Centro de Gestão e EstudosEstratégicos<br />Ciência, Tecnologia e Inovação<br />Serviços de Apoio à Inovação -NITs e Outro...
Estudo CGEECAPACITAÇÃO EMPRESARIAL EM CONSULTORIAS DE INOVAÇÃO E ENGENHARIAS<br />Carlos Augusto Caldas de Moraes<br />
Objetivo do Estudo Exploratório<br />Levantar (‘mapear’) informações disponíveis sobreconsultoria em inovaçãoeconsultoria ...
Consultoria em Inovação<br />Na primeira etapa do estudo na parte relativa à inovação foram adotadas, com modificações, as...
Matrizes desenvolvidas durante a aplicação do sistema IMPACTSCAN <br />M1 - Objetivos da Política vs. IntermediáriosM2 – I...
Tipos de serviços de inovação prestados por intermediários<br />Sensibilização e promoção de interações e da cultura de in...
Serviços de inovação prestados por intermediários(Adaptado de ImpactScan, 2007)<br />
Serviços de inovação prestados por intermediários (cont.)(Adaptado de ImpactScan, 2007)<br />
Construção da Matriz M2 no estudo<br />Adoção da tipologia de serviços de inovação proposta no IMPACTSCAN.<br />“Atores” i...
Abordagem diferenciada<br />Permite examinar as contribuições de cada intermediário identificado e os seus serviços de apo...
Intermediários prestadores dos serviços (funções) de apoio à inovação identificados<br />Incubadoras<br />NITs<br />Parque...
Matriz de Importância dos Intermediários para os Diversos Tipos de Serviçosde apoio à inovação<br />Importância: XXX -> Se...
Matriz de Importância dos Intermediários para os Diversos Tipos de Serviçosde apoio à inovação<br />Importância: XXX -> Se...
Importância das inovações organizacionais (Manual de Oslo, 2005, 3ª. Ed., e PINTEC 2008)<br />Evidente no estudo a importâ...
Tipologia de inovações organizacionais proposta porArmbrusteret al (2008)<br />
“Asinovações organizacionais atuam como pré-requisitos e facilitadoras de um uso eficiente de produtos técnicos e de inova...
Problemas e obstáculos à inovação(Pintec 2008)<br />
Consultoria em Inovação (cont.)<br />Segunda etapa: consulta on-line<br />Obter, a partir de bases de dados às quais se te...
Consulta on-line<br />Questionário encaminhado a partir do CGEE ou diretamente pelas entidades que disponibilizaram os cer...
Outros resultados obtidos (selecionados)<br />
Consultoria em Inovação (cont.)<br />Terceira etapa: Pesquisa complementar (porém limitada), conduzida com o objetivo de a...
Categorização das atividades de Consultoria para uso na terceira etapa<br />Consultoria estratégica - empresas de consulto...
Empresas de consultoria e suas áreas de atuação<br />
Construção da Matriz M2 no estudo<br />Adoção da tipologia de serviços de inovação proposta no IMPACTSCAN.<br />“Atores” i...
INOVA UPs 2011_Carlos Augusto Caldas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

INOVA UPs 2011_Carlos Augusto Caldas

708
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
708
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

INOVA UPs 2011_Carlos Augusto Caldas

  1. 1. Centro de Gestão e EstudosEstratégicos<br />Ciência, Tecnologia e Inovação<br />Serviços de Apoio à Inovação -NITs e Outros Intermediários<br />Carlos Augusto Caldas de Moraes<br />IV Workshop de Inovação das Unidades de Pesquisa do MCTLNCC<br />Petrópolis, 15 de agosto de 2011<br />
  2. 2. Estudo CGEECAPACITAÇÃO EMPRESARIAL EM CONSULTORIAS DE INOVAÇÃO E ENGENHARIAS<br />Carlos Augusto Caldas de Moraes<br />
  3. 3. Objetivo do Estudo Exploratório<br />Levantar (‘mapear’) informações disponíveis sobreconsultoria em inovaçãoeconsultoria em engenhariapara proporcionar as condições iniciais para discussões sobre uma agenda de apoio a empresas prestadoras de serviços de consultoria em inovação e em engenharia<br />O estudo foi desenvolvido tratando separadamente a consultoria em inovação e a engenharia consultiva.<br />
  4. 4. Consultoria em Inovação<br />Na primeira etapa do estudo na parte relativa à inovação foram adotadas, com modificações, as tipologias de “funções/serviços de inovação” e de “intermediários” propostas pelo projeto IMPACTSCAN<br />IMPACTSCAN<br />“sistema de monitoramento e avaliação de impactos, que oferece às autoridades regionais a obtenção de uma visão clara da sua ação de fomento, com vistas a auxiliar na tomada de decisões e no aprimoramento da eficácia de tais ações” (IMPACTSCAN UsersGuide, 2007).<br />desenvolvimento foi co-financiado pela União Europeia e desenvolvido e testado por sete agências envolvidas em política de inovação em regiões na Bélgica, Áustria, França, Espanha, Holanda, Polônia e Eslovênia.<br />
  5. 5.
  6. 6. Matrizes desenvolvidas durante a aplicação do sistema IMPACTSCAN <br />M1 - Objetivos da Política vs. IntermediáriosM2 – Intermediários vs. Serviços de Inovação <br />M3 - Serviços de Inovação vs. ‘Habilitadores’ da Inovação<br />O estudo utilizou apenas estrutura da Matriz M2, com modificações<br />
  7. 7. Tipos de serviços de inovação prestados por intermediários<br />Sensibilização e promoção de interações e da cultura de inovação<br />Acesso à informação<br />Aconselhamento, Assessoramento<br />Serviços tecnológicos<br />Gerenciamento de Projetos<br />Networking e clustering<br />Recursos humanos <br />Acesso a financiamento<br />Serviços de incubação<br />Financiamento direto<br />Infraestrutura<br />
  8. 8. Serviços de inovação prestados por intermediários(Adaptado de ImpactScan, 2007)<br />
  9. 9. Serviços de inovação prestados por intermediários (cont.)(Adaptado de ImpactScan, 2007)<br />
  10. 10. Construção da Matriz M2 no estudo<br />Adoção da tipologia de serviços de inovação proposta no IMPACTSCAN.<br />“Atores” intermediários (diretamente relacionados às empresas que buscam a inovação) foram identificados a partir dos serviços de inovação que podem prestar. <br />
  11. 11. Abordagem diferenciada<br />Permite examinar as contribuições de cada intermediário identificado e os seus serviços de apoio à inovação.<br />Inverte-se a lógica do ‘mapeamento’<br />Considerado a partir dos tipos de serviços/funções de apoio à inovação prestados pelos diversos intermediários<br />Os intermediários não mais estavam limitados a empresas de consultoria/ assessoramento/ aconselhamento e a consultores independentes.<br />
  12. 12. Intermediários prestadores dos serviços (funções) de apoio à inovação identificados<br />Incubadoras<br />NITs<br />Parques tecnológicos, polos tecnológicos e tecnópolis<br />NAGI (Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação)<br />Agentes de Propriedade Intelectual<br />Consultorias públicas ou privadas <br />Redes de Inovação: organizações associativas destinadas a reunir ou congregar empresas e instituições que compartilham objetivos ou interesses relacionados à Gestão da Inovação, ao desenvolvimento tecnológico e à difusão do conhecimento<br />Órgãos de Desenvolvimento Econômico/ Agências de Fomento (BNDES, FINEP, FAPsetc)<br />Instituições financeiras(fundos de capital de risco, venture capital, angelinvestorsetc)<br />Instituições de informação científica e tecnológica<br />Entidades tecnológicas setoriais (ETS): atuantes no desenvolvimento tecnológico de um setor econômico específico e que se beneficiam de uma relação direta com as empresas. Mantêm vinculação predominante a associações industriais, organizações empresariais e outras.<br />
  13. 13. Matriz de Importância dos Intermediários para os Diversos Tipos de Serviçosde apoio à inovação<br />Importância: XXX -> Serviços prestados de maneira consistente e eficaz, sendo previstos na missão, nos objetivos ou nas atribuições formais, ou ainda figurando entre suas atividades prioritárias; XX -> Serviços prestados de maneira limitada, tendo caráter secundário ou complementar entre os objetivos e atribuições; X -> Serviços prestados de maneira muito restrita, em caráter eventual ou como decorrência de outras ações.<br />
  14. 14. Matriz de Importância dos Intermediários para os Diversos Tipos de Serviçosde apoio à inovação<br />Importância: XXX -> Serviços prestados de maneira consistente e eficaz, sendo previstos na missão, nos objetivos ou nas atribuições formais, ou ainda figurando entre suas atividades prioritárias; XX -> Serviços prestados de maneira limitada, tendo caráter secundário ou complementar entre os objetivos e atribuições; X -> Serviços prestados de maneira muito restrita, em caráter eventual ou como decorrência de outras ações.<br />
  15. 15.
  16. 16. Importância das inovações organizacionais (Manual de Oslo, 2005, 3ª. Ed., e PINTEC 2008)<br />Evidente no estudo a importância das inovações organizacionais, um dos tipos de inovações definidos pelo Manual de Oslo e adotados na Pesquisa de Inovação Tecnológica - PINTEC 2008<br />“Uma inovação organizacional é a implementação de um novo método organizacional nas práticas de negócios da empresa, na organização do seu local de trabalho ou em suas relações externas”. <br />Armbrusteret al. (2008), identificam a inovação organizacional como uma inovação de processo não-técnica, confirmam sua relevância e propõem uma tipologia de inovações.<br />
  17. 17. Tipologia de inovações organizacionais proposta porArmbrusteret al (2008)<br />
  18. 18. “Asinovações organizacionais atuam como pré-requisitos e facilitadoras de um uso eficiente de produtos técnicos e de inovações de processos, visto que seu sucesso depende da forma como as estruturas e os processos organizacionais respondem ao uso dessas novas tecnologias”<br />“As inovações organizacionais representam uma fonte imediata de vantagem competitivavisto que elas, por si só, têm um impacto significativo no desempenho empresarial no que se refere à produtividade, tempo de liderança (em inglês, lead times), qualidade e flexibilidade”<br />Armbrusteret al (2008)<br />Aceitas essas contribuições do estudo dos autores, é possível perceber que a introdução de inovações nas empresas brasileiras poderia ocorrer mais rapidamente caso seja possível mobilizar a experiência nacional de consultorias especializadas - e de pessoal treinado nas empresas - em programas na área de qualidade (em especial) e na implantação de outros tipos de inovações organizacionais<br /> <br />
  19. 19. Problemas e obstáculos à inovação(Pintec 2008)<br />
  20. 20.
  21. 21.
  22. 22.
  23. 23. Consultoria em Inovação (cont.)<br />Segunda etapa: consulta on-line<br />Obter, a partir de bases de dados às quais se teve acesso, informações sobre:<br />• Serviços prestados com mais frequência, por áreas de Inovação (Áreas de Produto, Processos Operacionais, Marketing e Vendas, Administrativo-organizacional, e Tecnologias da Informação e Comunicação)<br />• Empresas de consultoria e os consultores independentes respondentes (localização geográfica, quadro de pessoal, capital social, faturamento, forma de organização societária, clientela e outras)<br />• Outros serviços prestados, definidos a partir de adaptação da tipologia de serviços do IMPACTSCAN<br />
  24. 24. Consulta on-line<br />Questionário encaminhado a partir do CGEE ou diretamente pelas entidades que disponibilizaram os cerca de 8.000 profissionais constantes de bases de dados de várias organizações<br />Instituto Brasileiro de Consultores de Organização – IBCO<br />Conselho Regional de Administração no RJ<br />Instituto Brasileiro de Executivos Financeiros – IBEF/RJ<br />Câmara de Comércio - não identificada aqui-<br />Cadastro de consultores independentes ex-alunos de cursos de desenvolvimento de consultores, e cadastro de pequenas e médias empresas atuantes no Estado do Rio<br />Baixa percentagem de respostas, aproximadamente 2 % do total enviado, equivalente a 186 respondentes<br />
  25. 25.
  26. 26.
  27. 27. Outros resultados obtidos (selecionados)<br />
  28. 28. Consultoria em Inovação (cont.)<br />Terceira etapa: Pesquisa complementar (porém limitada), conduzida com o objetivo de ampliar os resultados obtidos na segunda etapa da pesquisa (consulta on-line).<br />Foco na identificação e no levantamento de dados básicos sobre empresas que efetivamente prestam serviços de Aconselhamento e Assessoramento (conforme a definição do IMPACTSCAN).<br />Busca de melhor identificação do papel desempenhado pelas consultorias juntamente com os outros atores/intermediários.<br />Adoção de uma categorização para as atividades de Consultoria, a fim de facilitar a busca de informações e orientar a coleta de dados:<br />
  29. 29. Categorização das atividades de Consultoria para uso na terceira etapa<br />Consultoria estratégica - empresas de consultoria atuantes em novos modelos de negócios, análise de mercados, posicionamento e operações;<br />Consultoria em TI – empresas de consultoria com atuação nas áreas tecnologias da informação e comunicação, e seu alinhamento com a estratégia empresarial;<br />Consultoria em qualidade - empresas de consultoria voltadas para inovações de processos, produtos e organizacionais;<br />Consultoria tecnológica - empresas de consultoria atuantes nas áreas de tecnologia, avaliação, valoração, previsão tecnológica, análise de risco, e outras;<br />Consultoria de PME - empresas de consultoria voltadas para as necessidades específicas de pequenas empresas;<br />Consultoria organizacional;<br />Consultoria em inovação - empresas de consultoria voltadas para gestão da inovação, cultura de inovação e tópicos afins;<br />Consultoria de produtos - empresas de consultoria com atuação no planejamento de novos produtos, incluindo design.<br />
  30. 30. Empresas de consultoria e suas áreas de atuação<br />
  31. 31.
  32. 32. Construção da Matriz M2 no estudo<br />Adoção da tipologia de serviços de inovação proposta no IMPACTSCAN.<br />“Atores” intermediários (diretamente relacionados às empresas que buscam a inovação) foram identificados a partir dos serviços de inovação que podem prestar. <br />

×