Your SlideShare is downloading. ×
Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro: Hugo Cálão, 2008
Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro: Hugo Cálão, 2008
Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro: Hugo Cálão, 2008
Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro: Hugo Cálão, 2008
Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro: Hugo Cálão, 2008
Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro: Hugo Cálão, 2008
Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro: Hugo Cálão, 2008
Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro: Hugo Cálão, 2008
Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro: Hugo Cálão, 2008
Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro: Hugo Cálão, 2008
Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro: Hugo Cálão, 2008
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro: Hugo Cálão, 2008

268

Published on

Recolha iconografia sobre São Paulo na Diocese de Aveiro in revista "Igreja Aveirense" 2008, nas comemorações do ano jubilar dedicado a São …

Recolha iconografia sobre São Paulo na Diocese de Aveiro in revista "Igreja Aveirense" 2008, nas comemorações do ano jubilar dedicado a São
Paulo, celebrando os dois mil anos decorridos do seu nascimento.

Published in: Social Media
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
268
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Caminhar com Paulo pela Diocese de Aveiro “São Paulo dizia a uma das suas Igrejas: quem adoece aì, que eu não adoeça também? quem se queima num dedo, que eu não sinta logo a arder o dedo da minha mão? Eu quero, se Deus me ajudar, ser assim também um pequeno São Paulo para esta Igreja; quero sofrer com aqueles que sofrem, quero queimar-me ao mesmo fogo dos que padecem.” D. João Evangelista de Lima Vidal, Bispo de Aveiro1 O presente trabalho, que apresentamos, nasceu da vontade de um envolvimento por parte da Diocese de Aveiro nas comemorações do ano jubilar dedicado a São Paulo2, celebrando os dois mil anos decorridos do seu nascimento. Deste modo, intentaremos fazer uma breve viagem pelas representações iconográficas de São Paulo presentes nas igrejas paroquiais, lugares de culto e lugares de memória da diocese aveirense. Desde o aceitar da Igreja de Cristo como instituição que os apóstolos Pedro e Paulo foram reconhecidos como os seus dois pilares principais. Iconograficamente são, na maior parte das vezes, representados em conjunto, coincidindo o dia das suas invocações a 29 de Junho de cada ano. Nas nossas igrejas e capelas interiores das mesmas, especialmente nas dedicadas a São Pedro, aparece-nos desta forma também São Paulo, lado a lado, em alguns casos frente a frente, cruzando o olhar, relembrando-nos o seu papel estruturador ao nível doutrinário e evangelizador do cristianismo. São Paulo aparece representado quase sempre de pé, segurando como atributos mais comuns: o livro das epístolas, atributo genérico comum a todos os apóstolos e uma espada desembainhada, símbolo do seu martírio (decapitação) e, igualmente, da sua mensagem cristã. A calvície e a barba comprida são também atributos correntes, em contraste com as representações de São Pedro normalmente de barba mais curta e encaracolada. O cesto de vime, instrumento usado na Fig. 1 – SÃO PAULO; Igreja da Misericórdia de Aveiro, século XVI (2ªmetade), escultura de vulto em pedra calcária, SCMA 821/1/1. Proveniente da demolida Matriz de São Miguel de Aveiro. sua evasão de Damasco, auxiliando-o no descer das muralhas, é também um dos seus atributos, sendo por esta razão invocado pelos 1 Discurso de Sua Exª Rev. Senhor D. João Evangelista de Lima Vidal, bispo de Aveiro, por ocasião da sua entrada solene e restauração do bispado de Aveiro a 11 de Dezembro de 1938, in jornal Correio do Vouga, nº410, 17/12/1938, p.4. 2 Nota Pastoral do Bispo de Aveiro D. António Francisco dos Santos, “Aprender com Paulo... Propósito da Igreja Aveirense”, in Igreja Aveirense, Comissão Diocesana de Cultura, nº2, 2008, pp.19-23.
  • 2. cesteiros. Sendo “fabricante de tendas” após a sua chegada a Corinto (Act.18,3), é também padroeiro dos brunidores e dos fabricantes de cordas. A devoção popular recorre ainda a São Paulo contra as tempestades, por este se ter salvo num naufrágio no mar de Malta, e contra as mordeduras de cobras, por o santo ter ficado imune à mordedura de uma víbora venenosa.3 A. São Paulo na cidade de Aveiro Na demolida igreja matriz de São Miguel de Aveiro, existia um altar dedicado aos apóstolos São Pedro e São Paulo4, gerido por irmandade daquela invocação, cujos irmãos eram na sua maioria clérigos5. Nesta irmandade, admitiam-se também pessoas seculares, pagando jóia e anuidade, estando os médicos isentos de pagamento, desde que tratassem gratuitamente os irmãos enfermos. 6 Era dotada de vários legados com obrigação de missas, tendo também, os irmãos como obrigação assistirem aos moribundos, acompanharem os cadáveres dos irmãos falecidos e rezarem ofício de sepultura, na igreja em que fossem enterrados. Recebeu por uma Bula do Papa Gregório XIII, datada de 22 de Julho de 1684, indulgência plenária e remissão de pecados aos que visitando esta igreja em dia de São Pedro e São Paulo, comungassem e se confessassem. Fig. 2 – SÃO PAULO e SÃO PEDRO; Igreja da Misericórdia de Aveiro, século XVI, 2ª metade, pedra calcária. 3 MARQUES, Cón. António Fernando, Iconografia de São Paulo, in Agência Ecclesia, (www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?id=68176). 4 GASPAR, João Gonçalves, A Diocese de Aveiro: Subsídios para a sua História. Aveiro. Edição da Cura Diocesana de Aveiro 1964, p. 132. Este autor refere que se situava do lado da epístola e era dedicada aos apóstolos São Pedro, São Paulo e Santo André, com respectivas imagens de pedra. 5 QUADROS, José Reinaldo Rangel de, Aveiro – Apontamentos Históricos, ed. Câmara Municipal de Aveiro, 2009, p.38. 6 QUADROS, José Reinaldo Rangel de, Aveiro – Apontamentos Históricos... op.c., pp. 69-70.
  • 3. A igreja matriz de São Miguel, já existente no século XIV foi a igreja mais importante de Aveiro até inícios do século XIX, quando por ocasião das lutas Liberais, e segundo se diz, devido ao seu orago (São Miguel), foi ordenada a sua demolição em 18357. As imagens de São Paulo e São Pedro transitaram posteriormente para a igreja de Nossa Senhora da Misericórdia do extinto Convento de São Domingos de Aveiro, então adaptada a matriz paroquial da recém criada freguesia de Nossa Senhora da Glória. Aí permaneceram pouco tempo tendo sido, mais tarde, colocadas nos nichos de fachada da igreja da Misericórdia de Aveiro8, onde actualmente se encontram. Também, na demolida igreja matriz da Vera Cruz de Aveiro, existiram as esculturas de São Paulo e de São Pedro, de temática renascentista em pedra calcária e tamanho perto do natural, adaptadas no arco-cruzeiro, que actualmente se encontram no Museu de Aveiro.9 O único edifício totalmente dedicado ao Apóstolo São Paulo na cidade de Aveiro existia na Freguesia da Vera Cruz, igreja hoje inexistente, próxima do local da demolida igreja matriz da Vera Cruz. A igreja de São Paulo existiria já em 1575 tendo-lhe legado Mateus Fernandes Rapette, em seu testamento desta data, diversos bens com obrigação de missas10. Também se depreende pelos estatutos da Confraria de mareantes e pescadores de Santa Maria de Sá de Aveiro, datado de 7 de Fig. 3 – SÃO PAULO; Paróquia de Oiã, século XVII, pintura sobre madeira, 138 alt x 36 larg. Proveniente do demolido Convento de Santa Ana de Coimbra. Julho de 1577, que a capela de São Paulo era de alguma dimensão, informando os oficiais a obrigação de que “...a caixa da Confraria de Nossa Senhora esteja sempre em Vila Nova (Vera Cruz), que se entenda, da ponte até à Igreja de São Paulo, por ser o limite onde vivem a maior parte dos mareantes e pescadores que instituíram a dita 7 Alvará de 11 de Outubro de 1835, do Governo Civil de Aveiro. Vd. CHISTO, António, e GASPAR, João Gonçalves, Calendário Histórico de Aveiro, ed. Câmara Municipal de Aveiro, 1987, p. 405. 8 Hoje pertence ao espólio da Santa Casa da Misericórdia de Aveiro. Ver mais pormenorizadamente em: Santa Casa da Misericórdia de Aveiro, A Arte na Misericórdia Inventariar e Divulgar. Roteiro, Aveiro, 2007, pp.51-52. (Ver figuras 1 e 2) 9 Museu de Aveiro, escultura de vulto, São Paulo (M.A. 173/B), 174 alt x 61 larg x 36 prof e São Pedro (M.A. 181/B). 10 AHMA, QUADROS, José Reinaldo Rangel de, Capelas e Ermidas – São Paulo, in Aveiro – Apontamentos Históricos, vol. 3.p.67.
  • 4. Confraria, da qual caixa haverá três chaves e terá cada oficial a sua.” 11 Supõe-se que a igreja de São Paulo tenha sido construída no século XIV, no reinado de D. Fernando I, e já não existiria em 1687, visto Cristóvão de Pinho Queimado não lhe fazer menção na sua Memória sobre a Vila de Aveiro12, erguendo-se no seu local o cruzeiro da Matriz da Igreja da Vera Cruz. A respectiva imagem de São Paulo terá transitado para a Matriz da Vera Cruz de Aveiro. Efectivamente em inventário de 14 de Agosto de 191113, consequência da lei de Separação do Estado da Igreja de 20 de Abril de 1911, é arrolado o património móvel de todas as igrejas da paróquia da Vera Cruz de Aveiro, sendo referido que, no então edifício em construção da igreja da Vera Cruz (edifício em obras desde 1876 que nunca chegou a ser concluído e demolido após 1920), para além das imagens de São Paulo e São Pedro do arco-cruzeiro, já referidas, existiria uma imagem mais pequena de São Paulo em pedra, que cremos ser a primitiva desta igreja. Grande parte do espólio de escultura em pedra da demolida igreja da Vera Cruz incorporou, a 11 de Novembro de 191114, a colecção do Museu de Aveiro, pelo que hoje essa referida imagem de São Paulo se encontra em exposição permanente no Museu.15 B. São Paulo na Diocese de Aveiro Ao contrário do que acontece noutras dioceses nacionais, das 101 paróquias da diocese de Aveiro nenhuma é de invocação a São Paulo. Consequentemente a representação do santo não será demasiado extensa. Das 15 representações de São Paulo, que até ao momento identificámos nas paróquias de Aveiro, faremos de seguida sucinta descrição. 1. Paróquia de Aradas (São Pedro) – Aveiro A imagem de São Paulo existente na paróquia de São Pedro de Aradas, próxima da cidade de Aveiro, encontra-se 11 Fig. 4 – SÃO PAULO; Paróquia de Aradas, Igreja de São Sebastião, século XV-XVI, escultura de vulto em pedra calcária policromada e dourada. Proveniente da demolida Igreja Matriz de São Pedro de Aradas. APVCA, Tombo da Confraria de Santa Maria de Sá de Aveiro, 1418-1712, f.2. NEVES, Francisco Ferreira, Memória sobre Aveiro de Pinho Queimado, in ADA, vol. 3, nº10. Aveiro, 1937, p. 95. 13 AHMA, Arrolamentos da Freguesia da Vera Cruz de Aveiro, Inventário de 14 de Agosto de 1911. 14 GOMES, João Augusto Marques, História do Museu Regional de Aveiro, 1921, p.18-21. NEVES, Francisco Ferreira Neves, Subsídios para a História do Museu de Aveiro, in “ADA”, vol.41, 1975, p.246. Sobre este assunto Vd. COSTA, Madalena Formigal Cardoso da, “A colecção de escultura em Pedra do Museu de Aveiro – As pedras da Vera Cruz”, in revista Museu, 2006, nº15, Pub. Círculo José de Figueiredo, pp.115-156. 15 Museu de Aveiro, escultura de vulto, São Paulo (M.A. 175/B), 125 alt x 50 larg x 31 prof. 12
  • 5. hoje na igreja dedicada a São Sebastião, edifício moderno construído no alto da Pinheira no lugar de Aradas, tendo transitado da primitiva igreja de São Sebastião, situada na rua Direita de Aradas, em frente da Capela de Nossa Senhora de Lurdes pertencente à Junta de Freguesia de Aradas, e demolida na década de 70 de 1900. Sabe-se hoje, que esta igreja de São Sebastião, teria recebido o espólio da vasta matriz dedicada a São Pedro de Aradas, situada junto ao esteiro de São Pedro, próximo da Quinta da Boa Vista, e demolida em 1840 quando se construiu a actual matriz no sítio do Outeirinho em Verdemilho. 2. Paróquia de São Jacinto (Virgem das Areias) – Aveiro A imagem de São Paulo existente na Igreja Matriz de Nossa Senhora das Areias, (ver figura 5) na praia de São Jacinto, provém do retábulo da capela-mór da igreja do Convento da Madre de Deus de Sá de Aveiro. Este convento, existente durante duzentos e quarenta anos em Aveiro (de 1644, data da fundação, até 1885, data sua extinção), pertencia á Ordem Terceira de São Francisco, fazendo parte da Província da Soledade, estando sujeito ao respectivo Provincial. Foi a quinta casa religiosa a ser erecta em Aveiro16, sendo vulgarmente conhecida como Convento de Sá, devido à sua localização no sítio ou bairro denominado de Sá, que outrora formava uma povoação completamente separada de Aveiro, um enclave que pertencia, na jurisdição civil, ao concelho de Ílhavo, entre a freguesia da Vera Cruz de Aveiro e a freguesia de Santo André de Esgueira. Tratando-se de um dos dois casos de casas Fig. 5 – SÃO PAULO; Paróquia de São Jacinto, século XVII, 16831688, escultura de vulto em madeira policromada e estofada. Proveniente do demolido Convento da Madre de Deus de Sá de Aveiro. conventuais totalmente demolida no seu edificado em Aveiro17, o seu património artístico foi disperso por várias paróquias da diocese, nomeadamente a Paróquia da Vera 16 Até então haviam-se fundado dois conventos dominicanos (da Misericórdia em 1423, masculino, e o de Jesus em 1462, feminino) e o de Santo António de Frades Menores da Ordem Terceira de São Francisco da mesma Província da Soledade (1524). Depois vieram os Carmelitas calçados, masculino, de Nossa Senhora do Carmo (1613). Em 1644 o Convento de Sá. Dois ainda se lhe seguiram, o Convento feminino das Carmelitas Descalças de São João Evangelista (1658) e o Recolhimento feminino de São Bernardino de religiosas franciscanas terceiras capuchas (1680), totalizando sete casas conventuais. Vd. AMORIM, Inês, Património e crédito: Misericórdia e Carmelitas de Aveiro (séculos XVII e XVIII), 2006, p. 701. 17 A outra totalmente demolida no seu edificado e Igreja foi o Recolhimento feminino de São Bernardino de Aveiro, de religiosas franciscanas terceiras capuchas que, por alvará de 9 de Outubro de 1835, foi entregue pelo Governo Civil à Câmara Municipal de Aveiro para administração dos bens, tendo sido incorporado na Direcção dos Próprios Nacionais. A Igreja foi demolida após de 1959.
  • 6. Cruz de Aveiro, à qual São Jacinto pertenceu18. No local onde estava implantado foi construído um quartel de infantaria, inaugurado em 1888, hoje ocupado pela Guarda Nacional Republicana de Aveiro. 3. Paróquia de Oiã (São Simão) – Oliveira do Bairro A Igreja Matriz de Oiã19, templo vasto iniciado em 1892, inaugurado em 27 de Outubro de 1901, acolheu grande parte do espólio artístico do demolido Convento de Santa Ana de Coimbra20, de ermitas agostinhas: designadamente, o retábulo da capelamor da igreja, os retábulos colaterais e o cadeiral do coro alto. 21 O extenso cadeiral de 94 cadeiras22, desenvolvido com espaldar de painéis maneiristas, foi adaptado na igreja de Oiã às ilhargas da capela-mor e ilhargas das capelas colaterais. São Paulo aparece representado individualizado na ilharga da capela lateral do lado do Evangelho da nave da igreja, juntamente com painéis de madeira dos apóstolos Santo André e São Matias, de formato idêntico, e inferiormente, com painéis, também de madeira de formato menor, representando Santa Bárbara, Santa Eufémia e Santo Amaro. Fig. 6 – SÁO PAULO NO CAMINHO PARA DAMASCO / CONVERSÃO DE SÃO PAULO; Paróquia de Oiã, século XVII, pintura sobre madeira, 42 alt x 110 larg. Proveniente do demolido Convento de Santa Ana de Coimbra. O santo está também representado num painel inferior no espaldar do cadeiral, adaptado à ilharga da Epístola da capela-mor, que relata o episódio da aparição de Cristo Ressuscitado ao, então, soldado Saulo no seu caminho de Damasco, circunstância motivadora da sua conversão a Apóstolo de Cristo, adoptando doravante o nome de 18 A Igreja de São Jacinto pertencia ao Bispado do Porto, e jurisdição do pároco de Ovar. Em 1856 foi transferida para a Paróquia da Vera Cruz de Aveiro. Instituiu-se paróquia em 3 de Fevereiro de 1953. 19 Vd. www.monumentos.pt, Nº de IPA – PT020114030009. 20 O Convento de Santa Ana de Coimbra situava-se junto à penitenciária de Coimbra. Fundado em 1600 com o patrocínio do Bispo Conde D. Afonso de Castelo Branco, reitor da Universidade de Coimbra (Bispo de Coimbra de 1585 até 1615), seria extinto em 6 de Junho de 1885 por ordem do Ministério dos Negócios Eclesiásticos. 21 GONÇALVES, António Nogueira, Inventário Artístico de Portugal VI, Distrito de Aveiro, Zona Sul, Lisboa, 1959, pp. 208-210.
  • 7. Paulo. Esta pintura representa em primeiro plano São Paulo, em êxtase, caindo do cavalo, apoiado por um dos seus soldados e rodeado de outros empunhando espadas. Na zona superior esquerda, envolto em nuvens, surge Cristo Ressuscitado abrindo os braços, acompanhado de anjos estilizados. (ver figuras 3 e 6) 4. Paróquia de Espinhel (Virgem da Assumpção) – Águeda Existe na Igreja Matriz de Espinhel uma pintura individualizada de São Paulo, que faz conjunto com outra de São Pedro, pinturas sobre madeira seiscentistas representando os apóstolos em tamanho perto do natural.23 Sabe-se que na igreja de Paradela, da paróquia de Espinhel, existiu uma capela dedicada a São Pedro e São Paulo, gerida pelos oficiais da Confraria das Almas da mesma, à qual por documento de 26 de Junho de 1790 foi concedido um Breve de indulgência plenária do Papa Pio VI para o dia 29 de Junho e na segunda feira imediata à oitava dos Apóstolos São Pedro e São Paulo.24 Não conseguimos apurar se as referidas pinturas, hoje Fig. 7 – SÃO PAULO; Paróquia de Belazaima do Chão, século XVIII, escultura de vulto em madeira policromada e estofada, 106 alt x 52 larg existentes na matriz, são provenientes da referida igreja de Paradela. 5. Paróquia de Belazaima do Chão (São Pedro) – Águeda No retábulo da capela-mor da igreja matriz de Belazaima do 25 Chão figura uma imagem de São Paulo, de tipologia setecentista, em simetria com a imagem do orago da paróquia, São Pedro, assentes ambas em peanha e enquadradas por par de colunas compósitas marmoreadas a azul que ladeiam o camarim do retábulo.26 (ver fig. 7) 6.Paróquia de Tamengos (São Pedro)27 – Anadia A imagem em pedra calcária de São Paulo existente na Igreja Matriz de Tamengos28 encontra-se na sacristia da igreja, 23 Fig. 8 – SÃO PAULO; Paróquia de Tamengos, século XVI-XVII, escultura de vulto em pedra calcária policromada, 96 alt x 35 larg x 22 prof. GONÇALVES, António Nogueira, Inventário Artístico de Portugal VI, Distrito de Aveiro, Zona Sul, Lisboa, 1959, p.20. 24 AUC, Cabido e Mitra da Sé de Coimbra, cx. XIV, doc. 35. 25 Vd. www.monumentos.pt, Nº de IPA – PT020101060067. 26 GONÇALVES, António Nogueira, Inventário Artístico de Portugal VI, Distrito de Aveiro, Zona Sul, Lisboa, 1959, p.17. 27 A antiga freguesia de São Pedro de Tamengos, pertencia ao concelho da Mealhada e era priorado da apresentação do cabido da Sé de Coimbra. 28 Vd. www.monumentos.pt, Nº de IPA – PT020103110030.
  • 8. juntamente com a imagem de São Pedro, orago da Paróquia.29 (ver fig. 8) 7. Paróquia de Avelãs de Cima (São Pedro) – Anadia A Igreja M;atriz de São Pedro de Avelãs de Cima30, templo vasto de primitiva construção, data de 117331, com reedificação iniciada em 1714 e concluída em 174032, alberga na banqueta do retábulo da capela-mor, do lado da epístola, uma imagem de São Paulo, em simetria com a imagem de São Pedro, esculturas de madeira de estilo coincidente com o retábulo do terceiro quartel de 1700. (ver figura 9) 8. Paróquia de Mogofores (Virgem da Conceição) – Anadia Na igreja de São Sebastião, igreja secundária perto do cemitério da paróquia, existe um pequeno retábulo de pedra calcária do século XVII33, estilo renascentista decadente. Este retábulo incorpora um sacrário na zona central, ladeado de dois Fig. 9 – SÃO PAULO; Paróquia de Avelãs de Cima, século XVIII (2ª metade), escultura de vulto em madeira policromada e dourada, 93 alt x 38 larg x 30 prof . nichos moldurados com as imagens de São Pedro e São Paulo em relevo. 9. Paróquia de Beduído (São Tiago) – Estarreja A imagem de São Paulo existente na igreja de Santa Bárbara34 pertence ao conjunto escultórico do retábulo renascentista do Sacramento, proveniente da Igreja Matriz de São Tiago de Beduído. Este conjunto está adaptado à igreja de Santa Bárbara tendo-se transformado o espaço do primitivo sacrário a nicho com imagem da padroeira. O retábulo com policromia, datado de 1582, desenvolve-se em altura com dois corpos 29 Fig. 10 – SÃO PAULO; Paróquia de Beduído, século XVI, 1582, escultura adossada em pedra calcária policromada. Proveniente da igreja matriz de São Tiago de Beduído. GONÇALVES, António Nogueira, Inventário Artístico de Portugal VI, Distrito de Aveiro, Zona Sul, Lisboa, 1959, p. 93. 30 Vd. www.monumentos.pt, Nº de IPA – PT020103050017. 31 GONÇALVES, António Nogueira, Inventário Artístico de Portugal VI, Distrito de Aveiro, Zona Sul, Lisboa, 1959, pp. 73-75. 32 AUC, Cabido e Mitra da Sé de Coimbra, cx. II, doc. 34. Petição de 12 de Setembro de 1740, apresentada por Sebastião Pereira de Miranda, prior de São Pedro de Avelãs de Cima e pelo juiz da igreja para se retirar algum dinheiro a fim de ajudar ao restauro da capela-mor da dita igreja. 33 GONÇALVES, António Nogueira, Inventário Artístico de Portugal VI, Distrito de Aveiro, Zona Sul, Lisboa, 1959, p. 78. 34 Vd. www.monumentos.pt, Nº de IPA – PT020108020004.
  • 9. distintos, subdivididos em três panos de nichos reentrantes, figurando no superior a imagem do Salvador, axialmente, ladeado de dois anjos músicos, e no inferior a imagem da padroeira, axialmente, ladeada por São Paulo do lado da Epístola e São Pedro do lado do Evangelho.35 10. Paróquia de Albergaria-a-Velha (Santa Cruz) – Albergaria-a-Velha A imagem de São Paulo em madeira, existente do lado do Evangelho na banqueta do retábulo da capela-mor da Igreja Matriz de Albergaria36, faz pendant com São Pedro de igual produção. A igreja matriz de Albergaria foi fundada em 23 de Julho de 1695 tendo sido o retábulo da capela-mor e respectivas imagens adaptados nessa ocasião. A igreja sofreu um grande incêndio37 no dia 4 de Agosto de 1759, salvando-se unicamente o retábulo da capela-mor, reconstruindo-se os retábulos da nave e decoração do arco-cruzeiro no terceiro quartel de oitocentos. 11. Paróquia de São João de Loure (São João Baptista) – Albergaria-a-Velha Fig. 11 – SÃO PAULO; Paróquia de Albergaria-aVelha, século XVII-XVIII, 1695-1715, escultura de vulto em madeira policromada e estofada, 68 alt x 32 larg x 22 prof. Temos conhecimento de uma imagem de São Paulo existente numa igreja secundária de São João de Loure dedicada actualmente a Nossa Senhora do Livramento e de antiga invocação de São Silvestre. O antigo retábulo de pedra calcária da segunda metade do século XVI encontra-se adaptado na frontaria da igreja onde figura a escultura de São Silvestre. As esculturas de São Paulo e São Pedro daquele conjunto encontram-se no actual retábulo da capela-mor.38 12. Paróquia de Angeja (Virgem das Neves) – Albergaria-a-Velha Na sacristia da Igreja Matriz de Angeja existem diversas esculturas provenientes de outras capelas da paróquia. Entre estas, existe uma imagem seiscentista de São Paulo de madeira policromada a branco e ouro, que faz conjunto com a imagem de São Pedro 35 GONÇALVES, António Nogueira, Inventário Artístico de Portugal X, Distrito de Aveiro, Zona Norte, Lisboa, 1981, p. 15. (ver figura 10) 36 Vd. www.monumentos.pt, Nº de IPA – PT020102010008. 37 GONÇALVES, António Nogueira, Inventário Artístico de Portugal VI, Distrito de Aveiro, Zona Sul, Lisboa, 1959, pp. 51-52. 38 GONÇALVES, António Nogueira, Inventário Artístico de Portugal VI, Distrito de Aveiro, Zona Sul, Lisboa, 1959, p. 65.
  • 10. da mesma produção, proveniente do retábulo pétreo da igreja de São Gregório, situada na rua da Pereira em Angeja. 13. Paróquia de Covão do Lobo (São Salvador)39 – Vagos Na Igreja Matriz de São Salvador de Covão do Lobo40 existe uma escultura de pedra calcária de tamanho médio de São Paulo, com inscrição incisa datada de 1663 na base. (ver figura 13) Faz-lhe conjunto uma imagem de São Pedro de igual fabrico. Possivelmente provenientes da primitiva e demolida igreja da freguesia, que se crê ter existido no actual lugar da Igreja Velha, entre Covão e Andal, terão transitado para a actual41. 14. Santuário de Schoensatt – Ílhavo A pequena capelinha do Santuário de Schoenstatt, réplica do santuário da pequena aldeia alemã de Schoenstatt, está situada Fig. 12 – SÃO PAULO; Paróquia de Covão do Lobo, século XVII, 1663, escultura de vulto em pedra calcária policromada, 83 alt x 26 larg x 17 prof. na zona florestal da Colónia Agrícola na freguesia da Gafanha da Nazaré em Ílhavo. Alberga um pequeno retábulo de madeira entalhada, proveniente da cidade de Rio Grande do Sul, no Brasil e fabricado pela comunidade masculina dos irmãos de Maria do Centro Tabor, inaugurado em 21 de Outubro de 1979. Ao centro do retábulo figura pintada a padroeira do Centro Tabor, a Virgem Mãe Três Vezes Admirável, ladeada pelos apóstolos São Paulo, do lado do Evangelho e São Pedro em pendant, ambos de madeira entalhada, sem policromia. (ver figura 13) Fig. 13 – SÃO PAULO; Santuário de Schoensatt em Ílhavo, 1979, escultura de vulto em madeira envernizada. 39 O cura da paróquia de Covão do Lobo era da apresentação do vigário da paróquia de São Tomé de Mira, por sua vez dependente do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. Competia à igreja de Santa Cruz de Coimbra a conservação da capela-mor e sacristia da igreja de Covão do Lobo, bem como os seus ornatos e paramentaria. Em 1840, a freguesia de Covão do Lobo pertencia ao concelho de Vagos, passando a fazer parte do concelho de Mira pelo decreto de 31 de Dezembro de 1853. Foi anexada novamente ao concelho de Vagos pelo decreto de 24 de Outubro de 1855. 40 Vd. www.monumentos.pt, Nº de IPA – PT020118020015. 41 GONÇALVES, António Nogueira, Inventário Artístico de Portugal VI, Distrito de Aveiro, Zona Sul, Lisboa, 1959, p. 216.
  • 11. Bibliografia: AMORIM, Inês, Património e crédito: Misericórdia e Carmelitas de Aveiro (séculos XVII e XVIII), 2006. COSTA, Madalena Formigal Cardoso da, “A colecção de escultura em Pedra do Museu de Aveiro – As pedras da Vera Cruz”, in revista Museu, nº15, Pub. Círculo José de Figueiredo, 2006, pp.115-156. CHISTO, António, e GASPAR, João Gonçalves, Calendário Histórico de Aveiro, ed. Câmara Municipal de Aveiro, 1987. GASPAR, João Gonçalves, A Diocese de Aveiro: Subsídios para a sua História. Aveiro. Edição da Cura Diocesana de Aveiro 1964. GOMES, João Augusto Marques, História do Museu Regional de Aveiro, 1921. GONÇALVES, António Nogueira, Inventário Artístico de Portugal VI, Distrito de Aveiro, Zona Sul, Lisboa, 1959. GONÇALVES, António Nogueira, Inventário Artístico de Portugal X, Distrito de Aveiro, Zona Norte, Lisboa, 1981. MARQUES, Cón. António Fernando, Iconografia de São Paulo, in Agência Ecclesia (online). NEVES, Francisco Ferreira Neves, Subsídios para a História do Museu de Aveiro, in “ADA”, vol.41, 1975, pp. 241-260. NEVES, Francisco Ferreira, Memória sobre Aveiro de Pinho Queimado, in ADA, vol. 3, nº10. Aveiro, 1937. QUADROS, José Reinaldo Rangel de, Aveiro – Apontamentos Históricos, ed. Câmara Municipal de Aveiro, 2009. QUADROS, José Reinaldo Rangel de, “Capelas e Ermidas – São Paulo”, in Aveiro – Apontamentos Históricos, vol. 3. (AHMA, não editado) RODRIGUES, Alice C. Godinho, RODRIGUES, Filomena Maria Matos Ala, Instituições Pias (séc. XVIXX) em documentação do Cabido e Mitra da Sé de Coimbra, Coimbra, Pub. Arquivo da Universidade de Coimbra, 1987. ROIG, Juan Ferrando, Iconografia de los Santos, Barcelona, Ediciones Omega, 1950. Santa Casa da Misericórdia de Aveiro, Roteiro: A Arte na Misericórdia Inventariar e Divulgar, Aveiro, 2007. SANTOS, D. António Francisco dos, Nota Pastoral do Bispo de Aveiro “Aprender com Paulo... Propósito da Igreja Aveirense”, in Igreja Aveirense, Comissão Diocesana de Cultura, nº2, 2008. Fontes: (AHMA) Arquivo Histórico Municipal de Aveiro, Arrolamentos da Freguesia da Vera Cruz de Aveiro, Inventário de 14 de Agosto de 1911. (APVCA) Arquivo da Paróquia da Vera Cruz de Aveiro, Tombo da Confraria de Santa Maria de Sá de Aveiro, 1418-1712. (AUC) Arquivo da Universidade de Coimbra, Cabido e Mitra da Sé de Coimbra. Internet: http://www.monumentos.pt http://www.matriznet.ipmuseus.pt http://www.agencia.ecclesia.pt Hugo Cálão Tec. Superior de Inventário e Conservação Mestrando em História e Património

×