brasília, capital dos 3 únicos poderes. Realizada emfrente ao CONIC, tradicional ponto underground da cidade, a intervenção urbana contou com uma árvoreendinheirada. No pé de dinheiro foram pendurados R$ 500 em notas de R$ 2 mais R$ 800 em notas ‘falsas’, alteradasartisticamente. Ao trazer para a realidade palpável uma árvore de dinheiro Cirilo Quartim desvirgina os campos semânticos dalinguagem e estraçalha a pragmática do cotidiano ao colocar todos os transeuntes de pescoço virado pra cimaprocurando notas verdadeiras em meio a tantas outras falsas. Esta situação anedótica (ação) não pode ser descrita, nem mesmo utilizando todos os recursos da linguagem e muito menos teorizando a descrição da ação. O dinheiro ésó um: o deles.A anedota concretizada! Fernando Aquino Artista e pesquisador, Mestre em artes visuais pela UnB Artigo publicado na revista Travessias – Nº02 4
  • 5. CIRILO QUARTIM Mídia e artigos A metaviagem de Cirilo A vertente plástica adotada desde muito cedo por Cirilo em sua trajetória artística revela, antes de qualquerconsideração, um forte instinto de percepção do movimento contemporâneo de retomada nas grandes cidades dacriação de painéis monumentais. Seja como obra de intervenção urbana, seja como retorno a uma prática não exauridapelos modernistas do século passado. Com a premonição própria dos artistas jovens e talentosos, Cirilo dirige agora sua criatividade para expressar na ,um projeto que guarda uma característica revolucionária, na medida em que consegue conjugar duas linguagensplásticas – o azulejo e o mosaico - para tirar partido visual daquilo que vai representar. Com a técnica de agregação harmoniosa das peças de azulejos, através da soma, da união, da coleção e daassemblage, que o artista estará falando do objeto de que trata o mural. E ainda mais: por ser um painel de azulejos, homenageia o que há de melhor na tradição formada em Brasília pelaescola do mestre muralista e azulejista Athos Bulcão, ao mesmo tempo em que revoluciona a arte, configurando-a apartir de uma situação absolutamente nova, de sentido plástico característico do mosaico. É obra de talento e inspiração, nascida de um procedimento digital aparentemente simples, mas de alcanceimprevisível pela força do experimentalismo, que mexe com os sentidos e com o futuro do muralismo de azulejosconectando-o com o mosaico contemporâneo. Gougon Artista plástico e jornalista 5
  • 6. CIRILO QUARTIM Registro de obras e ações em arte Praça Zumbi dos Palmares Conic – Setor de Diversões Sul Brasília – DF 2008 6
  • 7. Praça Zumbi dos PalmaresConic – Setor de Diversões SulBrasília – DF2008 7
  • 8. Setor Comercial SulBrasília – DF2005 8
  • 9. CIRILO QUARTIM Pintura Título: Engarrafamento Técnica mista sobre couro sintético Acervo do artista 9
  • 10. CIRILO QUARTIM Pintura Título: Sobre pintura Técnica mista sobre tela Dimensões: 80 x 80 cm Valor: R$2.000,00 10
  • 11. CIRILO QUARTIM Pintura Título: Batatas Técnica mista sobre couro papel cartão Dimensões: 100 x 70 com Coleção particular 11
  • 12. CIRILO QUARTIM Pintura Título: Batatas II Técnica mista sobre couro papel cartão Dimensões: 100 x 70 cm R$2,200,00 12
  • 13. CIRILO QUARTIM Pintura Título: Macaca Técnica: Acrílica sobre tela Dimensões: 60 x 85 cm Coleção particular 13
  • 14. CIRILO QUARTIM Pintura Título: Carros na paisagem Técnica: Acrílica sobre tela Dimensões: 60 x 40 cm Valor: R$ 2.200,00 14
  • 15. CIRILO QUARTIM Pintura Título: Escorregad’olho Técnica mista sobre tela Dimensões: 80 x 90 cm Acervo do artista 15
  • 16. CIRILO QUARTIM Pintura Título: São Jorge e o dragão Técnica: Acrílica sobre tela Dimensões: 75 x 60 cm R$ 3.000,00 16
  • 17. CIRILO QUARTIM Pintura Título: TV Técnica: Acrílica sobre tela Dimenções 60 x 60 cm Valor: R$ 3.000,00 17
  • 18. CIRILO QUARTIM Pintura Título: Estudo Escher Técnica: Tinta vitral sobre vidro Dimensões: 30 x 45 cm Acervo do artista 18
  • 19. CIRILO QUARTIM Pintura mural Pintura mural no Bar e restaurante Santo Chopp - 2008 Técnica: Acrílica sobre aço Dimensões: 500 x 90 cm 19
  • 20. CIRILO QUARTIM Pintura muralPintura mural para os 90 Anos de Carmen MirandaCentro Cultural da Caixa Econômica - Brasília - 2004Técnica: Acrílica e spray sobre lona e paredeDimensões: duas salas 20
  • 21. CIRILO QUARTIM Pintura mural Pintura mural no Bar Capela - 2009 Técnica: Acrílica sobre aço Dimensões: 350 x 50 cm 21
  • 22. CIRILO QUARTIM Pintura mural Pintura mural Olhômetro Espaço cultura da 508 sul - Brasília - 2007 Técnica: Acrílica sobre parede Dimensões: 110 m2 22
  • 23. CIRILO QUARTIM InstalaçãoTítulo: 1=0Técnica: Instalação com moeda holográficaDimensões: 2 m2Acervo do Museu Nacional da República 23
  • 24. CIRILO QUARTIM InstalaçãoTítulo: SêmencírculoLocal: Museu Nacional da RepúblicaTécnica: Instalação com ovos e preservativosDimensões: 7 m2 24
  • 25. CIRILO QUARTIM InstalaçãoTítulo: EraLocal: Museu de Arte de Brasília (MAB)Técnica: Instalação com cédulas falsas de Real e adesivosDimensões: 4 m2 25
  • 26. CIRILO QUARTIM ObranomeTítulo: Tempo - 2010Local: Museu Nacional da República e Parque Lage- RJTécnica: Instalação com relógio e somDimensões: todas 26
  • 27. CIRILO QUARTIM Intervenção urbana Título: E3 Técnica: intervenção urbana com escorregador, esfera e escada Marquise externa da Funarte - Brasília - 2009 Dimensões: 10 m2 27
  • 28. CIRILO QUARTIM Cronologia de atividades relevantes em artes visuais2010 2007SEMICÍRCULO O CÍRCULOExposição coletiva Obra: 1=0Técnica: Instalação Técnica: Objeto interativoMuseu da República – Brasília – DF Museu da República – Brasília – DFMOVIOLA - BRASÍLIA 50 ANOS ÁGORAGORAExposição coletiva e curadoria Exposição coletiva de arte e tecnologiaComemoração dos 50 anos da cidade Obra: Ex-culturae do Cine Brasília. Técnica: Instalação multimídia STJ – Supremo Tribunal de Justiça – Brasília - DF2009 OCUPAÇÃO – FUNARTE Intervenção coletiva em espaço públicoOBRANOME III Área externa da Funarte – Brasília – DFExposição coletivaPoesia visual “Tempo” TERRITÓRIO DA ARTE DIGITALParque Lage – RJ Oficina sobre arte digital e graffiti durante o Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana (Fórum das Artes) e mostra individual durante o evento.2008 Ouro Preto – MGI BIENAL INTERNACIONAL 2006DE POESIA DE BRASILIAExposição “Obranome II”Poesia visual “Tempo” OCUPAÇÃO 2006 - FUNARTEMuseu Nacional da República – Brasília – DF Intervenção coletiva em espaço público Obra: Escorregador, esfera e escada Área externa da Funarte - Brasília – DFPROJETO FORA DO EIXORealização, identidade visual, curadoria e exposiçãocoletiva na Galeria Espaço Piloto – UnB. SINALIZAÇÃO CRÍTICAProjeto contemplado pelo edital “Conexões Visuais” da Curadoria: Wagner BarjaFunarte/Minc/Petrobrás Exposição individual de gravuras digitais impressas emGaleria Dulcina de Morais – Conic, Museu da República adesivo sobre os corredores do prédio da Casa da– Esplanada dos Ministérios, América Latina/Livraria e Editora da UnB.Galeria Espaço Piloto – UnB, Espaço Cultural 508 Sul e Setor Comercial Sul – Brasília – DFáreas públicas de Brasília UM OLHAR SOBRE A ARTE DIGITALAR LIVRE ARTES VISUAIS E O GRAFFITIIntervenção urbana “Fruto Capital”. Pesquisa, curadoria, produção e exposiçãoProjeto contemplado no edital no Espaço Cultural da 508 Sul – Brasília – DF.“Conexões Visuais” da Funarte/Minc/Petrobrás (Projeto apoiado pelo FAC – Fundo de Arte e CulturaPraça Zumbi dos Palmares – Conic – Brasília – DF do Distrito Federal). 33