Forma                                     Barroco & Renascimento                                        Arte, Arquitetura ...
Forma   Disciplina: História da        Arte e da Arquitetura III        Renascimento e Barroco        Autores:        Andr...
Essa edição da revista forma está com novidadesincríveis pra você. Uma dessas novidades nos leva de volta ao passadopelo u...
SUMÁRIORENACIMENTO                                 5                                 ............Michelangelo Bounarroti  ...
Arquitetura & Urbanismo RENASCIMENTO                                Por:Andréa Araújo; Lucélia CardosoRenascimento        ...
Arquitetura & Urbanismo         RENASCIMENTO                                          Por:Andréa Araújo; Lucélia CardosoCa...
Arquitetura & Urbanismo                                                                            Por: Lucélia Cardoso   ...
Arquitetura & Urbanismo                                                                                      Por:Lucélia C...
Arquitetura & Urbanismo                                    Por:Lucélia CardosoPenetrou nos segredos dos escultoresantigos ...
Arquitetura & Urbanismo      Por:Lucélia Cardoso           Pietà
Arquitetura & UrbanismoA dor esculpida nos traços de Michelangelo A Pietà de Michelangelo é a perfeita visão da anatomia h...
Arquitetura & Urbanismo                                                     Por:Lucélia CardosoA obra exemplarmente cristã...
Arquitetura & Urbanismo                      Por:Lucélia CardosoA Pietá foi esculpida no melhor mármore do mundo,o mármore...
Arquitetura & Urbanismo                                                                      Por:Lucélia CardosoNa obra o ...
Arquitetura & Urbanismo                                                  Por:Lucélia CardosoA perfeição da Pietá encantou ...
Arquitetura & Urbanismo             Por:Lucélia CardosoAtualmente esta obra estálocalizada no interior daBasílica de São P...
Arquitetura & Urbanismo                                               Por:Lucélia CardosoAo perguntarem Michelanageloporqu...
Arquitetura & Urbanismo                                                                                     Por:Andreá Ara...
Arquitetura & Urbanismo                                                                    Por:Lucélia Cardoso            ...
Arquitetura & Urbanismo                               Por:Lucélia CardosoInterior da basílica             Ao contrário de ...
Arquitetura & Urbanismo                                                                                Por:Lucélia Cardoso...
Arquitetura & Urbanismo                                                                          Por:Lucélia Cardoso      ...
Arquitetura & Urbanismo                                                                          Por:Lucélia Cardoso      ...
Arquitetura & Urbanismo                                                                 Por:Lucélia Cardoso               ...
Arquitetura & UrbanismoCenaculo de Santo Spirito  O convento tinha dois claustros, chamados  Chiostro dei Morti e Chiostro...
Arquitetura & Urbanismo
Arquitetura & Urbanismo        BARROCO                                 Por:Sandra Barbosa, Fabíola Almeida  BarrocoBarroco...
Arquitetura & Urbanismo                                                                                 Por:Sandra Barbosa...
Arquitetura & UrbanismoConsiderado um farrista inconsequente,         Utilizou como modelos figuras humanas,tinha problema...
Arquitetura & UrbanismoCARAVAGGIO E A RELIGIOSIDADADE   ‘’O MARTIRIO DE SÃO ROMEU’’                 Estas são obras domina...
Arquitetura & UrbanismoA IRA DO ACUSADOR                                 4
Arquitetura & UrbanismoE a dor de ser acusado                                                   4
Arquitetura & UrbanismoQuase todas as obras do pintor a religiosidadeesta presente. Talvez seja pela vida depromiscuidade ...
Arquitetura & UrbanismoA obra o martírio de São Mateus do renomadopintor Michelangelo Merise de Caravaggio,  mostra os det...
Arquitetura & Urbanismo                                    Fazendo uma comparação das obras é nítida                      ...
Arquitetura & Urbanismo                                  Por:Fabíola AlmeidaGian Lorenzo Bernini          Gian Lorenzo Ber...
Arquitetura & Urbanismo                         ARQUITETURA BARROCAA arquitetura do século XVII foi marcada com ênfase nos...
Arquitetura & UrbanismoPRAÇA DE SÃO PEDRO          O projeto idealizado por Bernini para essa praça é uma das          con...
Arquitetura & Urbanismoundo.        A Praça de São Pedro é uma simbologia de grande        relevância ao cristianismo no m...
Arquitetura & Urbanismo  REFRÊNCIASARGAN, Giulio Carlo.História da Arte 3: deMichelangelo ao Futurismo.História da ArteIta...
3180000863780000
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Revista forma a dor esculpida por michelangelo

1,009

Published on

Revista Forma , ano 1, número 2 é um trabalho da disciplina História da Arte e da Arquiteura III, ministrada pela Professora Viviane Marques do curso de Arquitetura e Urbanismo das Faculdades Pitágoras, coordenadora Paula Alcântara.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,009
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
33
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revista forma a dor esculpida por michelangelo

  1. 1. Forma Barroco & Renascimento Arte, Arquitetura & Escultura A Dor esculpida Por MichelangeloMontes Claros- Ano I-Nº001-Out/2012
  2. 2. Forma Disciplina: História da Arte e da Arquitetura III Renascimento e Barroco Autores: Andréa Araújo Fabíola Almeida Lucélia Cardoso Sandra Barbosa Professora: Viviane Marques Faculdades Integradas Pitágoras-FIPMoc Arquitetura e Urbanismo
  3. 3. Essa edição da revista forma está com novidadesincríveis pra você. Uma dessas novidades nos leva de volta ao passadopelo universo glamouroso da arte e arquitetura,conhecendo um pouco mais de artistas consagradoscomo Caravaggio, Bernini, Brunelleshe e Buonarrotti. Um verdadeiro tuor pelo mundo da arte. Aproveitem até a próxima edição com novidadessensacionais pra você.
  4. 4. SUMÁRIORENACIMENTO 5 ............Michelangelo Bounarroti ..............7A dor esculpida nos traçosde Michelangelo .............11Quem foi bruneleschi .............18Basilica de Santa Mariadel Santo spirito .............19BARROCO ....... 26Michelangelo deCaravaggio .............27Caravaggio e a religiosidade‘’O Martirio de São Romeu’’ .............29Gian Lorenzo Bernini ............34Arquitetura barroca ............ 35
  5. 5. Arquitetura & Urbanismo RENASCIMENTO Por:Andréa Araújo; Lucélia CardosoRenascimento O Renascimento, foi o período da história europeia caracterizado por um renovado interesse pelo passado greco-romano clássico, especialmente pela sua arte. O Renascimento começou na Itália, no século XIV, e difundiu-se por toda a Europa, durante os séculos XV e XVI. O Renascimento italiano foi, sobretudo, um fenômeno urbano, produto das cidades que floresceram no centro e no norte da Itália, como Florença, Ferrara,MilãoVeneza, resultado de um período de grande expansão econômica e demográfica dos séculos XII e XIII. Os ideais renascentistas de harmonia e proporção conheceram o apogeu nas obras de Rafael, Leonardo da Vinci e Michelangelo, durante o século XVI. 5
  6. 6. Arquitetura & Urbanismo RENASCIMENTO Por:Andréa Araújo; Lucélia CardosoCaracteristicas Principais Valorização da cultura greco-romana. Para os artistas da época renascentista, os gregos e romanos possuíam uma visão completa e humana da natureza, ao contrário dos homens medievais; - As qualidades mais valorizadas no ser humano passaram a ser a inteligência, o conhecimento e o dom artístico; - Enquanto na Idade Média a vida do homem devia estar centrada em Deus ( teocentrismo ), nos séculos XV e XVI o homem passa a ser o principal personagem (antropocentrismo); - A razão e a natureza passam a ser valorizadas com grande intensidade. O homem renascentista, principalmente os cientistas, passam a utilizar métodos experimentais e de observação da natureza e universo. 6
  7. 7. Arquitetura & Urbanismo Por: Lucélia Cardoso Foi criado por uma ama de leite cujo marido era cortador de mármore na aldeia de Settignano, cresceu nesse ambiente, e com este convívio direto com o mármore, ele teve o seu primeiro contato com o cinzel e o martelo, e pode estudar as diversas técnicas de escultura. Primeiro na rocha comum, como em um teste e depois na prova real com o mármore a chamada "pedra da luz" pelos gregos. brincando, Michelangelo atribuirá a e s t e f a t o s u a v o c a ç ã o d e e s c u l t o r. O pai do jovem Michelangelo não concordava com a decisão dele de ser artista, e, algumas vezes ele foi espancado pelo pai, causa da profissão que ele queria para si, porque na família Buonarroti haviam soldados, porém ele era o primeiro a querer ser artista.Michelangelo Buonarroti nasceu em Caprese,Itália em 06 de março de 1475, Filho de Ludovicodi Lionardo Buonarroti Simoni, historicamente umhomem violento, sua mãe, Francesca morreu quando Michelangelo tinha seis anos. 7
  8. 8. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia CardosoComeçou sua vida artístico sendo aprendiz Michelangelo quer tornar-se escultor,de um grande mestre das artes Domenico põe-se a estudar com Bertoldo, umGirlandaio, aos treze anos Michelangelo é dos seguidores de Donatello, queadmitido em sua oficina, em Florença, onde mantinha escola no jardim de Médici,o mesmo recebeu influências artísticas de vários na praça San Marco, devido o seupintores, escultores e intelectuais da época, grande talento o seu grande mestre ojá que a cidade era um grande centro de encaminha para aprender com Lorenzoprodução cultural. de Médici, o mesmo permanecem juntos por dois anos em Florença, sobre sua proteção o introduz em seu círculo neoplatônico. O neoplatonismo constituiu portanto, oconteúdo da cultura de Michelangelo e permanecerá doravante a substância ideal da sua obra artística mas também da sua atormentada vida religiosa. Michelangelo se dedicou profunda-mente ao estudo da obra de grandes mestres do passado : Giotto, Masaccio, Donatello, e dos escultores gregos e romanos. 8
  9. 9. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia CardosoPenetrou nos segredos dos escultoresantigos que sabiam representar a belezado corpo humano em movimento, comtodos os músculos e tendões.Em poucotempo dominou tanto o que estudou quenão houvesse postura e movimento queele não pudesse desenhar.Para Michelangelo,o movimento nasce e encerra nas figuras, e acausa que o suscita é um principio espiritual.Michelangelo Buonarroti ainda em vida foiconsiderado o maior artista de seu tempo;chamavam-no de o Divino, e ao longo dos séculos,até os dias de hoje. Michelangelo morreu em 18de fevereiro de 1564, aos 89 anos de idade nacidade de Roma 9
  10. 10. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia Cardoso Pietà
  11. 11. Arquitetura & UrbanismoA dor esculpida nos traços de Michelangelo A Pietà de Michelangelo é a perfeita visão da anatomia humana modelada pelas mãos de nosso grandioso artista aos 23 anos de idade. 4
  12. 12. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia CardosoA obra exemplarmente cristã,Pietà (Piedade em italiano) é umtema da arte cristã em que a Virgem Maria é representada como corpo morto de Jesus nos braços, após a crucificação.A encomenda foi feita por Jean Bilhères de Lagraulas, cardeal francêsno papado de Alexandre VI. Lagraulas pretendia colocar a esculturade mármore em seu memorial. O contrato da Pietá foi firmado em1498, concluido em 1499. O contrato foi cumprido fielmenteem todas as suas cláusulas,no que diz respeito ao prazo,p e r f e i ç ã o e b e l e z a d a e s c u l t u r a .
  13. 13. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia CardosoA Pietá foi esculpida no melhor mármore do mundo,o mármore de Carrara. A polidez do mármore realçaa beleza, a doçura e a jovialidade da virgem. Nenhumdetalhe nesta obra fica inacabado, ela foi totalmentepolida e finalizada.Com uma técnica perfeita, é umtrabalho de admirável perfeição, organizado segundoum esquema em forma de pirâmide, formato muitoutilizado pelos escultores renascentistas 4
  14. 14. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia CardosoNa obra o artista encontrou a soluçãoideal para um problema que preocuparaos escultores do Primeiro Renascimento: mostrar que é seu Filho, sem quebrar oa colocação do Corpo de Jesus morto no esquema triangular.A Virgem está representadaregaço de Maria. Para isso alterou algumas muito jovem e com uma nobre resignação:proporções: o Cristo é menor que a Virgem, a expressão dolorosa do rosto é idealizada,para dar a impressão de não esmagar a diferente da angústia que tradicionalmenteMãe e, ao mesmo tempo, os artistas lhe imprimiam. Michelangelo compôs a imagem de Jesus dentro da limitação do corpo da virgem, de modo que este coubesse no manto e assim nos dá a idéia da ligação entre mãe e filho. 4
  15. 15. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia CardosoA perfeição da Pietá encantou eainda encanta os visitantes einquieta os artistas. Nenhumdetalhe nesta obra ficainacabado, ela foi totalmentepolida e finalizada. A fita que atravessa o peito da Virgem Maria traz a assinatura do autor, única que se conhece: MICHAEL ANGELUS. B O N A R O T U S . F L O R E N T. FACIEBA(T), ou seja, Miguel Angelo Buonarotus de Florença fez. 4
  16. 16. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia CardosoAtualmente esta obra estálocalizada no interior daBasílica de São Pedro,em Roma. 4
  17. 17. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia CardosoAo perguntarem Michelanageloporque é que tinha esculpido orosto da Mãe tão jovem quantoa do Filho respondeu: “ As pessoas paixonadas por Deus nunca envelhecem”. 4
  18. 18. Arquitetura & Urbanismo Por:Andreá Araújo Por:Lucélia CardosoEstátua de Brunelleschi próxima ao Duomo de Florença.Nome completo Filippo di ser Brunellesco di Lippo di Tura Nascimento 1377 República Flore Morte1 5 de abril de 1446 (69 anos) República Flore na Nacionalidade Flore Movimento Renascimento Obras notáveis Santa Maria del Fiore Hospital dos Inocentes Capela Pazzi (em parte) Quem foi Brunellesche O encontro com aFilippo Brunellesche nasceu em 1377 e inicioua carreira artistica como ourives e escultor. Em perspectiva linear1401participou, com o painel ‘’O Sacrifício deAbraão’, ponto alto de sua carreira de escultor, Na primeira fase de sua carreira o arquitetodo concurso para a realização dos relevos em Brunellesche descobriu os princípios dabronze da porta do batistério de Florença. perspectiva linear, que, conhecidos porDescepicionado com o resultado do concurso, gregos e romanos, ficaram esquecidosganho por Lorenzo Ghiberti decidiu dedicar-se durante toda a idade média. Restabeleceuá arquitetura. Acredita-se que nesse mesmo ano na prática o conceito de ponto de fuga e atenha viajado co o escultor Donatello para Roma, relação entre o tamanho e a distância dosonde estudaram os pricííos da escultura e objetos. Seguindo os p´incípios ópticos earquitetura classica. geométricos enunciados por Brunellesche, os artistas da época puderam reproduzir objetos tridimensionais no plano com s u r p r e e n d e n t e v e r o s s i m i l h a n ç a . 4
  19. 19. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia Cardoso Basílica de Santa Maria del Santo SpiritoA Basílica de Santa Maria del Santo Spirito("Santa Maria do Espírito Santo") é umaigreja em Florença , Itália . Normalmentereferida apenas como Santo Spirito ,que está localizado no Oltrarno trimestre,de frente para o quadrado com o mesmo nome.O edifício no interior é um dos exemplos depré-eminentes da arquitetura renascentista. A atual igreja foi construída sobre as ruínas pré-existentes de um agostiniano convento do século 13, destruído por um incêndio. Filippo Brunelleschi começou projetos para o novo prédio, já em 1428. Depois de sua morte, em 1446, as obras foram realizadas por seus seguidores Antonio Manetti , Giovanni da Gaiole , e Salvi dAndrea , este último também foi responsável pela construção da cúpula. 4
  20. 20. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia CardosoInterior da basílica Ao contrário de S. Lorenzo , onde as idéias de Brunelleschi foram frustrados, aqui, suas idéias foram realizados com algum grau de fidelidade, pelo menos no plano terreno e até o nível das arcadas . A cruz latina plano está concebido de forma a maximizar a legibilidade da grelha. O contraste entre a nave e o transepto que causou tanta dificuldade em S. Lorenzo foi aqui também evitados. As capelas laterais, em forma de ameias todos do mesmo tamanho (40 no total), correr ao longo de todo o perímetro do espaço. 4
  21. 21. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia Cardoso Brunelleschi fachada nunca foi construído e deixado em branco. Em 1489, um vestíbulo de colunas e octogonal sacristia, projetado por Simone del Pollaiolo, conhecido como Il Cronaca, e Giuliano Sangallo da respectivamente, foram construídas para a esquerda do edifício. Uma porta abriu-se em uma capela para fazer a ligação com a igreja.Um barroco baldaquino com mármorespolicromos foi adicionado por GiovanniBattista Caccini e Silvani Gherardo sobreo altar-mor, em 1601. A igreja permaneceusem decoração até o século 18, quandoas paredes foram rebocadas. A fachadainterior é Salvi dAndrea , e ainda tem ajanela de vidro original com o Pentecostesprojetado por Pietro Perugino . A torre dosino (1503) foi projetado por Baccio dAgnolo .O exterior do edifício foi restaurado em 1977-78. 4
  22. 22. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia Cardoso Vista internaA igreja tem 38 capelas laterais (duas capelastendo sido entregue a portas), que contêm Desenho de elevaçãouma quantidade notável de obras de arte.A mais significativa é a Capela Bini-Capponi,abrigando o St. Monica estabelecer a regradas Freiras Agostinianas pintam porFrancesco Botticini . As obras Corbinelli capelassão por Andrea Sansovino, Cosimo Rossellie Donnino e del Agnolo Mazziere. Desenho seçãoNas capelas do transepto estão afrescosde Filippino Lippi. Também no transeptoé um coro de que os Frescobaldi Marquissespoderia participar com os ritos sem servisto pela multidão. Desenho seçãoA sacristia, acessado por uma portano que teria sido a capela esquerdosexta precedido por um vestíbulomonumental por Simone del Pollaiolo,foi desenhado por Giuliano da Sangallo,em 1489, e tem um plano octogonal.É o lar de uma pintura devocional deSt. Fiacre curar o doente (1597) porAlessandro Allori (1596) encomendado porChristine de Lorena, o Grão-DuqueFerdinando I de Medici esposa. 4
  23. 23. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia Cardoso Os 38 capelas e suas obras de ateBasílica de Santa Maria del Sant Spiritipossui 38 capelas cada capela possuipelo menos uma obra de arte. Cópia de Michelangelo Cristo (1579)São elas: Disputa dellImmacolata Concezione por Taddeo Landini; Madonna, St. Anne,por Pier Francesco; Cópia de Michelangelo Pietà e outros santos por Michele Tosini;(1549) por Nanni di Baccio Bigio; São Nicolau Caminho do Calvário por Michele Tosini ;de Tolentino por Nanni Unghero ; anjos janela Tomé atribuída a Bartolomeo diacompanhamento por Franciabigio; Expulsão dos Giovanni; Madonna Enthroned comcambistas do TemploDinheiro Trocadores de Santos (1505) por Raffaellino del GarboTemple (1572) por Giovanni Stradano; Coroação com retábulo de St. Esmolas Lawrenceda Virgem (c. 1694) por Alessandro Gherardini; distribuição por Jacopo del Sellaio;O martírio de Santo Estêvão (1602) por Madonna Enthroned com os Anjos e osDomenico Passignano; Tobias e Anjo (1698) Santos e Nicholas Bartholemew porpor Giovanni Baratta; Transfiguração por Pier Raffaellino del Garbo; Trindade adoradoFrancesco Foschi; Madonna del Soccorso pelos santos Catherine e Maria Madalena(século 15); Altar por Bernardo Buontalenti; (c. 1485) por Francesco Granacci;Madonna e Criança com Santos e Doadores Corbinelli altar (1492) por AndreaFamiliares Nerli (1488) por Filippino Lippi; Sansovino; Madonna Enthroned eCópia de Perugino aparição da Virgem a São criança com Santos (1482), de CosimoBernardo por Felice Ficherelli; Sarcófago de Rosselli, retábulo de São Tomé atribuídamármore (c. 1457) por Antonio Rossellino; a Neri di Bicci; St. Monica estabeleceMadonna com SS. João Evangelista & Jerome a regra de Freiras Agostinianas (1483)(século 16 precoce); Madonna com criança e atribuído a Botticini; Madonna e Criançaquatro santos (c. 1340) por Maso di Banco; e Santos atribuída a Raffaellino delMartírio do 10000 (1574) por Alessandro Allori Garbo; Natividade por um seguidorcom retábulo de St. Lucy com dois anjos de Domenico Ghirlandaio; Anunciação(c. 1460), atribuída a Neri di Bicci; Ressurreição (século 15 atrasado) e Cristo e a adúlterapor Pier Francesco Foschi; (1577) por Alessandro Allori. 4
  24. 24. Arquitetura & Urbanismo Por:Lucélia Cardoso Crucifixo de Michelangelo Michelangelo Buonarroti quando tinha dezessete anos de idade poderia fazer estudos anatômicos sobre os cadáveres vindos de hospitais do convento, em troca, ele esculpiu um crucifixo de madeira que foi colocada sobre o altar-mor. Hoje, o crucifixo é na sacristia octogonal que pode ser alcançado a partir do corredor, à e s q u e r d a o c i d e n t a l d a i g r e j a .Crucifixo de Michelangelo 4
  25. 25. Arquitetura & UrbanismoCenaculo de Santo Spirito O convento tinha dois claustros, chamados Chiostro dei Morti e Chiostro Grande ("Claustro dos Mortos" e "Claustro Grande"). A primeira leva o nome do grande número de lápides decorar suas paredes, e foi construída por volta de 1600 por Alfonso Parigi. Este último foi construído em 1564-1569 por Bartolomeo Ammannati num estilo classicista. O antigo convento também contém o refeitório grande ( Cenacolo di Santo Spirito ) com um grande afresco retratando a crucificação ao longo de um fragmentária Última Ceia , ambos atribuídos a Andrea Orcagna (1360-1365). É um dos raros exemplos de arte gótico tardio que ainda pode ser visto em Florença. O quarto também tem uma coleção de esculturas dos séculos 11 e 15, incluindo dois baixos relevos de Donatello , um alto relevo por Jacopo della Quercia ( Madonna com a Criança ) e duas esculturas em mármore por Tino da camaino (1320-1322). 4
  26. 26. Arquitetura & Urbanismo
  27. 27. Arquitetura & Urbanismo BARROCO Por:Sandra Barbosa, Fabíola Almeida BarrocoBarroco é o nome dado ao estilo artístico que teve inicio entre o finaldo séc XVI e meados do sécXVIII, com início na Itália, abrabgendoem seguida para América, antes de atingir,com algumas mudanças, nas áreas protestantes e alguns locais do Oriente. De certo modo oBarroco foi uma continuação natural do Renascimento, porque ambosos movimentos compartilharam de um profundo interesse pela arteda Antiguidade clássica, porém com interpretações diferentes, o que resultaria em expressões artisticas com caracteristicas diferentes.” No Renascimento as qualidades de moderação, economia formal, austeridade, equilíbrio e harmonia eram as mais buscadas, o tratamento barroco de temas idênticos mostrava maior dinamismo, contrastes maisfortes, maior dramaticidade, exuberância e realismo e uma tendência ao decorativo, além de manifestar uma tensão entre o gosto pela materialidade opulenta e as demandas de uma vida espiritual.” Mas não é sempre que essas caracteristicas apresentam em tempos iguais.
  28. 28. Arquitetura & Urbanismo Por:Sandra Barbosa MICHELANGELO DE CARAVAGGIOC aravaggio nasceu em Milão, no dia 29 de Suas primeiras criações são fundamentalmentesetembro de 1571. Caravaggio, que tomou como nome a pinturas que combinam figuras humanas comcidade natal, tem sua biografia envolta por certa bruma natureza morta. Usava um forte realismo nade mistério, é também considerado pelos pintura de suas obras.historiadores da arte como o mais influente eoriginal pintor italiano do século XVII, talvez um dosmais revolucionários na tradição artística, por exatamenteter rompido com as normativas que, a partir do adensamentoda cultura artística do Renascimento, guiaram aprodução da arte, sobretudo no âmbito das academias. Retratava personagens bíblicos, baseando-se em pessoas comuns que encontrava nas ruas de Roma. Caravaggio foi um artista plástico que se rebelou contra os convencionalismos do momento que vivia. "O estranho realismo de Caravaggio consiste, não em copiar e observar a natureza, mas em contrapor o valor moral da prática ao valor intelectual da teoria." "O aspecto mais notável da sua obra é o tratamento da luz, que recebe o nome de tenebrismo. Consiste em projetar a luz sobre as formas com violência e em contraste intenso e brusco com as sombras." 4
  29. 29. Arquitetura & UrbanismoConsiderado um farrista inconsequente, Utilizou como modelos figuras humanas,tinha problemas com a Justiça. sem qualquer receio de representar aCaravaggio foi um pintor de extremos. feiura, a deformidade em cenas provocadoras,pintou fundamentalmente temas religiosos. características essas que distingue as suasNo entanto, foram várias as vezes em que obras. Morre acometido por uma estranhaas suas pinturas feriam as susceptibilidades febre, no dia 18 de julho de 1610, aos 39 anos.dos seus clientes, procurou a realidadepalpável e concreta da representação.Baco doente – auto retrato de caravaggio,o pintor usou um espelho que refletia suaimagem , para pintar a tela. 4
  30. 30. Arquitetura & UrbanismoCARAVAGGIO E A RELIGIOSIDADADE ‘’O MARTIRIO DE SÃO ROMEU’’ Estas são obras dominadas por uma intensa ação dramática, muito estudada desde o ponto de vista da composição e nas quais se obtêm esplêndidos resultados com grande economia de meios. 4
  31. 31. Arquitetura & UrbanismoA IRA DO ACUSADOR 4
  32. 32. Arquitetura & UrbanismoE a dor de ser acusado 4
  33. 33. Arquitetura & UrbanismoQuase todas as obras do pintor a religiosidadeesta presente. Talvez seja pela vida depromiscuidade que o pintor levava,que acabava por se redimir pintandopassagens da biblia. O martirio de são Pedro o realismo que a imagem proporciona, a dor representada de forma clara e sombria. 4
  34. 34. Arquitetura & UrbanismoA obra o martírio de São Mateus do renomadopintor Michelangelo Merise de Caravaggio, mostra os detalhes de um martírio.A composição da tela com 13 personagens ,sendo dois principais , que através dos mesmospodemos perceber as reações na face.A dor e ódio ficam evidentes em seus gestos queparecem real.O apostolo já caído ao chão tenta se defender do seuagressor. A luz focada nos dois da a impressão de ume s p a ç o r i c o e m s i g n i f i c a d o s e c e g a d o r.Passa ao observador a turbulência vivida pelos demaiscompositores da cena deixando transparecer o pavorpela situação vivida.No canto superior direito percebe-se a figura de um anjoque nos leva a compreender que este está tentando ajudaro apostolo. Apesar da atmosfera tenebrosa a obra é deuma beleza esplêndida.
  35. 35. Arquitetura & Urbanismo Fazendo uma comparação das obras é nítida a relação de ambas. São telas que representam passagens bíblicas e descrevem uma cena em comum , o martírio de dois apóstolos : São Mateus e São Pedro , este foi martirizado mediante crucificação. O naturalismo que as pinturas passam dão a sensação de realidade alem do jogo com a luz , contrastando com o fundo escuro dando um ar tenebroso a imagem.Detalhe do martírio de são Mateus 4
  36. 36. Arquitetura & Urbanismo Por:Fabíola AlmeidaGian Lorenzo Bernini Gian Lorenzo Bernini, nasceu em Nápoles na Itália em 7 de Dezembro de 1598,é conhecido entre os artistas renomados da História da Arte Barroca .Com 8 anos chegou em Roma e conheceu o papa, com16 anos fez a estátua de São Lourenço, sendo queimado por suas crenças cristãs. O padre Scipione Borghese, que “patrocinava” Gian Lorenzo Bernini , ele desejava adotar Bernini..O papa Gregório, fez Bernini se tornar um cavalheiro por volta dos seus 20 anos, assim Bernini era chamado de Cavaliere.O papa seguinte, Urbano VIII, tornou-se melhor amigo de Bernini. Bernini era tão íntimo do papa, que podia chegar aos aposentos do papa sem precisar agendar sua visita. Além de escultor era também um pintor, um mestre construtor de dramaturgo.“Suas obras, de grande preciosismo, seriam a representação da mais pura união entre interesses pessoais, imposições institucionais e um intenso conhecimento. 4
  37. 37. Arquitetura & Urbanismo ARQUITETURA BARROCAA arquitetura do século XVII foi marcada com ênfase nospalácios e nas igrejas. A igreja católica queria proclamar opoder do cristianismo através das construções , realizou obrasgrandiosas e resplandeciam por isso. Na Itália,por exemplo apraça de São Pedro (1657-1666),projetada por Bernini,a igrejaSantAgnes (1656-1657),por Pietro Cortona,marcaram o cenáriode maneira significante, vangloriado pela igreja católica 4
  38. 38. Arquitetura & UrbanismoPRAÇA DE SÃO PEDRO O projeto idealizado por Bernini para essa praça é uma das construções mais significativas da arquitetura e do urbanismo do século XVII, na Itália. A Praça de São Pedro, que engloba grandes manifestações arquiteturais do cristianismo no pequeno Estado do Vaticano, tem como base o estilo clássico renascentista recebendo influências também do barroco . Seu estilo clássico é manifestado na coluna dórica que adorna a entrada para a Basílica de São Pedro envolvida por uma grande área oval. O estilo barroco está representando, pela sua propria forma característica da praça, um reflexo da Contra-Reforma. O Bernini construi essa praça na integraçao de dois espaços , o primeiro com forma de elipse composto por colunatas,que se abrem como um abraço materno, que irá simbolizar a igreja mãe.Possui um corredor largo para passagem de carros e duas passagens estreitas para pedestres. 4
  39. 39. Arquitetura & Urbanismoundo. A Praça de São Pedro é uma simbologia de grande relevância ao cristianismo no mundo, não por apenas representar a sede do papa, mas por sua beleza de impacto arquitetonico . Nessa praça acontece as principais celebrações católicas para os fieis,as que mais importantes durante o ano. “É através do balcão que está de frente para a praça que o papa se comunica com o mundo.” 4
  40. 40. Arquitetura & Urbanismo REFRÊNCIASARGAN, Giulio Carlo.História da Arte 3: deMichelangelo ao Futurismo.História da ArteItaliana,edição Cosac & Naify. São Paulo-SP,2003, Volume 3.Mosaico artistico de Caravaggio, disponivel em:http://mosaicodecaravaggio.blogspot.com.br/2011/09/martirio-de-sao-mateus.html acessado .em 20/10/2012.PACIEVITCH Thais, Biografias, pinturas; 24/04/2009.disponivel em http://www.infoescola.com/pintura/michelangelo2/ acessado em 20/10/2012 .Eugenio Battisti Filippo Brunelleschi: o trabalhocompleto . (New York: Rizzoli, 1981)Veja tamb駑:. Howard Saalman Filippo Brunelleschi:Os edif兤ios . (London: Zwemmer, 1993).^ Borsook, Eva (1991). Vincent Cronin. ed. o guiacomplementar para Floren軋, 5 ェ Edi鈬o . HarperCollins,
  41. 41. 3180000863780000

×