Regina Cianconi - Fontes de informação na Web (nov-2010)

4,259 views

Published on

Apresentação da Prof. Regina Cianconi, na disciplina de Fontes de informações gerais e especializadas, ministrada pela Prof. Vera Breglia, sobre as Fontes de informação na Web.

Published in: Education, Technology

Regina Cianconi - Fontes de informação na Web (nov-2010)

  1. 1. Fontes de Informação na Web Profa . Regina Cianconi Out. 2010 Universidade Federal Fluminense - UFF Instituto de Artes e Comunicação Social - IACS Departamento de Ciência da Informação - GCI
  2. 2. Usuários de Informação  Pesquisador/docente – requer informação exausiva e pouco elaborada de seu campo de investigação (monografías, dissertações, teses, etc);  Usuário de empresas e órgãos de governo – necessita de informação específica e elaborada sobre problemas concretos. Entre as fontes mais utilizadas estão os periódicos;  Gestor, profissional em cargo de direção, planejamento, político, administrador – exige informação trabalhada, sintetizada, com alto valor agregado. Entre as fontes mais utilizadas estão os periódicos, informes, relatórios técnicos, notícias;  Usuário da comunidade – requer informação muito variada, dependendo da atividade exercida ou do interesse sobre temas da atualidade. As fontes podem ser didáticas, noticiosas, material de referência, manuais, guias, etc.
  3. 3. Necessidades de informação Cognitivas Emocionais Situacionais Fonte: Adaptado de Miranda (2007). Saber Fazer SaberAgir Saber/conhecer Competência Informacional
  4. 4. Necessidades de informação Maior eficácia em solucionar questões do dia-a- dia. =Necessidades de informação Competência informacional +
  5. 5. Necessidades de InformaçãoNecessidades de Informação  Quanto ao formato de apresentação: • dados estruturados e/ou não estruturados; • numéricos e/ou textuais; • gráficos, imagens, som, vídeos.
  6. 6. Necessidades de Informação Operacional – para auxiliar a resolver determinado problema operacional ou para permitir o controle de atividades e processos; Gerencial – Para apoiar ou facilitar a tomada de decisão; Analítica – para uma atividade de pesquisa ou estudo histórico.  Quanto à finalidade:
  7. 7. Necessidades de Informação Busca por um item conhecido, específico - necessidade de localizar uma determinada informação/documento; Busca por um assunto – necessidade de se obter informações/documentos de assuntos determinados, ou capazes de responder a uma questão;  Quanto ao aspecto procurado:
  8. 8. Necessidades de Informação Informação corrente - para atualização e reciclagem sobre novos desenvolvimentos em determinado campo de especialização; Informação retrospectiva ou histórica - conjunto de informações existentes sobre uma área de atividade ou campo de atuação.  Quanto à cobertura temporal:
  9. 9. Comportamento de Busca e Uso da Informação Em cada etapa da busca da informação, o usuário passa por experiências em três campos:  emocional (sentimento),  cognitivo (pensamento)  físico (ação).  Os estudos sobre o uso da informação reconhecem que as necessidades de informação são ao mesmo tempo emocionais e cognitivas, e que as reações emocionais quase sempre orientam a busca da informação. (CHOO, 2005)
  10. 10.  Influenciado pelas atitudes do indivíduo em relação à informação e aos recursos e caminhos utilizados em sua busca.  Essas atitudes, por sua vez, são frutos da educação, do treinamento, da experiência anterior, das preferências pessoais, do estado psicológico do indivíduo, etc Comportamento de Busca e Uso da Informação
  11. 11. Percepção dos “vazios cognitivos” Foram feitos alguns estudos sobre a criação de significado que levaram a 3 categorias, conforme a forma das pessoas perceberem seus vazios cognitivos e o que elas fazem para transpor esses vazios.  Primeira: são as paradas de situação, ou seja, como as pessoas percebem o vazio em seu caminho. Existem algumas situações:  Parada de decisão  Parada de barreira  Parada de rotatória  Parada de inundação  Parada de problemática  Segunda: são os questionamentos para transpor o vazio.  Terceira: como é usada a informação obtida. Fonte: CHOO (2005)
  12. 12. Processo de Busca por Informação 1 - Iniciação 2 - Seleção 3 - Exploração 4 - Formulação 5 - Coleta 6 - Apresentação Reconhecer a necessidade de informação Identificar um tema geral Investigar as informações sobre o tema geral Formular o foco Reunir as informações pertencentes ao foco Completar a busca de informação Insegurança Otimismo Confusão, frustração, dúvida Clareza Senso de direção, confiança Alívio, satisfação, desapontamento Sentimentos comuns a cada estágio Tarefa apropriadaEstágios Fonte: CHOO (2005)
  13. 13.  Visão indireta – o indivíduo é exposto à informação sem qualquer propósito específico. Não tem consciência sobre o que poderá aflorar. A visão indireta ocorre o tempo todo e alerta o indivíduo de que algo acontecerá e que há mais a aprender. Ocorre, por exemplo, quando um gerente conversa com os pares em encontros sociais, ou quando alunos e professores se encontram em redes sociais;  Visão condicionada - o usuário é exposto à informação sobre alguns tópicos selecionados ou algum tipo de informação específico. Um exemplo é a leitura de seções de jornais e revistas que tratem regularmente de assuntos específicos; Modelos de Busca por Informação
  14. 14.  Busca informal – o usuário busca a informação para usá- la em algum tópico específico e de modo não estruturado. Um exemplo é o monitoramento do mercado financeiro para checar os resultados da política de preços de um novo produto;  Busca formal – o usuário faz um plano de esforço deliberado para obter uma determinada informação. Por exemplo, a obtenção sistemática de informações para avaliar e prospectar uma aquisição para a organização; elaboração de uma monografia. Modelos de Busca por Informação
  15. 15. Visão indireta: início e encadeamento Visão condicionada: navegação, diferenciação, monitoramento • Apresente aos usuários sites de buscas ou portais que tenham recomendações de links para sites; • Estimule pessoas de um grupo a compartilhar sites avoritos (social bookmarks) ; • Selecione ou projete portais corporativos para dar suporte à visão aleatória de sites; Treine usuários a avaliar e estabelecer prioridades em relação à importância da informação para eles; • Facilite o compartilhamento de informações da Web via e-mail ou em foruns online; • Apresente os usuários a serviços que permitam “assinaturas” como “RSS feeds” para serem notificados de atualizações nas páginas; Fonte: Adaptado de CHOO; DETLOR; TURNBULL (2009), Sugestões para incrementar o uso da Web pelas Organizações
  16. 16. Busca informal: diferenciação, monitoramento • Pré-selecione fontes e ferramentas de busca de boa qualidade para buscas mais rápidas; • Prepare boas estratégias de busca com ajuda de especialistas em buscas e deixe os usuários aprenderem a partir delas; • Ensine os usuários a avaliar fontes de informação; Busca formal: extração • Ensine os usuários a conhecer o grande espectro de fontes de informação: impressas, online, humanas (e institucionais); • Ensine os usuários a usar bases de dados acadêmicas e comerciais, serviços de busca profissionais; • Treine usuários em estratégias de busca avançadas: especificar e generalizar uma busca, balancear precisão e revocação. Fonte: Adaptado de CHOO; DETLOR; TURNBULL (2009), Sugestões para incrementar o uso da Web pelas Organizações
  17. 17. Busca por Informação  Análise da literatura para o embasamento teórico do estudo, a partir de documentos em papel e/ou na web.  Consultas: - ferramentas de busca; - bases de dados de teses e dissertações; - periódicos científicos;. - a partir do endereço http da fonte; - uso de filtros sociais: blogs, listas de discussão, conversas em chats ou e-mail.  Busca por informações que complementem ou auxiliem a pesquisa, por exemplo, a nova ortografia da lingua portuguesa, legislação, normas padrões, etc.
  18. 18. Fontes Primárias  Aquelas que se apresentam tal como elaboradas pelo(s) autor(es). Como: • atlas e mapas • anais (de congressos, simpósios, encontros, painéis) • periódicos (revistas, jornais, boletins) • livros • legislação • dissertações • teses • relatórios técnicos • listas de discussão, fóruns • blogs • wikis
  19. 19. Fontes Secundárias  Aquelas que remetem a fontes primárias, em que há a participação de um produtor, de um organizador. Como: • bibliografias, • dicionários e glossários • enciclopédias • publicações e periódicos de indexação e resumos • artigos de revisão • catálogos • bases de dados • índices • diretórios • guias • portais de acesso à informação na web • bibliotecas virtuais
  20. 20. Fontes Secundárias Gerais Online  Dicionários Gerais Online - http://www.dicionarios- online.com/gerais.html - Links para dicionários, glossários, enciclopédias, atlas, e outras obras de referência em português na Internet  Dicionário para o I-phone - http://www.blogdoiphone.com/2009/12/dicionario-michaelis- ingles/  Enciclopédia Digital Master Online 2010 - http://www.enciclopedia.com.br/  Biblioteca Digital Mundial - http://www.wdl.org/pt/# - disponibiliza gratuitamente e em formato multilíngue, fontes provenientes de países e culturas de todo o mundo, como: manuscritos, mapas, livros raros, gravações, filmes, gravuras, fotografias, desenhos arquitetônicos e outros tipos de fontes.
  21. 21. Fontes Terciárias  Aquelas elaboradas a partir de fontes secundárias. Como: • bibliografias de bibliografias • catálogos (listas) de catálogos de bibliotecas; • Almanaques Serviços: • COMUT - http://www.ibict.br/secao.php?cat=COMUT • CATÁLOGO COLETIVO NACIONAL - ccn.ibict.br/
  22. 22. Ferramentas de Busca Google – http://www.google.com/ Google acadêmico - http://scholar.google.com.br/schhp? hl=pt-BR Google Books - http://books.google.com/ Bing - http://www.bing.com/ Teoma - http://www.teoma.com/ Yahoo - http://br.yahoo.com/
  23. 23. Para Avaliar uma Fonte Digital  Examine as referências e citações e identifique:  Autor;  Título;  Editora/fonte;  Data;  Informações sobre a publicação, comentários nas redes sociais.
  24. 24. Autor  Quais são as credenciais do autor - filiação institucional (onde ele trabalha), escolaridade, experiência? O texto é escrito sobre um tema na área de especialização do autor? O que o autor anda produzindo em termos de textos, vídeos, slides?  O autor foi recomendado por quem? Você já viu seu nome citado em fontes ou bibliografias? O autor é associado a uma instituição ou organização? Quais são os valores básicos e objetivos da organização ou instituição? Fonte: CHOO; DETLOR; TURNBULL (2000)
  25. 25. Data e Local da Publicação  Quando o texto foi publicado?  Nas páginas da Web, a data da última revisão costuma ficar no final da página inicial. Local da Publicação  Qual o país/ região – aspecto cultural?
  26. 26. Edição ou Revisão  É a primeira edição da publicação? Obs. Muitas impressões ou edições podem indicar que o trabalho é uma fonte confiável.  Na Web, verifique se as páginas indicam as datas de revisão.
  27. 27. Fonte/Editora  É científica, universitária? Obs. Em caso positivo deve ser fonte confiável, embora não necessariamente de qualidade.  Atualizada?  Referendada?
  28. 28. Título do Periódico  É periódico científico ou popular? Obs. Esta distinção é indica diferentes níveis de complexidade e confiabilidade da fonte.  Para periódicos nacionais ver a relação Qualis, da CAPES: http://qualis.capes.gov.br/webqualis/ Ou  http://www.periodicos.capes.gov.br/portugues/index.js p  Central online _ openacess library - http://www.sref.org/cool/index.php?op=geosciences
  29. 29. Periódicos de Revisão  Procure uma fonte de revisão como Book Review Index - http://www.gale.cengage.com/BRIOnline/request.htm (serviço pago).  Comentários em sites de livrarias, ou em blogs.  As revisões são positivas?
  30. 30. Fontes Institucionais  CNPQ: http://www.cnpq.br/  CAPES: http://www.capes.gov.br/  Governo Eletrônico (e-gov): http://www.e.gov.br/  Estrutura do governo e links para os órgãos do executivo, legislativo e judiciário, federais, estaduais, municipais: http://www.e.gov.br/DefaultCab.asp? url=http://www.siorg.redegoverno.gov.br  Fundação Biblioteca Nacional: http://www.bn.br/portal/  Arquivo Nacional, Brasil: http://www.arquivonacional.gov.br
  31. 31. Para localizar livros com acesso livre: Domínio Público: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/PesquisaObraForm.j sp Creative Commons (licença de uso – documentos livres de direitos autorais) http://creativecommons.org/ - Biblioteca digital FGV: http://direitorio.fgv.br/publicacoes
  32. 32. Livro Eletrônico  Livraria Cultura - eBooks: http://www.livrariacultura.com.br/scripts/ebooks/index.asp? sid=187423631121017658662449418&sParc=Google&gclid=CLHA hYbc2qQCFUpm7AodujcQLw  The Novel Network: http://www.thenovelnetwork.com/faq.html - o usuário paga uma única taxa de inscrição de US$49,95 e passa a ter acesso gratuito – baixa o livro direto para o leitor de e-book escolhido;  eBooks.com -The Digital Bookstore: http://www.ebooks.com/  Amazon -Kindle Store: http://www.amazon.com/kindle-store- ebooks-newspapers-blogs/b?ie=UTF8&node=133141011
  33. 33. Repositórios Institucionais  Base de Dados de Teses e Dissertações (BDTD) -IBICT – www.bdtd.br  CAPES-Banco de Teses - http://capesdw.capes.gov.br/capesdw/resumo.html? idtese=20091331003010056P0  Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP -http://www.teses.usp.br/  Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFMG - www.bibliotecadigital.ufmg.br/  C@thedra - Biblioteca Digital de Teses e Dissertações http://www.unesp.br/cgb/int_conteudo_sem_img.php? conteudo=562
  34. 34. Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteca Virtual em Saúde: http://regional.bvsalud.org/php/index.php Prossiga: Bibliotecas Virtuais Temáticas: http://www.prossiga.br/ Bibliomania: e-books, poemas, artigos grátis, em inglês: www.bibliomania.com
  35. 35. Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro: www.bibvirt.futuro.usp.br Biblioteca Virtual do Estudante da Lingua Portuguesa: http:biblioinfo.com.br Biblioteca Virtual – Literatura: www.biblio.com.br International Children's Digital Library (e-livros infantis em cem línguas): www.icdlbooks.org
  36. 36. Portais de Acesso à Informação  SCIELO :http://www.scielo.br/  Periódicos Capes: http://www.periodicos.capes.gov.br/  IPL2 - Internet Public Library (IPL) and Librarians' Internet Index (LII) :http://www.ipl.org/  Europeana: http://www.europeana.eu/portal/ http://www.oclc.org/americalatina/pt/default.htm  World Cat : http://www.oclc.org/americalatina/pt/worldcat/default.htm Catálogo coletivo que aponta as coleções de 71.000 bibliotecas em 112 países que participam do Online Computer Library Center (OCLC).
  37. 37. Recursos da Web 2.0 – Web Social Delicious: http://del.icio.us.com - compartilhamento de sites; YouTube: http://www.youtube.com - permite que os usuários carreguem, assistam e compartilhem vídeos em formato digital. SlideShare: http://www.slideshare.com - permite que os usuários carreguem, assistam e compartilhem apresentações de slides. Flickr: http://www.flickr.com/ - Site de publicação e compartilhamento de fotos.
  38. 38.  Blogs: publicações editoriais independentes; compartilhamento de ideias, links, etc;  Twitter (microblogging) - compartilhamento de mensagens curtas – até 140 caracteres;  RSS: Really Simple Syndication - Mecanismo que dispara avisos cada vez que um site onde o usuário se inscreveu sofre atualizações. Bom para distribuição de conteúdos e notícias na internet, pois permite ao usuário ler cada atualização sem ter que ir ao site original que publicou as informações.  Wikis: Software que permite a edição coletiva de documentos através da internet. Ex Wikipedia – aplicativo wiki; googlesites-para desenvolver um aplicativo wiki Recursos da Web 2.0 – Web social
  39. 39. Filtros Sociais  Redes sociais - passam a atuar como gatekeepers.  Relevância e reputação - seleção e da publicação de informações especializadas e localizadas pelos atores sociais.  Os usuários/atores constroem uma leitura focada nas informações que lhes são importantes. Essa leitura é personalizada através da escolha de suas próprias fontes informativas. Fonte: RECUERO (2009) .
  40. 40. Filtros Sociais  Além de filtrar, as redes sociais qualificam, complementam, discutem.  Uma informação que é passada no Twitter, por exemplo, em geral recebe uma qualificação, um julgamento de valor ou observação daquele que a passa. O "retweet" qualifica uma informação, lida e considerada relevante pela rede.  A filtragem de informações é realizada pelos próprios atores sociais. Cada informação pode ser passada para a rede, desconstruída, discutida, repassada e debatida. Fonte: RECUERO (2009)
  41. 41. Blogs  Bibliotecários sem Fronteiras: http://bsf.org.br/  Extralibris: http://extralibris.org  A informação: http://a-informacao.blogspot.com/  Rato de biblioteca: http://ratodebiblioteca.blogspot.com/  100 Best Blogs for Librarians of the Future: http://www.bachelorsdegreeonline.com/blog/2009/100- best-blogs-for-librarians-of-the-future
  42. 42. Blogs  Pesquisa Mundi: http://pesquisamundi.blogspot.com/: Bases de dados Internacionais;Bases de dados Nacionais;Bibliografia Recomendada; Bibliotecas Digitais Internacionais;Bibliotecas Digitais Nacionais;Bibliotecas Virtuais Internacionais;Bibliotecas Virtuais Nacionais; Biblioteconomia & Ciência da Informação;Ciência, Educação & Tecnologia  Blog do Arquivista 2.0: http://arquivistadoispontozero.wordpress.com/2010/10/ 05/arquivologia-2-0-o-livro/  Web WWatching for Archivists: http://www.webwatchingforarchivists.blogspot.com
  43. 43. Fontes em Biblioteconomia e Ciência da Informação  Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – IBICT: www.ibict.br/  On-line Dictionary For Library and Information Science: ODLIS: http://lu.com/odlis/  Biblioteca Virtual nas áreas de Biblioteconomia e Ciência da Informação; Software para bibliotecas, gestão de acervos e conteúdos: http://www.ced.ufsc.br/bibliote/virtual/  Sobre Sites: http://www.sobresites.com/biblioteconomia/portais.htm
  44. 44. Periódicos em Ciência da Informação  Perspectivas em Ciência da Informação: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci  Revista Ciência da Informação: www.ibict.br/cienciadainformacao/  Informação & Sociedade: Estudos: www.ies.ufpb.br  Datagrama Zero: http://www.dgz.org.br/  Informação & Informação: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/index  Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf.: http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb
  45. 45. Fontes em Arquivologia  MAPA – Memória da Administração Pública Brasileira - http://www.an.gov.br/sian/inicial.asp  Base de dados que reúne informações sobre a estrutura administrativa colonial, imperial e republicana. Permite consultas sobre as datas de criação e extinção de cada órgão ou entidade, suas alterações de denominação, estrutura, natureza jurídica, competência, nível hierárquico, legislação, bem como a identificação dos antecessores e sucessores de órgãos e entidades da administração central e do poder executivo federal cuja documentação integra o acervo do Arquivo Nacional.
  46. 46. Fontes em Arquivologia  Cadastro Nacional de Entidades Custodiadoras de Acervos Arquivísticos: http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.ht m?sid=78 – relação e links para Arquivos Publicos Estaduais e Municipais:  Conselho Nacional de Arquivos-Conarq: http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/  Zappiens – Do Comitê Gestor da Internet no Brasil: http://www.zappiens.br  Agregação e distribuição de conteúdo audiovisual científico, educativo, artístico e cultural em língua portuguesa.  Associação Brasiliense de Arquivologia – ABARQ: http://abarq.blogspot.com/  Arquivistica.net - http://www.arquivistica.net/ojs/index.php
  47. 47. Fontes em Arquivologia  Portal da UNESCO - fontes em inglês, francês e espanhol http://portal.unesco.org/ci/en/ev.php- URL_ID=4984&URL_DO=DO_TOPIC&URL_SECTION=201.html  Centro de Informacion Documental em Archivos (CIDA) da Sub-Direção Geral de Arquivos do Ministério da Cultura (Espanha): http://www.mcu.es/archivos/CE/BaseDatos.html  Sorbonne: http://theleme.enc.sorbonne.fr/sommaire63.html  International Archival Bibliography: http://avanti.uni-marburg.de/archivschule/rs_e.html
  48. 48. Barreiras ao Uso das Fontes Digitais  Acesso lento/ausência de computador com internet;  Desconhecimento das fontes e recursos da Internet, em especial da Web 2.0 (mídias sociais);  Dificuldade de selecionar apenas o que é relevante;  Falta tempo para absorver tanta informação;  Falta de tempo para averiguar a credibilidade da fonte digital;  A usabilidade de algumas fontes é ruim, não há boas explicações e exemplos de uso;
  49. 49. É preciso investir em: Mudança cultural: de usuários passivos para ativos na rede; Desenvolvimento de competência informacional (information literacy) – tanto de bibliotecários e arquivistas como de usuários.
  50. 50. Referências  CHOO, Chun Wei . A organização do conhecimento. Rio de Janeiro, Senac, 2005.  CHOO, Wei Chun; DETLOR, Brian; TURNBULL, Don. Working the web: na empirical model of web use.. In: HICSS 33 .Hawaii International Conference on System Science, jan 4-7, 2000. Disponível em: < > Acesso em: 18 set. 2010.  CHU, Samuel Kai-Wah; LAW, Nancy. Development of information search expertise: Research students’ knowledge of source types. Journal of Librarianship and Information Science, v. 39, n. 1 March 2007.  CRITICALLY ANALYZING INFORMATION SOURCES. Disponível em: http://www.library.cornell.edu/olinuris/ref/research/skill26.htm>. Acesso em: 11/10/2010  KUHLTHAU, C.C.. Inside the Search Process.information seeking from the user´s perspective. Journal of the American Society for Information Science. v. 42, n.5, 1991.
  51. 51. Referências  KUHLTHAU, C.C..A principle of uncertainty for information seeking. Journal of Documentation, v. 49, n.4, 1993.  MIRANDA, Silvania. Como as necessidades de informação podem ser relacionar com as competências informacionais. Ciencia Da Informação, Brasilia, v. 35, n. 3, p.99-114, 2006. Set./dez.  RECUERO, Raquel. As redes sociais como filtros. Jornalistas na Web. Pelotas, 6/4/2009. Disponível em: < http://www.digestivocultural.com/ensaios/ensaio.asp?codigo=300 >. Acesso em: 10/10/2010  SHENTON, Andrew K.; DIXON, Pat. Youngsters’ use of other people as an information-seeking method.. Journal of Librarianship and Information Science, v. 35, n.4. Dec. 2003.

×